A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Jogo de grande publico e frustração

O Marseille recebeu o Bordeaux no Velodrome, com cinquenta e três mil almas, fazendo o que nenhuma outra é capaz de fazer na França, apoiar e empurrar nossa equipe para a vitoria. Existia um clima de muito entusiasmo, principalmente pela presença na casa mata de Rudi Garcia por primeira vez no comando do OM no Velodrome.

Twitter oficial do Olympique de Marseille
Na primeira etapa, o Marseille ficou com a bola na maior parte do tempo sem criar oportunidades claras, o adversário chegou a ameaçar em dois contragolpes desarmados pelo brasileiro Doria de ótima partida. No decorrer do primeiro tempo, Gomis sentiu a coxa, recebeu atendimento medico é volto para disputar o tempo restante com coxa enfaixada. A oportunidade mais clara criada pelo Marseille saiu dos pés de Florian Thauvin executando um arremate potente de fora da área. A primeira etapa se arrastou ate seu fim sem muitas emoções.

A segunda etapa prosseguiu igual à primeira, com muita lentidão nas trocas de passes e além de não conseguir criar uma jogada de ataque de perigo, muito menos finalizar no goleiro do Bordeaux. O melhor jogador do Marseille na temporada não resistiu às dores e saiu para a entrada do belga Leya Iseka, e foi com ele que o OM perdeu as melhores oportunidades da segunda etapa, deixando escapar a vitoria de local, decepcionando a torcida que lotou e deu um espetáculo no Orange Velodrome.

Após o jogo em coletiva de imprensa Rudi Garcia se mostrou satisfeito com o rendimento da equipe apesar de ter detectado algumas falhas.

Agora temos que esperar os exames de Gomis para saber o grau da lesão, preocupante pela importância que o jogador tem para o time. Com tempo Rudi Garcia ira impor seu estilo de jogo no time e as coisas melhorou. 

Atlético Tubarão e Almirante Barroso conquistam acesso à elite do Catarinense

O Campeonato Catarinense de 2017 já tem todos os seus integrantes definidos. Almirante Barroso, de Itajaí, e Atlético Tubarão, conquistaram seus acessos de forma antecipada na rodada deste final de semana.

Jogando em casa, o Almirante Barroso enfrentou o Juventus - concorrente direto - e precisava de apenas um empate para conseguir o seu objetivo. E foi o que aconteceu. O placar no Estádio Camilo Mussi ficou em 2x2. Safira e Fabio marcaram para o Almirante Barroso, e Vilmar e Filipe fizeram os gols do Juventus.


Fora de uma elite do futebol catarinense desde 1970, o Almirante volta à Série A após 45 anos sem estar em atividade. O clube de Itajaí somente disputou esta edição da Segundona graças ao Atlético de Ibirama que desistiu de sua vaga na Série A. Assim subindo o Guarani de Palhoça, e respectivamente o Almirante Barroso que com uma parceria com NEC Litoral, voltou ao futebol e de uma forma surpreendente, conquistando o acesso.

Já o Atlético Tubarão, conquistou o seu acesso, jogando em Criciúma contra a fraca equipe do Porto. Em uma partida fácil para os comandados do técnico Marcelo Mabília, o Tubarão goleou por 9x1 ao natural. Os gols da partida para o Tubarão, foram anotados por Brasão (2x), Calyson (3x), Vitor Hugo, Parrudo, Alex e Lucas Crispim. Luan fez o de honra para o Porto.

Fora da primeira divisão de Santa Catarina desde 2009, o tradicional clube da Cidade Azul volta finalmente à elite após entrar como franco favorito ao acesso nesta edição da Segundona. A equipe conta com vários jogadores com rodagem no futebol catarinense como Brasão, Parrudo, Neto, Vitor Hugo e Valdo Bacabal e também com o bom técnico Marcelo Mabilia que após fazer boa campanha na elite com o Inter de Lages, agora conquista o acesso com o Atlético Tubarão.

Agora, Almirante Barroso e Tubarão irão cumprir suas tabelas para após o término do returno, duelarem numa final em dois jogos, para ver quem será o grande campeão da Segundona de 2016. E no próximo ano, irão fazer companhia a Figueirense, Avaí, Chapecoense, Criciúma, Joinville, Brusque, Inter de Lages e Metropolitano na elite do futebol catarinense.

Patrick Silva | @figueiradepre

Vila Nova peca e sai derrotado pelo Tupi em Minas

No último sábado (29), o Tigrão foi até Juiz de Fora, onde foi derrotado pela equipe da casa por 1x0. Com isso o Vila deu adeus a qualquer chance de um possível acesso, e já começa a pensar em 2017. No próximo dia 9 de novembro, o clube terá novas eleições onde o futuro do Tigre está em jogo, o nome forte da vez é do ex-diretor de marketing Murilo Reis. Murilo ajudou nas conquistas do clube em 2015 junto ao ex-presidente. Enfim, vamos ao jogo!

O Tigre não teve um final de semana agradável, o time errou e foi surpreendido pelo Tupi. A equipe Colorada começou melhor em campo com mais presença ofensiva, demonstrou superioridade sobre a equipe da casa, errando muito no final viu o adversário vencer a partida.

Vila Nova foi até Juiz de Fora onde saiu derrotado pelo Tupi. Foto: Felipe Couri/Tupi FC).
Na etapa final Vila teve uma boa oportunidade com Moisés, que entrou na área, finalizou rasteiro para a defesa do Rafael Santos. No lance seguinte, Heroshi tirou da marcação e chutou de fora da área para a grande defesa de Wagner Bueno. Logo em seguida, o Galo abre o marcador em uma bela cobrança de falta de Heroshi que ainda teve um desvio na barreira Vilanovense que matou o goleiro Wagner, 1x0 Tupi.

Atrás do placar o Vila correu contra o tempo, o comandante colorado Guilherme Alves optou por jogadas aéreas ao colocar o centroavante Frontini, foi ai que o Tigre abusou das bolas lançadas na área. Em uma delas Frontini reclamou bastante de um toque na mão do zagueiro do Tupi. O árbitro seguiu o jogo sem nada marcar. 

Foto: Felipe Couri/Tupi FC
Nervoso em campo, o time do Vila se envolveu em uma confusão com o gandula que estava fazendo cera, o lance que rendeu em expulsão do lateral Bruno Oliveira que estava no banco de reservas. O Tupi ainda teve chances de marcar o segundo, porém não aproveitou a oportunidade.

O sonho Vilanovense por mais um ano ficará novamente pelo caminho, o time pode ter lutado mais o feito era algo impossível. Chegaram onde puderam, desde o início o objetivo do clube era se manter e conseguiram.

O Vila agora cumpre tabela e já deve começar a fazer o planejamento para 2017 após as eleições que define o novo presidente do clube. É na próxima sexta-feira (04) as 21h30, o Vila receberá a equipe do Bahia no Serra Dourada, em Goiânia. Com 46 pontos o Tigre estacionou na 11°, a 8 pontos do Náutico, último time do G-4, é a 16 pontos á frente do Bragantino primeiro time do Z-4. Ainda resta 15 pontos em jogo e com isso o Tigre garantiu matematicamente sua permanência na Série B 2017.

Náutico bate o líder e está de volta ao G4

Náutico e Atlético-GO entraram em campo na noite desta sexta-feira, em jogo válido pela 33° rodada do Campeonato Brasileiro da Série B de 2016. Os dois times visavam o mesmo objetivo, vencer e dar um passo maior rumo à elite do futebol brasileiro em 2017. Para esse jogo o Náutico contou com o retorno de três importantes jogadores em relação ao jogo anterior contra a Luverdense no Mato Grosso, o goleiro Júlio César, o meio campista Marco Antônio e o atacante Rony.

Os primeiros 15 de minutos de jogo da equipe alvirrubra foi avassalador, o timbu como era esperado por jogar em casa, iniciou o jogo no abafa, o atacante Bergson acertou a trave da equipe goiana e logo depois a zaga não se entendeu e a bola acabou sobrando para Rony que finalizou pra fora. Marco Antônio, que por sua vez era responsável por comandar o setor de meio campo, achou um belo lançamento para o atacante Rony novamente que invadiu a área e fez o arremate, assim obrigando o goleiro Kleber a fazer sua primeira defesa difícil na partida, em contrapartida o Atlético-GO teve chance clara de gol com o meio campista Michel, que partiu do meio campo ficou cara a cara com Júlio César que fez uma belíssima defesa mantendo o placar zerado no jogo. O restante do primeiro tempo foi muito brigado e nenhuma equipe conseguiu mexer no placar, assim dando resultados finais a primeira etapa, Náutico 0-0 Atlético-GO.

Foto: Futebol do interior
Logo no primeiro minuto da segunda etapa o Náutico avançou e após um escanteio cobrado pela esquerda por Vinicius, o zagueiro Marlon afastou da pequena área e a bola sobrou pra Rony que emendou de primeira e fez um golaço, abrindo o placar para o timbu na arena Pernambuco. Aos 15 minutos da segunda etapa, Rony acreditou em uma jogada improvável pela linha de fundo tirou do goleiro Kleber e sem ângulo de costas concluiu para o gol, assim marcando seu segundo gol na partida e ampliando a vantagem da equipe pernambucana no jogo, Náutico 2-0 Atlético-GO.

Restante da partida e uma desatenção fatal no restante do segundo tempo o jogo permaneceu truncado, Náutico tentando investidas no ataque, o Atlético-GO por sua vez manteve sua performance de pouca criatividade, o seu principal articulador, Magno Cruz, esteve apagado no jogo e não conseguiu desempenhar seu papel no meio campo dos goianos. Aos 45' minutos do 2° tempo de jogo o time visitante partiu pra cima e achou um gol após bela jogada de Magno Cruz e Alisson que tabelaram e o meio campista Magno concluiu com êxito na saída do goleiro Júlio César, descontando para o Atlético-GO e dando resultados finais a partida, Náutico 2-1 Atlético-GO. Com esse placar o Náutico voltou ao G4, e na próxima rodada visita o CRB em Alagoas.

Foto: Superesportes Pernambuco 
Destaques da partida: O melhor jogador da partida foi sem dúvidas o atacante Rony, o jogador alvirrubro além dos seus dois gols, dentro de campo flutuou, correu, brigou, e não deixou o miolo de zaga adversária respirar em nenhum momento, ao término da partida o jogador saiu ovacionado pela torcida por sua grande atuação. Outro jogador que também ganhou muito destaque no jogo e merece menção honrosa é o zagueiro Igor Rabello, foi responsável por vários desarmes no setor defensivo e também foi muito elogiado durante todo o jogo.

Era para ser uma goleada, faltou sorte ou foi incompetência?

Heaton roubou as atenções no jogo. (Getty Images)
Faz tempo que não via o Manchester dominar um adversário como no jogo contra o Burnley, no sábado passado. Foram pelo menos 19 chances reais de gol, onde ou erramos na conclusão ou a defesa conseguiu afastar ou o goleiro que estava num dia espetacular conseguia fazer a defesa, tudo funcionou muito bem, menos a finalização, e quando digo que não funcionou, não quis dizer que não fizeram nada, pois na realidade produziram muito bem, faltou a bola entrar, e que em minha opinião foi capricho dos deuses do futebol, que queriam que Heaton, o goleiro deles, se consagrasse nesta partida. Até a expulsão de Herrera foi estranha, não acho que deveria ter sido expulso, dá pra ver claramente que não foram lances violentos nem intencionais, que apenas a marcação das faltas bastaria, sem a necessidade da punição utilizando o cartão. Restou o 0x0 e mais lamentações. Está ficando difícil até para quem é otimista como eu, não pelos resultados em si, mas a cada jogo é uma bateria de comentários negativos ou positivos, que dependem do resultado, ninguém mais para analisar a situação real, tudo é momentâneo, e como já falei anteriormente imediatista.

Defesa de handebol na finalização de Ibra. (Getty Images)
Em outra posição, mas usando o mesmo recurso que Peter Schmeichel usou muitas vezes no nosso gol. (Getty Images) 
Para mim o que de pior está acontecendo nesses últimos anos é a descaracterização do estilo de jogo do Manchester United, uma coisa que acompanho o time há bastante tempo para sentir essa mudança, sempre jogamos com o 4-4-2 tradicional, dois zagueiros, dois laterais, dois meias centrais, dois meias laterais e dois atacantes, vou dar de exemplo nossos dois times mais famosos:

Campeões da Champions em 98/99. (ESPN) 
Manchester United 98/99

Schmeichel

G. Neville - Stam - Johnsen - Irwin

Beckham - Keane - Scholes - Giggs

Cole - Yorke

Repetindo a dose em 07/08 com a mesma receita. (Lapresse)
Manchester United 07/08

Van der Sar

G. Neville - Ferdinand - Vidic - Evra

Cristiano Ronaldo - Hargreaves (Carrick) - Scholes - Giggs

Tevez - Rooney

Você pode perceber que a estrutura do time era a mesma, e sempre jogamos assim, com duas linhas de quatro e dois atacantes que por vez poderiam ser ambos de área, ou um centroavante combinando com um segundo atacante ou até com dois segundos atacantes usando a velocidade, mas quase não existia variação do esquema do meio para trás, era o jeito Manchester de se jogar futebol, e deu muitos resultados, e acredito que deveria continuar jogando com este estilo, mais que um estilo é uma identidade, assim como o toque de bola do Barcelona e o jogo vertical do Bayern. Em minha opinião devemos resgatar nossa identidade e deixar essas experiências para os outros clubes, vamos voltar a vencer com nosso estilo.

Mais uma grande defesa de Heaton, que liderou a defesa e garantiu o 0x0. (Getty Images)
De última hora uma notícia bem interessante, Schweinsteiger voltou a treinar com o elenco principal, torcer para ele chegar com vontade e bem fisicamente, qualidade ele tem de sobra, já imaginou o 4-4-2 mágico contando com todos no nosso elenco em totais condições de jogo:

De Gea

Valencia - Bailly - Smalling - Shaw

Mata (Mkhitaryan) - Schweinsteiger (Schneiderlin) - Pogba (Herrera) - Martial (Depay)

Rooney (Rashford) - Ibra
Herrera deveria ter sido expulso? Para mim foi exagero da arbitragem. (Getty Images)
Que esquadrão, basta conseguir colocar os caras para jogar, mas aí é problema de Mourinho, eu só posso torcer e esperar pelo melhor, até a próxima e GGMU!

Flu amarga empate no seu reencontro com o Maracanã

Fala, torcida Tricolor!

Que gosto amargo Guerreiros, na volta ao Maracanã com mais 20.000 tricolores ali presente não foi o suficiente para que saíssemos com a vitória. Perdemos a oportunidade de se igualar ao Corinthians e ficar apenas a um ponto do G6, só não ficou tanto no prejuízo pelo fato dos que também estão na briga, terem tropeçado na rodada.

Comunicação Institucional FFC/ Foto: Nelson Perez / Fluminense FC 
Os primeiros minutos do 1º tempo não foi o que se esperava, sem grandes chances pra ambos os lados, o Flu principalmente deixou a desejar quando se tentava encaixar um ataque e sem falar os erros de finalizações, complicado para quem jogava em casa e mais do que nunca precisando da vitória. Falando em Vitória, foram eles que não desperdiçaram e abriu o placar com Marcelo aos 31' da primeira etapa. Nossa reação não demoro, Richarlison aos 37' de pênalti em mais uma polêmica envolvendo os juízes, o pênalti que foi fora da área, mas o juiz nada fez e deixou seguir o lance e assim convertendo o pênalti. E a virada veio com Cícero de cabeça em um raro e belo cruzamento de Wellington Silva aos 43', terminando então o primeiro tempo.

Bom, ganhando o jogo, criando boas jogadas e chegando mais ao ataque do adversário, parecíamos encaminhar então a vitória e finalmente sair da seca. Só não contávamos com as burradas do nosso querido técnico Levir, que nos fez o favor de tirar os dois melhores em campo Wellington e Richarlison, colocando assim Marcos Jr e Magnata, deixando três volantes em campo chamando o adversário pra cima e levado então sufoco até o final do jogo, sem contar a lambança do zagueirão Gum, como de costume. Time mal taticamente, sem vontade de vencer, sem raça e não deu outra, Marinho no finalzinho fazendo o gol de empate do Vitória, jogando um balde de água fria em todos nós, terminando assim a partida em 2x2.

Infelizmente não foi um reencontro que esperávamos depois de tanto tempo sem o Maraca, torcida presente e fazendo uma linda festa não esperávamos essa decepção e desgosto novamente Guerreiros. Agora é focar no próximo jogo contra o cruzeiro fora de casa, o que não vai ser nada fácil, lutar até que haja possibilidades e acreditar até o fim.

Saudações Tricolores

Bianca Wanlume 

Ceará perde para o Bahia e se complica na Série B

Ceará perde mais uma na Série B e ver acesso virar missão mais que impossível.

FOTO: Divulgação/Bahia
Mais uma vez os mesmos erros e as mesmas desculpas, é essa a rotina do Ceará no segundo turno da Série B, no ultimo sábado os comandados de Sérgio Soares até começaram vencendo a partida, mas em um segundo tempo apático, simplesmente assistiram o Bahia virar o jogo e sacramentar a sua vitoria.

Sabíamos que seria uma partida complicada, o Bahia é um dos fortes candidatos ao acesso, tem um elenco recheado de bons jogadores, um treinador experiente e o apoio da sua fiel torcida. Nos minutos iniciais o Bahia pressionou e criou uma ótima chance com Renato Cajá e minutos depois colocou uma bola na trave.

O time alvinegro deu a resposta aos 12 minutos, quando Bill não aproveitou a falha da defesa adversária e desperdiçou uma chance na pequena área. O Ceará voltou ao ataque aos 27 minutos, mas dessa vez Lele não perdeu a chance, em uma bela jogada de Felipe, o camisa 10 serviu ao atacante que empurrou paras as redes. Ainda no primeiro tempo o Bahia perdeu a sua melhor chance até então, após uma vacilada do goleiro Everson.

Guto Ferreira precisando do resultado mostrou a força do seu elenco, sacou Renato Cajá (estava discreto, só teve aquela primeira chance do jogo) e em seu lugar colocou Régis, esse mudou a história da partida, mas a favor dos baianos. Aos 12’ e aos 18’, o goleiro Everson se redimiu da falha do primeiro tempo, fazendo duas defesas dificílimas, mas um minuto depois não teve goleiro, zagueiro e nem um ser vivo dessa defesa que marcasse Edgar Junior, em uma cabeçada solitária empata a partida.

Régis mudou a história do jogo. FOTO: FutebolBaiano
A defesa (se é que podemos chamar isso de defesa) do Ceará decidiu mostrar suas fragilidades e assistiu a troca de passes entre Hernane e Régis, o meia tricolor entrou na área sem nenhuma marcação e virou a partida. Achando pouco, Charles não conseguiu dar um chutão e Diego Felipe faz um golaço, mas contra. E assim o Ceará aceitou mais uma derrota e viu o acesso virar apenas um grande sonho.

Essa partida serviu para mostrar duas coisas: A primeira é que time que quer realmente brigar por acesso precisa ter elenco forte, compare, o Bahia tinha Régis (decidiu o jogo) e o Ceará Serginho (que há muito tempo deveria ter ido embora por deficiência técnica). A segunda é como o Sérgio Soares se acovardou nessa partida, recuou o time excessivamente e chamou o adversário pra cima, acho que ele não conhece nem os pontos fracos do seu elenco (a defesa) e o resultado foi uma derrota que pra muitos era natural e esperada.

Próxima partida do Ceará será diante do Tupi/MG, no próximo sábado 05/11 às 16h00min na Arena Castelão.

FICHA TÉCNICA - BAHIA 3 x 1 CEARÁ

BAHIA – Muriel; Eduardo, Tiago, Jackson e Moisés (Tinga); Juninho, Renê Junior, Renato Cajá (Régis) e Wesley Natã (Victor Rangel); Edigar Junio e Hernane. Técnico: Guto Ferreira.

CEARÁ – Éverson; Tiago Cametá, Ewerton Páscoa, Charles e Thallyson; Richardson, Felipe (Serginho), Felipe Menezes (Diego Felipe) e Wescley; Bill (Rafael Costa) e Lelê. Técnico: Sérgio Soares.

GOLS – Lelê, aos 27 minutos do primeiro tempo; Edigar Júnio, aos 19, Régis, aos 28, e Diego Felipe (contra), aos 36 minutos do segundo tempo.
CARTÕES AMARELOS – Renê Júnior (Bahia); Lelê e Felipe (Ceará).
ÁRBITRO – Francisco de Paula dos Santos Silva Neto (RS).
RENDA – R$ 575.858,00.
PÚBLICO – 27.177 pagantes.
LOCAL – Arena Fonte Nova, em Salvador (BA).

Davi Maia || @davims

Chelsea vence mais uma e continua perseguição aos líderes

Pela décima rodada do Campeonato Inglês, o Chelsea enfrentou o Southampton, fora de casa. A expectativa era de um jogo muito difícil, já que os Saints vinham de um empate em Manchester contra o time de Guardiola. Além de um ótimo empate na última rodada, o time do sul da Inglaterra defendia uma invencibilidade jogando em casa, desde fevereiro não perdia.

Diego Costa chega à artilharia isolada da Premier League. Fonte (Getty Images)
Antonio Conte manteve a formação que vem dando muito certo. O 3-4-3 com Azpilicueta, David Luiz e Cahill na zaga; Moses, Kante, Matic e Alonso; Pedro, Hazard e Diego Costa. Com essa escalação o time está jogando muito bem e seguro defensivamente. Quando o adversário tem a bola, Moses e Alonso fecham como laterais, deixando o time em um 5-4-1; Hazard e Pedro fecham na segunda linha.

O jogo começou em um bom ritmo, com apenas 5 minutos, Hazard e Moses tabelaram, o meia belga deu um lindo corte em Davis e bateu forte entre as pernas de Foster para abrir o placar. Após o primeiro gol, os donos da casa controlaram o jogo, com muita pose de bola, mas poucas chances, uma com Austin aos 13’ e outra com Tadic aos 28’. Diego Costa aos 41’ teve a grande chance para dobrar a vantagem, recebeu livre e chutou cruzado para boa defesa de Foster. 

Hazard já marcou mais gols que em toda a última temporada. Fonte (Reuters)
À segunda etapa começou com os Blues em cima, diferente do primeiro tempo, Fontes já havia salvado os Saints logo no começo, depois de cruzamento de Alonso. Mas após falta na intermediária, Hazard rolou para Diego Costa, que apenas ajeitou e chutou colocado, com curva, sem chance alguma para Foster. O Southampton sentiu demais o segundo gol, o Chelsea continuou em cima e teve pelo menos quatro chances claras de ampliar, sendo salvas por Foster.

Com mais uma vitória (2 a 0), os Blues chegam aos 22 pontos e se mantêm na 4° posição da Premier League. O ponto positivo é que o time chega a quatro jogos sem sofrer gols, marcando 11 nessas quatro partidas. Outra ótima notícia é Hazard e Diego Costa voltarem a jogar um grande futebol, combinando para 12 gols em 10 jogos (sete do Diego e cinco do Hazard). No próximo sábado o Chelsea tem jogo duríssimo contra o Everton, em Londres, visando se manter na briga pelo título inglês. 

De mal a pior, Sampaio sofre virada em Belém e está mais perto da Série C

O Sampaio Corrêa foi a Belém enfrentar o Paysandu, no Estádio Mangueirão, na tarde de ontem (29), pela 33ª rodada da Série B. O tricolor maranhense até saiu na frente no placar, mas acabou sofrendo a virada. A derrota por 2 x 1 diminuiu as esperanças de saída da zona de rebaixamento.

Sampaio perde para o Paysandu e está ainda mais próximo da Série C (Foto: paysandu.com.br)


O primeiro lance de importância do jogo foi protagonizado pelo árbitro Emerson de Almeida Ferreira. Ele marcou pênalti em uma disputa normal de bola entre Rodrigo Ramos, goleiro do Sampaio, e um jogador do Paysandu. Após uma longa discussão, ele acabou voltando atrás na marcação, pelo bem do futebol.

Um minuto depois, a Bolívia Querida abriu o placar no Mangueirão. Luiz Otávio deu um bico para frente e Edgar tocou de cabeça para Thiago Santos, que ganhou na disputa de corpo com o zagueiro e finalizou no canto, na saída de Emerson, que ainda tocou de leve na bola.

Não houve muito tempo para comemorar, pois o Paysandu tratou logo de empatar a partida. Aos 15’, João Lucas cruzou da esquerda e Rivaldinho, entre a defesa, subiu sozinho para cabecear para o gol.

O segundo tempo começou a todo vapor. Aos 7 minutos, Edgar fez uma ótima jogada pela esquerda, levou a bola para a linha de fundo e cruzou para Thiago Santos, que chegou finalizando junto com o defensor adversário, mas defendeu brilhantemente à queima roupa. No contra-ataque gerado por esse lance, o Paysandu chegou ao seu segundo gol. Leandro Cearense recebeu na direita, invadiu a área e finalizou por entre as pernas de Rodrigo Ramos para o fundo da rede.

Aos 11 minutos, Thiago Santos invadiu a área pela esquerda e finalizou para fora com muito perigo, na saída de Emerson. Aos 24’, Esquerdinha, estreando com a camisa do Sampaio, cruzou da esquerda e a bola caiu nos pés de Pimentinha. Ele limpou a jogada, mas finalizou fraco para a fácil defesa de Emerson. Nos acréscimos, Tiago Luís arriscou um chute forte de longe e o goleiro tricolor defendeu em dois tempos.

No primeiro tempo, o Sampaio marcou muito forte, não dando espaço para o adversário jogar, mas não conseguiu produzir grandes chances de gol. Chegou a abrir o placar, mas em uma falha defensiva, na qual o atacante bicolor ficou sozinho entre Héverton e Esquerdinha, acabou sofrendo o empate. E convenhamos que tomar um gol de Rivaldinho é de um amadorismo sem tamanho.

No segundo tempo, o tricolor voltou mais disposto a mudar o panorama do jogo, mas como estava desenhado desde o início dessa segunda etapa, o Paysandu esperava o momento certo para um contragolpe mortal. E foi assim que saiu o gol da virada. Mal posicionada em alguns lances, a defesa do Sampaio tomou bola nas costas em várias oportunidades, principalmente pelo lado direito. Após sofrer a virada, o time maranhense ainda tentou igualar o marcador de todas as formas, mas a derrota foi inevitável.

Em uma rodada na qual quase todos os adversários diretos na luta contra o rebaixamento tiveram resultados negativos, o Sampaio desperdiçou mais uma chance de melhorar sua posição na tabela e alimentar as esperanças de uma reviravolta. Agora restam apenas cinco jogos para concluir o campeonato e as chances estão quase esgotadas.

No próximo sábado (5/11), a Bolívia Querida receberá o Joinville, às 17h, no Estádio Castelão, em São Luís. As duas equipes precisam da vitória, pois lutam contra o rebaixamento. Perder ou empatar está fora de cogitação para ambas, senão a queda será dada quase como certa.

FICHA DO JOGO:
PAYSANDU 2 X 1 SAMPAIO CORRÊA

Local: Estádio Mangueirão, Belém (PA)
Data: 29 de Outubro de 2016
Hora: 17h (de Brasília)
Árbitro: Emerson de Almeida Ferreira
Cartões amarelos: Gustavo Marmentini (Sampaio Corrêa)
Gols: Rivaldinho, aos 15’ 1ºT, e Leandro Cearense, aos 8’ 2ºT (Paysandu); Thiago Santos, aos 11’ 1ºT

Paysandu: Emerson; Roniery, Fernando Lombardi, Pablo (Domingues) e João Lucas; Augusto Recife, Lucas (Cleiton), Jhonnatan e Tiago Luís; Rivaldinho (Bruno Veiga) e Leandro Cearense. Técnico: Dado Cavalcanti

Sampaio Corrêa: Rodrigo Ramos; Éder Sciola, Luiz Otávio, Héverton e Esquerdinha; Diogo Orlando, Diego Lorenzi, Hiltinho e Gustavo Marmentini; Edgar e Thiago Santos. Técnico: Flávio Araújo

Marcos Fernandes || Twitter: @poetafernandes
Linha de Fundo || @SiteLF 

domingo, 30 de outubro de 2016

O que acontece, Corinthians?

Timão saiu de campo frustrado, após empate com a Chapecoense na Arena e ficou fora do G6.

Foto: Site Oficial do Corinthians
Após o empate na rodada passada diante do Flamengo no Maracanã, que surpreendeu os Corintianos, na rodada seguinte jogando em casa, o rendimento não foi o mesmo, apresentou um rendimento apático, irritando bastante a todos. Esse jogo me lembrou de bastante da partida contra o Botafogo-RJ (na ocasião, perdemos de 3 a 1) onde o Corinthians esteve perdido em campo e mal conseguia dar três toques na bola.

A proposta da equipe visitante era de surpreender o Timão, não deixando jogar. E conseguiram, pois na primeira etapa, as melhores chances de gols foram deles, e na posse de bola também, pra variar estava me dando sono esse jogo, nada de tão emocionante. No meu ver, a ideia da Chapecoense foi a seguinte: Começar marcando intensamente, e se aproveitar dos erros e contra-atacar, porém eles cansaram e no segundo tempo, foi um pouco mais fácil de trabalhar a bola.

E o segundo tempo? Mudou? Não, não mudou nada. Ah, tá bom vai, deu uma leve melhorada, mas bem leve. Como disse antes, aos poucos conseguiu trabalhar mais a bola, teve mais liberdade para armar jogadas e arriscar. O técnico Oswaldo Oliveira resolveu ousar e testar Rildo no lugar de Marlone que não fez uma boa partida, e surtiu até um efeito, o time ficou mais ofensivo e aos 28 minutos, na entrada da área, Rildo sofreu uma falta, marcando o pênalti indiscutível, e convertido pelo Giovanni Augusto, que bateu no canto direito abrindo o placar para o Timão.                     

Após o gol, o time do Corinthians se animou e por algumas vezes quase ampliou, mas foi só. Até que praticamente dez minutos depois, pela segunda vez nesse campeonato, a jovem promessa Pedro Henrique cometer a penalidade que também foi convertida por Bruno Rangel. Basicamente não aconteceu mais nenhum lance espantoso para as duas equipes. Parece que se acomodaram e ficaram mais tocando bola do que ir pra cima. Com o resultado o timão saiu do G6, e atualmente está na 7ª posição com 50 pontos.

Vale ressaltar, três pontos importantes depois desse jogo: Primeiramente, o Corinthians quer mesmo G6? O time atual é competitivo, é nível de disputar e ser um dos candidatados a vencer a Libertadores do próximo ano? Porque no meu ver, se jogar esse futebol limitado e oscilante que está jogando, é melhor nem se classificar. Porém, na situação que o Corinthians está é essencial e importante que se classifique, mas para isso terá que se reforçar, e bem. Segundo, se especulou tanto sobre essa semana "vaga" para Oswaldo treinar bem a equipe, e chega ao sábado apresentar um futebol desse?! Não da né! Posso estar equivocado, mas Oswaldo com menos tempo, conseguiu fazer a equipe apresentar uma melhora do que nesta rodada, enfim, o que nos resta é aguardar.

E por último, não menos importante, vale lembrar também o protesto realizado na Arena Corinthians pela maioria dos torcedores presentes aos 31 minutos em razão a alguns torcedores inocentes que foram presos injustamente no Rio de Janeiro, especialmente o de André Tavares, que segundo amigos se quer estava presente na briga contra os policiais no Maracanã, conforme a imagem abaixo.

Torcedores do Corinthians protestam com faixas, pedindo à liberdade de André Tavares.
O próximo jogo é decisivo, é clássico, se o Corinthians quer mesmo a vaga na Libertadores de 2017, tem que voltar à vencer logo e já no próximo sábado, contra o São Paulo no Estádio do Morumbi, às 19h30.

Vai, Corinthians!

"Invictus" Benfica vence mais uma e abre vantagem na liderança

Pizzi marca o terceiro gol na vitória sobre o Paços de Ferreira (Foto:EFE)
O Benfica venceu nesta sexta feira (28), na Luz, o Paços de Ferreira e continua a invencibilidade no campeonato português, os encarnados venceram o oitavo jogo em nove pelo torneio e além de serem a equipe com mais ponto, também somam o melhor ataque e melhor defesa do torneio, o segundo critério dividem o posto de menos vazado com o FC Porto, seu próximo adversário e segundo colocado na competição.

Os encarnados que vem tendo um início de torneio nacional impecável, não falharam novamente em casa contra o Paços, e venceram por 3 a 0, em gols marcados por Gonçalo Guedes, Salvio e Pizzi. De quebra, as Águias ainda contaram com tropeços de Sporting e Porto que empataram e abriram vantagem na primeira colocação, agora a margem é de cinco pontos para os portistas, segundos colocados no certame.

O Benfica como sempre venceu, e bem, jogando com a paciência que lhe é conhecida desde que Rui Vitória assumiu a equipe, posse de bola e boas tramas ofensivas com paciência até achar a melhor opção para não falhar o gol. Além de claro, marcação forte sob os adversários, fazendo com que a pressa passe para o outro lado. Foi assim que foram construídos os três gols, no primeiro uma bomba de Cervi, após boa jogada individual e assistência de Cervi; o segundo uma linda jogada pela esquerda construída por Eliseu, que cruzou rasteiro, Mitroglou fez o corta-luz e Salvio chegou concluindo. No terceiro, o Benfica roubou a bola no meio, Pizzi recebeu, fez a tabela com Raúl Jiménez e concluiu para o gol do Paços. 3 a 0 com muita soberania e liderança garantida.

PRÓXIMO JOGO

O próximo jogo do Benfica será "O Clássico", o dérbi diante do Porto, no estádio do Dragão. Vale lembrar que Rui Vitória segue com dois problemas para o jogo, a ausência de Jonas, que voltará apenas no fim de novembro e de Rafa que está prestes a voltar, mas não deverá ser dessa vez ainda. De resto, o treinador conta com todos os jogadores para o jogo, de suma importância para o campeonato.
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana