A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

sábado, 19 de dezembro de 2015

LusitANO: 2015 - Poderia ser melhor

O objetivo principal não foi alcançado, a Portuguesa falhou no objetivo de ordem de 2015, conquistar o acesso para a Série B de 2016. No entanto, a torcida pode resgatar o orgulho ferido no segundo semestre de 2015. E por isso podemos balancear o 2015 da Lusa como um pouco positivo. Vamos ao resumo.

PAULISTÃO:

A Lusa começou bem o Paulista, iniciou o torneio com uma vitória fora de casa diante da Ponte Preta. Chegou a ficar invicta durante seis partidas e liderar seu grupo de classificação, até conhecer a primeira derrota, daí em diante foi caindo, caindo de produção e acabou o torneio rebaixada para a série A2, sendo derrotada na ultima rodada para o rival São Paulo por 3x0. Vale lembrar, que graças ao senhor Ilídio Lico a Portuguesa não jogou uma partida sequer como mandante no Canindé, pois o mandatário da época não realizou os ajustamentos de conduta do corpo de bombeiros.

Edno voltou para a disputa do estadual e não marcou nenhum gol
(Foto: Leandro Martins/ Futura Press)
COPA DO BRASIL

Na Copa do Brasil, a Portuguesa não teve trabalhos na primeira fase para eliminar o Santos do Amapá, venceu fora de casa pelo placar de 3 a 1 e eliminou o jogo de volta. Já na segunda fase, a Lusa enfrentou o Ituano, na primeira partida em Itu, saiu na frente e tomou o empate dando números finais ao jogo no placar de 1 a 1.

No retorno, no Canindé a Portuguesa saiu atrás no placar, mas conseguiu o empate. Até que ao fim do jogo o juiz inventou um pênalti para os visitantes que foi convertido. Acabando com as chances de a Lusa seguir a diante no certame.

SÉRIE C 


Toda a preparação começou como uma incógnita, Valdomiro, Léo Costa, Edno, Rafael Santos, os jogadores mais experientes do elenco que haviam disputado o Paulista, haviam saído. Novas peças haviam chegado e não sabíamos ao certo o que esperar. No entanto, ao contrário do Paulista, começamos mal, mas fomos evoluindo e conseguimos nos classificar. Com a liderança de Renan em campo e os gols de Guilherme Queiróz e Hugo conseguimos a classificação para as quartas.

O nosso adversário era o Vila Nova de Goiás, sabíamos que seria difícil e foi. Fomos derrotados no Serra Dourada, apesar de jogarmos de igual pra igual os goianos se impuseram e tiveram sangue frio pra vencer por 1 a 0 e vir com a vantagem mínima para o Canindé.

Aqui, a torcida fez a festa mais linda e mais apaixonante que em anos eu não via na Portuguesa. A união entre time e torcida era presente, mesmo assim isso não abateu os vilanovenses que aproveitaram as duas chances de gol e fizeram o 2x0, mesmo com a Lusa diminuindo pra 2 a 1. Não adiantou e mais um ano permaneceremos na Série C, com a certeza de voltar.

EXTRACAMPO


Se a gente se preocupava com o extracampo, patrocínio e etc; dessa vez temos um presidente que até o momento não podemos reclamar conseguiu patrocinadores pra equipe que deram sobrevida para a equipe por mais um ano. A campanha "Pão É Na Padaria" com os patrocínios das padarias, angariou renda pra Lusa e trouxa mais patrocinadores para a Rubro-verde.

Esperamos agora que em 2016, a Lusa possa comemorar dois acessos. O paulista e o brasileiro.

BOAS FESTAS!!!

Londrina 2015: Um marco na história do Tubarão

Após o final da temporada 2014 do Alviceleste Paranaense, criaram-se muitas expectativas. Afinal, o clube foi Campeão Estadual em 2014, conseguiu avançar bem na Copa do Brasil e ainda conseguiu o acesso à Série C de 2015. O torcedor do Tuba não estava tão ansioso para uma temporada como a de 2015 a um bom tempo e não era pra menos. Confira abaixo um resumo de como foi esse ano tão aguardado pela torcida:

Campeonato Paranaense:

Novamente o clube demonstrou certa instabilidade na primeira fase do estadual, mas apesar de todas as dificuldades avançou na competição e chegou à segunda fase e já nas oitavas de final encarou o Maringá Futebol Clube (que ainda está longe de ser o Grêmio Esportivo Maringá para fazer um jogo tão carregado de rivalidade como eram os de LEC x GEM), e os dois jogos foram sofridos para o torcedor do LEC. O time perdeu a primeira partida em casa, de virada (LEC 1 x 2 MFC) e a decisão foi arrastada para Maringá onde mais uma vez, o time batalhou e conseguiu eliminar seu adversário nos penais.

A partida da volta contra o Maringá fora tão cheia de surpresas e batalhas que animou boa parte da torcida que agora sim se preparava para uma rivalidade: receberia o Coritiba. O placar até que foi bom para o Londrina, 1 a 0. Mas a partida da volta... Não foi nada boa para o Londrina que perdeu de 3 a 0 e deixou a classificação escapar. O campeonato não terminara nessa partida, ainda havia de duelar contra a equipe de Foz do Iguaçu pelo título de campeão do interior.

O resultado da primeira partida não agradou, mas em casa o Tuba soube jogar bem e venceu o Foz ficando assim com o título de campeão do interior 2015.
Copa do Brail:

A CB dessa vez poderia trazer para o Londrina duas partidas com gosto de vingança. Em 2014 o time fora eliminado pelo Santos na 3ª fase, time este que deveria ser encarado já na primeira fase de 2015. Se as partidas poderiam trazer um gosto de vingança para o Alviceleste do norte do estado, esta possibilidade foi praticamente excluída quando o árbitro errou em marcar pênalti de Germano. No mesmo lance Robinho marcou o único gol da partida, Londrina 0 x 1 Santos. Porém ainda havia a partida da volta, e o Londrina lutou, mas não conseguiu e acabou perdendo pelo mesmo placar de 1 a 0 que fez a Copa do Brasil terminar cedo no norte do Paraná.

Campeonato Brasileiro da Série C:

Se por um lado as duas outras competições não renderam o que o torcedor queria, a série C reservava fortes emoções. O clube haveria de cumprir punições como partidas na cidade mais com portões fechado e também duas partidas (que se transformara em uma) longe de seus domínios. Pra quem esperava que isso fosse grande empecilho para o time, restou o chupar de dedo e o mimimi adversário ao ver que o Alviceleste, apesar de altos e baixos, manteve-se regular, equilibrado, com uma das defesas mais sólidas da primeira fase, além de terminar a mesma na primeira colocação do grupo B.

O cenário era completamente animador, o time tinha TUDO para voltar à segunda divisão nacional e foi exatamente isso que aconteceu.

A primeira fase acabou e o Londrina conheceu seu adversário em busca do acesso, o Confiança de Aracaju. Na primeira partida, no Nordeste, o time aguentou a pressão, não sofreu gols e trouxe um empate magro para Londrina. A decisão então ficou para o dia 18 de outubro, no Estádio do Café. A torcida fez sua parte e em número de aproximadamente 4 mil pessoas, recebeu o ônibus que trazia a delegação o estádio, além da recepção, lotou as arquibancadas do "Cafézão" e viu o zagueiro Luizão marcar de cabeça e concretizar o tão sonhado acesso para a segunda divisão nacional, mas a terceirona não acabaria ali.

Com o acesso à segunda divisão, o Londrina também conquistou a chance de jogar a semifinal da competição contra o Tupi, outro adversário de seu grupo que também soube manter a regularidade e conseguir o acesso. Mais dois jogos sofridos e mais uma conquista, a vaga para a final do campeonato, diante do Vila Nova. Na primeira partida o Londrina fez pressão e saiu vitorioso, além de ter levado muito perigo ao gol colorado, o placar foi magro ( Londrina 1 x 0 Vila). E de novo, a volta foi ruim e o Tubarão deixou escapar o título perdendo por 4 a 1, encerrando assim um ano que apesar de alguns "gols" que não deveriam ser levados, deixaram saldo positivo.

Foto: Torcida faz a festa após acesso
A torcida agora fica no aguardo para 2016 que terá um Campeonato Paranaense que promete ser disputadíssimo, uma Copa do Brasil com potencial de chegada as oitavas de final bem maior do que nos anos anteriores e também uma série B cheia de surpresas boas!

2015 do Náutico, o ano de baixos e altos

O Timbu começou o ano com a crise financeira já instalada que vem de anos atrás, montar um elenco sem patrocinador master e histórico por atrasar salários (em alguns meses) não é nada fácil. A solução no início do ano foi apostar em jogadores novos que não estavam sendo aproveitados em seus times e na base alvirrubra. Com a falta de experiência e comprometimento de alguns jogadores, o Timbu foi eliminado de forma vergonhosa do Pernambucano e de quebra na Copa do Nordeste. Na copa do Brasil e no Brasileiro Série B foi guerreiro e lutou quando vinha a força após dizerem que seriamos rebaixados.

Clube Náutico Capibaribe
Pernambucano:

Vergonha. Essa é única palavra que se pode dizer da participação alvirrubra no Pernambucano 2015. Com duas vitórias, quatro empates e quatro derrotas, o Náutico conseguiu ficar em último no hexagonal do título com -1 de saldo só fazendo 11 gols em 10 rodadas. As consequências vieram, sem vaga na Copa do Brasil e Nordeste 2016, tirando a vergonha que se passou. 
 
Parte do elenco indo pra partida
A primeira rodada o Náutico empatou com o Salgueiro dentro de casa ficando em 3º lugar. A segunda rodada perdeu para o Sport fora e caiu para o 5º lugar. Na terceira rodada uma goleada no Serra Talhada em casa e pulou para o 3º lugar novamente. Na quarta rodada empatou com o Central fora e se manteve no 3º lugar. Na quinta rodada perdeu para o Santa Cruz dentro de casa e voltou para o 5º lugar. Na sexta rodada empatou com o Santa Cruz fora de casa e continuou na vice-lanterna do hexagonal. Na sétima rodada empatou com o Central dentro de casa e amargou o 6º lugar. Na oitava rodada venceu o Serra Talhada fora de casa e foi para o 4º lugar. Na nona rodada perdeu para o Sport dentro de casa, mas se manteve em 4º lugar. E na última rodada, de forma vergonhosa, perdeu para o Salgueiro e ficou na lanterna do hexagonal.

Copa do Nordeste:
 
Camisas utilizadas em 2015 feitas pela Umbro
Junto com o Pernambucano a vergonha vinha na Copa do Nordeste, com o mesmo time e sem força de vontade o Timbu foi eliminado logo na primeira fase da competição. Com duas vitórias, dois empates e duas derrotas, o Náutico ficou na segunda colocação e de fora das quartas.

A primeira rodada o Náutico empatou com o Salgueiro dentro de casa, na segunda rodada perdeu para o Moto Club fora de casa, na terceira rodada ganhou do Piauí fora de casa, na quarta rodada empatou com o Piauí dentro de casa, na quinta rodada venceu o Moto Club dentro de casa e na sexta rodada perdeu para o Salgueiro fora de casa.

O Náutico fez 10 gols e levou 11 gols em 10 jogos, ficando com oito pontos e saldo de -1. Eram cinco grupos, os cinco primeiros eram classificados para as quartas e os três melhores segundos colocados também. O Timbu ficou como o quarto melhor segundo colocado e ficou de fora.

Copa do Brasil:

Saiu na terceira rodada, jogou bem todos os jogos e começava a ver como seria o resto do ano. Junto com o Brasileiro o time estava com tudo e começando a base que seria pra resto da temporada. O time alvirrubro fez seis gols e levou três gols em cinco jogos.
 
Elenco comemorando uma vitória no vestiário
O Náutico na primeira rodada fez seu primeiro jogo contra o Brasília fora de casa e venceu por 1x0, placar que implicou no segundo jogo, na volta, o Timbu venceu por 2x0 e eliminou o Brasília. Na segunda rodada o Timbu venceu o Jacuipense fora de casa por 2x0 e eliminou o jogo da volta. Na terceira rodada foi o grande desafio, em grande momento, o Náutico foi enfrentar o Flamengo-RJ no Maracanã arrancou o empate, onde quase saiu com a vitória, no jogo da volta, o time Carioca foi superior e venceu por 2x0 eliminando o Timbu da competição.

Brasileiro Série B:

O time era o desacreditado, o que vai brigar pra não cair, já estava rebaixado antes mesmo de começar o campeonato pela imprensa. No fim da competição, 5º lugar ficando a dois pontos do G4 e calando a boca da imprensa que só quer criar intriga.
 
Comemoração do primeiro gol do campeonato, contra Luverdense
O ano de 2015 foi o melhor começo do Timbu na competição, cinco vitórias e um empate nos seis primeiros jogos. Começou de forma que ninguém esperava, nem mesmo os jogadores, nem mesmo a torcida. Mas isso não abalou, a maioria dos jogos o Timbu tentou, mesmo que alguns dava vontade de esganar cada jogador por falta de compromisso e honra a camisa. O campeonato é longo, tivemos altos e baixos, mas sempre do meio da tabela pra cima, chegando até liderar em algumas rodadas. Perdemos jogadores machucados e por cartões em partidas importantes, mas essa é a competição. Em minha opinião, a melhor partida foi contra o nosso rival, Santa Cruz, pelo segundo turno, onde o Timbu venceu por 3x1 de virada no Arruda, nesse momento começamos a acreditar no acesso pela arrancada que foi. Porém, como tudo não é as mil maravilhas e nos jogos decisivos não vencemos, ficamos a dois pontos da zona de classificação.

Um belo campeonato para um time que iria ser rebaixado, um belo campeonato para um clube que não tem patrocinador master, um belo campeonato para um clube em crise financeira. Foram 18 vitórias, nove empates e 11 derrotas. 49 gols feitos e 42 gols levados ficando com saldo de sete gols positivos.

2016:

No fim de 2015, eleição no Náutico. Houve duas chapas, as duas queriam o técnico Gilmar Del Pozzo que querendo ou não, fez um ótimo trabalho em pouco tempo. Depois da novela, o Gilmar falou que fica e agora vai trabalhar com novo presidente do Timbu, Marcos Freitas, e o novo diretor executivo de futebol, Alexandre Faria. O técnico e o diretor prometeram trabalhar intensivamente para conseguir a prioridade de 2016, título. O objetivo era manter cerca de 60% ou 70% do elenco atual, mas como é difícil, deve ser cerca de 30% ou 40%. Jogadores importantes no ano de 2015 que já estão confirmados para 2016 são: Fabiano Eller, Ronaldo Alves, Gastón Filgueira, João Ananias, entre outros.

O destaque alvirrubro no ano foi João Ananias, sem sombra de dúvidas. Jogador mais regular e com muita raça na maioria dos jogos. No fim do campeonato sofreu uma lesão séria no joelho, fez a cirurgia e vai ficar de fora por seis meses. Deve voltar no fim do Pernambucano.

Que 2016 comece e termine melhor que 2015.

“Tua força e tua garra, fascina e seduz”

@LamenhaMarcus

Dispensas e contratações. Uma nova Chapecoense para 2016

A diretoria de futebol Chapecoense segue trabalhando duro para montar o plantel que defenderá as cores do Verdão em 2016.

Wanderson depois de quatro anos, deixa a Chapecoense. Foto: Petra Mafalda/Agência Estado
O primeiro passo foi dispensar os jogadores que não fazem parte dos planos do técnico Guto Ferreira, no total foram 12 dispensas, o goleiro João Paulo, o lateral Tiago Costa, o zagueiro Felipe Zang, os volantes Elicarlos, João Afonso, Richarlyson e Wanderson, este último encerrando um ciclo de quatro anos no clube. Quem também deixou a equipe foi o meia Wagner, e os atacantes Tiago Luís, Flavinho, Matheuzinho e William Barbio.

Em seguida foi a vez da renovação dos contratos, cujos vínculos se encerram no final de dezembro, o primeiro nome a acertar sua renovação, foi o goleiro Nivaldo, de 41 anos, que completará 10 anos na equipe, depois foi a vez dos zagueiros Vilson, William Thiego e Neto, o volante Gil, o meia Neném e os atacantes Bruno Rangel e Ananias. Que se juntam a Danilo, Sílvio, Rafael Lima, Camilo, Cleber Santana, Hyoran e Bruno Silva, que já possuem contrato para a próxima temporada.

Entre os jogadores que seguem nos planos de Guto Ferreira e a diretoria corre para acertar suas renovações de contrato, estão os laterais Apodi, destaque da equipe em 2015, e Dener, além do meia-atacante Maranhão. Quem estava nos planos e deixou a equipe foi o atacante Tulio de Melo, que deve acertar sua ida para a China.

Em relação às contratações, a diretoria anunciou durante a semana seis jogadores, que serão apresentados no dia 5 de Janeiro, dia da reapresentação da equipe e início da pré-temporada. O primeiro nome foi do atacante Silvinho, o jogador estava no Joinville e ainda conta com passagem recente pelo Criciúma.

Depois foi a vez dos laterais João Lucas, do Paysandu e Gimenez, do Goiás, além dos volantes Josimar, ex Internacional, Palmeiras e por último defendendo a Ponte Preta, Moisés, com rápida passagem pelo Sampaio Corrêia, e do atacante Kempes, do Joinville.

Kempes divide opiniões entre os torcedores Chapecoenses. (Foto: Marketing Chapecoense)
A direção, porém corre para anunciar mais nomes até a próxima quarta-feira (23), um nome especulado é do meia Uruguaio, Martin Alaniz de 22 anos e atualmente no River Plate, do Uruguai. 

Marcelo Weber || @acfmarcelo

2015, o ano em que o Remo ressurgiu

O ano de 2015 começou de maneira boa para o Remo. Eleição direta, onde os sócios do clube puderam exercer seu papel de torcedores apaixonados e participar do presente e futuro do clube. Mas o "bom" durou pouco tempo. A eleição que tinha tudo para ser um marco histórico de maneira positiva dentro da história do clube, logo se tornou um pesadelo. A eleição onde Pedro Minowa e Henrique Custódio foram eleitos, logo foi invalidada e o clube permaneceu sem presidente por um período. Período esse que já estava próximo do início do calendário profissional e contratações deveriam estar sendo realizadas, projetos e pagamentos. O clube ficou parado.

Pedro Minowa e Henrique Custódio, presidente e vice presidente do Clube do Remo em 2015. (http://globoesporte.globo.com/pa/)
E além desse pesadelo, tivemos que contar com a presença do rival na série B nos assustando sobre uma possível derrota nos Campeonatos Paraense e Copa Verde, pois o lado de lá já estava todo organizado e o nosso... Bom, o nosso não tinha nada por enquanto, mas tínhamos aquele sentimento que nunca e nem ninguém irá entender: O AMOR! Mas e aí?! Será que só o amor basta?! Afinal, já foram tantos anos batendo na trave, tentando o acesso à série C, tentando sair desse limbo que é ter que disputar uma vaga no Campeonato Paraense pra poder jogar a série D, e tanto estresse e pressão, pois o Remo é grande, é gigante, mas esses problemas nos bastidores ficariam nos prejudicando até quando?

Após todo o tormento acerca da eleição, Pedro Minowa e Henrique Custódio, presidente e vice, respectivamente, assumiram seus cargos de forma direita – para comandarem o Remo no biênio 2015/16. A gestão acabou passando por problemas internos, levando a uma crise administrativa. Ambos se licenciaram dos cargos e, em seguida, renunciaram. O presidente do Condel, Manoel Ribeiro, passou a ocupar, também, a presidência do Condir. Ao longo dessa crise interna que parecia ser interminável, o Remo foi bicampeão do Campeonato Paraense e assim conquistou a vaga para a série D.

Bicampeão Paraense. (http://globoesporte.globo.com/pa/)
A Copa Verde foi um momento mágico para a torcida e para os jogadores. Muitos acreditavam que o time era limitado e não teria condições de passar por certos clubes, bem... A vitória em cima do Paysandu (não é novidade) nos mostrou que o Remo sempre consegue superar qualquer limite e expectativa. Eliminamos o rival da competição, os deixamos de fora da Copa Verde de 2016 (mas agora eles já estão dentro de novo daquele jeitinho que eles sempre fazem e a gente conhece bem, né?!) e fomos para a final. Fomos para a final disputar com um time que todos diziam ser muito superior ao Remo. Pois bem, Remo jogou brilhantemente o primeiro jogo, uma vitória linda e um placar de 4x1 em cima do Cuiabá, acendeu na cabeça dos azulinos o sonho de disputar uma competição internacional. Mas estamos falando de Remo. E no Remo, nada é fácil. Nada é assim feito conto de fadas. Remo perdeu o segundo jogo de maneira apática e surreal, o placar foi revertido e fomos vice da Copa Verde. Choramos? Sim. Mas não nos desesperamos. O ano ainda estava por vir... O melhor estava por vir.

Vice campeão da Copa Verde: surpresa e frustração na mesma medida. (http://globoesporte.globo.com/pa/)
O objetivo do Remo sempre foi o acesso à série C e o clube estava focado. Mas as brigas internas continuavam e as dúvidas sobre o elenco assombravam. O Campeonato Brasileiro era o foco, mas não tínhamos um elenco formado ainda. A torcida nunca deixou de acreditar, os jogadores também e isso foi refletido dentro de campo. Mesmo pagando advertência e não tendo jogos em casa, Remo conseguia manter média boa nos jogos, e chamou a atenção desde a Copa Verde dos canais de transmissões. 

Técnico Cacaio: o homem que conhecia o Remo mais que todos. (http://globoesporte.globo.com/pa/)
Nesse ano de 2015, finalmente as coisas "básicas" dentro do clube, apesar das constantes confusões nos bastidores começaram a funcionar. Uma ASCOM qualificada, sócio torcedor fluindo, lojas próprias sendo abertas, pagamentos de salários de funcionários em dia... Acredito que Deus é justo. Eu sei que ele é! E por isso, quando finalmente o clube começou a engatinhar rumo ao profissionalismo, o tão sonhado acesso veio. E veio da maneira mais linda. Dentro de casa. Mangueirão lotado. Milhares de corações batendo no mesmo ritmo. Tanto choro. Tanto abraço. Tanta emoção. Logo nesse ano que tudo parecia estar perdido. Nesse ano que perdemos um grande ícone para o clube, o Mudinho, funcionário do Baenão (Estádio Evandro Almeida). Eu via as fotos lindas. Vídeos lindos. E pela primeira vez na vida, estou distante do meu amado clube. Distante fisicamente. Meu coração e minha alma continuam por lá, sempre. Mas eu pude ver em cada registro, o amor transbordando naquele dia.

Em 2015 o tão sonhado acesso veio. Série C em 2016. (http://globoesporte.globo.com/pa/)
Remo jogará a série C em 2016. O pesadelo acabou. O Remo tá ressurgindo e agora já não tem mais medo de nada. A tendência é que essa caminhada rumo ao topo continue fluindo assim, mesmo que seja lenta. O Remo merece estar entre os melhores, e isso vai demorar, nós sabemos, mas já passamos pela pior fase. Remo agora vive uma ótima fase extracampo onde há pouco tempo o Conselho Deliberativo (Condel) do clube, em reunião extraordinária, definiu que a eleição para escolha do novo presidente do clube acontecerá no dia 23 de janeiro (sábado) do ano que vem. Os sócios proprietários e remidos terão direito ao voto que definirá o nome do mandatário para 2016.

Lojas próprias com produtos originais e patenteados estão fazendo sucesso nos shoppings da cidade. Contratações e renovações estão sendo feitas, mas a principal expectativa é acerca da permanência ou não do meia Eduardo Ramos, protagonista desse ano ímpar para o futebol azulino.

Eduardo Ramos, o homem do Remo. Por enquanto vivemos a expectativa da permanência dele ou não no clube. (http://globoesporte.globo.com/pa/)
O sócio torcedor do Remo nesta quarta-feira ultrapassou a marca de 10 mil sócios, de acordo com o Movimento por um Futebol Melhor, idealizado pela Brahma. Com isso, o clube consolida-se no Top 20 do Torcedômetro.

Atualmente, temos 10.071 associados e aparecemos na 17ª colocação do ranking geral de afiliados. O Remo possui mais associados do que clubes como Fortaleza, Vitória, Avaí, Ponte Preta e Goiás.

Bom, sobre o ano de 2016, os bastidores sobre as novas eleições estão do mesmo jeito que estavam há um ano atrás: muita polêmica. Mas isso é o início de  outro texto que fica para o ano que vem.

No mais, o ano de 2015 para o Remo foi um marco. Bicampeonato estadual, vice-campeão da Copa Verde, 10 anos do título nacional... 10 anos da conquista da série C. 10 anos depois voltamos para a mesma série C e esperamos que o ano de 2016 seja repleto de emoções e felicidade como foi este ano que passou. O amor? Bom, isso nunca faltará. Nem por um momento. Nem um por um minuto. Nem nos piores momentos.

"...nunca se esqueça, nem um segundo, que eu tenho o amor maior do mundo. Como é grande o meu amor, por você..."

Obrigada 2015. Feliz 2016 ao Remão da massa! 
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana