A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

domingo, 25 de outubro de 2015

Sai pra lá, zica! São Paulo volta a vencer e se aproxima do G4

Ganso acordado, Pato perdendo inúmeros gols e Kardec fazendo o gol 10 mil do São Paulo. Assim foi a vitória do Tricolor no Paraná.


Após uma sequência de resultados péssimos, Doriva consegue sua primeira vitória no comando Tricolor. Com gols de Kardec e Pato, São Paulo vence o Coxa por 2 a 1.

Os desfalques nessa partida não foram tantos como de outras, mas entre eles teve um importante. Luis Fabiano com dores musculares foi poupado para o jogo de quarta-feira, além dele Carlinhos e Breno continuam no REFFIS. Já Matheus Reis cumpre suspensão pela expulsão no jogo contra o Vasco. Sem Matheus, Doriva apostou em Reinaldo na lateral esquerda, enquanto Lucão e Luiz Eduardo fechavam a zaga.  No meio campo, Thiago Mendes e Rodrigo Caio eram os últimos homens, enquanto Ganso estava mais a frente perto do ataque. Nesse, estavam Michel Bastos e Pato nas laterais e Alan Kardec centralizado. 

São Paulo foi superior em toda 1ª etapa, as chances do Coritiba foram concebidas por erros da zaga são-paulina, além de o Coxa aproveitar o fato de Reinaldo estar em campo e jogar em suas costas. Logo no início Tricolor teve chance de abrir o placar com Pato e com Michel Bastos, mas o gol 10 mil da história do São Paulo, saiu com Alan Kardec. Ganso deu um lindo passe para Kardec que dominou dentro da área e bateu no canto, abrindo o placar do jogo. Aos 27' o grito de "ROGÉRIO CENI" saiu. Henrique recebeu dentro da área, driblou Rodrigo Caio e chutou, mas Ceni fez uma defesa espetacular. São Paulo teve chances de ampliar o placar com Pato - de novo - e Thiago Mendes. Porém, com tantos erros de finalização, aos 45' quem marcou foi o Coritiba. Luís Cáceres bateu por cima da zaga - mal posicionada - e empata para o Coxa.

Ganso foi um dos melhores em campo, fez 2 assistências.
No 2º tempo, o Coritiba voltou mais ajustado na marcação, logo o Tricolor não encontrou tantos espaços como na 1ª etapa. Porém o ajuste não durou por muito tempo. Aos 18' Alexandre fez uma boa tabela com Ganso na entrada da área, o meia fez um belíssimo passe (mais uma vez) para o Pato que dominou e fez um gol mais bonito ainda. Jogo ainda estava aberto, até que Henrique Almeida (ex-são paulino que dizia estar louco para marcar um gol em cima do São Paulo) foi expulso, após entrada em Luiz Eduardo. Com um a mais, o provável seria o Tricolor marcar mais gols, mas ao contrário, houve uma chuva de gols perdidos. Pato foi o rei. Assim o jogo terminou 2 a 1.

Essa semana será decisiva para o Tricolor, em campo e extra campo. Segunda (26/10) São Paulo será julgado pelo STJD por conta do caso Iago Maidana, que pode impedir contratações para a próxima temporada. Terça (27/10) haverá eleições para presidência do Tricolor, Leco - interino - contra Newton. Quarta (28/10) São Paulo tem o jogo de volta contra o Santos na Vila Belmiro, às 22h. No jogo de ida Tricolor foi derrotado por 3 a 1, logo necessita de no mínimo 3 gols de diferença para seguir no campeonato. 

Leco x Newton
No Campeonato Brasileiro, o São Paulo volta a se aproximar do G4 e chega aos 50 pontos - junto com Santos e Internacional -, porém o Tricolor fica em 5º por possuir menor SG que o Santos, mas maior que o do Internacional. Próxima partida, por esse campeonato, é contra o Sport, sábado (31/10), às 17h no Morumbi.

FICHA TÉCNICA
Local: Estádio Major Antônio Couto Pereira, Curitiba - PR
Cartões Amarelos: Rafael Marques e Ruy (COR); Luiz Eduardo, Rodrigo Caio e Alan Kardec (SP)
Cartões Vermelhos: Henrique Almeida (COR)
Gols: Luís Cáceres (COR); Alan Kardec e Alexandre Pato (SP)
Arbitragem: Marielson Alves Silva (BA), auxiliado por Elicarlos Franco de Oliveira e Marcos Welb Rocha de Amorim (ambos da BA)

CORITIBA:
Wilson; Ivan, Rafael Marques, Juninho e Carlinhos (Negueba); João Paulo, Luís Cáceres, Lúcio Flávio (Juan) e Ruy (Alan Santos); Kleber e Henrique Almeida. Técnico: Ney Franco

SÃO PAULO:
Rogério Ceni; Bruno, Lucão, Luiz Eduardo e Reinaldo; Rodrigo Caio, Thiago Mendes, Michel Bastos (Centurión) e Ganso; Alexandre Pato (Lyanco) e Alan Kardec (Rogério). Técnico: Doriva

Vitória da esperança: em jogo de cinco gols, Bragantino bate Luverdense

A chance é pequena, o caminho é difícil. São seis ponto de diferença para serem ultrapassados em seis rodadas. Mas, enquanto a chance existir, o Bragantino não vai desistir. E é com essa pequena esperança que o Massa Bruta entrou em campo para enfrentar o concorrente direto Luverdense. A vitória por 3x2 do Braga fez o time igualar a pontuação do rival da noite.

As duas próximas rodadas serão vitais para as possibilidades dos paulista: enfrenta o Atlético-GO, fora, e o Mogi Mirim (possivelmente já rebaixado), em casa. Seis pontos que podem colocar o time na briga para a reta final e não podem mais ser desperdiçados.

O Luverdense tem tabela semelhante, enfrentando Oeste e Boa Esporte e também precisa vencer as duas para poder sonhar com o acesso.

Leandro Silva comemora gol Bragantino Luverdense Série B (Foto: Fábio Moraes/ Futura Press/ Estadão)
Jogadores do Bragantino comemoram: o sonho do acesso ainda está vivo!
(Foto: Globo Esporte)

O JOGO

Apesar de ainda sonharem com o acesso, Bragantino e Luverdense fizeram pouco para entusiasmar o torcedor no primeiro tempo. Os primeiros quinze minutos foram praticamente sem nenhum lance de perigo de nenhum dos lados.

Aos 17 minutos, Chico bateu firme da entrada da área e assustou o goleiro Edson. O lance acordou o time da casa que passou a pressionar mais e, aos 23, conseguiu abrir o placar em um pênalti bem marcado. Leandro Silva bateu deslocando Edson. 1x0.

Se o gol poderia animar o jogo, aconteceu justamente o contrário. O Bragantino, satisfeito com a vantagem, passou a tocar mais a bola e ameaçar pouco a meta de Edson. O Luverdense até tentou uma pressão no final do primeiro tempo, mas sem grandes perigos para o goleiro Douglas.

No segundo tempo o jogo mudou completamente e, toda emoção que faltou no primeiro tempo, veio para os últimos 45 minutos.

Logo aos sete minutos, foi a vez dos visitantes ganharem um pênalti a favor. Tozin bateu muito mal e desperdiçou a possibilidade de empatar. Pouco depois, aos 12, veio o castigo: em cobrança de escanteio, Thiago Santos ficou livre para empurrar para o gol. 2x0.

A resposta veio rápida e, no primeiro ataque depois de levar o gol, os mato-grossenses descontaram com Luiz Otávio, de cabeça. Douglas teve uma leva colaboração. A empolgação em busca do empate foi esfriada com Rodolfo, que marcou o terceiro aos 20.


O terceiro gol foi um balde de água fria nos visitantes, que praticamente desistiram do jogo. O Bragantino passou a tocar mais a bola e deixar o tempo passar. Nem mesmo o segundo gol do Luverdense, já aos 45, conseguiu retomar a emoção da partida.

Fim do jejum: Jheimy marca dois e Sampaio Corrêa volta a vencer

Depois de longas seis rodadas sem uma vitória sequer, o Sampaio Corrêa finalmente fez as pazes com os resultados e marcou três pontos na tabela. O jogo contra o Paysandu foi difícil, cheio de alternativas para os dois lados, mas aproximou o Tubarão do G4: são apenas quatro pontos para o terceiro e quarto colocados. O Papão ficou com um ponto a menos, cinco atrás do G4.

Na próxima rodada, o Sampaio Corrêa vai enfrentar o ABC, fora de casa, precisando vencer para ficar ainda mais perto dos primeiros – o Bahia terá vida dura contra o líder Botafogo e pode perder ponto. Já os paraenses recebem o CRB e podem, enfim, fazer as pazes com a vitória também.

Jheimy comemora gol que fez pelo Sampaio após gol contra Paysandu (Foto: Biaman Prado / O Estado)
Autor dos dois gols do jogo, Jheimy liderou o Tubarão na vitória depois de um longo jejum
(Foto: Globo Esporte)

O JOGO

Em uma partida onde os dois times estão muito tempo sem vencer (sete jogos para os mandantes e seis para os visitantes), é normal esperar uma partida nervosa e com medo de errar. Não foi o que aconteceu no Castelão: os erros foram muitos, mas a partida foi aberta e bastante movimentada.

Forte em casa, o Sampaio Corrêa tratou de tomar as iniciativas e pressionou o Papão, não demorando a assustar os bicolores com um chute na trave. Em outra boa chegada, o goleiro Emerson apareceu bem e defendeu.

Aos poucos o Paysandu foi encaixando a marcação e equilibrando o jogo, inclusive passando a assustar. A primeira chance, porém, foi gerada pelo próprio Sampaio Corrêa: Raí recuou mal a bola e quase matou o goleiro Rodrigo Viana, que também apareceu bem minutos depois para fazer uma excelente defesa.

Quando vivia seu melhor momento na partida, o Papão tomou o gol. Em cobrança de escanteio e com direito a um bate rebate, Jheimy (sempre ele!) não perdoou e abriu o placar. 1x0. Depois do gol o jogo caiu de ritmo e poucas chances apareceram.

A segunda etapa foi completamente aberta e com muitas chances de gols para as duas equipes. Alternando oportunidades com Edgar e Nadson, o Sampaio Corrêa teve algumas chances de matar o jogo, mas parou em Emerson. Wellington também deu trabalho para Rodrigo Viana.

A melhor chance dos visitantes veio aos 35 minutos, quando Wellington desviou o cruzamento, a bola explodiu na trave e ainda pingou em cima da linha. O susto foi respondido com pelo Tubarão com uma bola na trave quatro minutos depois.

Absolutamente aberto, o jogo ficou maluco. O Paysandu foi com tudo para o ataque e deixou o goleiro Emerson praticamente como líbero: não foram poucas as intervenções necessárias longe da meta. A pressão bicolor e o contra-ataque do Tubarão deixavam claro que alguém ainda faria um gol.


Sorte dos mandantes que conseguiram matar o jogo, já nos acréscimos. Depois de perder alguns contra-ataques, Jheimy aliviou a tensão da torcida roubando uma bola da defesa do Papão e deslocando Emerson. 2x0.

Paysandu chega a sexta rodada sem vitória

Na trigésima segunda rodada da Série B, o Paysandu enfrentou o Sampaio Corrêa, no Estádio Castelão. Os dois clubes estavam quase que na mesma situação, enfrentavam uma “crise”, uma sequência sem vitórias, do lado do time maranhense, eram seis jogos em vencer, do lado bicolor, eram cinco. Esta tarde a vitória de um diminuiria as chances do outro de chegar a Série A e aumentaria a “crise” do outro lado. E na tarde de hoje, o Paysandu agarrou a crise e perdeu, chegando a sexta rodada seguida sem vencer.
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana