A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Liverpool quer Illarramendi do Real Madrid

O jornal "Marca" da Espanha, anunciou que o time da cidade dos Beatles fez uma proposta de R$ 52,3 milhões pelo jogador, porém foi rejeitada imediatamente pelos merengues. O Liverpool segue firme acreditando que o jogador seja uma solução para o meio-campo para substituir Steven Gerrard e apresentou uma nova oferta, avaliada em R$ 76, 7 milhões.

Galo depena o Urubu novamente

O Galo está carente. Já não mais possui arquirrivais, seja em Minas Gerais ou no restante do país. O que um dia já foi tido como o clássico interestadual mais importante do país, não tem mais motivo para ser chamado de tal forma. Mesmo que nos anos 80, as derrotas alvinegras tenham se dado na base da mão grande por verdadeiros quadrilheiros e de forma nada obscura, pois todos sabiam o que aqueles que vestiam preto na época e sua quadrilha limitada estavam fazendo, ainda assim protagonizávamos belos jogos com craques como Reinaldo, Cerezo e Éder.

Lucas Pratto fez golaço para o Atlético-MG Foto: Buda Mendes / Getty Images
Fonte: Buda Mendes/Getty Images

Atacante e meia chegam para reforçar a Macaca

Keno e Léo Costa assinaram com a Ponte após exames no Majestoso

(Foto: PontePress)

Patrocinador "entra no ringue" com Aldo e lança campanha em forma de animação


Marca de energético lança propaganda e manda recado para McGregor

(Foto: Twitter)

Há quatro anos, Santos conquistava a América

Jogadores levantando a taça há 4 anos
No dia 22/06/2011 o Santos Futebol Clube conquistava sua primeira Libertadores da América após 48 anos e a terceira da história, consagrando de vez a geração de Neymar e Ganso e marcando pra sempre essa data nos corações santistas.

Os maiores "micos" dos grandes paulistas

Os chamados "papelões" do futebol fazem parte do passado de todos os grandes clubes de São Paulo.
Todos os grandes de São Paulo passaram por situações inusitadas contra times de pouquíssimas ou média expressões. Alguns para poucos e outros para muitos

Dizem que o número 13 é o do azar (menos para o Zagalo), então conheça na sequência e ranking os 13 maiores micos e os clube que passaram por estes transtornos.



1º LUGAR - PALMEIRAS 2x1 ASA DE ARAPIRACA


A eliminação diante do modesto Asa de Arapiraca em 2002 ainda na primeira fase da Copa do Brasil. O alviverde perdeu fora de casa por 1 a 0 e parecia tranquila para decidir no parque Antarctica, hoje Allianz Parque, a classificação. No entanto, a vitória por 2 a 1 não foi suficiente e o gol como visitante acabou premiando o Asa, que seguiu na competição beneficiado pela vitória no primeiro jogo por 1x0.



2º LUGAR - PALMEIRAS 2x7 VITÓRIA/BA


O segundo vexame do Palmeiras na Copa do Brasil aconteceu em 2003. Em pleno Parque Antarctica,atual Allianz Parque, a equipe do então treinador Jair Picerni tomou uma goleada de 7 a 2 do Vitória, com direito a chute no vácuo de Marcos no último gol. O atacante Nádson, do Vitória, foi o destaque da partida com quatro gols.



3º LUGAR - PALMEIRAS 2X0 IPATINGA - 
ELIMINAÇÃO NOS PÊNALTIS.


Em 2007, o Verdão, novamente em casa, foi eliminado da competição pelo Ipatinga. O clube paulista superou o adversário por 2 a 0 no Parque Antarctica, atual Allianz Parque no tempo normal, devolveu o mesmo placar do confronto de ida, em Minas Gerais, decidiu a vaga nos pênaltis. Nas cobranças, perdeu por 4 a 3 e encerrou sua participação no certame nacional.



4º LUGAR - MIRASSOL 6x2 PALMEIRAS


Não! Não é perseguição com o Palmeiras! E seus "micos" são os mais destacados pela mídia esportiva. E como foi citado acima, parece que o Verdão gosta em sua história destes registros. No Campeonato Paulista 2013: o time alviverde protagonizou fiasco histórico no Estadual ao levar uma goleada por 6 a 2 do Mirassol, fora de casa, pela primeira fase do torneio, com todos os gols marcados ainda no primeiro tempo.



5º LUGAR - TOLIMA 2x0 CORINTHIANS


O peso da humilhação é menor dos citados acima pelo fato do Timão estar disputando uma vaga
na Pré-Libertadores da América contra um considerado time médio da Colômbia.

O maior sonho do Corinthians para a temporada de 2011 acabou antes mesmo de começar. Jogando em Ibagué, na Colômbia, o time paulista perdeu por 2 a 0 dando um adeus precoce à classificação para o principal torneio do continente. 

A derrota veio com gols de Santoya e Medina no segundo tempo, e ainda teve cartão vermelho do peruano Ramírez, expulso por uma cotovelada dois minutos depois de entrar em campo.Foi e continua sendo a única vez na história que uma equipe brasileira é eliminada na fase preliminar da Copa Libertadores.



6º LUGAR - PALMEIRAS 1x2 INTER DE LIMEIRA


E de novo o Palmeiras! 
O mais otimista leonino (torcedor da Inter de Limeira) ou crítico futebolístico, jamais botaria fé em um time que ficou na posição intermediária no ano anterior e ainda mais que perdera de goleada na primeira rodada do Campeonato Paulista de 1986. Pois bem, a façanha de ser o primeiro time do interior paulista a conquistar o Paulistão foi e, sempre será o fato mais marcante de toda a História do Campeonato Paulista desde seus primórdios.

Afinal, em 1986, a Internacional de Limeira foi o grande destaque nas principais rádios, jornais e TV de todo o Brasil como Campeã Paulista ao derrotar o Palmeiras e calar milhares de torcedores no Morumbi.

 
7º LUGAR - SÃO PAULO 1x4 SÃO CAETANO


Vexame Tricolor diante de sua torcida!
O São Paulo esbarrou no São Caetano. Mesmo atuando no Morumbi, o time do ABC goleou por 4 a 1, de virada, que garantira sua vaga na final do Campeonato Paulista de 2007. Foi a segunda vez que o clube tricolor caiu no Estadual para o adversário. A primeira foi em 2004.



8º LUGAR - SANTOS 0x1 CSA DE ALAGOAS


O Santos foi surpreendido no primeiro tempo e perdeu por 1 a 0 para o CSA, em plena Vila Belmiro. Mesmo pressionando o jogo inteiro, o time não conseguiu furar a marcação do adversário e está eliminado da Copa do Brasil de 2009.


9º LUGAR - SÃO PAULO 0x0 PENAPOLENSE - ELIMINAÇÃO NOS PÊNALTIS


São Paulo dá vexame, volta a sofrer com pênaltis e é eliminado por Penapolense.No duelo contra o Penapolense, o time de Muricy Ramalho foi eliminado nos pênaltis, assim como aconteceu em 2013, quando a equipe foi derrotada pelo Corinthians na semifinal, após empatar por 0 a 0 no tempo normal. Nas penalidades, Rodrigo Caio errou e o clube do interior venceu por 5 a 4.


10º LUGAR - CORINTHIANS 0x1 GUARANI/PAR


A participação do Corinthians na Libertadores 2015 encerrada nas oitavas de finais, após duas derrotas para o Guaraní, foi como uma montanha-russa: em alta velocidade e com picos e quedas bruscas. A excelente performance do Corinthians no início da competição rendeu diversas projeções otimistas, entre as quais de que o time, hipoteticamente, estaria em condições de ser disputar o título da Liga dos Campeões da Europa.


11º LUGAR - PONTE PRETA 1x1 SÃO PAULO



A Ponte Preta garantiu vaga na final da Copa Sul-Americana, ao empatar por 1 a 1, nesta quarta, no Estádio Romildão, em Mogi Mirim (SP). Por ter vencido o primeiro jogo da semifinal (3 a 1) o time de Campinas podia perder até por 2 a 0. Apoiada por seus torcedores, maioria absoluta no estádio, a Ponte Preta jogou com autoridade e, merecidamente, disputou sua primeira decisão internacional em 113 anos de história.


12º LUGAR - SANTOS 1x0 ITUANO - 
ITUANO VENCE NOS PÊNALTIS E LEVA O PAULISTÃO



Uma mania de grandeza que o “intruso” do interior teimou em manter no Campeonato Paulista 2014. Derrubando os considerados grandes um a um, o bravo time treinado por Doriva chegou ao ápice ao vencer o Santos, por 7 a 6, nos pênaltis, no Pacaembu, após derrota 1 a 0 no tempo normal. Pela segunda vez, a primeira com a presença de todos os grandes, o Ituano é campeão estadual. A primeira foi em 2002, quando os principais clubes do estado disputavam uma edição maior do Torneio Rio São-Paulo.



13º LUGAR - PALMEIRAS 1x2 TIJUANA/MEX



Seja no Paulista, seja na Copa do Brasil e agora pela Libertadores. Esta lista tinha que encerrar com o Palmeiras, maior então detentor de micos entre os grandes de São Paulo. Neste jogo o reserva de Fernando Prass, o goleiro Bruno salvou o Palmeiras em alguns jogos neste ano. Mas uma falha bisonha do camisa 1 foi determinante para a eliminação do time paulista da Libertadores.

Com o Pacaembu praticamente lotado e precisando vencer para avançar, a equipe dirigida por Gilson Kleyna foi derrotada pelo Tijuana por 2 a 1. Nas quartas de final, o time mexicano - que disputou o torneio pela primeira vez - enfrentaria o Atlético-MG.

Fontes: UOL - TERRA - LANCENET - GLOBO - GAZETA ESPORTIVA - ESPN - FOX SPORTS

A interminável cultura da dança dos técnicos...

Passou a oitava rodada e mais um técnico sai demitido de um clube...


 Por que os presidentes e dirigentes não tomam uma postura corajosa e acabem  com a cultura maldita da "dança dos técnicos" que virou uma tradição anual no Brasil? Por que tanta temeridade?

Todo trabalho necessita destes quesitos: tranqüilidade para elaborar, apoio de quem acredita e quer fazer acontecer , planejamento equilibrado com planos A,B,C e D para todo tipo de imprevistos que sempre ocorrem, tempo,  paciência, audácia, ousadia e inovação.


Um profissional não pode ser igual aos outros se quiser ter sucesso e confiabilidade - tem que fazer a diferença - perspicácia é indispensável. O mínimo para um profissional exercer sua função seria de dois anos ou duas temporadas, e se estiver fazendo um bom trabalho, que o prolongue, invista neste profissional para que ele se torne ainda melhor, importante e valorizado.

A velha máxima de que técnico tem que ser igual a vinho nunca servirá - o técnico tem que ser inovado e  audaz, e nunca velho senão é ultrapassado e retrógrado. Técnico velho, só se for de idade e jamais de acomodação. Tem muitos que queimam jogadores, mas se já não serve mais nisto, que mude de trabalho e carreira.Perceba-se que tem muitos acomodados assim atualmente- o relógio parou para eles. Tem treinador que não quer mais nada mesmo, apenas pular de clube em clube, ganhar dinheiro, ser demitido e usufruir de uma bela multa de rescisão de contrato com ganhos astronômicos. 

Mas muito do que foi citado pode se dirigir a culpa para não somente a eles e sim a muitos: dirigentes, jogadores, mídia esportiva e torcedores.  Ninguém tem paciência no Brasil por espera de um bom trabalho a ser realizado a longo prazo - tem quer imediato.

Vou pautar um a um:

Dirigente: cede a pressões de conselheiros e bastidores, visa apenas ganhos atuais do que futuros ao invés de formação de um caixa forte com uma balanço financeiro extremamente favorável. Se a mídia ataca cedem rápido, se a torcida organizada se mobiliza e vai cobrar do clube dão a palavra deles como a mais forte ou em muitos casos, o voto de minerva.

Jogadores: um ludibrio sem explicações de que muitos destes chamados profissionais não montam grupos -  as chamadas "panelas",  que derrubam técnicos, diretores e até jogadores que não participam de suas "festividades" ou  hierarquias.  Entregam jogos, não passam a bola ou criam jogadas com outros atletas e aparecem na mídia para colocar na roda de fogo as suas vítimas e muitos deles ainda sair como vilões. Para muitos, são piores que cartolas ou empresários.

Mídia Esportiva: quando um site, blog, rede social ou jornal impresso quer elevar ou derrubar, conseguem. Infelizmente tenho que generalizar neste aspecto porque todos nós que trabalhamos nesta área também somos impacientes com algumas coisas que acontecem, e acidentalmente postamos dentro de nossas matérias opiniões próprias e insinuantes.  Achamos que técnico A não serve para o time A com menos de um ano de cargo, até mesmo dias e já colocamos pressões desnecessárias. E o que leva a pressão da torcida no quesito abaixo.

Torcedores: eles querem aquele título naquele momento mesmo que o plantel de seu clube seja desqualificado para tamanho feito, tem que fazer uma contratação milionária e o mais importante - nunca ficar atrás daquele rival custe o que custar. Vão na "pilha" de grande parte da mídia esportiva e perdem a paciência com tudo. O torcedor não visa um projeto a longo prazo,  não quer esperar para que o time amadureça seus jogadores de categorias de base, mal dão tempo para adquiri experiência e depois reconhecemos estes jovens brilhando e jogando em países emergentes ou aparecendo em um grande clube de nível internacional.

Torcedor  quer ver contratações incabíveis e muitas vezes desastrosas apenas pelo nome de tal jogador em seu clube de coração. Torcedor realmente não sabe o que quer, e a sua pressão é tão grande representadas pelas torcidas organizadas que somos obrigados a assistir todo tipo de vandalismo e poucos protestos pacíficos: " - Se perder a próxima, vai apanhar! "

Temos tantos clubes no exterior que permanecem com seus técnicos e realizam trabalhos a longo prazo com 100% de sucesso garantido, progresso do futebol em todo o país e o surgimento de grandes e brilhantes jogadores.

A envelhecida seleção da Alemanha dos anos 90 e 2000 foi passando por processos de "revitalização" e inovação a longo prazo. Claro que no começo foram inúmeras dificuldades , perdas de títulos, desdenho em Copa dos Mundo ou Euro Copa e os campeões da Bundesliga eram adversários comuns em competições européias de clubes. Isso mudou e acreditaram até o fim. 

As primeiras colocações nas Copas de 2002, 2006 e 2010 trouxeram o título de 2014 após tanta insistência e uma Liga mais promissora e forte com talentos fora de série - a seleção alemã tem jogadores de alto gabarito para as próximas três Copas do Mundo.


A Copa do Mundo de 2010 vencida pela tão desacreditada Espanha foi fruto também de um trabalho a longo prazo e fomos presenteados com talentos como Iniesta, Xavi, Busquests e o argentino mais do que gênio Lionel Messi nas categorias de base do Barcelona. E ainda mais dois títulos de Euro Copa. Toda base bem trabalhada vai render frutos a longo prazo e conquistas inestimáveis. Tudo é paciência, confiança e trabalho.







Nos clubes europeus, destaques para o aposentado Sir Alex Fergunson que passou mais de 20 anos a frente do glorioso Manchester United e conquistou tantos títulos; Arsene Wenger mais de 10 anos a frente do Arsenal e trouxe um título invicto da dificílima Premier League com uma legião francesa que encantou a todos e responsáveis pelos títulos de 1998 da Copa do Mundo a Euro Copa de 2000.



Bem diferente da diretoria do Liverpool que investiu um capital elevado, deu tempo, apoio e paciência por três anos ao Brendan Rodgers, que vem colecionando fracassos, contratações ruins  e manchando a história gloriosa colocando em dúvida a grandeza do Liverpool - humilhação atrás de outra. Nestes casos é impossível a diretoria não intervir, mas a sua permanência mesmo assim mostra que a diretoria é insistente e vai até onde der, apenas espero que não seja com o rebaixamento do clube. Concordo que com grandes erros assim tem que finalizar.




No Brasil foram poucos os casos de treinadores tanto tempo em um clube: recentemente Tite de 2011 a 2013 pelo Corinthians que conquistou Paulista, Brasileiro, Libertadores Recopa e Mundial de Clubes, saiu, e agora retornou. Muricy Ramalho pelo Morumbi, entre 2006 e 2009, em que o tricolor paulista venceu os Campeonatos Brasileiros de 2006, 2007 e 2008, marca histórica que nunca será apagada da cabeça e do coração do apaixonado pelo São Paulo.






Nos tempos mais áureos ainda, a cobrança era menor e os técnicos passavam mais tempo nos respectivos clubes - Telê Santana, comandou o Atlético Mineiro entre 1970 e 1976, somando 434 jogos como técnico do Galo.






O maior  recorde brasileiro é muito maior do que todas as passagens acima: Amadeu Teixeira trabalhou como técnico no América-AM, de 1955 até 2008! Foram 53 anos no comando do mesmo clube. 

E não parou por aí -  Amadeu também já foi presidente do clube, e hoje em dia, até mesmo sua neta, Bruna Parente,  é dirigente do América-AM.  Quanta identidade!

A cada ano que passa, a nossa seleção brasileira vai ficando para trás e nem demonstra mais tanto respeito aos rivais, todos querem jogar contra o Brasil que parou no tempo.
E infelizmente a tendência é piorar com os dirigentes e organizadores que temos!

O Brasil para muitos já é considerado uma ventania que não derruba mais nada.
Um momento muito melancólico - uma lástima, mas é a verdade!



Texto: Rafael Carvalho
Imagens: Google e Arquivo Globo.com

Linense ganha livro de luxo sobre o clube

O publicitário Wanderley Frare Junior lançou livro bem completo sobre a história do Linense-SP (Foto: Divulgação)
O publicitário Wanderley Frare Júnior lançou livro sobre a história do Linense-SP (Foto: Divulgação)

A dica veio de Marcelo Duarte, jornalista e proprietário de editora, acostumado a avaliar livros e projetos: “Rafael, você precisa conhecer o livro incrível lançado sobre o Linense. Nunca vi um livro tão completo e bonito sobre um time considerado pequeno”. O elogio não sai à toa. Afinal, a obra sobre o clube do interior paulista é quase uma bíblia, com 572 páginas em edição de luxo.

E o Corinthians do povo foi sepultado...

Existia um Sport Club Corinthians Paulista: dos heróis guerreiros, dos jogos decididos na raça quando as situações eram muito adversas, o time dos escassos títulos nacionais, apenas de muitos paulistas.


Time de muitas frustrações e uma fila que não acaba nunca, mas que inexplicavelmente a torcida crescia e crescia. Muita devoção e amor - o time do povo, do sofrimento e das lutas em gramados alheios pois não tinha casa própria e utilizava-se de seu "albergue público", o Pacaembu, para se hospedar.

Como era apaixonante ver o Corinthians e impossível não admirar um time que muitas vezes era inferior aos esquadrões adversários lutava até o fim com seu plantel de operários. Time de nomes e apelidos estranhos, bem do linguajar chulo do povão. Maloqueiro.


Os operários que depois de muito tempo, destruíram com todo o sofrimento do mundo um tabu de 22 anos (conte direito os dias que não chegou a completar os 23 anos - almanaque do futebol) sem um título paulista, e que em 1977 foi devastado pelo primeiro pé de anjo - Basílio.

Rotulado de "time do bairro" por rivais, porque em nacionais era apenas mais um "pequeno" tentando a sorte, o Corinthians era um gigante sem pedigree, um vira-lata regional - seus rivais ostentavam nacionais, sulamericanos e intercontinentais. O Timão era apenas paulista.

O Corinthians era o time da Democracia Brasileira: buscava com seu poderio e influência nas classes mais baixas a luta pelos direitos dos oprimidos e injustiçados. A liberdade de expressão nos tempos difíceis da Ditadura Militar que praticamente não existia. E estava lá o representante da nação corinthiana e também do povo brasileiro, onde em seu nome, ostentava este rótulo com orgulho e amor - Sócrates BRASILEIRO Sampaio Vieira de Oliveira.

E novamente com uma campanha guerreira, conquistou sem primeiro nacional em 1990.
A Fiel comandou o Brasil naquela tarde e naquele ano.


Jogador por jogador ao analisar friamente, era um plantel de jogadores comuns mas com raça e fome de campeões. Começando de um absoluto e seguro goleiro, Ronaldo Giovanelli, a um comandante genial como Neto com a bola nos pés. Para os mais supersticiosos, tinha que ter o talismã no time para dar sorte, e este foi o Tupãzinho. E claro, não poderia faltar o "mano" da Fiel - Wilson Mano.

O Corinthians então foi crescendo e crescendo no tempo e de forma certa.
Enfrentou dificuldades como todo time em processo de transição, era um gigante com coração de pequeno e pensamento de amador. A mudança causava muitos atritos e deslizes pelo caminho. Cresceu tanto que vieram mais 4 títulos brasileiros e outros tantos paulistas e depois o MUNDO.
O clube virou 'O Todo Poderoso Timão'.



Infelizmente o time ainda não possuía uma estrutura para se manter no topo do mundo: seus dirigentes fizeram negociações sinistras e controversas. Chegaram enganadores (Roger Chinelinho - o maior deles) e alguns de garra como Carlitos Tevez - o argentino mais corinthiano do mundo.

Sim, vieram outras conquistas, mas o Corinthians caiu de forma melancólica e manchada.
O time do povo tornou-se alvo de cadernos policiais pela imprensa. O nome do time do povo foi manchado e devastado. Os rivais ririam e muito disso.

O que fazer e como fazer?
Simples: voltar a suas origens e fazer certo desta vez - resgatar o nome e limpá-lo.
Voltar de forma triunfal onde quem riu, não iria rir mais.

Diferente de outros clubes que tem vergonha de admitir rebaixamento no passado e mascaram a verdade ou outro que usufruiu de artifícios ilegais de tribunais sujos e contestados por benefícios, o Corinthians aceitou a situação e sim, jogou a 2ª Divisão movidos pelo grito de "Eu Nunca Vou Te Abandonar Porque Te Amo, Eu Sou Corinthians! " de uma nação que cresceu ainda mais.
O Bando de Loucos levaria o Timão ao topo.


Subiu na bola, conquistou novamente o estado, depois o Brasil e então veio a AMÉRICA - tão sonhada América! Enfim, o Corinthians cresceu do jeito certo e com estrutura - um Centro de Treinamentos adequados e um dos mais sofisticado do mundo. (Revista Sports Medicine)

E a Fiel levou o Timão ao topo - logo ali no Japão em 2012.
Yokohama virou Pacaembu, algo jamais visto em toda história desde as disputas das taças intercontinentais ao início oficial do Mundial de Clubes da FIFA em 2000.

O Corinthians enfim precisava de sua "casa própria" e ela veio.
Não era necessário uma mansão, apenas uma humilde casa para receber seus adeptos e adversários para uma cerveja barata no copo de requeijão, mas para o tamanho da nação e a espera, tinha que ser a mais bela e a melhor do país - a Arena Corinthians.


Os rivais podem contestar como foi erguido, com que dinheiro e blá blá blás, mas ela surgiu. e ao invés de receber os colegas locais, recebeu logo os mundiais.  Copa do Mundo em sua casa não é para qualquer um.

Após isso, uma fatalidade aconteceu - faleceu o time do povo.
O time dos operários sofridos, pobres e humildes do "albergue do Pacaembu" seria sepultado.
E assim surgiria um outro Corinthians - o novo time da elite ou no dito popular: "dazelite".

Acabou-se o som do povão, acabou-se o Corinthians guerreiro! (no ritmo de Chico Mineiro)
Apagaram suas origens e o futebol brasileiro está tornando um esporte da classe alta.

O termo "a soberba subiu para a cabeça" é o termo correto a ser utilizado.
Hoje existe um Corinthians da "casa de mármore", dos torcedores elitistas que pagam ingressos de valores exorbitantes, que possuem setores vips e todo tratamento diferenciado.
Nem o "Terrão" existe mais - deu espaço para as gramas sintéticas e os meninos de condomínios fechados. Os moleques das favelas foram extintos.


- Sentar no chão e no cimento? Jamais! Quero cadeira confortável!
- Banheiro químico? Isso é para pobre! 
- Tem secador eletrônico de mãos? Ótimo!  
- Assistir jogo de pé não é comigo, eu pago para assistir sentado, não preciso gritar.
- Talvez eu vá, qualquer coisa vem em casa que pago o pay per view!

O Corinthians tornou-se um time rico mas com "cabeça de pobre", que ao ganhar 100 milhões em uma "megasena", não obteve estrutura para administrar bem e render mais.

Explicarei melhor:

 Ao invés de comprar um bom carro, compra um Bugatti de 6 milhões e com IPVA de mais de 500 mil ao ano; além de uma boa casa e bem mobiliada, compra uma mansão de 30 milhões onde e manutenção anual dela e seus empregados chega aos 2,5 milhões. Era acostumado a comer em lugares bons e baratos, agora quer comer em restaurantes onde somente o serviço de vallet custa 200 Reais - parte de sua compra mensal.

"- Investir? Para que? Um dia morrerei! Quero é gastar e viajar!"


E dando passos maiores do que pode tornando a dívida maior que o prêmio.

O "novo" Corinthians não é tão vencedor quanto o seu antecessor ainda, e pelo andar das coisas, não será, mas é muito semelhante ao seu rival São Paulo entre os anos 2005 a 2008 - um time arrogante, soberbo e sem humildade.

Um tal de novo "soberano". O Tricolor vem pagando por este rótulo com um longo jejum de títulos
e desdenho de rivais e da mídia.

E o novo Corinthians está seguindo estes passos...

Texto: Rafael Carvalho
Imagens: Google 

Tudo igual no Atlétiba

Walter, corre para comemorar seu gol no clássico. (fonte: Gazeta do Povo)
Neste domingo (21), a Arena da Baixada foi palco de um dos melhores Atlétibas dos últimos anos. O jogo também ficou marcado por ser o primeiro clássico entre os grandes rivais da capital no novo estádio.

Em jogo onde os erros individuais resultaram em gols, o Coritiba ficou duas vezes a frente do placar, mas o Atlético reagiu rapidamente em ambas ocasiões e o clássico acabou com placar de 2 a 2.

Novos "velhos" rumos em Merseyside...

Muitas especulações envolvendo nomes de possíveis técnicos como Jürgen Klopp, Carlo Ancelotti e Diego Simeone para o time dos Reds, mas infelizmente a permanência de Brendan Rodgers à frente do Liverpool na próxima temporada é iminente - um tremendo erro da diretoria.


Líder! Sport vence mais uma e segue 100% dentro de casa

Como de costume, foi sofrido. Até porque, se não for sofrido não é Sport. Com gol aos 35 minutos do segundo tempo, o Leão venceu mais uma dentro dos seus domínios e acabou de vez com a fama de "levantar defunto" após as vitórias contra o lanterna e o vice-lanterna.

Na tarde de sábado (20), os quase 20 mil rubro-negros que foram a Arena Pernambuco viram um time aguerrido que dominou a maior parte do jogo e, como consequência, viram a vitória diante do Vasco por 2 a 1 e a retomada da liderança da competição. A partida também marcou a estreia de Marlone e a primeira vez de André como titular. Esse segundo, diga-se de passagem, teve uma excelente atuação.

Wendel comemorando o gol que decretou o triunfo leonino
(Foto: Globo Esporte)


A partida teve inicio com os visitantes tendo o controle da posse de bola, mas isso não durou muito. Rapidamente o Sport tomou as rédeas do jogo e chegou perto de abrir o placar com Maikon Leite depois de um ótimo passe de Diego Souza. Dez minutos depois do "quase", veio o gol. Durval lançou Maikon de forma magnifica, o camisa 11 passou pelo lateral vascaíno e tocou para André escorar para o gol, 1x0. O time rubro-negro se manteve melhor na partida mas não conseguiu ter outra chance clara de gol e aos 40 minutos veio o castigo. Em um lance de dois escanteios em sequência, saiu o empate. No primeiro, Luan cabeceou e Páscoa salvou em cima da linha. No segundo, Danilo Fernandes afastou a bola de soco e ela caiu no pé de Serginho, o volante jogou para dentro da área e Riascos fez o 1x1.

André comemorando o seu primeiro gol com a camisa rubro-negra
(Foto: Superesportes PE)

O gol mexeu com as equipes e nem o intervalo foi suficiente para colocar os nervos nos seus devidos lugares. O Vasco voltou melhor e com maior posse de bola, mas o ataque vascaíno se mostrava ineficiente e não conseguia criar. A primeira chance clara de gol só veio aos 23' minutos e foi do Sport. André roubou a bola, arrancou em velocidade e só parou no travessão. Quase o segundo dele na partida. Após o lance, o Sport cresceu no jogo, voltou a dominar a partida por completo e aos 35 minutos, quando o clima dramático já tomava conta da arquibancada, saiu o gol da vitória. Diego Souza mandou para área e, depois do bate-rebate, a bola caiu nos pés de Wendel, que fuzilou, 2x1. O Leão ainda teve chance de ampliar com Marlone, mas o goleiro vascaíno fez boa defesa e foi o suficiente para a liderança voltar para onde não devia ter saído.


Saudações rubro-negras e pelo Sport tudo!

Lucas Lemos | @pqfasisolucas

Crise decretada: Goiás vacila e perde para o Joinville.

Goiás perde mais uma partida e entra em crise no Brasileiro.
Foto: Globo Esporte
A tragédia só está no seu início. Em mais uma partida de chances desperdiçadas e falhas grotescas na defesa, o Goiás foi derrotado pelo Joinville e vai afundando cada vez mais na tabela, na crise e na decepção, que só vai fazendo com que o torcedor fique longe do estádio. Como todo sábio que já ouviu essa frase sabe: "Vale mais a pena calar o sentimento do que manifestar amor a que não pode corresponder". É isso que acontece com o Goiás hoje.

A torcida não vê o time corresponder em campo, não vê a diretoria ouvir ou ligar para o torcedor, já que monta times fracos todo ano, e, com isso, resta calar o sentimento e ficar longe, afastado dos estádios, com pouca questão de saber o que está acontecendo e mesmo que a saudade bata, você não quer voltar, porque sabe que nada vai dar certo. É como aquele garoto no tempo de escola que era apaixonado, fazia de tudo pra ficar perto daquela garotinha, mas ela sempre o esnobava, desprezava, fazendo o amor se tornar ódio e tristeza.
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana