A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

quarta-feira, 30 de março de 2016

Botafogo derrota Volta Redonda e sobe no Carioca

Visando se recuperar da primeira derrota sofrida na temporada, o Botafogo recebeu o Volta Redonda, na noite desta quarta-feira (30), em São Januário. E voltou a vencer. Com gols de Rodrigo Lindoso e Joel Carli, o Glorioso chegou a 7 pontos na Taça Guanabara e ocupa a 3ª posição na tabela. Agora, o Alvinegro se concentra para o próximo jogo, sábado, diante do Flamengo, às 16h. 

O JOGO

O Botafogo foi melhor no primeiro tempo. A iniciativa partiu do Alvinegro, que chamava o Volta Redonda para o seu campo de defesa. Logo nos primeiros minutos, o Glorioso já havia armado dois contra-ataques perigosos e aos cinco minutos, como consequência desse bom início, teve um pênalti a seu favor. Ribamar caiu na área em disputa com o zagueiro Luiz Gustavo. Rodrigo Lindoso cobrou e fez o gol. Botafogo 1 a 0. 


Lindoso comemora seu primeiro gol com a camisa do Botafogo (Foto: André Durão)
Após abrir o placar, o Botafogo continuava jogando com tranquilidade, dominando as ações da partida. Aos 18 minutos, Salgueiro, de calcanhar tocou para Ribamar, que caiu na entrada da área. A falta, que aconteceu, foi ignorada pela arbitragem. Aos 26 minutos, Rodrigo Lindoso roubou a bola e Ribamar arriscou de fora da área, o goleiro Mota defendeu. Aos 29 minutos, Fernandes deu belo lançamento para Salgueiro, livre na área. O uruguaio errou na hora de dominar e desperdiçou o que seria um golaço. 

O Volta Redonda acordou e cresceu no jogo. Aos 31 minutos, Tiago Amaral chutou de fora da área. Jefferson defendeu. No minuto seguinte, foi a vez de Marcelo arriscar de longe. Jefferson mais uma vez defendeu, mas dessa vez soltou. Por sorte, a defesa botafoguense afastou. Aos 33 minutos, Ribamar invadiu a área e chutou forte. Mota mais uma vez defendeu. Aos 41 minutos, mais pressão do Volta Redonda. Também de fora da área foi a vez de Niltinho arriscar. A bola foi para fora. Instantes depois, mais precisamente aos 42 minutos, o Botafogo teve a chance de ampliar o placar, Salgueiro lançou Diogo Barbosa, que tocou rasteiro para Gervasio Nuñez. O argentino parou, dominou, pensou e isolou a bola. Aos 44 minutos, Salgueiro, participativo no jogo, pegou sobra na entrada da área e bateu colocado. A bola raspou a trave. Aos 47 minutos, o primeiro tempo chegou ao fim. 

O segundo tempo começou diferente. O Volta Redonda era superior. No primeiro minuto, Niltinho bateu colocado na entrada da área, Jefferson fez grande defesa. O Botafogo cansou, diminuiu o ritmo e passou a ter muitas dificuldades para criar jogadas. Somente aos 13 minutos que o Glorioso conseguiu levar perigo. Fernandes soltou uma bomba de fora da área que passou bem perto do gol. Aos 18 minutos, Ricardo Gomes resolveu mexer no time. Tirou Salgueiro, o melhor do jogo e colocou Neilton. O atacante, aos 21 minutos, participou de lance curioso, 'Yaca' chutou de fora da área e o goleiro Mota espalmou para frente, no rebote. Neilton perdeu um gol feito. Para a sorte dele, a arbitragem já havia marcado impedimento. Aos 27', Ricardo Gomes realizou outra alteração. Gervasio Nuñez foi substituído por Gegê. Aos 30 minutos, Ribamar bateu de primeira. A bola explodiu em Mailson, que evitou o gol. No minuto seguinte, o Botafogo enfim ampliou. Gegê cobrou falta na medida e Joel Carli, de cabeça, livre, fez o gol. 


Festa dos jogadores no gol de Joel Carli (Foto: Vitor Silva/ SS Press/ Botafogo)
Aos 39 minutos, terceira e última alteração no Botafogo. Lucas Zen no lugar de Bruno Silva. O Glorioso apenas administrava o jogo, deixando o tempo passar. Aos 47', fim de jogo. Botafogo 2 a 0. 

OBSERVAÇÕES

Salgueiro jogou bem diante do Vasco, no último domingo. Hoje, idem. Aos poucos vai se soltando. Atualmente, é peça fundamental. Não entendi a saída no jogo. Espero que o Ricardo Gomes esteja poupando o uruguaio visando o clássico. 

Ainda vencendo por 1 a 0, o Botafogo estava se complicando no jogo. Foi só o perseguido Gegê entrar em campo para a situação mudar. Gostando ou não, Gegê hoje é peça importante para o time. Faz um ótimo início de temporada. 

Em 2016, Lucas Zen ainda veste a camisa do Botafogo. Deus me livre! 

FICHA DO JOGO

Botafogo 2
Jefferson, Diego, Joel Carli, Renan Fonseca, Diogo Barbosa; Rodrigo Lindoso, Fernandes, Bruno Silva (Lucas Zen), Gervasio Nuñez (Gegê); Salgueiro (Neilton), Ribamar. Técnico: Ricardo Gomes.  

Volta Redonda 0
Mota, Luiz Gustavo, Luan, Mailson, Cristiano (Lopes); Bruno Barra, Marcelo, Vinícius Pacheco (Rafael Pernão); Tiago Amaral, Niltinho, Hugo (Dija Baiano). Técnico: Felipe Surian. 

Estádio: São Januário (RJ). 
Árbitro: Carlos Eduardo Nunes (RJ). 
Assistentes: Francisco Pereira de Sousa (RJ) e João Luiz Coelho Albuquerque (RJ). 
Gols: Rodrigo Lindoso (6' do 1º T), Joel Carli (31' do 2º T). 
Cartão amarelo: Fernandes (Botafogo).  
Público: 1.043. 
Renda: R$ 13.250,00. 

Por: Gabriel De Luca (@biel_dluca).  

Rubrão vacila em casa e se aproxima do rebaixamento

Oeste perdeu a chance hoje de tentar se livrar logo dessa situação desconfortável, o time até jogou bem no primeiro tempo, teve várias chances, abriu o placar aos 18 minutos de cabeça com Cristiano encobrindo o goleiro, mas após o gol, o Oeste recuou muito, sendo assim o time do Osasco Audax teve mais chances de ataque, algumas chances foram defendidas pelo goleiro Leandro Santos do Oeste. E em uma boa cobrança de falta, por pouco o time de Osasco não empata,  a bola bateu na trave.

O Segundo tempo foi mais equilibrado, tiveram muitas chances para os dois lados, mesmo o Audax tendo mais posse de bola. O Rubrão teve a maioria das chances de ampliar o placar e matar o jogo, mas infelizmente não soube aproveitar, desperdiçando oportunidades vitais. A velha máxima do futebol apareceu nessa noite, o velho ditado "quem não faz, leva" aconteceu novamente com o Oeste. Rodolfo soube aproveitar a oportunidade e acabou empatando a partida em 1 a 1.


Foto: Césare Boralli
O Rubrão tentava, mais faltava mais pontaria, faltava precisão. Muitas chances eram desperdiçadas, era muito impressionante como o Oeste perdia gols, o torcedor já estava aflito esperando a reação do rubro-negro, porém recebeu um balde de água fria. Rodolfo vira o jogo para o Audax aos 44 minutos do segundo tempo, se não bastasse isso, Juninho ampliou para o time visitante um minuto depois, decretando a vitória para a audaciosa equipe do Osasco Audax.

O que se viu na equipe do Oeste nesse campeonato é a falta de espírito, falta de amor à camisa, pouca vontade. A atuação foi muito apagada de todo o time, a única palavra que se pode dizer sobre o time neste momento, é vergonha. É triste, repudiante ver nosso Rubrão passar por isso. O Oeste agora luta por um milagre pra escapar da zona rebaixamento, precisa vencer de qualquer jeito o São Paulo, no Estádio do Morumbi, no sábado, às 18h30. Somente a vitória que interessa, empate rebaixa o time para a segunda divisão do futebol Paulista. E além de ter que vencer essas duas últimas rodadas, o time ainda precisa de algumas combinações de resultados para escapar da degola.


Ficha Técnica:

Oeste 1x3 Osasco Audax

Oeste: Leandro Santos; Matheus Salustiano e Fernandinho; Betinho, Elivelton e Marcelinho Paraíba (Renan Mota); Mazinho (Renato Kayser), Cristiano (Danielzinho) e Maurinho. Técnico: Renan Freitas

Osasco Audax: Sidão; Velicka, Bruno Silva (Bruno Lima), Yuri (Erick Luis) e André Castro; Camacho, Tchê Tchê, Juninho e Mike; Ytalo e Bruno Paulo (Rodolfo). Técnico: Fernando Diniz

Gols: Cristiano aos 18' para o Oeste do primeiro tempo, Rodolfo aos 21', Juninho aos 44' e Rodolfo aos 45' do segundo tempo para o Osasco Audax.

Cartões Amarelos: Danielzinho (Oeste)

Local: Estádio dos Amaros, Itápolis-SP

Césare Boralli || @cesareboralli
Linha de Fundo || @SiteLF

Corinthians Audax perde sua invencibilidade e assume a lanterna

Demorou, mas ela veio: a derrota. O Corinthians Audax tinha a obrigação de vencer o São José, já que o Flamengo venceu o Iranduba e assumiu a ponta do Grupo 2.

Foto: Globo.com
O Timão foi superior no primeiro tempo, fez seu papel e foi para cima, mas não abriu o marcador. Vivi, goleira adversária, fez excelente partida sendo um paredão. Não demorou muito e o Águia do Vale abriu o placar no começo da etapa complementar, quando Ludmila anotou em lance de bola parada. Foi ela também a autora do segundo gol. Fran, que sempre faz jogos fantásticos, perdeu uma cobrança de pênalti.

O placar de 2x0 coloca o Corinthians Audax na lanterna com apenas um ponto. Na próxima partida, o Timão irá enfrentar o líder Flamengo/Marinha. O jogo será na quarta-feira (6), dentro do José Liberatti, às 17 horas. O São José joga contra o Iranduba na terça-feira (5) às 16h30.

Só a vitória importa para o Corinthians Audax.

Isabela Macedo || @ismacedo_
Linha de Fundo || @SiteLF

Paraguai vacila novamente e passará seis meses "fora" da Rússia

Depois do empate em 2x2 contra o Equador fora de casa, quando os equatorianos empataram aos 47 minutos do segundo tempo, o Paraguai teve cinco dias para se preparar pro confronto contra o Brasil, em Assunção. O time, que teve altos e baixos na última quinta-feira, buscava uma consistência melhor, além tentar ter mais a posse de bola.

A seleção Albirroja queria aproveitar a força de seu alçapão para assustar os brasileiros e também tentaram usar a seu favor o desfalque de Neymar, principal jogador canarinho e atual artilheiro do Brasil.


Seleção Paraguaia pronta para enfrentar o Brasil
Foto: Divulgação/ Twitter @Albirroja
Para o jogo, o técnico Ramon Diáz fez três alterações: Deslocou o zagueiro e capitão Paulo da Silva para a lateral direita e promoveu Paulo Aguilar no seu lugar; Também houve troca de volantes, colocando Richard Ortiz no lugar de Celso Ortiz. Mantendo a opção tática no 4-4-2, o comandante queria que seus jogadores investissem na bola aérea.


Momento do hino, com o Defensores del Chaco lotado
Foto: Divulgação/ Twitter @Albirroja
Logo no início da partida, Ramon Diáz se viu obrigado a fazer a primeira substituição, colocando Roque Santa Cruz no lugar de Jorge Benitéz, que sentiu após se chocar com Filipe Luis. A primeira boa chance paraguaia foi aos 17 minutos em cobrança de falta. O goleiro Alisson defendeu cabeçada de Ortiz, a bola acabou batendo na trave e, no rebote, Gomez chutou em cima de Daniel Alves.

O Paraguai não se intimidou e dois minutos depois, em bela jogada de Benitez, Aguilar e Gomez, o goleiro brasileiro acabou defendendo no reflexo um chute da pequena área. A seleção da casa dominava por completo o jogo, mas pecava na marcação, dando espaço para o Brasil, que chegou a botar a bola no travessão. O bom jogo paraguaio só surtiu efeito aos 40 minutos, quando Lezcano aproveitou a deixada de Santa Cruz e estufou a rede do Brasil.


Seleção fazendo última conversa antes da partida
Foto: Divulgação/ Twitter @Albirroja
Nem deu tempo do Brasil ensaiar uma reação no segundo tempo e, aos 3 minutos, o Paraguai chegou novamente ao gol com Benitez, que aproveitou a falha defensiva em uma bola sem marcação brasileira pra ampliar. O gol deixou os Albirrojos mais tranquilos e eles conseguiram controlar o jogo sem dificuldades.

O Brasil, nervoso, não conseguia chegar com perigo e, quando chegou, Gil cabeceou pro gol, mas foi anulado pela marcação de falta no lance. Mas, como no jogo diante do Equador, o Paraguai começou a relaxar no jogo, permitindo o adversário a pressioná-los. A recuada paraguaia animou a equipe brasileira, que chegou ao gol com Ricardo Oliveira, aos 32 minutos.

O gol animou o time visitante, que partiu pra cima dos donos da casa muito recuados. A pressão brasileira surtiu efeito aos 46 minutos, quando Daniel Alves recebeu sozinho na área, driblou a defesa e chutou no canto de Villar para empatar a partida. Um banho de água fria para o Paraguai e seu técnico, que não queria acreditar que o seu time repetiu o feito do confronto anterior. E, por muito pouco, o Brasil não virou o último lance, quando Jonas chutou para fora a chance da virada. Final de jogo, Paraguai 2x2 Brasil.


Comemoração do 2º gol paraguaio, gol de Benitéz(c)
Foto: Divulgação/ Twitter @Albirroja
O resultado do jogo foi horrível para o Paraguai. Jogando melhor durante 90% da partida, o time perdeu chances e recuou cedo de mais, igual fez contra o Equador, permitindo a reação brasileira. Foram quatro pontos jogados no lixo nos acréscimos e que podem fazer falta no final. Quatro pontos que dariam a vice liderança à equipe paraguaia e seis meses sem pressão.

Porém, ao invés de vice liderança, os Albirrojos caíram para a sétima colocação, fora inclusive da zona de repescagem. Serão seis meses sem Eliminatórias e de muita pressão pelos pontos perdidos. A chance de se redimir com a torcida por esses resultados será na Copa América Centenária em Julho. É uma boa oportunidade de recuperar a confiança, trazer a torcida para o seu lado e ir com tudo para os jogos diante de Chile e Uruguai.

Em caso de fracasso nos EUA, a chance do Paraguai conseguir voltar a jogar o Mundial reduzirá muito, já que a equipe estará com moral baixa e enfrentará duas seleções mais fortes e que vivem momento melhor. Mas, quem sabe, não rola uma zebra paraguaia?


Lezcano(c) comemorando o gol que abriu o placar
Foto: Divulgação/ Twitter @Albirroja

Frederico Kuhnen|
Linha de Fundo|

Argentina ao som de Messi

A Argentina vem jogando fora de casa e conseguindo ótimos placares, vencendo Colômbia e Chile, e demonstrou esse mesmo estilo em seus domínios. Foi um jogo muito importante para seguir na briga pela ponta da competição e ter tranquilidade nas Eliminatórias. Nesse tipo de competição, o que é mais necessário é ter resultados, a maneira e o estilo de jogo ficam em segundo plano.

Porém, o time argentino vem convencendo e muito em todas as suas últimas partidas. Contra o Chile, o time teve uma variação distinta, o jogo foi mais acirrado e os desfalques deram uma prejudicada na equipe. Entretanto, Messi inteligentemente recuou da sua posição e fez a criação em meio a um jogo ríspido que os chilenos estavam propostos a fazer.

Messi: 50 gols pela seleção e 499 pela carreira.
O jogo de ontem foi um tanto significativo também para outro jogador, já que Higuaín demonstrou a força que tem dentro da seleção. Ele está em um ótimo momento em seu time na Itália e vem trazendo essa boa qualidade técnica para a Argentina. Agüero, o titular da vaga, também vinha tendo ótimos partidas e uma sequência de gols, mas os jornais pediam a entrada de Higuaín. Felizmente essa competição pela posição vem trazendo ótimos frutos e Tatá Martino está com essa bomba nas mãos, mas o próprio técnico disse que os dois não podem jogar juntos e que somente o esforço deles vai mostrar que merece a titularidade.

O jogo contra a Bolívia foi extremamente fácil, já que a Argentina teve enorme tranquilidade para vencer. Messi dominou a partida, o que já está se tornando frequente na seleção. A batuta de Lionel comandou a orquestra, criou a jogada do primeiro gol, feito por Mercado, e anotou o segundo, em pênalti sofrido por Banega. Os dois gols saíram no primeiro tempo e o segundo só serviu para a seleção da casa controlar o resultado sem sustos.

A próxima partida será somente em setembro, contra o Uruguai. Até lá, a seleção contará com os retornos de Dybala, Lavezzi e do suspenso Funes Mori, além de aguardar a recuperação de Di Mária que saiu no primeiro tempo com dores musculares.

Ismael Schonardie|@Ismahsantos

O sonho fica mais distante para Venezuela

Mais uma vez a Venezuela vacilou, perdeu mais uma, desta vez para o Chile, que de goleada venceu por 4x1, e terá que fazer milagre ser quiser ir à Copa na Rússia em 2018.


O Chile jogou melhor que a Venezuela e pressionou muito, já tentando conseguir o resultado. Porém, aos 10 minutos do primeiro tempo, Otero encobriu Herrera e fez um belo gol em cobrança de falta, deixando os visitantes atrás no placar.

Entretanto, os chilenos não se intimidaram com o golaço e partiram pra cima. Ainda na primeira etapa, aos 32', Pinilla acertou um belo cabeceio em cruzamento de Sanchez e empatou o jogo para o Chile. Com o placar igual, os dois times foram para o vestiário sabendo que precisavam marcar, mas a Venezuela esbarrou novamente nas deficiências de seu elenco.

No segundo tempo, o Chile continuou pressionando e, logo aos 7 minutos, Pinilla conseguiu marcar mais um, virando o placar da partida. Com a desvantagem e a clara inferioridade técnica, a Venezuela se viu cada mais mais encurralada e assistiu Vidal, aos 27', ampliar e fechar o caixão aos 46'.

Com o resultado, a Venezuela segue na última colocação e já começa a fazer contas para a improvável classificação no Mundial. Até setembro, quando a seleção volta a disputar as Eliminatórias, muito precisará mudar se o plano ainda for conquistar a vaga na Rússia.


Twitter: @Um_Carvoeiro || @SiteLF

O que esperar do Peru?


Após um empate tardio contra a Venezuela na última quinta-feira, o Peru entrou em campo sabendo que qualquer vacilo deixaria sua situação ainda mais complicada. Apesar disso, a seleção fez um jogo apático contra o desfalcado Uruguai e acabou saindo do Estádio Centenário com outra derrota na conta.

Foi mais uma partida em que o ataque chutou bolas ruins e perdeu muitas chances, e a defesa arriscou demais em lances simples. As principais peças não vêm mostrando serviço, o que tem atrapalhado e muito os planos peruanos. O trio chave, Guerrero, Farfán e Pizarro, não funcionou contra a Venezuela, já que o atacante do Flamengo só conseguiu marcar após a entrada de Ruidiaz.

Contra o Uruguai, Farfán ficou no banco e Ricardo Gareca nem fez questão de colocá-lo. Pizarro foi novamente substituído por Ruidiaz, mas dessa vez não surtiu efeito. Guerrero perdeu as melhores chances peruanas e sumiu no segundo tempo, já que a bola pouco chegava até ele. A partida pode ser resumida em falta de qualidade para aproveitar as deficiências uruguaias e desespero após o gol adversário, único momento que o Peru realmente dominou as ações, porém, novamente, por puro desespero pela derrota.

A próxima partida pelas Eliminatórias é só em Setembro, o que dá a Gareca tempo suficiente para reavaliar algumas escolhas. É fato que a safra peruana não está entre as melhores e que a classificação para a Copa do Mundo é muito improvável. Porém, não podemos esquecer que em Junho será disputada a edição especial da Copa América nos Estados Unidos, competição em que o Peru foi muito bem no último ano no Chile.

Com algumas mudanças, o fim da má fase de Guerrero, o melhor aproveitamento de Pizarro e Farfán e mais variações táticas, é possível reencontrar aquele Peru que surpreendeu no Chile e quase eliminou a seleção da casa na semifinal, terminando a competição em terceiro.

Mariana Sá || @imastargirl 

Após tratar de lesão no Brasil, zagueiro Ozéia retorna para o futebol asiático

Disputando a Liga do Bahrain pelo Busaiteen Club, o zagueiro Ozéia passou 30 dias na cidade de Chapecó, em Santa Catarina, para tratar de uma lesão no tornozelo esquerdo. Recuperado, o atleta de 34 anos, retornou nesta semana para a Ásia e agora foca em busca de mais um título na carreira.

"Felizmente consegui a liberação para tratar a lesão no Brasil com os profissionais que eu confio e agora retorno 100% para ajudar o time na competição", afirma o zagueiro. Gaúcho de Nonoai, o atleta ainda aproveitou para matar a saudade da família e acompanhar os primeiros dias do segundo filho: "Por uma coincidência boa, meu segundo filho nasceu um pouco antes de eu ir para o Brasil e assim eu consegui estar presente nos primeiros dias dele. Minha esposa e os dois filhos permanecem no Brasil por enquanto, mas deu para dar uma renovada na energia passando uns dias com eles".

Pela Liga do Bahrain, o Busaiteen Club é o quarto colocado com 16 pontos e enfrenta na próxima rodada o Al Hala, no dia 05 de abril. O técnico Khlifa Al-Zayani poderá contar novamente com o defensor brasileiro: "Desde que retornei, tenho treinado normalmente sem sentir dores. Espero estar dentro de campo para ajudar meus companheiros a conquistar mais uma vitória na competição. O time tem oscilado um pouco, mas estou confiante na recuperação e quero finalizar esta temporada com mais um título".

Ao longo da carreira, Ozéia já conquistou alguns títulos como o Campeonato Gaúcho pelo Grêmio em 2010, foi campeão da Série B pelo Coritiba, Campeão da Crown Prince Cup na Arábia Saudita, pelo Al Hilal, também esteve nas finais da Taça de Portugal, Super Copa de Portugal e Taça da Liga de Portugal pelo Paços Ferreira, Além de conquistar o acesso para a Série A do Campeonato Brasileiro pelo Avaí, Coritiba e Criciúma.

Foto: Arquivo Pessoal

Cavani acerta chute certeiro no Peru

Nesta terça-feira (29), o Uruguai venceu o Peru por 1 a 0. Com gol de Cavani aos sete minutos do segundo tempo, a Celeste assumiu a primeira colocação das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018. Após um hiato de quase cinco meses, a seleção uruguaia enfrentará a seleção argentina, no dia 2 de setembro, fora de casa.

Foto: AFP
Assim como no último jogo, diante o Brasil, o Uruguai melhorou na segunda etapa da partida. O início foi marcado por uma necessidade e busca insana pelo atacante do Barcelona Luís Suárez. Como o uruguaio estava sendo muito bem marcado pelos peruanos, as jogadas ofensivas não eram produtivas ao ataque celeste.

No entanto, o meia Carlos Sánchez tentou desenvolver mais lances pela direita do campo, a partir desta inversão, algumas oportunidades de abrir o placar surgiram. Como aos 31 minutos, quando o lateral Álvaro Pereira cruzou e a bola desviada pelo peruano Cristian Ramos acertou o travessão e levantou à todos. Foi a melhor chance do primeiro tempo.

Em Montevidéu, em casa, o atacante Edinson Cavani ia até o meio de campo buscar a bola, pois os lances de jogo eram pobres e as duas seleções pouco ameaçavam. A etapa final trouxe mais emoções e qualidade ao time uruguaio que só era melhor antes devido a força de vontade dos jogadores. Logo após a parada do intervalo, o Uruguai abriu o placar em bela tabela da sua dupla de ataque.

De Suárez, para Cavani, para o gol. O atacante do Barça enfiou uma bola de três dedos entre os zagueiros peruanos, ali estava Cavani que ao receber a bola encheu seu pé esquerdo e fuzilou para o gol. Um chute forte, na veia, seco, sem defesa para o goleiro Gallese. Depois do gol a Celeste ainda era melhor em campo, o goleiro Muslera foi acionado e fazia boas defesas, porém o rendimento dos outros jogadores uruguaios caiu muito e o jogo se aproximava da qualidade técnica e tática do primeiro tempo.

A vitória no estádio Centenário, nessa sexta rodada, deixou o Uruguai empatado com Equador por 13 pontos, mais os uruguaios levam vantagem no critério de desempate e assumem a liderança do grupo sul-americano das Eliminatórias. O próximo confronto será o clássico com a Argentina que está na terceira colocação e o atacante Suárez que passou em branco neste jogo, tentará marcar para se igualar ao argentino Hernán Crespo, maior artilheiro da competição.

Com carinho, Cássia Moura (@cassinha_moura)

Aquecimento Olímpico: Hóquei na Grama

Adivinhe qual esporte que tem 11 jogadores, gramado e uma bola. Se chutou futebol, errou. Este é o Hóquei sobre Grama em que os atletas conduzem, passam e finalizam todas as jogadas apenas com um taco, e o único atleta que pode encostar com o corpo na bola é o goleiro. Para o gol ser válido, ele deve ser marcado dentro da área.

Foto: portalesportenet.com
Lá vem história...

Há indícios de que a prática de utilizar tacos e correr atrás de uma bola já fosse comum entre os egípcios da antiga civilização. Etíopes, gregos, romanos e astecas também já faziam isso há milhares de anos. No entanto, embora haja esse histórico tão antigo, o hóquei sobre a grama como conhecemos e como é praticado hoje, só começou a ser formulado no século XVIII, na Inglaterra. Não existe um criador específico, o que se sabe é que no ano de 1875, as primeiras equipes já tinham sido formadas na Inglaterra e, nesse mesmo ano, surgiram às primeiras regras. A primeira partida considerada oficialmente internacional de hóquei sobre a grama foi praticada no ano de 1890, entre duas equipes universitárias: uma de Oxford e outra de Cambridge.

Esse esporte foi levado pelos ingleses para a região da Índia e do Paquistão, tornando-se muito importante nesses dois países. Inclusive, ressalte-se que o Paquistão ganhou doze medalhas em sua trajetória nas Olimpíadas. Dessas, dez vieram do hóquei.

Em 1908, o hóquei sobre a grama se tornou oficialmente um esporte olímpico. Desde então, ficou fora da grande competição apenas duas vezes, em 1912 (Estolcomo) e 1924 (Paris). Na Olimpíada de Moscou, em 1980, a modalidade ganhou uma versão feminina.

RIO 2016

Todos os continentes já conquistaram medalhas olímpicas, a Argentina é a representante da América do Sul nesta pesquisa. Nos jogos da Olimpíada do Rio, o tempo será dividido em quatro períodos de 15 minutos. No Evento-Teste, AqueceRio, a seleção masculina brasileira ficou em primeiro lugar e a feminina na quarta posição, porém as meninas não atingiram o índice exigido pela Federação Internacional de Hockey (FIH) e não conseguiram patrocínios para participarem dos Jogos de 2016.

Com a conquista do quarto lugar no Pan-Americano de Toronto, em 2015, a seleção masculina alcançou o índice exigido pela FIH para classificar-se como país sede dos Jogos Olímpicos. Como preparação, o time brasileiro passa uma temporada na Argentina para treinos. São 12 equipes de cada gênero, dessas, as duas primeiras avançam para a semifinal até a final olímpica.

Os países que estarão no Rio de Janeiro, em agosto, já estão decididos.  Os classificados masculinos são: Brasil, Alemanha, Argentina, Holanda, Austrália, Bélgica, Grã-Bretanha, Irlanda, Índia, Canadá, Espanha e Nova Zelândia. As vagas para disputa feminina estão preenchidas por: Coreia do Sul, Grã-Bretanha, China, Alemanha, Holanda, Austrália, Nova Zelândia, Argentina, Estados Unidos, Índia, Japão e Espanha.

Local de competição: Centro Olímpico de Hóquei

A Arena Olímpica está atendendo os requisitos e exigências da FIH e passa por adaptação para os Jogos de agosto. Utilizada no Pan-Americano de 2007, o Centro Olímpico foi mantido como local de treinamento da modalidade. Com 11 esportes olímpicos e quatro paraolímpicos, Deodoro desenvolveu uma boa infra-estrutura e se tornou um centro comercial e de lazer da Zona Oeste.

Foto: Espn.com
As duas quadras para os jogos de Hóquei são compostas com grama sintética, que traz mais velocidade à partida, foram elogiadas no Evento-Teste. A quadra principal tem capacidade para dez mil pessoas e a quadra secundária para cinco mil espectadores.

Ismael Schönardie | @Ismahsantos
Cássia Moura | @cassinha_moura


←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana