A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Em jogo de tempos completamente distintos, Panthers vence o Seahawks


Na tarde do último domingo (17/01) tivemos, na Carolina do Norte, mais um jogo típico dos playoffs: não faltou emoção. No primeiro tempo, o Panthers dominou totalmente o jogo, com a defesa montando um verdadeiro paredão e o ataque sendo explosivo. No segundo, o Seahawks reagiu e conseguiu transformar uma derrota parcial humilhante de 31 a 0 em um perigoso 31 a 24. A vantagem construída pelos mandantes no início da partida foi fundamental para que a equipe se juntasse ao Arizona Cardinals, na final da NFC, que acontecerá no próximo domingo (24/01), às 21h30min, em Charlotte.

O jogo possuía todos os atributos necessários para tornar-se uma grande batalha, por tudo que os Panthers apresentaram na temporada regular e pela grande força que o Seahawks vem mostrando nos playoffs das últimas temporadas. Ademais, o duelo particular entre Russell Wilson e Cam Newton, dois quarterbacks da nova geração, se desenvolve para virar uma grande rivalidade no futuro da conferência. Enquanto os Panthers folgaram na semana anterior, o Seattle Seahawks contou com a sorte para avançar ao Divisional Round, isso porque o kicker  de Minnesota errou um Field Goal de uma distância menor que um Extra Point.


Um massacre. Basicamente, foi isso que aconteceu no primeiro tempo. Os Panthers já iniciaram o jogo no melhor estilo “on fire”. Jonathan Stewart correu 63 jardas até ser parado pela defesa dos Seahawks. Contudo, o TD foi somente adiado por alguns instantes, já que, logo depois, o próprio Stewart entrou na endzone e anotou os primeiros sete pontos da partida. Os visitantes tentaram reagir, mas acabaram parados pela excelente defesa dos donos da casa, que impediram o avanço de Lynch e depois forçaram uma pick six, conseguindo uma vantagem de 14 pontos já no primeiro quarto.

No segundo quarto, os Panthers seguiram arrasadores. Depois de uma campanha que terminou em punt dos Seahawks, os donos da casa responderam com mais um touchdown de Jonathan Stewart. No drive seguinte, mais uma interceptação de Russell Wilson e, desta vez, os Panthers tiveram que se contatar com apenas um FG. Um touchdown, em uma bela recepção de Greg Olsen, dilatou ainda mais o placar, deixando Cam Newton e companhia com uma vantagem de 31 a 00 no intervalo.


Enquanto todos já davam como certa a vitória dos Panthers, os Seahawks decidiram acreditar e quase conseguiram uma virada histórica. Com dois touchdowns, de Jermaine Kearse e Tyler Lockett, os visitantes ganharam sobrevida.  No restante do terceiro quarto, a partida seguiu morna, com o ataque do Seahawks  guardando gás para o final.

No último quarto, os Seahawks continuaram em busca da vitória. Kearse recebeu mais um touchdown e Hauschka anotou um FG de 36 jardas. No entanto, os 24 pontos conseguidos no segundo tempo não foram suficientes para a equipe avançar à final de Conferência.

Janaína Wille | @janainawille

Arizona bate Green Bay em confronto histórico


Pré-jogo:

Classificado como o segundo melhor da NFC, o Cardinals estava pronto para receber Green Bay em seus domínios, no meio do deserto de Arizona. Um duelo entre dois QBs de elite, ataques empolgantes e defesas fortes, todos os ingredientes para uma épica batalha de playoffs, e não foi diferente. Para muitos, o time mandante apresentou o melhor desempenho em toda a NFL nesta temporada, então nada mais justo do que serem considerados os favoritos para este embate, especialmente pela lavada que a franquia aplicou sobre o mesmo Packers há algumas semanas. Do outro lado, o visitante vinha de uma excelente vitória contra o Redskins na semana de wild card, estava com confiança e claramente não poderia ser subestimado para uma partida tão importante.


O duelo:

Com um belo TD de Michael Floyd, o time da casa já abriu vantagem logo no início e terminou o primeiro quarto na frente. Entretanto, Green Bay estava duelando de igual para igual, com boas jogadas defensivas, parando o melhor ataque da NFL e demonstrando que desta vez seria bem diferente daquele desequilibrado encontro da temporada regular. Com um par de field goals do Packers e nada mais produzido no ataque de Carson Palmer, as equipes foram para o intervalo com Arizona liderando por 7 a 6.

Na volta dos vestiários, uma interceptação de cada quarterback em suas campanhas iniciais manteve o placar inalterado. Ainda no terceiro quarto, após explosiva corrida de Eddie Lacy, Aaron Rodgers encontrou Jeff Janis pela primeira vez na noite na endzone e o Packers tomou a liderança.

O último e derradeiro quarto se iniciou com o placar em 13 a 10 para os visitantes e o equilíbrio permanecia em campo. Em uma longa campanha com conquistas de first down apertadas e quase sofrendo interceptação, o Cardinals finalmente encontrou a endzone em jogada inusitada. Com desvio do cornerback Randall, a bola caiu nas mãos de Michael Floyd e, novamente, seu time estava na frente. Green Bay recebeu a bola, sofreu um three and out e cedeu mais três pontos para Arizona com um field goal, além do tempo gasto na campanha.

Na última campanha, Rodgers tinha menos de dois minutos para conseguir um TD e tudo ficou mais difícil após um sack. O Packers ainda converteu uma milagrosa quarta para vinte com Jeff Janis e, com pouco tempo no relógio, já avançou para o campo de ataque. Faltando apenas cinco segundos, só restava à famosa Hail Mary para que Green Bay seguisse com chances de avançar. Incrivelmente, o raio caiu duas vezes no mesmo lugar. Touchdown Jeff Janis, que só tinha pouco mais de 100 jardas em toda a temporada, após passe de Rodgers desequilibrado, de forma surreal. O jogo iria para a prorrogação.

No overtime, o Cardinals ganhou o polêmico cara ou coroa e recebeu a primeira chance de marcar o TD de ouro que acabaria com o jogo. Em apenas três jogadas, com direito a avanço gigantesco do ídolo Fitzgerald em uma jogada fadada ao fracasso, o mesmo fez um TD terrestre, Arizona sacramentou a vitória por 26x20 e mandou Green Bay de volta para casa, sem dar a chance de Rodgers pegar na bola na prorrogação.


Análise:

Sem dúvidas foi uma partida épica e que ficará eternizada na história dos playoffs. Seja pela garra do veterano Fitzgerald por seu time, seja pela Hail Mary ou pela forma guerreira que Green Bay encarou os favoritos donos da casa mesmo sem peças importantes lesionadas, incluindo o principal WR Randall Cobb que saiu machucado no meio da partida.

Arizona segue mais vivo do que nunca após a primeira vitória em playoffs de Carson Palmer, e está agora a apenas um jogo do sonhado Super Bowl. O time viaja até Carolina no próximo domingo (24) para enfrentar o melhor colocado Panthers na decisão da NFC e o jogo promete. Já o Packers se despede da temporada de cabeça erguida, mas muita coisa deve ser feita até setembro caso o time almeje ganhar o seu quinto título no próximo ano.

Por José de Castro

Fumble elimina Steelers e Broncos avança nos playoffs


A bola pune e privilegia aqueles que erram menos. Foi desta forma que o Pittsburgh Steelers acabou eliminado dos playoffs e viu o Denver Broncos avançar graças ao único turnover da partida. Agora as franquias têm vidas bem distintas pela frente e muito que pensar nos próximos dias.

Pré-jogo:

Quem mais teve problemas foi o Steelers. Mesmo com lesão forte no ombro, o QB Ben Roethlisberger resolveu que iria pro jogo. Porém, Antonio Brown não teve a mesma opção e, já que estava em protocolo de concussão pela pancada contra o Bengals, não pôde jogar.

Do outro lado, a maior questão do Broncos foi relacionada também ao QB, já que ainda não se sabe se Manning está jogando machucado, como sugerem boatos, ou se o rendimento caiu apenas pela idade. Entretanto, ainda assim Peyton foi titular.


O jogo:

O duelo entre Big Ben e Peyton Manning acabou sendo um dos atrativos da partida. O primeiro conseguiu um bom trabalho apesar do problema no ombro. Já o segundo, que pode estar fazendo sua última temporada foi discreto – 222 jardas e 21/37 nos passes completados –, mas ajudou no resultado.

O primeiro quarto teve alguns pontos e serviu, também, para evidenciar alguns problemas das equipes. A primeira pontuação foi dos Broncos, com uma campanha que os deixou em uma boa posição para abrir 3x0. Pouco depois, Pittsburgh falhou de novo e um punt terrível deixou Denver em posição favorável para mais um FG. Entretanto, o Steelers se recuperou e fez o primeiro TD com Fitzgerald Toussaint. No segundo e no terceiro quarto, os kickers acabaram trabalhando mais e cada um acertou dois FGs, deixando o placar em 13x12 para os visitantes.

O último quarto acabou sendo o mais emocionante como já era esperado. Faltando quase três minutos no relógio, o Steelers tinha a posse de bola, mas Fitzgerald Toussaint sofreu fumble e a recuperação foi de Denver. Com isso, Manning teve facilidade para trabalhar e colocou CJ Anderson para correr atrás do 13x20. Cada franquia ainda acertou um FG, mas no fim deu Broncos por 16x23.


Os ataques tiveram diversos problemas e faltou, muitas vezes, eficiência na parte defensiva. Agora o Broncos precisará de atenção redobrada se quiser passar pela última fase antes do Super Bowl, e isso pede que o time consiga achar a força ofensiva que precisa. Já o Steelers mira a offseason e o Draft, que devem ser utilizados para corrigir as falhas do ano.

Agora teremos o fechamento da AFC com um confronto entre gigantes: Peyton Manning e Denver Broncos contra Tom Brady e New England Patriots. Esse será, provavelmente, o último Manning x Brady da carreira do QB do Broncos e certamente promete fortes emoções.

Por Mariana Sá || @imastargirl 
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana