A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

domingo, 14 de fevereiro de 2016

Chapecoense vence Brusque e mantém a liderança isolada do Catarinense

Kempes marcou seu primeiro gol com a camisa do Verdão. (Foto: Flickr Chapecoense)
Brusque e Chapecoense entraram em campo neste domingo (14), fechando a 5° rodada do Campeonato Catarinense, os donos da casa buscavam encostar no Verdão, líder ao lado do Criciúma com 10 pontos. E com gols de Kempes e Neto ainda no primeiro tempo, o Verdão venceu a segunda consecutiva fora de casa e se manteve isolado na liderança da competição.

Guto Ferreira teve pouco tempo para trabalhar após a vitória por 2x1 na última quinta-feira (11), sobre o Avaí, em Tubarão. No time titular, ainda sem poder contar com Gimenez entregue ao Departamento Médico, manteve Gil na lateral e Josimar no meio. Neto voltando de suspensão voltou à equipe titular no lugar de Rafael Lima, já no ataque, Bruno Rangel foi poupado em virtude do desgaste nas últimas partidas, em seu lugar Kempes ganhou a primeira oportunidade para iniciar uma partida com a camisa do Verdão.

O JOGO

Pressionado com a vitória do Criciúma sobre o Figueirense, na capital, para a Chapecoense só a vitória interessava, com a bola rolando na primeira etapa, o Verdão partiu para cima e assustou logo aos 4 minutos, após bela jogada, Lucas Gomes de fora da área chutou firme, passando muito perto do gol e assustando o goleiro Wanderson. Os donos da casa responderam logo aos 16 minutos, depois de belo lançamento, Giancarlo livre de marcação cabeceou no fundo das redes, o bandeirinha viu o atacante adiantado e assinalou impedimento, anulando o gol do Brusque.

Após o gol anulado, o Bruscão aos poucos ia dominando a partida, aos 31 minutos Carlos Alberto mesmo sem ângulo chutou forte, a bola caprichosamente bateu na junção da trave com o travessão, salvando o Verdão. A pressão durou pouco, aos 36 minutos Dener acertou belo cruzamento na cabeça de Kempes, que desviou para o fundo das redes, abrindo o placar no Augusto Bauer. O Verdão ainda ampliou no final do primeiro tempo, aos 41 minutos Cleber Santana cobrou escanteio, Neto subiu mais que a zaga e cabeceou, a bola ainda desviou em Cleyton e morreu no fundo das redes de Wanderson, marcando 2x0 no placar.

O Brusque voltou para a segunda etapa com uma alteração, Potita ex Chapecoense entrou no lugar de Eydison. Precisando do resultado, os donos da casa partiram para cima do Verdão, que apenas se defendia, aos 10 minutos Cleyton cabeceou para grande defesa de Danilo, no rebote Potita ficou com a bola e tentou a finalização, o goleiro bem colocado saiu do gol e evitando o gol do Bruscão.

Aos 14 minutos, Assis chutou de muito longe, Danilo bem colocado fez de novo grande defesa, salvando o Verdão. Com 28 minutos, um lance polêmico agitou a partida, Assis disputou com Andrey dentro da área e caiu, o árbitro disse ser jogada normal e mandou seguir, para reclamação de todo time do Brusque, que queria pênalti. Aos 39’, de novo Danilo salvou a Chapecoense, Adãozinho fez bela jogada e chutou forte, o goleiro se esticou todo e garantiu mais três pontos na tabela para o Verdão.

Na próxima partida, a Chapecoense recebe no domingo (21), a equipe do Figueirense, às 17h, na Arena Condá. Já o Brusque viaja a capital para enfrentar o Avaí, no próximo sábado (20), na Ressacada, também as 17h.

FICHA TÉCNICA

Local: Estádio Augusto Bauer, em Brusque.
Arbitragem: Sandro Meira Ricci, auxiliado por Kléber Lucio Gil e Nadine Camara Bastos.
Cartão Amarelo: Alemão (BRU).
Gols: Kempes aos 36 e Neto aos 41 minutos do primeiro tempo.

BRUSQUE (0)
Wanderson; Alemão, Cleyton, Maurício, Adãozinho; Carlos Alberto, Everton César (Cambará), Paulinho Oliveira, Assis; Eydison (Potita), Giancarlo (Pedalada). Técnico: Mauro Ovelha.

CHAPECOENSE (1)
Danilo; Gil, Neto, Thiego, Dener; Josimar (Andrey), Cleber Santana, Lucas Gomes; Ananias (Silvinho), Maranhão, Kempes (Bruno Rangel). Técnico Guto Ferreira.

Marcelo Weber || @acfmarcelo

Coisas que só acontecem em Goiás e Atlético

Futebol disputado, gol olímpico, torcidas provocando do início ao fim, árbitro amador e mais um empate na conta do clássico mais ferrenho do Centro-Oeste. Isso tudo aconteceu em um só jogo e pra variar, quiseram assaltar o time mais bem postado em campo, que foi melhor por boa parte da partida, mas que mesmo com tudo isso, pecou nas finalizações. Como avaliar esse resultado igual? De certa forma, foi ruim, pois se tem algum time que merecia a vitória era o Goiás, mas olhando por outra forma, o time foi guerreiro e não deixou que as futilidades de Wilton Pereira Sampaio, o árbitro mais patético do estado, culminassem em uma derrota. Foi um jogo revoltante, mas foi um grande jogo também.

Goiás e Atlético ficam no empate em clássico polêmico.
Foto: Globo Esporte.
Uma partida que começou com tudo para o nosso lado, mostrando ao adversário que não temíamos nada e com um belo passe de Daniel Carvalho para Rafhael Lucas fuzilar a rede. Aliás, ainda tenho fé que Rafhael pode ser um grande artilheiro com a camisa esmeraldina, mas precisa errar menos gols. O jogo era nosso na primeira etapa, e dominávamos cada setor do jogo. O Atlético só ficava esperando a oportunidade de uma falha para tentar chegar ao gol, e ela veio em uma falha do árbitro, e uma falha grotesca. Jorginho nem sequer foi tocado na área e simulou um pênalti, onde o goleiro Márcio empatou o jogo. Aquele empate amargo no final do primeiro tempo ficou difícil de engolir.

No segundo tempo, o Goiás deu um "apagão" e é uma coisa que acontece muito nos jogos do time nesse ano. Começa o jogo com tudo, e depois relaxa na partida. Isso não pode acontecer em um clássico desta importância, e infelizmente, sofremos algumas paradas duras. Começou com uma cochilada da defesa que resultou em outro pênalti inexistente para o Atlético. Houve um contato entre Renan e o jogador atleticano, mas o jogador já havia chutado e não tinha como evitar o choque, mas o árbitro Wilton Pereira Sampaio, que deve ter recebido um cheque especial do time do Carlinhos Cachoeira, marcou mais um pênalti. Graças a Deus, brilhou a estrela de Renan que defendeu.

Porém, o único gol de tirar o chapéu do Atlético foi o segundo. Um gol olímpico de Ednei, que já havia marcado um contra o Itumbiara. Nesse mesmo jogo, o Itumbiara foi roubado pelo Atlético e pelo mesmo árbitro ridículo. Coincidência, não? Mesmo com a tensão subindo, um time guerreiro nunca desiste e conseguimos um empate com mais um gol de Wagner, que já deveria ter começado como titular hoje no lugar de Wendel, que por mais que eu goste dele, não mostrou ainda nada de interessante.

A festa esmeraldina foi estragada por uma arbitragem completamente amadora. Gostaria de saber mesmo onde estão os mesmos atleticanos que diziam que o Goiás sempre era beneficiado no estadual agora, mas provavelmente, eles não devem mostrar a cara tão cedo. A revanche fica para a próxima partida, e também fica pra final, porque não resta dúvidas de que esses serão os finalistas do Goianão.

E sério que ainda tem gente que fala mal do Renan? Tudo bem que ele poderia ter defendido o gol olímpico e poderia ter ficado mais atento no lance, porém, o cara defendeu um pênalti hoje e sempre faz defesa difícil. Ele é um grande goleiro e isso não se acha em qualquer lugar. Valorizem-no que sempre honrou essa camisa e parem de escutar as ladainhas da imprensa goiana, que nessa semana bateu o recorde de besteiras faladas nas rádios.

Agora é hora de levantar a cabeça e vencer os próximos jogos, e sempre com o nosso torcedor apaixonado junto. Isso é Goiás Esporte Clube!

Torcida do Verdão faz sua parte e comparece em peso no estádio.
Foto: Site Oficial do Goiás E.C
Wagner Oliveira || @wagneroliveiraf
Linha de Fundo || @SiteLF

Misto colorado empata com o fraco time do Aimoré

Um fato único uniu a torcida do Inter e do Aimoré, o jogo foi disputado no estádio Cristo Rei, e os ingressos mais baratos custavam R$ 100, exatamente isso, cem reais, o motivo que a diretoria do "Índio Capilé" disse que o valor era para afugentar os torcedores, pois o estádio não apresentava condições mínimas de uso e parte da arquibancada estava interditada devido à queda de um muro.

Ingressos muito caros afastaram a torcida do jogo, porém o manequim apoiou os 90 minutos.
Dentro de campo o jogo não apresentou nada de interessante aos 640 torcedores que arriscaram pagar caro. O Inter empatou num magro placar de 1 a 1, sendo que o Inter marcou logo nos primeiros minutos. Aos sete minutos, Geferson cruzou milimetricamente na cabeça de Aylon, que cabeceou com superioridade, e bateu o goleiro Alessandro. Porém a pouca vantagem não durou nem cinco minutos, pois Mateus entrou sozinho na pequena área e marcou para o Aimoré.

O técnico Argel não quis colocar força máxima e somente Alex, Alisson e Anderson participaram no jogo de hoje, mas o elenco não mostrou empenho e nem mesmo entrosamento para construir alguma jogada e manter a tranquilidade na partida, Aylon foi o destaque do Colorado, pois demonstrou ímpeto durante os 90 minutos, por mais que ele não seja centroavante de origem, ele demonstrou muitas características de um 9. Fabinho também foi uma boa novidade que apareceu no Inter, ele demonstrou boas características para um primeiro volante, com um desarme certeiro e com um empenho nas corridas ele demonstrou que pode dividir a posição com o Fernando Bob.

Inter apático não mostrou qualidade e ficou no empate com o fraco time do Aimoré
Com o resultado, o Inter ficou com oito pontos e está na quarta colocação do Gauchão. O próximo confronto pelo gauchão é contra o Cruzeiro/RS, no sábado às 21h. Porém antes desse jogo, o colorado tem compromisso na quarta-feira as 19h30 contra o Avaí pela Primeira Liga, onde busca sua primeira vitoria na competição.

Ismael Schönardie | @Ismahsantos

Com 2° tempo melhor, Sport vira pra cima do Botafogo-PB na estreia do Nordestão


E começou a melhor competição do primeiro semestre no Brasil. A Copa do Nordeste foi iniciada para Sport e Botafogo (PB) que estão no Grupo D junto com Fortaleza e River (PI).

Jogo marcado por vergonha fora de campo, lambanças da arbitragem (quero é novidade) e virada rubro-negra dentro de campo. Antes da partida a torcida do Sport recebeu um tratamento desagradável por parte do Botafogo, já que para adentrar no estádio Almeidão a torcida NÃO poderia entrar com a camisa do clube (Pode isso Arnaldo?). Quem entrou no estádio, teve que entrar com uma camisa casual ou até mesmo sem camisa para acompanhar a partida. Mas é sempre assim quando se tem um lugar onde times do RJ são maiores que as torcidas de clubes locais, isso não era de surpreender.


Enfim tocando o barco, o Sport venceu a partida que mais parecia UFC do que um jogo de futebol. Os jogadores do Belo é murro de um lado, mostrando as travas das chuteiras do outro... E o juiz? Segue o jogo.

Mesmo com umas pancadinhas aqui e ali, o Botafogo foi para cima do Sport querendo mostrar que o Leão não teria vida fácil e quem sentiu isso na pele foi o zagueiro Matheus Ferraz que aos 11 minutos não conseguiu cortar um cruzamento e deixou a bola nos pés do atacante Muller, que só vez tirar de Danilo Fernandes para abrir o placar.


Minutos após o gol, em mais uma falha defensiva do Sport, Carlinhos recebeu livre e tentou encobrir Danilo Fernandes. Mas o goleiro rubro-negro conseguiu fazer boa defesa.

Leão voltou para o segundo tempo sem nenhuma modificação e também sem muito perigo. E na base da pressão o Sport teve um pênalti não marcado a seu favor, após Rithely ter sido agarrado na área em uma cobrança de falta.

E de tanto pressionar, o rubro-negro chegou ao gol. Aos 15 minutos, Túlio de Melo aproveitou bate e rebate dentro da área depois de cobrança de escanteio para empatar.


Depois do gol do empate o Sport melhorou na partida e insistia em jogadas aéreas, tanto que aos 35 minutos Rithely aproveitou cruzamento de Fábio e cabeceou para o fundo das redes.


Com o placar favorável, os rubro-negros tranquilizaram o jogo e esperaram o apito final.

Sport volta a campo nesta quarta-feira contra o Fortaleza pela Copa do Nordeste às 22h30m na Ilha do Retiro. Já o Botafogo vai até o Piauí enfrentar o River também pela Copa do Nordeste às 20h15m.

São Paulo vira freguês... do Lucão

Tricolor entrou bem na partida, mas Lucão errou (duas vezes) e Corinthians venceu o Majestoso



1º clássico de 2016, São Paulo x Corinthians, conhecido também como, Majestoso, foi do jeito que muitos imaginavam, um jogo brigado. Entretanto, o Tricolor se saia bem na marcação e até teve mais finalizações que o rival, mas o zagueiro Lucão entregou a partida, e nas duas vezes que o Corinthians chegou com perigo, ele foi feliz e fez os gols.

As baixas do Tricolor foram às mesmas da última partida contra o César Vallejo, Daniel (contratura no músculo posterior da coxa direita), Diego Lugano (aprimora a forma física), Breno (tendinite no joelho direito), João Paulo (fratura por stress) e Alan Kardec (amigdalite).

O jogo estava equilibrado, com os dois times tendo poucas oportunidades, entretanto havia muita briga entre os jogadores. São Paulo teve chance com Calleri, mas o gol saiu após erro drástico de Lucão. O zagueiro afastou a bola em cima de Mena, depois viu a saída de Denis e rolou errado, dando assistência para Lucca, que, com o gol aberto, fez o gol para o Corinthians. Depois do gol, São Paulo ficou perdido em campo, porém segurou bem o time da casa. No final da 1ª etapa, São Paulo teve chance de empatar com Calleri. Após Yago errar recuo para Cássio, o camisa 12 saiu frente a frente com o goleiro corintiano que fechou bem o ângulo e a bola foi para linha de fundo.

São Paulo chegou bem melhor no 2º tempo, ficou quase a segunda etapa toda no campo do Corinthians, porém a defesa corintiana estava bem atenta e marcando bem. Assim, Ganso não tinha muito espaço para armar jogadas e os atacantes eram neutralizados. Tricolor teve chance de empate com Michel Bastos e Mena. O gol são-paulino não saiu, mas o segundo gol do Corinthians, sim. Após cobrança de escanteio de Giovanni Augusto, a bola sobrou para Yago que cabeceou sozinho no ângulo - quem estava o marcando era Lucão -. Assim o jogo terminou em 2 a 0 para o time da casa.

Nessa quarta-feira (17/02), São Paulo recebe, no Pacaembu, o The Strongest (BOL), pela Fase de Grupos da Libertadores, às 19h30. Já o Corinthians vai para o Chile enfrentar o Cobresal no Estádio El Cobre, às 22h. Pelo Paulista, São Paulo recebe, também no Pacaembu, o Rio Claro, domingo (21/02), às 17h. O Corinthians enfrentará, no Estádio Fonte Luminosa, a Ferroviária, às 19h30, também domingo (21/02).

FICHA TÉCNICA

Local: Arena Corinthians, SP
Cartões Amarelos: Guilherme Arana e Willians (COR); Mena e Hudson (SP)
Gols: Lucca e Ygor (COR)
Arbitragem: Luiz Flávio de Oliveira, auxiliado por Rogério Pablos Zanardo e Alex Ang Ribeiro

CORINTHIANS:
Cássio; Fagner, Felipe, Yago e Guilherme Arana; Bruno Henrique, Giovanni Augusto (Romero), Maycon (Willians), Lucca e Rodriguinho; André (Danilo). Técnico: Tite

SÃO PAULO:
Denis; Bruno (Caramelo), Lucão, Rodrigo Caio e Mena; Hudson, Thiago Mendes (Kelvin), Ganso e Michel Bastos; Centurión (Rogério) e Calleri. Técnico: Edgardo Bauza

Valeu pelo resultado: Braga vence Monte Azul em jogo ruim

Em uma partida de baixa qualidade técnica, o Bragantino jogou para o gasto e fez 2x0 no Monte Azul em jogo válido pela série A2 do campeonato paulista. O placar pode aparentar tranquilidade, mas não foi bem assim: o primeiro gol saiu apenas aos 31 minutos do segundo tempo.

Jogando em Bragança Paulista é natural que o Bragantino buscasse mais o jogo e o ataque. A posse de bola maior, porém, pouco foi aproveitada em um primeiro tempo horroroso das duas equipes. Os goleiros praticamente não tocaram na bola e pouco aconteceu de produtivo.

Bragantino joga em casa e vence Monte Azul por 2 a 0
Jogando para o gasto, Bragantino venceu mais uma e segue bem na A2.
(Foto: Futebol Interior)
Talvez prejudicado pelo calor, o jogo poderia melhorar na etapa final. A expectativa, porém, só se confirmou nos últimos vinte minutos, já que as primeiras ações repetiram o ritmo da etapa inicial: posse de bola do Massa Bruta e um Monte Azul bastante recuado.

Aos 25’, Léo Jaime escapou e deu trabalho ao goleiro Igor, acordando os pouco mais de cinco mil torcedores que foram ao Nabizão. A empolgação continuou até os 31 minutos, quando Thiago Santos aproveitou sobra em cobrança de falta e abriu o placar, ainda que sem merecer.

Com pouco tempo para reagir o time visitante tentou partir para o ataque e acabou deixando alguns espaços na defesa. Léo Jaime aproveitou e encontrou o mesmo Thiago Santos livre para marcar o segundo e trazer mais três pontos ao Bragantino.

Em dois minutos, Criciúma derrota Figueirense no Scarpelli

Na tarde deste sábado (13), o Figueirense recebeu no Orlando Scarpelli a equipe do Criciúma por mais uma rodada do Campeonato Catarinense. No que pode ter sido a última partida do atacante Clayton com a camisa do Figueirense, o alvinegro foi derrotado pelo placar de 2x0.

Foto: Marco Favero / Agência RBS 
A partida logo de início foi muito sonolenta. Só trocando passes e não conseguindo chegar ao gol devido à marcação das duas equipes. Aliás, não diria que foi por causa da boa marcação e sim porque são dois times fracos. O Criciúma é só bem treinado, mas é fraco igual. O primeiro lance de perigo extremo foi aos 16 minutos. Uma confusão tremenda dentro da área do Figueirense, Roger Guedes e Elvis tentaram umas 200 milhões de vezes fazer o gol, mas a bola não entrava de jeito nenhum. Aos 21’, Bruno Dybal cobrou escanteio pelo lado esquerdo, Nirley chegou cabeceando e a bola saiu com bastante perigo para o gol do goleiro Luiz. Aos 38’, Clayton fez boa jogada e levantou para Nirley novamente cabecear e como da vez anterior só levar perigo ao gol.

Na segunda etapa o pior estaria por vir. Para o torcedor do Figueirense seria o pior, para o torcedor do Criciúma não. Logo aos 6 minutos Gatito deu rebote após um chute cruzado, Elvis aproveitou e fuzilou. Gol do Criciúma! Não muito tempo depois - 2 minutos - Douglas Moreira deu um chute quase que como quem não queria nada. Só que esse viria a bater na trave, nas costas de Gatito e ido para o fundo das redes. Gol do Criciúma. 2x0 aos 8 minutos do segundo tempo. O Figueira até que tentou esboçar uma reação. Aos 12’, boa troca de passes que deixou Clayton entrar em boa condição na área, mas a finalização saiu errada e foi pela linha de fundo. Aos 28’, Marquinhos Pedroso cobrou escanteio, o capitão Marquinhos chegou cabeceando e a bola explodiu no travessão. Aos 39 minutos após um chute todo errado de Everton Santos, os um pouco mais de 4.900 torcedores que foram ao Scarpelli começaram a deixar o estádio. Aos 43’, falta boa pro Figueira. Clayton cobrou e a bola novamente foi no travessão. Não tinha jeito. Essa bola não iria entrar nem por um decreto.

Esse é um dos piores times do Figueirense. Sobre meias, eu nem comento mais porque é chover no molhado. Nossos volantes são fracos, não participam do jogo. O Jackson Caucaia que apareceu bem naquele Ituano campeão paulista, até hoje eu não vi 5% dele. Os laterais são que nem isopor na água: não vão ao fundo. Hoje o futebol é coletivo, não dá pra ver todos os jogos depender de um jogador. Além de tudo isso, o Hudson Coutinho tem que entender que ele não é mais técnico de um Guarani de Palhoça da vida. Acorda para o mundo, meu filho! Tu estás no Figueirense, time de Série A. Então se tu queres continuar no teu cargo, chega de brincadeira, escala esse time direito e faz os resultados acontecerem.

Sobre o Criciúma, o time não é um primor, mas é bem treinado pelo Roberto Cavalo. Pode incomodar nesse campeonato. Aliás, fazendo um apanhado geral dessas cinco rodadas do Catarinense, nenhum time apresentou um futebol em que a gente possa dizer com toda a certeza que é a grande favorita a levar o título. A Chapecoense lidera, porém até aqui só jogou com os menores e ainda assim não convenceu.

O Figueirense volta a campo nesta quarta-feira, às 19h30, no Scarpelli, contra o Inter de Lages, em jogo atrasado da terceira rodada.

Ficha Técnica - Figueirense 0x2 Criciúma

Data: Sábado, 13 de fevereiro de 2016
Horário: 17h (horário de Brasília)
Local: Estádio Orlando Scarpelli, Florianópolis, SC
Público e renda: 4.820 pagantes; 4.908 presentes; renda de R$ 63.768,00
Arbitragem: Héber Roberto Lopes (SC); Rosnei Hoffmann Scherer (SC); Thiago Americano Labes (SC)
Gols: Elvis e Douglas Moreira (CRI)

Figueirense: Gatito Fernández, Leandro Silva, Marquinhos, Nirley, Marquinhos Pedroso; Dener (Yago), Jackson Caucaia, Bruno Dybal (Gabriel Esteves); Clayton, Everton Santos, Dudu (Guilherme Queiroz) | Técnico: Hudson Coutinho

Criciúma: Luiz, Ezequiel, Raphael Silva, Diego Giaretta, Marlon; João Afonso, Douglas Moreira, Elvis (Alex Santana); Roger Guedes, Jheimy (Ricardinho), Bruno Lopes (Wellington Saci) | Técnico: Roberto Cavalo

Patrick Silva | @figueiradepre

Em jogo nada tranquilo, Santos arranca empate favorável


Em jogo válido pela quarta rodada do Paulistão 2016, o Santos visitou a equipe do Novorizontino e os times protagonizaram um jogo movimentadíssimo, com diversas chances criadas, três gols para cada lado e por fim, um empate suado para o Peixe.

Sem muita invenção. O técnico Dorival Jr. não fez grandes mudanças no time para o jogo deste sábado (13/02), apenas a entrada de Patito Rodrigues no lugar de Paulinho, que não passou bem nos últimos dias e foi poupado.

O JOGO

A partida começou a todo vapor com os donos da casa partindo pra cima desde a saída de bola, sem medo de encarar o atual campeão da competição. Mas foram dos visitantes, as primeiras chances de perigo com Gabriel acertando a trave e Ricardo Oliveira perdendo boa chance dentro da área.

Com Lucas Lima outra vez muito participativo, buscando a bola dos zagueiros no campo de defesa e fazendo a ligação para o ataque, o Santos foi chegando aos poucos e até marcou o primeiro gol da partida com Lucas Veríssimo, mas o bandeira viu uma carga do zagueiro no marcador a anulou o tento do jovem santista.

E quando tudo se encaminhava para um lamentado empate na primeira etapa, Renato acertou grande lançamento para Ricardo Oliveira, que sem marcação, apenas cruzou para Gabigol empurrar para as redes e abrir o marcador, dando a vantagem ao Peixe.

CHUVA DE GOLS NA SEGUNDA ETAPA

Sem medo de ser feliz! O Novorizontino partiu para cima do Santos na segunda etapa e logo aos 7 minutos, chegou ao gol de empate com Pereira. Após bate rebate dentro da área, a bola sobrou para o camisa 10 que finalizou sem chances de defesa para Vanderlei.

Mas 5 minutos depois, Lucas Lima mostrou porque é um dos melhores jogadores do país na atualidade. No meio de três marcadores na entrada da área, o meia limpou todos, em poucos toques, levou para perna direita e acertou belo chute, deixando o Peixe novamente com a vantagem.


Se por um lado o Santos chegava aos gols no talento, do outro os donos da casa usavam da coletividade. Aos 23 minutos, após bola enfiada de bola, Fágner livre de marcação e bateu forte, deixando o placar em 2-2.

E apenas 3 minutos depois, num apagão da defesa santista, Lima puxou contra ataque, limpou o lance e finalizou forte para virar o jogo. O atacante que havia entrado durante a segunda etapa, ainda contou com desvio na zaga alvinegra para dificultar as chances de Vanderlei fazer a defesa.

POLÊMICA!

A torcida em Novo Horizonte já estava eufórica com a possível vitória do time, mas num lance crucial aos 40 minutos, tudo mudou. Após jogada de Serginho na entrada da área, o árbitro assinalou falta para o Peixe, levando jogadores, torcedores e comissão técnica à loucura. Victor Ferraz, que não tinha nada a ver com a história, bateu com maestria, empatou o jogo e deu números finais a partida.

O gol manteve a invencibilidade do Santos no campeonato, com duas vitórias e agora dois empates nas quatro primeiras partidas. Agora o Peixe tem uma semana de descanso e preparação, para encarar o seu primeiro clássico da temporada, contra o Palmeiras, às 17h no Allianz Parque. Já o Novorizontino, joga domingo, mais uma vez em seus domínios, contra o Oeste.

FICHA TÉCNICA
NOVORIZONTINO 3X3 SANTOS

Local: Estádio Dr. Jorge Ismael de Biasi, em Novo Horizonte
Data: 13 de fevereiro de 2016, sábado
Horário: 21h00 (de Brasília)
Árbitro: Luiz Vanderlei Martinucho
Assistentes: Herman Brumel Vani e Fabricio Porfirio de Moura
Cartões Amarelos: NOVORIZONTINO: Lima.
Renda: R$ 300,014,00.Público: 8.505 torcedores.

GOLS:
NOVORIZONTINO: Pereira, aos 7, Rayllan, aos 22, e Lima, aos 26 minutos do 2T.
SANTOS: Gabriel, aos 39 minutos do 1T; Lucas Lima, aos 12, e Victor Ferraz, aos 39 do 2T.

SANTOS: Vanderlei, Victor Ferraz, Gustavo Henrique, Lucas Veríssimo e Zeca; Renato, Thiago Maia (Serginho) e Lucas Lima; Patito (Victor Bueno), Gabriel (Neto Berola) e Ricardo Oliveira. Técnico: Dorival Júnior.

NOVORIZONTINO: Anderson; Éder Sciola, Domingues, Jéci e Paulinho; Adriano, Deda (Fagner), Pereira e Rayllan; Wesley (Lima) e Roberto (Cléo Silva).
Técnico: Guilherme Alves

Pedro Henrique || @peeedrito17

CRB estreia com vitória fora de casa

Noite de terror para um personagem do jogo entre Estanciano e CRB, pela Copa do Nordeste. O goleiro Thiago Luís protagonizou neste sábado à noite a cena mais bizarra da primeira rodada da competição e atrapalhou os planos da equipe sergipana. Em Estância, ele havia falhado no gol de Somália, ainda no primeiro tempo, e acertou a perna de Érico Júnior quando tentou sair jogando. A bola não teve piedade. Entrou devagar e a vitória por 2 a 1 do Galo foi desenhada na etapa inicial. Deivid descontou nos acréscimos, de falta.

O goleirão, por outro lado, teve muita personalidade, voltou para o segundo tempo e não mais comprometeu. O CRB também ajudou um pouco. Caiu de produção e apenas administrou a vantagem conquistada na etapa inicial.

O jogo foi bom no primeiro tempo. O Estanciano procurou o ataque, criou situações, mas o CRB foi mortal quando chegou. Contou também com a colaboração do goleiro Thiago. Aos 12 minutos, Diego bateu escanteio pela esquerda, no primeiro pau, e Somália tocou de calcanhar. A bola encobriu o camisa 1, que saiu mal, bateu no poste e entrou. 
                         

Aos 23’, a grande lambança. Após recuo de bola, Thiago parou na frente de Érico Júnior, fez uma firula e acertou o pé do atacante do Galo. A bola se revoltou contra o goleirão e entrou mansa no gol do Estanciano. O terceiro do Galo quase saiu aos 32’, após cobrança de escanteio. Luizão tocou nela e Lúcio Maranhão perdeu um gol inacreditável, livre.

O Estanciano voltou melhor na etapa final. Passou a explorar o lado direito e chutes de fora da área, e colocou Juliano para trabalhar. Warlei, aos quatro, cabeceou, o goleiro defendeu parcialmente e demonstrou poder de reação ao fechar o gol no arremate de Daniel. O CRB só acordou aos 16’, em arremate de fora da área de Luiz Fernando. Thiago pegou em dois tempos.

Aos 38’, em jogada na área do Galo, Elton acabou tirando o gol do Estanciano. Atrapalhou a própria equipe. O gol sergipano, enfim, saiu aos 47 minutos, no último lance da partida. Deivid bateu falta do meio da rua, com violência, e venceu o goleiro Juliano.

A vitória colocou o Galo na liderança do Grupo B, com três pontos. América-RN e Coruripe estão em segundo, com um, após empate por 2 a 2, e o time sergipano ficou com a lanterna, sem ter pontuado. Terça, o CRB vai jogar diante da torcida, no Estádio Rei Pelé, contra o Coruripe. O jogo em Maceió está marcado para as 19h. No mesmo dia, o Estanciano vai à Arena das Dunas, em Natal, encarar o América-RN, às 21h30.
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana