A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

sábado, 26 de março de 2016

Ninguém mais teme a altitude e Bolívia perde mais uma

Zenteno, da Bolívia disputa bola com o colombiano Carlos Bacca (Foto: Getty Images)
Se antes o fator casa significava grande possibilidade de trunfo boliviano por jogar na altitude, hoje não é mais assim. A Bolívia foi derrotada novamente em casa, dessa vez pela Colômbia, por 3 a 2. A seleção boliviana foi praticamente engolida pela seleção do argentino José Pékerman, em La Paz e novamente a seleção triunfante em La Paz, assim como o Uruguai soube jogar na altitude.

A Colômbia rapidamente tomou a frente do placar, graças a uma atuação digna de aplauso de James Rodríguez, que nem se intimidou com a altitude. E quem tem se intimidado? A Bolívia só venceu um confronto em La Paz, com a Venezuela, uma das adversárias teoricamente mais fracas que as demais sul-americanas. E mesmo assim ainda tomou dois gols dos venezuelanos, ou seja, as seleções aprenderam a lidar com a altitude.

O cansaço, a falta de ar e os fatores ainda estão lá, mas as seleções tem uma postura diferente. O Uruguai jogou o primeiro confronto em La Paz, buscando apenas uma bola e conseguiu a vitória. Venezuela, que mesmo derrotada também jogava nos erros dos bolivianos, tanto que conseguiram fazer dois gols no Hernando Siles.
A Bolívia contra a Colômbia saiu atrás por dois à zero, justamente vendo a seleção colombiana jogar no erro boliviano e assim chegaram aos dois gols, além disso, os colombianos têm jogadores de qualidade que tem facilidade em jogar seja no nível do mar, seja na altitude. Ainda no primeiro tempo a Bolívia diminuiu e no segundo tempo, logo de cara empatou e pressionava o adversário buscando a virada, porém a Bolívia não tem o que a Colômbia e demais seleções sul-americanas tem, jogadores de qualidade pra colocar a bola pra dentro do gol e o fez, nos acréscimos da partida.

A rixa entre o treinador Baldivieso e o melhor jogador boliviano em atividade Marcelo Moreno, ausente do escrete da Bolívia desde a Copa América do ano passado, só faz deixar mais distante o sonho boliviano de voltar a Copa do Mundo. Fato que não ocorre desde o Mundial de 1994.

Agora "La Verde" terá uma missão "quase" impossível, digo quase pois o futebol é uma caixinha de surpresas, mas ter a missão de vencer a Argentina, em Córdoba é dificílima. Outrora, os bolivianos conseguiram fazer 6 a 1, na seleção argentina com Messi e Cia, hoje são fortes candidatos a uma revanche. Acontece que naquela época, a altitude ainda era temida, hoje, não mais.  

Feriado de Páscoa com alegria para o Corinthians

Já classificado no mata-mata do Paulista, coube ao Corinthians encarar o Ituano neste feriado dentro de sua casa ao lado do torcedor. Com o público aproximadamente em 29 mil pessoas, o Timão bateu a marca de dois milhões de torcedores presentes na Arena.

Foto: Marcos Ribolli
A profissão de treinador é muito desvalirazado no Brasil e o jogo contou com os guerreiros que há algum tempo vão mantendo seus cargos no futebol brasileiro: Tite x Pugliese, há mais de um ano e meio trabalhando na função e em seus respectivos clubes.

Do time que goleou o São Bernardo no último jogo, coube ao Tite sacar Rodriguinho lesionado e colocar Maycon no time titular. Bom para o torcedor que viu o garoto da base fazer bom jogo.

O jogo foi bom, oportunidades não faltaram, mas quem foi o melhor jogador da partida foi à trave! Ela mesmo que evitou o gol alvinegro em quatro oportunidades com Giovanni Augusto, Pacheco (contra), Maycon e Alan Mineiro.

O time contou com muita movimentação, mas Guilherme que vem evoluindo seu trabalho ainda precisa melhorar e André que será o nosso centroavante, camisa 9, precisa chutar mais ao gol.

Do resto, o time vem se apresentando bem, fazendo bons resultados dentro de campo e finalmente anda convencendo o seu torcedor de um trabalho excelente que o Tite vem construindo.

E ah, o gol do jogo foi de Felipe após cabecear a bola em cobrança de escanteio de Fagner. E ao nosso zagueiro, PARABÉNS pela chance na seleção brasileira, o questionado Felipe que a torcida não gostava, que fazia um jogo bom e uns três ruins hoje merece sim e MUITO esta oportunidade. Neste domingo o zagueiro se apresenta a seleção de Dunga para apoiar no jogo contra o Paraguai. Vá e represente o nome do Corinthians, do Brasil!

O próximo jogo do alvinegro será contra a Ponte Preta na quarta-feira 30/03 dentro da Arena Corinthians às 21h45min. O Timão soma 29 pontos e liderança isolada do Campeonato Paulista.

Isabela Macedo || @ismacedo_
Linha de Fundo || @SiteLF

Canindé tem equipe em mente para enfrentar o Coruripe

Contando com o centroavante, treinador tende a repetir escalação que venceu o CRB.

No treino realizado na tarde desta quinta-feira, no CT Gustavo Paiva, no Mutange, o treinador formou o time principal com o centroavante David Denner no comando de ataque. O jogador está recuperado de lesão no músculo adutor da coxa direita. Caso Denner não atue, Canindé pode mexer no esquema tático azulino.

Recuperado de lesão, David Denner está perto de voltar ao time titular do CSA (Foto: Leonardo Freire/GloboEsporte.com)
Durante a atividade, o treinador promoveu algumas alterações, colocando na equipe titular atletas como David, no setor de meio-campo, e Thiago Santos, no ataque. Porém, para o duelo contra o Hulk, o time marujo tende a ser escalado com a mesma formação que goleou o CRB, por 4 a 1, na nona rodada da primeira fase do Campeonato Alagoano.

Recém-contratado, o atacante Pedro Gusmão ainda trabalha separado do grupo, reconquistando o condicionamento físico ideal para estrear com a camisa azulina. Dessa forma, o Azulão pode ser definido para o segundo confronto do hexagonal com Jeferson; Choco, Leandro Souza, Douglas e Rafinha; Jean Cléber, Panda, Didira, João Paulo e Luis Soares; David Denner.

CSA deve enfrentar o Coruripe com a formação acima (Foto: Arte/GloboEsporte.com)
O CSA lidera o hexagonal do Alagoano com três pontos, empatado com o CRB, mas levando a melhor sobre o arquirrival no critério de saldo de gols (três contra um). Já o Coruripe é o quinto colocado, sem ter pontuado ainda na segunda fase do estadual.

A partida acontecerá neste Domingo (27/03) no Estádio Gerson Amaral em Coruripe ás 16h, o Azulão do Mutange embalado e invicto no torneio contra um Hulk que também busca a classificação e um bom resultado jogando dentro de seus domínios.

Lucas André || @luc4s_andre
Linha de Fundo || @SiteLF

Oeste perde mais uma e agrava sua situação no Paulistão

Rubrão perde mais uma em Araraquara e agora busca reabilitação na quarta-feira contra o Audax.

Foto: Leonardo Fermiano
É lamentável essa situação que o Oeste vem passando nesse Paulistão, mal subiu de volta para elite e já está passando por isto novamente, torcedor oestino anda cansado da postura do time de 2014 pra cá, torcedor quer ver o time dando alegria, levantando títulos, entre outras coisas e não ver o time brigando pra não cair, o time desse ano é bom, têm jogadores de boa qualidade, mas andam sem vontade, sem garra. Esperamos que saia dessa situação desconfortável logo antes que seja tarde demais.

Enfim, vamos falar desse jogo de hoje entre Ferroviária e Oeste em Araraquara, um jogo que só um time mandou no jogo no caso o mandante, a Ferrinha logo de início começou pressionando, tanto que aos 10 minutos do primeiro tempo, Samuel após falha do Zagueiro Brinner, chutou na entrada da área, mas Jeferson Romário estava bem posicionado e conseguiu fazer a defesa.

Aos 15 minutos, Rubrão teve uma boa e única chance no primeiro tempo com Fernandinho levantando na grande área, mas o zagueiro se antecipou e conseguiu se afastar. Ferroviária continuava mantendo controle do jogo, não dando sossego ao goleiro do Oeste.

No segundo tempo não foi diferente, poucas chances ao rubro-negro, várias ao time grená, até que depois de tantas chances, Samuel abriu o placar aos 10 minutos em um belo chute na pequena área sem chances ao goleiro do Oeste. Pouco tempo depois da Ferrinha abrir o placar, eles continuaram não dando sossego para o Rubrão e aos 24 minutos, Tiago Marques dominou e chutou forte no lado direito e ampliou para Ferroviária, decretando à vitória ao mandante.

O Oeste volta a campo na próxima quarta-feira às 19h30, no Estádio dos Amaros contra equipe do Osasco Audax uma das sensações desse campeonato, visando reabilitação pra escapar da zona de rebaixamento, o Rubrão precisa urgentemente dessa vitória, é vencer ou vencer!

Ficha Técnica:
Ferroviária 2 x 0 Oeste

Ferroviária: Rodolfo; Luiz Gustavo, Wanderson, Marcão e Luiz Paulo (Thallyson); Rossetto, Rafael Miranda (Juninho) e Danielzinho (Tiago Marques); João Paulo, Wescley e Samuel. Técnico: Sérgio Vieira

Oeste: Jeferson Romário; Léo Príncipe, Brinner, Daniel Gigante e Fernandinho;
Leandro Mello (Cristiano), Betinho, Marcelinho Paraíba (Danielzinho) e Renan Mota; Mazinho e Ricardo Bueno (Renato Kayzer). Técnico: Renan Freitas

Gols: Samuel, aos 10, e Tiago Marques, aos 25 minutos do segundo tempo.
Árbitro: Vinicius Gonçalves Dias Araújo
Assistentes: Bruno Salgado Rizo e Fabricio Porfirio de Moura
Cartões amarelos: Ferroviária: Wanderson, Luiz Gustavo
Oeste: Jéferson Romário, Marcelinho Paraíba
Público Pagante: 2.851
Renda: R$ 48.640,00
Local: Arena da Fonte Luminosa, Araraquara-SP

FORÇA RUBRÃO!

Césare Boralli || @cesareboralli
Linha de Fundo || @SiteLF

Uruguai melhora na partida e empata com o Brasil

Nessa sexta-feira (25), o Uruguai empatou com o Brasil por 2 a 2 na Arena Pernambuco pela quinta rodada das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018. A seleção brasileira abriu o placar com os jogadores Douglas Costa e Renato Augusto, mas os uruguaios buscaram o empate através de Cavani e Suárez.

Suárez retornou após suspensão (Foto: Divulgação/AP)
Os dois tempos foram muito distintos. Poucos segundos de jogo já se pode observar uma falha da zaga uruguaia que resultou no primeiro gol brasileiro. A seleção celeste se apresentava muito aberta em campo, os jogadores ficavam mal posicionados que resultava em muito erro de passe.

O gol de Renato Augusto procedeu de um falha de Álvaro Pereira, o meia brasileiro ainda foi feliz no seu drible em cima do goleiro Muslera. Aos 31 minutos de jogo, a seleção brasileira optou marcar a bola e assim deu liberdade para os jogadores uruguaios. O meia Carlos Sánchez recebeu um cruzamento nas costas do lateral Filipe Luiz, vendo Cavani sozinho na área, recuou a bola para o atacante que fez uma clássica e certeira finalização para o gol.

O Uruguai voltou para o segundo tempo melhor, a mudança na posição de marcação com duas linhas de quatro para fechar o espaço possibilitou o toque de passes de pé em pé. O herói uruguaio voltava a vestir a camisa da seleção após um ano e nove meses de suspensão e era o homem de referência no ataque. Após uma boa jogada, El Pistolero ficou de frente a frente com o goleiro Alisson e não desperdiçou a chance de empatar o clássico sul-americano.


Realmente as falhas defensivas brasileiras foram assustadoras, porém não se pode tirar o mérito e qualidade da dupla ofensiva formada por Suárez e Cavani.  Contudo, assim como a Celeste não começou o jogo bem, o atacante Cavani não estava em seus melhores jogos. O jogador acompanhou o crescimento da seleção, a partir do momento que o técnico Oscar Tabárez mudou o posicionamento e o camisa 21 pode jogar mais aberto pelo lado esquerdo.

A partida terminou empatada, os amigos Suárez e Neymar irão dividir o hambúrguer apostado em caso de vitória. Neste jogo o Uruguai não conseguiu aproveitar a força da bola área da equipe, uma vez que o grande destaque dos jogadas criadas pelo alto foi cortado por lesão, o zagueiro Godín, assim como seu companheiro Gimenez. Na terça-feira (29), às 20h (Brasília) o vice-líder das Eliminatórias, com 10 pontos entra em campo em Montevidéu contra o Peru, nono colocado.


Com carinho, Cássia Moura (@cassinha_moura)

Paraguai não sente a altitude, mas vacila no final

Depois de três dias treinando em Guaiaquil, a seleção paraguaia foi para a capital Quito enfrentar o Equador em um Estádio Atahualpa lotado. O fator mais importante para os donos da casa, a altitude (cerca de 2500m) não intimidou os visitantes, que não sentiram a diferença, já que muitos jogam em países com as mesmas condições.

Foto: Divulgação
A proposta inicial do time, que era segurar o até então 100% e líder nas eliminatórias não deu certo, já que os donos da casa pressionaram muito até abrir o placar, aos 18 minutos de jogo, com Valencia, em rebote que bateu na trave. O Paraguai, que apostava nas velocidades de seus atacantes e no contra-ataque, parecia ter sentido o gol. Tanto que, chegou a levar uma bola na trave aos 30 minutos. Aos 37’, porém, a seleção paraguaia chegou ao empate depois de falha da zaga equatoriana, Lezcano aproveitou e estufou a rede, justamente em um momento do jogo em que o Equador dominava todas as ações do jogo.

Comemoração de um dos gols. (Foto: Divulgação/APF)
Para o 2º tempo, a proposta do técnico Díaz era segurar o Equador nos minutos finais, e ir controlando o jogo aos poucos. Mas a estratégia deu mais do que certo, quando aos 14 minutos do 2º tempo, Lezcano novamente, virou a partida. O Equador então sentiu o gol, e deu espaço para o Paraguai controlar a partida, que quase conseguiu ampliar o placar. Quando o Equador partiu para o desespero, chegando a atuar com quatro atacantes, a defesa paraguaia soube se portar bem e segurar o ímpeto do adversário. Vendo que o time cansou e não iria mais suportar a pressão equatoriana, o técnico Diáz sacou o atacante Lezcano, para reforçar a defesa. E essa proposta deu certo até nos acréscimos, quando em uma jogada de impedimento não marcado, o atacante Mena conseguiu enfim, furar a barreira paraguaia para empatar a partida. O Equador até reclamou de um pênalti logo depois, mas o placar não se alterou mais. 2x2.



O resultado visto pelo que foi a partida, foi com gosto de derrota para o time visitante, já que o time vencia até os 47’ do 2º tempo. Mas, em termos de tabela, um resultado muito comemorado, já que ganhou um ponto fora de casa, e ainda tirou o 100% equatoriano. O time se portou bem diante da altitude, não se intimidou com a pressão dos 40mil equatorianos e foi pra cima. Mas recuou muito cedo e cedeu o empate ao time da casa.

Agora, mais uma partida complicada para os Albirrojos. Enfrentam o Brasil, no famoso Defensores Del Chaco, em Assunção. A equipe tem que aproveitar o fator casa, e também o emocional do time verde e amarelo. Sem Neymar e com uma defesa frágil, a equipe paraguaia pode se aproveitar e conquistar três pontos importantíssimos na briga por uma vaga na Rússia. Lembrando que, após a 5ª rodada, Brasil e Paraguai estão em 3º e 4º lugares, respectivamente e estariam na Rússia nesse momento. As duas equipes somam oito pontos. Uma vitória garantiria, pra qualquer uma das duas seleções, quase seis meses de tranquilidade na zona de classificação, antes dos próximos confrontos das eliminatórias. E por que não, jogar a Copa América centenária, sem tanta pressão?


Banner do jogo de 3ª feira. (Foto: Divulgação/APF)

Frederico Kuhnen| @fred_metro2002

Linha de Fundo| @SiteLF

Gol relâmpago e besteiras de David Luiz: Brasil fica no empate com o Uruguai

O Brasil recebeu o Uruguai, em Recife, com empolgação e sua torcida ao lado na expectativa de uma vitória para conseguir engrenar nas eliminatórias para a Copa do Mundo na Rússia em 2018. Com direito a gol relâmpago e grandes jogadas de ataque, a seleção brasileira chegou a abrir dois gols de vantagem, mas as falhas da marcação, em especial do zagueiro David Luiz, fizeram com que o jogo terminasse empatado.

A seleção brasileira usufruiu logo no seu começo de partida de seu ataque veloz e habilidoso. Com apenas 40 segundos no relógio, uma ótima jogada individual de William para Douglas Costa abrir o placar e deixar os uruguaios surpresos. Neymar e Renato Augusto também participavam bastante da partida e criaram muitas chances de aumentar o placar, enquanto o Uruguai tinha dificuldades de criar perigo para Alisson. Quando Renato Augusto mostrou agilidade para driblar o goleiro Muslera e aumentar o placar, parecia que estava saindo uma goleada verde e amarela em Recife.

Neymar teve uma atuação discreta no empate com o Uruguai. Foto: globoesporte.com
Porém, uma grande partida sempre é bem disputada, e o Uruguai voltou para o jogo em uma falha de marcação do lateral Filipe Luís e do tão criticado David Luiz, que deixou o atacante Cavani livre para diminuir o marcador, colocando os celestes com grandes esperanças de um empate. A partida em si na primeira etapa não foi de muitas faltas, mas sim de muitas trocas de passes, finalizações e muita habilidade individual, dando indícios de que o segundo tempo poderia ser muito melhor.

LEIA MAIS: Independente de tudo, somos o Brasil 

A seleção uruguaia queria o empate e tratou de buscar isso logo no começo do segundo tempo. O intervalo e as conversas no vestiário não melhoraram a cabeça de David Luiz, que deixou Suárez chutar uma bomba para o gol e Alisson não conseguiu parar a bola. Jogo empatado e frustração para a torcida brasileira na Arena Pernambuco, que já começava a ficar preocupada com uma possível virada.

O jogo começou a ficar mais pegado do que no primeiro tempo e o juiz teve que começar a trabalhar, porém mostrava poucos cartões. Miranda caçava Suárez em campo para tentar parar o jogador e neutralizar o ataque celeste, que estava melhor na partida durante boa parte da etapa final. O gol de empate deixou o Brasil abalado em campo e não conseguíamos mais criar. Neymar estava sumido em campo e só apareceu para levar o terceiro cartão dele e ficar de fora do próximo duelo contra o Paraguai.

A polêmica começava a aparecer mais no jogo. O juiz deixou de apitar duas penalidades claras para a seleção brasileira: uma em cima de Neymar e outra em cima de David Luiz, que foi agarrado por Cavani descaradamente na área. O treinador Dunga teve que mexer no time e colocou Coutinho no meio de campo para retomar a movimentação, e minutos depois, colocou Ricardo Oliveira com a intenção de fazer gols, deixando Jonas no banco, que estava em melhor momento. Lucas Lima foi o último a entrar para tentar fazer a diferença.

Brasil teve um segundo tempo apagado e foi neutralizado pelo Uruguai. Foto: globoesporte.com
As besteiras de David Luiz continuavam e ele deu uma cabeçada para trás deixando Suárez na cara do gol de Alisson, que fez uma defesa incrível com os pés e evitou a virada do Uruguai. Os celestes continuavam atacando com mais perigo e o Brasil só passou perto de fazer o terceiro gol em uma cobrança de falta de Neymar, que foi pra fora e em um chute de Coutinho que Muslera defendeu.

No final do jogo, vaias incansáveis da torcida brasileira para a seleção. O próximo jogo do Brasil é diante do Paraguai, no estádio Defensores Del Chaco, na terça-feira (29/03), às 21h45 (horário de Brasília). Com o empate, o Brasil está na 3ª colocação nas eliminatórias com oito pontos conquistados.

Wagner Oliveira || @wagneroliveiraf
Linha de Fundo || @SiteLF
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana