A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

segunda-feira, 28 de março de 2016

Ponte detona adversário "fora de casa"

Em jogo de locais, Ponte goleia Red Bull no Moisés Lucarelli e volta a sonhar com as quartas de final.

A partida foi favorável a Ponte Preta, que jogou em sua casa, mas não como mandante. A Macaca mostrou a seus torcedores que a invasão ao centro de treinamento no meio de semana não foi em vão e que o time está totalmente revigorado.

O jogo:

A primeira etapa foi dominada pelos Pontepretanos. Diversas bolas na trave, algumas defesas do goleiro Saulo, mas só aos quarenta e cinco minutos, em cobrança de falta rasteira do meia Ravanelli, Douglas Grolli escorou pro fundo das redes, 1 a 0 Ponte.

Fonte: Site oficial da Ponte Preta
Na segunda etapa a Ponte se manteve firme e, depois de jogada individual pela esquerda, Felipe Azevedo cavou pênalti para cima do lateral Everton Silva. Wellington Paulista foi para a cobrança e fez o segundo gol da Macaca, 2 a 0. Em seguida, aos trinta e um minutos do segundo tempo, outro pênalti para a Ponte Preta, desta vez, cometido pelo goleiro Saulo. Wellington Paulista foi novamente para a cobrança, mas o goleiro fez a defesa.

Depois da penalidade defendida por Saulo, o "Toro Loko", como é conhecido o Red Bull, se animou com as circunstancias da partida e partiu para cima da Ponte com diversas jogadas em velocidade e algumas tentativas de fora que chegaram a assustar o goleiro João Carlos. Mas nada saiu destes poucos minutos de brilhantismos da equipe adversária.

De volta ao ritmo da partida, a Ponte Preta voltou a buscar o terceiro gol e a castigar o goleiro Saulo. No último minuto, em cobrança de falta, Ravanelli fez o terceiro e fechou a conta. Já na próxima rodada, a Macaca enfrenta o líder do campeonato: Corinthians, na Arena Corinthians, no bairro de Itaquera.

Curtinhas:

Esse foi o primeiro gol do zagueiro Douglas Grolli com a camisa da Ponte Preta.

O lateral direito Everton Silva foi expulso no mais tardar da partida, aos quarenta e nove minutos do segundo tempo.

Aos quarenta e sete da etapa final, Edmilson cobrou pênalti para o Red Bull e perdeu.

Alexandre Gallo disse em entrevista que gostou da forma como a equipe se comportou e que espera atuações iguais a esta.

A Ponte estreou contra o Red Bull o seu novo xodó, o uniforme amarelo, que segundo o técnico Alexandre Gallo será usado muitas vezes.

Este foi o primeiro gol de falta da carreira do jovem Ravanelli.

Francisco Borja (BorjaFrancisco_) || @SiteLF

Mais um clássico para a conta do Vasco

Foto: ESPN
Na tarde deste domingo (27), em São Januário, às 16 horas, a bola rolou para o Clássico da Amizade no Rio de Janeiro. Nada melhor do que ganhar um clássico em casa é continuar na liderança e se manter invicto. E foi isso mesmo que o Vasco fez. Mesmo não tendo uma de suas melhores atuações, a equipe manteve-se firme e levou os três pontos em um placar magro, mas suficiente.

O Botafogo já iniciou o jogo impondo o ritmo e neutralizando quase que completamente o ataque cruzmaltino, o que desde o princípio foi uma preocupação para o técnico Jorginho, do Vasco da Gama. Mesmo com o alvinegro dominando, aos 25’ Thalles marcou pro Vasco com lindo passe de Nenê. Depois do gol, a partida ficou mais balanceada, mas as melhores chances foram do Botafogo.

Ainda no primeiro tempo houve uma entrada de Rodrigo em Lucas Ribamar dentro da área e o juiz entendeu que foi um lance legal, mas gerou muita polêmica. Assim como o gol feito por Lucas Ribamar, que foi anulado pelo bandeirinha.

Sem grandes ataques e sem espetáculo nenhum, o Clássico da Amizade acabou 1 a 0. O Vasco continua invicto e com 100% de aproveitamento na Taça Guanabara. O Botafogo perdeu sua primeira partida na temporada e está na quarta posição com quatro pontos.

A próxima partida do Vasco é nesta quarta-feira, às 21h45min, contra o Flamengo, no Estádio Mané Garrincha, em Brasília. O jogo é pela quarta rodada da Taça Guanabara.

Ficha técnica:

Estádio: São Januário, Rio de Janeiro.
Público: 7.314 presentes.
Hora: 16h.
Arbitragem: Rodrigo Nunes Sá, Diogo Carvalho Silva e Luiz Cláudio Regazone.
Cartões amarelos: Vasco – Rodrigo, Thalles, Jorge Henrique, Jordi e Julio dos Santos. Botafogo – Airton e Diego.

Vasco – Jordi, Madson (Pikachu), Luan, Rodrigo e Julio Cesar; Marcelo Mattos, Julio dos Santos (Bruno Gallo), Andrezinho e Nenê; Jorge Henrique (Caio Monteiro) e Thalles. Técnico: Jorginho.

Botafogo – Jefferson, Diego, Carli, Emerson (Renan Fonseca) e Diogo; Airton, Bruno Silva, Rodrigo Lindoso (Gervásio Núñez) e Gegê; Salgueiro e Lucas Ribamar. Técnico: Ricardo Gomes.

Saudações Cruz Maltinas a todos!

Leão derrotado, mas não superado

Pela segunda rodada do terceiro turno do Campeonato Goiano, o CRAC visitou o Goiás na capital do estado e saiu derrotado pelo placar mínimo, todavia não foi superado.

O esmeraldino jogou em casa e, na maior parte do jogo, teve mais posse de bola, mas não transformou isso em gols. Levi fez contra aos 27 minutos do segundo tempo. Foi notória a eficiência da retaguarda dos celestes. A defesa catalana segurou a pressão do melhor ataque da competição. Destaque para os zagueiros João Paulo e Fábio Silva.

O técnico Júlio Sérgio escalou os jogadores das partidas anteriores e estabeleceu o 4-4-2 com variação para o 4-2-3-1/4-5-1. Exigiu marcação de todos.

Pensando em mais experiência, desarmes e precisão nos passes, a diretoria acertou a contratação do volante Fernando, ex-Goiás, irmão do meia Carlos Alberto.    

Os dois próximos desafios podem ser considerados finais para a classificação à semifinal do estadual, visto que Anápolis, Itumbiara e Aparecidense possuem a mesma pontuação do Leão do Sul, quinze, enquanto que o Goianésia tem catorze.

Nenhum jogador da principal equipe do Goianão conseguiu balançar as redes leoninas. Precisou contar com a sorte para vencer.

Pedro Silveira || @PedroSilveira7
Linha de Fundo || @SiteLF

Argentina busca se diferenciar

A argentina demonstrou uma ótima melhora quando enfrentou Chile, mesmo não tendo sua defesa titular e não contanto com o xerifão Mascherano, conseguiu um ótimo resultado perante virando o placar em 2 a 1, mostrou que o time está com um poder de reação extremamente forte e que consegue aguentar a pressão da torcida e time adversário, porém com a volta dos reforços o técnico Tatá Martino quer fazer algumas alterações táticas. Por mais que a seleção tenha se mostrado forte o suficiente e bem objetiva, ela sentiu dificuldade na retenção de bola na frente.

O ótimo momento do atacante fez com que ele tomasse a titularidade de Agüero
No jogo contra Bolívia a coisa que mais foi notada em todos os treinamentos foram as frequentes trocas no ataque, Gonzalo Higuaín estava sempre como titular, e ao que tudo indica é que o jogador do Napoli vai ser o novo camisa 9 da seleção. O próprio jogador em coletiva deixou pistas claras que vai iniciar como titular contra a Bolívia.


Outro que vai voltar será Mascherano, que cumpriu a suspensão e está relacionado para a partida no lugar de Matías Kranevitter. O jogador se disse um tanto descontente com o desempenho do time e com atual posição, pois o que pode se notar depois das primeiras partidas eram as deficiências do time.

Contra a seleção Boliviana o que mais preocupa são questões de altitude e o possível favorecimento que a seleção local pode ter, por isso Martín Demichelis y Javier Pinola serão titulares para reforçar a defesa da equipe. Tatá tem muita preocupação com os primeiros 15 minutos e por isso prefere ter um time mais defensivo no primeiro momento e conta com a fragilidade do adversário para conseguir a vitória no segundo momento.

A provável formação será Sergio Romero; Gabriel Mercado, Martín Demichelis, Javier Pinola, Marcos Rojo; Lucas Biglia, Javier Mascherano, Ever Banega; Lionel Messi, Gonzalo Higuaín, Angel Di María.

Ismael Schonardie@Ismahsantos
Guilherme Luis@_Guigoluis

Com uma boa atuação, Vila Nova desbanca Atlético e volta a brigar por classificação

Com gol de Roger, no início do primeiro tempo o Tigre voltou a vencer assumindo outra vez a terceira posição. Enquanto o Dragão permaneceu em segundo.

Foto: Vila Nova Futebol Clube
Após vencer o clássico contra o Atlético, o Vila Nova volta a brigar por classificação para as semifinais do Goianão. Com tarde inspirada do garoto Roger, autor do único gol da partida, o colorado soube dominar o arquirrival Atlético, anulando qualquer tipo de ataque do Dragão.

O técnico Mancini estreou mais uma vez diante de um clássico. Seu primeiro teste foi contra o rival Goiás, onde a equipe vilanovense conseguiu arrancar um empate do Verdão. Mas na tarde deste domingo (27), mesmo não sendo o favorito o Vila Nova entrou pressionado precisando vencer, foi dito e feito.

O time do Vila Nova era outro em campo, não parecia aquele time que vinha sendo criticado pelo torcedor. O Vila Nova entra em campo na próxima quarta-feira (30), onde enfrenta a equipe da Anapolina no Jonas Duarte em Anápolis. Já o Atlético, vai até Aparecida de Goiânia enfrenta o Aparecidense.

Brilhe, Ménez

No início da temporada e das transferências do Milan, existiam apenas duas certezas: O time contrataria alguém do Genoa e Menez ficaria. Sendo o melhor jogador da desastrosa temporada 14/15, na qual o clube acabou na décima posição (a pior colocação na "Era Berlusconi), Jeremy tinha números absurdos e era de qualidade muito superior a dos companheiros. Vindo de graça do PSG, Menez fez 16 gols, que "deram" 25 pontos ao Milan na temporada 14/15, e ainda teve grande valorização.

As contratações foram acontecendo, Jackso... Carlos Bacca, Jose Mauri, Bertolacci, Luiz Adriano, Romagnoli, Kond... Kucka (tal do Genoa). A base de Mihajlovic e os titulares com seu clássico 4-3-1-2 estava formado, com pontas velozes, um centroavante matador, parecia promissor. Voltando de uma recuperação após uma hérnia de disco, ainda em 2015, Menez voltou a atuar contra o Real Madrid já na pré temporada rossonera. Mas logo na primeira partida oficial do time (2x0 Perugia), Jeremy dividiu bola e sentiu, sendo substituído ainda no primeiro tempo. Após resultados, Menez teve uma sequencia de dores nas costas, que o tiraram do clube até janeiro, quando voltou a treinar.


Ele retornou como titular contra o Alessandria pela semi-final da Coppa Itália, fazendo dois gols na goleada por 5x0, seus únicos na temporada.




Com a lesão de Niang, que está fora da temporada, Jeremy Menez tem tudo para brilhar e pode ser importante para 
o Milan nessa reta final, principalmente na disputa da Copa Itália, dando uma vaga aos rossoneri na UEFA Europa Liga, salvando o ano e, quem sabe, a vaga de Sinisa Mihajlovic no clube.

Por: @acm_vinicius

O fim?


A Portuguesa perdeu mais uma partida na reta final da Série A2 e, com isso, deu adeus ao objetivo do primeiro semestre, que era voltar pra Série A1. E agora há risco de rebaixamento pra Série A3 do Paulista.

Se esse panorama fosse apenas isso, estaria "tudo bem", mas não. A Portuguesa entregou o jogo propositalmente para o Rio Branco, e viram o time de Americana fazer 2 a 0 e vencer a partida. Placar este que poderia ser mais elástico, já que os visitantes tiveram chances de fazer pelo menos 4 a 0. Era um domingo de Páscoa, esperávamos a ressurreição da Lusa, mas ela continuará morta e sendo jogada na sarjeta, sem sequer um funeral digno.

Todo esse boicote começou porque a principal torcida organizada lusitana invadiu um treino e exigiu um jogo amistoso contra o elenco, isso somado as críticas do treinador Ricardinho, que disse que o elenco não tinha qualidade, foram responsáveis pela sabotagem dos jogadores. Tanto à torcida quando ao treinador. Eles jogavam sem vontade, não corriam, trotavam, os passes eram apenas de lado sem oferecer qualquer perigo ao gol do Rio Branco, fora as bolas recuadas perigosamente no campo de defesa. FOI UMA VERGONHA.

O time não tinha nenhuma vontade e não tinha comprometimento algum com a camisa rubro-verde, NADA justifica. Nada justifica os jogadores serem passivos e não honrarem a camisa do time que defendem, é antiético, não é profissional. E eles conseguiram o que queria, ao fim da partida toda a diretoria de futebol entregou o cargo.

Ricardinho, um dos alvos do boicote do elenco entregou o cargo esta segunda
Antônio Ribeiro, vice-presidente de futebol, junto com demais diretores entregaram a carta de dispensa, por essa razão Ricardinho, que havia após o jogo garantido que ficaria no clube, se sentiu abandonado por eles e também entregou o cargo. Os dirigentes vinham recebendo ameaças, não por parte da torcida, mas sim por grupos políticos adversos da Lusa.

Nossa luta agora é outra, contra o rebaixamento, a missão pode ser considerada fácil, pois a Lusa precisa vencer um jogo. No entanto, com esse time que perde e entrega para o lanterna do campeonato, cria-se a dúvida. São dois jogos contra Votuporanguense fora e Atlético Sorocaba (que provavelmente já estará matematicamente rebaixado) em casa. O treinador interino da equipe será o ex-zagueiro Anderson Beraldo, com passagens de sucesso como jogador por Corinthians e Benfica.

A torcida da Lusa só quer respeito por parte dos jogadores. Joguem com vontade, joguem com amor a profissão de vocês. Salvem a Lusa do que pode ser o fim do clube, um clube que não é de vocês jogadores, nem dos diretores. Um clube que é nosso, da torcida. E a diretoria, que arregace as mangas e comece a pensar nos rumos que o Canindé vem tomando, chega de vaidades.

Todos os presidentes, desde Amílcar Casado à Lico, já tiraram tudo, sugaram tudo que podia ser sugado do nosso clube. A única coisa que nos resta é o amor que nos mantém amando a Portuguesa até o fim. Dê uma vida digna pra Lusa. Não queremos mais os luxos, sabemos que eles são impossíveis nesse cenário, dê apenas dignidade e tenham hombridade com a Associação Portuguesa de Desportos.

NOTA OFICIAL SOBRE A RENÚNCIA DA DIRETORIA DE FUTEBOL

A direção da Associação Portuguesa de Desportos informa o desligamento do seu vice-presidente de Futebol, Antonio Pinto Ribeiro. Junto com ele, saem também os diretores Carlos Eduardo Ramos, Marcio Rodrigues e Marcos Lourenço.
Antonio Ribeiro entregou carta de renúncia ao presidente neste domingo, em que explicou sua decisão: “Como combinado no início da gestão, se houvesse um dia em que eu não pudesse mais cumprir meus deveres e atender às expectativas como vice-presidente de Futebol, seria o primeiro a informá-lo”.
“Agradeço a todos da nossa diretoria e aos torcedores pelo apoio e comprometimento. […] Quanto ao meu sucessor, recomendo que execute nosso plano de transparência e ética na condução do futebol”, complementou o dirigente.
O Clube irá divulgar em breve os novos nomes que irão conduzir o Futebol Profissional.

NOTA SOBRE O PEDIDO DE DEMISSÃO DO TÉCNICO RICARDINHO

Em reunião nesta segunda-feira (28), a direção da Associação Portuguesa de Desportos e o técnico Ricardinho decidiram em comum acordo interromper o vínculo entre as partes.
O Clube passa por um momento de mudanças diretivas e as partes entenderam que a melhor decisão a ser tomada era pelo término deste compromisso profissional.
Ficam o respeito mútuo e o desejo de que o treinador tenha sucesso em seus novos caminhos.
O técnico do Sub20, Anderson Beraldo, assume o cargo de auxiliar técnico e irá dirigir a equipe interinamente até o fim da disputa do Campeonato Paulista.

Com que pernas anda a Seleção Olímpica

Faltam 130 dias para a Olimpíada no Rio de Janeiro. A seleção brasileira de futebol começou a testar o time que tentará conquistar a inédita medalha de ouro para o nosso país. Essa semana, o grupo comandado pelo técnico Rogério Micale fez dois amistosos em território nacional, diante a Nigéria e a África do Sul.


Na quinta-feira (24), o primeiro compromisso foi contra a seleção nigeriana, em Vitória (ES). Logo no início da partida, aos dois minutos, o jogador Ubong marcou para a Nigéria. Começando o jogo atrás do placar, o Brasil apresentou boa movimentação em campo, porém foi pouco produtivo. O goleiro adversário Emmanuel fazia grandes defesas e foi substituído por Yusuf, que não comprometeu o resultado do jogo.

A Seleção Olímpica criava boas oportunidades com seu esquema ofensivo formado por Gabigol, Gabriel Jesus e Felipe Anderson, mas não finalizava bem. No segundo tempo o Brasil caiu de produção e a Nigéria saiu com a vitória por 1 a 0. Nesta partida foi possível observar alguns pontos que podem ser melhorados, como a lentidão da defesa e a falta de apoio dos jogadores de meio campo para dar sequência nas jogadas. Porém, o grupo apresentou bom volume de jogo e os jogadores se destacaram individualmente.

No domingo (27), em outro amistoso preparatório, a seleção brasileira olímpica conseguiu conquistar uma vitória. Em Maceió (AL), a seleção sub-23 venceu a África do Sul por 3 a 1, gols dos brasileiros Rodrigo Caio, Fabinho e Andreas Pereira. Com a ideia de observar todos os convocados, o técnico optou em fazer quatro alterações no time que iniciou o último jogo.

Com uma melhora de jogo desde a derrota para a Nigéria, o meia Andreas Pereira criou boa jogadas, outro que se destacou foi o meia Rafinha, que retornou após ficar seis meses afastado dos gramados por lesão. Sem poder contar com o atacante Gabigol que seguiu para a seleção principal, o treinador se disse contente do modelo de jogo implantado.

Sob o comando do treinador Rogério Micale foram sete jogos; cinco vitórias e duas derrotas, este colheu o máximo de informações dos jovens da seleção que será comandada pelo técnico Dunga na Olimpíada no Rio de Janeiro. Para os jogadores, talvez essa foi a última oportunidade de assegurar uma vaga entre os 18 convocados, sendo que três jogadores podem ter mais de 23 anos.



Entre vaias e aplausos, uma derrota e uma vitória. Este não é o melhor cenário para chegar aos Jogos Olímpicos, no entanto, também faz parte da preparação, pois os adversários de agosto são seleções que podem apresentar esquemas difíceis de ultrapassar. Desta forma, é necessário corrigir os erros vistos desde agora, pequenos detalhes que podem fazer a diferença.

Com carinho, Cássia Moura (@cassinha_moura)

Com direito a voleio de Luís Soares, CSA vence Coruripe fora de casa

CSA e Coruripe se enfrentaram pela segunda rodada do hexagonal  do Campeonato Alagoano. Jogando fora de casa, no Estádio Gerson Amaral em Coruripe, a equipe do Mutange tentaria mais uma vitória para seguir em uma sequência fabulosa de invencibilidade diante do time da casa.

Na última vez em que as equipes se enfrentaram em Coruripe, o CSA venceu pelo placar de 1x0 com muita dificuldade. Algo dizia que naquela tarde de domingo não seria diferente do último embate entre Hulk x Azulão.



(Foto: Emerson Junior/Ascom-CSA)
O JOGO:

Nos primeiros minutos de jogo, o Azulão partiu pra cima do Hulk buscando o gole ele veio rapidamente.


(Foto: Emerson Junior/Ascom-CSA)
Aos três minutos da primeira etapa, após cobrança de escanteio feita por João Paulo pela esquerda, o zagueirão Douglas subiu e, de cabeça, abriu o placar para o time Azulino, 1x0 CSA. O Coruripe parecia não conseguir acreditar em um gol tão rápido e a equipe ficou atordoada. Minutos depois, o CSA continuou pressionando e atacando. Aos 6', João Paulo acertou a trave do Goleiro Gott.

O tempo passava e Coruripe já chegava ao ataque. Depois de colocar uma bola na trave, Júnior Chicão já mostrava que iria fazer a diferença no jogo e fez. Aos 31 minutos, o Coruripe empatou o placar com ele, que recebeu belo lançamento pelo lado esquerdo e encobriu ogGoleiro Jefferson, deixando tudo igual em 1x1.

"Atacante vive de gol e soube aproveitar a oportunidade. O time melhorou, entrou meio desatento. Vamos buscar o gol para sair com os três pontos", disse o
 atacante Júnior Chicão no intervalo da partida.

O segundo tempo foi marcado por várias substituições das equipes. O jogo caiu de ritmo, mas aos poucos os times voltavam a atacar e criar oportunidades de gol no Estádio Gerson Amaral. 
A partida era movimentada, o CSA tentava imprimir velocidade em suas jogadas, complicando as ações de defesa do Coruripe. Em mais uma investida, aos 16 minutos, bola na área, bate-rebate, a zaga do “Hulk” não afastou e Soares de voleio colocou os visitantes novamente na frente. Festa da Torcida Azulina.


CSA vence o Coruripe no Gerson Amaral (Foto: Emerson Junior/Ascom-CSA)
Com o jogo faltoso, as chances de gol passaram a diminuir. Os times pareciam dosar forças para a reta final da partida, mas o Coruripe acabou se prejudicando. Ivan, que entrou no segundo tempo, cometeu várias faltas, levando amarelo e sendo expulso.

Com um a mais, o CSA voltou a crescer no jogo, mas não se expôs e administrou o resultado. Apesar dos quatro minutos de acréscimos, o time marujo manteve o resultado fora de casa. Final de jogo, Coruripe 1 x 2 CSA.


FICHA TÉCNICA
Campeonato Alagoano 2016 – HEXAGONAL – 2ª Rodada
Estádio Gerson Amaral – Coruripe, Alagoas
Coruripe 1 x 2 CSA

Árbitro: José Reinaldo Figueiredo
Assistentes: Esdras Mariano de Lima e Lennon Mccartney Farias
Coruripe: Gott; Robert (Thiago Lima), Thiago Papel, Willames José e Sadrak (Renato); Igor, Mazinho, Candinho e Aurélio(Ivan); Júnior Chicão e João Paulo. Técnico: Jaelson Marcelino
CSA: Jeferson; Choco, Leandro Souza, Douglas Marques e Rafinha; Jean Cléber, Panda, Didira (Kahuan)e João Paulo Penha (Hudson); Luís Soares e David Dener (Bismarck). Técnico: Oliveira Canindé
Cartões Amarelos: João Paulo, Ivan (Coruripe) –  Ivan Panda, Douglas Marques, David Dener, Kahuan (CSA)
Cartões Vermelhos: Ivan (Coruripe)
Gols: Junior Chicão 31min 1º (Coruripe) – Douglas 3min 1ºT e Soares 16min 2º T(CSA)
Lucas André || @luc4s_andre
Linha de Fundo || @SiteLF

Ceará empata com Fortaleza e se complica no Estadual


Hoje em dia o que vale um título estadual? Em minha avaliação, nada. Claro, existem estados que tem vários times que podem fazer um jogo interessante contra os maiores. Mas se tratando de Campeonato Cearense, a emoção fica por conta dos clássicos e nada mais. Ontem, apesar de mais um jogo fraco tecnicamente, era clássico e valia muito para o Ceará, que já estava complicado na competição por causa dele mesmo. Lisca, que nessa altura já deveria estar retornando à sua cidade natal, armou o time da mesma forma como o último clássico, no qual o presidente já tinha lhe chamado à atenção e exigido mudanças. Mas Lisca é doido o suficiente para entender como mudança somente a troca de jogadores?

Qualquer leigo no futebol sabe que quando se pede mudanças estamos falando de padrão tático, comportamento dentro do campo e etc. Até mesmo no FIFA, quando se perde um clássico a diretoria manda um e-mail solicitando a mudança de postura e incentivando a mudança do padrão tático. Mas Lisca entendeu errado a diretoria e os torcedores.

Ano passado, os torcedores apoiavam a formação tática de Lisca porque nossa defesa não passava confiança. Por isso, ele começou a utilizar três volantes (dois fixos e o Ricardinho que saia mais para o jogo) dando mais segurança na defesa. Porém, o ano virou, Ricardinho, que articulava toda a jogada do time, foi embora e, ao lado da incompetência de Pastana, Lisca montou o time que ai está. Ainda não chegamos na Série B 2016 e o Estadual serviria para testar variações táticas, mas ele é muito medroso para isso.

Rafael e Bill não rendem o que dá para render. A defesa começa a perder confiança porque não tem um minuto de sossego (quando a equipe começa a atacar, logo perde a bola fazendo com o que o time se recomponha o mais rápido possível); o meio, que deveria ser um dos fatores primordiais para as criações das jogadas, não cria. E os laterais que são inconstantes, a cada três jogos, eles são regulares em um.

Chegar à final do "manjadinho" só é importante para a participação da Copa do Nordeste do outro ano, pelo menos é assim que eu vejo a competição estadual. Hoje, para realizar esse feito, o Ceará precisa de algumas combinações de resultado: Precisa vencer e torcer que o Maranguape arranque um empate contra o Guarany. Caso contrário, dependerá de seu rival, que já está classificado para as semifinais, vencer as duas contra o GuaraJU.

Melhores Momentos:


Mudanças precisam ocorrer em Porangabuçu. O presidente terá que escolher se ficará do lado da torcida, demitindo Lisca, ou se ficará do lado do Lisca, contrariando a torcida. Os dois não dão. O próximo confronto é pela Copa do Nordeste, quando o Ceará vai até Pernambuco enfrentar o Santa Cruz.

Um novo começo para o futebol americano nacional

Foto: Reprodução/Facebook
O ano de 2016 pode ser considerado um dos mais importantes na história do futebol americano nacional. Depois de anos de um calendário confuso, desorganizado e que não trazia a evolução do esporte ao país, finalmente o Brasil contará com o Campeonato Brasileiro de Futebol Americano devidamente coordenado pela Confederação Brasileira de FA.

Parecia um universo distante, mas, ao que tudo indica, depois de anos de luta o football brasileiro conseguirá andar para frente. Com o fim do Torneio Touchdown, que era uma das principais competições do calendário, os clubes se uniram em busca de uma alternativa que realmente fosse ajudar.

É fato que existem muitas dificuldades em fazer times deixarem seus interesses de fora pelo bem comum. Entretanto, foi exatamente isso que os trinta e dois clubes, juntamente com a Confederação Brasileira, fizeram e sacramentaram com a frase "Nós resolvemos deixar nossas diferenças de lado e resolvemos caminhar juntos em torno do mesmo ideal". No dia 17 de março foi oficialmente anunciado a criação de uma Liga única, o ponto de partida para o crescimento nacional de um dos esportes mais vistos no mundo.
Nota oficial da CBFA
A principal mudança que essa unificação traz é que agora o esporte pode finalmente seguir os passos que os norte-americanos trilharam. Quando nasceu, a NFL também cresceu lentamente e, a partir de uma junção de interesses, conseguiu dar um salto até onde está agora. Nós precisamos tirar o melhor dessa experiência e trazer para cá.

Agora começa uma nova etapa, quando os times, com disputa parecida com o campeonato norte-americano, brigaram pelo título brasileiro. Com tantos apaixonados pelo país, o football poderá crescer cada vez mais, arrastar multidões para cada jogo e finalmente sair do lugar. Esperamos que, com essa iniciativa, o promissor esporte possa ter um futuro brilhante.

Mariana Sá || @imastargirl 

Lobo volta a vencer e se classifica

Betinho comemorando seu segundo gol (Foto: Fernando Torres/ASCOM Paysandu)
Na noite de ontem (27), o Paysandu enfrentou o Fast Club no segundo jogo da primeira fase da Copa Verde. E, depois uma série de empates (em jogos oficiais), o clube finalmente voltou a vencer.

O JOGO

Rodrigo Andrade comemorando o seu primeiro gol como profissional (Foto: Fernando Torres/ASCOM Paysandu)
Não demorou muito tempo para o Paysandu abrir o placar. Aos 9', Betinho recebeu de Paulinho e livre na pequena área não desperdiçou, Bruno Saúl não conseguiu alcançar e o centroavante alviazul abriu o placar. O Fast não assustava e pouco conseguia chegar. O clube da casa se aproveitou dos espaços e novamente marcou aos 32', quando Raphael Luz deixou a bola para Lucas, o volante-lateral cruzou, a bola passou por todo mundo até que chegou em Rodrigo Andrade, ele dominou no peito e bateu por baixo do goleiro, ampliando o placar na Curuzu.

Ainda deu tempo de fazer o terceiro, quando Velber cobrou falta com maestria na cabeça de Betinho, que fez o terceiro da partida. No decorrer do primeiro tempo, Dado foi obrigado a gastar todas as suas substituições por conta de lesão, os três jogadores substituídos saíram de machucados.

(Foto: Fernando Torres/ASCOM Paysandu)
No segundo tempo o Paysandu deu uma "relaxada". Estava com jogador a mais, mas tentava não se desgastar, afinal, não havia como ninguém ser substituído. O clube tentou algumas vezes com Bruno Veiga, mas o mesmo atrapalhava as jogadas por não querer tocar. A marcação cerrada no atacante Jackie Chan continuou e dificultou as chances do Fast. No finalzinho, Betinho apareceu em boa chance, ficando cara a cara com o goleiro fastiano, Bruno Saul puxou a bola e o atacante acabou caindo, mas levantou e tentou novamente, arrancando aplausos da torcida. Aos 39' a bola sobrou para Bruno Smith, que dentro da área não soube acertar a perna e mandou um chute ruim. E o jogo acabou assim Paysandu classificado com 3 e Fast Club com 0.

Palavra da colunista: Começaremos então pelos elogios, já que, independente do time adversário ter um nível técnico baixo e termos jogado com jogador a mais, há muito que se falar. Vamos aos que entraram: Rodrigo Andrade, vulgo Pelézinho, estreou hoje e se saiu bem demais, bem defensiva e ofensivamente, ainda marcou um gol para coroar sua partida. Além dele, menção honrosa a Velber, o risadinha entrou em campo contra um time - praticamente - de sub20 e jogou como um garoto, deu uma assistência e quase deixou o dele, foi cansar só no final no jogo, mas não deixou de tentar criar jogadas.

Bruno Smith foi "mais ou menos", errou, mas fez o papel dele, tentou o gol, foi "normal". Betinho havia dito no último jogo que era absurdo empatar com um time desse, hoje fez dois gols e mostrou o que estava falando, além disso, o jogador se saiu bem, não só pelos gols, correu atrás, demonstrou vontade, o "racha elenco", como alguns chamam, mostrou que está bem longe de ser isso, comemorou o gol com titulares e reservas e com o jogador que disputa posição com ele, Leandro Cearense.

É sempre bom fazer menção para o nosso volante-lateral, Lucas, o jogador tem se esforçado muito para atuar numa posição que não é a dele e ainda tem se saído bem. Lombardi não prejudicou. Pablo "xerifão". E Emerson nem foi exigido. Roniery apareceu pouco na partida, não foi mal, pois as jogadas pouco foram feitas pela lateral. Bruno Veiga, ou melhor, Delegado Veiga, teve mais uma partida de baixo nível, queria tentar fazer o seu para se consagrar, mas acabava deixando de dar passes que poderiam resultar em gol, foi fraco, muito abaixo do que se espera, ainda falta muito para lembrar o jogador que já foi aqui.

Gols:


Próximo jogo: Na próxima quarta (30), às 20h30, contra o Cametá.

FICHA TÉCNICA:

Paysandu: Emerson; Roniery, Fernando Lombardi, Pablo e Lucas; Ricardo Capanema, Paulinho (Rodrigo Andrade), Raphael Luz (Velber) e Celsinho (Bruno Smith); Bruno Veiga e Betinho

Fast Club: Bruno Saul; Ricardo (Renê), Serginho, Thiago e Iton; Lima, Ediglê, Yan (Peteca) e Robson (Werley); Jack Chan e Claílson

Árbitro: Paulo Henrique Vollkopf
Cartões amarelos: (FAST) Clailson (PSC) Lombardi, Bruno Smith e Bruno Veiga.
Cartão vermelho: (FAST) Clailson.
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana