A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Seguem invictos

Fala, Turma da Fuzarca!

No Domingo (28), Vasco e Botafogo, dois invictos, se enfrentaram em São Januário, e continuaram sem perder. Com o resultado justo, o empate manteve os dois clubes nas lideranças de seus grupos. No Grupo A, o Gigante da Colina tem 17 pontos. Já no Grupo B, o Glorioso chegou aos 19 pontos.

(Foto: Vasco Oficial)
Jorginho e Ricardo Gomes travaram um bom duelo tático. O ponto forte do Botafogo sobressaiu ao do Vasco. O sistema defensivo do Glorioso marcou bem Nenê e Cia. Jorge Henrique, questionado pela torcida, cumpriu o papel dele, que era de acompanhar o Luis Ricardo pelo lado direito Alvinegro. Outro jogador sem moral com o público foi Julio dos Santos que, para variar, foi sonolento e perdeu algumas bolas fáceis no meio. Madson foi à válvula de escape Vascaína.

(Foto: Vasco Oficial)
Com Andrezinho e Nenê apagados, sobrou para Riascos ter a missão de atacar. E foi isso que aconteceu. Sim, Riascos jogou bem... MUITO! Você não leu errado. Quando caia para beiradas, fazia lances perigosos. Já no segundo tempo com a entrada de Éder Luís, ganhou destaque concluindo como um verdadeiro 9. O “Chico Bento” entrou no lugar do Júlio do Santos, provando que o Paraguaio não ter capacidade para ser titular.

Quando tudo se encaminhava para mais um vitória do maior ganhador de Clássicos do Rio de Janeiro, numa falta cometida por Bruno Gallo, no qual havia entrado há poucos minutos, Emerson, o zagueiro do Glorioso, soltou uma bomba de quase 110km/h dando o empate e números finais ao jogo.


Emoção gigantesca

Depois de quase cinco anos longe, Ricardo Gomes voltava aos gramados de São Januário em dia de jogo, porém, do outro lado. O comandante do Botafogo foi muito aclamado pela torcida Vascaína, em sinal de gratidão ao trabalho feito em 2011, sido interrompido por questões de saúde. No Vasco, chegando ao meio do campeonato, o técnico venceu a crise instalada no começo daquele ano e tornou-se campeão da Copa do Brasil.                         

Foto: GE
FICHA TÉCNICA – VASCO DA GAMA 1X1 BOTAFOGO
Competição: 7ª Rodada do Campeonato Carioca de 2016

Local: São Januário, RJ
Data: 28 de fevereiro de 2016
Horário: 19h (Horário de Brasília)
Público presente: 8.869  / Pagantes: 7.921
Renda: R$ 291.570,00
Árbitro: Mauricio Machado Coelho Junior
Assistentes: Wagner de Almeida Santos e Daniel do Espírito Santo Parro
Cartões amarelos: Marcelo Mattos, Rodrigo, Andrezinho e Bruno Gallo (Vasco) / Luis Ricardo, Airton e Bruno Silva (Botafogo)

Gols: Riascos (15'/2ºT - Vasco) / Emerson (41'/2ºT - Botafogo)

VASCO: Martín Silva; Madson, Luan, Rodrigo e Julio César; Marcelo Mattos (Bruno Gallo), Julio dos Santos (Eder Luis), Andrezinho e Nenê; Jorge Henrique e Riascos (Thalles). Técnico: Jorginho.

Botafogo: Jefferson, Luis Ricardo, Carli, Emerson, Diogo Barbosa; Airton, Rodrigo Lindoso (Lizio), Bruno Silva e Gegê (Salgueiro); Ribamar e Luís Henrique (Neilton). Técnico: Ricardo Gomes.

Matheus Freitas          @_MFreitas9_   // @sitelf

Tite espera “compreensão e carinho do torcedor” diante do Santa Fé

Na noite da próxima quarta-feira (02), o Corinthians volta a campo pela Copa Libertadores da América. Depois de vencer o Cobresal por 1 a 0 no Chile no último dia 17, o Timão agora joga diante da Fiel contra o Santa Fé, da Colômbia, às 21h45.

Tite concedeu entrevista coletiva após a vitória diante do Oeste, no último sábado (27)
O Santa Fé é o atual campeão da Copa Sul-Americana, e o técnico Tite espera uma “equipe gelo”, como ele mesmo definiu após a vitória diante do Oeste, no último sábado (27):

“Vou começar a estudar os dados agora, mas posso adiantar que é uma equipe gelo”, afirmou o treinador.

Tite pediu apoio e compreensão à torcida no decorrer dos 90 minutos. O técnico salientou o momento de reformulação do time, citando a experiência com os novos reforços e a dificuldade no entrosamento:

“Vamos esperar a compreensão e carinho do torcedor. O Santa Fé pode pressionar e nossa equipe sentir. Nossa equipe está em formação, um Guilherme, um Giovanni são rodados, mas estão entrando em uma nova equipe”avisou Tite.

O comandante alvinegro também alertou para uma possível pressão dos colombianos, uma equipe experiente que atua há bastante tempo junta. O treinador aproveitou para pedir apoio total da Fiel se houver alguma dificuldade na criação de jogadas:

“Se estivermos tocando uma bola para o lado, que a torcida tenha paciência e nos ajude. O Santa Fé é cascudo e rodado há bastante tempo”completou o técnico.

O Corinthians é vice-líder do Grupo 8 da Copa Libertadores com três pontos, um a menos que o líder Cerro Porteño, que já fez dois jogos. O Santa Fé só empatou na primeira rodada e busca uma vitória para não se complicar na classificação.

A rua é azul e vermelha

Na superação, Paraná derrota CA Paranaense e se mantém líder

Pela 7ª rodada do Campeonato Paranaense o Paraná Clube recebeu o C. A. Paranaense na Vila Capanema. O jogo marcava o primeiro clássico do ano, com as duas melhores equipes ajustadas (dentre as 3 da capital), a expectativa era grande nos dois lados.
Depois das 5 vitórias consecutivas, o Tricolor queria deixar claro que a derrota para o Londrina foi mero acaso. Já o Atlético buscava manter a invencibilidade na temporada e de quebra colar nos líderes do campeonato.

Robson deixou Vilches sentado e mandou no canto de Weverton

O JOGO
O primeiro tempo foi muito estudado e brigado, mas sem muitas chances para as equipes. O Atlético apostava em Walter, que bem marcado pela defesa paranista, pouco criava. Já o Tricolor via nas descidas em velocidade de Nadson suas principais oportunidades. Com isso o marcador no intervalo era 0 x 0.

O segundo tempo foi completamente diferente. O Paraná voltou com uma postura bastante ofensiva e em 10’ criou 3 boas chances, numa delas saiu o gol. Aos 3’ a bola sobrou com Valber, que tabelou com Robson e bateu fraco, mas acabou dando um presente pra o mesmo Robson, que deixou Vilches sentado e mandou no canto para abrir o placar.

Tudo indicava que a partida ia pegar fogo, mas o senhor Adriano Milczvski resolveu expulsar o zagueiro paranista Zé Roberto aos 10’ e acabar com o jogo. O Paraná só se propôs a se defender a partir daí e o jogo virou ataque contra defesa. O Atlético tinha a bola, mas não levava perigo ao gol de Marcos. A única grande chance saiu num cruzamento de Walter pra cabeçada de André Lima na trave.

Mesmo com um jogador a menos e contra a arbitragem tendenciosa, o Tricolor conseguir segurar o resultado e assegurou mais 3 pontos. O time se mantém na liderança, agora com 18 pontos, contra 16 do vice colocado JMalucelli e já está praticamente classificado a próxima fase. Já o time do fim da rua se manteve na 4ª colocação com 11 pontos (1 jogo a menos), mesma pontuação do 3º colocado Coritiba.

DESTAQUES
Nei: o lateral mostrou porque deve ser titular e fez uma bela apresentação, tanto defensivamente quanto ofensivamente.
Nadson: fez mais um belo jogo até onde foi possível desempenhar sua função.
Basso: o jovem zagueiro entrou com personalidade no 2º tempo e foi muito seguro atrás.

FICHA TÉCNICA
Paraná: Marcos; Nei, Alisson, Zé Roberto e Fernandes; Jean, Uchoa, Nadson (Zé Vitor) e Valber (Dick); Robson e Toni (Basso)
CA Paranaense: Weverton; Eduardo, Vilches, Paulo André e Sidcley (Ewandro); Deivid (André Lima), Otávio e Vinicius; Crysan (Nikão), Anderson Lopes e Walter
Gols: (PRC) Robson 3’/2ºT
Cartão amarelo: (PRC) Zé Roberto, Fernandes e Jean
(CAP) Deivid, Anderson Lopes e Nikão
Cartão Vermelho: (PRC) Zé Roberto
(CAP) Weverton
Público pagante / total: 10.497 / 11.917

MERCADO
O Tricolor confirmou na tarde dessa segunda feira (29/02), a contratação do zagueiro Demerson, que vem para suprir a saída de Luis Felipe para o Santos. O defensor de 29 anos que acumula passagens por Coritiba e Bahia, estava no futebol chinês na última temporada. Demerson deve ficar a disposição de Claudinei já na quarta feira e, com a suspensão de Zé Roberto, possivelmente já esteja no banco na partida de domingo.

Demerson já com a camisa paranista
Foto: Paraná Clube


PRÓXIMO JOGO
O Paraná volta a campo somente no próximo domingo (06/03), para enfrentar o Coritiba no Couto Pereira. A equipe alviverde tem que mostrar serviço após ter ganhado somente 1 dos últimos 5 jogos no Paranaense.

O confronto entre as equipes é bastante equilibrado, sendo 33 vitórias paranistas, 29 empates e 36 vitórias do Coritiba em 98 jogos. O equilíbrio também permanece nos gols, o Paraná marcou 122 e sofreu 117.

Claudinei Oliveira não contará com Zé Roberto, suspenso, e tem Lucio Flavio como dúvida, já que este nem no banco esteve no último domingo.

Provável Paraná: Marcos; Nei, Alisson, Basso e Fernandes; Jean, Uchoa, Nadson e Valber; Robson e Toni

Fellipe Vicentini | @_FellipeS
#PRaCima

Cruzeiro empata e perde a chance de se isolar na liderança

Na partida de ontem (28), o time celeste perdeu uma grande oportunidade de se isolar na liderança do Estadual e, com o empate conquistado contra o América-MG, o Cruzeiro se mantêm na vice-liderança com 11 pontos.

Parecia que o Cruzeiro já estava com o triunfo nas mãos até que, aos 46 minutos do segundo tempo, Bryan resolveu marcar um golaço de fora da área. O gol cruzeirense foi marcado por Arrascaeta aos 44 minutos da primeira etapa.

                                  

A Raposa terá uma semana de preparo, já pensando no próximo compromisso que será contra a Caldense, no dia 06 de março, no domingo, às 18h30, no estádio Municipal Dr. Ronaldo Junqueira, em Poços de Caldas.
Sobre o jogo:

Os minutos iniciais houve equilíbrios entre as equipes, a primeira jogada de perigo foi do Cruzeiro com Arrascaeta, que fez boa jogada pela direita e cruzou na cabeça de Alisson, e o goleiro americano espalmou para o lado.

O América-MG precisou apenas de três minutos para responder o lance anterior, aos 8 minutos, Pablo arriscou de fora da área, para boa defesa do capitão celeste.

Aos 11 minutos, Alisson recebeu de Lucas Romero, cortou para o meio e bateu no canto esquerdo de João Ricardo, a bola passou perto da trave, após esse jogada, a Raposa teve algumas faltas e jogadas áreas ao seu favor, mas nenhuma delas obteve resultado.

                              
                                                       
Aos 39 minutos, a bola pipocou na área do América-MG e sobrou para Sánchez Miño livre, o mesmo finalizou, mas foi travado, aos 40 minutos os americanos deram o troco, Tony e Danilo tabelaram, Danilo encontrou Rafael Bastos, que foi travado na hora do chute.

Aos 44 minutos, podemos ver um Cruzeiro oportunista, quando soube aproveitar um erro na saída de bola da equipe adversária, Arrascaeta recebeu passe de Willian pela direita, e finalizou cruzado, sem chance para João Ricardo.

Segundo tempo:

Em desvantagem no placar, o técnico Givanildo apostou em suas duas substituições, colocando Bryan e Victor Rangel, no lugar do lateral Danilo e do atacante Bruno Sávio.

Enquanto o América se preocupava em reverter o prejuízo, o time do técnico Deivid, parecia estar conformado com o placar de apenas um gol diferença, já era de se esperar de um segundo tempo sem emoções.

O primeiro lance de susto foi aos 14 minutos, Bruno Rodrigo arriscou de fora da área, mas João Ricardo faz boa defesa. Aos 35 minutos, Romero arriscou de fora, e a bola passou no lado direito do gol de João Ricardo.

                                              

Aos 40 minutos quase sai o gol de empate do América-MG, Osman e Bryan fizeram boa jogada pela esquerda e Bryan cruzou, o zagueiro Bruno Rodrigo afastou o perigo.

Aos 46 minutos, saiu o gol de empate do América-MG próximo ao fim do duelo, em um lance de extrema sorte, Bryan igualou o marcador, quando recebeu na ponta direita e soltou uma bomba, de perna esquerda, sem chances para o goleiro Fábio.

@Paulinha_CEC

Ficha técnica:
Cruzeiro 1 x 1 América-MG

Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Data: 28 de fevereiro de 2016(domingo)
Horário: 17horas (Brasília)
Árbitro: Emerson de Almeida Ferreira
Assistentes: Guilherme Dias Camilo e Marcus Vinicius Gomes
Cartões Amarelos: Lucas Romero(Cruzeiro); Danili, Alison( América-MG)
Gols: De Arrascaeta aos 44 minutos do primeiro tempo; Bryan aos 46 minutos do segundo tempo

Cruzeiro: Fabio, Fabiano, Bruno Rodrigo, Dedé, Fabrício, Henrique, Lucas Romero, Sánchez Miño (Ariel Cabral), Alisson ( Élber), De Arrascaeta e Willian(Rafael Silva). Técnico: Deivid

América-MG : João Ricardo, Jonas, Alison, Sueliton e Danilo(Bryan), Leandro Guerreiro, Pablo, Tony, Osman, Rafael Bastos(Tiago Luís), Bruno Sávio(Victor Rangel). Técnico: Givanildo Oliveira

Em dia de Flalemanha, Flamengo joga bem e goleia Resende

Foto: Gilvan de Souza / Flamengo
Quem diria que aquele apático time que perdeu para o Vasco a pouquíssimo tempo estaria melhorando a cada semana? Neste domingo (28), após vitória magra no meio da semana por 1x0 contra a Cabofriense, o Flamengo conseguiu uma goleada de respeito  por 5x0 para seguir bem no Campeonato Carioca.

Pois é, aquele mesmo Flamengo que vinha jogando mal e sofrendo contra equipes mais fracas parece ter conseguido encontrar o caminho certo. Com uma escalação próxima do ideal, o time tem conseguido passar mais tempo atacando do que sofrendo defensivamente, o que é bem diferente do que a torcida estava acostumada.

Sem Márcio Araújo, o Mais Querido conseguiu com Willian Arão e Cuéllar achar a estabilidade que o time precisava. Apesar de ser um dos melhores em campo nos dois últimos jogos, César Martins foi para o banco para a volta de Wallace, que errou algumas vezes e foi salvo pelo sempre muito seguro Juan. No ataque, Marcelo Cirino e o sempre "fominha" Emerson Sheik se uniram à Paolo Guerrero mais uma vez.

Mancuello saiu lesionado, mas fez ótima partida. (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)
Interessante mesmo foi o início arrasador da equipe. Com 48 segundos, Emerson Sheik conseguiu marcar após escanteio muito bem cobrado de Mancuello. O argentino, que acabou saindo lesionado ainda no primeiro tempo, ainda teve tempo de dar outra assistência sensacional para Marcelo Cirino, que marcou o segundo com menos de seis minutos de jogo.

Graças a lesão de Mancu mais ou menos no meio da etapa inicial, Muricy teve que tirar o melhor homem do elenco e colocou Everton. O jogador entrou, se movimentou e quando ia começar a tentar mostrar serviço sentiu a coxa, mas ficou até o apito final. Na volta do intervalo, mais uma alteração: saiu Everton e veio o famigerado menino Acarajé, Gabriel.

Achamos que não dava pra ficar mais legal nesse segundo tempo, mas ficou. Aos 6 minutos Guerrero deu um toque de calcanhar perfeito para Cirino, que não desperdiçou e marcou seu segundo gol da noite e o terceiro da Flalemanha. Um minuto depois, o mito incompreendido Gabriel recebeu uma bola maravilhosa de Jorge e colocou o 4x0 no placar.

Claro, o rubro-negro poderia ter feito outros gols. Porém, além de Guerrero não estar inspirado, Sheik continuou com aquela de "deixa que eu faço" e desperdiçou diversas chances boas por não passar a bola por alguém em posição melhor. Apesar de marcar dois gols, já que fechou a goleada aos 38 minutos, o atacante incomoda pela falta do jogo coletivo, o que é muito necessário agora.

Cuéllar se mostra cada vez mais importante. (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)
É importante mencionar Cuéllar, Arão e Juan, que fizeram um trabalho defensivo muito bom e cobriram as bobeiras de Wallace e Jorge, que apoiou bem no ataque, mas defendeu muito mal. Mancuello é, sem dúvidas, a melhor aquisição do Flamengo nos últimos tempos e, se tudo der certo, pode ser essencial para o ano rubro-negro.

A próxima partida é sábado (5) contra o Bangu em Volta Redonda, às 16h. Já classificado, o Fla joga apenas para cumprir tabela.

Mariana Sá || @imastargirl

Everton Silva valoriza vitória do Red Bull Brasil diante do Santos

Foto: Divulgação Red Bull Brasil
Em partida válida pela 7ª rodada do Campeonato Paulista, o Toro Loko venceu a equipe santista pelo placar de 2 a 0 na noite deste domingo (28) acabando com a invencibilidade do time comandado por Dorival Júnior.

- A gente sabia que não seria um jogo fácil. O Santos é uma das melhores equipes do campeonato, tem jogadores que fazem a diferença, mas nós entramos em campo com humildade, conseguimos segurar o ataque deles e aproveitamos as chances que tivemos, comemora Everton Silva.

Com a vitória em São José dos Campos, o Red Bull continua buscando uma vaga nas quartas de final.

- Há duas rodadas atrás estávamos brigando na parte de baixo da tabela, agora voltamos a crescer na competição e entramos na briga, disse o lateral.

Os seis pontos conquistados diante do Botafogo-SP e do Santos nas últimas partidas deixaram o Toro Loko com 10 pontos, apenas um atrás do Água Santa, que é o vice-líder do Grupo D. O time campineiro volta a campo no próximo domingo (6), às 18h30, no Moisés Lucarelli diante do São Bento.

Cristóvão Borges tira a invencibilidade do Furacão

Cristóvão Borges, técnico rubro-negro. (Foto: Atlético Paranaense)
No jogo que para muitos não é clássico, o técnico do Atlético foi a campo novamente com uma formação equivocada, demorou pra mexer no time mesmo em vantagem numérica e o Atlético perdeu a invencibilidade e a chance de colar no líder mesmo com um jogo a menos.

Não sou de caçar culpados para justificar as derrotas do Atlético, ainda mais em partidas do estadual, mas a insatisfação com o "conformismo" de Cristóvão Borges no comando da equipe já está passando dos limites. Será que ontem na partida da Vila Capanema, ele estava aguardando a torcida dizer o que era pra ele fazer? Visto que, foi só assim que ele colocou o time para frente diante do Criciúma na última quarta-feira.

Durante a primeira etapa, o Atlético dominou a partida, não se intimidando a presença da torcida tricolor. Mesmo sem muita criatividade o rubro-negro foi quem teve as melhores oportunidades para abrir o placar.

Devo citar também toda a minha indignação e da grande maioria da torcida: Crysan até quando?

Jogamos a primeira etapa com um jogador a menos, pois além de não ter futebol para ser titular do Atlético (ou jogador de futebol), o jovem atacante cometeu faltas desnecessárias e possibilitando algumas jogadas a favor dos donos da casa.

Visto isso, embora que tarde, no intervalo o Atlético voltou com Nikão no lugar de Crysan, visando conseguir jogar pelos lados do campo. Mas os planos do Atlético foram por água abaixo logo nos 3 minutos, quando após um chute errado por parte do Paraná a bola acabou caindo nos pés de Robson, que teve frieza para deixar o Vilches no chão e anotar um belo gol ao Paraná. O gol paranista assustou o Atlético e o time tricolor cresceu na partida e passou a pressionar, mas essa pressão não durou muito, aos 10, Vinicius foi parado com falta pelo Zé Roberto na entrada da área tricolor, cartão vermelho para o defensor paranista.

Na teoria, era hora de entrar em ação o técnico rubro-negro, na teoria...

Mesmo com um mais o Atlético insistia no esquema tático, e quando Walter buscava a bola fora da área, o que é uma de suas características, não tinha referencia alguma no ataque. Pois Anderson Lopes não é um jogador que fecha pelo meio da área. O que estava muito para quase todos, Cristóvão demorou 20 minutos para perceber e somente aos 30 minutos promoveu a entrada de André Lima e tirando um volante, com isso o Atlético continuava na pressão e o atacante quase deixou tudo igual quando testou a bola no travessão. Já no desespero total, o técnico ainda colocou Ewandro no fim, mas mesmo assim não conseguiu furar a resistente defesa paranista.

Com o resultado adverso, o time do Atlético vê que de maneira quase remota a chance de finalizar a primeira fase na ponta, embora com um jogo a menos, a distância para o Paraná foi para sete pontos. O furacão vai a campo na quinta-feira contra o Foz, jogo que foi adiado, devido a partida contra o Criciúma pela Primeira Liga.

BobMedeiros
SRN

Touro do Sertão bate o Leão no Estádio de Pituaçu

Fotos: Divulgação - Francisco Galvão/ECV
Em mais uma partida em Salvador pelo Campeonato Baiano de 2016, mas dessa vez com o mando de campo do Fluminense de Feira, os comandados de Mancini foram surpreendido pelo bom sistema defensivo do adversário. A partida terminou 1x0 com direito a um golaço de Fernando. O detalhe é que o Vitória costuma treinar em Pituaçu e conhece bem o gramado.

O JOGO


Aos 2 minutos – A Zaga do Flu afasta mal, e a bola sobra dentro da área para Tiago Real. Que chutou forte, mas em cima do goleiro Jair que teve bom reflexo


Aos 7 minutos – A resposta do Flu, em lance rápido de bola parada, Filipe sai na cara do gol. E o El Muro rubro-negro fecha o ângulo e faz ótimo defesa!

Logo depois aos 8 minutos, em nova chance Mica entra sozinho na área, e chuta fraco..


Segundo Tempo

Na segunda etapa o Vitória voltou querendo pressionar o Flu, adiantando suas linhas, mas faltava qualidade, inspiração e coordenação.

E o Leão pagou o preço por isso, quando Arthur Maia perdeu um lance, dando contra ataque para o Touro, Maia não suportou correr atrás de Fernando, o meia do Flu derivou da ponta para o centro e acertou um chute de rara felicidade, no ângulo de Fernando Miguel!

O jogo seguiu truncado e meio que ataque contra defesa, porque o Vitória se lançou a frente e o Flu se fechou. Mas o Vitória não conseguia finalizar e nem Flu encaixar um contra golpe para matar o jogo.

Aos 47 minutos o zagueiro Igor é expulso depois de receber o segundo cartão amarelo numa falta em cima de Yan.

RESUMO

"E continua a confusão de entendimento dos atletas, tanto quando tem a posse para tentar propor o jogo e quando necessita efetuar uma transição ofensiva. E por não está bem definido, acontece precipitação de inversão de bola, como também muitos atletas delegando muito a pelota e abusando da jogada pessoal". As aspas do primeiro paragrafo são propositais, é para chamar a atenção do resumo da partida anterior do Vitória, pois foram situações repetidas no jogo contra o Flu. Mas na partida de ontem o Vitória errou mais, como posicionamento da primeira linha de defesa, dando oportunidades a sofrer com lançamentos. Sobre Transição Ofensiva, teve chances ainda mais reais de efetuar contra ataques, e parece que o time não treina essa situação de jogo ou os atletas não conseguem executar o que treinam. O Fluminense de Feira apresentou um bom padrão defensivo, mas também cometeu falhas que não foram aproveitadas pelo Vitória em virtude de tudo que ja foi redito aqui. O foco maior do torcedor é que falta material humano ao Vitória, e isso é fato. Mas time por time, elenco por elenco, o Vitória teria que pelo menos transformar tal superioridade em três pontos, mesmo aos trancos e barrancos. Pensando mais para um futuro já próximo, é preocupante contratar jogadores comuns como Tiago Real e Maicon e os chamar de reforços, apresentar o BOM jogador Marinho como estrela, quando a competição que o clube vai disputar no segundo semestre é uma Serie A do Brasileirão. Sobre Maicon, por incrível que parece foi o menos ruim do jogo de ontem, juntamente com Ramon e Diego Renan.


É isso aí galera!


Por @AdsonPiedade

FICHA TÉCNICA

Fluminense de Feira 1 x 0 VItória

28/02/2016 - Pituaçu

Flu de Feira: Jair, Edson, Josemar, Alysson e Zé Aquiras; Fausto, Mica, Dim e Fernando (Igor); Filipe e Eltinho. Técnico: Arnaldo Lira
Vitória – Fernando Miguel, M. Silva, Ramon, Vinicius e Diego Renan; Amaral (Nickson), William Farias, Tiago Real e Arthur Maia (Yan); Vander e William Henrique (Robert). Técnico: Vagner Mancini
Arbitragem - Arilson Bispo da Anunciação, auxiliado por Elicarlos Franco de Oliveira e Paulo de Tarso Bregalda Gussen
Cartões amarelos: Fluminense – Zé Aquiras, Fernando, Igor; Vitória – William Farias
Cartão vermelho: Fluminense - Igor

Chapecoense empata sem gols com Joinville e deixa título do turno em aberto


Foto: Flickr Chapecoense
Embaixo de muita chuva, o Verdão do Oeste viajou até o Norte do estado para enfrentar um Joinville que não vencia em casa desde outubro. Sem muita inspiração de Rangel e Kempes, e com um a menos quase todo o segundo tempo, as equipes não tiraram o zero do placar, deixando a decisão do título para a próxima quarta-feira.

Para a partida, Guto Ferreira teve dois importantes desfalques na equipe, Gil suspenso pelo terceiro amarelo, e Neto machucado ficaram em Chapecó, Marcelo e Rafael Lima ficaram com as vagas.

O JOGO

A Chapecoense precisava da vitória sob o JEC, ou uma derrota do Criciúma para o Metropolitano, para garantir matematicamente a vaga na grande final do estadual, com uma rodada de antecedência. Com a bola rolando, quem assustou primeiro foi os visitantes, logo aos 5 minutos, quando Maranhão cruzou na cabeça de Bruno Rangel, que desviou, passando próximo e assustando Jhonatan.

A resposta do JEC não demorou, logo aos 11 minutos William Popp recebeu a bola na entrada da área, e colocado acertou belo chute no travessão de Danilo, no rebote a bola sobrou na cabeça de William Paulista que jogou por cima do gol. O lance fez com que os donos da casa gostassem da partida, aos 20 minutos Bruno Aguiar cobrou falta da intermediária, Danilo bem colocado pulou e espalmou com a ponta dos dedos em escanteio.

A Chape só conseguiu atacar com perigo novamente aos 34 minutos, quando Dener cruzou com categoria para Ananias, que cabeceou nas mãos do goleiro Jhonatan. E sem mais inspiração das equipes, o primeiro tempo acabou com o 0x0 no placar.

Para a segunda etapa, Guto Ferreira fez uma alteração na Chapecoense, Bruno Rangel que pouco apareceu nos primeiros 45 minutos, ficou no vestiário, dando lugar a Kempes, ex jogador do JEC. Com a bola rolando, quem começou melhor foi o Verdão, aos 3 minutos Cleber Santana lançou Maranhão, mas a defesa bem colocada afastou, a bola caiu nos pés de Dener que acertou belo cruzamento, mas o goleiro tricolor bem colocado saiu e segurou firme.

Aos 11 minutos foi a vez do JEC perder uma chance inacreditável, William Paulista foi lançado, ganhou na velocidade de Thiego e saiu cara a cara com Danilo, o atacante bateu colocado, mas a bola parou na trave, que novamente salvou o Verdão. Aos 13 minutos, Marcelo fez falta e levou cartão amarelo, em seguida reclamou muito, e acabou expulso pelo árbitro, deixando a Chapecoense com um jogador a menos.

Com um a mais em campo, o jogo virou ataque contra defesa, com o Verdão todo recuado, aos 29 minutos, Popp cobrou falta, Danilo espalmou e a bola ainda bateu no travessão antes de sair em escanteio. Aos 39 minutos, Rafael Lima levou uma pancada e acabou se contundindo, como Guto Ferreira já havia feito as três alterações, o zagueiro mesmo mancando e chorando de dores continuou na partida, que terminou sem gols.

Com o resultado, o título ficou para ser decidido na próxima quarta-feira, quando a Chapecoense recebe na Arena Condá, o Criciúma, às 21:45. Para fazer a final do turno. O Verdão joga por três resultados, a vitória, o empate, e ainda uma derrota por qualquer diferença de 1 gol, da a vaga na grande final para a equipe do Oeste.

FICHA TÉCNICA
Local: Arena Joinville, em Joinville.
Público: 2.079 torcedores.
Arbitragem: William Machado Steffen, auxiliado por Carlos Brekenbrock e Helton Nunes.
Cartões Amarelos: Bruno Aguiar, Diego Anselmo e Kadu (JEC); Rafael Lima, Lucas Gomes, Ananias, Kempes (CHA).
Cartão Vermelho: Marcelo (CHA).

JOINVILLE (0)
Jhonatan; Edson Ratinho, Bruno Aguiar, Victor Oliveira, Diego; Anselmo, Diones (Thomas), Kadu (Felipe Alves), Juninho (Adriano); William Popp, William Paulista. Técnico: Emerson Maria.

CHAPECOENSE (0)
Danilo; Marcelo, Rafael Lima, Thiego, Dener; Josimar, Cleber Santana, Lucas Gomes (Silvinho); Ananias, Maranhão (Moisés), Bruno Rangel (Kempes). Técnico: Guto Ferreira.

Marcelo Weber || @acfmarcelo
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana