A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

domingo, 21 de fevereiro de 2016

Giroflex azul disparado


A história vitoriosa do CRAC se confunde com o crescimento de Catalão. Ambos edificaram admiráveis trajetórias. O azul celeste dos belíssimos escudo e uniforme do time combina com o lindo céu da cidade. Em contrapartida, os recentes jogos nos fizeram visualizar esse azul sem brilho e triste.  

Ontem, 20/02, o CRAC foi à Aparecida de Goiânia e sofreu mais uma derrota. A segunda consecutiva no Goianão. Agora, Leão catalano está na zona de rebaixamento do estadual. Os gols da Aparecidense foram marcados por Careca, aos minutos 35’ do 1º Tempo, e Robert, aos 3’ do 2º Tempo. Terminando assim o confronto: 2x0.

Pensava-se que a presença do volante Dê, ex-Sampaio Corrêa (MA), daria estabilidade ao setor defensivo, devido à experiência e à qualidade nos desarmes. Infelizmente, não foi o que ocorreu - o jogador retornou nessa partida, porque cumpriu suspensão na rodada anterior.

O Leão do Sul sofreu demasiada pressão e apresentou significativas falhas no setor esquerdo. O gol marcado na etapa final foi originado nessa região do campo. Em algumas ocasiões, o lateral-esquerdo Maicon era obrigado a marcar dois adversários. Não havia uma cobertura ao jogador.
 
O próximo adversário será o Goianésia fora de casa. Será preciso corrigir as lacunas pela esquerda. E é imperativo que a diretoria faça uma reunião com os atletas e comissão técnica para identificar quais as reais dificuldades para tirar a agremiação dessa situação. Os impasses devem ser solucionados imediatamente para evitar um fim melancólico em maio.

Com cinco pontos, passa a ocupar a vice-lanterna da competição. Ligamos, então, o Giroflex Azul. Ficará disparado na tentativa de atrair mais apoiadores para reacender o brilho celeste.



Pedro Silveira || @PedroSilveira7
Linha de Fundo || @SiteLF

Moto Club devolve derrota e pega primeira colocação do grupo do Sampaio

Até demorou, mas o Sampaio Corrêa perdeu a sua primeira partida nesse ano. Em um superclássico de dois times já classificados, melhor para o Moto Club que venceu por 2x1 e deu o troco de derrota sofrida três jogos antes no mesmo Castelão. Ambos estão classificados para a semifinal do Campeonato Maranhense.

A frase popular que clássico é decidido nos detalhes é uma das mais escutadas no mundo futebolístico. E a velha regra funcionou no superclássico: entrando desligado na partida, o Tubarão bobeou e levou o primeiro gol com menos de dois minutos: Tety, livre, apenas deslocou o goleiro Ruan para marcar.

Tety - Moto x Sampaio (Foto: De Jesus/O Estado)
Tety (direita) comemora um dos gols marcados no superclássico.
(Foto: Globo Esporte)
Mesmo atrás no placar, o Tricolor manteve-se esperando o rival e tentando armar o contra-ataque. Assim, o Moto Club continuou com domínio da partida e criou boas chances ao longo dos primeiros quarenta e cinco minutos.

Os primeiros minutos da etapa inicial seguiram no ritmo do primeiro tempo com um Moto Club muito mais presente no ataque. Ruan salvou duas boas chances e manteve a Bolívia Querida viva no jogo.

Edgar marcou o gol do Sampaio na partida (Foto: Elias Auê)
Edgar marcou o seu, mas não impediu a derrota do Sampaio.
(Foto: Sampaio Corrêa)
Depois de dez minutos de pressão, o Sampaio equilibrou o jogo e passou a dar trabalho também. Aos 28 minutos veio o gol de empate, sempre com Edgar. Ele aproveitou cruzamento e empatou a partida. A alegria, porém, durou pouco: Tety voltou há marcar seis minutos depois e deu números finais ao jogo.

A derrota fez a Bolívia Querida cair para o segundo lugar e fazer o primeiro jogo da semifinal em casa, contra o Maranhão. O Moto Club vai decidir dentro do Castelão contra a surpresa Cordino, que desbancou o atual campeão Imperatriz na fase de grupos.

Em jogo movimentado, Corinthians empata em Araraquara

Na noite do último domingo (21), o Corinthians foi até a Arena da Fonte Luminosa, em Araraquara, enfrentar a Ferroviária pela 5ª rodada do Paulistão 2016. Com uma atuação abaixo das expectativas, o Timão ficou atrás no placar duas vezes, mas conseguiu pelo menos o empate fora de casa.



Os primeiros 20 minutos de jogo foram favoráveis ao Corinthians, com boa movimentação e bom toque de bola, o Timão quase abriu o placar em três oportunidades. Maycon tentou duas vezes, na primeira o goleiro Rodolfo defendeu e na segunda a bola foi na trave. Na sequência, Uendel saiu na frente do goleiro, mas Rodolfo manteve o 0 a 0 no placar.

Em uma bola despretenciosa, a Ferroviária abriu o placar com Juninho aos 29 minutos. O camisa 5 mais errou o chute do que qualquer outra coisa, mas conseguiu vencer Cássio e fazer o gol. O Timão sentiu o gol e não conseguiu mais controlar o jogo. O primeiro tempo acabou 1 a 0 para os donos da casa.

Logo no início da segunda etapa, a bola bate na mão do zagueiro da Ferroviária e o árbitro aponta o pênalti para o Corinthians. Lucca pediu a bola e bateu forte no meio do gol, empatando o jogo com o chamado "pênalti de segurança" aos 6 minutos.

Dez minutos depois, Juninho, de novo ele, pegou uma sobra na entrada da área e bateu forte, Cássio não conseguiu segurar e a Ferroviária passou à frente no placar mais uma vez. Tite foi obrigado a mexer no time, Giovanni Augusto, André e Marlone entraram em campo.

O empate só veio nos minutos finais, aos 38 minutos, Fagner fez boa jogada pela direita e cruzou forte rasteiro, a bola bateu em Giovanni Augusto e entrou, igualando novamente a partida, 2 a 2. O final de jogo foi bastante movimentado, com chances dos dois lados, obrigando os dois goleiros a trabalhar. Mesmo assim, ninguém conseguiu o terceiro gol e a partida terminou empatada.

Com o empate, Corinthians e Ferroviária se mantiveram líderes de seus respectivos grupos. O Timão chegou a 13 pontos no Grupo D e o time de Araraquara soma 10 pontos no Grupo C. As duas equipes voltam a campo no meio de semana pelo Paulistão.

Na quarta-feira (24), o Corinthians vai até Sorocaba enfrentar o São Bento, às 21h45, no Estádio Walter Ribeiro. A Ferroviária volta a campo na quinta-feira (25), às 19h, quando vai até o Estádio Novelli Junior, enfrentar o Ituano.




No final, Chapecoense vence Figueirense, quebra tabu e segue líder


(Foto: Flickr Chapecoense)
Em momentos distintos no Campeonato Catarinense, Chapecoense e Figueirense se enfrentaram na tarde deste domingo (21), em Chapecó. E com gol de Gil, nos minutos finais da partida, o Verdão venceu por 1x0 e quebrou tabu de nove jogos sem vitórias diante do Alvinegro.

A Chapecoense líder da competição ao lado do Criciúma com uma vitória a mais, entrou em campo depois de uma semana de descanso. Guto Ferreira teve novidades para a partida, o atacante Martin Alaniz e o volante Moisés, contratados no inicio do ano, ficaram a disposição no banco de reservas. O único desfalque foi o lateral direito Gimenez, que segue entregue ao departamento médico.

Do outro lado, um Figueirense em crise, a quatro jogos sem vencer e vindo de derrota em casa no meio de semana para o Inter de Lages, no Orlando Scarpelli, teve novidades no banco de reserva, Hudson Coltinho ganhou férias após voltar a ser interino, Vinícius Eutrópio foi contratado, mas assistiu o jogo das cabines, enquanto Tuca Guimarães comandava a equipe no gramado. O grande desfalque foi o atacante Clayton, suspenso pelo terceiro cartão amarelo diante do Colorado, Guilherme Queiroz foi seu substituto.

O JOGO

O primeiro tempo começou intenso, com a Chapecoense melhor em campo e o Figueira só se defendendo, o jogo era de ataque contra defesa, a primeira grande oportunidade saiu dos pés de Ananias, logo aos 10 minutos, Gil acertou belo cruzamento, Ananias cabeceou forte e obrigou Gatito fazer grande defesa. Aos 18 minutos foi à vez de Bruno Rangel parar no goleiro alvinegro, Cleber Santana rolou para o atacante que chutou, melhor para Gatito bem colocado que saiu abafar a jogada.

O jogo foi esfriando, até que aos 45 minutos Lucas Gomes recebeu de Maranhão e cruzou nos pés de Ananias, o atacante da marca do pênalti chegou batendo forte, mas mandou por cima do gol, desperdiçando grande oportunidade de abrir o placar na Arena Condá, e encerrando o primeiro tempo em 0x0.

O Figueirense voltou para a segunda etapa com uma alteração, Dener entrou no lugar de Yago que recebeu cartão amarelo. Com a bola rolando nada mudou, quem começou partindo para cima foi o Verdão, com menos de um minuto, Maranhão cruzou para Ananias, que de cabeça, novamente jogou por cima da meta de Gatito.

O tempo ia passando e a Chapecoense seguia sem conseguir abrir o placar, enquanto o Figueirense se segurava do jeito que podia para levar um ponto para a capital. A tensão dos donos da casa acabou apenas nos 40 minutos, quando Gil fez linda jogada, dando uma caneta em Jefferson e batendo cruzado no fundo das redes e sem chances para o goleiro alvinegro. 

Momento do gol de Gil, dando a vitória para o Verdão (Foto: Flickr Chapecoense)
E sem tempo para mais nada. Vitória de 1x0 além de acabar com o tabu diante do Figueira, garantiu a invencibilidade da Chape no Catarinense, agora são cinco vitórias e apenas um empate, além da liderança isolada com 16 pontos, dois a mais que o Criciúma e um jogo a mais.

Na próxima rodada, a Chapecoense volta a jogar na Arena Condá, agora diante do Metropolitano, na quarta-feira (24), às 19h30. Já o Figueirense faz o clássico com o Avaí na quinta-feira (25), no Estádio da Ressacada, às 21h30.

FICHA TÉCNICA

Local: Arena Condá, em Chapecó.
Público: 5.924 torcedores.
Renda: R$ 67,520.
Arbitragem: Sandro Meira Ricci, auxiliado por Eder Alexandre e Clair Dapper.
Cartões Amarelos: Gil, Josimar e Bruno Rangel (CHA); Gatito Fernández, Jackson Cucuia, Yago e Dudu (FIG).
Gols: Gil, aos 40 minutos do segundo tempo.

CHAPECOENSE (1)
Danilo; Gil, Neto, Thiego, Dener; Josimar, Cleber Santana, Lucas Gomes (Neném); Maranhão, Ananias (Silvinho), Bruno Rangel (Kempes). Técnico: Guto Ferreira.

FIGUEIRENSE (0)
Gatito Fernández; Henrique, Marquinhos, Bruno Alves, Rodrigo Biro (Marquinhos Pedroso); Jackson Cucuia (Dudu), Jefferson, Yago (Dener), Bruno Dybal; Guilherme Queiroz, Everton Santos. Técnico: Tuca Guimarães.


Marcelo Weber || @acfmarcelo

Classificado e 100%


Na tarde de hoje (21), o Paysandu entrou em campo, classificado para as semifinais, para enfrentar o Tapajós, eliminado do primeiro turno. Num jogo para cumprir tabela, o clube Santareno tentava não deixar tudo tão fácil para o Papão, mas o mandante fez o que tinha - quase que - obrigação de fazer, venceu e seguiu 100% na competição.

Momento do passe do Recife (Foto: Rodrigo Pinheiro | @RodrigoPinhro)
O primeiro tempo foi melhor para o Paysandu. Suas melhores oportunidades e seus gols saíram todos nessa etapa. O clube fez o primeiro gol aos 8’, Celsinho cobrou falta na área e Raphael Luz desviou, abrindo o placar na Curuzu. E o Tapajós respondeu, Barbosa trabalhou a bola sozinho e mandou um chute forte de longe, mas Emerson fez a defesa. O time da casa pressionava, mas não conseguia chegar com tanto perigo. Até que aos 31’ Celsinho cobrou nova falta na cabeça de Gilvan, o zagueiro mandou para o gol e ampliou o resultado. O time Santareno respondeu no minuto seguinte, Moisés recebeu na velocidade e mandou um chute forte, Emerson apareceu para fazer ótima defesa e evitar que a lei do ex agisse. Aos 37’ Augusto Recife deu um passe calculado para Fabinho Alves fazer um golaço. Mas o Tapajós continuava tentando achar espaços para deixar o seu, até que aos 45’ Bené tocou na saída de Emerson e diminuiu para os visitantes. Só que no minuto seguinte, o Paysandu deixou o seu, o líder em assistências, Celsinho, aproveitou o bate e rebate dentro da área e fechou o placar.

(Foto: Rodrigo Pinheiro | @RodrigoPinhro)
No segundo tempo, Flávio entrou no lugar de Pablo que saiu machucado no primeiro tempo. Já o Tapajós voltou o mesmo para a etapa final. Aos 5’ Betinho recebeu o passe, girou na área e chutou, mas Jader rebateu, no rebote o juiz marcou impedimento. Minutos depois, Thiago Costa deu uma entrada maldosa em Ricardo Capanema e foi expulso da partida. Mas o Paysandu não aproveitou sua vantagem, demonstrou tirar o pé e pisar no freio. Pouco atacou com eficiência no segundo tempo e resolveu deixar como estava. Placar final: Paysandu 4x1 Tapajós.

Palavra da colunista: Hoje o Paysandu fez um primeiro tempo muito bom. Celsinho teve uma atuação impecável, duas assistências e um gol, tirando as tentativas de chegar ao gol. Betinho não foi como se esperava, após sentir o joelho, pareceu diminuir seu ritmo. Capanema, como quase todas às vezes, fez uma partida de alto nível, desarmando mais que esquadrão antibomba. Já Lucas tem se saído muito bem como lateral, mesmo sendo volante. E Augusto Recife, tirando a assistência, teve uma atuação para se esquecer, não tem mais como ser titular, 2014 já passou e ninguém dá atenção para isso.

FICHA:

Paysandu: Emerson, Crystian, Gilvan, Pablo (Flávio), Lucas, Ricardo Capanema, Augusto Recife, Raphael Luz, Celsinho (Bruno Veiga), Betinho e Fabinho Alves (Vélber). Técnico: Dado Cavalcanti.

Tapajós: Jader, Léo Carioca, Yan, Thiago Costa, Luiz Gustavo, Thayson, Amaral, Barbosa, Bené (Jânio), Moisés e Rafael Tanque (Haif). Técnico: Victor Hugo.

Árbitro: Nadilson Sousa Santos

Atlético de Madrid não joga bem e empata em casa

Atlético não sai do 0 a 0 contra o Villarreal
Foto: www.marca.com
O empate em 0 a 0 contra o Villarreal mostrou claramente quem será o campeão da Liga Espanhola. Se for parar pra pensar ainda é muito cedo para decretar o campeão, mas infelizmente sabemos como funciona o campeonato espanhol, e agora com oito pontos de diferencia é quase impossível alcançar o FC Barcelona.

O jogo:

A temporada está chegando à reta final e as esperanças de algum título para o Atlético de Madrid a cada dia estão cada vez mais longe. A partida de hoje mostrou um Atlético muito fraco ofensivamente, infelizmente tirando Griezmann, não temos nenhum outro jogador que possa pegar a bola e resolver o jogo. O que se viu no primeiro tempo foi um time que não conseguia chegar ao gol do Villarreal, é claro que por ser um jogo em casa, o Atlético controlava a partida, mas não conseguia chutar a gol. 

A única oportunidade de gol do Atlético no primeiro tempo foi aos 43 minutos depois de um cruzamento de Juanfran, Griezmann conseguiu chutar, mas a bola por pouco não entrou. Os minutos foram passando e o final do primeiro tempo também, o sentimento de desespero começou a tomar conta de alguns torcedores que até vaiaram o time no final do primeiro tempo.

O segundo tempo foi completamente diferente do primeiro, a bronca que Diego Simeone provavelmente deu nos jogadores funcionaria, mas o problema principal do time não. O Atlético começou o segundo tempo querendo jogo, e não demorou chegar às chances de gol, aos 55 minutos de jogo o Atlético teve duas oportunidades claras de gol, primeiro gol Correa e a segunda com Fernando Torres.

A cada minuto que se passava mais nervosos os jogadores ficavam, e com isso o Atlético deixou alguns espaços que foram o suficiente para que o Villarreal se lançasse um pouco mais ao ataque. O Villareal teve duas oportunidades boas para abrir o placar e se não fosse Oblak o desastre talvez poderia ter sido pior.

O Atlético de Madrid ainda teve a última oportunidade de gol com Vietto aos 91 minutos, mas o goleiro do Villarreal conseguiu defender. Mesmo com o empate é claro que existe chance de título, mas o time do Barça está jogando muito e com oito pontos de diferencia fica muito difícil. 

O próximo jogo do Atlético de Madrid será dia (24) quarta-feira, contra o PSV, jogo de ida das oitavas de final da EUFA Champions League.

Texto escrito por Alzemir Neto, colunista do Atlético de Madrid.

Ficha Técnica:

Atlético de Madrid 0 a 0 Villarreal

Escalação:

Atlético de Madrid:
Oblak; Godín, Savic, Juanfran, Felipe Luís, Koke, Gabi, Saúl (Kranevitter), Correa (Vietto); Griezmann (Óliver Torres), Fernando Torres.
Treinador: Diego Pablo Simeone

Villarreal:
Areola; Bonero, Víctor Ruíz, Bailly, Mario; Pina, Castillejo (Denis), Bruno, Rukavina; Soldado (Adrián), Bakambu (Baptistao).
Treinador: Marcelino García Toral

Twitter:

Alzemir Neto: @NeetoMoraes96
Linha de Fundo: @SiteLF

Luz no túnel: Lugano reestreia e São Paulo vence

Independente protestou, Rodrigo Caio marcou e São Paulo venceu o Rio Claro no Pacaembu. 


São Paulo foi em busca de uma vitória após duas derrotas, importantes, e a conseguiu. Apostando na reestreia de Lugano, o Tricolor foi com tudo o que tinha de melhor contra o Rio Claro. Mesmo com protestos do lado de fora, dentro de campo a torcida jogou junto com o time e assim Rodrigo Caio fez o único gol da partida.

Antes da partida, houve protestos da torcida organizada do São Paulo. Marcharam pela rua ao lado do estádio, havia notas falsas de dinheiro com rosto de Michel Bastos, garrafas de cerveja, cartas de baralho e até charutos. Eles vestiam uma camisa preta, com a palavra "Mafiosos", fazendo referência a Ataíde e Gustavo (dirigentes do departamento de futebol). Outro alvo principal dos xingamentos da torcida foi Michel Bastos - que não estava relacionado para o jogo -, torcedor o imitou e ironizou cerveja em que o jogador apareceu tomando em uma foto (assessoria do Michel diz que foto bebendo é de folga e do ano passado).

São Paulo manteve o controle do jogo na 1ª etapa toda, Rio Claro jogava com 10 atrás da linha, só iam até o Denis em algum passe errado do Tricolor. Entretanto, São Paulo tinha uma posse de bola superficial, não chegava muito, tinha muita dificuldade para chegar ao gol adversário. Thiago Mendes e Hudson jogavam presos, ao invés de descerem junto com os atacantes ou de chutarem de fora da área. Logo no início da partida, Centurión perdeu duas bolas e a torcida já começou a pedir pelo Rogério. A chance de maior perigo do Tricolor foi com Mena, aos 25' Mena chutou forte pela esquerda, o goleiro Lucas espalmou e Centurión não conseguiu aproveitar a sobra.

O gol só saiu no início do 2ºT, após cobrança de escanteio de Carlinhos, Rodrigo Caio desviou de cabeça para o fundo da rede, sem chances para o goleiro Lucas. Jogo ficou bem disputado no meio-campo, após o gol, tricolor deu uma diminuía no ritmo, já o Rio Claro tentava chegar ao gol de Denis, mas sem grandes sustos para a torcida são-paulina.

Com um jogo a menos, o São Paulo agora está na terceira colocação do Grupo C. A próxima partida do Tricolor é contra o Novorizontino, quarta-feira (24/02), às 19h30, no Pacaembu.

FICHA TÉCNICA

Local: Estádio do Pacaembu - SP
Cartões Amarelos: Lugano (SP); Léo Costa, Thiago Cristian e Maurício (RCL)
Gols: Rodrigo Caio (SP)
Arbitragem: Jose Claudio Rocha Filho, auxiliado por Marcelo Carvalho Van Gasse e Diogo Correia dos Santos

SÃO PAULO
Denis, Bruno, Lugano, Rodrigo Caio e Mena; Hudson, Thiago Mendes e PH Ganso (Rogério); Centurión (Wesley), Calleri e Carlinhos (João Schmidt). Técnico: Edgardo Bauza

RIO CLARO
Lucas; Felipe, Alex Silva, João Gabriel, Maurício, Felipe S; Jean Patrik (Elsinho), Leo Costa (Fabricio), Lucas Xavier, Tiago Cristian (Joãozinho) e Romarinho. Técnico: Sérgio Guedes

Internacional: Esquadrão Classe A acaba com Cruzeirinho

A falta de gols nos últimos jogos já começava a me preocupar. O Inter sempre apresentou como um time que muito criava, mantinha a posse de bola, mas não conseguia transformar as chances em gols. Mas o que mais me preocupava era que notoriamente os jogadores de ataque estavam muito nervosos por que a bola não entrava. Os quatro gols que o Inter aplicou contra o Cruzeiro-RS pode se dizer que a tranquilidade voltou, principalmente para os meninos.

Foto: Ricardo Duarte / Internacional 
Falando em meninos, e o Aylon? Que grande achado. Há muito tempo esse jogador vinha pedindo passagem no elenco colorado e ninguém dava a oportunidade. Precisou inúmeras circunstâncias para que ele pudesse ganhar uma chance de verdade. Claro que ele tem errado algumas finalizações, mas ele sempre se apresentou no lugar certo. Posicionamento dele é primoroso. Gostei também ontem do Anderson. Claro que ele está muito longe de ser aquele jogador que faz a diferença em todos os jogos, mas ontem ele estava sedento pela bola, jogou com o coração na ponta da chuteira. E outra, Anderson e Alisson Farias formaram uma dupla de ótima articulação, mas ainda é cedo para rasgar elogios, porém as inúmeras tentativas que eles criaram e trabalharam pelo meio, fez o time ser mais agudo.

Já pelos lados, as laterais do Inter estão muito bem a um bom tempo. Estou admirado em ver a constância de boas partidas que William e Artur estão tendo. E quando os guris sobem ao ataque, o Bob recua pro meio dos zagueiros e fortalece a defesa. Essa foi uma grande mudança que Argel proporcionou, pois além de ter uma boa criação pelo meio, a subida dos alas faz o ataque ter ótimas opções de ataque e alternativas para rodar a bola.

Bom, mas não podemos nos iludir. O jogo de ontem foi contra um adversário de pouca força no cenário regional que ainda busca afirmação e que não tem grandes aspirações no gauchão, mas estávamos sofrendo para ganhar de times pequenos então a boa vitória tem que ser comemorada sim. É uma evolução.

A grande atuação de Anderson, junto com os gols de Aylon, Alisson Farias e Andrigo coroaram o final de semana dos colorados, vencemos por 4 a 0 e finalmente convencermos em campo. A vitória nos colocou na terceira colocação, com 11 pontos e seguindo de perto o 100% Juventude que é o atual líder da competição. O próximo compromisso é contra o Veranópolis, buscando o resultado e manter uma boa sequência de resultados.

Ismael Schonardie || @ismahsantos

Chelsea goleia e avança as quartas da Copa da Inglaterra


Em meio a má campanha na Premier League, onde já não tem esperança de brigar por mais nada, e a uma situação complicada na Champions League; a ultima chance do Chelsea salvar a temporada e conseguir uma classificação continental é a Copa da Inglaterra.
 
Pelas oitavas de final os Blues receberam o time do Manchester City, que jogou recheado de garotos da base. Jogando com o time titular o Chelsea tinha a obrigação da vitória e não desapontou. Conseguiu uma boa goleada por 5 a 1 e agora aguarda o sorteio – que será realizado ainda hoje - para conhecer seu próximo adversário.

No primeiro tempo o jogo estava mais devagar, os times se estudando até que aos 13 minutos Pedro mandou uma bola na trave. O jogo continuava cadenciado, o Chelsea jogava melhor, mas criava pouco até que aos 34 minutos Diego Costa abriu o placar após boa troca de passes dos blues. Enquanto a torcida do Chelsea ainda comemorava, a garotada do City queria mostrar trabalho e 2 minutos depois empatou o jogo com Faupala. Ao fim da primeira etapa Caballero ainda evitou a vitória parcial dos blues.

No segundo tempo o Chelsea entrou em outro ritmo e logo com 2 minutos Willian colocou os blues em vantagem após uma aula de contra-ataque. Cinco minutos depois Cahill ampliou após aproveitar rebote do chute de Hazard. O jogo parecia já decidido, a garotada do City aparentou sentir o golpe enquanto o Chelsea apenas controlava o jogo. Aos 21 minutos Hazard transformou o placar em goleada após bela cobrança de falta. No fim do jogo, aos 44’, Traoré ampliou o marcador. A goleada poderia ser ainda maior se Oscar não perdesse pênalti.

A grande vitória acabou com um jejum centenário, desde 1915, há 101 anos – o Chelsea não ganha no City em jogos da F.A Cup. Durante esse período as equipes se enfrentaram apenas 6 vezes e o time de Manchester sempre levou a melhor.

Com a classificação garantida o Chelsea ainda pode salvar a temporada com o nono título da F.A Cup. Após uma boa atuação coletiva e individual os blues ganham bastante moral para o restante da competição. 

Suou a camisa: Cruzeiro demostrou garra e venceu o time de Três Corações

Na noite de ontem, a Raposa conquistou um triunfo sobre o Tricordiano, com muita garra e força de vontade, o time celeste superou os obstáculos e conseguiu sua terceira vitória no Campeonato Mineiro e dormiu na liderança dos estaduais com 10 pontos, o duelo de ontem marcou a estreia do volante Lucas Romero, que soube dar uma consistência nas jogadas.

O gol marcado por Arrascaeta aos 12min do segundo tempo premiou o Time do Povo pela constante e incontrolável busca pelo o gol, a equipe cinco estrelas volta a campo contra o America-MG, ás 17 horas no domingo, no Mineirão.

Sobre o jogo:

Enquanto a Raposa preocupava em encontrar espaços para infiltrar suas jogadas, o time de Três Corações ocupava em parar o ataque cruzeirense e aguardava os contra-ataques do Cruzeiro.

A superioridade cruzeirense prevaleceu no primeiro tempo, grande domínio de posse de bola no campo ofensivo, o Cruzeiro explorava o lado esquerdo do ataque.

                                    

Os minutos iniciais foram de pressão da Raposa, aos 10 minutos, Fabiano recebeu dentro da área e chutou rasteiro no canto direito, Marcão fez uma boa defesa.

Enquanto Marcão trabalhava sem parar, o capitão cruzeirense quase não se via ao longo da partida, aos 27 minutos o time de Três Corações ainda não tinha finalizado, ao contrario da Raposa que já tinha incomodado sete vezes.

Aos 34 minutos, em bela troca de passes do ataque do Cruzeiro, Arrascaeta chutou de dentro da área e Marcão defendeu.

Outra grande chance do Cruzeiro abrir o placar foi aos 38 minutos, quando Alisson cruzou pela esquerda, a bola bateu na zaga e sobrou para Arrascaeta, o meia bateu em cima do Pedro Costa.

Só dava Cruzeiro, Arrascaeta cobrou escanteio pela esquerda, Dedé tentou um peixinho, e no rebote, Willian chutou em cima da zaga, o primeiro tempo foi finalizado com sobra azul e branca.

Segundo tempo:

A postura do Time do Povo não mudou na etapa final, desde o principio impôs seu ritmo de jogo e aos 4 minutos Fabrício cabeceou e Marcão espalmou e na sequencia a zaga interceptou o lance.

O gol da Raposa estava maduro e acabou saindo aos 12 minutos do segundo tempo, Fabiano cruzou pela direita para Fabrício o lateral escorou para o meio da área e Arrascaeta apenas teve o trabalho de empurrar para o fundo das redes. Aos 22 minutos, teve um pênalti não marcado para o time celeste, Alisson caiu dentro da área, mas nada foi marcado pelo árbitro.

                                    

Em desvantagem na partida, o Tricordiano começou a pressionar o adversário, obrigando o goleiro Fábio a fazer ótimas defesas, um dos lances mais perigosos aconteceu nos minutos finais do jogo, depois do rebote de Fábio no chute de Marcinho, Leandro Love dá uma cavadinha e Dedé salvou em cima da linha. Após algumas jogadas sem sucesso, o jogo foi finalizado.

@Paulinha_CEC

TRICORDIANO 0 X 1 CRUZEIRO
Motivo: 4ª rodada do Campeonato Mineiro
Data: 20/02/2016 (sábado)
Local: Arena do Jacaré, em Sete Lagoas-MG
Árbitro: Marco Aurélio Augusto Fazekas Ferreira-CBF-3
Gols: De Arrascaeta, aos 12 min. do 2º tempo
Cartões amarelos: Leandro Love, Diogo Capela e João Paulo (Tricordiano); Sánchez Miño e Henrique (Cruzeiro)

Tricordiano: Marcão; Marquinhos (Marcinho), Bruno Costa, Preto Costa e Gérson; João Paulo (Juninho), Rodrigo Paulista, Bruno Moreno e Diego Palhinha (Júnior Lemos); Diogo Capela e Leandro Love
Técnico: Josué Teixeira

Cruzeiro: Fábio; Fabiano, Dedé, Bruno Rodrigo e Fabrício; Henrique, Romero, Sánchez Miño (Ariel Cabral) e De Arrascaeta; Alisson (Rafael Silva) e Willian (Elber)
Técnico: Deivid

Retomando os triunfos

Depois de uma derrota causada pelo "fenômeno Nonato" e um empate escandalosamente assaltado, o Goiás teve que esperar uma semana para reencontrar o caminho das vitórias, e nesse sábado, o time cumpriu seu objetivo e bateu a Anapolina no Jonas Duarte com uma atuação brilhante de Wagner e Carlos Eduardo. Um triunfo para tirar um peso nas costas, retomar a confiança e nos mantermos na liderança do nosso grupo.

Em jogo bastante suado, Verdão volta a vencer no Goianão.
Foto: Globo Esporte.
Com duas mudanças no time titular, Enderson conseguiu colocar o Goiás para correr. Anderson Salles estreou muito bem, reforçando a marcação melhor do que Wesley Matos e até os laterais. Wagner, que já havia jogando muito bem nas duas últimas partidas, não podia ficar no banco nesse jogo, e foi ele que fez a diferença. Com ele de um lado e Carlos do outro, o Verde conseguia velocidade no ataque e ficava fácil para Daniel Carvalho armar as jogadas.

Essa nova escalação deu certo na maior parte dos momentos. No primeiro gol, jogada de Wagner e passe para Carlos, que teve uma melhora significativa nas finalizações, marcar um golaço. Ele ainda finalizou duas vezes com muito perigo no primeiro tempo. Como sempre, estávamos dominando todas as ações do jogo, mas em uma falha de marcação de Suelinton, sofremos o empate e vimos que o problema dos laterais continua sendo o mesmo: atacam bem, mas na hora de defender, são fracos.

No segundo tempo, a mudança do Goiás não mudou muito nos minutos iniciais. Assim como nos jogos anteriores, a equipe esmeraldina deixava o adversário chegar e jogar com perigo. Renan foi obrigado a trabalhar para evitar a virada da Anapolina, e estávamos com dificuldades para mantermos a bola no pé. Rafhael Lucas estava desaparecido em campo durante praticamente todo o jogo, porém, depois de uma jogada inesperada e com outra assistência de Wagner, ele não desperdiçou a chance de marcar o gol encobrindo o goleiro em uma boa cabeçada. O placar voltou a nosso favor e precisávamos agora confiar na defesa para evitarmos o empate novamente ou então, matar o jogo.

Não parecia que iria sair outro gol, pois a Rubra cresceu no jogo e tentava achar um espaço na defesa, porém, Wagner conseguiu matar a Anapolina em um contra-ataque fulminante, onde Juninho deu o passe na medida para o meia driblar o goleiro e matar o jogo. Vitória suada e merecida.

Para a próxima partida, é provável que Enderson coloque David Duarte no lugar de Wesley Matos, que foi suspenso com três cartões amarelos. Espero que a marcação seja reforçada com essa mudança e que os laterais não falhem nesse aspecto também, pois a Aparecidense tem um time forte e não é nada fácil jogar no estádio deles. Com certeza, será muito útil manter Carlos e Wagner como titulares, principalmente o nosso garoto criado aqui, pois sempre foi alvo de muitas críticas e está se tornando um grande jogador. Espero também que o novo reforço, o atacante Cléo, já esteja disponível para a partida.

Wagner Oliveira || @wagneroliveiraf
Linha de Fundo || @linhadefuundo

De virada, Paraná vence Toledo

Tricolor sofreu no segundo tempo, mas venceu o Toledo e continua 100%

Não foi fácil, não foi bonito, mas o Paraná Clube conseguiu vencer o Toledo pela 5ª rodada do Campeonato Paranaense. Em jogo muito disputado, a equipe da capital levou a melhor e chegou a marca de cinco vitórias consecutivas, o melhor início de Paranaense da história do Tricolor, superando as quatro vitórias em 2000.

Em lados distintos da tabela, o líder Paraná contava mais uma vez com o apoio da torcida para conquistar mais uma vitória. Já o Toledo buscava embalar no campeonato depois de ter vencido o Coritiba na última rodada.

Jogadores comemoram o gol de Uchoa
Foto: Jonathan Campos / Gazeta do Povo
O JOGO

O Paraná começou mostrando seu cartão de visitas e pressionava o Toledo em busca do gol, mas não levava muito perigo ao gol de Fabricio. A cabeçada de Alisson e o chute de fora de Valber foram as principais oportunidades. Já o Toledo esbarrava na forte marcação Tricolor e não conseguia criar, mas quando chegou, guardou. Aos 29’ Diego Tavares cruzou e Tácio apareceu sozinho na 2ª trave para abrir o marcador para o Porco.

Após sofrer o gol o Paraná retomou a pressão exercida nos primeiros minutos e, cinco minutos depois, conseguiu o empate com Anderson Uchoa. O camisa 7 recebeu na entrada da área e bateu colocado no ângulo para marcar um GOLAÇO, empatar a partida e recolocar o Tricolor no jogo. A pressão pela virada continuou e aí apareceu o artilheiro, Lucio Flavio. Robson recebeu boa bola na direita, foi à linha de fundo e cruzou na medida para LF9 virar o jogo para o líder do campeonato. 2 x 1 marcava o placar no intervalo de jogo.

No segundo tempo o time de Claudinei Oliveira não se encontrou em campo e tomou uma pressão enorme do Toledo, mas esbarrou em Marcos e na trave. Uma das únicas chances, e que chance, do Tricolor saiu dos pés de Robson, que conseguiu entrar pelo meio da defesa, mas finalizou em cima de Fabricio. Já o Toledo teve várias chances para empatar a partida, e ambas saíram dos pés de Diego Tavares, o lateral ágil que jogou de atacante no segundo tempo. Na primeira ele recebeu um presente na cara de Marcos e exigiu bela defesa do goleiro, na segunda conseguiu tirar bem, mas a bola tocou no pé da trave e não entrou. Paraná 2 x 1 Toledo placar final.

Com o resultado o Tricolor mantém a liderança da competição e abre cinco pontos de diferença pro vice líder CA Paranaense, que joga nesse domingo contra o Cascavel. Já o Toledo permanece na 9ª colocação, podendo ser ultrapassado por Cascavel e Operário.

DESTAQUES

Marcos – seguro quando exigido, garantiu a vitória paranista.

Uchoa – fez mais uma grande partida defensivamente, além de meter um golaço.

Lucio Flavio – artilheiro aproveitou a oportunidade que teve e se igualou a Kleber na artilharia da competição.

FICHA TÉCNICA

Paraná: Marcos; Dick (Nei), Alisson (Zé Vitor), Zé Roberto e Fernandes; Uchoa, Vilela (Basso), Nadson e Valber; Robson e Lucio Flavio
Toledo: Fabrico; Diego Tavares, Felipe, Junior Maceió e Tete (Renan Tavares); Leonel (Andre Luiz), Evandro, Rafael Bastos, Tácio e Murilo; Bruno Gaúcho (Gilson)

Gols: (PRC) Uchoa 34’/1ºT e Lucio Flavio 43’/1ºT
(TOL) Tácio 29’/1ºT

Público pagante/total: 6389/7355

VAI E VEM

A última semana foi bastante movimentada nos bastidores do Tricolor, o principal motivo foi a negociação de Luis Felipe com o Santos. O promissor zagueiro vem sendo bastante regular desde sua contratação no ano passado e começou o ano voando, além de anotar dois gols. As boas atuações e a carência de jogadores na posição fizeram o Peixe retomar as negociações pelo atleta (o clube já tinha especulado o jogador no início do ano). Os valores não foram divulgados pela nota oficial do PRC, contudo são apurados que foram vendidos 55% dos direitos de Luis Felipe por R$1.000.000 ao alvinegro. Os outros 45% estariam divididos entre os empresários do atleta e o Paraná.

Por outro lado a diretoria confirmou na terça feira (16/02) a contratação do meio-campista Eliton. O jogador de 20 anos foi destaque na campanha do JMalucelli no Campeonato Paranaense sub-19 2015, torneio vencido pelo Tricolor. Tendo como principais características a finalização e as cobranças de falta, ele marcou 12 gols em 22 jogos pelo Jotinha.

Além disso, o volante Anderson Uchoa teve seu contrato renovado até dezembro de 2017. O jogador de 25 tem se destacado e é importante peça no esquema defensivo da equipe, ao lado de Jean. Outro que está perto de renovar seu contrato é Lucio Flavio, o artilheiro do time e do Paranaense já iniciou as conversas com a diretoria e tem interesse em permanecer na equipe.

Eliton já vestiu a camisa paranista
Foto: Paraná Clube
PRÓXIMO JOGO

O Paraná Clube já volta a campo na próxima quarta feira (24/02), contra o Londrina, em Londrina. A equipe que perdeu seis pontos pela escalação irregular de Germano, perdeu na rodada para o Rio Branco e precisa se reabilitar na competição.

Na história são 48 confrontos entre as equipes, com 20 vitórias paranistas, 14 do Tubarão e 14 empates. O Tricolor também tem vantagem nos gols marcados, são 69 a favor e 47 contra.

Claudinei Oliveira contará com a volta de Jean, que cumpriu suspensão. Por outro lado pode perder Alisson, que saiu com dores no tornozelo. Outra mudança que poderá pintar será entrada de Nei na equipe, já que Dick não vem fazendo bons jogos.

Provável Paraná: Marcos; Dick (Nei), Alisson (Basso), Zé Roberto e Fernandes; Uchoa, Jean, Nadson e Valber; Robson e Lucio Flavio

Fellipe Vicentini | @_FellipeS
#PRaCima
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana