A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Caiu na Vila o Peixe fuzila!

Santos e Corinthians jogaram na noite de quarta feira dentro da Vila Belmiro pelo jogo de ida da Copa do Brasil. O time mandante disputou a competição desde o ínicio, passando por três fases até se classificar para as oitavas onde encontrou o estreante Corinthians, que teve a vaga garantida por disputar a Libertadores. Santos bateu o Timão por 2 a 0 e agora o alvinegro da capital tem parada dura para reverter no jogo de volta.

Foto: Ivan Stori

A Classe de 92: 1992 a 1996


“Você não pode ganhar nada com crianças”, disse Alan Hansen no programa Match Of The Day há exatos 20 anos. O ex-jogador do Liverpool afirmou isso logo após a derrota do Manchester United para o Aston Villa por 3-1 no primeiro jogo da temporada 1995-96. Hansen ainda não sabia que aquelas crianças fariam parte de uma das gerações mais incríveis da história dos Red Devils.

Bahia x Sport e o show de horrores dirigido por Eduardo Baptista

Na noite dessa quarta-feira (20), o Sport foi até a Arena Fonte Nova enfrentar o Bahia no que seria uma reedição da semifinal da Copa do Nordeste.

O jogo era festivo, era o de número 571 de Magrão com o manto rubro-negro e que marcava o ídolo maior da torcida leonina como jogador que mais atuou com a camisa do Sport, ultrapassando Bria. É, devia ser de festa... Devia.

Maxi Biancucchi driblando Magrão para fazer o único gol da partida
(Foto: Superesportes PE)

O torneio não era mais a Copa do Nordeste, e sim, a Copa Sul-Americana, mas as incontáveis semelhanças com o jogo de meses atrás foi o que deu o tom da partida.
Como da primeira vez, Eduardo Baptista deu show... de teimosia e de cegueira tática, se é que podemos chamar assim. Contrariando as expectativas, ele iniciou a partida com Ronaldo, que não jogava a meses, no lugar de Rithely e com Régis no banco. Eu vou ser legal com ele e fingir que a ausência de Rithely não foi sentida, mas agora me diz: O que leva alguém a deixar um meia da qualidade de Régis no banco para iniciar a partida com três meias sem características de armação? E tudo fica ainda mais sem sentido quando você percebe que o meia destinado a jogar pelo centro é Elber, que não vem jogando absolutamente nada desde sua volta aos gramados e não está acertando nem passes de meio metro.

Quando o jogo começou, vimos o que já era esperado por qualquer pessoa que entenda minimamente de futebol: Um show de horrores. A pressão dos baianos era incessante e depois de algumas chances perdidas: A cereja do bolo dos horrores. Em um lance tão ridículo que eu preferia não ter olhos para não ter visto, Samuel Xavier (sim!) deu uma assistência para Maxi Biancucchi que driblou Magrão e fez 1x0.

O intervalo veio e o clamor da torcida por Régis não foi atendido. Ele preferiu colocar André no lugar de Elber. Até porque, todo mundo sabe que time nenhum precisa de armação, só de dois centroavantes. Armador para que? A falta de criatividade no meio ficou a mostra nas estatísticas da partida e nos 0 chutes ao gol da equipe rubro-negra. E no final do jogo, para coroar a sua bela atuação, Samuel Xavier que já tinha dado uma assistência (contra) foi expulso.

Queria, por meio desta, desejar meus parabéns para o técnico Eduardo Baptista pela teimosia e implicância com Régis e parabéns para os jogadores que "atuaram" nisso onde o setor ofensivo me fez lembrar Samuel, Mike e Joelinton e o defensivo me passou a mesma confiança que eu depositava em Pereira e Diego Ivo.

O resultado disso? Uma atuação ridícula, patética, horrorosa ou qualquer outro adjetivo que rebaixe essa atuação ao último nível de mediocridade e que levou o Sport a ser atropelado pelo fraco time do Bahia que foi extremamente incompetente nas finalizações e só conseguiu balançar as redes uma única vez nas inúmeras chances que teve. 1x0 foi pouquíssimo!

Saudações rubro-negras e pelo Sport tudo!


Lucas Lemos | @pqfasisolucas

Siga: @noticiasscr
          @linhadefuundo

O medo dentro e fora de campo

(Foto: Fim de Jogo)
Frequento estádios há mais ou menos 15 anos. Vivi momentos indescritíveis, para o bem e para o mal, dentro do sagrado Maracanã. Vi times fracos tecnicamente conseguirem vitórias na raça e equipes sensacionais perderem por detalhes. Os clássicos sempre foram momentos diferentes, mais emocionantes. Eu nunca senti medo de estar nos domínios do que costumo chamar de casa. Ontem, pela primeira vez na vida, fui atingida por esse sentimento de todos os lados.

Palmeiras vence a partida de ida, mas em casa a gente conversa

fonte (@Cruzeiro)
   O Cruzeiro fez seu primeiro jogo pelas oitavas de finais da Copa do Brasil na noite dessa quarta-feira(19),uma competição em que o Maior de Minas tem grande tradição.Cruzeiro juntamente com o Grêmio é um dos maiores ganhadores do torneio com 4 Copas do Brasil.Uma das grandiosas taças conquistadas pela Raposa foi em uma final diante do Palmeiras em 1996,já pode ser considerado "clássico"os duelos entre Cruzeiro e Palmeiras pela trajetória que os dois apresentam desde a época do Palestra Itália.

   Sobre o jogo:

   A partida começou com o Cruzeiro com uma postura mais ofensiva dentro de campo,com chances claras de gols que foram desperdiçadas e principalmente os erros de passes,que acabou resultando no primeiro gol do Palmeiras,em uma falha evidente da zaga cruzeirense com um passe de Barrios que tocou para Cleiton Xavier abrir o placar.

   Depois do gol da equipe palmeirense,o time celeste não mudou seu estilo de jogo colocando pressão e obrigando Prass a fazer boas defesas e impedir que a equipe de Luxa empatasse ainda no primeiro tempo.

   Segundo tempo:

   Ao iniciar a etapa final a equipe mineira continuou a sufocar a equipe de Marcelo Oliveira,onde resultou no empate  do Maior de Minas,ao receber belo lançamento de Fabrício, Leandro Damião mandou para o fundo das redes e igualar o placar.Era necessário que a Raposa mantivesse a calma e atenção desde o início da disputa,entretanto em uma falta que levaria perigo ao gol de Fábio,o Porco vira o jogo com Rafael Marques e assistência de Dudu que cruzou perfeitamente que cabeceou sem chances de defesa para o goleiro cruzeirense.

   Os cruzeirenses tentaram até o final reverter o placar e conseguir um empate,mas não foi possível igualar o placar.O jogo de volta será no Mineirão,o Verdão joga por um empate,do lado azul e branco é necessário fazer um gol para passar para próxima fase.Será um desafio para os cruzeirenses,que vive má fase pelo campeonato brasileiro e precisar reencontrar seu bom futebol,já que um dos objetivos é vencer a Copa do Brasil,cada jogo é uma história,por esse motivo no Mineirão o time da casa deve pressionar o adversário e com apoio da torcida passar para as quartas de final do torneio,pela tradição do clube celeste devemos sempre almejar algo que condiz com nossa história.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 2 X 1 CRUZEIRO

Data/Horário: 19 de agosto de 2014, às 22h
Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (PE)
Assistentes: Kleber Lúcio Gil (SC) e Rafael da Silva Alves (RS)
Cartões amarelos: Zé Roberto (PAL) e Fabrício (CRU)
Publico e renda: 24.889 pagantes/R$ 1.621.115
Gols: Cleiton Xavier, 8'1ºT (1-0); Leandro Damião, 4'2ºT (1-1); Rafael Marques, 17'2ºT (2-1)

PALMEIRAS: Fernando Prass; Lucas, Jackson, Vitor Hugo e Egídio; Arouca (Rafael Marques 25'1ºT), Andrei Girotto, Zé Roberto, Cleiton Xavier (Amaral 33'2ºT), Dudu; Lucas Barrios (Cristaldo 14'2ºT).
Técnico: Marcelo Oliveira

CRUZEIRO: Fábio; Mayke, Manoel, Paulo André e Mena; Chales (Ariel Cabral 26'2ºT), Fabrício e Henrique; Marquinhos (Vinícius Araújo 21'2ºT), Leandro Damião e Alisson (Arrascaeta 33'2ºT).
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

TWITTER- @Paulinha_CEC

Galo e seu agosto negro

Galo e sua sina do agosto negro! Cuca já nos avisava desde 2012 que este mês é sombrio para os alvinegros. E sempre é o mês com mais jogos na temporada, pois inicia-se as oitavas de final da Copa do Brasil e returno do Brasileirão. 

Fonte: www.atletico.com.br

Graças aos Santos Jorges, urubu tem indigestão

                Nesta quarta-feira (19 de agosto), o Vasco da Gama voltou a ganhar depois de um longo jejum. O atacante Jorge Henrique marcou o único gol do time da Colina aos 12 minutos do segundo tempo, contra seu maior rival, o Flamengo. As equipes se enfrentaram no Maracanã pelo primeiro jogo válido das oitavas de final da Copa do Brasil e se encontrarão novamente na próxima quarta-feira (26 de agosto), às 22 horas (horário de Brasília) no mesmo estádio para decidir quem avança na competição.

            A primeira etapa do jogo apresentou muitas faltas e distribuição de cartões amarelos. No primeiro minuto, o meia Julio dos Santos fez falta no lateral esquerdo rubro negro Jorge e o mostrou como se entra armado em uma batalha, assim o cruzmaltino recebeu o primeiro amarelo do confronto. Aquele time vascaíno perdido em campo, sem passes certos deu espaço a uma equipe formada pelos mesmos jogadores, porém com mais tranquilidade para formular as jogadas e comandada pelo novo treinador, o ex-jogador Jorginho, que estreava no comando. Logo aos nove minutos, o Vasco teve boa chance com o lateral direito Madson que teve um veloz avanço para área adversária, mas caiu e perdeu a bola. O jogo já estava muito quente, com bate-boca e faltas duras.

            O Flamengo teve sua melhor oportunidade de marcar aos 15 minutos, quando o atacante Guerrero recebeu dentro da área de frente para o goleiro. Mas, essa foi a hora da muralha cruzmaltina, Martín Silva se erguer e  fazer bela defesa com o pé direito, lance que os rubro negros lamentaram muito. O Vasco também teve um lance para lamentar, depois de uma bola recuperada na linha de fundo, o meio campista Nenê recebeu um cruzamento, sozinho e dentro da área, infelizmente, seu chute saiu fraco e facilitou a defesa do goleiro César com os dedos. Em seguida, outra chance desperdiçada pelo cruzmaltino, aos 19 minutos, o ala direito Madson cobra um lateral como se fosse um escanteio e jogador Julio dos Santos, domina de peito, bem próximo ao gol, mas chutou mal pelo canto e a bola vai para fora.

            Foram quase dez minutos de pressão vascaína. Após cobrar escanteio que o volante do Vasco, Serginho colocou para fora, pelo mesmo lado que Julio dos Santos desperdiçou, o meio campo Nenê foi amarelado, em lance duvidoso por falta no atacante flamenguista Emerson Sheik. E o final do primeiro tempo foi assim, o Vasco jogando melhor, com troca de passes e mais oportunidades no campo adversário. Na prorrogação, o meia Julio dos Santos perdeu mais um gol ao escorregar na área quando recebeu um cruzamento após tabela dos vascaínos Nenê e Christianno.

            A etapa final iniciou com as mesmas características do primeiro tempo, no entanto parecia apresentar um jogo mais lento. Trinta segundos depois da volta do intervalo, o flamenguista Marcio Araujo faz falta e recebeu o cartão amarelo. O zagueiro Rodrigo soltou uma bomba na cobrança da falta, esta bateu na barreira e sobrou para o atacante peruano Guerrero. O outro zagueiro vascaíno, Anderson Salles preferiu parar a jogada com falta, levando também um amarelo.

            O técnico da seleção brasileira, Dunga, acompanhava a partida junto de Gilmar Rinaldi no estádio do Maracanã. A presença ilustre de Dunga não intimidou os jogadores nem ao juiz Ricardo Marques Ribeiro de Minas Gerais. Um lance não apitado aos seis minutos, não apontou pênalti a favor dos vascaínos. O atacante Emerson Sheik puxou a camisa do zagueiro Anderson Salles dentro da área e o tirou da direção da bola que vinha cruzada. Da mesma forma que não apitou este pênalti, também não parou a jogada quando o atacante colombiano Riascos recebeu um pouco a frente da linha de impedimento. Sorte para os vascaínos. Depois de receber a bola, o vascaíno Riascos a coloca devagar para dentro da área rubro negra até esta encontrar os pés do atacante Jorge Henrique, que entre os dois zagueiros flamenguistas que falharam no lance, conseguiu chutar para o gol e marcar o único e vitorioso gol da partida.

Nenê e Jorge Henrique comemoram o gol da partida.
Crédito: Paulo Fernandes/Vasco.com.br
            Aos 24 minutos do segundo tempo de jogo, a equipe rubro-negra errou na saída de bola e o zagueiro Wallace não teve escolha ao fazer falta merecedora de cartão amarelo, seu segundo no jogo, logo, foi expulso e deixou seu time com dez jogadores em campo. Com o Flamengo perdendo e com menos um em campo, as faltas foram ficando duras, o atacante Sheik foi amarelado, mas Canteros que já havia recebido um amarelo foi poupado pelo juiz após fortíssima entrada no capitão vascaíno Guiñazu. Quase 35 mil pessoas assistiram o primeiro duelo das oitavas pela Copa do Brasil. Os vascaínos saíram vitoriosos e com a terceira estreia de treinador, este ano, contra a equipe flamenguista.

União do time ao final do jogo.
Crédito: Edgard Maciel de Sá
            O Vasco da Gama é o lanterna do Campeonato Brasileiro e não vencia há muito tempo, mas este ano é o rei dos cariocas. Foram jogados dez clássicos, e o bacalhau venceu seis, empatou e perdeu apenas um. Com essa campanha de vitórias sobre os adversários estaduais conseguiu igualar ao recorde do time histórico de 1947, conhecido como Expresso da Vitória, que também havia conquistado seis triunfos seguidos sobre Botafogo, Flamengo e Fluminense.  O time vascaíno deste ano não é nenhum expresso, muito menos colecionador de vitórias, mas esta marca, junto da vitória sobre o urubu na estreia do novo treinador consegue fazer um carinho nesta torcida tão apaixonada que se encontrava muito triste estes dias. Enfim, escolhemos acreditar, ponto!

Expresso da Vitória.
Crédito: site vascoreal

FICHA TÉCNICA
VASCO: Martín Silva, Madson, Rodrigo, Anderson Salles, Christianno, Guiñazu, Serginho, Julio dos Santos, Nenê (Jhon Cley), Jorge Henrique (Dagoberto) e Riascos (Thalles). Técnico: Jorginho.

FLAMENGO: César, Pará, Marcelo, Wallace, Jorge, Márcio Araújo, Canteros, Ederson (Jajá), Everton (Samir), Emerson Sheik e Guerrero. Técnico: Cristóvão Borges.

Gol: 12 minutos do segundo tempo - Jorge Henrique (Vasco)

Amarelo: Julio dos Santos, Riascos, Nenê, Anderson Salles, Rodrigo, Dagoberto, Martín Silva e Thalles (Vasco). Wallace, Marcio Araujo, Canteros e Emerson Sheik (Flamengo).

Vermelho: Wallace (Flamengo)


Com carinho, Cássia Moura (cassinha_moura)
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana