A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Arsenal perde e se complica na Champions League

O Arsenal recebeu o Barcelona no Emirates Stadium pelo primeiro jogo das oitavas de final da UEFA Champions League e apesar de fazer um jogo muito consistente, não conseguiu aguentar o trio MSN, perdendo por 0-2 e praticamente eliminando qualquer chance de o Arsenal avançar, restando focar na briga pelo título da Premier League e da FA Cup.

O Arsenal abatido pós segundo gol
Foto: Squawka
O primeiro tempo começou com o Arsenal pressionando, sendo empurrado pela sua torcida. Mas sem nenhuma chance de gol até os 21’, onde Ozil cruzou, Bellerin chutou em Pique e na sobra Chamberlain de frente para o gol chutou em cima de Ter Stegen. A partir daí o Barcelona tomou conta do jogo, chegando a ter 75% de posse de bola, mas sem finalizar. A compactação do Arsenal estava perfeita, todos os jogadores atrás do meio de campo e duas linhas de quatro perfeitas, sem deixar espaço para o trio fazer alguma jogada. No último lance do primeiro tempo, Daniel Alves achou Suarez na área, mas o cabeceio saiu raspando a trave.

No segundo tempo foi um predomínio total do Barcelona. Logo aos 3 minutos, Iniesta deu um belo passe para Neymar nas costas de Bellerín, mas Petr Cech fez uma excelente defesa. O Arsenal cansou de fazer a marcação intensa, e percebendo isso o Barcelona resolveu sair no contra-ataque. E assim saiu o primeiro gol da partida, em um contra-ataque fulminante do trio MSN. Neymar roubou e tocou para Suarez, Neymar recebeu e disparou até a área, tocou para Messi finalmente vazar o Cech. O Arsenal sentiu o gol, não conseguiu mais atacar com alguma efetividade. Então Wenger resolveu mudar Coquelin por Flamini, e o volante conseguiu fazer um pênalti com vinte segundos em campo. Meus parabéns. Messi cobrou e decretou o 0-2, que praticamente acaba com as chances do Arsenal de avançar e ir para o 5º ano seguido caindo nas oitavas de final da UCL.

No próximo domingo, às 11h (horário de Brasília), o Arsenal enfrenta o United no Old Trafford e só resta esquecer esse jogo e pensar no que realmente interessa, a Premier League. Tem que pontuar lá para continuar na briga pelo título.

Arsenal: Cech; Bellerín, Mertesacker, Koscielny, Monreal; Coquelin (Flamini), Ramsey, Alexis, Ozil, Chamberlain (Walcott); Giroud (Welbeck).

Barcelona: Ter Stegen; Daniel Alves, Mascherano, Pique, Jordi Alba; Busquets, Rakitic, Iniesta; Messi, Suarez, Neymar.

Por: Henrique Charão | @ocharao

Caldense, aquilo que a gente não percebeu

Caldense hoje é a décima colocada no campeonato mineiro, os comandados de Gian Rodrigues possuem apenas uma vitória na competição, na estreia contra o Boa Esporte.

O time da Veterana é muito diferente do ano anterior, muitos jogadores que disputaram o Campeonato Brasileiro se foram, muitos que disputaram o mineiro voltaram. Os comandados de Condé no Campeonato Mineiro 2015, não trabalharam com o atual treinador na Série D e estão passando a trabalhar com ele agora pela primeira vez.

A Caldense tem um total de sete (7) reforços no time titular incluindo três que voltaram ao clube. Outros quatro são novidades em Poços de Caldas, então sua adaptação ainda não aconteceu.

Gian fez apenas três jogos desde outubro, quando a equipe foi eliminada no Brasileiro, as três partidas foram feitas apenas na pré-temporada, com duas vitórias e um empate.
Portanto, você caro leitor e prezado torcedor, teria razões para ter paciência com o trabalho de Gian Rodrigues. Mas por outro lado, relembrando a irregular campanha na Série D, considerando que a equipe vem se apresentando mal com resultados inconsistentes, uma eventual demissão do técnico não parece ser injustificada.

Além de Gian, observo que jogadores demais foram embora e a equipe ficou sem referência, o que agrava o problema de entrosamento, que já se notava na temporada passada.

Os problemas não são novos, nós que não estávamos percebendo.

Francisco || @BorjaFrancisco_
Linha de Fundo || @SiteLF

O camisa 10 e eterno Roberto Menezes

Venho aqui através desta publicação mostrar a vocês, talvez o maior gênio de todos do futebol alagoano. Não irei escrever nada sobre o mesmo. Achei dois textos impressionantes sobre o jogador, do históriador Lauthenay Perdigão, e do jornalista Ricardo Morta.

Reproduzido po Ricardo Mota:

Fosse de um país importante da Europa teria ficado conhecido por um desses títulos nobiliárquicos tão caros aos cronistas esportivos: o Lord, o Kaiser…Sendo alagoano, de um pedaço escondido do Brasil, deixou-nos a saudade com o nome que era seu como jogador e engenheiro: Roberto Menezes. Um esteta! Não teve uma carreira longeva no futebol, mas quem o viu em campo há de carregar na memória os seus lançamentos milimétricos, o drible largo preparando o passe perfeito, e, claro, a elegância.
                              
Eu costumava, já adulto, brincar com Roberto quando o encontrava: “Jogou tanto tempo e nunca viu a cor de uma bola”, debochava. E era a mais pura verdade. Nunca viu porque nunca olhou para ela. Os olhos de Roberto Menezes só apontavam para o horizonte. Era para lá que ela, redonda e submissa, devia seguir até alcançar aquele para quem o craque mandava o recado: “Vai, faz o gol. É disso que o torcedor gosta”.
Eu gostava de muito mais. Queria vê-lo a cada domingo exercer o que era a sua natureza. Jogava futebol, o Galego, porque sabia o que ninguém havia lhe ensinado. Lembro da primeira vez que o vi a espalhar sua arte num gramado. Foi na Pajuçara – o Trapichão não havia, ainda, sido inaugurado -, ao lado do seu Luiz Mota, apaixonado torcedor do CRB e que sabia tudo de futebol (foi no acanhado campo do Galo que eu descobri que meu pai dizia palavrão). No jogo de “aspirantes”, aquele lourinho de cabelo eriçado chamou logo a atenção do meu companheiro de arquibancada: “Joga muito esse dez”, vaticinou o profeta. Jogou muito, que pena!, por menos tempo do que podia.
Poucos meses depois, já era, Roberto Menezes, o meu Pelé. Claro que eu, assim como todos os garotos da minha geração, amava o camisa 10 da seleção – mais do que os Beatles e os Rolling Stones. No meu universo de menino que andava de pés no chão, nas ruas do Centro ou na praia da Avenida, buscando sempre um bom “racha”, a bola consumia tempo e imaginação. Eu? Seria igual ao Roberto Menezes. Não fui, mas como fui feliz imaginando que podia sê-lo.
A cada sucesso do meu ídolo, eu matava o elogio no peito – bem dentro – e me arremessava para as nuvens. Chega a Alagoas o diretor do Atlético Mineiro e pede pela TV: “Convençam o Roberto Menezes a ir para Minas comigo”. O Galego, nem aí para os apelos. Era jogador porque ele e a bola se gostavam – e só.
 
Jogo do CRB contra o Flamengo, no Trapichão. João Saldanha – a quem eu escutava pela Rádio Globo -, o homem que montou a seleção de 1970, viu e rendeu-se: “Joga demais esse meio-campista do time local”. Meu caro Saldanha: seu Mota estava “apenas” prenhe de razão de há muito. O Flamengo – de Zico, Adílio e Cia. – ganhou por 5 X 2. Mas os dois gols do Galo tiveram a mesma origem: saíram de lançamentos perfeitos de Roberto Menezes. Com uma diferença entre ambos: em um, Roberto usou a parte interna do pé; no outro, inverteu, impondo a curva exata a alcançar Reinaldo, o atacante de estilo clássico.
 
Quando Roberto Menezes saiu do CRB, teve uma passagem pelo Vitória, voltou a Alagoas defendendo o CSA, mas não demorou para trocar os caminhos incertos da arte pela exatidão dos cálculos da Engenharia. Parou sem fazer alarde e sem saber que para mim o futebol tinha perdido um tanto da sua graça. Minha paixão clubística foi diminuindo, e hoje acompanho o “eficiente e eficaz” futebol dos treinadores pela TV. Claro que, de quando em vez, aparece um artista da bola para contradizer os pragmáticos defensores do futebol de resultado.
 
Saudosismo? Então, como esquecer aquele lançamento fantástico – na Copa de 70 – que alcançou Pelé em movimento, bola no peito e gol contra a Tchecoslováquia? Ah, não foi o Roberto Menezes quem deu rumo à bola? Tudo bem. Mas quem faria aquilo melhor do que ele?

Reproduzido por Lauthenay Perdigão:

Quem ficasse observando Roberto Menezes jogando futebol, certamente ficaria impressionado com a precisão de seus passes, a bola limpinha que entregava a um companheiro melhor colocado, a eficiência dos dribles curtos e sua colocação dentro do campo. Sempre foi regateano. Começou nos juvenis, onde conquistou títulos e sentiu suas primeira emoções. Quando Zé Júlio se transferiu para o futebol pernambucano, Roberto Menezes o substituiu e fez a torcida esquecer o craque que se foi. E começou com o pé direito com o pé direito. Logo no primeiro ano foi campeão em 1970.



Graças a suas atuações, ele começou a ser observado pelos grandes clubes do Brasil. Muitos tentaram, mas o CRB não queria perde-lo. O próprio Roberto não pretendia deixar Alagoas por causa de seus estudos na Faculdade de Engenharia. Mas, por uma boa compensação financeira, ele terminou cedendo as investidas do Vitória de Salvador. No rubro negro da Bahia não se deu muito bem. Dentro do campo, mostrava todo seu grande futebol. Extra campo era o problema. Sendo um dos maiores salários do clube, criava ciúmes de alguns companheiros. Quando o contrato terminou, Roberto voltou e queria jogar no CRB. Entretanto, os dirigentes não tentaram uma formula para traze-lo de volta.

Atencioso, amigos de seus amigos, interessado pelas boas coisas da vida, bom de dialogo, Roberto Menezes abandonou o futebol depois de passar por clubes de menor expressão no estado. Foi cuidar de sua vida particular como engenheiro. Roberto foi campeão pelo CRB nos anos de 1970, 1972 e 1973. Pelo ídolo que foi, pelo futebol que jogava, pelo homem que representava para a sociedade, ele foi homenageado no Cantinho da Saudade, no Museu dos Esportes no estádio Rei Pelé,  e será, sempre, uma figura de destaque na história do futebol alagoano.

Precisamos falar sobre Anderson

Desde a sua chegada para o Beira Rio, ele tem sido o jogador mais visado no elenco, e dia após dia vem sido cobrado por um futebol que ele não apresenta a anos. Andershow, assim como foi apelidado teve um inicio muito curto pelo Grêmio, digamos que o seu maior feito foi o gol inacreditavel que ele marcou na "Batalha dos Aflitos", logo com esse crescimento foi transferido ao Porto e teve ali sua janela de exposição, podendo assim mostrar o seu potencial, tanto que o Sir Alex Ferguson pediu a contratação do jovem jogador. Sua chegada ao Manchester United foi ótima para o jogador, pode amadurecer muito e crescer taticamente. A saida de Ferguson foi algo marcante para o jogador, pois junto com o treinador, sua qualidade foi diminuindo tanto que chegou a ser emprestado para a Fiorentina e quando voltou para a "terra da rainha" não tinha mais espaço no elenco. Logo abriu uma oportunidade de voltar ao seu clube de origem, porém o tricolor gaúcho não aceito o seu alto salario, então o seu empresario ofereceu o atleta ao Internacional, que mostrou interesse e contratou o atleta por um valor alto, especula-se algo entorno de R$ 500 mil.

O jogador assinou contrato com o Inter em Fevereiro de 2015.
(Foto: Deive Pazos)
Sim, evidentemente ele ficou devendo e muito no ano de 2015, mas acabou o ano como titular e apesar dos pesares, foi decisivo em alguns jogos chaves para o Internacional, mais que o nosso eterno ídolo D'alessandro. Esse ano o técnico Argel resolveu novamente apostar todas as suas fichas em "Andershow", e com algumas alterações de esquema e estilo de jogo, fez com que ele melhorasse de rendimento, tanto que no ultimo jogo foi aplaudido por boa parte da torcida.

Veja como foi a sua atuação em: Esquadrão Classe A acaba com o Cruzeirinho

Logicamente ele precisa melhorar ainda. Precisa de sequências de bons jogos, precisa de objetividade, saber quando precisa ser coletivo e quando tem que ser o cara para decidir. O que falta ao Anderson nesse momento é maturação dentro do elenco colorado, por isso digo que esqueçamos aquele Anderson que foi revelado pelo Grêmio e vamos focar no momento dele, temos que apoiar nossa maior promessa do ano. O jogo contra o Cruzeirinho mostrou que ele pode render mais, obvio que se ele não mantiver um nivel suficiente e voltar a jogar de forma mediocre devemos criticar, porém hoje não é o momento para isso.

De contestado a aplaudido, Anderson vem demonstrando melhorias.
(Foto: Deive Pazos)
Anderson hoje está magro e na sua melhor forma técnica, está demonstrando que pode ser muito mais que um jogador para essa temporada e sim para suprir uma lacuna deixada, pode ser uma referência para a torcida. Sinceramente estou colocando um bom numero de fichas nesse atleta, ele ainda vai ser fundamental para o Inter.

Ismael Schonardie|@Ismahsantos

Confira como ficaram os clubes após o Draft do Futebol Feminino

O evento realizado na sede da CBF nesta tarde (23) não é tão conhecido assim. O Draft não é comum em modalidades esportivas no Brasil, porém foi o segundo ano consecutivo que isso rolou no futebol feminino.

Os oitos times que resistiram à primeira fase do Brasileirão puderam escolher as novas representantes de seus times. Foram quatorze jogadoras da seleção brasileira aos olhares dos comandados de cada time.

Rafael Ribeiro / CBF 
Foi realizado um sorteio para saber a ordem das séries de escolha e a segunda ocorrendo de forma contrária. Para a segunda bateria dois times foram eliminados por meio de sorteio também. Os clubes escolheram:

Rio Preto: Luciana (goleira)
Foz Cataratas: Barbara (goleira) e Bruna (zagueira)
São Francisco: Formiga (meia)
Ferroviária: Géssica (zagueira) e Camila (lateral)
São José: Thaisa e Juliete (meias)
Flamengo: Maurine e Bia (meias)
Iranduba: Tayla (zagueira) e Rilany (lateral)
Corinthians: Letícia (goleira) e Rafinha Travalão (atacante)

Em virtude das Olimpíadas a serem realizadas no mês de agosto, o Brasileirão foi antecipado para o primeiro semestre e a entrada das jogadoras que vestem a camisa canarinho neste momento no campeonato serve para agregar dando uma força maior ainda à competição e ritmo de jogo.

A segunda fase volta ao gramado somente no dia 22 de março, tendo um mês para preparar os times, arrumar a casa e depois dar alegria aos torcedores.

22/03 - terça-feira
16h30
Rio Preto x Ferroviária
23/03 - quarta-feira
17 horas
São José x Flamengo
São Francisco x Foz Cataratas
18 horas
Iranduba x Corinthians

ISABELA MACEDO || @ismacedo_
Linha de Fundo || @SiteLF 
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana