A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

É com os erros que se aprende

Nessa semana, presenciei a confirmação do que já tinha aceitado a algumas rodadas atrás: o rebaixamento do meu clube novamente para a Série B do Campeonato Brasileiro. Estava escrito que isso iria acontecer. Em momentos como esse, grande parte da torcida fica enraivecida com o clube. Eles xingam, jogam bandeiras e camisas no lixo, cancelam sócio-torcedor e falam que não voltarão mais ao estádio. Normal. Mas eu não fiz isso depois da derrota de ontem para o São Paulo, pois é com os erros que se aprende.


Acho que depois desse trágico ano para o Goiás, nós enxergamos que disputar uma primeira divisão não é brincadeira. Não é qualquer um que consegue administrar as coisas como se espera. É necessária a ajuda de profissionais. Felizmente, Sérgio Rassi conseguiu enxergar isso, e espera que ele cumpra pelo menos uma promessa, a de salvar o Goiás do amadorismo e da vergonha, para o próximo ano.

Apesar de tudo, não me arrependo de ter ido ao estádio esse ano e nem de ter apoiado o meu clube. Acho que só caímos, porque somos grandes, e só quem é grande mesmo, aprende com os próprios erros e volta com força máxima. Vejo muito torcedor iludido dizendo: "Time grande não cai". Balela! Você pode notar que os times grandes que não caíram até hoje no Brasil, só não caíram porque recebem mais de 100 milhões de cotas da TV, são mamados pela imprensa esportiva todos os dias e sempre tem uma ajudinha da arbitragem pra ganhar pontos. Todo ano é isso. É ignorância discordar. Então, se você se gaba porque seu time nunca caiu, pode ir tirando o cavalinho da chuva, sua hora vai chegar e você vai sentir na pele o que é vivenciar isso.


O que mais me chateou no jogo de ontem foi o fato de que o time não demonstrava vontade em campo. Pareciam rendidos, e mal crivavam chances claras de gol. O São Paulo também chegou pouco, mas quando chegava, era com perigo. Bruno Henrique e Erik estavam completamente inúteis em campo, só recebendo lançamentos longos e contando com a sorte. Liniker não mostrou que merece ser titular, e teve uma atuação horrível saindo vaiado de campo.

O São Paulo marcou um gol no fim e decretou o rebaixamento do Goiás, que ainda viu mais uma guerra entre torcida e Polícia Militar. Podemos perder mais mandos de campo para a próxima temporada. Triste realidade, mas é difícil segurar a raiva e o sentimento em momentos como esse.

Ao menos, sei que a torcida ontem fez sua parte, lotou as arquibancadas nos momentos mais difíceis e sei que esse clube vai voltar para a elite do futebol brasileiro novamente. Os culpados sairão do clube, e os que amam o Goiás verdadeiramente, irão fazer com que nós voltaremos com força máxima e com honra, integridade e com amor à camisa.

Dos três ingredientes que o Goiás precisava e que tinha mencionado no meu texto anterior, ficou faltando apenas o foco, pois não faltou e a justiça rebaixou os times mais sujos desse campeonato (Avaí e Vasco), mesmo que tenhamos sido rebaixados com eles.

Até 2017, e nos aguardem. Não vamos voltar para brincadeiras!

Wagner Oliveira || @wagneroliveiraf
Linha de Fundo || @linhadefuundo

Palavras de um rebaixado

38 rodadas sendo 35 na zona de rebaixamento e 14 na lanterna. Nove vitórias, 11 empates, 18 derrotas, a pior campanha da história vascaína. O que se esperar de um time como esse?


O rebaixamento aconteceu, novamente, a segunda vez em três anos e a terceira na história do Vasco. Não há mais chances, possibilidade ou esperança. Acabou, caímos!

Chegamos à última rodada do campeonato sem destino certo, sem saber qual seria nosso rumo, precisávamos da vitória e da cooperação de outros times para nos livrar da vergonha de ver o Gigante cair mais uma vez. Não dependia só do Vasco, mas nem nossa parte nós fizemos. Não ganhamos o jogo, deixamos a honra e o respeito para trás e nos permitimos passar por tudo isso de novo.

É claro que não deveríamos ter deixado chegar a esse ponto, deveríamos ter feito mais ao longo da competição, mas ainda havia aquela última gotinha de esperança. Só que deu tudo errado! Quem precisava ganhar, perdeu. Quem precisava perder, ganhou. E nós empatamos, ficamos devendo mais uma vez.

Não há mais desculpas ou justificativas, só tristeza e dor. No desespero do senhor, no choro da criança, na incredulidade do menino, na desilusão da moça. O sofrimento, a comoção é geral, nosso pior pesadelo se tornou realidade mais uma vez, e não temos mais armas e nem forças para lutar contra ele. Só podemos aceitá-lo e juntar os cacos que sobraram para tentar nos reerguer.                                
Foto: esporte.ig
Palavras nunca serão o suficiente para expressar o que cada vascaíno sente, aquele brilho nos olhos, o sorriso de sempre, o “Eu Escolhi Acreditar”, tudo se perdeu, outra vez. Contudo, ainda amamos o Vasco e estaremos sempre juntos, onde quer que seja. A torcida que nunca se entrega, que acredita até o fim, continua aqui, em cada um de nós, independente das circunstâncias. E isso é o mais bonito de se ver.

Apesar de tudo que aconteceu, temos orgulho de sermos vascaínos, de torcer por um time com tanta história e tradição. Temos orgulho de sermos parte de uma nação que ama, acredita, apoia acima de tudo e que carrega a Cruz de Malta no peito onde estiver.

Foto: Lance
Por enquanto, não há mais nada a se fazer, a não ser esperar uma possível volta por cima, na próxima temporada. Até lá, só posso dividir minhas humildes e sofridas palavras, palavras de uma torcedora, uma sofredora, uma rebaixada.

Nos vemos na Série B. Até lá!

Ana Clara Soares (@AnaClaraSoares1)

Coxa empata e se mantém na Série A

Jogadores alviverdes reunidos no gramado antes do inicio da partida
(Coritiba/Divulgação)
Em um jogo muito prejudicado por conta da chuva que caiu na capital Paranaense durante o dia de ontem, Coritiba e Vasco fizeram um jogo com muita tensão e nervosismo no estádio Couto Pereira, e no final com um enorme alívio Alviverde. Com o empate sem gols, o Coritiba garantiu a permanência na elite do futebol brasileiro em 2016.

Muita marcação das duas equipes durante o 1º tempo

A última rodada do Brasileirão 2015 foi de muita emoção para Coritiba e Vasco. As duas equipes se enfrentaram no Alto da Glória precisando do resultado para permanecer na Série A. O Coxa dependia apenas de si, e com um empate já se salvava. Já o Vasco precisava da vitória e ainda dependia de uma combinação de resultados.

A 1ª chance no jogo foi da equipe carioca após cobrança de falta, porém o árbitro marcou falta em cima do goleiro Coxa-branca. O Coritiba tentava se mandar para o ataque com velocidade, porém esbarrava na marcação vascaína.

Aos 14' a primeira chance clara de gol no Couto Pereira. Nenê ficou cara a cara com Wilson, e o goleiro Alviverde fez belíssima defesa. Após o lance de perigo da equipe visitante, a torcida Coxa-branca levantou o tom e o jogo incendiou.

A melhor chance Alviverde foi as 31', Juan fez boa jogada pelo meio, e tocou para Henrique Almeida, porém o camisa 91 não conseguiu pegar direito na bola.

Chuva aumenta e prejudica ainda mais o jogo

Para a segunda etapa, as duas equipes voltaram como terminaram o 1º tempo. O Vasco já havia feito a 1ª substituição na metade do primeiro tempo, com Mateus Pet no lugar de Diguinho. Com o campo muito molhado devido o aumento da chuva, o recomeço da partida foi bastante truncado.

Juninho, Leandro Silva e Walisson Maia seguravam as pontas na zaga quanto o Vasco tentava chegar. Figueirense e Avaí saíram na frente do marcador nos jogos contra Fluminense e Corinthians, respectivamente. A partida no Couto Pereira foi ficando mais tensa com o andar do jogo.

Aos 18' Pachequinho colocou Ícaro no lugar de Cáceres, que substituía João Paulo que estava suspenso. Logo depois, Thiago Lopes entrou no lugar de Juan. A tensão ia tomando conta das duas equipes, assim como da torcida.

O Coritiba tentava investidas ao ataque com Negueba e Thiago Lopes, porém a chuva cada hora aumentava mais. No Coxa, Rafael Marques entrou no lugar de Alan Santos. E foi quando o empate do Corinthians aconteceu em São Paulo, à torcida Alviverde comemorou no Alto da Glória. O Coritiba buscava concentrar suas forças no ataque, mesmo que a zaga vascaína tirasse o perigo.

Antes do apito final, em uma atitude antidesportiva e ridícula Jorge Henrique acabou expulso do jogo ao levar o cartão vermelho.

O Coritiba segurou o empate, contou com o apoio da torcida e comemorou no fim da partida a sua permanência na elite do futebol brasileiro em 2016.

Com o resultado, a equipe carioca acabou rebaixada. E agora resta saber se o seu presidente falastrão deverá cumprir a promessa de se refugiar na Sibéria.

Bem o ano acaba com o Coritiba sem muita coisa para comemorar. Mais um ano aonde a torcida Coxa-branca conviveu com o drama do amadorismo demonstrado em todos os setores da instituição. É preciso que o nosso presidente Rogério Bacellar junto com a diretoria Alviverde, respeitem o torcedor Alviverde e trabalhem muito para que as coisas mudem em 2016 no Alto da Glória.

Valeu Coxa!!!

Texto feito por:
@Andreysuldovski
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana