A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

sábado, 2 de abril de 2016

Em jogo complicado, Oeste perde de virada no Morumbi e é rebaixado

Na reestréia do Morumbi, Rubrão perde de virada e volta para a Série A2.


O Oeste perdeu mais uma partida, desta vez para o Tricolor do Morumbi, pra variar de virada, como foi no jogo passado, quando foi derrotado por 3 a 1 em casa pelo Osasco Audax.

O jogo começou truncado e teve chances para os dois lados. Ambos tentavam, mas acabavam não concluindo no gol, a bola acabava saindo, o goleiro defendendo, entre outros. A primeira boa chance do Oeste foi aos 5 minutos do primeiro tempo com Mazinho, que fez boa arrancada, mas chutou fraco e sem dificuldade para o goleiro adversário fazer a defesa.

Depois disso, o São Paulo mandou no jogo e teve chances claríssimas de gol, que foram desperdiçadas. O Tricolor queria marcar logo e pressionava, enquanto o Oeste jogava fechado até resolver surpreender. Mazinho descolou lindo passe para Fernandinho, que cruzou rasteiro, a bola passou pela zaga do adversário e Cristiano escorou para o gol, abrindo o placar aos 43 minutos do primeiro tempo.

Logo após o gol do Oeste, o São Paulo teve chance de empatar o jogo após cruzamento rasteiro na pequena área, Leandro Santos saiu mal e soltou a bola no pé de Calleri. O argentino chutou e a zaga do rubro-negra salvou duas vezes.

Esse resultado era muito importante e deixava o Oeste vivo na luta contra o rebaixamento. O Rubrão teve chances de fazer o segundo, mas desperdiçou. Por pouco o Fernandinho, lateral rubro-negro, não deu uma de Robinho, jogador do Palmeiras, quando tentou encobrir o goleiro que estava adiantado, mas, pra infelicidade dele, o zagueiro do São Paulo conseguiu afastar.

Depois disso só deu Tricolor, tanto que, aos 10 minutos do segundo tempo, Hudson, que já teve passagem pelo Oeste, empatou para o São Paulo em um belo chute no ângulo, sem chances para Leandro Santos. Aos 14', o Rubrão até que tentou a virada, Maurinho testou de cabeça na grande área e marcou, mas o bandeirinha assinalou posição irregular do atacante. O jogo continuava truncado e, aos 27', em uma jogada polêmica, o árbitro acabou marcando pênalti para o Tricolor. Maicon assumiu a responsabilidade de bater e perdeu, já que Leandro Santos conseguiu espalmar.

No final do jogo, o Rubrão até que teve boas chances aos 41' e 42' do segundo tempo, mas não foram concluídas em gols, o que causava mais desespero à equipe de Itápolis, que precisava de pelo menos um empate ou uma vitória. Acabou não dando nada certo, já que Maicon, que perdeu o pênalti no começo do segundo tempo, fez o gol da virada aos 45 minutos, resultado que rebaixou o Oeste para a Série A2 do futebol paulista.

Infelizmente fomos rebaixados, um time que foi do céu ao inferno neste campeonato. Resta a dúvida: Porque fomos rebaixados? Será que foi falta de planejamento? A culpa é de quem dessa vez? É triste ver nosso Oeste mais um ano brigando pra não ser rebaixado. Desta vez não teve mais salvação. Até quando isso? É que o torcedor oestino pergunta hoje.

Agora nos resta lutar pra permanecer na Série B, ano que vem disputar a A2 e tentar subir para o lugar de onde nunca devia ter saído que é a primeira divisão.

Já rebaixado, o Oeste volta a campo no próximo domingo (10), às 16h, diante da equipe do XV de Piracicaba, que também luta para fugir do rebaixamento.

EU TE AMO OESTE!

Césare Boralli || @cesareboralli
Linha de Fundo || @SiteLF

Quatro expulsões e um empate: Figueirense 1x1 Chapecoense

Na tarde deste sábado (02), o Figueirense recebeu no Orlando Scarpelli a equipe da Chapecoense em jogo decisivo pela sexta rodada do returno do Catarinense. Com show de aberrações do árbitro Célio Amorim e seus auxiliares, a partida terminou empatada em 1x1.



O início de partida foi fraco. O Figueirense tentava atacar, mas a Chapecoense marcava muito bem na saída de bola do alvinegro. O começo foi tão fraco que o primeiro lance de perigo fora somente aos 14 minutos e nem de tanto perigo foi. Bady cobrou escanteio e Bruno Alves cabeceou pra fora. Aos 18', Dudu cruzou pela direita do ataque e Bady bateu de primeira, gol do Figueirense e festa no Scarpelli. Aos 33', cruzamento para a área do Figueira, Thiego chega de carrinho e quase empata. Aos 37', a polêmica da partida. Gil caiu sozinho e o árbitro marcou falta, após a cobrança, a bola sobrou na esquerda para Ananias, ele chutou para o gol, Bruno Rangel - impedido - fez um corta-luz que atrapalhou Gatito e a bola foi para o fundo das redes. Gol irregular.

Na segunda etapa, aos 15 minutos, após expulsão de Gil, Bady bateu falta direto e a bola passou muito perto do gol de Danilo. Aos 17', o zagueiro Neto recebeu na área, bateu pro gol e assustou Gatito Fernández. Aos 21', Dudu cruzou para Rafael Moura que soltou a bomba, mas pela linha de fundo. Aos 28', Bady arriscou com perigo de longe e obrigou Danilo a fazer boa defesa. Depois disso, Willian Thiego, Silvinho e Rafael Moura foram expulsos, sendo os dois últimos por agressão. O Figueirense nos 10 minutos finais era só na base do "Deus nos acuda", "joga a bola pra frente e tenta a sorte". É claro que não iria dar certo.

Célio Amorim e seus auxiliares com certeza "contribuíram" para que o resultado da partida fosse esse. Todos concordamos. Porém não esqueçamos das alterações do técnico Vinícius Eutrópio. Ele tirou o volante Elicarlos, que é o marcador, pegador e um dos que melhor saída de bola tem. Nessa alteração, Eutrópio já matou o time por completo. A entrada de Dodô foi ridícula. Não está jogando nada e não merece. Dudu estava 'morto' em campo e ele tira Bady, o melhor do jogo.

Outro ponto importante é que, após ter feito o seu gol, o Figueirense abdicou totalmente de jogar. Chamou a Chapecoense para o seu campo e eles aproveitaram. Figueira só cresceu novamente nos 10 minutos finais, mas por incompetência, pois estava com dois jogadores a mais em campo. O Figueirense não conseguiu fazer seu gol e amarga agora esse empate. Concluindo: a arbitragem tem culpa sim. Mas Eutrópio não pode ser esquecido e temos que criticá-lo por suas alterações.

O Figueirense agora volta a campo no domingo (10), às 16h, no Scarpelli, contra o Avaí, no único Clássico de Santa Catarina. As chances de título para o Figueira são extremamente pequenas. Agora o campeonato é 'só' o clássico e se preparar para a Série A do Brasileirão.

Ficha Técnica - Figueirense 1x1 Chapecoense

Data: Sábado, 02 de abril de 2016
Horário: 16h (horário de Brasília)
Local: Estádio Orlando Scarpelli, Florianópolis, SC
Público e renda: 7.582 pagantes; 7.682 presentes; renda de R$ 106.258,00
Arbitragem: Célio Amorim (SC); Rosnei Hoffmann Scherer (SC); Thiago Americano Labes (SC)
Cartões amarelos: Dudu, Everton Santos (FIG); Lucas Gomes, Gil, Willian Thiego (CHA)
Cartões vermelhos: Rafael Moura (FIG); Gil, Willian Thiego e Silvinho (CHA)
Gols: Bady (FIG); Ananias (CHA)

Figueirense: Gatito, Leandro Silva, Jaime, Bruno Alves, Marquinhos Pedroso; Elicarlos (Dodô), Ferrugem, Bady (Michael Ortega); Everton Santos (Gustavo Ermel), Dudu, Rafael Moura | Técnico: Vinícius Eutrópio

Chapecoense: Danilo, Gimenez, Neto, Willian Thiego, Dener; Gil, Cleber Santana, Lucas Gomes; Ananias (Silvinho), Maranhão (Moisés), Bruno Rangel (Kempes) | Técnico: Guto Ferreira

Patrick Silva | @figueiradepre

Em jogo disputado, Botafogo e Flamengo não saem do empate

Diante de bom público, Botafogo e Flamengo enfrentaram-se na tarde deste sábado (2), em Juiz de Fora, em clássico válido pela 5ª rodada da Taça Guanabara. A partida, bem disputada, terminou empatada em 2 a 2. O próximo desafio do Glorioso será na terça-feira (5), quando estreia na Copa do Brasil. O adversário será o Coruripe (AL). Pelo Carioca, o Alvinegro, terceiro colocado com 8 pontos, entrará em campo somente no próximo domingo (10) para enfrentar o Bangu.


A partida foi bem disputada (Foto: Vitor Silva/ SS Press/ Botafogo)
O Flamengo começou melhor, já pressionando. Aos 5 minutos, após cobrança de escanteio, Wallace cabeceou sozinho e assustou. No lance seguinte, em outra cobrança de escanteio, Ederson subiu bem e cabeceou para baixo. Jefferson fez uma defesaça e, na sequência, Joel Carli afastou. Aos 7 minutos, Airton caiu no gramado com dores na coxa e foi substituído por Fernandes. Aos 9', foi a vez do Botafogo assustar. Salgueiro lançou Ribamar em velocidade, que invadiu a área e, na hora de finalizar, acertou a zaga. No rebote, Salgueiro arriscou mas mandou a bola para fora. Boa chegada do Glorioso. Aos 13 minutos, o Botafogo abriu o placar. Salgueiro levantou na área e Paulo Victor falhou. A bola sobrou para Joel Carli, que de primeira, empurrou para o fundo da rede. Glorioso 1 a 0. 


                     Joel Carli comemora primeiro gol do jogo (Foto: Vitor Silva/ SS Press/ Botafogo)

Aos 16', o Flamengo teve boa chance para empatar. Em cobrança de falta perigosa, Alan Patrick bateu e mandou a bola no canto. Jefferson buscou e evitou o gol. Outra defesaça. Aos 24', Renan Fonseca falhou feio. O zagueiro recuou muito mal e Guerrero, livre, ficou com a bola. O melhor goleiro do Brasil, no entanto, abafou e evitou o gol. Aos 31', o Flamengo enfim conseguiu o empate. Rodrigo Lindoso afastou e Alan Patrick aproveitou a sobra. O meia dominou e, de fora da área, marcou um golaço. Jefferson não tinha o que fazer. Tudo igual em Juiz de Fora. O Rubro-Negro cresceu na partida e tinha a posse de bola. Aos 46', o primeiro tempo chegou ao fim. 

O Botafogo retornou sem alterações para o segundo tempo. O Flamengo, que terminou o primeiro tempo melhor no jogo, voltou superior para a etapa final. Logo aos 3 minutos, a equipe comandada por Muricy Ramalho teve a chance de virar a partida. Emerson Sheik, malandro, aproveitou toque normal de Joel Carli e se jogou. A arbitragem foi na dele e assinalou falta. Alan Patrick, no entanto, cobrou mal. Aos 8 minutos, o Botafogo teve um pênalti bem marcado a seu favor. Wallace errou o tempo da bola e acertou Ribamar. Aos 10', Rodrigo Lindoso cobrou a penalidade mas Paulo Victor defendeu. Fernandes pegou o rebote e tocou para Lindoso, que finalizou mal mas marcou. Gol chorado. Botafogo novamente em vantagem. 


Lindoso marcou pela segunda vez (Foto: Vitor Silva/ SS Press/ Botafogo)
Aos 21 minutos, Willian Arão tentou o cruzamento mas sem querer acabou finalizando. A bola passou por cima do gol, bem perto do travessão de Jefferson. Aos 23', o Flamengo quase empatou. Alan Patrick deu bela enfiada para Marcelo Cirino, que tirou de Jefferson em toque sutil. A bola estava entrando devagar no gol. Diogo Barbosa, atento, afastou quase em cima da linha, evitando o empate. Aos 33 minutos, Ricardo Gomes aproveitou para mexer no Botafogo. Tirou Salgueiro, exausto e colocou Neilton. No minuto seguinte, Luis Ricardo foi providencial. Rodinei cruzou e o lateral tocou de cabeça na bola. Caso não tivesse desviado, Emerson fatalmente empataria a partida. De tanto tentar, o Flamengo conseguiu empatar. Aos 36 minutos, Gabriel cruzou na medida para Marcelo Cirino, que cabeceou para baixo e fez o gol. Aos 41', Gegê, que estava quase entrando na área do Flamengo, sofreu falta de Emerson, que poderia ter levado um cartão amarelo. A arbitragem nada marcou. Em seguida, Fernandes fez falta em Sheik. Essa sim foi assinalada. O Flamengo pressionava nos minutos finais. Aos 44', após cobrança de escanteio, Wallace chutou. A bola passou rente ao travessão. Aos 46', em tentativa desesperada de virar o placar, Ricardo Gomes promoveu a entrada de Luis Henrique, que substituiu Ribamar. Aos 48', o árbitro marcou falta inexistente para o Flamengo, Por sorte, Gabriel cobrou na barreira. O jogo terminou logo após. E como de costume, mais um 2 a 2 entre Botafogo e Flamengo. 

OBSERVAÇÕES

Partida irreconhecível de Renan Fonseca, um dos destaques do Botafogo na Série B ano passado. Foi sem dúvida o pior jogo do zagueiro com a camisa botafoguense. Deixou muitos espaços e quase complicou o Glorioso em um recuo extremamente péssimo. 

Jefferson foi o nome do jogo. Salvou o Botafogo inúmeras vezes. 

Ricardo Gomes errou. Emerson Silva, canhoto e experiente, deveria ter tido oportunidade.

Willian Arão cometeu pênalti ESCANDALOSO ao colocar a mão na bola de forma consciente na área. A arbitragem não marcou a penalidade e ainda deu falta a favor do Flamengo. Lamentável! 

Botafogo teve várias chances para matar o jogo. Não aproveitou. Quem não faz...

Rodrigo Lindoso é o cobrador oficial de pênaltis. Não sei quem permitiu. 

FICHA DO JOGO

Botafogo 2
Jefferson, Luis Ricardo, Joel Carli, Renan Fonseca, Diogo Barbosa; Airton (Fernandes), Bruno Silva, Rodrigo Lindoso, Gegê, Salgueiro (Neilton); Ribamar (Luis Henrique). Técnico: Ricardo Gomes. 

Flamengo 2
Paulo Victor, Rodinei. Wallace, Juan, Jorge; Cuéllar, Willian Arão, Ederson, (Emerson), Alan Patrick (Gabriel); Marcelo Cirino, Guerrero (Felipe Vizeu). Técnico: Muricy Ramalho. 

Estádio: Mário Helênio (Juiz de Fora/MG).
Árbitro: Luis Antônio Silva Santos (RJ).
Assistentes: Dibert Pedrosa (RJ) e Wagner de Almeida Santos (RJ).
Gols: Joel Carli (13' do 1º T), Alan Patrick (31' do 1º T), Rodrigo Lindoso (10' do 2º T), Marcelo Cirino (36' do 2º T).
Cartões amarelos: Renan Fonseca, Bruno Silva, Joel Carli, Gegê e Fernandes (Botafogo); Cuéllar e Juan (Flamengo). 

Público: 16.150 (pagantes). 
Renda: R$ 811.510,00. 

Por: Gabriel De Luca (@biel_dluca). 

Sete jogos, sete finais

O Napoli vai até Údine buscando pontos para tentar passar a Juventus e conquistar o scudetto. O jogo acontecerá dia 3 no Estádio Friuli, às 07h30 da manhã (horário de Brasília). 


A Udinese está desesperada e precisa da vitória se quiser se manter na Serie A. Entretanto, a equipe tem um grande adversário pela frente e o duelo será bem difícil, já que o favoritismo está todo com o time de Nápoles.

Em 67 partidas:

23 vitórias do Napoli
28 empates
16 vitórias da Udinese
93 gols do Napoli
89 gols da Udinese


Nesses últimos sete jogos do Calcio, o Napoli tem que ser 100% e ainda precisa torcer pra algum tropeço da líder Juventus, já que perdeu no confronto direto. Sarri falou com os jornalistas pela manhã: "O Napoli está sob pressão por meses, agora tem demonstrado sua capacidade de reagir da maneira certa".

Twitter: @Um_Carvoeiro || @SiteLF

'No fiapo do aipim': Guarani vence Criciúma no final

Na noite desta sexta-feira (01), o Guarani de Palhoça recebeu no Estádio Renato Silveira a equipe do Criciúma para mais uma rodada do Campeonato Catarinense. O bugre palhocense que está virtualmente rebaixado para a segundona do estadual, ainda acredita e obviamente quer a sua permanência, dificultou a partida para o Tigre e praticamente tirou o clube do Sul do Estado da briga pelo título do returno, e consequentemente de uma vaga para a final da competição.


Logo no primeiro minuto de partida, o Criciúma chegou com perigo à meta do bom goleiro Thiago Rodrigues. Marlon encontrou Gustavo dentro da área, ele tentou o chute, mas a bola acabou indo para fora. Aos 8', Roger Guedes aproveitou o erro de Vagno, e chutou cruzado para bela defesa do goleiro palhocense. Aos 11', Hélio Paraíba ajeitou ótima bola para Alex Maranhão que tentou o chute de perna direita, mas a bola acabou se perdendo pela linha de fundo. Aos 18', Elvis bateu uma falta direto para o gol. O chute foi forte e passou rente ao travessão. Um minuto depois, Roger Guedes ganhou no corpo do lateral Capa e fez o cruzamento. Gustavo cabeceou e assustou o goleiro Thiago. Aos 25', a bola bateu no braço de Adriel que estava dentro da área. Pênalti para o Criciúma! Na cobrança, Élvis bateu no meio do gol e abriu o placar em Palhoça. Aos 30', Gustavo arriscou de longe e obrigou o goleiro a fazer uma bela defesa. Logo depois, Alex Maranhão levantou bola na área, Hélio Paraíba desviou e quase empatou a partida. Aos 41', Alex Maranhão colocou novamente a bola na área e de novo Hélio Paraíba cabeceou. Desta vez, o excelente goleiro Luiz fez uma defesa espetacular. Mas no minuto seguinte, Hélio Paraíba que vinha tentando tanto, foi premiado. Dentro da área, o atacante matou a bola no peito e chutou para o gol. Empate no Renato Silveira!

A segunda etapa começou com Alex Maranhão aos 5 minutos fazendo grande passe para Adriel que iria virando a partida para o Guarani se não fosse à intervenção de Luiz. Nem tantos lances de perigo como no segundo tempo, a partida deu uma desanimada. Aos 26', bola sobrou dentro da área para Gustavo que tentou de voleio, mas a bola foi por cima da trave. Aos 42', Élvis chutou de bico e Thiago Rodrigues fez bela defesa. O Criciúma tentou de tudo um pouco para vencer a partida, mas foi o Guarani de Palhoça que no 'apagar das luzes' teve sucesso. Bola levanta na área, e Hélio Paraíba aproveitou e pôs o Bugre na frente do placar no último lance e assegurar a vitória palhocense.

Como já dito de início, esta vitória do Guarani de Palhoça praticamente tira as chances do Criciúma de brigar por algo mais no campeonato, e agora só irá cumprir tabela e se preparar para a disputa do Brasileiro da Série B. Já o Guarani, ainda respira por aparelhos. Enfrenta nas últimas rodadas, Brusque (casa), Avaí (fora) e Camboriú (casa). Para o Guarani, uma tabela difícil. Os jogadores e o técnico Sergio Ramirez acreditam, mas convenhamos que dificilmente o bugre palhocense vá se livrar do descenso à segunda divisão do futebol catarinense.

Ficha Técnica - Guarani de Palhoça 2x1 Criciúma

Data: 01 de abril de 2016
Horário: 20h30 (horário de Brasília)
Local: Estádio Renato Silveira, Palhoça, SC
Público e renda: 254 pagantes; 274 presentes; renda de R$ 4.250,00
Arbitragem: Braulio da Silva Machado (SC); José Roberto Larroyd (SC); Johnny Barros de Oliveira (SC)
Gols: Hélio Paraíba [2x] (GUA); Élvis (CRI)

Guarani de Palhoça: Thiago Rodrigues, Kaique, Willyan, Vagno, Capa; Jackson, Adriel (Marquinhos), Dema (Juliano), Alex Maranhão; Cecel, Hélio Paraíba | Técnico: Sergio Ramirez

Criciúma: Luiz, Ezequiel, Raphael Silva, Diego Giaretta, Marlon (Lucas Crispim); Barreto (Andrew), Ricardinho (Wellington Saci), Douglas Moreira, Élvis; Roger Guedes, Gustavo | Técnico: Roberto Cavalo

Patrick Silva | @figueiradepre
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana