A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

domingo, 23 de agosto de 2015

A paciência acabou: Cruzeiro perde mais uma

  Neste tarde de domingo Cruzeiro foi a Arena Corinthians enfrentar o líder do campeonato que vive grande fase e tem ótimos resultados como mandante com 89% de aproveitamento.

  Nessa partida não foi diferente a equipe paulista soube aproveitar das falhas cruzeirenses e obteve grande vantagem no placar.

Sobre o jogo:

A partida começou movimentada,a equipe cruzeirense começou trabalhando a bola com algumas tabelas entre si,procurando achar espaços para infiltrar na zaga adversária e ter uma chance clara de gol,porém não acertavam o último lance,a finalização.A melhor chance da equipe mineira foi com Leandro Damião que recebeu passe em posição legal que chutou forte e rasteiro para Cássio se sair bem fazendo grande defesa.Em uma grande jogada do volante Elias,ele chutou,Fábio espalmou e Love...abre o placar para a equipe corintiana.Em poucos minutos Paulo André marcou o gol,porém quando o zagueiro cruzeirense resolve fazer algo"construtivo"ele estava em posição irregular fazendo a melhor chance de empate ser anulada.

     Com superioridade em campo a equipe paulista recua e aguarda o adversário atacar,todas as oportunidades que o time celeste teve estava em irregularidade,alguma delas duvidosas.Corinthians persistiu em sua forte marcação e no final da primeira fase,com um erro imperdoável de Mayke,e com a falha de Vágner Love,a bola sobra para Jádson resolver e aumentar o placar.Fim da primeira etapa.

Segundo tempo:

     Toda expectativa que a equipe de Luxemburgo tinha para empatar o jogo se foi logo no início da partida,com 2 minutos do primeiro tempo,Malcom toma um impulso pela esquerda e faz o cruzamento e tome Love.Vágner depois de 53 dias sem marcar gols,volta a balançar a rede com o Cruzeiro e pela primeira vez marca duas vezes em um jogo com a camisa do Timão.Os mineiros dominaram a posse de bola,com alguns lances impedidos e o chute a gol que não resultava em nada vantajoso.Os alvinegros passaram a se defender para manter o resultado construído.

     Com Damião novamente surgiu a melhor oportunidade de gol,que faz grande jogada para defesa do goleiro corintiano,o duelo permaneceu equilibrado sem levar perigo aos goleiros.O árbitro apita o final da disputa.A Raposa essa semana joga novamente contra o Palmeiras,pela Copa do Brasil ás 22:00h e pelo campeonato brasileiro irá enfrentar o Santos na próxima rodada no Mineirão ás 18:30h,a equipe de Tite pega a Chapecó fora de casa ás 16:00h.

     A equipe celeste a cada jogo se complica mais,sua colocação atual é 15° á um ponto da zona de rebaixamento,um time que continua irreconhecível,pelo oque o Cruzeiro apresentou nesses últimos dois anos é frustante para o torcedor ver o time nessa situação algo que sinceramente não estamos acostumados e recusamos nos habituar com essa postura.Acorda Cruzeiro !

FICHA TÉCNICA:
CORINTHIANS 3 X 0 CRUZEIRO

Data/Horário: 23 de agosto de 2015, às 16h
Local: Arena Corinthians, em São Paulo (SP)
Árbitro: Pericles Bassols Pegado Cortez (RJ-FIFA)
Assistentes: Rodrigo F. Henrique Correa (RJ-FIFA) e Luiz Claudio Regazone (SP-FIFA)

Cartões amarelos: Bruno Henrique e Gil (COR); Fabrício (CRU)
Público e renda: 41.014 pagantes/R$ 2.671.941,50
Gols: Vagner Love, 14'/1ºT (1-0); Jadson, 44'/1ºT (2-0) e Vagner Love, 2/2ºT (3-0)

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Felipe, Gil e Uendel; Bruno Henrique (Ralf, 39'/2ºT), Elias, Jadson (Matheus, 42’/2º T) e Renato Augusto; Malcom e Vagner Love (Danilo, 40’/2º T). Técnico: Tite.

CRUZEIRO: Fábio; Mayke (Fabiano, Intervalo), Manoel, Paulo André e Mena; Henrique, Charles (Willian, 23'/2ºT), Fabrício e Alisson; Marquinhos (Arrascaeta, Intervalo) e Leandro Damião. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.



TWITTER- @PAULINHA_CEC

Corinthians faz Maria tremer mais uma vez

Líder do Brasileirão, o Corinthians jogou diante do atual campeão do campeonato neste domingo. Ambos os times vieram de derrota em seus jogos da Copa do Brasil realizado durante a semana, e para dar fôlego as suas torcidas nada melhor do que uma vitória.

Lusa vence na raça e embala na Série C

Dieguinho, responsável pelo segundo gol lusitano (Fotos: Dorival Rosa/Portuguesa)


A Portuguesa venceu neste domingo (23) o Guaratinguetá, às 11 horas, pelo placar de 2 a 1 no Canindé. O placar construído com os gols lusos anotados por Hugo e Dieguinho e da equipe do Guará descontando com Juninho, fizeram com que a Portuguesa chegasse a segunda vitória seguida e somasse seu 21º ponto se firmando na quarta colocação.

O jogo serviu para confirmar a vitória contra um adversário da zona de rebaixamento, já que o Guará, lá está, desde o início do torneio. Entretanto, o Guaratinguetá não é o mesmo saco de pancadas que vinha sendo desde o primeiro turno, fez uma parceria com o Atlético-PR, recebeu jogadores, treinador e até manda os jogos em Curitiba, estranho, mas surtiu efeito, tendo em vista que o novo Guará venceu na última rodada o líder Brasil de Pelotas.

Como jogo foi às 11 horas, a exaustão e fadiga desnecessária deveria ser evitada ao máximo pelos jogadores e era isso que víamos nos minutos iniciais, apesar de mais posse, a Portuguesa cadenciava o jogo e tentava chegar quando via que teria uma brecha ou abertura para infiltração de seus homens de frente, já o Guaratinguetá tentava chegar nos contra-ataques quando tinha a posse de bola. 

E nesse ritmo aconteceu o primeiro gol lusitano, Victor Bolt viu Cascardo passar pela direita, o lateral invadiu a área e cruzou pro centro avante Hugo fazer seu sexto gol no campeonato e abrir o placar no Canindé, 1 a 0 pra Portuguesa, na casa portuguesa. O ritmo foi esse até o fim da primeira etapa.

Hugo é o vice artilheiro da Lusa na competição com 6 gols 

No segundo tempo, a equipe do Guaratinguetá voltou melhor e tentando pressionar a Lusa, que se segurava e contava com uma bela partida da dupla de zaga Luan e Anderson Luiz e também do volante Renan, o capitão rubro-verde praticamente ganhou todas as bolas disputadas e liderava defesa lusitana. 

Quando o Guará começava a ensaiar uma pressão maior pelo gol de empate, um presente dos céus para a torcida que não parava de apoiar. Dieguinho trabalhou a bola na direita com Cascardo e tentou cruzar, a bola fez uma curva e foi pras redes, um golaço. 2 a 0 Lusa.   

Ao fim do jogo, por volta dos 35 minutos, o Guaratinguetá conseguiu diminuir, depois de toda pressão exercida. Depois de lance de escanteio, Juninho chutou forte após jogada de escanteio. 2 a 1. À partir deste gol, o Guará cresceu na partida, o juiz ficou perdido, e a Lusa também, teve vários lances em que podia definir o jogo e concluía mal, e o juiz deixou de marcar um penalti claro em cima de Guilherme Queiróz, e ainda expulsou Cascardo. Ainda assim, a vitória veio e a Portuguesa agora se consolida na quarta colocação com 21 pontos, dois a mais que o Juventude que é o quinto. 




A Portuguesa volta à campo no dia 29, às 19h, contra o Tupi, em Juiz de Fora.

FICHA TÉCNICA DO JOGO

PORTUGUESA: Tom; Cascardo, Anderson Luiz, Luan e Julinho;
Renan, Milton Júnior (Vinícius), Victor Bolt (Jonathan) e Dieguinho (Guilherme Almeida);
Gulherme Queiroz e Hugo.
Técnico: Estevam Soares
GUARATINGUETÁ: Lucas Macanhan; Jean Felipe, Rafael Zuchi (Caíque), Ruan (Wesley) e Renan; Matheus, Jackson (André Luiz), Juninho e Guilherme Guimarães;
Marcão e Giovanny
Técnico: Sérgio Vieira
GOLS: Hugo 30´1T; Dieguinho 20´2T (Portuguesa); Juninho 30´2T (Guaratinguetá) 
CARTÕES AMARELOS
Cascardo, Victor Bolt, Milton Júnior, Guilherme Queiróz, Jonathan (Portuguesa)
André Luiz (Guaratinguetá)
CARTÕES VERMELHOS:
Cascardo (Portuguesa)

por:
Rodrigo Ferreira| @eurodriferreira
Linha de Fundo| @linhadefuundo

Galo mata o Porco e mostra o Pratto

Há quatro jogos sem marcar, Pratto faz dois e mantém sonho vivo.
Foto: GE

Com falha da zaga e da arbitragem, São Paulo perde novamente.

Erros de passe, erros de marcação e erros da arbitragem atrasam a recuperação do Tricolor.


São Paulo foi ao Rio de Janeiro tentar se recuperar da má fase, após ser humilhado pelo Goiás e derrotado pelo Ceará (pela Copa do Brasil), o Tricolor melhorou o rendimento dos últimos jogos, entretanto com erros defensivos individuais e com falhas grotescas da arbitragem, Flamengo venceu por 2 a 1.

Tricolor foi à campo com desfalques importantes como: Rogério Ceni, que ainda se recupera de uma inflamação no músculo adutor da coxa, Breno, estiramento muscular na coxa, Luis Fabiano, lesão no joelho, Ganso suspenso pelo terceiro amarelo, além de Rafael Tolói que acertou com Atalanta por R$ 14 milhões e Edson Silva que também está para ser negociado.

Sem Paulo Henrique Ganso, Osório armou o São Paulo em um 4-1-4-1, com Pato e Carlinhos abertos, Hudson e Thiago Mendes por dentro e Rodrigo Caio entre as linhas.

Logo no início de jogo, o Flamengo já mostrou que foi para jogar nos erros do São Paulo, aos 3' Luiz Eduardo saiu errado, Guerrero aproveitou e bateu no canto esquerdo de Renan Ribeiro, que espalmou e salvou o Tricolor. São Paulo estava com dificuldades na criação e não conseguia chegar ao gol, aproveitando a falha da defesa do Flamengo em bolas aéreas, a 1ª chance do Tricolor foi após cobrança de escanteio, a bola rebateu na defesa do Flamengo, sobrou para Centúrion bateu pro gol, a bola espirrou na zaga do Flamengo e sobrou para Rodrigo Caio, esse chuta e marca, porém o juiz marcou falta de Centúrion antes do lance do gol. O gol legal saiu aos 33' também por lance de escanteio, Carlinhos cobrou e Luiz Eduardo foi buscar a bola na mão de César, abrindo o placar para o Tricolor. Com resposta rápida, Guerrero arriscou de fora da área e Renan fez grande defesa. No final da partida, aos 42' o goleiro César lançou a bola e Thiago Mendes tentou recuar para o goleiro são-paulino, porém acabou fazendo uma bela assistência para Ederson, que marcou na saída de Renan, empatando o jogo no Maracanã. 

Com 4 marcadores, Guerrero consegue chutar e fazer Renan trabalhar.
Início da 2ª etapa foi catastrófica para o São Paulo, assim como a arbitragem no restante do jogo. Logo no primeiro lance, Guerrero avançou livre e Renan fez a defesa, em seguida Guerrero, livre de novo, chutou para fora, na terceira vez ele virou para o Flamengo. São Paulo tentava empatar, mas havia um obstáculo na frente, o braço de Samir. Após cruzamento de Auro, Centúrion cabeceou, a bola batou no braço do zagueiro flamenguista, dentro da área, e o juiz mandou o jogo seguir. Além desse lance, houve uma cobrança de falta onde Wilder foi agarrado dentro da área, e o juiz também mandou seguir o jogo. Flamengo teve outras chances para ampliar o placar, todavia Renan fechou o gol. 


Por falhas individuais de marcação e os erros da arbitragem, o Tricolor não teve a reação como os torcedores esperavam, entretanto em comparação aos dois últimos jogos, percebemos mudança no posicionamento e uma melhora na disputa pela bola. Os números de passes errados ainda são muitos, e os erros de marcação continuam enormes, além da mania de Alexandre Pato de tentar fazer uma jogada bonita, ao invés de finalizar ao gol. Nos 3 últimos jogos que Rogério Ceni não esteve presente, percebemos a falta de um líder em campo, entretanto Renan está mostrando que pode ser o titular do São Paulo quando Rogério se aposentar.

Com esse resultado o São Paulo permanece com 31 pontos em 6º lugar, próximo jogo Tricolor enfrenta a Ponte Preta no Morumbi, sábado (29/08), às 21h30. Pela Copa do Brasil, São Paulo tem o jogo de volta contra o Ceará, quarta (26/08), às 19h30, nesse jogo, Rogério Ceni deve estar de volta.

FICHA TÉCNICA
Local: Macaranã, Rio de Janeiro
Cartões Amarelos: Canteros, Alan Patrick, Wallace e Everton (Flamengo); Bruno e Thiago Mendes (São Paulo)
Gols: Ederson e Guerrero (Flamengo); Luiz Eduardo (São Paulo)
Arbitragem: Anderson Daronco (FIFA - RS), auxiliado por Fabrício Vilarinho da Silva (FIFA - GO) e Fábio Pereira (FIFA - TO)

FLAMENGO:
César; Pará, Wallace, Samir e Everton; Márcio Araújo, Canteros, Alan Patrick (Luiz Antônio) e Ederson (Paulinho); Emerson e Guerrero. Técnico: Oswaldo de Oliveira

SÃO PAULO:
Renan Ribeiro; Bruno (Auro), Lucão (Wesley), Luiz Eduardo e Michel Bastos; Thiago Mendes, Hudson, Rodrigo Caio e Carlinhos; Centúrion (Wilder) e Alexandre Pato. Técnico: Osório

Ponte joga muito bem, mas finaliza muito mal

No calor das 11h, Ponte finaliza 23 vezes e não consegue o gol


O jogo era entre dois times em alta. Grêmio vinha de vitórias fantásticas, Inter, Galo e Jonville, sem contar a vitória sobre o Coritiba pela Copa do Brasil. A Ponte também vinha de resultados bons, vitórias sobre Avaí e Flamengo, e empates contra Sport e Chapecoense (Sul-Americana). Os destaques eram Borges na Ponte e Luan pelo lado Gremista.

O JOGO :
O jogo começou e foi até o final dominado pela equipe da Ponte. No primeiro tempo a Macaca ganhou do Grêmio no quesito posse de bola em 65% a 35%, porcentagem essa que terminou 59% a 41% pra Ponte. Nas finalizações a Ponte foi devastadora, 23 da Macaca contra apenas 3 do Grêmio. O time da Ponte estava voando em campo, toque de bola diferenciado. A indisciplina nas finalizações quebraram o famoso "jogo perfeito" da Ponte.
Borges saiu antes dos 10 minutos com dores, dando lugar a Diego Oliveira.
A Ponte atacava a todo instante, mas não conseguia fazer o gol. Uma das melhores chances saiu aos 39 minutos da primeira etapa, Biro Biro dominou na esquerda, cortou pro meio e chutou com muita classe na junção das traves. Aos 20 do segundo tempo a bola novamente parou na trave. Felipe Azevedo lançou Rodinei que invadiu a área e mandou no travessão. Aos 46 do segundo tempo o Grêmio teve seu único lance de perigo, Galhardo cruzou para Braian que chutou fraco para defesa de Lomba. Depois do gol perdido pelo Grêmio o jogo acalmou e terminou com o placar zerado.
Doriva continua sem perder no comando da Ponte, que chega aos 27 pontos e com o desenrolar da rodada está na 12ª posição. O Grêmio vai a 37 pontos, e por enquanto atinge a 3ª colocação.


A Macaca volta a jogar nesta quarta, onde enfrenta a Chapecoense, em Chapecó, ás 22h, pela Sul Americana. Já o Grêmio recebe o Coritiba na quinta, ás 21h, em Porto Alegre, pela Copa do Brasil.

Ficha Técnica :
Ponte Preta 0x0 Grêmio 

Local: Estádio Moisés Lucarelli
Público e Renda : 8.612 // R$ 145.880,00
Cartões Amarelos: Biro Biro (AAPP) // Marcelo Grohe (GFBPA) 


Texto de Luan Macedo  // (@Luan_AAPP)



Fluminense perde mais uma


Você não está lendo um texto antigo. Mais uma vez o Fluminense perdeu no Campeonato Brasileiro. Dessa vez foi para o Joinville de virada. A situação só fica pior.

Avenida Carleto e arbitragem atrapalham e Botafogo perde a invencibilidade em casa

O Botafogo recebeu na manhã deste domingo, dia 23, o Paysandu, pela 20ª rodada da Série B. Sabendo que nenhum dos outros integrantes do G4 havia vencido, o Glorioso dependia apenas de si para voltar ao topo da tabela. Mas, como de costume, o Botafogo não aproveitou a rodada favorável e perdeu em casa, diante de 23 mil torcedores. A derrota por 3 a 2, porém, não tirou a vice-liderança do Alvinegro, que segue com 36 pontos. O próximo adversário é o CRB, sexta, às 21h, fora de casa. 

O JOGO

O Botafogo começou bem no jogo. A tática era abafar a boa equipe do Paysandu. Até os 20 minutos, mais ou menos, o Alvinegro dominava a partida. Após a parada técnica (fazia muito calor no Rio de Janeiro), o Paysandu voltou melhor, mais ofensivo. E aos 26', o Papão abriu o placar com o artilheiro Yago Pikachu, que aproveitou toque de Valdívia e mandou na saída do goleiro Jefferson. Sem tempo para lamentar, o Botafogo viu o Paysandu ampliar o placar pouco tempo depois, mais precisamente aos 28', com Thiago Martins. Pikachu lançou para o zagueiro que, sozinho, em posição legal, dominou e fez o gol. O Botafogo sofreu um apagão. 


Luis Ricardo lamenta o apagão botafoguense (Foto: Paulo Sérgio/Lance!Press)

Aos 30', o Glorioso respondeu. Neilton chutou em cima do goleiro Emerson, que deu rebote. Na sequência, Elvis chegou, driblou o goleiro e de cara para o gol conseguiu fazer o mais difícil: chutou para fora. O Botafogo desperdiçou duas excelentes oportunidades. Aos 32', Neilton arriscou de longe, obrigando o goleiro do Paysandu a fazer importante defesa. 

O Papão exagerava na cera. Vários jogadores caíam no campo para que o tempo passasse, principalmente o goleiro Emerson, que deve ter se jogado no gramado no mínimo umas três vezes. O árbitro percebeu e deu 6 minutos de acréscimo. E foi nesses minutos finais que o Botafogo tentou arriscar para diminuir o placar. Aos 48', Daniel Carvalho chutou cruzado e Emerson fez boa defesa. Aos 50', foi a vez de Diego Giaretta arriscar. O zagueiro soltou uma bomba e a bola raspou a trave, indo para a linha de fundo. Aos 52', o árbitro encerrou o primeiro tempo. 

O Botafogo voltou sem alterações para a etapa final. O time tocava a bola sem objetividade e arriscava para o gol sem levar perigo. O ritmo do jogo caiu bastante. Aos 14 minutos, Ricardo Gomes promoveu a primeira alteração na equipe: Serginho, que já tinha cartão, saiu para dar lugar a Camacho. 

Aos 18', Daniel Carvalho, após troca de passes, fez o gol do Botafogo. A bola sobrou para Luis Henrique, que escorou e tocou para o meia marcar. A torcida botafoguense nem teve tempo para comemorar. No minuto seguinte, aos 19', o Paysandu fez o terceiro gol com Jhonnatan. No contra-ataque, após receber bom lançamento, o volante dominou e mandou para o gol. Foi um bonito gol. Sem dúvida um balde de água fria. 

Aos 31', Elvis cabeceou para outra boa defesa de Emerson. Segundos depois, Neilton dominou, chutou no ângulo e a bola passou rente à trave. Foi o último lance do atacante, que logo após o chute foi substituído. Mesmo fazendo boa partida, Ricardo Gomes o substituiu por Sassá, sob vaias da torcida, que o chamou de burro. Aos 36', Sassá, que havia acabado de entrar no jogo, fez o segundo gol do Botafogo. Arão desviou de cabeça após escanteio de Daniel Carvalho e o atacante mergulhou para cabecear para o fundo da rede. Ricardo Gomes aproveitou para, aos 40', fazer outra alteração: Elvis saiu para a entrada de Diego Jardel. 

O lance mais polêmico do jogo aconteceu aos 43'. Luis Henrique foi derrubado na área e o juiz assinalou pênalti. Mas o bandeira viu um impedimento inexistente de Sassá e invalidou a marcação. A cera do time do Paysandu foi cena comum durante o segundo tempo também. O juiz deu 7 minutos de acréscimo. O Botafogo pressionou em busca do empate, sem sucesso. Aos 52', o jogo chegou ao fim. Paysandu 3 a 2. 


OBSERVAÇÕES

A sorte do Botafogo é o azar dos outros. De novo, o time teve a chance de liderar a competição, mas abriu mão de aproveitar os tropeços dos adversários diretos. 

Daniel Carvalho, apesar de ter feito o primeiro gol e ter cobrado o escanteio que originou o segundo, fez péssima partida. Errava tudo que tentava. Exausto e displicente, continuou no jogo até o final. 

Ricardo Gomes trocou Neilton por Sassá. A torcida não entendeu a substituição. Lulinha deveria ter entrado no jogo, mas infelizmente não teve oportunidade. 

A arbitragem atrapalhou sim o Botafogo. Além da anulação de um pênalti claro, ela permitiu que o Paysandu fizesse cera durante o jogo inteiro. Detalhe: nenhum jogador do Papão recebeu cartão por isso.  Mas é bom deixar claro que não foi o trio de arbitragem o responsável pela derrota. 

Thiago Carleto teve culpa em todos os gols. Péssimo na marcação, só sabe bater faltas, isso quando acerta. 

O Botafogo tomou gols bobos. O Paysandu não criou muitas oportunidades. O time paraense aproveitou os vacilos defensivos do time carioca para fazer os gols e garantir a vitória. 


 A torcida do Botafogo compareceu em bom número (Foto: Caroline Marques)

FICHA DO JOGO

Botafogo 2
Jefferson, Luis Ricardo, Renan Fonseca, Diego Giaretta, Thiago Carleto; Serginho (Camacho), Willian Arão, Daniel Carvalho, Elvis (Diego Jardel); Neilton (Sassá), Luis Henrique. Técnico: Ricardo Gomes. 

Paysandu 3
Emerson, Yago Pikachu (Augusto Recife), Pablo, Thiago Martins, João Lucas, Ricardo Capanema; Jhonnatan, Fahel (Dão), Valdívia (Carlinhos); Aylon, Leandro Cearense. Técnico: Dado Cavalcanti. 

Estádio: Nilton Santos (RJ). 
Árbitro: André Luiz de Castro Freitas (GO).
Assistentes: Christian Passos Sorence (GO) e Marcio Soares Maciel (GO).
Gols: Yago Pikachu (26' do 1º T), Thiago Martins (28' do 1º T), Daniel Carvalho (18' do 2º T), Jhonnatan (19' do 2º T), Sassá (36' do 2º T). 
Cartões amarelos: Serginho (Botafogo); Thiago Martins, Ricardo Capanema e Jhonnatan (Paysandu).
Público: 23.805.
Renda: R$ 610.035,00. 

Por: Gabriel De Luca (@biel_dluca)

Em confronto na parte de cima da tabela, América e Bahia não saem do empate

O América enfrentou o Bahia nesse sábado (22) na Arena Fonte Nova na Bahia e conquistou um ponto após empatar por 1x1 em um jogo no qual a equipe não conseguiu fazer boas atuações como os jogos anteriores. 

O JOGO

O Coelho começou a partida sendo bastante atacado, mas foi o time baiano em que sofreu a primeira chance clara de gol, com Toscano após uma bicicleta que não houve sucesso. Depois disso, o Bahia administrou o jogo e atacou o time mineiro e abriu o placar após cruzamento pelo lado esquerdo, Gustavo Blanco ajeitou a bola para Kieza dentro da área que apenas chutou para o gol e abriu o marcador. O América ainda chegou ao empate, mas o bandeira assinalou impedimento.


O segundo tempo começou um pouco diferente, o Coelho atacava mais e tentava igualar o placar, mas sentia dificuldades na saída de bola. Mas chegando na etapa final da partida, após cobrança de escanteio de Toscano, Alisson subiu mais alto e marcou o gol igualando assim o marcador. Pelo fim da partida, o Bahia pressionou o time mineiro tentando buscar a vitória, e o América tentava sair nos contra ataques e até teve chances de virar o jogo mas sem sucesso. Nos minutos finais do jogo, o meia Mancini e o zagueiro Robson se estranharam e receberam o cartão amarelo, mesmo após sendo advertidos, continuaram discutindo até levarem o cartão vermelho e foram mais cedo para o chuveiro. E foi assim até o encerramento do árbitro, a partida não saiu do 1x1.

SITUAÇÃO NA TABELA: O América segue em 3º lugar na tabela, enquanto o Bahia caiu para 5º.

PRÓXIMO CONFRONTO: O próximo encontro do time americano, é sexta feira ás 19h30 no Independência contra o Luverdense.

Bruno Vivacqua @brunovivacqua

Barcelona estreia com vitória no Espanhol em meio a um mar de desfalques

Na abertura do Campeonato Espanhol, Barcelona dá troco em Athletic, no San Mamés, após perder a final do Supercopa da Espanha. O time catalão viajou cerca de 610 quilômetros para uma revanche, com um time recheado de desfalques e com o passar da partida perdeu mais dois titulares: Sergio Busquets e Dani Aves.

Com um único gol, de Luis Suárez a vida no País Basco não foi fácil. Messi não jogou bem e as novidades de Sergi Roberto e Vermaelen jogaram muito bem e deram equilíbrio ao sistema defensivo do Barcelona. Esse início de Campeonato Espanhol bastante escaço de gols. Até o jogo de San Mamés apenas 2 gols em 5 jogos.

Jogadores comemorando o gol da vitória.
O jogo

Athletic e Barcelona fizeram um primeiro tempo sonolento. O time Basco esperava um erro do adversário para sair do contra-ataque , já o time catalão tocava muito a bola e esperava um vacilo da defesa do Bilbao para marcar um gol. Aos 21 minutos, em lance confuso dentro da grande área, a bola bateu na mão de Elustondo e os jogadores pediram pênalti, nada o juiz marcou.

Haja vista que o Barcelona vinha com um time bastante modificado na defesa, perdeu Dani Alves por lesão e coube a Sergi Roberto fazer a lateral. Aos 29 minutos mais um lance com Elustondo, Suárez recebeu, driblou e a canela deslocou o uruguaio, pênalti.

Em meio de bastante discussão, o lance foi discutível. Eis o ditado " pênalti que não existe, não entra ". Lionel Messi e Iraizoz entenderam bem a frase. O camisa 10 foi para a cobrança e numa defesa sensacional do arqueiro Basco deixou a torcida inflamada. 

Iniesta, Suárez e Rafinha ainda tentaram mudar o placar do primeiro tempo, porém Iraizoz defendeu a de Suárez e as outras duas foram sem êxito. Fim do primeiro sem mais emoções, com o Athletic se defendendo e o Barcelona tocando muito sem efetividade com a boa marcação do adversário.


Messi perdeu o pênalti no primeiro tempo.
Na etapa final, porém, o time de Luis Enrique se soltou na partida e criou as melhores chances até aos nove minutos abrir o placar: Rakitic lançou na esquerda para a penetração de Alba, que cruzou na medida para Suárez, sozinho e de perna esquerda na grande área, estufar as redes, 1x0.
Luis Enrique, então, foi à loucura com a outra lesão de um titular, agora de Sergio Busquets em dividida com Aduriz. O camisa 5 sentiu uma pancada no joelho direito e deixou o campo. O Barcelona já não tinha Piqué e Mathieu por suspensão. Adriano, Douglas e Neymar por lesão.
Após o gol, Sergi Roberto entrou livre na grande área e mandou uma bomba no travessão. Em boa jogada de Erazo, ele cruzou para Aduriz ajeitar de cabeça na área, mas Ibai Gómez não apareceu. Na sequência, o próprio Ibai pegou a sobra de cruzamento e quase marcou num chute de primeira.
Ainda houve tempo do apagado Lionel Messi fazer uma linda jogada e quase marcou um golaço. Depois de driblar três adversários, meter caneta em outro, chutou no centro do gol para uma defesa fácil de Iraizoz.
O Barcelona volta a campo no próximo sábado (29), no Camp Nou, contra o Málaga. Já o Athletic Bilbao recebe o Zilina na quinta-feira pela volta da fase preliminar da Liga Europa precisando tirar a desvantagem de 3 a 2.

Paysandu cala o Engenhão e já sonha com G4

Torcida do Paysandu no Engenhão (Foto: Divulgação)
Hoje o Paysandu entrou em campo num horário diferente do que está acostumado, quando o relógio apontava as 11h, Botafogo x Paysandu começaram o primeiro tempo da 20º rodada da Série B. O Papão começou o jogo na oitava colocação e, depois de alguns dos seus concorrentes diretos tropeçarem, precisava da vitória para subir algumas posições na tabela, já o Botafogo começou o jogo na vice liderança e somente a vitória interessava para o clube. Mas a história no Nilton Santos só teria final feliz para uma torcida. E foi para a alviazul!

No duelo de Verdões, Coritiba leva a melhor e vence Chapecoense

Foto: Gazeta Press
Após empatar na estreia da Sul-Americana na última quarta-feira em Campinas-SP diante da Ponte Preta, a Chapecoense voltou a campo na manhã deste domingo (23) na abertura do returno do Campeonato Brasileiro, jogando no Estádio Couto Pereira, contra o Coritiba. Melhor para o alviverde Paranaense, que venceu a terceira seguida na competição por 1x0, e segue a recuperação para deixar a zona de rebaixamento.

5 tons de cinza!

Peixe goleia Avaí na Vila!
Após a excelente vitória contra o Corinthians pela Copa do Brasil na última quarta feira (19/08), o Santos voltou a campo nesse sábado (22/08) outra vez na Vila Belmiro, para enfrentar o Avaí. Com a estréia do novo uniforme, o bom futebol foi mantido e o Peixe goleou o time catarinense por 5-2.

Muito se comentou sobre possíveis mudanças na escalação, poupando jogadores para o clássico do meio de semana, mas Dorival optou por repetir o time e deu certo.

O JOGO:

O Peixe começou com tudo! Em 12 minutos, o placar já marcava 2-0. Gabriel abriu o placar, após excelente cobrança de escanteio de Lucas Lima e pouco depois, Tiago Maia tabelou com Ricardo Oliveira e bateu forte, para anotar seu primeiro gol como profissional.

Aos 25 minutos, o Avaí diminuiu o placar com o estreante Léo Gamalho que havia chegado na equipe um dia antes, mas mesmo assim foi pro jogo. No mais, o Santos manteve a partida equilibrada, tocando bem a bola e quando criava, Ricardo Oliveira parecia não estar inspirado.

Mas na segunda etapa, o artilheiro do Brasileirão desencantou. Logo no início, o atacante recebeu linda assistência de Geuvânio e bateu com categoria na saída do goleiro, para anotar o seu 11º gol e se isolar na artilharia da competição.

Com placar "resolvido", o técnico Dorival Jr resolveu poupar os seus três homens de frente e antes dos 30 minutos da etapa final, Ricardo Oliveira, Gabriel e Geuvânio já tinham dado lugar para Nilson, Marquinhos Gabriel e Leandro, respectivamente.

As alterações deram certo. Aos 35 minutos, após boa jogada de Leandro, a zaga do Avaí cortou mal e a bola sobrou para Nilson bater firma pro gol e assim como Tiago Maia, anotar o seu primeiro gol como profissional. Mas ainda teríamos tempo para mais emoção, já que dois minutos depois, Léo Gamalho voltou a diminuir o placar, após bom cruzamento de Camacho.

E no último lance da partida, um lance pífio. Lucas Lima invadiu a área cercado pelos zagueiros e tropeçou sozinho no gramado, mas o árbitro Landro Vuaden, conseguiu ver pênalti e marcou com convicção. O meia santista foi pra bola e fechou o placar em 5-2.

Nilson e Lucas comemorando o 5º gol
Sem derrotas após a chegada de Dorival, o Peixe apresentou grandes melhorias, principalmente no setor defensivo, mas assim como em 2010, a partida de hoje mostrou o mesmo time "kamikaze" que em 90 minutos, conseguia anotar 3, 4 gols, mas não deixava sofrer 2, 3. 

Agora o Santos volta a campo em Itaquera, na próxima quarta feira, pelo jogo de volta da Copa do Brasil. Com a vantagem de 2-0 conquistada na primeira partida, um empate e até uma derrota simples por um gol, classificam o time santista diante do Corinthians.

FICHA TÉCNICA:

SANTOS 5 X 2 AVAÍ
Local: Vila Belmiro, em Santos (SP)

Data: 22 de agosto de 2015, sábado
Horário: 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)
Assistentes: Alessandro Rocha Matos (BA) e Marcelo Barison (RS)
Público: 12.036 pagantes
Renda: R$ 289.880,00
Cartões amarelos: Lucas Lima (Santos); Jéci, Romário e Adriano (Avaí)
Gols: Santos: Gabriel, aos dez, e Thiago Maia, aos 13 minutos do primeiro tempo; Ricardo Oliveira, aos dois, Nilson, aos 35, e Lucas Lima, aos 47 minutos do segundo tempo

Avaí: Léo Gamalho, aos 29 minutos do primeiro tempo e aos 37 minutos do segundo tempo

SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz; Gustavo Henrique, David Braz e Zeca; Thiago Maia, Renato e Lucas Lima; Gabriel (Leandro), Ricardo Oliveira (Nilson) e Geuvânio (Marquinhos Gabriel). Técnico: Dorival Júnior
AVAÍ: Diego; Nino Paraíba, Antônio Carlos, Jéci e Marrone (Romário); Adriano, Pablo, Tinga (Roberto) e Camacho; Rômulo (Conrado) e Léo Gamalho. Técnico: Gilson Kleina
Pedro Henrique | @peeedrito17

Atlético garante primeiros pontos no Espanhol, mas precisa evoluir


Gol de falta de Antoine Griezmann garante vitória do Atlético no espanhol
Foto: www.marca.com.es
Com um placar magro por 1 a 0, o Atlético estréia com vitória em casa no campeonato espanhol. A torcida Atleticana espera uma goleada, já que o rival é um time que acaba de subir para primeira divisão. Com gol de Antoine Griezmann e boas defensas de Oblak, o Atlético leva os três pontos, mas mostra que tem ainda muito a evoluir.

A Bolívia querida fez valer o mando de campo

FOTO: ESPN
Sampaio Correa fez valer o mando de campo contra o Vitória, que apesar de ter jogado bem, pecou nas finalizações mais um vez. Agora a Bolívia querida entrou de vez na briga por uma vaga na elite.

O JOGO

Logo com dois minutos, Edgar recebeu a bola pelo lado direito, invadiu a área e chutou para defesa do goleiro Fernández.

O Vitória equilibrou as ações, chegando pela direita com Jorge Wagner, David e Rhayner. O Rubro-Negro baiano pressionava a saída de bola dos maranhenses e incomodava os mandantes do jogo.

O Time do Vitória apresentava alguns vacilos individuais com Euller e Rhayner que prende demais a bola e gera muito contra ataques.

Euller errou três vezes em três lances consecutivos do lado dele, isso aos 22 minutos, quando Pimentinha foi lançado, o lateral do Vit´ria ganhou a frente da jogada depois permitiu que o atacante roubasse a bola e explorasse um corner.

Depois que a zaga afastou o lance de bola parada, novamente Euller rifou mal a bola e a Bolívia recuperou com Pimentinha que serviu ao melhor jogador da partida Diones para marcar de cabeça.

Segundo tempo

A segunda etapa começou com o Vitória indo para cima do Sampaio Corrêa para acabar com a desvantagem do time do Maranhão.

O Rubro-Negro acelerava o jogo para forçar o erro dos jogadores de defesa do Tricolor. Logo com três minutos, Flávio tabelou com Elton, que rolou para Jorge Wagner chutar. Rodrigo, bem posicionado, impediu o gol de empate.

O Vitória continuava na pressão. Elton chutou por cima do gol após pegar sobra de um escanteio mal afastado pela zaga do Sampaio.

Jorge Wagner cobrou falta venenosa para dentro da área, ninguém alcançou a bola e Rodrigo pulou no canto esquerdo para ficar com ela.

O Vitória só não empatou em mais duas oportunidades porque o Robert desperdiçou dois lances debaixo das traves, uma de cabeça e outra que tentou de letra. 

Uma lição em Arapiraca

ASA e Fortaleza se enfrentaram na tarde deste sábado pelo Campeonato Brasileiro Série C. Com um gol marcado pelo zagueiro Lucas Bahia no final da partida, a equipe alvinegra venceu e segue invicta em seus domínios na competição. Para o Leão, restou apenas a ameaça na liderança do Grupo A.

O resultado fez o ASA chegar aos 23 pontos na competição. Agora, o Fantasma ocupa a terceira colocação e não corre risco de perder a vaga entre os quatro primeiros da tabela. No próximo domingo, o alvinegro alagoano vai encarar Cuiabá, às 17h, na Arena Pantanal.

Já o Fortaleza, por sua vez, segue na ponta da tabela com 27 pontos. Para permanecer isolado, o Leão terá que torcer por um tropeço do Vila Nova, que hoje enfrenta o Icasa no estádio Romeirão. O próximo compromisso do Tricolor de Aço ocorre no sábado, às 16h, contra o Salgueiro, na Arena Castelão.

Equilíbrio e poucas chances

Primeiro tempo pode ser resumido bem na frase acima. Só que o Fortaleza ameaçou o ASA logo aos 12 minutos, quando Corrêa cobrou falta e o goleiro Pedro Henrique fez uma bela intervenção. 

Somente aos 25 o Fantasma assustou o Leão. Didira recebeu bom passe de Alex Henrique e chutou, mas Ricardo Berna espalmou. No rebote, Fábio Alves aproveitou e finalizou, só que a bola ficou na defesa do Leão.

Pouco tempo depois, o Leão quase abriu o placar. Após boa jogada, Auremir surgiu como um surpresa e ficou cara a cara com Pedro Henrique. O goleiro do ASA defendeu a finalização e salvou os donos da casa.

Ducha de águia fria

Sem apresentar um bom futebol, o Fortaleza deu espaços para o ASA atacar na segunda etapa. Aos 11 minutos, o alvinegro teve uma boa chance com Uéderson. O atacante chutou forte e obrigou Ricardo Berna a espalmar para escanteio.

A resposta do Fortaleza veio dez minutos mais tarde. Thallyson, em jogada individual, passou pela marcação adversária e chutou com a perna direita, levando perigo ao goleiro Pedro Henrique. Didira respondeu com um belo chute, obrigando Ricardo Berna a salvar o Leão.

Lucas Bahia marcou o gol da vitória aos 49 minutos do segundo tempo (Foto: divulgação/ASA)
Quando tudo se encaminhava para um empate, o ASA balançou a rede do Fortaleza. Aos 49 minutos, Chiquinho cobrou falta em direção à área. Lucas Bahia aproveitou e, de letra, marcou o gol da vitória alvinegra.

Opinião

Mais uma vez, a equipe jogo mal, isso é inegável. Quero saber até quando o Marcelo Chamusca vai insistir com Ricardo Jesus. Em pouco tempo, Lúcio Maranhão fez muito mais que o titular.

A derrota trouxe um ensinamento: não podemos nos acomodar, pois o campeonato é difícil. Temos apenas duas derrotas, mas o que está preocupando é o futebol apresentado. Desde o jogo contra o Vila Nova, observa-se um declínio na equipe do Leão.

Chegou a hora de ir ao estádio

Nossa média de público é boa, sim, mas temos que melhorar. A equipe precisa do nosso apoio. Gostaria de ver o Castelão com 15 ou 20 mil pessoas no sábado. Seria ótimo também para os cofres do clube.

#FechadoComOLeão

Rafael Alves | @rafaelalvessg_

Goiás massacra Vasco e sai do Z-4 de bicicleta

Goiás vence com facilidade e afunda mais o Vasco.
Foto: Globo Esporte.
Um jogo para ficar marcado na memória dos esmeraldinos. Com uma estréia espetacular de Zé Love fazendo gol de bicicleta e mais uma bela partida de Erik, o Goiás aniquilou o "respeito" do Vasco no Serra Dourada vencendo com facilidade e dando alegrias novamente para o torcedor esmeraldino. Com o triunfo, o Verdão deixa a zona de rebaixamento do Brasileirão e agora já pensa no jogo de volta da Copa Sul-Americana.

Bicicleta, expulsões, mas a lanterna continua


  No primeiro jogo do segundo turno do Campeonato Brasileiro, o Vasco sofreu, levou uma surra e perdeu mais uma.





   Era a primeira partida do segundo turno, a chance de se recuperar começava para o Vasco, ainda havia esperança. Mas tudo deu errado, o time jogou muito mal, esteve perdido em campo, desesperado, agressivo. A partida já começou mal para o time carioca, com apenas quatro minutos o Goiás fez o primeiro, Zé Love, numa bicicleta inesperada e espetacular, estufou a rede vascaína. A pressão continuava, aos 10’ uma bola na trave assustou ainda mais os cruzmaltinos, e para piorar a situação, aos 14’ Christiano puxou Bruno Henrique dentro da área e foi marcado o pênalti. Erik chutou no cantinho e marcou, 2x0 para o time da casa.

  Como se não bastasse, aos 19 minutos Jorge Henrique foi expulso, por chutar Bruno Henrique, que estava caído. Assim terminou o primeiro tempo, 2x0 para o Goiás, e o time Cruzmaltino ainda estava com um a menos, era quase impossível se recuperar.


Jorge Henrique e Rodrigo foram expulsos na partida


   A segunda etapa começou e o time carioca não conseguia se achar dentro de campo, enquanto o Goiás armava jogadas, tinha boas oportunidades, fazia um excelente jogo. Aos 28’ outro pênalti! Rodrigo fez uma falta dentro da área e levou o segundo amarelo, sendo expulso. Erik marcou mais um, 3x0 para o Goiás. O time da casa ainda teve algumas boas chances e a partida só não se tornou uma goleada por pura sorte.

  O Vasco não teve forças para mudar o rumo do jogo que acabou nesse 3x0 sofrido e doloroso. A torcida não perdoou, os vascaínos estão cada vez mais desiludidos, na pior campanha da história crulzmaltina do Brasileirão, é impossível não pensar em desistir. Mas o Vasco é o time da virada e ainda é possível, só nos resta torcer, afinal Eu Escolhi Acreditar!

  No próximo sábado (29) o Vasco enfrenta o Figueirense, às 18:30, no Maracanã. No dia seguinte (30) o Goiás jogará contra o Atlético-PR, às 18:00, na Arena da Baixada.

                                                                        Ana Clara Soares (@AnaClaraSoares1)



Ficha Técnica:
Vasco: Martín Silva; Madson, Rodrigo, Anderson Salles e Christiano; Guiñazu (Jhon Cley), Serginho, Julio dos Santos (Lucas) e Nenê; Jorge Henrique e Riascos (Herrera)
Técnico: Jorginho

Goiás:Renan; Gimenez, Fred (Valmir Lucas), Felipe Macedo e Diogo Barbosa; Rodrigo (Ygor), Patrick, David e Bruno Henrique; Erik e Zé Love (Murilo)
Técnico: Julinho Camargo

Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira (SP)
Cartões amarelos: Gimenez, Zé Love e Bruno Henrique (Goiás); Rodrigo, Riascos e Jhon Cley (Vasco)
Cartão vermelho: Jorge Henrique e Rodrigo (Vasco)


←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana