A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

quinta-feira, 8 de outubro de 2015

A bruxa segue solta na Seleção Brasileira



A Seleção Brasileira chega às Eliminatórias com um peso que nunca carregou antes: É o início da competição que pode nos derrubar de vez ou nos fazer pensar em renascer. O primeiro passo desse desafio foi para dar mais uma pitada de desespero a qualquer um que ainda se habilite a torcer. Faltou Neymar, faltou Brasil.

O Chile, freguês histórico que não ganhava de nós há 15 anos e naturalmente tremia diante a camisa amarela, conseguiu um triunfo por 2-0 sobre um Brasil ainda devastado. Quem diria, antes da Copa do Mundo 2014, que o Brasil poderia ficar de fora do próximo Mundial? Pois agora é uma realidade e corremos sério risco de, pela primeira vez na história, não fazer parte do maior campeonato de futebol do mundo.

Graças a um time extremamente limitado, pra sempre abalado depois da humilhação do 7-1 e que fez uma participação pífia na Copa América do outro lado, a seleção chilena era favorita na partida. Os donos da casa não jogaram seu melhor futebol, mas foi o suficiente para fazer pressão no segundo tempo e liquidar o duelo. É preciso apontar que foram apenas dois treinos antes do jogo e a falta de regularidade nas convocações, ou seja, a mudança constante do grupo impede que haja entrosamento. Dunga não é um bom treinador e não tem como fazer mágica.

Na primeira parte as duas seleções tentavam, mas nenhuma delas conseguiu levar muito perigo ao gol adversário. Os 45 minutos iniciais foram mornos, a dependência do principal jogador brasileiro pesou (e muito) e faltou o passe final, a finalização de qualidade, coisa que fica muito mais difícil com Hulk na frente e Oscar matando todas as jogadas armadas.

Inclusive, é preciso abrir um parágrafo especial para um caso único chamado Oscar. O jogador do Chelsea voltou à Seleção após ficar de fora das últimas convocações por lesão, estava nos onze iniciais e conseguiu ser o pior em campo. Sem Neymar, a grande promessa de alguns anos atrás tinha a responsabilidade de criar no time, mas ele não consegue fazer isso. O camisa 11 é irregular, tanto no time de Londres quanto no Brasil, e já não justifica mais sua titularidade.

A torcida da ‘Roja’ lotou o Estádio Nacional de Santiago, fez muito barulho, gritou até olé e ajudou o Chile a voltar com mais vontade para o segundo tempo. E, como todos já sabem, quem não faz, leva. O momento dos chilenos pesou e Eduardo Vargas abriu o placar. Ao final, Alexis Sanchéz fechou o caixão de vez.

O próximo desafio da Seleção Brasileira será contra a Venezuela, em Fortaleza, e é difícil dizer o que dá para esperar dessa partida. No momento em que vivemos, nem os adversários mais fáceis dão menos trabalho e, mesmo em casa, o apoio da torcida não é garantido. 

Eliminatórias para a Copa começa com cinco vitórias

Foi dada a largada para a classificação pra Copa do Mundo de 2018 que será realizada na Rússia. As dez seleções Sul-americanas filiadas a CONMEBOL que disputarão as eliminatórias já entraram em campo em busca de uma vaga.

As equipes irão se enfrentar em jogos de ida e volta, os quatro primeiros colocados automaticamente já estão garantidos e ainda sobre uma vaga para disputar na repescagem intercontinental.

BOLÍVIA 0 x 2 URUGUAI – Estádio Hernando Siles

Foto: Martin Alipaz
Bolívia e Uruguai abriram as eliminatórias e a Seleção Celeste contou com dois desfalques: Cavani e Suárez suspensos. Os craques uruguaios não fizeram falta, pois logo no começo de jogo o time visitante abriu o placar com Martín Cáceres. O segundo gol saiu na etapa final, em cobrança de falta pela esquerda, Godín subiu e cabeceou selando o placar. Já o time La Vierde não se impôs no jogo, teve sua melhor chance com Duk chutando uma bomba no travessão e contou com a expulsão do lateral Jair Torrico.

Com o placar favorável para a Celeste, o Uruguai quebrou o jejum de nunca ter vencido a Bolívia em solo boliviano. Ao todo foram nove jogos.

COLÔMBIA 2 x 0 PERU – Estádio Metropolitano de Barranquilla

Foto: Gal Schweizer
Os Los Cafeteros não contaram com James Rodríguez lesionado. O time da casa saiu vitorioso, mas foi o Peru quem mostrou força primeiro, fazendo excelente marcação adiantada. Sem precisão nos chutes, coube a Colômbia abrir o placar com Teó Gutiérrez de cabeça em cobrança de escanteio.

Os Incas não se intimidaram em nenhum momento e chegou a ter uma bola no travessão com Guerrero. Mas no minuto final de jogo, aos 48’ do segundo tempo, Cardona aproveitou a saída do goleiro para ampliar.

VENEZUELA 0 x 1 PARAGUAI – Estádio Cte Cachamay

Foto: globoesporte.com
Sem nunca ter disputado nenhuma Copa do Mundo, a Venezuela recebeu o Paraguai que não jogou a última edição. Em campo, ambas as equipes fizeram um jogo morno sem muitas oportunidades de gol. A La Vinotinto foi melhor, tentou fazer melhor o dever de casa, mas sem eficiência em seus chutes. Os Guaranis só entraram em campo.

Na segunda etapa a Venezuela continuou pressionando e até melhor, mas em uma falha do Vizcarrondo no final do jogo, o Paraguai ganhou um gol. O zagueiro recuou de maneira grotesca a bola para o goleiro Baroja, González aproveitou a bobeada e colocou números no marcador.


CHILE 2 x 0 BRASIL - Estádio Santiago Nacional

Foto: Martin Bernetti
A atual campeã da Copa América estreou com vitória ao derrotar o Brasil ao lado de sua torcida. A La Roja fez um bom jogo diante da Seleção Canarinho que não contou com Neymar suspenso. O jogo contou com tudo, maior posse de bola do Brasil, bola na trave do Chile, jogador que era pra ser expulso e não foi, e muito mais.

Em jogo lá e cá, bastante pegado, venceu quem teve maior precisão nos chutes. Em cobrança de falta, Vargas apareceu para concluir a jogada e abrir o placar. No fim do jogo, foi à vez de Sánchez marcar depois de boa tabela com Vidal.

Ao som de vaias, o Brasil perdeu pela primeira vez na estreia de eliminatória e acabou com um tabu que já duravam 15 anos sem que o Chile conseguisse vencer a verde e amarela.

ARGENTINA 0 x 2 EQUADOR - Estádio Munumental de Nuñez

Foto: globoesporte.com
E pela primeira vez o Equador venceu a Argentina fora de casa que não contou com Messi lesionado. Os hermanos eram favoritos para a vitória, mas Erazo e Caicedo atrapalharam tudo. Os donos da casa tinham incríveis 70% de posse de bola e teoricamente em campo dominavam a La Tri. Tudo não passou de números, com mais finalizações e chutes a gol a albiceleste não soube aproveitar as suas chances.

No segundo tempo, bastou apenas um minuto de diferença entre um gol e outro, aos 35’ Tenorio cobrou escanteio e Erazo abriu o placar. Aos 36’ Valência em velocidade encontrou Caicedo que aproveitou e ampliou o placar.

A torcida argentina não perdoou e vaiou ao final do jogo a seleção.

Próxima rodada:

Terça-feira - 13/10/2015
Equador x Bolívia - OLÍMPICO ATAHUALPA - 18h00
Uruguai x Colômbia – CENTENÁRIO – 20h00
Paraguai x Argentina - DEFENSORES DEL CHACO – 22h00
Brasil x Venezuela - CASTELÃO (CE) – 22h00
Peru x Chile – 23h15

ISABELA MACEDO | @ismacedo_
Linha de Fundo | @linhadefuundo

Lusa perde a primeira, no confronto do acesso contra o Vila Nova

A Portuguesa foi derrotada na primeira partida das quartas-de-final da Série C do Campeonato Brasileiro. No estádio Serra Dourada, a equipe mandante, com o apoio de sua torcida venceu a partida pelo placar mínimo de 1 a 0, gol marcado por Ramires. O resultado deixa a Portuguesa em desvantagem, para o jogo de volta. no dia 17, no Canindé. A equipe que se classificar, além de garantir vagas nas semifinais, automaticamente garante vaga na Série B 2016.

Lusa saiu derrotada pelo placar mínimo no primeiro confronto (Fotos: Carlos Costa)
Vila e Lusa começaram o campeonato como incógnitas, ambos os times rebaixados para a terceirona ano passado. O Vila em processo de renovação, com a conquista da divisão de acesso e a Lusa em processo de renovação durante o campeonato, da Série C após o rebaixamento pra Série A2 do Paulista. Tornaram-se favoritas ao acesso ao decorrer da competição.

A torcida do Vila marcou presença no estádio, e a da Lusa também, em menor número mas estávamos lá. Mesmo na série C, é legal voltar a ter o clima de mata-mata, aquela tensão, o frisson. Bom demais poder voltar a disputar isso, pena que na Série C, mas se lá estamos, vamos à luta.

O jogo começou em clima de decisão, a torcida do Vila Nova criava o ambiente para o time goiano, mas aos poucos o time lusitano foi se organizando, segurando o ímpeto vilanovense e controlando as ações da partida. Virou ataque lusitano contra as investidas em contragolpe do Vila Nova. Pelo lado da Lusa, o meia Paulinho e os laterais Julinho e Jonathan eram os mais acionados, pelo lado do Vila Nova, o meia Moisés era o responsável pelas principais chegadas ofensivas dos colorados goianos.

No segundo tempo, a pressão da Lusa se intensificou. e o Vila explorava ainda mais os espaços. O duelo ficou mais aberto, e as chances claras de gol aumentaram, muito mais pra Portuguesa, que já havia colocado uma bola na trave no primeiro tempo. O Tigre do Cerrado aproveitava também as chances que tinha em bolas paradas, todas elas levavam perigo ao goleiro Anderson, que fazia boa partida e fez ótima participação em diversas intervenções. Até que aos 32 minutos do segundo tempo, Ramires aproveitou uma sobra de bola na entrada de área e bateu, Anderson chegou a desviar, mas a bola e determinou o resultado final da partida. 1 a 0 para os mandantes.

A Portuguesa ainda chegou a colocar uma bola na trave aos 46 minutos do segundo tempo no chute de Diego Gonçalves, mas o placar não foi alterado.

Agora o jogo de volta será no Canindé, dia 17. A Portuguesa precisa vencer por 2 ou mais gols de diferença para se classificar, caso se repita o placar de 1 a 0 para os rubro-verdes, a decisão irá para pênaltis.

Por Rodrigo Ferreira

Mesmo com derrota na estreia, Peru sonha com vaga 36 anos depois


Depois do amargo sétimo lugar nas Eliminatórias para a Copa de 2014, a seleção peruana espera mudar completamente a imagem que passa hoje. Considerada um dos times mais fracos, o Peru conta com a continuação do bom desempenho na Copa América para tentar brilhar novamente.

A derrota na primeira partida não é necessariamente desanimadora, mas destaca algumas coisas que já eram esperadas. O problema principal da seleção é a grande dependência de Paolo Guerrero. O atacante, que não enfrenta uma boa fase no Flamengo, foi tão bem na Copa América que acabou na primeira lista dos Melhores do Mundo da FIFA. Entretanto, é visível que a recuperação apressada da última lesão ainda limita e muito sua capacidade.

Além disso, o elenco acaba pecando na marcação e deixa diversos espaços, o que foi fatal na derrota para a Colômbia. No entanto, ficou muito claro na última competição oficial e perceptível hoje que existem bons jogadores, mas falta acertar mais. Como aconteceu na Copa América, o Peru não começou a disputa com o pé direito, mas promete fortes emoções.

Sem conseguir uma classificação para a Copa do Mundo desde 1982, a seleção peruana espera repetir o excelente trabalho em equipe feito nos últimos meses. A fama de péssimo visitante, que vem graças ao terrível desempenho fora de casa, é algo que o time espera conseguir deixar para trás o mais breve possível. Ricardo Gareca foi eficiente em mostrar melhor seu trabalho e a expectativa é de que eles consigam, pelo menos, chegar à repescagem.

O Peru volta a campo na terça-feira (13), às 23:15, e enfrenta o Chile em casa, o que pode ser uma ótima forma de alavancar a campanha peruana nas Eliminatórias.

Mariana Sá || @imastargirl 

5 fatos históricos da NFL

The catch:

“A pegada” foi uma jogada ocorrida no dia 10 de janeiro de 1982, realizada pelo QB Joe Montana e o WR Dwight Clarke, do San Francisco 49ers, na partida conta o Dallas Cowboys, válida pela final da Conferência NFC e o vencedor iria disputar o Super Bowl. Faltando 55 segundos do fim do jogo e perdendo por 27–21, Montana se viu sem opções para lançar a bola e, com uma blitz ao seu encontro, se deslocou pela lateral, fez um lançamento muito alto que parecia ser para evitar o sack, e Clarke conseguiu se desvencilhar da marcação e, mesmo com seus quase 100 Kg, faz a recepção que viria a ser conhecida como "the catch". A vitória levou os 49ers ao Super Bowl e depois ao título, o quarto de Joe Montana.

Clarke no momento da recepção

O jogo mais frio da história:

A partida mais fria da história, considerando também a sensação térmica, aconteceu em janeiro de 1982, em Cincinnati, onde os Bengals, time local, enfrentavam os Chargers a uma temperatura de -51º C. Os jogadores dos Bengals chegaram até a colocar garrafas de água quente dentro das calças para aquecerem as mãos e acabaram por vencer o confronto por 27–7.

The Saints are coming:

Após o devastador furacão Katrina, que aconteceu em 2005, o Superdome, estádio do New Orleans Saints, serviu de abrigo para as vítimas da catástrofe e o time teve que mandar seus jogos em três cidades diferentes ao longo da temporada, o que resultou numa campanha de 3–13. Em 2006, o estádio seria reinaugurado em um Monday Night Football e a noite contou com shows das bandas U2 e Green Day. Um lindo bloqueio de punt e a vitória do time local marcaram o renascimento dos Saints.


Estatua na entrada do estádio que relembra o punt bloqueado por Steve Gleason

Reinauguração do Superdome, no dia 25 de setembro de 2006

Spygate:

A “Controvérsia sobre uso de vídeos”, ou “Spygate”, foi uma tática ilícita usada pelo head couch do New England Patriots, Bill Belichick, em 2007. O técnico gravou jogadas defensivas do New York Jets em partida realizada no dia 9 de setembro e, após investigações, a liga considerou Bill culpado e o puniu em $ 500.00,00 (a maior da Liga desde 1987), os Patriots em $ 250.000,00 e ainda  a perda da escolha na primeira rodada do Draft de 2008.

Beast Mode:

Em janeiro de 2011, na partida entre Seattle Seahawks @ New Orleans Saints na primeira rodada dos playoffs daquela temporada, o RB de Seattle, Marshawn Lynch, correu 67 jardas em 15 segundos, se esquivando de 9 tackles. O barulho da torcida foi tanto que os sismógrafos próximos ao estádio registraram dois graus na escala Richter.

O pai que sempre castiga o filho.

GETTY IMAGES
A cada dia que se passa, fica mais evidente qual o clube de maior expressão do futebol alemão. No grande duelo entre as duas maiores forças da Bundesliga, a primeira sempre se sairá melhor, e não foi diferente na Allianz Arena neste domingo pela oitava rodada do campeonato.

Com um início morno para ambos os lados, Bayern e Borussia não fizeram aquele começo de partida esperado por todos. Mas nem sempre tudo que não começa bom demora a melhorar. O jogo começou a esquentar após os 25' de partida.

Do campo de defesa, Boateng lançou Muller, que cara a cara com Burki “driblou” o arqueiro auri negro e chutou para o gol aberto. Bayern abre o placar.

Com o placar inaugurado, o Bayern não tomou piedade do Borussia, que em um contra ataque fatal, Thiago Alcântara invadiu a área, driblou Mkhitaryan que derrubou o meia bávaro, Pênalti. Muller bateu e converteu, Bayern em vantagem na Allianz Arena.

Aubameyang descontou após um cruzamento do Castro pela direita.

O segundo tempo já começou fervendo, e antes mesmo do primeiro minuto, Boateng novamente lançou para o ataque, mas dessa vez para Lewandowski que não perdoou seu ex-clube, é gol bávaro, é gol do artilheiro da Bundesliga.

Aos 9' mais um. Lewandowski recebeu de Gotze e de carrinho marcou mais um.

Fazendo uma partida excepcional, Gotze não poderia sair sem deixar o dele. Após uma sobra depois de um bate e rebate de Thiago e a defesa, o Mário aproveitou a sobra da bola e a colocou no fundo da rede.

RESULTADOS DA BUNDESLIGA

Sexta-feira
Darmstadt 2 x 3 Mainz 05
Sábado
Hoffenheim 2 x 2 Stuttgart
Hertha Berlin 3 x 0 Hamburgo
Hannover 1 x 0 Werder Bremen
Ingolstadt 2 x 0 Eintracht Frankfurt
Borussia Mönchengladbach 2 x 0 Wolfsburg
Domingo
Schalke 04 0 x 3 Colonia
Bayer Leverkusen 1 x 1 Augsburg
Bayern de Munique 5 x 1 Borussia Dortmund
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana