A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Competência e estrela: Bahia no G-4

No dia 1/12/1988 Bahia e Criciúma se enfrentaram pela Copa União no Heriberto Hulse. O Bahia vinha de um triunfo contra o Corinthians na Fonte Nova onde um jovem atacante da base havia marcado belíssimo gol aos 45 minutos do segundo tempo. Com o jogo empatado em 0 X 0, o então técnico Evaristo de Macedo decide dar nova oportunidade ao rapaz. Novo gol, novo triunfo. Arrancada para o título do campeonato Brasileiro e a confirmação de um nome que daria muitas alegrias ao torcedor tricolor: CHARLES FABIAN.

Esse pequeno FLASH-BACK – bem no espírito BACK TO THE FUTURE – é apenas para demonstrar como o futebol, além de uma caixinha de surpresas, é um ninho de coincidências. Charles acabou de ser efetivado como técnico do Bahia com a tarefa de conquistar uma vaga na série A 2016. Em seu caminho, mais uma vez, o Criciúma. Ano passado, na malfadada luta contra o rebaixamento, Charles já havia enfrentado e vencido a equipe catarinense pelo placar mínimo. Era necessário repetir a dose e seguir lutando para voltar à elite do futebol brasileiro.

O Criciúma que veio a Salvador já não possuía muitas aspirações. Com chances mínimas de conquistar acesso e de ser rebaixado, o aurinegro já iniciou a reformulação do elenco para a próxima temporada. A começar pela comissão técnica com a chegada de Roberto Cavalo e pela renovação do time, que possui bons jovens valores como Barreto e Maicon. Um adversário não menos perigoso por isso, pois jogava sem a pressão pelo resultado.

Imaginava-se um Bahia que pressionaria desde o início do jogo. Isso até aconteceu, mas a equipe de Charles novamente mostrou uma postura totalmente diferente da época de Sérgio Soares. Marcação forte, atrás da linha da bola, encaixes individuais por setor, transições rápidas e velocidade nas ações ofensivas. Um time REATIVO, porém com iniciativa no jogo e atitude para enfrentar o adversário. Faltava paciência para trabalhar a bola antes de chegar ao ataque, o que acabava forçando muitos lançamentos longos – foram 38 até o final do jogo. Após controlar a ansiedade, com Eduardo saindo do lado direito para o centro e Tiago Real e Paulinho Dias  trabalhando mais a bola pelo meio a equipe passou a criar oportunidades mais claras: Elas foram desperdiçadas em sequência, sendo a maior nos pés de Eduardo, concluindo mal boa trama com Kieza.

O time se ressentia de mais qualidade para concluir as jogadas: João Paulo Penha fazia excelente trabalho de recomposição, mas pecava quando chegava à frente, protagonizando até um lance BIZARRO ao tentar concluir uma jogada. Maxi se esforçava e conseguia, no máximo, ganhar lances esporádicos, desperdiçados logo em sequência por decisões erradas. O tricolor também chegava bem pelo alto, em bolas paradas e no apoio sempre consistente de João Paulo Almeida: Gol anulado e grande defesa de Luiz em conclusões de Gabriel – que se destacava também na defesa pela solidez e seriedade. Kieza jogando como referência era sempre o elemento mais perigoso, vencendo sempre os confrontos individuais contra a zaga catarinense, o que motivou Roberto Cavalo a substituir Joilson, amarelado, no intervalo.

Cavalo também tentou retomar o controle do meio campo no segundo tempo com a entrada de Wellington no lugar do atacante Bruno Lopes. Charles manteve o time da primeira etapa apostando no bom momento do final da primeira etapa. Bahia seguiu forçando o jogo, mas não conseguia ser objetivo: Pecava demais na finalização, foram 18 durante o jogo, com apenas 4 corretas. A entrada de Roger e Tchô tentaram mudar o panorama, porém foi a única mudança por contusão – Vítor no lugar de João Paulo Almeida – que acabou sendo decisiva: Cruzamento perfeito do prata da casa e cabeceio de ALMANAQUE do artilheiro Kieza aos 43 da etapa complementar. Gol sofrido, triunfo sobre a agonia, um a zero, placar mínimo e suficiente para manter o Bahia firme na briga pelo acesso. Ainda houve tempo para que Maxi protagonizasse um lance espetacular: Dois banhos-de-cuia [é assim que se fala na Bahia] dentro da área sobre os zagueiros e …conclusão que nos lembra que nem nasceu pra Biancucchi nunca fará como Messi.
Kieza comemora seu gol decisivo                                           Foto: Felipe Oliveira

Triunfo que serve para consolidar como correta a opção de Charles como técnico do Bahia. Em 1988 o jogo contra o Criciúma foi o último do garoto Charles como reserva. A partir dali a arrancada do Bahia rumo ao título brasileiro foi irreversível. Que as coincidências sejam um bom auspício ao clube: Estrela é algo que não falta a Charles Fabian e ao Bahia.




 

Líder Botafogo decepciona seus torcedores e perde para o Ceará

O Botafogo recebeu o Ceará, na noite desta terça, dia 20, no Nilton Santos, em jogo válido pela 30ª rodada, o qual havia sido adiado com a convocação de Jefferson para a Seleção Brasileira. Favorito pela posição que ocupa na tabela de classificação, o Glorioso apresentou um futebol pífio diante do Vozão, na zona de rebaixamento. Com pênalti inexistente, o Ceará fez o único gol da partida, que sacramentou a derrota do Botafogo. Com 59 pontos, ainda na liderança, o Alvinegro vai até a Arena Pernambuco encarar o Náutico, sábado, às 17h30.

O JOGO
Em ritmo lento, sem sangue e comprometimento, o Botafogo, talvez tranquilo até demais na Série B, fez uma péssima partida diante do Ceará, melhor durante todo o jogo. Trocando passes, marcando na pressão, o Vozão não dava espaços ao Botafogo, que pouco criou. E assim o primeiro tempo foi passando.

O Botafogo voltou com alterações para o segundo tempo. Octávio, o menino Vine, foi substituído por Daniel Carvalho, que trouxe mais dinamismo à equipe, que apresentou melhora, chegando mais ao ataque. Porém, aos 11 minutos, foi o Ceará quem abriu o placar em lance polêmico. Alex Amado invadiu a área e tocou rasteiro na saída de Jefferson. Mesmo sem tocar no jogador, o árbitro marcou pênalti. Ceará 1 a 0. Com isso, pressionado e sob vaias da torcida, o Botafogo errava muitos passes. Era mais provável o Vozão ampliar do que o Glorioso empatar.

Neilton não fez boa partida (Foto: Cleber Mendes/LANCE!Press)

OBSERVAÇÕES

O gol do Ceará saiu em um pênalti inexistente, porém, não foi esse o lance que determinou a derrota do Botafogo. O Ceará foi melhor durante o jogo todo. A vitória do Vozão foi merecida. O Botafogo não jogou absolutamente nada.

Ricardo Gomes escala Octávio e Tomas como se eles fossem o cérebro do time. E o pior é que a diretoria quer mantê-lo como o técnico.

Já viram a pose do Carleto para cobrar uma falta? Só falta ajeitar o cabelo e olhar para o telão, como o Cristiano Ronaldo. Bom, Champions ele já tem, né?

Daniel Carvalho, mesmo sem condições, é o jogador mais lúcido. Fora do campo, é melhor ainda. Sensato, declarou à rádio que o Botafogo esbarrou na péssima atuação e não jogou a culpa no pênalti inexistente.

Cadê Lulinha, Elvis, Bazallo? Todos eles são piores que Tomas e Octávio?

FICHA DO JOGO

Botafogo 0
Jefferson, Luis Ricardo, Renan Fonseca, Roger Carvalho, Thiago Carleto; Rodrigo Lindoso, Willian Arão, Tomas (Sassá), Octávio (Daniel Carvalho); Neilton, Álvaro Navarro. Técnico: Ricardo Gomes.

Ceará 1
Éverson, Tiago Cametá, Sandro, Carlão, Victor Luís; Baraka, João Marcos, Ricardinho, Wescley (Fabinho), Alex Amado (Julio Cesar); Rafael Costa (Wellington Carvalho). Técnico: Lisca.

Estádio: Nilton Santos (RJ).
Árbitro: Diego Almeida Real (RS).
Assistentes: Jose Eduardo Calza (RS) e Leirson Peng Martins (RS).
Gol: Rafael Costa (11' do 2º T).
Cartões amarelos: Jefferson e Neilton (Botafogo); Sandro (Ceará).
Público: 7.703.
Renda: R$ 177.735,00.

Por: Gabriel De Luca (@biel_dluca).

Confira dos resultados da semana 6 da NFL


Atlanta Falcons 21@31 New Orleans Saints
A equipe invicta de Atlanta teria tarefa difícil nessa rodada. Visitando os Saints no barulhento Superdome Stadium, eles teriam ainda pela frente os desesperados donos da casa precisando de vencer para ainda poder sonhar com a pós-temporada. Drew Brees, o QB de New Orleans teve uma noite inspirada, lançando para 312 jardas, com média de 8 jardas a cada lançamento. Mark Ingram também foi importante na vitória, carregando a bola vinte vezes para 46 jardas e ainda conseguiu dois TD's, superando a boa defesa dos Falcons.
Já pela equipe da Geórgia, nem a boa atuação do RB Devonta Freeman, que chegou a 100 jardas terrestres conseguiu manter a invencibilidade da equipe, que também perdeu a liderança da NFC Sul para o ainda invicto Carolina Panthers. Os Saints estão na lanterna da divisão com campanha de 2-4, mas se recuperando aos poucos na NFL.


Cincinnati Bengals 34@21 Buffalo Bills
O time de Cincinnati chegou a sua sexta vitória neste domingo e ainda figura entre o seleto grupo dos invictos. O ataque dos Bengals nem tomou conhecimento da boa defesa dos Bills e, em Buffalo, conseguiu com facilidade chegar à vitória e conquistar um caminhão de jardas, tanto aéreas como terrestres. O destaque do time vitorioso vai para todo o sistema ofensivo, que consegue ser explosivo e onde todos são fundamentais, sendo o principal exemplo de coletividade, atualmente, na liga.

Denver Broncos 26@23 Cleveland Browns
Peyton Manning não vive seu melhor momento. O QB dos Broncos, que já vem vivendo dias difíceis, sofreu uma interceptação logo na primeira campanha, ainda repetiu o feito mais duas vezes e não teve vida fácil. A franquia de Denver acabou começando melhor mesmo assim, mas os Browns voltaram para a segunda etapa muito mais atentos, o que deixou o jogo mais interessante. No fim, a partida acabou decidida por um field goal e o time visitante levou a vitória para casa.

Chicago Bears 34@37 Detroit Lions
O Lions finalmente venceu e exorcizou o fantasma do 0-16. Mas, antes disso, o time ainda sofreu muito e viu o jogo ir para a prorrogação. A primeira vitória da equipe na temporada veio apenas no tempo extra, com um field goal do kicker Matt Prater de 27 jardas, quando restava 2:33 no relógio. Matthew Stafford fez uma excelente partida, com 4 TDs lançados e mais de 400 jardas totais. Os WRs Lance Moore e Calvin Johnson conseguiram 1 TD e mais de 100 jardas recebidas cada, em 11 recepções somadas. Pelo outro lado, o destaque foi o WR Alshon Jeffery, que retornou à equipe após 5 semanas fora, e, mesmo não conseguindo evitar a derrota da equipe, conseguiu 8 recepções para 1 TD e 147 jardas.

Houston Texans 31@20 Jacksonville Jaguars
O Jaguars segue sem ter muita sorte na temporada e está cada vez mais longe dos playoffs. O ataque não funciona bem, o time sofreu com as três interceptações do QB Blake Bortles e não reagiu. Apesar de não ser mais saco de pancadas da liga, a franquia de Jacksonville não passou perto de bater o Texans.

Kansas City Chiefs 10@16 Minnesota Vikings
O Kansas City ainda não conseguiu encontrar seu melhor jogo. Mais uma vez os Chiefs vacilaram muito e acabaram chegando ao último quarto com 13x0 contra no placar. Os primeiros pontos vieram dos pés de Cairo Santos e pouco depois eles conseguiram esboçar uma reação com um TD. Entretanto, os Vikings conseguiram um FG e o QB Alex Smith falhou em duas campanhas, o que poderia ter originado a virada do time visitante.

Washington Redskins 20@34 New York Jets
Voltando da bye, o New York Jets não teve dificuldade alguma para vencer o Washington Redskins neste domingo. Os visitantes até conseguiu levar vantagem no primeiro tempo, chegando ao intervalo na frente do placar. Porém, uma segundata etapa horrível do QB Kirk Cousins, que  lançou duas INTs, somada a uma melhora significativa dos Jets, garantiu a vitória para o time da casa. Chris Ivory continua jogando muito bem, com 196 jardas totais e um touchdown.

Arizona Cardinals 13@25 Pittsburgh Steelers
Mesmo com Mike Vick como titular nos Steelers, não foi a franquia de Pittsburgh que teve mais problemas com o QB. A equipe de Arizona acabou sofrendo uma interceptação num momento crucial da partida e, mesmo com Vick sendo substituído por lesão, o novo QB Landry Jones ainda anotou dois TDs e deu a vitória ao time da casa.

Miami Dolphins 38@10 Tennessee Titans
Finalmente os Dolphins conseguiram uma boa vitória. Depois de algumas demissões na comissão técnica, a franquia de Miami bateu o Titans por um ótimo placar. O time de Tennessee teve alguns problemas graças a uma lesão de Mariota, mas o QB escolheu ficar em campo e acabou sofrendo mais do que o normal.

Carolina Panthers 27@23 Seattle Seahawks
A partida realizada no CenturyLink Field, em Seattle era uma freguesia da liga. Em 9 confrontos entre os times, o Seahawks tinha 7 vitórias contra apenas duas do seu oponente, os Panthers. Mas a história atual é bem diferente. O time de Carolina chegava invicto nessa semana 6, contra o inconstante Seattle que vinha de uma derrota dolorosa frente aos Bengals.

Nesse jogo, o time da casa começou com tudo pra cima do adversário, e dessa vez contava com o retorno de Marshawn Lynch, o que deixava o ataque mais ofensivo e o Quarterback Russel Wilson menos sobrecarregado, isso foi refletido no seu número de passes tentados, apenas 30. Ao chegar no último período do jogo, Seattle liderava por 20 a 7 e parecia que quebraria a invencibilidade dos Panthers.

Foi aí que voltou a acontecer o que vem sido a principal e indesejada característica do time na temporada e eles não conseguem atuar bem no quarto período e tão pouco segurar a vantagem. Liderados pelo hora besta, hora bestial Cam Newton, que nesse jogo atingiu 269 jardas em 20 passes certos, viraram a partida para 27 a 23 a trinta segundos do fim. O Tight End G.Olsen também foi importante nessa virada, recebendo sete bolas para 139 jardas. O mesmo serviu para o Running Back J. Stewart que anotou dois TD's.

Com mais essa derrota, os Seahawks tem campanha de duas vitórias e quatro derrotas, além de ter exaltado os nervos dos jogadores, que chegaram a discutir em campo e da desorganização da equipe ao tentar a desesperada jogada do "Hail Mary". Já o Carolina Panthers continua invicto com cinco vitórias e sonhando cada vez mais alto dentro da competição.


San Diego Chargers 20@27 Green Bay Packers
No confronto entre o inconstante San Diego Chargers contra o invicto Green Bay Packers, parecia que seria mais uma vitória fácil dos "Cabeça-de-queijo" ainda mais jogando no seu estádio. Mas a realidade foi bem diferente. A equipe da Califórnia usou bem a cabeça no jogo e forçou vários erros dos Packers, principalmente em falta, onde a equipe dona da casa perdeu 50 jardas. A pressão pra cima de Aaron Rodgers também intensa e ele foi derrubado três vezes, perdendo 18 jardas no total.

Mas Green Bay mostrou sangue frio e porque de ser um dos favoritos ao titulo. Com o jogo aéreo comprometido, o time resolveu ir por terra e conquistou 133 jardas pelo chão. Nem a boa atuação de Phillip Rivers e as inacreditáveis 548 jardas conquistadas ao longo da partida impediu a quarta derrota dos Chargers.


Baltimore Ravens 20@25 San Francisco 49ers
Que ano terrível para Baltimore. Os corvos não conseguem encaixar seu esquema de jogo de jeito nenhum, Flacco só decepciona e nem Justin Tucker conseguiu salvar. O 1-5 na tabela mostra a péssima temporada e o fim das esperanças de playoffs, mesmo que numericamente ainda haja uma chance. Já os 49ers, que vivem uma irregularidade parecida, conseguiram vencer em casa e, com uma campanha 2-4, ainda sonham com a vaga. A equipe de San Francisco espera, com esse resultado, ganhar um ânimo a mais para melhorar nas próximas partidas.

New England Patriots 34@27 Indianapolis Colts
Mesmo jogando em casa, Os Colts não conseguiram acabar com a sina de fregueses do Patriots e viram Tom Brady e companhia chegar a quinta vitória, continuando invictos. Indubitavelmente, o confronto do horário nobre do último domingo foi o mais aguardado até então, sendo o primeiro encontro das duas equipes após a polêmica do deflategate. No primeiro tempo, os dois ataques produziram bem, com os Colts indo para o intervalo vencendo por 21 a 20, graças a uma atuação ridícula da defesa patriota. Porém, no segundo tempo a defesa dos Patriots acordou e limitou os avanços do adversário e somente o time de Brady conseguiu produzir. O QB fez mais uma excelente partida, apesar da interceptação – a primeira dele na temporada – na qual nem teve culpa, terminando o jogo com três passes para TD e 312 jardas. Com Edelman e Gronk bem marcados, o principal alvo de Tom Brady foi o WR Amendola, com sete recepções para 105 jardas. Outro que merece destaque é “Blount force trauma” que, mais uma vez, sambou em cima da defesa do Colts.

New York Giants 7@27 Philadelphia Eagles
Essa partida entra fácil para a lista de piores jogos ruins da temporada. Algo bizarro ocorreu em Filadélfia e a partida foi praticamente toda de punts e turnovers. O jogo foi tão ruim que não era possível saber se eram as defesas que estavam muito boas ou os ataques péssimos. Os Eagles entraram no clima de Star Wars e deixaram que a força resolvesse a partida, porque se dependesse da linha ofensiva...

Dos seis times que começaram a rodada invictos, apenas cinco continuam.

Por Mariana Sá (@imastargirl), Janaína Wille (@jaanaw_) e Rômulo Vieira (@suppervieira).

Rakitic sai do banco e Barcelona "BATE" Borisov em Belarus

Com toque de Neymar e Ivan Rakitic, o Barcelona conquistou sua segunda vitória na Champions League. Sem Andrés Iniesta e Lionel Messi, restou ao brasileiro assumir a responsabilidade da equipe catalã e ele cumpriu bem o papel com um futebol alegre, envolvente e foi o dono de duas assistências nos gols da partida marcados pelo croata Rakitic.

Neymar vinha empolgado com os quatro tentos marcados no último fim de semana, frente ao Rayo, no Camp Nou. O plano de Luís Henrique era poupar alguns jogadores por causa do desgaste físico que a equipe vinha sofrendo, contudo a escolha de Sergi Roberto no lugar de Rakitic foi por água abaixo quando o espanhol sentiu uma lesão e foi substituído ainda no primeiro tempo.



Jordi Alba e Rakitic comemorando o gol.
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana