A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

quarta-feira, 26 de abril de 2017

A nova estrela do New Orleans Saints

A novela Adrian Peterson chegou ao fim. Após times como Green Bay Packers e New England Patriots agendarem visitas, sem sucesso, com o veterano "Running Back", como é chamado o corredor no esporte, Peterson decidiu assinar com os Saints.

Imagem postada no Twitter oficial da NFL para anunciar a chegada de Adrian Peterson a New Orleans.

A notícia foi uma surpresa para os torcedores do time da Louisiana, visto que a posição é ocupada por Mark Ingram, que teve a melhor marca de sua carreira na temporada anterior, correndo para mais de 1000 jardas e recebendo para outras 300. Além disso, o ataque aéreo de New Orleans, comandado pelo lendário quarterback Drew Brees é dominante no sistema de jogo imposto pelo técnico Sean Payton. Brees teve a segunda melhor marca da carreira na última temporada, lançando para pouco mais de 5200 jardas, só perdendo para a performance de 2011, onde obteve 5400 jardas aéreas.

Mesmo assim, Payton se mostrou muito otimista com a chegada do ex-corredor do Minnesota Vikings. Em entrevista ao jornal New Orleans Times-Picayune, ele disse que vê Peterson como um complemento de Ingram. 

"Eu acho que o papel vai ser muito claro e definido. É uma dura e longa temporada de 16 semanas. Eu acho que ele é alguém que com certeza será capaz de complementar Mark. Esses caras são diferentes de alguma forma, e ainda achamos que adicionamos outro jogador de qualidade", afirmou Sean.

Adrian Peterson assinou um contrato por duas temporadas, no valor de 7 milhões com 3,5 garantidos, divididos em 2,25 no primeiro ano e 4,75 no segundo (1,25 garantidos apenas). Para os Saints, resta esperar para que o Running Back possa voltar a sua forma de MVP, melhor jogador da temporada, que obteve em 2012, quando ainda nos Vikings, correndo para 2000 jardas. Vale ressaltar ainda que a adição traz esperanças de uma vaga na pós-temporada, mas que a defesa ainda é problema para a equipe, que irá explorar opções no Draft para reforçar o setor.

Gabriel Barros

terça-feira, 25 de abril de 2017

O sonho continua

Nesta terça(25) o Eintracht Frankfurt encarou a partida considerada mais importante do ano, a semifinal da Copa da Alemanha contra o Borussia Monchegladbach no Borussia-Park. Uma partida bastante truncada e disputada marcou o encontro desses dois times que viam esta competição como maneira mais fácil de se classificarem para uma competição européia.

A primeira etapa deixou claro que posse de bola não define dominação. O Eintracht mesmo com 38% de possessão média dominou o jogo, marcou aos 14 minutos com o israelita Tawatha e estava levando grande perigo com contra-ataques fortíssimos puxados pelo habilidoso camisa 10, Marco Fabián. Mas aos 47, no último lance do primeiro tempo se aproveitando de uma bola parada venenosa Jonas Hofmann empatou a partida.

O segundo tempo foi bastante entediante, o certo domínio do Borussia que se reforçava na força de sua torcida não foi o bastante para furar a famosa e impenetrável defesa treinada por Niko Kovac e seu 3-5-2, vários pedidos de pênaltis inventados pela equipe da casa marcou negativamente a partida. Ainda ocorreu um lance curioso, o atacante Marius Wolf que tinha acabado de entrar como substituto de Omar Mascarell sofreu uma lesão no ombro constatada como grave e teve que sair dando lugar ao jovem uruguaio Guilhermo Varela.

A prorrogação foi só mais uma, tensa e agressiva. Todos que acompanhavam a partida com certeza já esperavam pelas penalidades, vantagem nossa ! O Eintracht já havia ganho duas penalidades seguidas frente ao Magdeburg e Ingolstadt nos 32 e 16 avos de final respectivamente. As equipes cansadas não conseguiram fazer mais nada, efim chegamos ao ápice da emoção, os pênaltis. 
preparação para as penalidades. Por: @eintracht_bra

Hradecky Monstro :
 As penalidades foram tensas como sempre, sabemos que não é sorte e sim treinamento. As duas equipes se mostraram bastante empenhadas em vencer, acertando todas até as alternadas, mais especificamente até a cobrança do zagueiro dinamarquês Christensen que parou no nosso muro Hradecky. Mas não terminou.

A cobrança decisiva ficou por parte de Guilhermo Varela(aquele mesmo que entrou substituindo o Wolf na situação adversa) e adivinhem ? Sim, ele errou. Prolongando ainda mais as cobranças e nos deixando com uma ira incontrolável. 

Graças aos céus que Hradecky estava do nosso lado, o goleiro novamente fez uma defesa espetacular e deixou a classificação nos pés de Hrgota que dessa vez não desperdiçou. Depois de 11 anos o Frankfurt voltara a uma final de maneira espetácular e agora espera o ganhador de Bayern e Borussia Dortmund que se enfrentam nessa quarta(26) para ver quem será o mais novo Kaiser alemão.

Ganhamos! Que venha o Penta ! por: @eintracht_bra
 Agora após uma temporada surpreendente vamos em busca do penta campeonato da Copa Alemã, quem acreditava que seria possível ? Graças a Niko Kovac, o treinador que reformulou o pensamento dos "der adler" e a maneira como o time da cidade mais tecnológica da Alemanha é visto dentro e fora do território prussiano, deve ser exaltado. Ele é um típico treinador campeão como Felipão na copa de 2002, tem em sua defesa seu setor mais confiável e faz dela o seu melhor ataque. Sem precisar de grandes talentos individuais.

Após se distanciar da briga por competições européias na Bundesliga o Eintracht deve ter foco total no título da DFB POKAL, que mesmo enfrentando um dos dois maiores do país é a maneira mais fácil de conseguir vaga para disputar a Europa League da próxima temporada, garantindo assim um bom prêmio e reputação principalmente para contratar bons jogadores que melhoraram a qualidade técnica da equipe, dando melhor material humano a seu excelente treinador.

Próxima Partida: 30/04/2017 - Hoffenheim x Frankfurt - Bundesliga

Sigam o Perfil Oficial do Frankfurt no Brasil: @eintracht_bra

                                                                                                     Por:Gabriel Ferraz / @_vsferraz 





Ao empatar com a Aparecidense, Tigrão volta a disputar a final do Campeonato Goiano após 12 anos

Todo time necessita de títulos, no Vila Nova não seria diferente. Ainda não veio, mas aquele velho jejum de doze e longos anos sem disputar a final do Campeonato Goiano chegou ao fim. Na noite da última segunda-feira (24), o Tigrão foi a campo diante da melhor equipe da fase de grupos, a Aparecidense e empatou em 2x2. 

Com a vantagem para si, o Tigre precisou apenas desse mero empate para ir a final. O Camelão não conseguiu segurar a pressão do time colorado. Zé Teodoro até que tentou derrubar o esquema de Mazola Jr. Mas, dessa vez quem se deu bem foi mesmo o treinador colorado.

O Tigrão liderou boa parte do Goianão 2017, os números do Vila durante toda a fase de grupos foi melhor média da equipe dos últimos 12 anos. A equipe que caiu de rendimento nas últimas rodadas da fase de grupos, voltou a mostrar futebol nos dois últimos jogos das semifinais. Mazola surpreendeu indo a campo com o esquema de três atacantes. 


(Foto: Douglas Monteiro / Vila Nova FC).
Um Vila Nova totalmente diferente, viu sua vaga ser ameaçada após sair atrás no marcador. Washington que marcou no primeiro jogo, voltou a marcar de falta para o Camaleão. Mas isso não abalou a equipe que foi em busca do empate. Geovane aos 30' após Moisés lutar no chão pela bola, o volante aproveitou a falha de marcação e chutou de fora da área, empatando a partida em 1x1. 

Aos 44' o zagueiro colorada desviou mandando a bola no travessão e por pouco não marca gol contra. A bola continuou com a equipe da casa, que após o goleiro Elisson rebater a bola sobrou para Hélder que não desperdiçou, marcando o segundo gol do Camaleão na partida, 2x1 Aparecidense. 

De volta para o segundo tempo, o ritmo de jogo foi igual o do primeiro tempo. Aos 12' o Tigrão foi salvo pelo Maguinho, que após uma bola lançada na área, o zagueiro Mirita aproveitou e finalizou com força, é o lateral colorado evitou o gol em cima da linha.

E aos 16' da etapa final, Matheus Anderson recebeu pela esquerda fez uma bela jogada e cruzou para área. Moisés que vinha chegando empatou a partida, 2x2 Tigrão em vantagem.

Com a vaga em mãos, Mazola Jr recuou a equipe já que a vantagem era do seu time. Mesmo jogando recuado o Vila teve as melhores oportunidades do segundo tempo. 

Mas aos 37' após uma cobrança de falta, o árbitro da partida sinalizou que o zagueiro Alemão teria colocado a mão na bola dentro da área e marcou pênalti para os donos da casa. Murilo bateu para a boa defesa do goleiro Elisson. Após o pênalti perdido, o Camaleão sentiu o empate e não conseguiu impedir a classificação do Vila Nova.

(Foto: Douglas Monteiro / Vila Nova FC).
O primeiro jogo das duas finais acontece no próximo domingo (30), no Estádio Serra Dourada ás 16 horas. No jogo de ida o mando de campo será do Vila Nova, com a entrada do torcedor pelo lado Norte. O jogo de volta deve acontecer no dia 7, com mando de campo esmeraldino. Com o empate, é com a eliminação do rival Atlético no sábado, o Tigrão está garantido na Copa do Brasil de 2018. As outras duas vagas ficaram para Goiás também finalista e Aparecidense tendo a terceira melhor campanha do estadual.

Opinião

Após 12 anos, o TIGRÃO está de volta a final do Campeonato Goiano e vai enfrentar o mesmo adversário daquele 17 de abril de 2005, o rival Goiás. Foram longos é duros anos e durante esses anos o Tigrão amargou vários rebaixamentos. Em 2014, quando viveu seu pior ano da história o Vila seria rebaixado para divisão de acesso no mesmo Estádio Aníbal Batista de Toledo, rebaixado pela a Aparecidense por um placar humilhante o Tigre deu a volta por cima em 2015 sendo campeão do dois campeonatos que disputou, divisão de acesso e Série C. É ontem o Vila se livrou de vez daquela angústia, onde se garantiu na disputar da grande final do Goianão 2017.

Desde o início o Vila mostrou para o que veio, tendo em vista a melhor campanha da história do clube no estadual. Entre erros e acertos Mazola parece que finalmente encontrou um rumo. O verdadeiro teste dele é de toda sua equipe será nesses dois jogos finais. Vem ai o Brasileirão e se caso o título vier, pode dar uma certa tranquilidade para a sequência do ano. Mas, resta saber se teremos mesmo um elenco a altura para essa sequência. 

Quando se trata de finais diretas entre Vila Nova e Goiás, o torcedor do Tigrão pode ficar tranquilo. Nos últimos anos quando a final foi disputada pelos rivais, o Vila teve uma pequena vantagem. Em 1993, 2001 e por último 2005 o Tigre se consagrou campeão. Já em 2000, o Vila em forma de protesto contra a arbitragem do primeiro jogo, não foi a campo na partida de volta sendo assim rebaixado para a divisão de acesso daquele ano. Goiás se consagrou campeão, porém não se pode considerar a equipe esmeraldina campeã do estadual daquele ano.

Lateral Romário vive a expectativa de jogar a primeira final com a camisa do Ceará



A ótima campanha do Ceará, do jogador Romário, campeão da série B ano passado com o Atlético Goianiense, foi confirmada no último sábado (22), na Arena Castelão, quando o Vovô venceu a equipe do Guarani de Juazeiro pelo placar de 1 a 0, no terceiro confronto válido pela semifinal do Estadual. Com a vitória, o Mais Querido carimbou o passaporte para a final do Campeonato Cearense - decisão que o time não disputa desde 2014, quando levantou o caneco.

Com ótimas atuações pelo lado esquerdo do campo, o lateral Romário comenta sobre a fase que o time vive e do apoio do torcedor como fator motivacional.

- Fizemos uma campanha segura e incontestável, os números mostram isso. Fomos líderes na primeira fase do campeonato e chegamos fortes no mata-mata - onde saímos premiados com a vaga na final. Estamos criando uma identidade muito boa com o Castelão - fazendo bons jogos e deixando os torcedores contentes. Essa parceria com o nosso torcedor é fundamental, a atmosfera que eles criam no jogo nos motiva ainda mais para darmos sempre o nosso melhor, e vamos em busca disso nessa fase final, diz Romário.

O Vozão decide o torneio contra a equipe do Ferroviário, que eliminou o time do Fortaleza na outra semifinal. O jogo entre os clubes é conhecido como Clássico da Paz, um repeteco da final de 1998, onde o alvinegro sagrou-se tricampeão. Prestes a disputar a primeira decisão com a camisa do Ceará, o canhoto Romário fala sobre as expectativas para o duelo.

- A expectativa é que serão grandes jogos, o Ferroviário não chegou na final por acaso, eles possuem uma grande equipe, assim como a gente. Eles marcam muito bem e exploram bastante os contra-ataques, então creio que os duelos vão ser muito pegados. São jogos assim que os jogadores gostam de jogar, proporcionando um belo espetáculo para os torcedores, que com certeza sairão satisfeitos do estádio, analisa o atleta.

O jogo entre as duas equipes está marcado para o próximo domingo (30), às 16h, na Arena Castelão. A final do Campeonato também é disputada no sistema melhor de três jogos. Lembrando que com a classificação para a final o Ceará também conquistou vaga antecipada na Copa Nordeste 2018.

Foto: cearasc.com

Visitante indigesto

Na última rodada visitamos o Burnley no estádio Turf Moor e vencemos a partida por 2x0 com gols de Martial e do nosso capitão, Wayne Rooney.
Rooney faz a festa da torcida Red Devil. (MUFC/Getty)
Dentro do campo foi um jogo sem sustos de pleno domínio onde nosso paredão, David De Gea, não teve quase nenhum trabalho, arrisco dizer que ele foi privilegiado em assistir ao jogo de dentro do campo, mas mesmo sem ter tido uma importância maior dentro das quatro linhas, ele saiu ao final comemorando um feito individual, 100 partidas sem tomar gols na Premier League e com 26 anos tornou-se o goleiro mais jovem a atingir esta marca. Mas como nem tudo é um mar de rosas, na mesma semana que conquistou essa marca, cresceram muito as notícias que o colocam no Real Madrid na próxima janela de transferências. Para nós torcedores nos resta torcer para que sejam boatos e que o jovem goleiro espanhol continue a defender nossas metas na próxima temporada.
O mais jovem goleiro a chegar a marca de 100 partidas sem sofrer gols, será que vai estar nos defendendo na próxima temporada? (MUFC/Getty)
Na quinta-feira, 20 de abril, jogamos em Old Trafford contra o Anderlecht e após o empate em 1x1, gol de Mkhitaryan, repetindo o placar da Bélgica conseguimos nos classificar para as semifinais da Liga Europa vencendo na prorrogação por 1x0, gol do garoto das estreias, Marcus Rashford. Fechando o placar da volta em 2x1 para o Manchester e garantindo a classificação.

Porém, para o torcedor, toda festa ficou ofuscada, pois no final do segundo tempo, Ibra caiu no gramado lesionado, cena que já havia acontecido no jogo com o nosso zagueiro Rojo. Ambos estavam fazendo uma boa temporada e preocupa bastante como vão se comportar nossa defesa e ataque com esses desfalques.

Rojo deve estar apto para o início da temporada 17/18 em agosto, esperamos que o argentino se recupere plenamente e volte o mais breve à sua atual forma. Já Ibra só deve retornar na metade da próxima temporada, em janeiro de 2018, o que leva a uma situação difícil pois seu contrato encerra ao final da atual temporada. Será que o Viking vai continuar conosco? Sinceramente, não tenho ideia de como as coisas vão seguir, mas pelos anos que acompanho os Red Devils nunca vi o clube deixar o jogador numa situação dessas, por isso acredito na renovação de contrato e mais ainda num retorno triunfal do atacante sueco.
Não sabemos o que vai ser do futuro do sueco em Manchester, espero que fique e dê a volta por cima. (MUFC/Getty)
Ainda falando de lesões, no jogo contra o Burnley também tivemos baixas, o jogador mais valioso do mundo, Pogba, foi substituído no final do jogo sentindo uma lesão o que aumenta a quantidade de jogadores no departamento médico do clube. Com Pogba são sete jogadores, mostrando que a temporada com tantos jogos deixou sua marca e até o final dela ainda poderemos ter novos inquilinos no DM, é uma reta final com título em disputa e classificação para a Liga dos Campeões em jogo, por isso não podemos tirar o pé, sorte a nossos guerreiros.
Duas baixas importantes num mesmo jogo, as lesões vem assombrando Old Trafford. (MUFC/Getty)
Essa semana vamos visitar nosso pequeno vizinho de Manchester no Etihad Stadium, e vamos pegar um adversário ressacado com a eliminação da FA Cup, jogo duro pela frente, mas como o jogo é fora de casa eu vou apostar minhas fichas em mais uma vitória do visitante indigesto.

Fico por aqui na torcida por menos lesões e mais vitórias, GGMU!

#SangueRedDevil

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Arsenal 2-1 Man. City: Wembley nos espera, mais uma vez

Foi sofrido. 120 minutos de pura emoção. Mas no domingo (23), depois de um bom tempo, o torcedor do Arsenal voltou a sorrir. Vencemos, estamos na final! Depois de tanto tempo, não precisamos e nem devemos falar de crise, afinal a vitória foi nossa, a vaga é nossa!

A semifinal foi contra o Manchester City, de palco, o colossal estádio de Wembley. Wenger começou o jogo com seu time armado mais uma vez em um 3-4-3, com Cech no gol; Gabriel, Koscielny e Holding na linha de três defensiva; Ox-Chamberlain, Ramsey, Xhaka e Monreal; mais na frente, Ozil, Alexis Sánchez e Giroud centralizado.

O jogo começou com o City muito mais encima, com um volume de jogo bem maior, enquanto o Arsenal, intencionalmente, se preocupava mais em se defender. Era arriscado, mas funcionou. A pressão dos citzens não era convertida em tantas chances, mas sempre que era exigido, Cech se garantia. Ainda assim, por pouco não marcamos na primeira etapa, na verdade, o gol até saiu quando Koscielny mandou para as redes uma bola levantada na área, mas a arbitragem, de forma correta, assinalou impedimento, invalidando o gol. E não foi só do nosso lado que teve gol invalidado, mas também do time de Manchester, quando Cech deu rebote em chute de Aguero e Sterling somente empurrou a bola para o gol, todavia, a arbitragem, dessa vez erroneamente, enxergou que a bola passou da linha de fundo no cruzamento que originou a jogada e anulou o tento do time de Manchester. Sorte a nossa, que descemos para intervalo com o placar zerado.

No segundo tempo, mesmo sem mudanças no time, o Arsenal voltou com uma postura diferente, pressionando os adversários. Os dois meias abertos, Chamberlain e Monreal, se apresentavam muito bem pro jogo. Contudo, justo no momento que conseguimos emparelhar o jogo e até sermos superiores em determinados momentos, ficamos atras no placar: quando a pressão era constante pelo lado do Arsenal, Yaya Touré roubou a bola de Ramsey e fez lindo lançamento para Aguero, o atacante argentino conduziu a bola até próximo da área e aproveitou-se da indecisão de Cech sobre tentar ou não fechar seu angulo de chute para encobrir o goleiro tcheco e abrir o placar.

Após o gol do City, o jogo se mostrou mais uma vez equilibrado, mas dessa vez tínhamos também a infeliz desvantagem de jogar contra o relógio. O destino, tantas vez cruel com o Arsenal e seus milhões de torcedores, dessa vez pareceu querer ajudar. Pouco depois de Aguero abrir o placar -mais precisamente nove minutos depois- Monreal estava lá para completar o cruzamento de Chamberlain e empatar o jogo. Estávamos vivos, o jogo estava em aberto.
Monreal comemora seu gol marcado. (Foto: Getty)
Antes do fim do tempo regulamentar, ainda vimos a bola bater duas vezes nas traves de Cech, a primeira com Touré e a segunda com Fernandinho, e vimos também Welbeck, que veio à campo no lugar de Giroud, quase matar o jogo nos minutos finais, mas o atacante inglês finalizou pra fora. Os 90 minutos acabaram, teríamos prorrogação; prorrogação essa que à aquela altura do jogo parecia um muito bom  negocio, visto que nossos adversários estavam claramente mais cansados. E foi mesmo.

Como esperado, a prorrogação logo de início, proporcionava um jogo aberto, com os dois times buscando o gol. Quando eramos pressionados, nossos zagueiros se mostravam sempre seguros, especialmente Gabriel e Holding, partidaça de ambos.

Certamente você já ouviu aquela máxima futebolística que diz que um craque só precisa de uma bola para mudar completamente o cenário de um jogo, certo? E foi exatamente o que aconteceu. Sánchez, nosso camisa 7, nosso craque, até então apagado na partida, estava lá para fazer o que sabe fazer de melhor: decidir à nosso favor. VIRAMOS O JOGO! Alexis aproveitou a sobra de bola após cobrança de falta na área e fez explodir toda a torcida do Arsenal, não somente presente em Wembley, mas em todos os cantos do mundo. A vitória não poderia escapar de maneira alguma; e não escapou mesmo. Suportamos a pressão final dos nossos adversários e saímos de campo com a vaga depois de um jogaço de bola.
"craque só precisa de uma bola" (Foto: Getty)
Dentre os maiores destaques do jogo, certamente podemos citar o sucesso do nosso trio de zaga, que em tão pouco tempo jogando juntos, parecem entrosados já há anos, funcionando muito bem. Bola dentro de Wenger, que não teve medo de arriscar e obteve sucesso. Também não da pra deixar de citar o excelente jogo feito feito por Ox-Chamberlain; sempre muito participativo, buscando o jogo em todos os momentos, ainda foi coroado com uma assistência. Certamente o homem do jogo.

Daqui a pouco mais de um mês, no dia 27 de maio, teremos mais uma vez compromisso marcado em Wembley, a grande final contra o Chelsea, num clássico londrino que marcará  nossa vigésima final de FA Cup. Vamos em busca do nosso décimo terceiro titulo na competição.

We're the famous Arsenal and we're going to Wembley!! COYG!


Por: Matheus Moraes - Twitter: @mathmoraees





Mais uma vez o Remo fez o impossível

O Remo jogou nesse domingo (23/04) contra o Independente de Tucuruí no Mangueirão, pelas semifinais do Parazão. Os visitantes vinham com a vitória por 2 a 0 a seu favor, enquanto o time da casa precisava de uma vitória por 2 gols de diferença para levar a partida aos pênaltis. Para muitos isto era impossível, levando em consideração os diversos problemas internos que vêm acontecendo no clube, porém a esperança ainda estava viva no coração dos verdadeiros remistas, e o que parecia impossível aconteceu.

Foto: Fábio Will/ASCOM Clube do Remo


O Leão entrou em campo buscando o placar e mantinha bem a posse de bola, porém do outro lado o Galo conseguia construir melhor as jogadas, e logo aos 12 minutos Magno marcou para os tucuruienses. Assim que fizeram o gol, os visitantes passaram a manter-se na zaga, e conseguiram segurar o placar durante todo o primeiro tempo.

Entretanto aos 2' do segundo tempo Igor Joao empatou para o Leão e colocou o Independente na retranca total, e assim permaneceu durante todo o restante do jogo. Aos 40 minutos o Mais Querido finalmente virou, e aos 42' ampliou o placar para 3 a 1, levando a decisão para os pênaltis.

Ao todo foram 24 cobrancas de pênaltis, que para os torcedores pareceram não terminarem nunca. Com muita raça e sorte, o Leão conseguiu vencer os visitantes por 10 a 9, após Anderson Preto desperdiçar e deixar a vitória nas mãos de Val Barreto.

Com o triunfo perante o Independente, o Remo segue para a final do Campeonato Paraense contra o Paysandu, que venceu as semifinais contra o São Raimundo. Os jogos da decisão ocorrerão nos dias 30/04 e 07/05, e serão transmitidos pela Cultura via Transmissão Online (www.portalcultura.com.br) e pela TV (Para quem mora no Pará somente).

A lei do ex ataca e o Liverpool, 'Robin Hood', perde em casa


(Foto: Liverpool FC/Divulgação)
No último domingo (23), o Liverpool recebeu o Crystal Palace em Anfield pela Premier League. Na briga pelo top 4, os Reds até começaram bem mas não conseguiram evitar que a lei do ex e sua síndrome de Robin Hood falassem mais alto e fizessem com que os visitantes saíssem com a vitória. 

o Liverpool saiu na frente com um golaço de Phillipe Coutinho em cobrança de falta, aos 23' de jogo. Os Reds mantiveram a posse de bola próximo dos 70% desde o primeiro tempo até o apito final, no entanto, não conseguiram converter esse número em chances criadas, enquanto o Palace levava muito perigo nos contra-ataques. Ainda na primeira etapa, aos 38', Emre Can teve a chance de ampliar, quando ficou livre na frente do goleiro, mas colocou a bola pra fora após acertá-la com a canela e nos mostrar o quanto Henderson e Lallana fazem falta ao time. O empate dos eagles veio ainda no primeiro tempo, aos 42', quando Benteke, ex-Liverpool, colocou a redonda pro fundo das redes. 

No segundo tempo o jogo ganhou ritmo, o Liverpool chegava com perigo, quase sempre com a participação de Coutinho, mas pecava na finalização das jogadas, Roberto Firmino e Origi, nossos atacantes, pouco apareceram no jogo. Aos 28', veio a virada, novamente com Benteke, após cobrança de escanteio e falha de marcação da nossa zaga, algo que, infelizmente, não surpreende mais ninguém. O que se viu depois foi um Liverpool nervoso, e no final desesperado, que tentou mas pouco assustou o time visitante. Klopp fez 3 substituições mas não conseguiu evitar que perdêssemos pela terceira vez seguida em Anfield para o Crystal Palace.

Após a partida, o Liverpool estaciona nos 66 pontos, 2 a mais que Manchester City e 3 a mais que Manchester United. O problema é que os dois estão com dois jogos a menos, e de acordo com seus resultados podem nos levar à fatídica 5ª posição na tabela. 
Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana