A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Um de nós. Muito obrigada por tudo, Special One


Hoje foi dada a notícia que há muito já se esperava. José Mourinho não é mais treinador do Chelsea Football Club. Mais um erro de um grupo que tem cometido muitos ultimamente. Para um clube que tem deixado toda a sua identidade partir – primeiro Lampard, depois Drogba e Cech – tirar o português do cargo é quase como ter a certeza de que o espírito azul já não é mais o mesmo.

Digo com propriedade, pois estive em Stamford Bridge poucos dias após o anúncio da volta do Special One a Londres. Era diferente de tudo que já havia visto antes. O brilho nos olhos da guia do estádio que citava feliz o nome do português. O vendedor de camisas do lado de fora que se orgulhava por voltar a produzir aquela mercadoria. A animação dos torcedores como se o clube tivesse acabado de conquistar mais uma taça da UEFA Champions League. Era especial.

O que Mourinho representa para os torcedores dos azuis de Londres não pode ser alterado por metade de uma temporada ruim, principalmente após o mesmo ter sido fundamental para a conquista da Premier League 14/15. Pra sempre será lembrado como o melhor técnico que o Chelsea já teve e é com extrema tristeza que hoje dizemos adeus mais uma vez.

Há cinco meses ele assinava uma renovação de quatro anos. O clube acreditava nele, assim como seus comandados. Nos próximos jogos poderemos ter a certeza de algo que todos já imaginam: o grupo passou a simplesmente desistir de jogar para derrubar José. Os jogadores ganharam. A mensagem que deixam a eles depois dessa demissão é: façam o que quiserem. Vocês são mais importantes do que quem está no comando.

A partir do momento que você carrega o escudo de um time, sua dedicação é ao clube, aos torcedores, a todos aqueles que depositam suas esperanças no seu talento. Não ao treinador. E, em minha opinião, o atleta que resolve prejudicar tudo isso só para ver alguém fora não merece nem ter o privilégio de vestir a camisa daquela equipe.

Não, José Mourinho não é maior que o Chelsea. Nenhum jogador ou treinador será. Mas, mais uma vez, o torcedor Blue precisa se despedir de um ídolo e, mais ainda, alguém que ama e deu tudo ao clube. O português é um de nós e agora recomeçaremos a busca. A mesma que Roman Abramovich iniciou em 2007, a busca por um novo Special One. O problema é só existe um. E agora ele está arrumando suas malas.

Pessoalmente, só posso agradecer de todo o coração a Mourinho por toda a dedicação, paixão e, principalmente, por toda a alegria que me deu enquanto esteve por aqui. Minhas lágrimas enquanto escrevo esse texto são de total gratidão. Você, assim como as outras lendas, está imortalizado neste clube.


Keep the Blue flag flying high!
Luiza Sá (@luizasaribeiro)

De favorito à desacreditado. 2015 para os são-paulinos


O ano de 2015 foi um ano conturbado para o São Paulo FC, por saídas de jogadores, técnicos e problemas políticos que todos já possuem conhecimento, o Tricolor Paulista começou o ano como um dos favoritos para o título do Brasileirão, entretanto com tantas baixas, a ida para a Pré-Libertadores 2016 foi na raça e inacreditável para muitos.

São Paulo começou o ano sendo comandado por Muricy Ramalho, por problemas de saúde, Muricy se afastou do futebol e Milton assumiu o comando por um período. Até que Osório chegou ao Tricolor, o colombiano chegou com um time montado, porém o - até então - presidente Aidar, desfez esse time. Foram oito jogadores: Rafael Tolói, Paulo Miranda, Denilson, Jonathan Cafu, Souza, Boschilia, Dória e Ewandro. Osório então, se virou como pôde e fez um bom trabalho, deixando o São Paulo sempre próximo ao G4. Todavia, o colombiano que sempre sonhou em comandar uma seleção, foi convidado para treinar a Seleção Mexicana. Foi onde tudo começou a desgrenhar.

Em uma reunião sobre quem seria o novo técnico para substituir Osório, Aidar e Ataíde se desentenderam. Uns dias depois, Ataíde pediu demissão e Aidar renunciou. Um pouco antes da sua renúncia, o presidente contratou Doriva (técnico que estava na Ponte Preta). São Paulo foi eliminado da Copa do Brasil pelo Santos perdendo os dois jogos por 3 a 1, antes do segundo jogo, houve novas eleições e Leco assumiu a presidência do Tricolor. Após a eliminação da Copa do Brasil, Doriva foi demitido e Milton assumiu até o fim do Brasileiro.

No Campeonato Brasileiro o resultado em clássicos foi desastroso, Tricolor venceu apenas um clássico, contra o Santos, no 1º turno por 3 a 2, no 2º turno foi 3 a 0 pro time da Vila. Contra o Palmeiras foi 4 a 0 para o porco no 1º turno e 1 a 1 no segundo. Contra o Corinthians, resultado mais desastroso que todos, 1 a 1 no 1º turno (com o zagueiro Uendel sendo goleiro) e 6 a 1 no 2º turno. Mesmo sendo o pior em clássicos, o São Paulo tinha chances reais de Libertadores, focou nessas chances e conseguiu. Na última rodada, o Tricolor precisava apenas de um empate contra o Goiás em Serra Dourada, todavia com seu "concorrente" de vaga, Internacional, ganhando do Cruzeiro, o nervosismo tomava conta. Porém, o atacante Rogério entrou e nos acréscimos, fez o gol da classificação Tricolor.

Entretanto os problemas políticos não pararam por aí. Ataíde voltou para seu cargo, disse ter provas de que Aidar desviava dinheiro de negociações e até então a tal da gravação não tinha sido divulgada. Nessa quinta (17/12) Ataíde a divulgou, depois que percebeu que os torcedores não haviam esquecido o assunto, na gravação Aidar sugere comissão por Gustavo, reforço da Portuguesa, admite tentativa de comissão da namorada, além de admitir que Douglas Schwartzmann - vice-presidente de comunicação- "pedia comissão em tudo". Os torcedores já fizeram muitos protestos para que Ataíde deixasse o cargo, mas infelizmente, nada ocorreu. Na despedida de Ceni, a possibilidade da volta de Lugano aumentou, com a torcida toda gritando o nome do uruguaio, Leco assumiu que iria sim conversar com o zagueiro, todavia Ataíde não o quer. Deixando os torcedores ainda mais nervosos com ele.

O público no Morumbi também não foi agradável nesse ano. Por mais que a diretoria tenha criado novos e bons planos de Sócio-Torcedor e também a chegada da Under, o time em si não chamava os torcedores para as arquibancadas. Como já mostrado, em clássicos foi um ano para ser esquecido, além da inconstância em partidas – em uma o São Paulo ganhava de goleada, outra o Tricolor não saia do 0 a 0 -. Ainda mais com o Morumbi de estádio onde há capacidade de 67 mil torcedores, quando há apenas 32 mil - como é a máxima nas Arenas - o Cícero Pompeu de Toledo parece estar vazio.

São Paulo parece ser o único time sem planejamento para 2016, ainda sem técnico e sem nenhum nome de reforço, com saídas já certas de jogadores como Rogério Ceni, Luis Fabiano e Alexandre Pato. Por enquanto, apenas há especulações sobre Abel Braga, Kieza, Lugano e Álvaro Pereira. Nós, são-paulinos, esperamos uma reação rápida da diretoria. Queremos novidades no elenco e queremos um bom técnico. Esperamos que tudo isso seja em breve.

←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana