A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

domingo, 20 de março de 2016

Em melhor atuação no ano, Caldense ganha do URT

Nesta tarde de sábado a Caldense ganhou de 2 a 0 do URT, time de Patos de Minas. O vazio estádio do Ronaldão teve a oportunidade de presenciar a melhor partida do time no ano. A equipe mostrou uma postura completamente diferente do habitual, e a Veterana fez as pazes com a sua torcida.

Caldense vence e quebra série invicta da URT (Foto: Marcelo de Castro/EPTV)
Por falar em fazer as pazes, a relação da Caldense com seus torcedores é um tanto quanto estranha. Um dia amam os jogadores por uma simples vitória, já na partida seguinte, em caso de derrota, é um Deus nos acuda em Poços de Caldas. É crise para lá, crise para cá, os jogadores viram monstros e o técnico Gian Rodrigues “persona non grata” para os torcedores. Isto é uma coisa que não se vê em todos os clubes, esta mudança repentina de humor é uma característica marcante e especial dos torcedores da Veterana.

O URT era o quinto colocado e perdeu algumas posições, já a Veterana que era a oitava colocada do campeonato, passou o Tupi e o Tricordiano e assumiu a sexta colocação ficando assim a dois pontos do G4. Porém a irregularidade é tanta que em caso de derrota para o “falecido” Guarani no próximo final de semana, já volta a se aproximar da Zona de Rebaixamento. O time com esta vitória passa a ser mais cobrado em busca da terceira vaga na Série D, até uma improvável classificação para as semifinais do Campeonato Mineiro passa a ser cogitada pelo mais otimista dos torcedores.

Ficha Técnica da Partida:

Caldense: Neguetti, Andrezinho (Marx), Marcelo, Paulão e Rafael Estevam (Félix Jhonatans); Marcel, Tiago Azulão (André Oliveira), Michel e Everton Maradona; Marcinho e Rafamar. Treinador: Gian Rodrigues

URT: Follmann, Alex Murici, Mauro Viana, Robinho (Possebon) e Fabinho; Leandro, Ramos, Leomir (Marco Antonio) e Carlos Magno; Baloteli (Jackson) e Rafael Magalhães. Treinador: Ademir Fonseca.

Curtinhas:

- Estreias de André Oliveira, meia armador irmão de Valdivia (Internacional) e a também estreia do lateral esquerdo Félix Jhonatans.

- E também as pazes de Tiago Azulão com a bola na rede, ele que não fazia um gol desde a primeira rodada.

Arriba Caldense!

Francisco || @BorjaFrancisco_
Linha de Fundo || @SiteLF

Mais um empate com gosto amargo

Na tarde de hoje (20), o Paysandu voltou a jogar pelo Parazão contra o Parauapebas, no Rosenão. Os dois clubes vinham de empates na primeira rodada e buscavam a vitória para irem para a ponta de cima de cada grupo. Mas nenhum conseguiu a vitória, o Papão empatou a quarta seguida no Campeonato Paraense.

Foto: Anderson Souza
O Paysandu começou bem, levava perigo para ao gol adversário e logo conseguiu abrir o placar. Aos oito minutos, Celsinho bateu falta na barreira, no rebote, o meia chutou de primeira, e de esquerda, para o gol. Um lance indefensável.

Mas a alegria alviazul não durou muito tempo, dezoito minutos depois o Parauapebas deixou tudo igual, depois que Augusto Recife perdeu a bola e Lombardi não conseguiu acompanhar Magno na velocidade, o atacante invadiu a área e não desperdiçou. O clube visitante mantinha a bola, criava jogadas, mas não levava perigo real para o Pebas. No finalzinho do primeiro tempo, Leandro Cearense ainda desperdiçou a chance de botar o Papão na frente no placar.

No segundo tempo, Dado resolveu fazer uma mudança, trocou o lateral Roniery por Crystian, visando dar mais velocidade na direita. No decorrer do jogo ele também resolveu botar Bruno Veiga, mudando o sistema de jogo e tentando fazer as jogadas pelas laterais com mais rapidez e qualidade. Mas não adiantou nada. O Paysandu até tinha volume de jogo, mas não conseguia ser objetivo e ainda via o Parauapebas dar trabalho para a defesa, com Magno e algumas vezes com Danúbio.

GOLS:



Palavra da colunista: Esse foi o quarto empate no Campeonato Paraense, o time tem jogado de forma diferente do que víamos no começo do primeiro turno, tem caído de qualidade bruscamente. Bruno Veiga que voltou “para resolver todos os problemas do ataque” não tem feito absolutamente nada. Cearense e Betinho, que revezam a posição de centroavante, não tem agido como tal, tanto um, quanto o outro, não fazem nada para merecer uma titularidade. O ponto alto do dia foi o cartão amarelo do Lombardi que o tirará do próximo jogo.

Próximo jogo: Com a exclusão do Águia da Copa Verde, o Papão enfrentará o Fast Club em Manaus, jogando novamente a primeira fase da competição. O jogo será no dia 24 (quinta-feira).

Ficha técnica:

PARAUAPEBAS: Maycki Douglas; João Rodrigo, Yuri, Airton Junior e Léo; Anderson Pedra, Bruno Potiguar (Neto), Éder (Léo) e Fininho; Magno e Souza (Danubio). Técnico: Sinomar Naves

PAYSANDU: Emerson; Roniery (Crystian), Fernando Lombardi, Pablo e Lucas; Ilailson, Augusto Recife, Paulinho (Bruno Veiga) e Celsinho; Fabinho Alves e Leandro Cearense (Betinho). Técnico: Dado Cavalcanti

Árbitro: Nadilson Sousa dos Santos
Assistentes: Heronildo Sebastião Freitas e Raimundo Silva Costa
Cartões amarelos: Airton e Joãozinho (PEB) ; Fernando Lombardi e Ilailson (PSC)
Cartão vermelho: Fininho (PEB)

Poderia ser uma linda vitória, foi um desastroso empate


Na noite do ultimo sábado, 19, Remo e Independente se enfrentaram no Estádio Olímpico do Pará pelo Campeonato Paraense. A partida terminou em empate, porém as duas equipes saíram de campo com sensações bem diferentes. O Remo iniciou a partida muito bem em campo, abriu o placar com Ciro logo nos minutos iniciais e conseguiu manter a superioridade durante todo primeiro tempo. Mas como já é de praxe, infelizmente, o time chegou para a segunda etapa da partida com um rendimento abaixo do qual foi apresentado anteriormente. O Independente seguiu pressionando o Remo até que após uma falha do goleiro azulino, Fernando Henrique, o Galo Elétrico conseguiu o gol de empate aos quarenta oito minutos do segundo tempo.

O primeiro tempo começou e o Remo já teve a primeira chance de gol aos três minutos, com Henrique. Dois minutos se passaram e Eduardo Ramos cruzou na área e Yuri desperdiçou cabeceando pra fora. Aos nove minutos, o goleiro do Independente espalmou a bola após escanteio, mas Ciro aproveitou o rebote e marcou para o Leão. Ciro é o artilheiro do campeonato com seis gols. Aos quinze minutos, o Independente fez sua primeira jogada perigosa com Chaveirinho chutando rasteiro e a bola passou ao lado do gol azulino. Levy e João Victor estavam se movimentando muito bem e dando velocidade as jogadas do Remo pelas laterais. Aos vinte e três minutos, Henrique chegou a marcar para o Remo, mas o gol foi anulado pelo arbitro que alegou falta de zagueiro. O jogo seguiu no mesmo ritmo até Pedro Balú do Independente ser expulso após falta em Eduardo Ramos. Mas ao final do primeiro tempo, Fernando Henrique deu uma “prévia” do que ocorreria logo mais. Ele saiu errado e o Jayme aproveitou para chutar forte e quase marcar o gol de empate.

Ciro marcou para o Leão e é o artilheiro do campeonato com seis gols. Fonte: acervo pessoal do jogador
No segundo tempo o Independente chegou forte desde o inicio e aos doze minutos Chaveirinho e Monga fizeram jogada perigosa, mas Italo conseguiu desviar a bola. Ciro quase marcou o segundo dele na partida, mas a bola passou ao lado do gol. O Independente seguiu pressionando bastante, porém com pouco contundente nas finalizações. Independente teve chance de gol com Fabrício cobrando falta, mas Fernando Henrique evitou o gol se esticando ao máximo. Um pouco depois o galo chegava novamente na pequena área com Daniel, mas o juiz marcou o impedimento. E então, faltando apenas dois minutos para o fim da partida, bola alçada na área do Remo (MEDO!), Fernando Henrique saiu errado e soltou a bola nos pés de Dudu, que não desperdiçou e empatou o jogo em um a um.

Com este empate, o Remo é o segundo do grupo A1, com dois pontos. O Cametá está na liderança do grupo com três pontos.

REMO
Fernando Henrique; Levy, Henrique, Ítalo e João Victor; Michel, Chicão, Yuri e Eduardo Ramos; Ciro e Welthon
SUPLENTES
Douglas Borges, Igor João, Arthur, Alisson, Edicleber, Léo Paraíba, Marco Goiano, Potita e Sílvio

INDEPENDENTE
Alencar Baú; Leandrinho, Rubran, Ezequias e Pedro Balú; Dudu, Billy, Fabricio e Chaveirinho; Ângelo e Monga
SUPLENTES
Paulo Victor, Ivson, Domak, Bilú, Igor, Wendel, Jaime, Negueba e Daniel

PRÓXIMO JOGO
No dia 27, domingo, Remo vai enfrentar o Tapajó às 18h, no Estádio Colosso do Tapajós em Santarém-PA.

Texto por: @Angel_Caldeira

Figueirense vai bem e derrota o Guarani de Palhoça

Na noite deste domingo (20), o Figueirense recebeu no Orlando Scarpelli, a equipe do Guarani de Palhoça para uma partida de suma importância na luta contra o rebaixamento. O famigerado jogo de seis pontos.


Como já dito anteriormente, uma partida importantíssima contra o rebaixamento, e que marcou a estreia de Rafael Moura, o He-Man. E finalmente, uma partida decente. Em que o time se impôs dentro de campo. O Guarani só se defendia, e bem. O mapa da mina era pelas laterais, onde no primeiro tempo, foi uma das principais jogadas do Figueirense para tentar fazer a vitória. No segundo tempo, melhorou bastante com as mudanças de Vinícius Eutrópio. Principalmente com a entrada de Dudu. Após o primeiro gol alvinegro, o bugre palhocense se abriu e foi para cima, pois também precisava da vitória. Com essa saída do Guarani, o Figueirense teve mais poder ofensivo, e consequentemente fez o segundo e no final o terceiro. Mas vamos logo aos lances da partida!

O primeiro tempo foi de poucos lances de perigo. As principais chegadas do Figueirense foram pelas laterais com Leandro Silva e Marquinhos Pedroso. Mas foi aos 21 minutos o primeiro lance mais perigoso da partida. Numa falta perto da linha lateral pelo lado direito, Bady cruzou na área e Rafael Moura fez o cabeceio. A bola passou do travessão.  Um minuto depois, Leandro Silva chutou cruzado e o goleiro Douglas espalmou. Aos 40', Guarani chegou duas vezes em dois cruzamentos e quase abriu o placar. E assim acabou o primeiro tempo.

Na segunda etapa, aos 5 minutos, Adriel, do Guarani, chutou de longe e assustou o torcedor. Aos 14', o primeiro gol alvinegro. Marquinhos Pedroso cobrou falta na área, Carlos Alberto cabeceou e Douglas fez boa defesa. No rebote, Bruno Alves bateu, a bola desviou na zaga e entrou. 1x0 Figueira! Aos 21', Alex Maranhão soltou a bomba e Gatito espalmou. Na sequência Guilherme bateu, houve o desvio na zaga alvinegra e a bola ficou com Gatito. Aos 27', Dudu saiu na cara do gol e só botou pra dentro. 2x0 Figueira! Aos 30', novamente Dudu, mas desta arriscando de fora da área. A bola passou perto. Aos 34', Gustavo Ermel invadiu a área e soltou bomba. A bola explodiu na trave. Aos 39', outra bola na trave, mas do Guarani de Palhoça. Cruzamento na área, Hélio Paraíba cabeceou para o chão e a bola foi no poste. Aos 41', Rafael Moura aproveitou o rebote de Douglas, teve calma e finalizou bonito no ângulo do arqueiro palhocense. O terceiro gol do alvinegro para fechar com chave de ouro uma noite quase que perfeita para o Figueira.

Boa estreia de He-Man, segurando os zagueiros como um bom camisa 9 faz, e claro, foi coroado com um belíssimo gol no final. Dudu entrou bem no ataque e deu mais velocidade ao Figueirense na segunda etapa onde a equipe foi melhor. Dodô precisa mostrar a que veio, ou terá que ir para o banco de reservas. Uma opção seria tirar Dodô, puxar Carlos Alberto para o meio, e deixar Dudu ao lado de Rafael Moura no ataque. Mas isso eu deixo para Vinícius Eutrópio analisar. Outro que foi bem, é Bruno Alves. Seguro na zaga e chegando bem no nas bolas aéreas no ataque. Tanto que fez um gol na partida de hoje.

Bom, o Figueira agora volta a campo somente no próximo domingo (27), às 16h, em Criciúma, contra o time da casa. Jogo com uma das equipes que melhor vem jogando neste Catarinense. O título, não acredito, mas se o Figueirense quiser se firmar e dar sequência na boa fase que parece estar começando a dar início, esse jogo contra o Criciúma é o ideal para se vencer e aumentar ainda mais a confiança alvinegra

Ficha Técnica - Figueirense 3x0 Guarani de Palhoça

Data: 20 de março de 2016
Horário: 18h30 (horário de Brasília)
Local: Estádio Orlando Scarpelli, Florianópolis, SC
Público e renda: 4.651 presentes; R$ 53.496,00
Arbitragem: Marcos de Souza (SC); Eli Alves (SC); Maíra Americano Labes (SC)
Gols: Bruno Alves, Dudu e Rafael Moura (FIG)

Figueirense: Gatito Fernández, Leandro Silva, Marquinhos, Bruno Alves, Marquinhos Pedroso; Elicarlos, Jackson Caucaia (Gustavo Ermel), Bady, Dodô (Dudu); Carlos Alberto (Ferrugem), Rafael Moura | Técnico: Vinícius Eutrópio

Guarani de Palhoça: Douglas, Dema, Baggio, Claiton, Capa; Jackson, Adriel (Juliano), Ernesto, Alex Maranhão; Cecel (Naldinho), Guilherme (Hélio Paraíba) | Técnico: Sergio Ramirez

Patrick Silva | @figueiradepre

Assaltado: Paraná empata novamente

Tricolor é operado na fronteira e consegue um ponto heroico.

Pela 10ª rodada do Campeonato Paranaense o Paraná Clube foi até a tríplice fronteira enfrentar o time da casa, o Foz do Iguaçu. O jogo caminhava para uma vitória tranquila com a abertura de placar aos 10’, mas o trio de arbitragem resolveu entrar em ação e passou a mão no time paranista do jeito que pode.

Toni lamenta a grande chance perdida no final. Imagem: RPC TV
O JOGO

O Paraná começou melhor que o fraquíssimo time do Foz e quase abriu o placar com Valber, tocando de cabeça pra bela defesa do goleiro. Logo em seguida Alisson, também de cabeça, aproveitou a bobeira da defesa e marcou o 1º gol paranista. A partir daí acabou o jogo. A arbitragem começou a aparecer mais que os jogadores com erros absurdos a favor do Foz.

Um minuto após o gol de Alisson, ele mesmo cometeu um pênalti bastante duvidoso. A bola foi cruzada na área e ele deixou o braço para proteger a bola do jogador do Foz, que fez uma cena danada e caiu. O árbitro foi na dele e Safira empatou o jogo. O Tricolor continuou melhor e fez o necessário, Robson recebeu belo lançamento e tocou bonito por cima do goleiro fazendo 2 x 1.

Novamente um minuto após o gol o juizão entrou em cena. O jogador do Foz tentou dar uma lambreta, mas Nadson ficou com a bola e, pressionado, abriu o braço para protege-lá. O jogador do Foz encostou no braço dele e fez aquela cena de novo, alegando agressão. O juizão foi na dele e expulsou Nadson sem motivo algum.

Como se não bastasse tudo isso, ainda no 1º tempo, aos 45’, Chilavert recebeu no fundo, cortou pra dentro e perdeu no corpo para Allexson, mas daquele jeito. Mais uma vez encenou uma barbaridade, e o juizão mais uma vez foi na dele, pênalti pro Foz. Safira novamente na cobrança empatou o jogo. 2 x 2 era o marcador no intervalo.

Com um jogador a mais, esperava-se que o Foz saísse mais para o jogo no segundo tempo e abrisse espaços para a equipe paranista. Mas toda a estratégia traçada por Claudinei foi por água abaixo aos 3’. Em posição irregular, Safirinha tocou de cabeça e virou o jogo para o time da casa. Em vantagem, o Foz abdicou de jogar e valorizou a posse de bola.

A equipe paranista não tinha muito que fazer, sentia o desgaste da quente Foz do Iguaçu e a falta de um jogador. Se saísse para pressionar, ficava exposta nos contra ataques, se esperasse, o Foz trabalhava no campo defensivo. O time só esboçou uma pressão após a entrada de Toni já aos 36’.

A pequena pressão deu resultado. Primeiro Robson travou o zagueiro e bola sobrou com Toni, sozinho com o goleiro, mas ele bateu pra fora. Na sequência, após bola levantada na área, Valber apareceu no 2º pau e empatou a partida, alívio para torcida Tricolor. 3 x 3 placar final.

Com o resultado, o Paraná que tinha chance de recuperar a liderança, permanece em 2º com 20 pontos. Já o Foz permaneceu na 7ª posição com 12 pontos.

COMENTÁRIOS

O comentário de hoje é curto: Selmo Pedro dos Anjos Neto e assistentes, seus bandidos! Os dois pênaltis, a expulsão e o gol irregular de hoje foram absurdos! O clube tem que tomar uma providencia diante desse fato, já que a federação não vai se mexer (se fosse o time verde nada disso teria acontecido, fato).

FICHA TÉCNICA

Foz: Nei; Daniel, Herbert, Alex Amaro (Luis) e Chilavert; Roberto, Cícero, Luiz (Pepe) e Safira (Adrian); Safirinha e Marcelo

Paraná: Wendell; Nei, Alisson (Zé Roberto), Demerson e Rafael Carioca (Toni); Jean, Lucas Otávio, Nadson e Valber; Allexson (Dick) e Robson

Cartão amarelo: (Foz) Nei, Chilavert, Cícero, Marcelo e Safirinha
(PRC) Nei, Alisson, Allexson, Dick e Robson
Cartão vermelho: (PRC) Nadson

PRÓXIMO JOGO

Com mais uma semana cheia para trabalhar, o Paraná encerra a primeira fase do estadual diante do PSTC, em Cornélio Procópio. Ainda visando a liderança da competição, o Tricolor de depende do resultado do JMalucelli. Se o J vencer, não tem jeito. Se empatar, é necessária uma vitória paranista. Se perder um empate garante o Tricolor em 1º (lembrando que: o Londrina joga com o J, e se ganhar o jogo e recuperar os seis pontos no tribunal também chega a 21, descartando o empate pro Paraná).

O técnico Claudinei Oliveira contará com a volta do goleiro Marcos, que cumpriu suspensão. Por outro lado, além de Uchoa, Fernandes e Lucio Flavio no DM, Alisson, Robson e Dick que receberam o 3º cartão amarelo e Nadson, expulso, desfalcam a equipe.

Provável Paraná: Marcos; Nei, Zé Roberto, Demerson e RCarioca; Jean, Lucas Otávio, Vilela e Valber; Toni e Allexson

Fellipe Vicentini | @_FellipeS
#PRaCima

Santa Cruz cede empate ao Náutico, e pode se classificar de forma antecipada na próxima rodada

Santa Cruz saiu na frente, mas a defesa voltou a falhar e cedeu um empate amargo à equipe do Náutico. Uma vitória na próxima rodada é o que o time precisa garantir a classificação antecipada as semifinais do estadual.

Jogo equilibrado no Arruda / Imagem: Guga Matos/JC Imagem
Santa Cruz e Náutico, Clássico das Emoções, um empate de 1x1, e muitas emoções na partida. O jogo foi valido pela 8ª rodada do Campeonato Pernambucano, o Náutico bem confortável na tabela, e o Santa bastante pressionado, pois alem de não está matematicamente classificado, a falta de vitórias em clássicos vem incomodando o torcedor, agora nos últimos nove clássicos, apenas uma vitória. O Santa Cruz foi bem melhor no primeiro tempo, e caiu de rendimento na segunda etapa, e depois das mudanças... Ficou claro as limitações do elenco.

O jogo marcou também as estreias do volante Uillian Correia, que foi muito bem no jogo, e não deve perder sua titularidade, o que pesou muito no seu desempenho, foi à falta de ritmo que o fez sair mais cedo de campo. Já a outra novidade foi o Lateral/Meia Léo Moura, que teve uma atuação meia apagada na partida, mais não comprometeu o esquema. Os gols da partida foram marcados por Alemão, aos 46 minutos do 1º, e Daniel Morais aos 22 do 2º. O goleiro Júlio César do Náutico ainda pegou um pênalti cobrado por Grafite, isso no primeiro tempo.

Dividida forte entre Rony e Leonardo / imagem: Guga Matos/JC Imagem
Com esse resultado, o Santa Cruz ainda não está classificado para a próxima fase do estadual. A equipe que entra em campo, nesta quarta-feira (23), onde enfrente o Bahia fora de casa pela Copa do Nordeste, no caso, precisando de apenas um empate para se garantir matematicamente na próxima fase. Já o Náutico ganhará um descanso longo de duas semanas. Confira abaixo a classificação do hexagonal final:

Melhores momentos da partida:



FICHA DO JOGO: SANTA CRUZ 1X1 NÁUTICO
Campeonato Pernambucano / 2º Turno / 2ª Fase

Data: 20/03/2016
Hora: 16:00
Local: Recife
Estádio: Arruda
Árbitro: Gilberto Castro Júnior (PE)
Auxiliares: Aldir Amorim Pereira (PE) e Marlon Rafael Gomes de Oliveira (PE)
Público: 12.010

SANTA CRUZ
Escalação: Tiago Cardoso; Vítor (Everton Sena), Leonardo, Alemão e Allan Vieira; Lucas Gomes, Uillian Correia (Dedé), João Paulo e Léo Moura (Raniel); Keno e Grafite. Técnico: Marcelo Martelotte
Gols: Alemão
Cartões Amarelos: Uillian Correia

NÁUTICO
Escalação: Júlio César; Rafael Pereira, Ronaldo Alves, Fabiano Eller e Henrique; Rodrigo Souza, Eduardinho, Rony, Gil Mineiro (Rafael Coelho) e Renan Oliveira; Thiago Santana (Daniel Morais). Técnico: Gilmar Dal Pozzo
Gols: Daniel Morais
Cartões Amarelos: Ronaldo Alves, Rafael Pereira, Daniel Morais e Eduardinho
Por: Bocão / @_SiilvaSCFC
#VAMOSANTA

Começando "bem"...

E hoje, perante o time mais bem colocado no catarinense de 2016, o Avaí perdeu, e perdeu mais uma. Sou nova no pedaço e queria começar com o pé direito. Vinha adiando as postagens, mas diante de tanta falta de respeito, preciso expor o que está acontecendo com o "time da raça".

O jogo de hoje já começou com aquele frio na barriga como quem já sabe que vem bucha por aí, diante do líder e atual campeão do returno o Avaí entrou em campo pra tirar de vez a urucubaca que tanto assombra o time azurra.

Com um primeiro tempo tenebroso, expulsão, jogadas bizarras e muitos, muitos erros, o Avaí levou três gols de um time bem estruturado fisicamente, administrativamente e tecnicamente. O primeiro gol, diga-se de passagem, estava impedido, porém isso não tirava os méritos da Chapecoense que soube administrar muito bem o jogo.

Com a fatura quase que liquidada para o time do oeste, o Avaí voltou e numa bobeada do Lucas Fernandes, que subiu junto com Hyoran para tentar salvar o gol avaiano, empurrou pra dentro, e contra fez o quarto do verdão.

Com esse resultado, o Avaí permanece na zona de rebaixamento do segundo turno, não tendo ganhado nenhum jogo até então. Sendo salvo na classificação geral pelo Camboriú que hoje venceu o Bruscão por 3x2.  Guarani e Camboriú iluminam o campeonato, ostentando a colocação de rebaixamento.

A única pergunta que fica para os avaianos é: O que fizeram com o Avaízão da massa? O que fizeram com o time da raça? Aquele time que, no início do campeonato, vinha surpreendendo e trazendo ótimos resultados? Simplesmente o que nos resta é rezar, rezar para que a Nossa Senhora da Ressacada nos abençoe. Amém.

A última bola perigosa: em Itu, São Paulo leva o empate no final

Com arbitragem confusa e Ganso goleador, São Paulo leva empate no final.

Após uma semana conturbada no campo e extracampo, São Paulo foi até Itu, em busca de uma vitória. O objetivo quase foi alcançado com gol de Paulo Henrique Ganso, entretanto, nos minutos finais, após confusão da arbitragem e erro coletivo na defesa, Ituano conseguiu o empate. Assim a partida acabou 1 a 1.

O Tricolor não está nada bem na Libertadores, está em terceiro com apenas 2 pontos, precisando ganhar os próximos 3 jogos para se classificar. Sabendo disso, Leco está se movimentando dentro da presidência. As mudanças já começaram a ocorrer. Ataíde, tão criticado por todos, não é mais vice-presidente de futebol e assumiu a diretoria de relações institucionais do clube. Além dele, Rubens Moreno também deixa o cargo de diretor de futebol, que passou a ser assumido por Luiz Cunha, diretor de futebol de base. Além das mudanças na diretoria, houve mudanças no esquema tático de Bauza também. Pela primeira vez, Daniel e Ganso foram usados juntos e foram muito bem. Além de João Schimidt e Caramelo.

A primeira etapa foi bem morna. Nenhum dos dois times chegou com perigo de gols, o jogo todo foi arrastado pelo meio campo. O visitante envolveu o adversário, com boa marcação, mas não conseguiu o gol. Esse, só saiu na segunda etapa. Tricolor voltou com tudo para o 2º tempo. Aos 16' Calleri cruzou para a área, Ganso simplesmente tocou e tirou do goleiro, abrindo o placar em Itu. Em seguida, quase que o camisa 10 marcou novamente. Após passe de Carlinhos, PH Ganso chutou na trave. Estava tudo encaminhado para uma vitória do Tricolor, até que no final, São Paulo estava se preparando para fazer substituição. Ganso e Carlinhos sairiam para entrada do estreante, Lucas Fernandes, e Kardec, respectivamente. Entretanto, Thiago Mendes cometeu falta e recebeu segundo cartão amarelo, o árbitro demorou para dar o vermelho... Percebendo o ocorrido, Thiago saiu de campo, como se fosse ele quem iria ser substituído. O árbitro Flávio Rodrigues foi até o banco mostrar o vermelho para ele, todavia São Paulo continuava com 11 em campo, já que Ganso permaneceu. Após reclamação dos jogadores do Ituano, a arbitragem percebeu o ocorrido e tirou o camisa 10 de campo. Depois de toda confusão, Ituano conseguiu o empate após cobrança de falta. O zagueiro Léo marcou de cabeça.

Com o empate no final, São Paulo saiu de campo frustrado, porém tendo noção de que fez uma boa partida. No Grupo C do Paulista, Tricolor continua vice. Já que a Ferroviária tropeçou diante o São Bernardo, mas o Audax ganhou do Palmeiras. Assim Audax vai para 16 pontos, São Paulo 14 e Ferroviária 13. Próximo jogo do Tricolor é contra o Botafogo-SP, quarta-feira (23/03), no Pacaembu, às 21h45.

FICHA TÉCNICA

Local: Estádio Novelli Júnior, Itu - SP
Cartões amarelos: Guly e Claudinho (ITU); Thiago Mendes, Caramelo e Mena (SP)
Cartões vermelhos: Thiago Mendes (SP)
Gols: Leonardo Luiz (ITU); Ganso (SP)
Arbitragem: Flávio Rodrigues de Souza, auxiliado por Mauro André de Freitas e Gustavo Rodrigues de Oliveira

ITUANO
Fábio; Pacheco, Naylhor, Leonardo Luiz e João Paulo; Wellington Simião, Guly, Claudinho (Marcão) e Guilherme; Marcelinho (Edinho) e Fernando Viana (Ruan). Técnico: Tarcísio Pugliese

SÃO PAULO
Denis; Caramelo, Rodrigo Caio, Maicon e Mena; João Schmidt, Thiago Mendes, Daniel (Centurión), Carlinhos e Ganso (Lucas Fernandes); Calleri. Técnico: Edgardo Bauza 

Náutico empata com Santa no segundo Clássico das Emoções do ano

Náutico foi até o estádio do Arruda enfrentar o Santa Cruz saindo com o empate e a liderança do campeonato. Os gols foram marcados por Alemão (Santa) e Daniel Morais (Náutico). Com o empate, o Náutico foi aos 17 pontos empatando com o Salgueiro, mas nos critérios de desempate o timbu leva a melhor.

Náutico e Santa se enfrentaram pela oitava rodada do Pernambucano
O primeiro tempo foi ótimo de se ver, com gol e vários lances perigosos, os dois times levaram muito perigo. O Náutico começou apertando a defesa do Santa que não conseguia passar do meio de campo, muitas trocas de passes dois times e nada de ir pra cima. O primeiro lance perigoso foi dos donos da casa aos 10’, Grafite invadiu a área e tocou para o lado, Léo Moura chutou fraco e Júlio abafou para a zaga alvirrubra tirar para longe. Dois minutos depois o timbu respondeu, Henrique recebeu e cruzou achando Gil Mineiro sozinho dentro da área, mas o jogador alvirrubro não soube aproveitar e cabeceou para fora. Aos 22’ aconteceu um lance perigoso e bizarro, o lateral do Santa cruzou e Ronaldo Alves cortou, mas cortou pra trás e contra o próprio gol, só que Júlio César defendeu com o rosto e depois ficou no chão sentindo. Aos 32’ o Náutico perdeu a melhor chance do jogo até esse momento do jogo, contra ataque alvirrubro, era Rony carregando a bola e Gil Mineiro do lado contra um marcador tricolor, Rony tocou para Gil que ficou de frente para o goleiro Tiago Cardoso, tentou chutar por cima e o goleiro defendeu, no rebote o próprio Gil tocou para a entrada da área e Thiago Santana que vinha chegando chutou, mas chutou feio demais e perdeu a chance de abrir o placar no Arruda. Aos 42’ pênalti para o Santa, Ronaldo Alves puxou Grafite que foi ao chão e o juiz assinalou, o próprio Grafite foi na cobrança e Júlio César defendeu de forma espetacular. Aos 46’ gol do Santa, João Paulo cobrou falta e Alemão subiu mais que todos e só desviou para o fundo da rede.

Júlio César ao defender o pênalti de Grafite
O segundo tempo, o Santa começou buscando mais o jogo e aos 4’ Léo Moura encontrou João Paulo que chutou forte passando perto da trave que estava o goleiro alvirrubro. O Náutico respondeu quatro minutos depois, Eduardinho tocou para trás e Rafael Pereira chutou, o goleiro tricolor defendeu e no rebote o próprio Rafael chutou, mas foi mais um passe para Thiago Santana que cabeceou e o lateral Vitor tirou na linha evitando o empate alvirrubro. Aos 14’ o atacante Keno saiu de frente com Júlio César, tentou dar a cavadinha tentando surpreender o goleiro que foi esperto o suficiente e defendeu tranquilamente, perdeu uma ótima chance de ampliar o placar. Aos 22’ gol do Náutico, após perfeita triangulação do time alvirrubro, Gil Mineiro apareceu livre na linha de fundo e cruzou, Daniel Alves subiu, cabeceou no canto e empatou a partida. Aos 29’ o Náutico perdeu ótima chance de virar, após o cruzamento o goleiro tricolor saiu mal e a bola sobrou nos pés do artilheiro alvirrubro, o zagueiro Ronaldo Alves, que chutou por cima do gol, foi um lance que o zagueiro não esperava e bola estava muito próximo do seu corpo. Aos 36’ o timbu perdeu outra ótima chance de virar o placar, Renan Oliveira lançou para Daniel Morais que invadiu a área e chutou, mas chutou fraco e mal muito fácil para o arqueiro tricolor defender. Aos 44’ o Santa assustou, Raniel recebeu na entrada da área e chutou por baixo das pernas do zagueiro alvirrubro, a bola passou muito perto do gol e com sorte foi para fora.

Daniel Morais foi comemorar seu gol perto da torcida que se fez presente

O timbu com o empate continua na liderança do hexagonal do título e já classificado para a próxima fase. Agora o timbu vai ter duas semanas para treinar e recuperar seus jogadores. O próximo jogo será contra o Central, dia 02/04/2016 na Arena Pernambuco às 18h30 pelo campeonato pernambucano.

Escalação:

Santa Cruz: Tiago Cardoso; Vítor (Everton Sena), Alemão, Leonardo e Allan Vieira; Lucas Gomes, Uillian Correia (Dedé), Léo Moura (Raniel) e João Paulo; Keno e Grafite. Técnico: Marcelo Martellote.

Náutico: Júlio César; Rafael, Ronaldo Alves,Fabiano Eller e Henrique; Eduardinho, Rodrigo Souza, Renan Oliveira, Gil Mineiro (Rafael Coelho) e Rony (Jefersson Nem); Thiago Santana (Daniel Morais). Técnico: Gilmar Del Pozzo.

Público: 12.010
Árbitro: Gilberto Castro Júnior (PE)
Assistentes: Aldir Pereira (PE) e Marlon Gomes Oliveira (PE)

Hexa é LUXO!

Marcus Lamenha // @LamenhaMarcus

←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana