A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

sexta-feira, 15 de abril de 2016

Os eternos 96 de Hillsborough nunca andarão sozinhos

27 anos após a tragédia de Hillsborough parecem muito atuais ainda, pode parecer que foi ontem, inclusive. Afinal de contas, a história ainda não foi muito bem resolvida, e ainda não existe uma precisão de quando acontecerá o desfecho. Antes de começar, de fato, o texto, gostaria que gravassem o número 96 e 766. Esses números representam a quantidade de Reds que pereceram e a quantidade de Reds feridos na tragédia, respectivamente.



O dia 15 de abril de 1989, seria um dia de festa na Inglaterra, um dia em que uma das torcidas sairiam do estádio com a vaga na final da Copa da Inglaterra. Liverpool e Nottingham Forest estavam frente à frente para ver quem seria o grande finalista da competição, que tinha grande valor naquele tempo. O Estádio Hillsborough era um dos poucos do país que poderia ser considerado um palco apto a receber jogos importantes, sendo muito usado para jogos decisivos da competição em questão na década de 80, já tendo sido palco de 5 semifinais.

O Hillsborough já havia testemunhado um acidente, em menor escala, 5 anos antes, na partida entre Tottenham e Wolverhampton, com 38 feridos e, felizmente, nenhuma morte confirmada. Isso levou o Sheffield, dono da casa, a alterar o projeto do setor Leppings Lane End, dividindo o setor em 3 compartimentos separados - que seria novamente dividido e distribuído em 5 compartimentos separados quando o clube conquistou o acesso para a Division One em 1984. Por ser um dos maiores estádios do país, a Football Association escolheu o estádio para sediar a semi final da Copa da Inglaterra de 1989, às 15h do dia 15 de abril.

Como de costume em todos os grandes jogos na Inglaterra, o estádio foi dividido entre as 2 torcidas. A polícia optou por direcionar os torcedores do Nottingham Forest no setor Spion Kop End, que tinha capacidade para 21 mil pessoas, equanto os torcedores do Liverpool eram posicionados na Leepings Lane End, que tinha a capacidade de apenas 14.600 pessoas, mesmo com os torcedores do Liverpool estando em maior número em relação aos torcedores do adversário. O jogo estava programado para ter a bola rolando às 15h, com o conselho aos torcedores de se acomodarem com 15 minutos de antecedência.

No dia do jogo, as emissoras de rádio e de televisão comunicaram que os torcedores sem ingresso não deveriam comparecer ao local da partida. Mesmo com o "aviso prévio" no dia do jogo, a comunicação foi mal feita e muitos torcedores só tiveram a informação quando já estavam na auto-estrada M62 sobre o Pennines, o que resultou em congestionamentos. Segundo relatos, aproximadamente às 14h30min, houve um acúmulo de torcedores do Liverpool  nas proximidades das catracas para a Leppings Lane End, com torcedores ansiosos para entrar no setor e expressar toda a sua paixão e apoio ao clube, antes da bola rolar. Pronto! Problema criado. Os torcedores que não tinham ingressos em mãos, tinham sido impedidos de entrar, mas também não conseguiam sair de onde estavam, se transformando em obstáculo e criando um ambiente tenso no local.

Os torcedores que estavam ansiosos para entrar, ouviam os aplausos que ecoavam de dentro do estádio quando as equipes entraram em campo 10 minutos antes do pontapé inicial. O início não foi adiado pelo chefe da polícia - que era a única pessoa que poderia evitar o desastre, já que alguns torcedores já se encontravam dentro do estádio. Para facilitar a entrada, um portão lateral foi aberto, cenário ideal para um desastre: afobação, tensão e desorganização. Com um número de, aproximadamente, 5 mil torcedores tentando passar as catracas, e aumentando as preocupações da possibilidade de esmagamento no lado de fora dos portões, a polícia abriu um conjunto de portões - originalmente destinados à saída da torcida - que não tinha catracas.

O desastre ia se desenhando cada vez melhor e ia se tornando mais real a cada instante que se passava. O resultado foi um fluxo de milhares de torcedores através de um túnel estreito que daria acesso ao setor destinado aos Reds, e para as já superlotadas 2 divisões centrais, causando uma queda enorme dos torcedores na frente do campo, onde 862 pais, mães, filhos, maridos, esposas, netos, namorados, eram pressionadas contra as grades pelo peso da multidão atrás deles. As pessoas que entravam não tinham noção do problema que acontecia, enquanto o desespero e a tensão tomava conta de todos - uns pela euforia de ver seu clube do coração e outros pela dor.

A segurança comandada pelo recém-transferido chefe de polícia, David Dueckenfield, desorganizada, falhou, pois teriam ficado na entrada do túnel se as divisões centrais tivessem alcançado a capacidade, e teriam dirigido os torcedores para as divisões ao lado, mas dessa vez eles não fizeram, por razões que nunca foram esclarecidas. Por algum tempo, o problema na parte da frente do compartimento não havia sido percebido por ninguém além dos afetados. A atenção era total no jogo, que já estava com a bola rolando. Com 6 minutos de jogo o árbitro Ray Lewis parou o jogo, após ser avisado pela polícia. Finalmente houve atenção para o problema - demorou, mas houve.

Torcedores subiam a cerca para escapar do esmagamento e um portão na grade havia sido arrombado para que alguns outros escapassem por ali, outros ainda subiam a grade, e ainda outros, foram puxados para perto dos torcedores que estavam no West Stand, localizado acima da Leppings Lane. Por fim, depois da tragédia já realizada, o muro rompeu sob a pressão das pessoas.


Ao ser perguntado por Graham Kelly, da confederação de futebol, o que estava acontecendo, David Duckenfield, por uma razão desconhecida, disse que os torcedores haviam forçado a entrada por um portão de saída e provocado o desastre. Essa foi a notícia que se espalhou pelo mundo. Todos se posicionarem contra a torcida Liverpool, acreditando que suas ações tinham sido violentas e foram motivadas o excesso de bebida. Tudo porque o chefe de polícia não assumiu a responsabilidade por seus atos.

O jornal The Sun estampou o título "A verdade" (The Truth, no inglês) na capa da edição, alguns dias após o ocorrido em Hillsborough. Policiais deturparam a verdade, alegando agressão de torcedores embriagados, confirmando ainda, que uma jovem morta havia sido abusada, além de afirmar que esses adeptos de Liverpool urinaram neles e nos corpos de torcedores mortos enquanto, na verdade, os "hooligans" - segundo os falsos depoimentos policiais - prestavam os primeiros socorros aos feridos.

A versão falsa, criada pelos policiais que deram depoimento ao The Sun, haviam sido aceitadas no continente, já que a Inglaterra vivenciava o auge dos hooligans, o que tornava mais fácil culpar os torcedores do Liverpool. Após anos de investigações, foi descoberto que a tragédia não havia sido causada pelos Reds, e sim, pela superlotação e mau estado de conservação do estádio, além das infrações às normas de segurança para o funcionamento do estádio, que havia sido reformado para a Copa do Mundo de 66. Mesmo com as reformas executadas, o estádio continuou perigoso devido à limitação da movimentação dos torcedores. O The Sun só assumiu o erro - talvez o pior da história - em 2004.

Em setembro de 2012, a conclusão foi de que as autoridades manipularam a versão para abafar o que, de fato, havia acontecido, inclusive, com 116 depoimentos sobre o caso alterados, além de isentarem os Reds da culpa sobre a tragédia. O Hillsborough Independent Panel concluiu que, das 96 mortes, 41 poderiam ter sido evitadas caso as vítimas recebessem atendimento médico imediatamente. O relatório revelou também, falhas nos serviços de emergência e organização, que contribuíram diretamente para o elevado número de mortos.

Dia 15 de abril de 1989, um dia que tinha tudo pra ser festivo, ganhou ares dramáticos, tensos, se desenhou e se concretizou uma tragédia. Me arrisco a dizer, que foi a maior tragédia da história do futebol mundial onde 766 apaixonados pelo Liverpool ficaram feridos e 96, infelizmente, nunca mais puderam seguir com suas vidas. Aos 96 mortos, por mais que não tenham a oportunidade de ler isso, vocês estarão sempre nas memórias  dos torcedores do Liverpool e "You'll Never Walk Alone"



LEO FERNANDES ||  @leo_fernandes_9
LINHA DE FUNDO || @SiteLF

Copa Libertadores 2016: Análise sobre a rodada final – Parte II


Continuando a análise da rodada final da Libertadores, os grupos 5, 6, 7 e 8:



14/abr
19:30
Monumental
Colo Colo
(CHI)
X
Independiente del Valle
(EQU)
14/abr
19:30
Mineirão
Atlético Mineiro
(BRA)
X
Melgar
(P
 O grupo do Atlético-MG promete muito nesta noite. A equipe alvinegra poderia ter ratificado a sua classificação e postular uma posição melhor entre os classificados caso tivesse feito um jogo melhor no Equador, onde foi batido facilmente pelo Del Valle por 3X2. Mas, ainda sim, a equipe mineira poderá garantir sua classificação mesmo com uma derrota, caso não perca por uma diferença maior que dois gols a mais da equipe equatoriana ou, caso perca por dois gols de diferença, o adversário direto não seja derrotado por uma diferença de gols aonde o mesmo faça a partir de 4 gols na casa do adversário (o que seria bastante improvável). 

O mesmo passa a valer para terminar na primeira colocação. Além da vitória conta com qualquer outro resultado do Del Valle desde que não seja uma vitória por uma diferença de dois gols a mais do placar da partida atleticana no Mineirão a partir de 4X2 ou uma vitória por uma diferença de três gols a mais do mesmo placar. Ou seja, a situação atleticana se encontra bem tranquila para uma classificação a próxima fase. O galo enfrenta hoje o Melgar (equipe que não pontuou no torneio, mas não sofreu goleada em suas partidas).

Já o Independiente Del Valle, realizará uma partida muito difícil no Monumental, em Santiago, contra o Colo Colo. Ambos travarão um duelo mais intenso por uma vaga na próxima fase e poderão pleitear a melhor colocação entre os segundos colocados. No caso dos equatorianos, vale a vaga pela liderança do grupo, mas o mesmo terá uma missão árdua hoje. A sua sobrevida e tranquilidade se deu com uma vitória frente ao galo, o que faz jogar até pelo empate que o deixará em boas condições de confronto pelas Oitavas de Final. 

 Já a equipe chilena deverá jogar ainda mais ofensivo em seus domínios e, com o apoio de sua apaixonada torcida, poderá fazer uma partida ainda mais intensa. O time cacique só tem pecado nos inúmeros desperdícios de oportunidades de gol, o que faz no atual momento, ter um saldo negativo num grupo de certo equilíbrio. Os chilenos contam com uma equipe experiente, mas deverá ter em seus homens de frente um poder de decisão ainda maior

Finalizando, o Melgar poderá encerrar a competição com uma chance de surpreender nesta noite no palco de inúmeras surpresas recentes do futebol continental e mundial. Para isso, poderá fazer um jogo mais aberto e solto, a fim de colocar dificuldades para a equipe atleticana e ter chances de apresentar um futebol mais ofensivo. Pelo menos, mesmo sabendo da pouca tradição em âmbito continental, o time rubro-negro não decepcionou em relação as atuações e, na medida do possível, até conseguiu complicar em alguns jogos, como nas duas partidas contra o Colo Colo e no jogo de ida contra o Atlético-MG na estreia.




19/abr
21:45
Nuevo Gasometro
San Lorenzo
(ARG)
X
LDU de Quito
(EQU)
19/abr
21:45
Arena Grêmio
Grêmio
(BRA)
X
Toluca
(MEX)
A chave que prometia ser a da morte nesta Libertadores, acabou sepultando os dois recentes campeões da América nesta última rodada. A derrota do San Lorenzo para o Toluca, por 2X1 no Nemésio Diez, assim como a derrota da LDU para o Grêmio por 3X2 no Casablanca determinaram com que os campeões de 2007 e 2014, respectivamente, fossem eliminados ainda nesta 5ª rodada.

O San Lorenzo pagou pelo preço de não jogar bem contra LDU e Toluca fora de casa e por não matar os jogos contra o Grêmio enquanto teve o maior domínio de jogo, tanto na Arena quanto no Nuevo Gasômetro, onde criou inúmeras chances e jogou bem melhor, a ponto de ter chances para vencer as partidas. Assim como a LDU, que arrancou bem na competição vencendo ”El Ciclón” em casa por 2X0, mas acumulou quatro derrotas consecutivas para Grêmio e Toluca e deu adeus a sua chance de passar de fase no grupo. Além disso, os equatorianos estão numa grave crise técnica e que culminou na sua péssima sequencia de jogos se somando o campeonato equatoriano.


Já o Grêmio, que garantiu sua classificação de maneira heroica, agora joga por uma simples vitória contra o já classificado e líder da chave para se garantir entre os melhores segundos colocados e ter a chance de um confronto mais acessível na fase seguinte. Dependendo de combinações, o mesmo poderá enfrentar o vizinho Nacional em Montevidéu, o que pode ser o melhor dos cenários, já que o mesmo terá a fase decisiva do campeonato gaucho, juntamente com o mata da competição sulamericana e pode realizar viagens mais curtas. 

 Em contrapartida, o Toluca ainda tem chances de garantir a primeira colocação geral, mas provavelmente o mesmo não escalara força máxima na Arena, preservando seus jogadores titulares de uma viagem desgastante e desnecessária. Além de o regulamento ser pouco atrativo a equipe mexicana, o mesmo tem compromissos das rodadas finais do clausura da Liga MX. Ainda sim, tem grandes chances de terminarem entre a 3ª e a 6ª melhor campanha da competição, o que pode lhe dar a vantagem da decisão em seus domínios até as semifinais.





13/abr
19:30
Defensores del Chaco
Olimpia
(PAR)
4X0
Deportivo Táchira
(VEN)
13/abr
19:30
George Capwell
Emelec
(EQU)
2X3
UNAM Pumas
(M
A única chave da Libertadores que foi definida na noite desta quarta-feira. Podemos aqui salientar a surpresa em relação as classificados para a próxima fase. Primeiro pela eliminação do vice campeão de 2013, o Olímpia, e uma das equipes mais tradicionais e de certa ascensão na America do Sul, o Emelec. Além disso, ressaltemos a grande campanha do UNAM Pumas, que mesmo mal no mexicano, detém da segunda melhor campanha da fase de grupos, e do Deportivo Táchira, que utilizou do fator casa para se classificar a próxima fase.

A eliminação do Olímpia pode ser tratada como uma confirmação da fase irregular do futebol paraguaio que, nas últimas três edições, tiveram equipes terminando entre as quatro primeiras da competição, sendo dois vice-campeonatos consecutivos (Olímpia em 2013 e Nacional em 2014). Mostra também que o mesmo futebol do país precisa, de maneira urgente, repensar num processo de renovação, para que não atinge a sua seleção, ainda mais por conta da ultima campanha das eliminatórias.

Já o Emelec, assim como a LDU e, muito provavelmente o time do Independiente Del Valle, podem representar, de maneira antagônica, o melhor momento do futebol do país, nas eliminatórias. Já que os mesmos tiveram um bom inicio e ainda estão em segundo lugar na competição. O que pode significar a dizer que o futebol equatoriano poderá não ter alguma equipe nas oitavas de finais da próxima fase. Tanto Emelec quanto Olimpia pecaram por não arrancar pontos contra o Deportivo Tachira, fora de casa além de perderem em casa para o time mexicano a ponto de serem eliminados uma rodada antes do fim da fase de grupos.

Já a equipe do Deportivo Tachira, mesmo sendo considerada a mais fraca do grupo, conseguiu fazer o que os seus adversários diretos não fez. Mesmo com um saldo de gols negativos, fruto das goleadas acachapantes e, de modo curioso, perdendo no agregado para todas as equipes da chave, fez o seu dever de casa e garantiu de maneira espetacular, a sua classificação para as oitavas de finais da Libertadores. Poderá repetir o confronto contra o Pumas ou ter um outro adversário de melhor colocação do torneio.


 Por fim, o Pumas foi o grande destaque pela bela campanha. Mesmo tendo sido  uma das vítimas dos tigres venezuelanos, o mesmo tirou vantagens contra o Olimpia e Emelec nas quatro partidas disputadas e fez valer a sua melhor qualidade técnica, mesmo que não se reflita na campanha da Liga MX. O mesmo poderá terminar entre a 1º e a 3º melhor colocação da fase de grupos.





20/abr
21:45
Defensores del Chaco
Cerro Porteño
(PAR)
X
Independiente Santa Fé
(COL)
20/abr
21:45
Arena Corinthians
Corinthians
(BRA)
X
Cobresal
Por fim, o ultimo grupo que se decidirá na próxima semana, onde a surpresa ficou para a classificação antecipada do Corinthians depois de confirmada a derrota vexatória do Cerro Porteño para o Cobresal em El Salvador, no Chile, por 2X0. Este resultado fez com que a equipe do Parque São Jorge pudesse jogar mais tranquila na próxima semana e com que a partida entre paraguaios e colombianos ganhassem um caráter de decisão. 


A começar então pela partida mais decisiva. Embora o Cerro Porteño terá a vantagem de decidir em casa, o Independiente de Santa Fé jogará pelo empate. “La albiroja” começou bem a Libertadores quando arrancou um empate suado em Bogotá, por 0X0 e tudo conspirava para que os mesmos garantissem a classificação de forma bem tranquila, ainda mais que terminou com 7 pontos e na liderança o turno da fase de grupos. Mas as ultimas duas partidas, com duas derrotas de 2X0 puseram em cheque o trabalho do time paraguaio, fazendo com que a partida em casa ganhasse um contorno ainda mais dramático. 

O Independiente Santa Fé por si  mesmo, não fez uma boa campanha jogando em casa, haja visto que contra os concorrentes diretos, só fez dois pontos em três partidas e, mesmo assim, conquistados com empates em casa. Nestas condições que os atuais campeões da Copa Sulamericana terão que jogar tudo o que sabe para classificarem, de maneira sofrida para a próxima fase da Libertadores.

Já o Corinthians, mostrou que, mesmo sem as principais peças do título brasileiro de 2015, conseguiram manter a filosofia de jogo adotada pelo seu treinador, fazendo com que, mesmo com peças diferentes, mantivessem o futebol de muita segurança e equilíbrio para serem decisivos. Podem até não ser uma equipe brilhante, mas é um time a ser respeitado e difícil de ser batido em jogos mais decisivos. A campanha que tem os 10 pontos e que poderá encaminhar como um dos 4 melhores colocados da primeira fase, poderá ser primordial para que o mesmo possa ser decisivo nos jogos em sua Arena, onde tem um aproveitamento maravilhoso. 

 Já o Cobresal, em sua segunda participação, foi das equipes de menor tradição a que apresentou um futebol um pouco melhor e mais técnico. Mesmo em uma chave com times difíceis e cascudos, fez grandes partidas em casa e conseguiu, enfim, ganhar a sua primeira partida em Libertadores da América. Agora vai para o jogo contra o Corinthians para deixar registrado em sua historia como uma das suas duas participações na competição continental.

FINALIZANDO

A Copa Bridgestone Libertadores chega na sua fase mais emocionante a partir da 9, com os jogos de mata-mata. Poderemos observar grandes confrontos e que mostraram realmente quem é quem e qual equipe poderá postular o trono de campeão da América do Sul em 2016. Teremos partidas infartantes e os torcedores poderão ir a  loucura a cada minuto disputado em solo continental. Vejamos o desdobrar de toda a competição a seguir.

Por Marcos Paulo Fernandes Alves

LEIA: Análise sobre a rodada final – Parte I

Copa Libertadores 2016: Análise sobre a rodada final – Parte I


O momento de decisão da principal competição sul-americana chega na fase de grupos aonde a famosa hora da verdade começa a definir quem é quem na competição, quem realmente tem garrafas para serem vendidas até o fim e quais serão, ou poderão ser, os principais postulantes ao título da competição e que serão agraciados com a vaga entre os campeões de todas as confederações mais a federação sede no Mundial Interclubes da FIFA 2016

Como em todas as edições, algumas surpresas foram surgindo ao longo do caminho e alguns clubes, em que se guardava certa expectativa enorme se tornaram decepções nesta primeira fase e podem amargar uma eliminação prematura de um dos torneios mais esperados do continente.

Começaremos a nossa análise realizando de forma ordinal os quatro primeiros grupos:


21/abr
21:45
Hernando Silles
The Strongest
(BOL)
X
São Paulo
(BRA)
21/abr
21:45
Monumental de Nuñez
River Plate
(ARG)
X
Trujillianos
(VEN)

Nesta chave, temos um quadro totalmente alterado após o fechamento da primeira rodada. A equipe do São Paulo havia iniciado com uma derrota contra o The Strongest no Morumbi e, nas partidas seguintes, ganhou somente dois pontos jogando fora de casa, um empate (com possibilidade de vitória) contra o River Plate e um desastroso empate contra o Trujillianos em Varela.

Mas a equipe boliviana do The Strongest, que é o seu concorrente direto, não soube tirar proveito desta situação e não se impôs da forma como era esperada jogando em La Paz. A começar pela vitória magra contra o time venezuelano por 2X1 e um empate suado contra o River Plate (mais habituado com a altitude litorânea) nos últimos minutos de partida. E para piorar, a equipe tomou uma sonora goleada na Argentina, por 6X0 e ainda ontem foi derrotado pelo time mais fraco do grupo por 2X1 após inúmeros erros durante a partida. Com isso, deu uma sobrevida ao tricolor paulista que jogará por um empate para se classificar. A única objeção que o time brasileiro enfrentara nesta ultima rodada será o fator altitude, somente.

Por outro lado, o River Plate passou a ter a situação mais tranquila do grupo, pois poderá ratificar sua classificação mesmo com derrota, ou empate. A situação de classificação esta bem encaminhada, 01 ponto a mais já sacramentaria sua passagem a próxima fase sem depender de resultados. 


Por fim, a equipe venezuelana do Trujillianos está eliminada, mas sairá da competição com uma vitória e um empate em casa, fazendo assim uma campanha até esperado visto a sua experiência na competição e a qualidade técnica da equipe.



14/abr
21:45
Allianz Park
Palmeiras
(BRA)
X
River Plate
(URU)
14/abr
21:45
Centenário
Nacional
(URU)
X
Rosário Central
(ARG)

Já neste grupo, teremos a decisão da segunda vaga para as Oitavas. A equipe do Palmeiras fará uma partida decisiva em seus domínios contra o já eliminado River Plate, mas o uruguaio. O time comandado agora por Cuca terá que fazer uma boa margem de gols e torcer para que o Rosário Central não pontue em Montevidéu na partida de hoje contra o Nacional.

Durante esta primeira fase, o Palmeiras deu pinta nas duas primeiras rodadas que poderia garantir sua classificação já que havia liderado na 2ª rodada do seu grupo após um empate contra o seu adversário de hoje e uma vitória contra o seu concorrente direto em casa. Mas as derrotas para o Nacional e as vitória do Rosário deixaram a vaga para a equipe paulista muito mais distante e quase a teve perdida na 5ª rodada quando arrancou um empate na Argentina, graças ao gol de Lucas Barrios

Já a equipe do Rosário Central, que não teve um inicio animador para quem era postulado como um dos favoritos se recuperou com as vitórias sobre o River uruguaio e manteve chances elevadas de conquistar a classificação. A equipe “canalla” teve a chance de garantir o resultado em casa, mas agora terá de buscar um ponto em Montevidéu contra o líder do grupo para ratificar sua vaga as oitavas ou torcer para que a diferença de saldo entre ele e o Palmeiras (que é de +4 a seu favor) não seja pulverizada nesta noite decisiva.


Em relação as equipes uruguaias, o Nacional soube garantir sua classificação jogando estrategicamente contra o adversário brasileiro do grupo. As duas vitorias o deixaram na situação tranquila de classificação e o fez com que a partida contra o seu adversário local fosse suficientemente administrada para determinar a sua vaga para a fase seguinte. Só que a importância da partida de hoje é para que o mesmo possa escapar dos confrontos mais difíceis z a se enfrentar nesta próxima fase. Por isso até a importância de se jogar por uma vitória para ter condições de obter maiores vantagens entre as oitavas e as quartas e escapar de times mais duros. 

Já o River Plate fez uma libertadores de estreia bem interessante. Embora a equipe não venceu as suas partidas nesta fase, o mesmo contou com o triunfo contra a Universidad del Chile em casa e arrancou alguns pontos de adversários mais tradicionais, o que fez com que o mesmo pudesse ser encarado como uma das melhores revelações da competição.



14/abr
21:45
Colosso de Palmaseca
Deportivo Cali
(COL)
X
Bolivar
(BOL)
20/abr
19:30
Hernando Silles
Bolivar
(BOL)
X
Racing
(ARG)
20/abr
19:30
La Bombonera
Boca Juniors
(ARG)
X
Deportivo Cali
(COL)

Este é o único grupo que ainda falta mais um jogo da 5ª rodada e pode ser definitivo para uma briga ainda mais forte entre Bolivar e Racing, ou até mesmo o próprio Deportivo Cali, que tem um saldo de gols ainda pior. A equipe do Boca Juniors já garantiu uma das vagas, de maneira antecipada, como a vitória no clássico do grupo por 1X0 fora de casa.

Deportivo Cali e Bolivar realizam uma partida extremamente decisiva para suas pretensões. O time colombiano, que ainda não venceu na competição terá de buscar uma vitória e com boa margem de gols caso ainda esteja preterindo uma das vagas para as quartas sua diferença de saldo para o Racing é de 11 gols para os argentinos. Terá de torcer por uma derrota para os bolivianos com boa margem de gols e fazer a sua parte contra o Boca Juniors no La Bombonera. 

Já o Bolivar terá de contar com uma vitória simples em Cali ou até um empate com gols para se manter vivo na competição, mas o mesmo deverá tirar um saldo de 4 gols no confronto direto, ou seja, uma vitória por 2X0 na altitude de La Paz.

Para o Racing, a situação não é desesperadora, mas o fato de ter que decidir na altitude de La Paz poderá ser o fator complicador para a sua classificação. Mesmo jogando pelo empate ou, dependendo do jogo de hoje, até por uma derrota de 1X0 o mesmo terá um jogo muito duro nestas condições e pode ter sua vaga ameaçada no dia de hoje. Para “La Academia” a vitória do Deportivo Cali poderia ser melhor já que o Bolivar poderia entrar na última rodada sem muitas aspirações por vaga. Por conta disso, podemos afirmar que a derrota em casa no clássico de ontem poderá ser um fator complicador para a sequencia na próxima fase. 


Já o Boca Juniors, que começou a primeira fase com uma ameaça maior por conta dos resultados, teve no gol de Carrizo, aos 48 do segundo tempo em La Paz como a sobrevida na competição. Mesmo com três empates no primeiro turno desta fase, as duas vitórias seguidas o garantiu nas oitavas e o colocou numa perspectiva de uma melhor posição de confronto para as oitavas. A equipe pode terminar até como a 6ª melhor campanha desta fase.



19/abr
19:30
Atanásio Giradot
Atlético Nacional
(COL)
X
Huracán
(ARG)
19/abr
19:30
Campeón del Siglo
Peñarol
(URU)
X
Sporting Cristal
(PER)







Este é o grupo que conta com a grande sensação desta primeira fase da Libertadores. Trata-se do grande Atlético Nacional da Colômbia. O mesmo vem apresentando o melhor futebol coletivo da América do Sul e, em cima de adversários tradicionais, só que em má fase, a equipe comandada por Reinado Rueda se tornou autora da melhor campanha desta primeira fase, antes mesma do seu encerramento. 

15 pontos ganhos e 12 gols de saldo credencia a equipe alviverde como uma das favoritas.Contudo, a mesma poderá definir o seu melhor adversário para a fase seguinte que sairá do seu próprio grupo. Trata-se da batalha entre Huracán e Sporting Cristal para saber quem será o segundo colocado da chave. A única chance de não ocorrer este confronto seria com uma vitória do Huracán, que escolheria outro adversário para a equipe colombiana.

Falando nesta disputa de segunda vaga, a chance maior ficará para os argentinos que poderão contar até com o empate para avançar a próxima fase e repetir o confronto contra time colombiano. Mas saberá que a partida será muito difícil, mesmo que o adversário jogue com um time mesclado. Já para o time peruano, somente a vitória interessa na partida de Montevidéu. Contando com uma eliminação prematura de seu adversário, o mesmo poderá se aproveitar desta vantagem para fazer uma boa margem de gols para a sua classificação. Só que o mesmo deverá contar com a derrota do Huracán para ter o seu esforço premiado e voltar a repetir o confronto desta semana, onde foi derrotado em casa por 1X0.

O Peñarol é de longe a maior decepção desta Copa Libertadores. A equipe poderá encerrar sua participação com três derrotas em casa e uma das piores campanhas da edição atual. A temporada começou turbulenta com a saída de Pablo Bengoechea do seu comando técnico. Isso causou um extremo racha e mal estar no elenco e vem refletindo tanto na competição sulamericana quanto no campeonato uruguaio, mesmo contando com jogadores experientes e de renome no futebol internacional como Pablo Forlan e Marcelo Zalayeta.

Por Marcos Paulo Fernandes Alves

LEIA: Análise sobre a rodada final – Parte II
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana