A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

domingo, 24 de janeiro de 2016

Sport bate Argentinos Jrs e fatura a Taça Ariano Suassuna


A temporada 2016 já começou (aleluia!). O Sport perdeu peças importantes de seu elenco, como André, Diego Souza e Marlone, mas trouxe novos jogadores que tendem a não deixar a torcida com saudades dos antigos.

Enfim, o Leão trouxe vários jogadores: Maicon, Oswaldo Henríquez, Luis Gustavo, Christiano, Serginho, Luiz Antônio, Everton Felipe (retornando de empréstimo), Mark González, Reinaldo Lenis, Túlio de Melo e Jhonathan Goiano. Todos jogaram pela primeira vez no ano neste domingo (24) contra o Argentinos Jrs pela Taça Ariano Suassuna.

Taça Ariano Suassuna
Como em todo jogo de começo de temporada, o lado individual acaba valendo mais. Porém, além desse aspecto, o coletivo, principalmente com Lenis - Everton Felipe - Túlio de Melo, funcionou muito bem. Lenis já chegou mostrando para que veio, sendo rápido, indo para cima e participando muito do jogo, sendo um dos destaques da partida.

Sobre o jogo, a partida terminou em 2x0 para o Sport, com os gols de Everton Felipe, que, após a bola alçada na área, aproveitou o cochilo para abrir o placar; e o segundo com Túlio de Melo de pênalti. Durval ainda chutou uma bola na trave no 1° tempo e Mark González perdeu duas boas oportunidades de ampliar o marcador.


No segundo tempo, o Sport voltou com o "time b" e pouco se viu. O único lance importante foi o gol anulado do garoto Wallace. Aplausos após esse amistoso contra o Argentinos.

Melhor da partida: Com toda a certeza foi o colombiano Reinaldo Lenis, que já mostrou do que é capaz, fazendo a torcida não sentir falta de Élber - que atuou ano passado na mesma posição. Ressalto a boa partida do garoto Everton Felipe, que se saiu muito bem no meio-campo, fazendo gol e criando chances claras para seus companheiros.

Pior da partida: Chegou do Vasco, time que foi rebaixado no Brasileirão, isso realmente iria prestar? Bom em seu primeiro jogo, o volante Serginho pouco agradou, e, quem sabe, mais a frente eu possa mudar minha opinião (ou não).

Momento Okay Okay vai para o professor Paulo Roberto Falcão, que foi para o jogo com um figurino bem estiloso por sinal.


Antes de terminar, rumores dizem que o Sport está negociando com o atacante Lautaro Rinaldi, do Argentinos Jrs, e, sim, ele veio, atuou durante os 90 minutos e pouco mostrou, aliás mostrou que é cabeça quente e gosta de uma discussão. Jogar bola e fazer gol que é bom, nada.

Confira os gols de Sport 2x0 Argentino Jrs:


E assim rolou a segunda edição da Taça Ariano Suassuna, que homenageia o saudoso e ilustre torcedor Ariano Suassuna.

"Felicidade é torcer para o Sport" (Ariano Suassuna)

O que esperar do São Paulo em 2016?

O time é quase o mesmo, mas os reforços mudam tudo. Como será o São Paulo em 2016?

Talvez a pergunta mais frequente do torcedor são-paulino desde o final do ano passado seja essa "O que esperar do São Paulo?", um time que ficou brigando na parte de cima da tabela em todo decorrer do Brasileirão, porém com muitos altos e baixos, sofrendo goleadas dos rivais e perda de pontos dentro de casa, mas nos últimos jogos mostrou raça e agarrou a vaga da 1ª fase da Libertadores. Extracampo, os acontecimentos são bem conhecidos por todos, brigas com direito a soco entre dirigentes, renúncia, denúncias, entra e sai de técnicos e assim vai.

Para reformular o time para 2016, Leco trouxe Bauza, alegrando os torcedores e os surpreendendo - já que Edgardo Bauza não foi citado como suposto técnico Tricolor pela imprensa. Vendo os comentários da torcida e assistindo jogos de 2015 do São Paulo, "Patón" chegou à conclusão que o maior problema era o setor defensivo. Assim, a equipe foi em busca do tão desejado Lugano, dispensou Edson Silva e trouxe também o lateral-esquerdo Mena (ex-Cruzeiro). No setor ofensivo, trouxe Kieza (ex-Bahia) e está à espera da chegada de Calleri (o argentino entrou em acordo com o clube na última quarta-feira).

O São Paulo ainda tenta trazer Buffarini (lateral-direito do San Lorenzo), porém o time argentino, que recentemente renovou o contrato com o lateral, faz jogo duro para liberar o jogador e tenta brecar o assédio, porém a equipe paulista vê esse contrato apenas como tentativa de encarecer a transação, mas não brecá-la. Enquanto essa mais nova novela não termina, o Tricolor promoveu alguns garotos da base, como Joanderson (atacante), Lucas Fernandes (meia) e Banguelê (volante).

Leco também fechou patrocínio com a FIAP (Faculdade de Informática e Administração Paulista) e a Joli (empresa de material de construção), os contratos possuem validade de uma temporada e podem ser renovados por mais dois anos. Além da parte financeira, a faculdade vai fornecer equipamentos para capacitar funcionários e jogadores do clube. Já a Joli será parceira nos projetos do clube ligados a reformas e construções. A FIAP ficará na barra inferior da frente da camisa e a Joli na barra inferior da parte de trás.

No primeiro amistoso do ano, contra o Cerro Porteño, já podemos perceber um São Paulo diferente do ano passado. Ainda sem a participação de todos "novatos" - apenas Mena jogou -, notamos que a raça e a liderança de Diego Lugano, mesmo fora de campo, passou para os jogadores. Vemos um Tricolor procurando jogo, ofensivo, não o São Paulo do ano passado que parecia não ter vontade de ganhar.

O time titular nesse jogo foi: Denis; Bruno, Rodrigo Caio, Breno e Mena; Hudson, Thiago Mendes; Michel Bastos, Ganso e Centurión; Alan Kardec. O único gol da partida foi de Thiago Mendes na 2ª etapa. Com a saída de Pato e Luis Fabiano, Kardec e Kieza são as aposta no ataque. Já com a aposentadoria de Rogério, Denis vem para ser seu sucessor. Não dá para o comparar com o MITO, mas o goleiro vem fazendo um bom trabalho. Na zaga a aposta é em Rodrigo Caio, Lugano e Breno, os três muito elogiados pela torcida.

Ainda não se sabe como Bauza irá montar o time para jogos oficiais e com todos os reforços, porém, com um Tricolor mais "raçudo" e unido, os torcedores possuem motivos para acreditar em um 2016 bem melhor. Teremos mais amostras de como será isso na primeira partida oficial, sábado (30/01), contra o Red Bull Brasil pelo Campeonato Paulista, às 19h30 no Moisés Lucarelli. Logo em seguida, quarta-feira (03/02), São Paulo irá ao Peru enfrentar César Vallejo pela 1ª fase da Libertadores.

Guia do Campeonato Goiano 2016

O melhor estadual do Centro-Oeste está próximo de começar e com ânimos renovados e novas expectativas, os clubes goianos irão com tudo para brigar pelo título no que promete ser um campeonato mais emocionante para esse ano, algo que não aconteceu durante as últimas edições. Nos dias 30 e 31 de janeiro, a bola vai rolar nos gramados de Goiânia, Aparecida, Anápolis, Goianésia, Itumbiara, Trindade e Catalão.

As taças de campeão e vice campeão do Campeonato Goiano.
Foto: Globo Esporte.
História 


Antes de fazer um guia sobre um campeonato, nada melhor do que conhecer um pouco dele, não é mesmo? Pois tudo começou em 1944, um ano após a fundação de Goiás e Vila Nova, clubes que surgiriam para fazer crescer o nome do futebol no estado e disputar também com os dois grandes clubes daquela época: Atlético e Goiânia.

Na primeira competição, disputaram cinco equipes: Goiás, Goiânia, Atlético, Vila Nova e o Campinas, clube que foi fundado em 1939 e foi extinto. Naquele ano, os campineiros jogaram com os reservas do time do Atlético. Com o primeiro artilheiro do campeonato, Ari, marcando oito gols, o Dragão foi o primeiro campeão goiano, um título que foi muito festejado na época.

Equipe do Atlético que conquistou o primeiro título.
Foto: Wikipédia.
Nas décadas de 40 e 50, o futebol goiano era dominado por Atlético e Goiânia, tanto que, depois da décima edição do Goianão, o clube rubro-negro já estava com três títulos e o Galo estava com sete. A hegemonia das duas equipes era enorme e, com isso, as outras equipes nem conseguiam conquistar seu espaço.

A Era amadora do campeonato só acabou após 18 edições e, nisso tudo, o único time que conseguiu conquistar um título na época além de Goiânia e Atlético foi o Vila Nova em 1961. Após a profissionalização em 62, foi se acabando os destaques do Goiânia e do Atlético, e assim, mais clubes goianos foram conseguindo conquistar o campeonato.

Em 1970, após a 27ª edição do torneio, outros clubes goianos já haviam conquistado seus troféus. Entre eles, o Anápolis, o Crac e o Goiás, que ganhou seu primeiro título em cima de seu maior rival em 66.

Goiás conquistou seu primeiro título goiano em 1966.
Foto: Wikipédia.
O Goiânia Esporte Clube foi perdendo espaço no cenário goiano, que passou a ser dominado por Vila Nova, Atlético e Goiás. O clube colorado, inclusive, fez história no início dos anos 80, quando conseguiu ser tetracampeão goiano. Em 88, o Atlético conseguiu ser campeão, mas, depois disso, não conseguiu ter mais destaque no torneio goiano.


Equipe do Vila Nova que conquistou o tetracampeonato goiano em 1980.
Foto: Pôster de Times Campeões.
Nos anos 90, coisas interessantes aconteceram no futebol goiano e umas delas foi a conquista do Goiatuba em 92, ao vencer um jogo contra o Vila Nova no Serra Dourada, afinal, caso os colorados vencessem aquela partida, o Goiás ficaria com o título. Em 96 até 2000, o Goiás se tornou o maior campeão goiano da história e conquistou o pentacampeonato. Foi uma conquista histórica para o clube esmeraldino.

Em 2004, o Crac de Catalão conseguiu vencer o Vila Nova na final e se consagrou o único bicampeão goiano do interior. Em 2008, foi a vez de outro clube do interior fazer história e o Itumbiara acabou desbancando o Goiás na decisão em pleno Serra Dourada. O último título ficou com o Verdão Esmeraldino batendo a Aparecidense na final.

Goiás é o atual campeão goiano.
Foto: Globo Esporte.
Os campeões goianos:

1- Goiás - 25 títulos
2- Vila Nova - 15 títulos
3- Goiânia - 14 títulos
4- Atlético - 13 títulos
5- Crac - 2 títulos
6- Anápolis, Goiatuba e Itumbiara - 1 título

O Goianão 2016

O Campeonato Goiano desse ano será divido em dois grupos de cinco times cada, com três turnos. Os times do Grupo A e B se enfrentam no primeiro e no segundo turno com ida e volta; e no terceiro turno, as equipes do mesmo grupo se enfrentam com apenas jogo de ida. Classificam-se os dois primeiros de cada grupo e outros dois que tiverem a maior pontuação para as semifinais, rebaixam os dois piores em pontuação. A mudança é que não teremos mais a vantagem do empate que pertencia ao melhor colocado e a disputa de pênaltis voltou ao regulamento. 

Os grupos e os times do Goianão 2016

Grupo A: Anápolis, Crac, Goiás, Itumbiara e Trindade

Anápolis Futebol Clube
Cidade: Anápolis (GO)
Estádio: Jonas Duarte
Apelido: Galo da Comarca
O Anápolis conseguiu o acesso novamente para a primeira divisão do Campeonato Goiano já no ano passado, juntamente ao Vila Nova, e acabou ficando com o vice-campeonato. Para essa temporada, o Galo não quer fazer feio e pretende permanecer de qualquer forma na elite. O Tricolor da Boa Vista contratou bons nomes para a disputa do estadual como o volante Toró (ex-Flamengo) e o meia Lenílson (ex-São Paulo). O treinador será Ramon Menezes, ex-jogador de futebol do Vasco.

Além desses, o Anápolis contará com o atacante Jonathan Reis, o zagueiro Yago, os meias Rafael Furlan e Lucas Mineiro, o lateral-direito Marcelo, entrou outros. Conquistar uma vaga para a Série D parece um sonho um pouco distante, mas a equipe tem motivos para sonhar.

Objetivo: Permanência.

Clube Recreativo Atlético Catalano
Cidade: Catalão (GO)
Estádio: Genervino da Fonseca
Apelido: Leão do Sul
O Crac de Catalão, uma das principais equipes do interior goiano, tenta esquecer a campanha não muito agradável na última temporada e quer dar trabalho novamente. O Leão do Sul apostará nos novos contratados para essa temporada, entre eles estão o zagueiro João Paulo (ex-Vila e Goiás), o volante Dê (ex-Sampaio Corrêa) e o atacante Dimba (ex-Vila Nova). O treinador será Júlio Sérgio Bertagnoli, ex-goleiro e bastante conhecido pelas suas atuações no Santos e na Roma, da Itália.

Outros jogadores como o zagueiro Ronaldo Trevisan, o lateral Bruno Limão, o volante Kasado, entre outros atletas, também vestirão a camisa do time de Catalão nessa temporada. Uma classificação para a Série D também é um dos objetivos do Crac.

Objetivo: Classificação para as semifinais.

Goiás Esporte Clube
Cidade: Goiânia (GO)
Estádio: Hailé Pinheiro e Serra Dourada
Apelido: Verdão Esmeraldino
O Goiás teve um ano desastroso na temporada passada, mas mesmo assim conseguiu conquistar o título no ano passado em cima da Aparecidense e, consequentemente, irá mais forte esse ano na briga pela taça. O clube está fazendo grandes contratações, entre elas destacam-se o meia Daniel Carvalho (ex-Botafogo), o volante Wendel (ex-Sport) e o atacante Rafhael Lucas (ex-Coritiba). O treinador será Enderson Moreira, que já ganhou dois títulos goianos com o clube (2012 e 2013).

Outros jogadores que também irão vestir a camisa esmeraldina são: o meia Wagner, os laterais Sueliton e Juninho, os zagueiros Wesley Matos e Anderson Salles e o volante Ramires. Além do Goiano, um clube terá um grande foco na Série B e na Copa do Brasil.

Objetivo: Título.

Itumbiara Esporte Clube
Cidade: Itumbiara (GO).
Estádio: Estádio Juscelino Kubitschek (JK)
Apelido: Tricolor do Vale
O Itumbiara fez uma boa campanha na última temporada jogando o estadual e, apesar de acabar ficando de fora das semifinais do Goiano, tenta conseguir isso dessa vez. Os destaques nas contratações do Tricolor foram o zagueiro Leandro Amaro (ex-Palmeiras), os volantes Felipe Hereda (ex-ABC) e o famoso Léo Gago (ex-Palmeiras e Grêmio). O comandante do Itumbiara será Zé Humberto, técnico bastante conhecido pelo futebol goiano.

Outras grandes peças trazidas pelo clube foram os retornos do zagueiro Gladstone, do goleiro Rodrigo Calaça e também o jovem atacante Lucas Rangel, que já passou pelo Corinthians. O atacante Obina também está sendo negociado.

Objetivo: Classificação para as semifinais.

Trindade Atlético Clube
Cidade: Trindade (GO)
Estádio: Abraão Manoel da Costa
Apelido: Tacão
O Trindade fez ótima campanha na última edição do estadual, conseguindo classificar para as semifinais da competição. Uma das apostas do Tacão para essa temporada é o atacante Régis, que já vestiu a camisa da Anapolina. Além dele, o meia Adriano Narcizo, os volantes Bruno Sabino e Fábio Leite e o lateral Maycon irão reforçar a equipe. O comandante do Trindade será Edson Júnior, que já teve passagens por clubes goianos.

Mesmo com um novo time, existem muitas dúvidas de que o Tacão possa repetir o mesmo feito da edição passada, porém, o clube quer usar o 'fator casa', já que sempre deu trabalho jogando em seu estádio.

Objetivo: Classificação para as semifinais.

Grupo B: Anapolina, Aparecidense, Atlético, Goianésia e Vila Nova

Associação Atlética Anapolina
Cidade: Anápolis (GO)
Estádio: Jonas Duarte
Apelido: Xata ou Rubra
A Rubra vem empolgada para a temporada de 2016, já que começou o ano investindo em seu patrimônio: o torcedor. A Xata deu início a seu plano de sócio torcedor para angariar fundos e voltar a disputar competições nacionais como seus rivais da capital. Entre suas contratações, destaca-se o atacante Claudecir, artilheiro da pré-temporada.

Com vários reforços, a Anapolina promete dar trabalhar e honrar seu apelido de Xata, já que praticamente um time inteiro chegou e já vem treinando desde o fim de dezembro. O treinador será Jorge Saran, que já comandou o Goianésia.

Objetivo: Classificação para as semifinais.

Associação Atlética Aparecidense
Cidade: Aparecida de Goiânia (GO)
Estádio: Aníbal Batista Toledo
Apelido: Camaleão
A Aparecidense quer repetir a mesma campanha brilhante da última temporada, quando conquistou o vice-campeonato, perdendo para o Goiás na final. O Camaleão busca surpreender os grandes do futebol brasileiro nas quatro competições que disputa esse ano, já que jogará, simultaneamente com o Goianão 2016, a Copa Verde, junto ao Vila Nova, e a Copa do Brasil, onde, de cara, já enfrenta o Sport Recife. 

O clube contratou novos jogadores para essa edição do Goianão, como os meias Da Matta (ex-Goianésia) e Washington (ex-Atlético), e também o goleiro Bussato (ex-Grêmio). O lateral Clayton Sales é outro que retornou à equipe da Aparecidense emprestado pelo Goiás. O treinador será novamente o conhecido Márcio Goiano.

Objetivo: Título.

Atlético Clube Goianiense
Cidade: Goiânia (GO)
Estádio: Antônio Accioly e Serra Dourada
Apelido: Dragão Campineiro
O Dragão Campineiro vem para o Campeonato Goiano empolgado com um belo trabalho feito pela diretoria, tanto dentro como fora de campo, e a contratação de Wagner Lopes em dezembro era um presságio que os bons tempos viriam. Além de um time forte, o Atlético estará jogando em casa durante o ano, o que não acontece desde 2011.

O clube rubro-negro conseguiu manter peças importantes como o atacante Júnior Viçosa, o meia Pedro Bambu e o goleiro Márcio. Além desses, boas contratações vieram e prometem dar trabalho para seus adversários, como o meia William Schuster (ex-Grêmio), os laterais Ednei (ex-ABC) e Romário (ex-Avaí), além do volante Gilson Alves (ex-Paysandu) e o meia Magno Cruz (ex-Vasco).

Objetivo: Título.

Goianésia Esporte Clube
Cidade: Goianésia (GO).
Estádio: Valdeir José de Oliveira
Apelido: Azulão do Vale
Apesar do Azulão do Vale ter feito um alto investimento, já que se desfez de jogadores de boas campanhas anteriores e montou um time quase completamente novo para o Goianão, o Goianésia ainda não tem um elenco completamente pronto para a estreia. A equipe fez boa campanha na última edição, mais uma vez chegando nas semifinais, só que, dessa vez, querem conseguir avançar para a decisão.

O técnico será o ex-jogador do próprio Goianésia, Romerito, que também teve passagens vitoriosas como atleta no Goiás e no Sport Recife. O clube contará mais uma vez com o atacante Nonato, o "gordinho artilheiro", e também com algumas contratações como o meia Paulo (ex-Goiás).

Objetivo: Título.

Vila Nova Futebol Clube
Cidade: Goiânia (GO)
Estádio: Onésio Brasileiro Alvarenga e Serra Dourada
Apelido: Tigrão
De volta à primeira divisão do Goianão, o Vila Nova vêm empolgado para essa temporada após a conquista do título brasileiro da Série C. O Vila é o atual campeão da divisão de acesso do estadual e manteve a base vencedora do ano passado, com destaques para Robston e Frontini.

O Vila também trouxe boas contratações para a disputa do estadual, como o zagueiro Victor Bolt (ex-Portuguesa), o retorno do meia Vitor Rossini, e o atacante Wendell Lira, vencedor do prêmio Puskas da FIFA, sendo a maior aposta do time colorado. O treinador Márcio Fernandes, que conquistou os títulos com Tigrão na temporada passada, foi mantido no cargo.

Objetivo: Título.

Guia feito por Wagner Oliveira e Wendel Azeredo.

Wagner Oliveira || @wagneroliveiraf
Wendel Azeredo || @AtletiCorneta
Linha de Fundo || @linhadefuundo

Atuação sofrível em amistoso inaugura o preocupante 2016 do Botafogo

De volta à elite do futebol brasileiro, o Botafogo versão 2016 fez sua primeira exibição na temporada. Foi apenas um amistoso, mas o suficiente para deixar os torcedores alvinegros preocupados com os rumos que o clube vai tomar ao longo do ano. O adversário escolhido para o primeiro teste foi a Desportiva Ferroviária, tradicional clube do Espírito Santo (local escolhido pelo alvinegro para a realização da pré-temporada). O elenco comandado por Ricardo Gomes, bem diferente daquele que encerrou o ano de 2015, encontrou dificuldades e perdeu por 2 a 1 para a equipe capixaba. O Glorioso, de volta ao Rio de Janeiro, agora se prepara para a estreia do Campeonato Carioca, sábado, dia 30, diante do Bangu.

O JOGO

A Desportiva foi quem ditou o ritmo do jogo. Nos primeiros 10 minutos, o adversário chegava à área do Botafogo com extrema facilidade, quando e como quisesse. Logo aos 11 minutos, o agora integrante da lista negra botafoguense, o zagueiro Willyan, subiu mais alto que Bruno Silva e abriu o placar. Desportiva 1 a 0. Na comemoração, o jogador, ex-Flamengo, provocou o Botafogo fazendo o gesto chororô (não preciso lembrar, né?).

O gol tomado parecia ter dado novo gás ao Glorioso, que, minutos depois, mais precisamente aos 17', empatou a partida. Luis Ricardo fez boa jogada com Diego e ele cruzou para Gegê, que apenas empurrou para o fundo das redes.

Gegê comemora o gol de empate (Foto: Vitor Silva/ SS Press/ Botafogo Oficial)
O Botafogo passou a arriscar mais no jogo, embora não levasse grande perigo, ao contrário da Desportiva, que continuava pressionando e causando sustos ao melhor goleiro do Brasil. O time capixaba até poderia ter desempatado ainda no primeiro tempo, mas teve um gol anulado em lance bem difícil. Já a principal chance do Botafogo saiu dos pés de Bruno Silva, que arriscou de longe e quase virou o placar. A bola passou por cima da meta de Felipe. O Alvinegro ainda teve chance de virar com Rodrigo Lindoso, que furou e matou qualquer possibilidade de gol.

O Botafogo voltou o mesmo para o segundo tempo, mas, ao longo da etapa final, o treinador Ricardo Gomes foi promovendo alterações na equipe (10 ao todo) que não adiantaram. O gol que sacramentou a vitória da Desportiva saiu aos 13 minutos. Foi praticamente um replay do primeiro, afinal, foi marcado por Willyan novamente. E de novo de cabeça, com facilidade. Perdido, o Botafogo tentava, aos trancos e barrancos, ao menos empatar. Diego Barbosa, um dos reforços, cruzou para o jovem Marcinho, que furou. No fim, vitória do adversário com direito a um olé sonoro. O resultado ligou o alerta no clube de General Severiano.

OBSERVAÇÕES

Talvez, eu disse talvez, seja cedo para qualquer análise mais pessimista, embora reconheça as dificuldades vividas pelo clube. Vale lembrar que jogadores importantes, como Neilton e Sassá estão se recuperando de lesão. Joel Carli e Gervásio Nuñez, alguns dos reforços gringos, também não atuaram (foram poupados). E tem ainda os reforços que serão contratados e que, em breve (se Deus quiser), estarão à disposição. Jefferson, após o jogo, deixou claro que novos nomes precisam chegar.

A atuação foi sofrível, mesmo. Muitos erros de passe, alguns até bobos, constantes vacilos na defesa e no ataque e falta de entrosamento contribuíram para isso.

É um absurdo que, em pleno 2016, eu seja obrigado a ainda ver Octávio, Gegê e Lucas Zen vestirem a camisa do Botafogo. A diretoria insiste que não há motivo para a torcida se preocupar. Ok.

Apesar das dificuldades, a diretoria do Botafogo vai ter que encontrar um jeito de contratar. A CND (Certidão Negativa de Débito), que viabilizará maior 'folga' no orçamento alvinegro, está demorando a ser liberada. Sem dinheiro, não há milagre que resolva.

O time que encerrou o amistoso tinha NOVE jogadores oriundos da base, alguns ainda inexperientes. Isso talvez sirva para mostrar como o elenco é carente e que a solução encontrada pela diretoria é a velha e às vezes promissora base.

FICHA DO JOGO

Botafogo 1
Jefferson, Diego (Octávio), Renan Fonseca (Igor Rabello), Emerson (Emerson Silva), Diego Barbosa (Jean); Bruno Silva (Lucas Zen), Rodrigo Lindoso (Dierson), Luis Ricardo (Marcinho), Damian Lízio (Leandro), Gegê (Fernandes); Luis Henrique (Ribamar). Técnico: Ricardo Gomes.

Desportiva Ferroviária 2
Felipe, Sorriso (Dilsinho), Willyan, Rafael Olioza (David), Tata (Moreira); Ivan, Vandinho, Jefferson Fernandes (Rominho), Mateus (Paulo Vitor); Kleuber, Madsson (Diogo Godinho). Técnico: Erich Bomfim.

Estádio: Kléber Andrade (ES).
Árbitro: Devarly Rosário (ES).
Assistentes: Edson Santos (ES) e Fábio Faustino (ES).
Gols: Willyan (11' do 1º T), Gegê (17' do 1º T), Willyan (13' do 2º T).
Cartão amarelo: Bruno Silva.
*Público e renda não foram divulgados.

Por: Gabriel De Luca (@biel_dluca). 
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana