A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

segunda-feira, 14 de março de 2016

Erros de arbitragem, inconstância em campo e um empate fora de casa


No ultimo domingo (13) Remo e Paragominas se enfrentaram na Arena Verde pelo Campeonato Paraense. A partida terminou empatada e agora as duas equipes estão em primeiro lugar no grupo A1.

No primeiro tempo,  o Remo conseguiu chegar ao ataque logo aos seis minutos, com Marco Goiano, que chutou de fora da área e a bola acertou o travessão. Remo conseguiu manter certo domínio durante o jogo e o Paragominas só veio assustar ao trinta e três minutos com uma jogada de Aleilson e Fabinho. Aos trinte e nove minutos, o Leão teve nova chance de marcar, mas Ciro chutou por cima do gol. Nos minutos finais a partida caiu bastante de rendimento e nenhuma das equipes apresentava ofensividade.

No segundo tempo, logo aos três minutos, San marcou para o Paragominas após escanteio cobrado por Daniel e desvio de Aleilson. O Remo sentiu o gol e passou a ser envolvido no jogo pelo adversário, que marcou novamente, mas o impedimento desta vez foi marcado. Aos vinte e quatro minutos, Levy cruzou para Potita, que cabeceou a bola na trave.

O Remo conseguiu melhorar em campo após algumas substituições e passou a pressionar novamente o Paragominas em campo, até que, aos quarenta minutos, Eduardo Ramos cobrou falta na área e Léo Paraíba empatou o jogo. O Leão ainda tentou virar com o Léo Paraíba atacando, mas ele perdeu a bola e a partida terminou empatada na Arena Verde.

REMO
Douglas Borges; Levy, Ítalo, Henrique e João Victor; Michel (Chicão), Alisson (Potita), Yuri, Marco Goiano (Leo Paraíba) e Eduardo Ramos; Ciro.

PARAGOMINAS
Renan; Henrique, San, George e Carlinhos Marahú; Murilo (Galvão), Romário, Daniel e João Neto (Lourinho); Fabinho (Clodoaldo), Aleílson

ARBITRAGEM
Dewson Fernando Freitas da Silva, da FIFA.  Marcio Gleidson Correia Dias e José Ricardo Guimarães Coimbra.

PRÓXIMO JOGO
O Remo enfrenta nesta quarta feira, 15, o Náutico-RR pela Copa Verde no Estádio Olímpico do Pará.

E pelo Parazão, o Remo volta ao Estadio Olímpico para enfrentar o Independente de Tucuruí, no sábado.

Texto: @Angel_Caldeira

Internacional toma luz alta do São Paulo

Antes de começar a dissertar sobre o Internacional, quero parabenizar a ação que foi feita ontem no Beira Rio, quando cerca de oito toneladas de alimentos foram arrecadados para o Asilo Padre Cacique. Já dentro das dependêcias do Inter não se pode dizer o mesmo. É muito frustrante ver o time marcar no inicio, se movimentar bem, dar indícios de que balançaria a rede mais vezes, porém tropicar e empatar com o São Paulo de Rio Grande em casa.

Inter foi bem em campo, mas o Rio Grande se mostrou guerreiro e buscou o empate.
Não consigo entender o que está sendo feito no Inter. A direção não se manifesta e não diz nada a respeito de planejamentos e metas. É brabo você ver o time perdendo o gás a cada minuto que passa, não ter finalizações e ser encaixotado por uma equipe do Interior, com todo respeito ao São Paulo, que vem jogando muito bem há tempos. Não tem como entender como essa direção está tão acomodada, tanto que o treinador pede publicamente reforços e os dirigentes dizem que o comandante está satisfeito com o elenco. Está faltando comunicação entre a comissão técnica e os diretores do clube. Não tenho mais esperanças do Inter ganhar algum campeonato, nem mesmo de chegar ao G4. Eles precisam repensar muito o futebol.

Hoje o que mais me incomoda no Internacional não é o 1 a 1 contra o São Paulo, nem mesmo os resultados de todo o primeiro trimestre, mas sim essa papo furado de que os meninos do Inter não podem ser chamados de "gurizada" e sim de "homens". Olha aqui senhor Argel, eles são guris sim, para ser homem no elenco colorado precisa ter colocado titulo, levantado o caneco, ter currículo incontestável. Que essa meninada é muito boa, isso não se duvida. Dourado é muito titular hoje no Inter, ele abre o meio de campo com muita qualidade. Sasha e Andrigo vem mostrando jogo após jogo boa armação de jogada pelas laterais. Vitinho está cada dia mais se consagrando no time e, junto com o Aylon, que está muito bem, formam o ataque titular da equipe. O time de ontem foi muito bem, faltou um pouco de cadência e maturidade, porém ninguém pode sentir a falta do Anderson, hoje ele ficaria no banco.

Os "meninos homens" do Inter precisam ter uma constância e maturidade,
Acredito em times jovens, que tenham muitos jogadores da base. Nosso time tem mostrado que a molecada está bem cascuda, mas o presidente do Inter precisa se mexer para suprir as saídas que já ocorreram e vão ocorrer. Goleiro e um articulador são prioridades, Teo Gutierrez no momento não é o que precisamos. Aylon está suprindo com certa altura a camisa 9. Não quero mais meu time batendo na trave em campeonatos nacionais, aguardo ansiosamente a direção colorada se pronunciar dizendo qual o projeto para o ano que já começou e quero saber quais são os reforços que estão por vir.

Alô diretoria, vamos acordar?
Ismael Schönardie|@Ismahsantos

Napoli: Mais sorte do que juízo

 O Palermo recebeu o Napoli em um jogo válido pela 29ª rodada da Série A TIM. O resultado final foi 1x0 para o Napoli, com gol de Higuain de pênalti. O time de Nápoles dominou a partida, porém perdeu muitas chances, algumas por erros infantis que não podem ser cometidos por uma equipe que tem a ambição de ser campeã. Porém, nesse confronto vimos aquilo que estava faltando no Napoli: A sorte de campeão.


O sonho do Napoli de ser campeão permanece e o Palermo fica cada vez mais perto da zona de rebaixamento, já que a equipe está na 17ª colocação do Cálcio.



Time do palermo:

 Sorrentino; Struna; Gonzalez; Andjelkov; Pezella; Hiljemark(Balogh); Jajalo; Chochev; Vazquez; Quaison(A. Trajkovski) ; Gilardino(U. Djurdjevic).



Time do Napoli:

Reina; Hysaj; Albiol; Koulibaly; Ghoulam; Allan; Jorginho; Hamsik(David Lopez); Insigne(El kaddour); Higuain; Callejon.

www.gazetaesportiva.com

Expectativas para o resto do campeonato:


 O Napoli tem uma sequência, digamos, mais fácil do que a da Juventus. Desta forma, a equipe tem que ser 100% até o final do campeonato se quiser conquistar o Cálcio. A Juve tem o clássico de Turim pela frente, já o time de Nápoles tem jogo contra a Genoa e precisa ganhar. O Cálcio está indefinido e pode acontecer tudo até o final. 

 Twitter: @Um_Carvoeiro || @SiteLF

Leão controla no primeiro tempo e engole no segundo

Foto: Ecvitoria/Divulgação
O Rival entrou em campo na tarde deste domingo com 100% de aproveitamento na temporada e como favorito a vencer o clássico. O Vitória foi à Arena Fonte Nova com excelente retrospecto e fez valer sua melhor condição e experiência dos jogadores, contando com gols e boas atuações de jogadores que já aturam pelo Tricolor para vencer. Vander e Tiago Real marcaram e Caíque passou segurança na meta.

O JOGO

Aos 8 minutos de bola rolando, Amaral arriscou chute de fora da área no canto direito da meta, mas o goleiro Marcelo Lomba caiu para fazer a defesa. Aos 23', Paulo Roberto recebeu passe no meio-campo e arrancou, o volante invadiu a área e, na hora da batida, foi travado pelo zagueiro Vinícius. O Tricolor voltou a assustar aos 27' em chute de Juninho de fora da área para bela defesa de Caíque.

Aos 30 minutos,  Tiago Real girou e bateu para fora. 
O Rival respondeu logo depois em cabeceio de Luisinho que obrigou Caíque a trabalhar. Aos 34', em cobrança de falta, Robert subiu sozinho dentro da área e cabeceou ao lado do gol.

Segundo tempo

No primeiro minuto do segundo tempo, o Leão saiu para morder. Vander aproveitou falha do lateral do adversário, entrou na área e bateu ala Vander no canto esquerdo da meta, para balançar as redes. Na sequência, Marinho deixou João Paulo no chão, invadiu a área e bateu cruzado, desviando em Gustavo. 


Aos 6', Zé Roberto cabeceou para Caíque defender. 
Logo depois, Tiago Real chutou cruzado para fora. Aos 10', Robert recebeu passe fraco de Renan e chutou mal. Um minuto depois foi a vez de Vinícius, que subiu sozinho, mas cabeceou por cima do gol. Aos 14', Marinho roubou uma bola de Juninho, que dormiu, e passou para Tiago Real acertar belo chute e marcar o segundo.


RESUMO

Antes da bola rolar, os torcedores Rubro Negros estavam em sua grande maioria com sentimento de dúvida sobre quem entraria em campo e como Mancini armaria a equipe para esse grande embate. E o técnico repetiu o sistema 4-2-1-3 do último jogo, mas dessa vez não fez variação sem a bola para o 4-1-4-1 e o time respondeu ainda melhor.

Eu disse aqui que reparei evolução contra o Feirense, principalmente na fase inicial de construção, fase essa que foi afetada no clássico por conta da marcação alta na saída de bola feita por Doriva no seu 4-1-4-1, e porque Tiago Real e nem os volantes buscavam a bola nos zagueiros. Mas o treinador do Rival ainda tem muita estrada pela frente e não treinou ou não se preparou adequadamente para ganhar as primeiras e segundas bolas. Foi aí a vantagem do Vitória, que alongava o jogo e, mesmo o primeiro tempo sendo basicamente igual, o Leão controlou a empolgação de invencibilidade do Rival e aos poucos mostrando sua melhor condição.

Como não quero dar dicas aqui a rivais, apenas achei importante salientar como começamos a ter superioridade na partida. Na segunda etapa, com o Rival sabendo que não estava enfrentando os times quase amadores do Campeonato Baiano, o Leão tomou conta do jogo fez dois a zero em bobeiras ou tremedeiras individuais, mas poderia ter feito mais uns dois ou três se forçasse mais o jogo. Destaque para Caíque, que fez seu trabalho com frieza quando exigido, e Tiago Real, que jogou ferido.

O time teve muitos outros pontos altos que eu poderia destacar aqui um por um. Acho que dessa vez Mancini sentou a mão no sistema de jogo para 2016, forma de jogar que também deixei uma dica para o início do ano, só que com falso 9. O Vitória fez como manda o futebol, respeitou o adversário ao longo da semana e atropelou dentro de campo, pois é só lá que o futebol tem que ser decidido, viu eterno Rival.

É isso aí galera!


Por @AdsonPiedade



FICHA TÉCNICA


Bahia x Vitória


Campeonato Baiano- 6ª Rodada


Local: Arena Fonte Nova, em Salvador

Data: 13/03/2016

Horário: 16h

Árbitro: Gleidson Santos Oliveira

Assistentes:  Elicarlos Franco de Oliveira e Dijalma Silva Ferreira Junior

Gols: Vander, Tiago Real

Cartão Amarelo:Amaral, Vander, João Paulo, Ramon, José Welison
 
Bahia: Marcelo Lomba; Hayner, Gustavo (Robson), Éder e João Paulo; Feijão; Paulo Roberto (Rômulo); Juninho, Luisinho e Edigar Junio; Zé Roberto (Jacó). Técnico: Doriva
 
Vitória: Caique; José Welison, Ramon, Vinícius e Diego Renan; Amaral, Willian Farias e Tiago Real (Leandro Domingues); Marinho (Arthur Maia), Vander e Robert (Flávio). Técnico: Vagner Mancini

Metrô goleia Avaí e embala no returno

Após um primeiro turno frustrante, o Metropolitano começou o segundo diferente. Com a vitória fora de casa contra o Camboriú na semana passada, o Verdão teve a semana inteira para se preparar para o jogo diante do Avaí.

O final dessa semana foi movimentado nos bastidores com a saída (precoce) de Léo Moura. O jogador recebeu uma proposta do Santa Cruz- PE e pediu para ser liberado. A diretoria, de início, negou a negociação, mas acabou cedendo e liberando o jogador, que irá pra Recife em troca de três jogadores mais um valor em dinheiro não divulgado.


Zé Lucas voltou como titular e capitão. Que moral hein?
(Foto: Sidnei Batista/Assessoria CA Metropolitano)
Bastidores à parte, o Metrô já se preparava para o duelo sem a presença de Léo Moura, afinal o jogador estava suspenso. Junto com ele, que agora já não era mais desfalque, o técnico Caco tinha alguns problemas para resolver: Dúvidas na zaga, meio e ataque. Para a zaga, manter a dupla do jogo anterior, Ricardo Lima e Élton, ou retornar com Luan? No meio campo, manter Willian que jogou muito bem no litoral, ou trazer Zé Lucas de volta após suspensão? No lugar de Léo Moura, tinham cinco opções: Peu, Ramon, Téssio, Bruno Brito ou Diego Souza. No ataque, manter Peu ou estrear Luiz Ricardo, que chegou essa semana no clube?

Na minha opinião, a única alteração que eu faria é recuar Peu para o meio e colocar Luiz Ricardo lá na frente. Se ele veio pra ser o nosso 9, que começasse logo e não esperasse mais uma ou duas rodadas.


Rafinha comemorando seu primeiro gol com a camiseta verde.
(Foto: Sidnei Batista/Assessoria CA Metropolitano)
Caco, então, escolheu manter Ricardo Lima e Élton na zaga; colocar Zé Lucas de volante; Diego Souza no lugar que era de Léo Moura; e continuar com Peu no ataque junto com Rafinha. O mais criticado foi a escalação de Diego Souza, que nos jogos que entrou nada tinha feito e nem criado. Mas essa foi a decisão do técnico.


Diego Souza comemorando o segundo gol Metrô, 600º na história do clube.
(Foto: Sidnei Batista/Assessoria CA Metropolitano)
Foi mais um dia de baixo público, desta vez devido às manifestações ocorridas no Brasil, já que Blumenau é uma das cidades que mais adere ao movimento. O jogo virou segunda opção para os blumenauenses e jaraguaenses, até pelo fato da partida passar na tv aberta para o estado inteiro.

O jogo começou com o Avaí ameaçando primeiro, mas essa pressão não durou muito. No primeiro ataque verde, aos 7 minutos, Rafinha recebeu a bola de Thiaguinho e abriu o placar para o Metrô, fazendo o primeiro gol dele com a camisa do clube. O Avai até tentou uma reação, mas nem deu tempo de finalizar. Aos 15 minutos, em boa jogada, Iago recebeu livre e cruzou para Diego Souza (sim, aquele criticado) ampliar o placar. Logo depois, Iago sentiu e foi substituído por Thiago Ryan.

O Avaí até que tentou, mas errando muitos passes e com a defesa totalmente desnorteada, levou mais um gol. Aos 40 minutos, o goleiro Samuel fez grande lançamento para Thiaguinho, que se livrou da marcação e finalizou, ampliando o placar. Final do primeiro tempo: Metrô 3x0 Avaí


O artilheiro do dia e do time comemorando seu gol.
(Foto: Sidnei Batista/Assessoria CA Metropolitano)
No segundo tempo, logo no primeiro minuto, o árbitro viu pênalti em lance em cima de Thiaguinho. Porém, Peu cobrou, chutou muito mal, Renan defendeu e, no rebote, Thiaguinho perdeu a chance do quarto gol. No escanteio seguinte, Peu cabeceou, o goleiro espalmou e a bola ainda bateu no travessão e não entrou. Aos 9 minutos o Avaí conseguiu descontar com Lucas Fernandes após cruzamento de Vitor Costa.

O Avaí então partiu pra cima para tentar buscar o empate, mas sem sucesso. E ainda viu o Metrô ampliar, novamente com Thiaguinho, que em lance no lado esquerdo aproveitou a sobra de bola e finalizou. A bola ainda desviou em Renan mas não alterou o destino final: O fundo das redes. Aos 29', Rafinha perdeu uma bela chance de fazer o quinto após bela jogada pela esquerda. Renan saiu do gol, mas Rafinha não aproveitou, isolando a bola em cima da trave. Com o Metropolitano satisfeito com o resultado e o Avaí sem forças pra descontar e totalmente perdido, o jogo terminou assim mesmo: Metropolitano 4x1 Avaí.


Thiaguinho comemorando o seu 2º gol de hoje, o último do Verdão. Atrás, a decepção avaiana por mais uma derrota. (Foto: Sidnei Batista/Assessoria CA Metropolitano)
Um resultado inesperado, mas muito comemorado. Com boa atuação de todos os setores, o Metrô conseguiu desarmar a tática avaiana e, sem dificuldades, ganhou o jogo. A equipe ganha muita moral e confiança para o restante do returno. Quarta-feira tem Metrusque, lá em Brusque. Ambiente hostil para nós alviverdes e confronto que pode valer dois anos de calendário fixo pra uma das duas equipes. Ou seja, um jogo que vale mais do que os três pontos. Pode valer o campeonato.

Caso a gente vença, não entramos apenas na briga pela Série D, mas também por que não pelo título do returno? Dos sete jogos restantes, quatro são em casa. Sim, são contra times grandes, mas não impossíveis de ganhar. Cada jogo é uma superação diferente e eu acredito muito nesse time.

Em dois jogos do returno, a equipe já jogou muito mais do que no turno inteiro. Já fizemos seis gols (no primeiro turno inteiro fizemos sete); já temos seis potos (no primeiro fizemos oito) e fora que o nosso elenco está fechado e não estão mais se machucando como era antes, quando chegamos a ter cinco titulares fora do jogo. Hoje só um jogador estava no DM. Quarta-feira feira é fora daqui, mas vamos lá, vamos jogar pra trazer os três pontos pra casa e mostrar de vez que o turno virou e o futebol também.


Reservas comemorando mais um gol. A frente, Raul Cabral não acredita no que vê em campo. Nem a RBS. (Foto: Sidnei Batista/Assessoria CA Metropolitano)
FICHA TÉCNICA: METROPOLITANO 4x1 AVAÍ

METROPOLITANO: Samuel; Iago(Thiago Ryan(Luan)), Élton, Ricardo Lima, Juninho; Zé Lucas, Pink, Diego Souza; Rafinha, Peu(Ramon), Thiaguinho. Técnico: Caco Espinoza

Avaí: Renan; Renato, André Santos, Antônio Carlos, Vitor Costa; Braga(Rafinha), Judson, Diego Jardel(Lucas Fernandes), Iury; Rômulo(Wilker), Willian. Técnico: Raul Cabral

Amarelos: Ricardo Lima(MET), Vitor Costa(AVA)

VOU COM ELE ATÉ O FIM!

FREDERICO KUHNEN|@fred_metro2002
LINHA DE FUNDO|@SiteLF
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana