A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

sábado, 11 de julho de 2015

Na Vila, Figueira não consegue pescar o Peixe

Mais uma rodada, mais uma péssima atuação, mais uma vez um ataque ridículo. Esse foi o Figueirense que enfrentou o Santos hoje, na Vila Belmiro. Já dito por mim, um time que insiste em escalar um "jogador" como Everaldo, mereceria perder todos os jogos. E seja coincidência, ou não, desde que Everaldo virou titular desse time, nunca mais jogamos um mísero jogo com dignidade.



Santos começou bem a partida e mostrou como é que um time tem que jogar para vencer. Para frente! O bom trio de atacantes da equipe paulista trabalhando bem com Lucas Lima e os laterais. Jogando quase sempre em cima de Roberto Cereceda que mais uma vez deixou a desejar. Santos chegava várias vezes com perigo ao gol do estreante Felipe. E como água mole em pedra dura, tanto bate até que fura, aos 31 minutos uma falta foi cobrada na área, Felipe sem ritmo não conseguiu afastar e no rebote, David Braz abriu o placar na Vila. Figueirense até que tentou esboçar uma reação após o gol sofrido, mas nós já sabemos o final dessa história.

Na volta pro segundo tempo, Argel veio com Ricardinho no lugar de Yago, tentando ter mais qualidade no meio-campo (risos). Mas a alteração foi por água abaixo logo aos 40 segundos quando Lucas Lima ampliou para o Santos. Restante da partida foi sempre nesse ataque contra defesa, com umas escapadinhas raras do Figueirense com Thiago Santana. E como nada é tão ruim enquanto possa piorar, na bobeada de Marquinhos Pedroso que acabara de entrar, Gabriel, vulgo Gabibol, desviou o cruzamento de Victor Ferraz e fez o terceiro pra fechar o caixão do alvinegro catarinense.

Figueirense agora volta a campo na terça-feira, às 21h, contra o Botafogo, jogo da volta pela Copa do Brasil. Na ida, tivemos empate por 2x2.

FICHA TÉCNICA - Santos 3x0 Figueirense

- Data: Sábado, 11 de julho de 2015
- Horário: 18h30 (horário de Brasília)
- Local: Vila Belmiro, Santos (SP)
- Público e renda: 8.393 torcedores; renda de R$ 191.280,00
- Arbitragem: André Luiz de Freitas Castro (GO), Fabrício Vilarinho da Silva (GO), Bruno Raphael Pires (GO)
- Gols: David Braz, Lucas Lima e Gabriel (SAN)

- Santos: Vanderlei, Victor Ferraz, Werley, David Braz, Zeca; Paulo Ricardo (Leonardo), Thiago Maia (Lucas Otávio), Lucas Lima; Gabriel (Marquinhos Gabriel), Geuvânio, Ricardo Oliveira

- Figueirense: Felipe, Leandro Silva, Marquinhos, Bruno Alves, Cereceda (Marquinhos Pedroso); Paulo Roberto, Fabinho, Yago (Ricardinho), Rafael Bastos; Thiago Santana, Everaldo (Marcão)


Patrick Silva | @figueiradepre

Jogando em casa, Brasil encerra a segunda rodada do Grand Prix contra a Alemanha


A Seleção Brasileira encerra a segunda rodada do Grand Prix jogando contra a Alemanha, em São Paulo. Sem saber o que é perder na competição, o Brasil busca a sexta vitória em 6 jogos pensando na classificação antecipada à fase final, nos Estados Unidos. O desafio de logo mais às 10h, com transmissão da Band, Globo e Sportv será contra a Alemanha que venceu apenas 2 de seus últimos 5 jogos no GP. O jogo é considerado fácil por parte da camisa verde e amarela e também pelas próprias jogadoras adversárias, assumido o grande favoritismo Brasileiro.

- Nós vamos tentar fazer o nosso melhor, mas acho que é muito difícil. Nós podemos fazer um grande jogo, tudo para vencer, mas o Brasil é um grande time e muito difícil de ser derrotado. - admitiu a capitã Margareta Kozuch.

- Nos dois primeiros jogos, éramos favoritas. Contra o Brasil, não. Sabemos que é difícil vencermos, mas esperamos fazer um bom jogo e um grande espetáculo. É um prazer jogar contra o Brasil, com essa torcida, num incrível ginásio - disse a oposta Maren.

Além do Brasil, China e Estados Unidos estão com 100% de aproveitamento no Grand Prix. A terceira e última etapa será em Catania, contra as donas da casa, Rússia e Bélgica. 

Especial Futebol pela Europa – Paris


Paris (Foto: Mariana Sá)
A Europa é hoje a casa do futebol bonito, bem jogado e mais organizado em certos pontos do mundo. Com grandes jogadores, times e seleções, é difícil não se encantar com a bonita relação com o esporte que o povo tem. Pensando nisso e em sempre trazer o novo para o leitor, o Linha de Fundo inicia um novo especial que contará com histórias, relatos e impressões sobre como o europeu se relaciona com o esporte mais famoso do mundo.

Macaca fecha com ex-Guarani até o fim do Brasileirão

Felipe, emprestado pelo Atlético PR, se apresenta no início da semana.



Aos 26 anos, Felipe tem sua segunda passagem por Campinas, onde em 2011 defendeu o Guarani. O meia vem emprestado pelo Atlético PR, time que defende desde 2012, fazendo 58 jogos (16 em 2015) e 8 gols.

Em 2009, Felipe foi artilheiro do Paulistão da série A3, marcando 14 gols pelo Palmeiras B. Foi Campeão do Interior em 2012 com o Mogi Mirim, Campeão da Copa Sendai (competição preparatória pro Sul Americano Sub 20) pela Seleção Brasileira em 2008. 

O meia se apresenta na segunda para realizar exames e assinar com a Ponte até o fim do Campeonato Brasileiro de 2015.

Ficha do Atleta : 

Felipe
Informações pessoais
Nome completoFelipe de Oliveira Silva
Data de nasc.28 de maio de 1989 (26 anos)
Local de nasc.Piracicaba (SP)Brasil Brasil
Altura1,71 m
Destro
Informações profissionais
Clube atualBrasil Atlético Paranaense
Número8
PosiçãoMeia-atacante
Clubes de juventude
20072008
20082009
Brasil Rio Branco-AC
Brasil Palmeiras B
Clubes profissionais2
AnosClubesJogos (golos/gols)
20082012
2010
2010
2011
2011
2012
2012
2014
Brasil Palmeiras
→ Brasil Rio Branco-SP (emp.)
→ Brasil Bahia (emp.)
→ Brasil Olaria (emp.)
→ Brasil Guarani (emp.)
→ Brasil Mogi Mirim (emp.)
Brasil Atlético Paranaense
→ Brasil Figueirense (emp.)
(0)
13 (1)
(0)
18 (7)
29 (8)
20 (8)
58 (8)
14 (0)
Seleção nacional
2008Brasil Brasil Sub-19(?)

2 Partidas e gols totais pelo
clube, atualizados até 24 de maio de 2015.

Texto de Luan Macedo // Twitter : @Luan_AAPP

A espera acabou: Papãozinho é Campeão!

A TRAJETÓRIA DO CAMPEÃO

(Foto: Tadeu Verderosa | @basepaysandu)
A trajetória do alviazul começou com uma sonora goleada contra o Tapajós, onde o Paysandu aplicou um 6x1 na Curuzu, neste jogo Leandro Carvalho e Paulo Ricardo ainda não haviam voltado ao sub20. Depois da goleada o Papão passou por um período turbulento, onde foi derrotado pela Tuna, no Souza, por 3x1, com direito a expulsão do estreante Leandro Carvalho. Logo depois deste jogo, outra derrota veio, desta vez no Modelão, em Castanhal, contra o próprio Castanhal, um jogo que teve placar de 2x1 para o time da casa. E aí a reação veio, contra o Santa Rosa o Papãozinho fez 4x1 dentro da Curuzu, com gols de Leandro, Neto, Marquinho e Jeferson. Depois desse jogo, ainda teve outra goleada, o PSC aplicou 5x0 no Time Negra, os gols foram marcados por Leandro (2x), Diego Daniel (2x) e Neto, também na Curuzu. E encerrou sua participação na fase de grupos em casa contra o Independente, quando ganhou por 3x0, com Leandro, Neto e Edmilson marcando. Esta campanha levou o Paysandu para a próxima fase em 2° lugar. Nesta primeira fase, os artilheiros foram Neto e Leandro Carvalho, ambos com 4 gols.

Nas quartas de final, o Grêmio Carajás cruzou o caminho do Papãozinho, na Curuzu. O primeiro jogo foi bastante movimentado, com vitória do clube alviazul, por 3x2, os gols foram marcados pelo capitão Luiz Claúdio, pelo camisa 10 Marquinho e pelo centroavante Weverton. No jogo de volta, também na Curuzu, o Paysandu acabou com todas as chances do Grêmio e aplicou outra goleada, 5x0 com hat-trick de Leandro Carvalho, um de Marquinho e outro de Raílson, neste jogo o clube alviazul perdeu seu capitão Luiz Claúdio, que machucou o tornozelo quando o jogo estava 3x0.

Na semi-final, o confronto mais dificil para o Papão. No primeiro jogo, em Marituba, no CT da Desportiva, os times empataram em 2x2, num jogo muito conturbado, com direito a expulsão do zagueiro Ramon e dois penâltis para os donos da casa, sendo um defendido pelo goleiro Paulo Ricardo, os gols foram marcados por Leandro e Jeferson. No jogo de volta, na Curuzu, o jogo teve pouco movimento e se encerrou com 0x0, guardando a emoção e a vaga para final para as penalidades. Nos penâltis, Paulo Ricardo brilhou e defendeu dois pênaltis que levaram o Paysandu a ganhar por 4x2, o goleiro levou o clube a final.

(Foto: Rodrigo Pinheiro)
A primeira partida da final, contra a Tuna, o Paysandu teve a volta do capitão e fez o dever de casa na Curuzu, ganhando por 2x0 num jogo complicado, onde o Papãozinho só conseguiu marcar na segunda metade do segundo tempo, com gols de Jeferson (que entrou durante a partida) e de Leandro Carvalho, um golaço de fora da área.

O JOGO DO TÍTULO
(Foto: Rodrigo Pinheiro)
No primeiro tempo, quem começou atacanto foi a Tuna, Iguinho, aos 9' fez jogada individual, passou pelo zagueiro Ramon, mas o chute foi cortado por Luiz Claúdio. E o Paysandu chegou aos 14' após chutão da zaga, Leandro Carvalho ganhou a dividida e chutou, mas a bola foi para fora, logo depois, outra oportunidade, Leandro fez jogada individual e rolou para Raílson, que isolou. Aos 37', após jogada pela direita, Iguinho recebeu dentro da área e bateu com firmeza para o gol, mas Paulo Ricardo desviou e a bola bateu na trave antes de sair, quase a lei do ex se fez presente. Passados dez minutos, Luiz Claúdio cobrou falta na direção de Leandro, que dominou, deixou dois marcadores para trás e chutou cruzado, para defesa do goleiro Danoninho. Logo depois do lance, a Tuna deu a resposta, Iguinho pega a bola pela esquerda e chutou no mesmo canto de Paulo, que espalmou para escanteio, a cobrança não deu em nada.

Comemoração do gol (Foto: Rodrigo Pinheiro)
Logo aos 4', Tafarel recuou a bola perigosamente e Danoninho dividiu a bola com Leandro, mas o goleiro conseguiu afastar a bola. Passados cinco minutos, Marquinho virou o jogo para o lateral Ramon, que avançou e chutou de longe, a bola passou com bastante perigo. Aos 29', após escanteio de Jean, Walafe cabeceou para baixo e Paulo fez milagre a queima roupa. Logo depois, Leandro Carvalho recebeu chutão da zaga, deixou Carlinhos para trás e bateu de bico na saída do goleiro, abrindo o placar e comemorou fazendo gesto que lembrou Souza (chororô). Logo aos 33', Leandro pegou a bola na bandeirinha de escanteio, passou por Carlinhos, mas o mesmo lhe deu um pontapé, resultando na expulsão do zagueiro. Aos 36' a bola, enfiada pela direita, chegou até Jean, que chutou forte por cima do gol. Quatro minutos depois, Leandro tabelou com Ramon e chutou da entrada da área, mas o goleiro Danoninho fez a defesa. Aos 46' o Paysandu ainda teve outra chance de ampliar, Jeferson veio no contra-ataque deixou a zaga para trás e chutou de bico no gol, mas o goleiro fez a defesa.

FICHA TÉCNICA: Paysandu: Paulo Ricardo; Ramon, Luiz Claúdio, Paulo Ramon, Caio Ribeiro; Lucas Geovani, Luís Felipe, Beá, Marquinho (Jeferson); Raílson (Edmilson) e Leandro Carvalho. Téc: Samuel Cândido. Tuna: Junior (Danoninho); Abeny (Artur), Carlinhos, David, Ronaldo; Tafarel, Jefferson, Reginaldo Junior, Formiga; Walafe e Iguinho (Jean). Téc: Marabá. Arbitragem: Danilo Viana, Iago Santos, Jhonathan Lopes. Cartões amarelos: (PSC) Luiz Cláudio, Beá. Cartão vermelhos: (TUNA) Carlinhos.



Equipe comemorando após o apito final. (Foto: Rodrigo Pinheiro)
E o Papãozinho, após 5 anos, voltou a conquistar o Campeonato Paraense de sub20. Conquistando assim uma vaga na Copa Norte, que deverá acontecer na segunda quinzena de agosto.

O goleiro Paulo Ricardo e o zagueiro Luiz Claúdio cumprindo promessa após o tão esperado
 título de Campeão Paraense (Foto: Rodrigo Pinheiro)
ARTILHEIRO DO CAMPEONATO: Leandro Carvalho (10 gols)

Texto: @_cassiagouvea

Brasil confirma favoritismo, vence a Tailândia com dificuldades e mantém invencibilidade no Grand Prix

Jogando no Ibirapuera, a Seleção Brasileira confirmou favoritismo vencendo a Tailândia por 3 sets a 1. Mantendo assim, o 100% de aproveitamento no Grand Prix e se aproximando da classificação antecipada à fase final da competição. São cinco vitórias em cinco jogos. Na partida de hoje, marcando o reencontro entre as equipes, a Seleção da casa mostrou a que veio em um 3 a 1, mas a tarefa não foi fácil com o jogo tático Tailandês.

O primeiro set foi um desafio para Seleção Brasileira que deixou a desejar na recepção. Falhando no fundamento que as Tailandesas souberam aproveitar, principalmente com o destaque do time, à oposta Onuma Sittirak. A vitória se confirmou com um ace da Carol (25 a 23). A tática e veloz Tailândia venceu o segundo set aproveitando os erros brasileiros (25 a 20).

O Paredão verde e amarelo foi eficiente no terceiro set, que além do fundamento, o saque se ajustou junto com a defesa. Melhor set brasileiro no jogo (25 a 14). A vitória foi concretizada com a regularidade no quarto set (25 a 19).

A maior pontuadora do jogo foi à oposta Onuma da Tailândia com 19 acertos: 18 ataques e 1 bloqueio. Pelo Brasil, Carol e Fernanda Garay anotaram 17 pontos cada.

O próximo desafio das brasileiras será amanhã, às 10h (horário de Brasília), contra a Alemanha (nona colocada no Grand Prix).

Estatísticas do jogo (Foto: FIVB)



Jogos do Brasil/Grand Prix:

Japão 1x3 Brasil
Sérvia 0x3 Brasil
Tailândia 0x3 Brasil
Brasil 3x0 Bélgica
Brasil 3x1 Tailândia

Por: @AlbertoSanttos

Botafogo joga mal, é derrotado mas segue líder da Série B

A fase do Botafogo não é das melhores na Série B do Brasileiro. Após empate sem gols com o vice-lanterna Ceará na rodada passada, o alvinegro carioca foi derrotado pelo Bragantino fora de casa, nesta sexta, dia 10. Com o tropeço do Paysandu, o Glorioso segue líder da competição com 24 pontos. O próximo adversário na Série B é o Náutico, sábado, às 16h30, no Nilton Santos, porém, antes, na terça, dia 14, o time de General Severiano mede forças com o Figueirense pela Copa do Brasil, no Rio. 

O JOGO

O Bragantino foi melhor durante o entediante primeiro tempo. Logo aos 5 minutos, acertou o travessão de Jefferson num chutaço de Alan Mineiro. No minuto seguinte, porém, o Botafogo respondeu com Rodrigo Pimpão, que recebeu na entrada da área e chutou. A bola tinha caminho certo: o ângulo. Mas o goleiro Douglas fez boa defesa e mandou para escanteio. 

Com posse de bola, o Bragantino trocava passes. Aos 11', Rodolfo, de muito longe, chutou na direção do gol, mas a bola passou por cima da trave de Jefferson. Aos 20', Jocinei cobrou falta para defesa tranquila do melhor goleiro do Brasil. O Massa Bruta, como é conhecido o Bragantino, encontrava dificuldades para chegar ao ataque, mas seguia trocando passes, o que ocasionou as várias faltas sofridas por seus jogadores. As opções eram os chutes de longa distância. 

Aos 31', Alan Mineiro soltou uma bomba. A bola bateu na rede pelo lado de fora, assustando o Botafogo, que nada criava no jogo. O Bragantino apertava a marcação. Aos 34', Alan Mineiro sofreu falta. O volante cobrou mas o goleiro Jefferson, de forma segura, fez a defesa. 

Aos 37 minutos, Willian Arão cometeu falta e foi expulso levando o cartão vermelho direto injustamente. O árbitro exagerou. O cartão amarelo já bastava. Se a situação do Botafogo era ruim no jogo, com um jogador a menos, piorou. Aos 41', Roger Carvalho cometeu pênalti em Alemão. Para sorte do Glorioso, no minuto seguinte, Jobinho cobrou e errou. A bola bateu na trave. Aos 43', foi a vez de Alemão, que sofreu o pênalti, ser expulso da partida por uma agressão ao lateral Thiago Carleto. 

O Botafogo poderia ter aproveitado os vacilos do Braga, que não converteu o pênalti e ainda teve um jogador expulso, porém, aos 45', em bobeada da defesa botafoguense, Jocinei roubou a bola, driblou dois jogadores e bateu cruzado sem chances para a defesa de Jefferson. Bragantino 1 a 0.  Aos 47', o árbitro encerrou o primeiro tempo. 

O Botafogo voltou para a etapa final com mudança no time. O técnico René Simões trocou Lulinha por Camacho. Aos 3', Carleto cruzou para Rodrigo Pimpão, que ficou livre com a bola após furada do zagueiro do Braga. Mesmo sem ângulo, ele finalizou com muito perigo. Aos 5', Luis Henrique arrancou pela esquerda e chutou fraco, facilitando a defesa do goleiro Douglas. 

Aos 7', Jefferson fez milagre (o que é normal). A zaga do Botafogo afastou e a bola sobrou para Alan Mineiro, que bateu no canto, colocado. O mito saltou e fez bela defesa. O Bragantino fazia uma blitz no meio-campo do Bota. Insatisfeito com a atuação do time, René Simões fez outra substituição na equipe carioca: saiu Luis Henrique para a entrada de Sassá. Aos 13', Diego Giaretta arriscou de longe mas a bola foi por cima do gol de Douglas. Aos 16', Pimpão sofreu falta perto da grande área. No minuto seguinte, Carleto cobrou com uma pancada e a bola explodiu na barreira, saindo pela linha de fundo. Quase o empate. Aos 20', o Bragantino respondeu com Roberto, que sem marcação, avançou e soltou uma bomba. A bola tocou na zaga e foi para escanteio. Alan Mineiro cobrou, Luan desviou e Jocinei, de cabeça, acertou o travessão. 

Aos 21', René Simões fez a última alteração na equipe do Bota: Diego Giaretta foi substituído por Fernandes. Aos 22', Tomas recebeu de fora da área e bateu colocado. A bola passou muito perto do ângulo. Seria um golaço. Aos 23 minutos, Tomas, novamente chutou. A bola desviou em Luan e ia entrando no canto. O goleiro Douglas esticou-se e salvou. Rodrigo Pimpão quase chegou antes para fazer o gol. Passado o raro momento de lucidez do Botafogo, o Bragantino voltou a arriscar com cruzamentos seguidos na área do Glorioso. Camacho desabou no gramado aos 37 minutos e saiu sem condições de jogo. O Bota voltava a ter um jogador a menos na partida. 

Aos 42', mesmo com nove em campo, o Botafogo pressionava em busca do empate. Fernandes acertou uma bomba de fora da área para defesaça de Douglas, que espalmou. Segundos depois, Carleto cruzou e achou Pimpão livre na cara do gol, mas o atacante furou na hora de finalizar. Foram duas ótimas chances em menos de um minuto. 

             Rodrigo Pimpão lamenta gol perdido no fim. (Foto: Mauro Horita/LANCE!Press/Agif)

O Bragantino passou a controlar a bola até o fim do jogo, que foi encerrado aos 47'. 

OBSERVAÇÕES

Dos últimos 15 pontos disputados, o Botafogo fez apenas 5. Foram 2 empates, 2 derrotas e apenas 1 vitória. O rendimento caiu. 

A cada jogo o nível piora; são atuações ridículas. Não há padrão, jogadas trabalhadas...

Mais uma vez o Bota não aproveitou o tropeço dos rivais diretos. Caso vencesse, abriria vantagem e acumularia gordura, o que seria essencial. Por sorte ainda é líder. 

Sábado, o jogo é EM CASA, onde segue INVICTO. Ao lado da TORCIDA, espero que o time reencontre o caminho das vitórias. 

FICHA DO JOGO

Bragantino 1
Douglas, Alemão, Gilberto, Luan, Roberto; Everton Dias, Bruno Costa, Jocinei (Sandro Silva), Alan Mineiro; Rodolfo (Diego Maurício), Jobinho (Chico). Técnico: Wagner Lopes. 

Botafogo 0
Jefferson, Luis Ricardo, Renan Fonseca, Roger Carvalho, Thiago Carleto; Diego Giaretta (Fernandes), Willian Arão, Tomas, Lulinha (Camacho); Rodrigo Pimpão, Luis Henrique (Sassá). Técnico: René Simões. 

Estádio: Nabi Abi Chedid (SP).
Árbitro: Avelar Rodrigo da Silva (CE).
Assistentes: Anderson Moreira (CE) e Daniel Cotrim (PR).
Cartões amarelos: Renan Fonseca, Luis Ricardo, Fernandes e Sassá (Botafogo).
Cartões vermelhos: Alemão (Bragantino); Willian Arão (Botafogo).
Público: 1.356. 
Renda: R$ 23.620,00. 

Acompanhem-me no Twitter: @biel_dluca

Unanimidades: 13ª rodada #CartolaFC

Salve cartoleiros!

Enfim mitamos.

Com a torcida ao seu favor, Brasil reencontra a Tailândia pelo Grand Prix de Vôlei

Meninas comemorando vitória sobre a Bélgica. Foto (FIVB)
Sem perder pelo Grand Prix, as meninas do vôlei brasileiro voltam a jogar contra a Tailândia, neste Sábado. No duelo da primeira rodada, o Brasil venceu as asiáticas por 3 sets a 0 em um jogo considerado fácil, e hoje, às 10h (horário de Brasília), jogando no Ginásio Ibirapuera, a vitória é considerada certa por parte da seleção verde e amarela que busca sua classificação antecipada à fase final do GP, que ocorrerá nos Estados Unidos. A Seleção comandada pelo multicampeão Zé Roberto, ainda não perdeu na competição. Foram 4 jogos e 4 vitórias sobre o Japão, Sérvia, Tailândia e Bélgica. Esse último duelo ocorrido ontem, vencido também por 3 a 0. O Brasil encerra a segunda rodada amanhã, contra a Alemanha. Jogo também às 10h pelo horário de Brasília.

- É um jogo com característica completamente diferente do de hoje (sexta) pela velocidade que elas imprimem e a quantidade de combinação de ataques que possuem. Saca de um lado, mexe no lado oposto, saca de outro, mexe o outro lado. Elas têm sempre uma saída dependendo da onde você imprime seu saque. A atenção tem que ser redobrada na relação bloqueio/defesa. Espero um jogo mais difícil do que foi contra a Bélgica - disse o técnico Zé Roberto.

A partida será transmitida na TV aberta pela Band e Globo. Os telespectadores da TV por assinatura poderão acompanhar pelo Sportv.


Jogos do Brasil/Grand Prix:

Japão 1x3 Brasil
Sérvia 0x3 Brasil
Tailândia 0x3 Brasil
Brasil 3x0 Bélgica

←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana