A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

domingo, 1 de novembro de 2015

Com show de Nadson, Sampaio Corrêa cola no G4

Nem apenas dos gols de Jheimy vive o Sampaio Corrêa. Em uma noite pouco inspirada do seu grande goleador, o Tubarão contou com uma noite mais do que inspirada de Nadson, autor de três gols, para bater o fraco time do ABC fora de casa. A vitória deixou a Bolívia Querida apenas um ponto atrás do G4, contando com o tropeço do Bahia.

Não que tenha sido fácil. Mesmo praticamente rebaixado, o time potiguar estava disposto a presentear a torcida com uma vitória – uma das poucas mesmo dentro de casa. E com essa disposição apresentada o time mandante conseguiu igualar e complicar o jogo nos primeiros vinte minutos.

Nadshow! Com três gols, meia comandou vitória do Sampaio em Natal.
(Foto: Globo Esporte)
Depois de um começo irregular, os visitantes acertaram a marcação e passaram a levar muito mais perigo do que os potiguares. O próprio Jheimy, em noite muito ruim, perdeu dois gols incríveis que poderiam custar caro no resultado final. Não custaram porque ele mesmo se redimiu e fez um bom pivô para Nadson marcar já nos instantes finais da primeira etapa.

Depois do intervalo o jogo manteve um bom ritmo. Precisando vencer para sonhar com a salvação, o ABC foi com tudo para o ataque e deixou toda defesa exposta – uma cena comum para o torcedor potiguar que viu seu time perder vários duelos dentro de casa pela pressa em marcar seu gol.

Antes dos dez minutos foram criadas duas ótimas oportunidades para marcar o segundo gol do Sampaio Corrêa, com boa colaboração da zaga adversária. Léo Salino perdeu a primeira e Henrique a outra. Como quem não faz leva, Bismarck empatou o jogo aos 13 minutos.

Uma partida fácil que poderia se complicar, não fosse a inspiração de Nadson que, com boa ajuda em jogada de Válber, marcou o segundo gol cinco minutos depois e esfriou a torcida do ABC.

O gol foi um balde de água fria nas pretensões potiguares e o ímpeto baixou bastante. Faltava apenas matar o jogo e garantir os três pontos e foi o que fez o Sampaio. O golpe de misericórdia tinha que ser do dono da noite: Nadshow! Ele recebeu lançamento e bateu no canto. 3x1. O ABC ainda conseguiu descontar nos acréscimos, mas teve pouco tempo para buscar o empate. Placar final em Natal: 3x2.

O Sampaio Corrêa aguarda os resultados da próxima semana para saber se entra em campo no próximo sábado, diante do Oeste, com chances de voltar ao G4. O ABC visita o concorrente direto Ceará em jogo que pode decretar a queda dos potiguares.

15 seguidas e contando...


Em prévia da grande final da Copa do Brasil, Santos e Palmeiras se enfrentaram em jogo válido pela 33ª rodada do Brasileirão. Num jogo muito pegado e truncado, prevaleceu a força ofensiva do Peixe, que venceu sua 15ª partida seguida dentro da Vila Belmiro e se mantém mais uma rodada do G-4.

Sem poupar ninguém, os dois lados entraram com o que tinham de melhor em campo, já que o confronto valia diretamente uma vaga entre os 4 melhores clubes da competição e uma possível vaga para Libertadores do ano que vem.

O JOGO

A partida começou muito pegada, com chegadas fortes e marcação cerrada, mas o Peixe jogava melhor e abriu o placar aos 27 minutos com Tiago Maia, após belo cruzamento de Zeca. O Palmeiras equilibrou as ações no primeiro tempo e chegou a acertar a trave com o garoto Matheus Sales, mas saiu derrotado nos primeiros 45 minutos.

Na segunda etapa o Peixe veio com tudo. Logo as 3 minutos, após belíssimo cruzamento de Gabriel, Ricardo Oliveira subiu sozinho para anotar o segundo gol do Santos e o seu 20º no campeonato, se isolando cada vez mais na artilharia da competição, sem concorrentes.


Daí pra frente foram diversas as oportunidades desperdiçadas, tanto nos contra ataques, quanto em finalizações dentro da área pela equipe santista. E como quem não faz, leva, aos 29 minutos Dudu fez excelente tabela com Barrios e contou com desvio na zaga para diminuir o placar, mas a reação parou por aí e a vitória foi do Peixe.

É a 15ª vitória do Peixe dentro da Vila Belmiro e a 16ª com mandante, desde a chegada de Dorival Jr no comando, não houve outro resultado senão vitória dentro de casa. E com os 3 pontos de hoje, o Santos chegou aos 53 e retomou a 4ª posição, que era provisoriamente do São Paulo, que também tem 53 pontos. Já o Palmeiras, estacionou nos 48 pontos e amarga a 9ª posição, ficando mais longe da vaga para Libertadores, via Campeonato Brasileiro.

Na próxima rodada, o Peixe visita o lanterna Joinville, domingo ás 18h (horário de Brasília) e o Palmeiras, recebe o Vasco, no mesmo dia, porém ás 17h.

FICHA TÉCNICA:
SANTOS 2 x 1 PALMEIRAS


Data: 1º de novembro de 2015, domingo

Horário: 17h (horário de Brasília)
Local: Vila Belmiro, em Santos-SP
Público: 11.767 torcedores 
Renda: R$ 491.655,00 
Árbitro: Pericles Bassols (Fifa-RJ)
Assistentes: Rodrigo Henrique Correa (Fifa-RJ) e Luiz Claudio Regazone (RJ)
Cartões amarelos: Zeca, Gabriel e Gustavo Henrique (SAN); Fernando Prass, Dudu, Zé Roberto e Thiago Santos (PAL)
Cartão vermelho: Cristaldo (PAL)

GOLS:
SANTOS: Thiago Maia, aos 27 minutos do primeiro tempo; Ricardo Oliveira, aos 3 minutos do segundo tempo
PALMEIRAS: Dudu, aos 29 minutos do segundo tempo

SANTOS: Vanderlei; Daniel Guedes, Gustavo Henrique, David Braz e Zeca; Renato, Thiago Maia e Lucas Lima (Serginho); Marquinhos Gabriel (Alison), Gabriel e Ricardo Oliveir. Técnico: Dorival Junior


PALMEIRAS: Fernando Prass; Lucas (João Pedro), Jackson, Vitor Hugo e Zé Roberto; Thiago Santos, Matheus Sales (Allione) e Robinho; Dudu, Gabriel Jesus e Barrios (Cristaldo). Técnico: Marcelo Oliveira
Pedro Henrique  |  @peeedrito17

Onde estamos após 33 rodadas

(Foto: Flamengo)
Desesperador. Essa palavra resume de forma simples o que está sendo o fim de ano rubro-negro. Fora de campo, o clima hostil da eleição do clube já era motivo suficiente para desequilibrar o ambiente. Para completar, os conflitos diretos com jogadores, que renderam cinco afastamentos por indisciplina no meio da semana, só deixam o elenco mais desestabilizado. O que diabos está acontecendo?

É inadmissível que um time passe por isso tudo na reta final do campeonato. Cinco atletas foram afastados durante a semana, mas todos eles já poderiam ter sofrido as conseqüências da irresponsabilidade antes. Não importa se são titulares, não interessa se foram importantes em algum momento. Todos desrespeitaram absurdamente a torcida e o clube, além de ignorarem totalmente o momento vivido. Não dá pra aceitar uma coisa dessas.

Hoje o elenco é frágil e, sem dúvida nenhuma, despreparado. Essa instabilidade não é só técnica, é principalmente emocional. Oswaldo sobe cada vez mais meninos do sub20 – que é insistentemente criticado pelo fraco trabalho feito na base –, os mais jovens parecem ter um constante nervosismo de estreia, os experientes não sabem controlar os ânimos, não há liderança em campo. Onde está o capitão para trazer a estabilidade do time? Como é que uma equipe que deseja conquistar qualquer coisa não consegue se recompor depois de tomar um gol?

Não interessa se Guerrero foi expulso injustamente. Não interessa se o time jogou bem o primeiro tempo. No fim de tudo, o trabalho inteiro desmoronou depois de uma falha defensiva absurda, que resultou no primeiro gol adversário. Após o lance, o desequilibro psicológico foi o fator que decidiu a derrota, como aconteceu em outros vários jogos. Cadê o acompanhamento dos atletas, para que esse tipo de coisa pare de acontecer?

Agora já não disputamos nada. O Flamengo hoje está em busca de si mesmo e recolhe os cacos para o ano que vem. É muito claro que 2016 já começa difícil e conturbado. Oswaldo não deve permanecer, a diretoria de futebol deve ser reformulada, assim como o presidente pode sair. Vários jogadores devem ser dispensados ou emprestados, assim como alguns devem chegar ou voltar ao clube.

Não há muito que fazer, mas o time, por respeito e gratidão a torcida, precisa se empenhar nos próximos jogos. Dos cinco restantes – Goiás, Santos, Ponte Preta, Atlético-PR, Palmeiras – é difícil dizer quantos pontos sairão. É torcer, rezar e esperar por qualquer coisa.

Mariana Sá || @imastargirl 

Nada como um Bacalhau para acabar com a ressaca


Depois de uma eliminação injusta na Copa do Brasil, nada melhor do que pegar o último colocado do Brasileirão e ganhar três pontos. O jogo contra o Vasco serviu para levantar a moral do time e ir com tudo para as rodadas restantes. É uma boa chance para quem quer ficar mostrar serviço e uma excelente hora para montar a lista de dispensa.

Com um a mais, Chapecoense não sai do zero a zero contra Atlético PR

Weverton foi o destaque da partida, impedindo o Verdão de balançar as redes. (Foto: Francieli Costante)

A gordura que nenhum gremista quer queimar

Após alguns resultados nem tão satisfatórios, o Grêmio, enfim, voltou a vencer e a somar pontos fundamentais para manter a gordura, tão desejada, no G-4. Tudo isso, graças a Everton e Bobô, que saíram do banco de reservas para, praticamente, carimbar o passaporte do Grêmio rumo à Copa Libertadores 2016. O jogo marcou, ainda, a manutenção de um tabu: há 21 anos, jogando pelo Brasileirão, o Flamengo não sabe o que é vencer o Grêmio jogando no Sul.

Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA

Em jogo encharcado, Cruzeiro empata na Ressacada

 Nesse sábado(31) a Raposa visitou o Avaí  em partida válida pela  33° rodada do brasileirão, em busca de continuar com sua invencibilidade dos últimos jogos, já time catarinense que está há seis jogos sem experimentar o gosto da vitória procurava reencontrar o caminho do triunfo diante da equipe mineira porém,  o Cruzeiro almeja o G-4 e apesar da necessidade de três pontos das duas equipes e as condições do campo alagado, os times não puderam mostrar o futebol que todos esperavam e o confronto terminou em empate de 1x1 quem marcou o gol dos catarinenses foi Rômulo e o gol cruzeirense saiu dos pés de Damião que encerrou seu jejum de 4 meses sem balançar as redes.

Sobre o jogo:

  A chuva antes da partida foi um dos principais adversários de Cruzeiro e Avaí, as equipes encontraram dificuldades parar armar suas jogadas e fizeram um jogo taticamente abaixo do esperado, apesar da Raposa ter mais presença no ataque, só levou perigo ao gol de Vagner aos 24 minutos em cobrança de escanteio de Arrascaeta, Bruno Rodrigo cabeceou no meio do gol defendido pelo goleiro catarinense.

 O time comandado por Mano Menezes teve outra oportunidade de abrir o marcador, aos 38 minutos em um bom lançamento de Fabrício para o Uruguaio, Arrascaeta de frente pro goleiro do Avaí, dividiu a bola que acabou saindo pelo lado direito do gol, alguns minutos depois novamente com Arrascaeta que recebeu de fora da área e finalizou para fora.

Enquanto o Cruzeiro preocupava com uma forma de acertar nas finalizações, o time avaiano se limitava em marcar os jogadores cruzeirenses e desse modo, só levou susto ao camisa 01 cruzeirense ao final do primeiro tempo com cruzamento para área e André Lima se esforçou para alcançar a bola, mas ela foi para fora, sem muitas delongas a primeira fase foi encerrada.

Segundo tempo:

 A mesma situação acompanhou os times para o segundo tempo, o fator campo não ajudava e uma partida tensa e pesada já era de se esperar, mas o Time do Povo mais organizado taticamente teve a primeira chance de tirar o 0x0 do placar nos minutos iniciais com Willian, o camisa 25 recebeu pela esquerda e se aventurou, a bola foi pro lado de fora da rede, as jogadas da Raposa se resumia em Willian, Arrascaeta.

Em um lance de sorte, no primeiro ataque catarinense Rômulo abre o placar no estádio Ressacada, jogada na intermediária, Rômulo arriscou de muito longe, acertou no ângulo do goleiro Fábio, sem chances de defesa.

Mano Menezes novamente apostou em suas substituições e decidiu colocar Leandro Damião e Júlio Baptista com a intenção de deixar o time mais ofensivo, o reconhecimento das substituições venho aos 15  minutos finais, em lançamento pela direita em falha da zaga do Avaí, Willian conseguiu um cruzamento para Damião empatar de carrinho e evitar a derrota celeste fora de casa : 1x1.

Com esse resultado o Cruzeiro sobe mais uma posição e está na 10° posição e vê corrida pelo G-4 mais distante, o que antes era seis pontos, agora são oito pontos e seu próximo adversário será o São Paulo no Mineirão, no domingo(08).

@Paulinha_CEC


FICHA TÉCNICA:

AVAÍ 1x1 CRUZEIRO


Motivo: 33ª rodada, Brasileirão 2015

Data/hora: 30/10/2015, às 19h30 (Brasília)
Local: Estádio da Ressacada, em Florianópolis
Árbitro: Raphael Claus (FIFA/SP)
Assistentes: Alex Ang Ribeiro (SP) e Marcelo Bertanha Barison (RS)



GOLS: Rômulo, 6'2ºT (1-0); Leandro Damião, 29'2ºT (1-1)
Cartões amarelos: Camacho, Eduardo Neto, Jubal (AVA), Charles, Marcos Vinícius (CRU)
Cartão vermelho: Não teve.
Público/Renda: 5.345 pagantes/R$75.134,00



AVAÍ: Vagner, Nino Paraíba, Antonio Carlos, Jubal e Romário; Renan (Anderson Lopes - 33'2ºT), Eduardo Neto e Camacho (Marquinhos - 26'2ºT); Rômulo, Everton Silva (Tinga - 33'1ºT) e André Lima. Técnico: Gilson Kleina.



CRUZEIRO: Fábio; Ceará (Fabiano - Intervalo), Manoel, Bruno Rodrigo e Fabrício; Charles (Leandro Damião - 10'2ºT), Henrique e Ariel Cabral; De Arrascaeta (Júlio Baptista - 23'2ºT), Willian e Marcos Vinicius. Técnico: Mano Menezes.

Em jogo difícil, Papão goleia CRB e volta a briga pelo G4

Cearense comemorando o 4° gol bicolor.
Foto: Fernando Torres

Paysandu 5x1 CRB

Quem não viu o jogo e olha este placar, pensa que foi conquistado com facilidade e maestria, mas não, em jogo pegado, de erros e redenções, o Paysandu se superou, goleou o CRB, e afastou de vez a crise na Curuzu, assim, voltando a briga pelo acesso a serie A.

O dia 31 de outubro amanheceu nublado, a tarde era chuvosa, mostrando como foi o mês bicolor, instável. O Paysandu entrava em campo pressionado, após 6 jogos sem vitorias, e se afastando da briga pelo acesso, já o CRB, time do ex técnico bicolor Mazola júnior, vinha sem muitas pretensões no campeonato.

Os 15.002 torcedores que compareceram ao mangueirão presenciaram um primeiro tempo difícil para o bicolor paraense, pois o time continuava com os mesmos erros de outros jogos, como a falta de movimentação e criatividade do meio de campo, muitos passes errados e a lenta saída de bola; Enquanto o CRB, marcava forte, com linhas avançadas, dificultando a vida bicolor. O time de alagoas chegava com perigo nos contra ataques com Gerson Magrão e Zé Carlos, onde Ricardo Capanema e Gualberto falhavam, deixando espaços para as chegadas. O jogo seguia e o panorama seguia o mesmo, o galo chegando com perigo e o bicolor sem conseguir criar uma grande jogada de perigo, ate que aos 27' minutos de jogo, Ricardo Capanema escorrega com a bola, Gerson rouba e toca para Zé Carlos estufar a rede do goleiro Emerson. A partir do gol, o Paysandu se perdeu em campo, a torcida se dividia entre apoiar o time e xingar jogadores e técnico, o CRB continuava em cima até que teve a chance do segundo gol com Zé Carlos que contou com grande defesa de Emerson.

Fiel presente no estádio.
Foto: ASCOM/ Paysandu
O que o torcedor esperava era o fim do primeiro na esperança do time se reorganizar em campo, quando aos 42' minutos, o Paysandu pressionou com 3 escanteios seguidos, e no ultimo, Aylon se adiantou da zaga, e empatou para o Bicolor paraense e delírio da torcida, apesar de todos os erros, o time achou um gol no fim do primeiro tempo que deu calma ao time para se acertar e virar no segundo tempo.

E foi o que aconteceu, o papão voltou com uma nova postura, mais ofensiva, pressionando o galo da pajuçara na sua defesa, tanto que em 5 minutos de jogo, o bicolor criou três chances de perigo com grandes defesas do goleiro adversário, mais que em todo primeiro tempo. A jogada aérea era a grande arma bicolor com Fahel, Aylon e Cearense na área e Wellington Júnior, João Lucas e Yago Pikachu servindo.

E uma das coisas que faz o futebol ser tão amado, esta é a sua imprevisibilidade, Ricardo Capanema que falhou no gol do CRB no primeiro tempo, aos 24' minutos do segundo em falha da defesa e finalização de Leandro Cearense, aproveitou o rebote e fez o gol da virada bicolor para explosão de alegria da massa bicolor, a redenção do mito no mesmo jogo.

Elenco unido comemorando o gol da virada bicolor.
Foto: Fernando Torres
O time mostrava uma nova postura, vibrante, com vontade de vencer, e com a torcida gritando forte e empurrando, o papão chegou ao terceiro gol com 29' minutos em cruzamento de Yago Pikachu para Leandro cearense que cabeceou e no rebote estufou a rede do galo da pajuçara, era seu 8° gol na série B, superando o lateral Yago Pikachu com 7° gols, era o gol para dar segurança para o time no jogo, mas o time paraense continuava em cima, e aos 35” João Lucas arrancou e chutou na trave, o 4° gol era questão de tempo, pois o CRB estava completamente perdido em campo, não levava perigo a meta bicolor, e aos 42' minutos, o gol veio, e um golaço, Leandro cearense recebeu a bola, e chutou consciente lá onde a coruja dorme decretando a primeira goleada bicolor nessa serie B, e vinha mais por aí, em mais uma falha da defesa alagoana, Wellington Júnior não perdoa e faz um golaço de cobertura. 5x1 no placar, virou Passeio!!!!

Wellington Júnior comemorando o 5° gol bicolor.
Foto: Fernando Torres
E assim acabou o jogo, apesar de um primeiro tempo ruim, o Paysandu com raça, vontade e energia renovada, e muito apoio das arquibancadas, virou e goleou por 5 tentos a 1 o fraco time alagoano. Chegando aos 52 pontos na sétima colocação, e a 2 pontos do G4, voltando a briga pelo acesso. Agora é continuar acreditando e apoiando nos 5 jogos que restam, a próxima batalha é um jogo chave nessa briga, contra um adversário direto, onde enfrenta fora de casa, o América Mineiro, 2° colocado nessa serie B, e a 5 pontos de distancia do bicolor. Com um único desfalque importante, Ricardo Capanema que recebeu o 3 amarelo.

Frases do jogo:

Welinton Junior, atacante do Paysandu: "Fui feliz e pude ajudar. Dei passe, fiz gol. Placar maravilhoso. E mostra que estamos na briga. Essa garra e determinação precisa ser em todos os jogos"

Leandro Cearense, artilheiro do Paysandu na série B: "Gol belo, mas o mais importante foi a vitória. Feliz demais pela vitória. É a vitória da arrancada".

FICHA TÉCNICA

PAYSANDU: Emerson (Ivan); Yago Pikachu, Pablo, Guablerto e João Lucas; Fahel, Ricardo Capanema (Sérgio Manoel) e Augusto Recife (Jhonnatan); Leandro Cearense, Aylon e Wellington Junior.
Técnico: Dado Cavalcanti

CRB-AL: Juliano; Bocão, Diego Jussani, Gabriel e Gleydson Souza; Olivio, Glaydson Almeida e Gerson Magrão; Ricardinho (Klebinho), Wellington Saci e Zé Carlos (Isac).
Técnico: Mazola Jr.

ÁRBITRO: Rodolpho Toski Marques (PR)
ASSISTENTES: Ivan Carlos Bohn e Moisés Aparecido de Souza
CARTÕES AMARELOS: Aylon (PSC) ; Diego Jussani, Juliano, Olivio e Gabriel (CRB)

RENDA: R$ 161.068,00
PÚBLICO PAGANTE: 13.502
CREDENCIADOS: 1.500
PÚBLICO TOTAL: 15.002

LOCAL: Estádio Olímpico do Pará, Mangueirão (Belém/PA)

"Enquanto houver 1% de chance, terei 99% de fé"

Eduardo Maya
@eduardomaya7

Botafogo vence o Bahia e se aproxima cada vez mais da elite

O Botafogo recebeu o Bahia no Estádio Nilton Santos, na tarde deste sábado (31), pela 33ª rodada da Série B. Após vitória convincente fora de casa sobre o Náutico, o Glorioso, empurrado pelos mais de 20 mil torcedores que foram ao jogo, fez o simples e venceu com gol solitário de Neilton. O Botafogo é mais líder do que nunca, agora com 65 pontos, 8 a mais que o vice América-MG. A vaga na Série A pode ser confirmada matematicamente na semana que vem, quando o clube visita o Criciúma, sábado, dia 7, às 17h30. 

O JOGO

Botafogo e Bahia fizeram uma partida equilibrada. O Glorioso, aos 10 minutos, chegou com perigo à área do Bahia. Neilton, após belo chapéu, chutou. A bola resvalou em Sassá e depois sobrou para Camacho, que de carrinho tentou abrir o placar, mas o goleiro Douglas Pires ficou com a bola.  Aos 12', Thiago Carleto bateu falta rasteira com força. O goleiro do Bahia mais uma vez defendeu. 

O time baiano quase fez o gol aos 20 minutos. Gabriel Valongo subiu mais que todos e cabeceou com força. Jefferson se esticou e fez milagre ao defender. Aos 22', o Botafogo respondeu. Daniel Carvalho, na entrada da área deu belo passe para Sassá, que com um toque tentou fazer o gol. Douglas Pires, com a ponta dos dedos, desviou na bola, que tocou a trave. 

Aos 31', Daniel Carvalho, da intermediária, fez lançamento longo. A bola passou por Sassá e Neilton, que não conseguiram o desvio. Pouco tempo depois, aos 34', Kieza recebeu dentro da área e chutou. Jefferson, o melhor goleiro do Brasil (Chupa, Dunga!), salvou com os pés. No rebote, Renan Fonseca travou o chute de Roger, que se preparava para finalizar. 

Aos 44', Sassá teve que ser substituído por Ronaldo e saiu de maca após entorse no joelho. Aos 47', o primeiro tempo chegou ao fim. 

O segundo tempo começou agitado, com o Botafogo tendo gol anulado logo aos 2 minutos. Ronaldo, de cabeça, ajeitou a bola para Neilton, que fez o gol, porém, a arbitragem marcou falta de Ronaldo no início do lance. 

Mas aos 5 minutos, o gol botafoguense enfim saiu. Neilton passou pelo meio e achou Ronaldo dentro da área, que de calcanhar devolveu a bola para Neilton. O atacante apenas tirou do goleiro e abriu o placar. Botafogo 1 a 0.  


Neilton comemora o único gol da partida (Foto: Vitor Silva/SS Press)

O Glorioso não parou e foi em busca do segundo gol instantes depois. Thiago Carleto pegou sobra na entrada da área e arriscou. A bola tirou tinta da trave.  

Autor do gol, Neilton foi substituído sob aplausos por Lulinha aos 19 minutos. 

Com posse de bola do Bahia, que havia crescido na partida, Ricardo Gomes promoveu a terceira e última alteração no Glorioso. Camacho saiu para a entrada de Diego Jardel, que aos 33', emendou e assustou o goleiro Douglas Pires. Aos 40', Ronaldo perdeu chance clara. Pela diagonal, Willian Arão tocou para o atacante, que em velocidade ajeitou o corpo e errou na hora de finalizar. 

Nos minutos finais, o Bahia tentou pressionar um Botafogo bastante recuado. Aos 44', Maxi Biancucchi, de voleio, mandou a bola para o meio do gol. Jefferson, atento, evitou o empate. Aos 49', o jogo foi encerrado. Vitória magra mas suficiente do quase garantido na elite, Botafogo. 


OBSERVAÇÕES

O Botafogo está 99,9% garantido na Série A, como gostam de dizer os matemáticos. Sábado pode confirmar o acesso caso derrote o Criciúma. Se perder, ainda pode garantir a vaga, dependendo dos demais resultados da rodada. 

Neilton foi muito bem na partida. Fez o gol e buscou o jogo durante todo o tempo em que esteve em campo. Mas o meu destaque vai para Renan Fonseca, que foi MONSTRUOSO no jogo. Não é um baita zagueiro, mas atua com seriedade, o que é essencial para um jogador de sua posição.

O forte sol castigou os torcedores, que mesmo assim compareceram ao estádio (Aleluia!) e apoiaram do início ao fim. 


 A torcida aguentou o sol forte e comemorou a vitória (Foto: Vitor Silva/SS Press)

FICHA DO JOGO

Botafogo 1
Jefferson, Luis Ricardo, Renan Fonseca, Roger Carvalho e Thiago Carleto; Rodrigo Lindoso, Willian Arão, Camacho (Diego Jardel), Daniel Carvalho; Neilton (Lulinha), Sassá (Ronaldo). Técnico: Ricardo Gomes.

Bahia 0
Douglas Pires, Railan (Maxi Biancucchi), Gabriel Valongo, Gustavo, Vitor Costa; Paulinho Dias, Souza, Tiago Real (Rômulo), Eduardo; Kieza, Roger (João Paulo). Técnico: Charles Fabian. 

Estádio: Nilton Santos (RJ).
Árbitro: Daniel Nobre Bins (RS).
Assistentes: Alexandre Pruinelli (RS) e Elio Nepomuceno (RS). 
Gol: Neilton (5' do 2º T). 
Cartões amarelos: Thiago Carleto (Botafogo); Gustavo, Vitor Costa e Eduardo (Bahia). 
Público: 20.038.
Renda: R$ 578.320,00. 

Por: Gabriel De Luca (@biel_dluca).

Ei, você aí, o Bota vai subir!!! 

←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana