A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Braga joga bem, bate Mogi e dorme no G4

Um massacre. Assim pode ser definido o duelo entre Bragantino e Mogi Mirim, jogo que marcou a abertura da 34ª rodada da Serie B. Nada muito diferente do esperado de um confronto entre um time aspirante ao acesso contra outro que confirmou seu rebaixamento na última rodada ao perder em casa para o Ceará.

Nem mesmo o gol do Mogi, marcado aos 24 minutos do primeiro tempo, assustou a torcida da casa que colocou um bom público no Nabizão. O domínio foi praticamente total em toda primeira etapa, mas esbarrou em um inspirado goleiro Daniel que fez cinco boas intervenções ao longo dos primeiros 45 minutos.

Com dificuldade em entrar na área do Sapão, o Massa Bruta passou a arriscar de longe após o gol sofrido. Primeiro com Thiago Santos, depois com Chico. Em ambas Daniel se saiu bem e salvou o empate.

Seria injustiça demais um primeiro tempo tão bom terminar em derrota, ainda que enfrentando um goleiro adversário em noite iluminada. Daniel pegou quase tudo que foi em direção à sua meta, mas não alcançou a ótima cobrança de falta de Alan Mineiro, já aos 40. 1x1.

Alan Mineiro Bragantino Mogi Mirim (Foto: Fábio Moraes/ Futura Press/ Estadão Conteúdo)
Alan Mineiro marcou dois gols na importante vitória contra o Bragantino.
(Foto: Globo Esporte)
Se o primeiro tempo foi quase todo do Bragantino, o segundo foi inteiro do time da casa. Com exceção de um chute de longe, o Mogi se limitou a defender a meta de Daniel todo restante da partida – e o fez muito mal.

Antes dos vinte minutos foram quatro chances reais de marcar para o Massa Bruta, sempre esbarrando no goleiro Daniel ou na má pontaria dos atacantes, como Rodolfo que perdeu gol na pequena área logo aos 3 minutos.

O gol parecia questão de tempo e, ironicamente, veio justamente com uma pequena colaboração do vilão da noite: Daniel não conseguiu segurar a cobrança de falta de Jocinei, ainda que tenha sido um chute forte, e Thiago Santos apenas empurrou para a redes para delírio da torcida no Nabizão.

O gol não mudou a postura dos visitantes que, sem nenhuma aspiração na competição, pouco fizeram para assustar a meta de Douglas, mero espectador por boa parte do duelo. As melhores chances continuaram com o Braga, que matou o jogo com uma bomba de Alan Mineiro, já no final do jogo.

Jogadores comemoram: Braga sente o gostinho do G4 pela primeira vez.
(Foto: Futebol Interior)


A vitória foi fundamental para o Bragantino que, ao menos até sexta-feira, pode ficar no G4 – fato inédito em toda série B. Pela quantidade de adversários, é provável que o Massa Bruta deixe a quarta posição até sábado, porém segue forte na briga. O próximo duelo será contra o Ceará, fora de casa, mesmo time que rebaixou o adversário desta noite.

Novak Djokovic e o futuro reinado sérvio na história do Tênis

Boa noite, hoje é dia 25 de Maio de 2018, um dia histórico para o tênis mundial. Novak Djokovic acaba de vencer pela segunda vez o Grand Slam de Roland Garros. 
Depois daquela final em 2015 contra o Wawrinka cheguei a duvidar que ele venceria esse torneio um dia, imagina duas vezes. Em 2016 então naquela partida apática nas
quartas contra Kei Nishikori me deixou mais confuso, será que ele não vai conseguir? então aconteceu. Mas o que torna mais histórico o dia
foi um dos últimos recordes que restavam para o sérvio bater, e ele fez. Novak Djokovic alcançou o seu 19° título de Grand Slam, superando o suiço Roger Federer, que 
aposentou ano passado com 18 títulos. Que saudades de Roger jogando, foi bom vê-lo vencendo Wimbledon e se despedindo com um título dessa magnetude. 
Novak já tinha alcançado o recorde de Masters 1000 de Rafael Nadal, vencendo 38 vezes. E também superou as 302 semanas de  Federer como lider do rank da ATP, hoje o sérvio tem 393 no topo. 
3 anos atrás, Rafael Nadal havia dito que em poucos anos, Djokovic seria considerado o maior da história, e parece que o espanhol tem a habilidade de prever o futuro. Poucos contestam isso
hoje em dia, alguns saudosistas ainda preferem Sampras, outros românticos já consideram Federer o rei. Mas os números gostam de Novak Djokovic. Já iria me esquecendo de 
contar sobre nem tudo ser perfeito. O Sérvio ainda não venceu em Cincinnati.

*texto fictício ou quem sabe profético, em alusão sobre Rafael Nadal ter declarado que em poucos anos, Djokovic será considerado o maior da história

Ceará: Que venha o ABC


A torcida do Ceará deu mais um show na reapresentação do grupo Alvinegro. Cerca de 2.000 torcedores estavam presentes para acompanhar o trabalho do técnico Lisca, o primeiro antes do confronto de sexta-feira diante do ABC-RN.

ABC que está a uma derrota de concretizar a sua queda para a Série C 2016 vem pensando unicamente em aprontar na capital cearense diante do Ceará. Nas cinco últimas partidas o ABC venceu uma, perdeu duas e empatou duas. O time de Natal está em 18º com 28 pontos. O atacante Bismark sabe que o momento é difícil e só a vitória interessa na sexta:

           A pressão só aumenta. Acho que a obrigação é de vencer e tentar sair dessa zona. Enquanto houver chance de permanecer, a gente vai estar ali brigando e a confiança tem que estar lá em cima. A gente nunca baixou a autoestima. Está todo mundo bem, então é procurar vencer o Ceará para que a gente possa ter uma semana legal.”

O Alvinegro de Porangabuçu, Ceará, nas últimas cinco partidas perdeu duas e venceu três. Após chegada do Lisca o time começou a jogar com outra cara, outra disposição, mais parecida com o time campeão, da Copa do Nordeste (com formação diferente, mas a mesma confiança). Mas o técnico Lisca sabe da dificuldade que o jogo trará:
            “O treinador do ABC é meu amigo, eu o conheço e ele sempre arma o seu time muito bem. Não teremos facilidade na próxima rodada.”

Ceará e ABC já se enfrentaram 39 vezes, sendo 18 vitórias do Ceará, 7 Vitórias do ABC e 14 empates. Neste ano, as duas equipes se enfrentaram no dia 28/07, com a vitória do time Cearense por 1x0.

 O jogo é nessa sexta-feira, às 20hrs, horário local, no Estádio Presidente Vargas.

#FechadoComVozão #AgoraÉ1SóCoração

Airton Cláudio@airton1914


Week 8 da NFL: Chegamos à metade da temporada


A NFL não para! A impressão que se tem é de que, a cada semana, os jogos passam mais depressa. E isso que no domingo tivemos mais de 12 horas seguidas de NFL. Isso mesmo: começou às 12h30min, com Lions e Chiefs enfrentando-se em Londres, um jogo que ficou marcado por ser o último da NFL em solo internacional na temporada, e acabou somente de madrugada, com o fim do Sunday Night Football, grande confronto entre duas equipes até então invictas.

E falando nos invictos, como era de se esperar já que houve confronto direto, um deles perdeu a invencibilidade nesta semana: o Packers. Agora, passada a primeira metade da temporada regular, ainda restam quatro franquias no seleto grupo que ainda não sentiu o gosto amargo de uma derrota: Patriots, Broncos, Panthers e Bengals.

Miami Dolphins 7@36 New England Patriots
Jogando no Gillette Stadium, o Patriots atropelou o até então embalado Dolphins e segue invicto na temporada. Logo no primeiro drive, Brady já conseguiu uma conexão com o monstro Gronkowski, que correu 47 jardas e marcou o seu sétimo TD na temporada. Até o fim do primeiro tempo, o Patriots ainda pontuou com um safety ridículo cedido pelos adversários, um field goal e mais um touchdown. Na segunda etapa, os visitantes voltaram um pouco mais agressivos, mas nada que preocupasse Tom Brady e companhia. Dion Lewis, que teve uma atuação de gala, Gronk e Edelman continuaram comandando o ataque e a defesa permaneceu segura. Brady, mais uma vez, foi o grande destaque, completando 26 de 38 passes, 356 jardas e quatro passes para touchdown, rating fantástico de 133,2. Fica a pergunta: quem conseguirá parar esse time?

Detroit Lions 10@45 Kansas City Chiefs
O Lions ficou nos Estados Unidos e deixou o Chiefs fazer o que quis em Wembley. Em mais uma partida na Inglaterra – que segue recebendo jogos não competitivos – o Kansas City se deu bem, conseguiu fazer muitos pontos e destruiu a franquia de Detroit. Destaque para o QB Alex Smith, que até um TD marcou, e, como sempre, para o kicker brasileiro Cairo Santos, que converteu todos os field goals e extra points que chutou.

Tampa Bay Buccaneers 23@20 Atlanta Falcons
Os Falcons, que haviam começado a temporada extraordinariamente bem, tiveram um retrocesso nas últimas semanas e, no domingo, perderam para os Buccs, mesmo jogando em casa. Ao longo da partida, o Falcons mostrou-se uma máquina de turnovers e, apesar de ter conseguindo empatar a partida no finalzinho, não conseguiu evitar a derrota, por um FG, na prorrogação.

San Diego Chargers 26@29 Baltimore Ravens
Depois de derrotas horrorosas e uma série de jogos que seriam melhores se fossem excluídos da existência, o Baltimore resolveu que era a hora de presentear sua torcida. Apesar da partida muito apertada o tempo todo, o Ravens tentou impedir que o Chargers abrisse alguma vantagem maior. Os donos da casa seguiram lutando até o último quarto, igualaram o placar, conseguiram a virada num chute do sempre certeiro Justin “Chuck Norris dos kickers” Tucker e garantiu o 2-6. A notícia triste vai para a lesão do WR Steve Smith, que rompeu o tendão, está fora da temporada e possivelmente fez o último jogo da carreira, já que anunciou que se aposentaria esse ano.

Minnesota Vikings 23@20 Chicago Bears
A equipe de Minnesota foi a Chicago enfrentar os Bears em um confronto direto na briga pela vaga da NFC North. O jogo seguia morno com as equipes trocando pontos e terminou a primeira metade da partida empatado em 10@10, Na segunda metade o jogo esquentou e Cutler deixou os Bears muito próximos à vitoria, porém os Vikings ligaram o motorzinho e a menos de 2 minutos pro fim marcaram o TD que empatou o jogo, pressionado para conseguir ao menos um FG para liquidar a partida, Cutler não obteve exito em seus drives e deu oportunidade aos Vikings que não desperdiçaram e acertaram um FG no estourar do relógio, garantindo a vitoria de Minnesota. 

Apesar de não ter feito ainda nenhum jogo excepcional os Vikings também não comprometem e os Packers que até a ultima rodada estavam invictos, viram a distancia para os Vikings diminuir. Será que os Vikings tem condições de tomar a primeira posição do favorito da divisão? Capítulos emocionantes nos aguardam nas próximas semanas.  

Arizona Cardinals 34@20 Cleveland Browns
De virada, o Cardinals conquistou mais uma importante vitória – a sexta na temporada. No início, o Brownzão da Massa chegou a surpreender, abrindo 20-7 no adversário. Porém, guiados pelo QB Carson Palmer, que terminou a partida com 4 TDs, 374 jardas, 1 INT e completou 23 de 38 passes, os Cards dominaram o jogo e saíram vitoriosos.

Tennessee Titans 6@20 Houston Texans
O importante duelo entre rivais da AFC Sul terminou uma vitória, sem dificuldade, dos donos da casa. Sem Mariota, o Titans mostrou-se totalmente inofensivo (mais do que de costume) e não conseguiu nenhum touchdown. Do lado dos Texans, como sempre, JJ Watt teve uma grande atuação, com 2,5 sacks e um fumble forçado, e Deandre Hopkins conseguiu 1 TD e 94 jardas.

New York Giants 49@52 New Orleans Saints
Sem sombra de dúvidas, Saints e Giants protagonizaram o melhor jogo da semana. Basicamente, entre dois ataques explosivos e duas defesas fracas. Sendo assim, com 101 pontos no total, o jogo resultou na quebra de um recorde, o de maior pontuação somada da história da NFL. No primeiro tempo, foram quatro touchdowns do Saints e três do Giants, levando o jogo em 28 a 21 para o intervalo. No terceiro período, os donos da casa aumentaram a vantagem para 42 a 28. O jogo parecia definido, porém os visitantes buscaram uma reação com 3 TDs seguidos no quarto período, virando para 49 a 42. Eis que, novamente, Brees brilhou e garantiu mais um touchdown para empatar o jogo. Nos últimos segundos, Kai Forbath chutou o único field goal da partida e deu a vitória para os Saints. Drew Brees teve uma atuação de gala: acertou 40 de 50 passes para 511 jardas e 7 TDs, com apenas uma interceptação. Do lado dos Giants, Eli Manning não ficou muito atrás: acertou 30 de 41 passes para 350 jardas e 6 TDs.

Cincinnati Bengals 16@10 Pittsburgh Steelers
Não se engane pelo baixo número de pontos nessa partida. A volta de Big Ben aos Steelers não adiantou muita coisa, já que o QB não conseguiu distribuir bem as bolas e acabou interceptado três vezes em momentos importantes. O confronto contra o Bengals foi muito difícil para ambos os lados e ficou apertado até o final. A franquia de Cincinnati mostrou porque estava invicta, conseguiu uma virada espetacular e segurou as abelhas de Pittsburgh fora de casa.

San Francisco 49ers 6@27 St. Louis Rams
A franquia de San Francisco fez uma partida tão ruim que Colin Kaepernick pode acabar no banco na próxima rodada. O QB é considerado um dos piores da liga e não consegue fazer nada para ajudar o time, que inclusive pode ter sido o responsável pela troca. Com diversos problemas, incluindo lesões, os 49ers já não aspiram nada na temporada e acabaram perdendo mais uma, dessa vez para o Rams, que soube aproveitar as falhas do adversário e conquistou a vitória.

New York Jets 20@34 Oakland Raiders
Rapaz, se alguém falasse que os Raiders estariam com 4-3 agora, provavelmente nunca seria levado a sério. Não foi só uma vitória, foi o resultado em cima dos Jets, em casa, com 14 pontos de diferença de uma equipe que, em momentos normais, vira chacota e que está conseguindo ótimos jogos. Simplesmente sensacional.

Seattle Seahawks 13@12 Dallas Cowboys
Foi um jogo bem movimentado em Dallas. Os dois times pontuaram pouco e acabaram tendo alguns problemas para completar as jogadas. A partida ficou marcada não só pelos erros das zebras para ambos os lados, mas principalmente pela lesão de Lockette, do Seattle, pouco antes do intervalo, que sofreu uma grave concussão e chegou a ficar desacordado em campo. Depois disso as duas franquias seguiram errando muito, o QB do Cowboys não conseguiu fazer nada e o Seahawks aproveitou.

Green Bay Packers 10@29 Denver Broncos
No esperado duelo de invictos, jogado no Sunday Night Football, o jogo pretendia ser muito equilibrado. De um lado, a forte defesa dos Broncos, que também é boa para marcar pontos e seu ataque cambaleante, contra o ótimo Aaron Rodgers no lado rival. Mas por fim, finalmente Payton Manning jogou bem e o equilíbrio foi por água abaixo.

Com incríveis 500 jardas conquistadas ao longo do jogo, sendo 340 aéreas, o Broncos pontuou em todos os quartos e conseguiu uma vitória incontestável por 29-10. A defesa permitiu apenas 77 jardas para o Quarterback rival, e dessa vez a linha ofensiva também foi muito bem, não permitindo sacks a Manning. Nem as 11 faltas contra o time do Colorado foram capazes de lhes tirar essa derrotas.

Os Packers em seu pior jogo na temporada e em um dos piores da carreira de Rodgers não ofereceu resistência alguma. As 140 jardas conquistadas ao longo da partida se deveu ao jogo terrestre, que conseguiu 90 jardas. O QB também só tentou 22 passes na partida e foi sackado na endzone, concedendo 2 pontos ao rival.

Agora com campanha de 6-1, os Packers irão enfrentar o Carolina Panthers, que também vem forte na temporada. O invicto Broncos irá a Indianapolis, onde enfrenta os Colts.

Indianapolis Colts 26@29 Carolina Panthers
Não está fácil para ninguém. O Colts foi até a casa do invicto Panthers para tentar diminuir a desconfiança que paira em Indianápolis, mas a chuva atrapalhou e muito os planos de ambos os times. O Carolina conseguiu fazer dez pontos logo nos primeiros minutos e concluiu duas quartas descidas, o que originou o primeiro TD. Andrew Luck mostrou porque tem um número altíssimo de turnovers em sua conta e sofreu mais alguns até o fim, entretanto seu time acabou conseguindo diminuir a desvantagem depois de dois FG.

A chuva obrigou os QB a serem mais cuidadosos, principalmente nos lançamentos, o que trouxe mais jogadas terrestres ou lançamentos menos arriscados. Porém, a inacabável água foi traiçoeira e deixou o MNF muito mais interessante. Os Colts conseguiram empatar e virar por 26-23 no último quarto, quanto todos acharam que seria impossível. Porém, o Panthers acordou e conseguiu manter a invencibilidade na base do FG e acertou outro no último lance de pouco mais de 50 jardas.


Por: Mariana Sá (@imastargirl), Janaína Wille (@janainawille), Marcilio Viana (@MarcilioVM) e Rômulo Vieira (@suppervieira).

Fortaleza: o que fazer em 2016?

Agora que o pior passou, consegui pensar em algumas situações que podem acontecer ano que vem, visando uma melhoria do time. Teremos quatro competições importantes para disputar. Na minha visão, possuímos condições de chegar longe em todas, sem nenhuma dúvida.

Aqui, falarei sobre as três principais: Campeonato Cearense, Copa do Nordeste e Série C. Prefiro falar sobre a Copa do Brasil quando tudo tiver definido. Agradeço a compreensão.

Campeonato Cearense

Lutaremos pelo bicampeonato estadual. Podemos dizer que é uma das obrigações? Não sei, prefiro falar assim sobre o acesso à Série B. O fato é que nós teremos uma competição semelhante aos últimos anos, quando decidimos contra o nosso maior rival. Só uma “zebra” pode mudar isso.

Fortaleza é o atual campeão estadual (Foto: O Povo) 
Não vejo algo para ser criticado e/ou mudado pela diretoria. Aliás, como todos os leitores sabem, gosto muito do trabalho deles. Se houver qualquer alteração, será em prol do nosso clube.

Copa do Nordeste

O nosso rival deixou claro que é bem difícil ser “guloso”, não? “Que f***, meu irmão!” – impossível não lembrar. Estamos num grupo junto com Sport, River-PI e Botafogo-PB. No início, achei que seria tranqüilo, mas o time piauiense vem fazendo uma grande Série D. Não deve ser fácil jogar contra eles.

Podemos, sim, e temos chances de conquistar a taça. Lembrando que batemos na trave esse ano nos pênaltis contra o Sport. Tivemos um desperdiçado pelo Lúcio Maranhão no primeiro confronto que poderia ter decidido o embate. Portanto, na minha visão, Fortaleza entra como candidato ao título, junto com os demais tradicionais.

Série C

Agora, sim, podemos falar de obrigação. Vamos para o nosso sétimo ano na Série C. Desde 2010 enfrentamos essa saga. É longe de ser uma competição fácil, todos sabem, mas, em minha visão, podemos mudar algumas coisas. Não passa pela fórmula de disputa ou algo assim, mas, sim, pelo local dos jogos.

Aconselharia os diretores do Leão a mudar as partidas da primeira fase para o estádio Presidente Vargas. Creio que parte da torcida já cansou. Para mim, o PV com 14 mil torcedores exerce mais pressão que o Castelão com 10 mil.

Mensagem final

Vale lembrar que este espaço é aberto para debates. Caso alguém discorde, deixo meu Twitter no final do texto. Falo apenas o que acho para o bem do nosso Fortaleza.

#FechadoComOLeão


Rafael Alves - @rafaelalvessg_
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana