A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

segunda-feira, 18 de abril de 2016

Um sentimento chamado Vasco

      Fala, Turma da Fuzarca!

    Nunca antes na história desse país viu-se tamanha expectativa do povo brasileiro por um evento que começaria na tarde de domingo, dia 17 de Abril.

    Manaus parada desde sexta para acompanhar os desfechos da Taça Guanabara, uma final histórica por ser a primeira fora do estado do Rio de Janeiro.  A recepção calorosa deu o comprovante ao Vasco que tua imensa torcida é bem feliz, Norte-Sul, Norte-Sul deste país.

Foto: Vasco Oficial   
     Não há barreiras quando o assunto é amor. A distância entre a Cidade Maravilhosa e a Paris dos Trópicos é de aproximadamente 4.3km. Entretanto, um coração em forma de Cruz de Malta une as duas capitais brasileiras.

Foto: Vasco Oficial   
    Foram três momentos inesquecíveis que marcarão a história de Vasco e Manaus:  A chegada, o treino e o título.
   
Foto: Vasco Oficial   
                                                   A emoção que faltava

   Longe do estádio, liguei a TV  para acompanhar o jogo. Eis que, nos primeiros minutos do segundo tempo, um apagão. Voltei ao túnel do tempo, revivendo a minha infância correndo em direção do rádio de pilha numa emoção inexplicável, na qual somente as ondas do rádio podem transmitir.

   O nervosismo a cada bola no meio-campo que mais parece uma jogada de perigo. A felicidade pelo gol do Riascos e o alívio, no último minuto, com o grito de "Martín Silva defende" tomou conta de mim. Bendita seja a Geração do radinho de pilha.
    
      CPF na nota, FluminenC? Que eles venham.


     abcs, Galera,
            Matheus Freitas              @_MFreitas9_     //      @SiteLF

A SELEÇÃO DE OURO (HUNGRIA DE 54) – ESPECIAL EUROCOPA 2016

LINHA DE FUNDO


Como falar de futebol e não lembrar do amor, a garra e determinação da Hungria dos anos 50? 
A seleção de ouro encantou o mundo com um futebol mágico, rápido e de muitos gols. Liderada pelo intocável Puskas, conquistaram as Olimpíadas e foram vice da Copa do Mundo de 54, na qual estiveram a frente do placar, mas permitiram a virada alemã. Resultado considerado injusto e decepcionante para os húngaros, pois os mesmo tinham detonado os alemães por 8-3 na fase de grupos.

A seleção húngara era realmente uma seleção com os melhores jogadores de cada posição, e faziam por onde serem os melhores já vistos pelo país até hoje.

PERSONAGENS DA SELEÇÃO HÚNGARA

GROSICS
Era o goleiro a ser batido da época, suas defesas milagrosas ajudaram aquele time super ofensivo a seguir vencendo o que vinha.

BUZANZSKY
Era o defensor que tinha o dever de parar o ataque adversário e fazia isso com garra.

BOZSIK
Era um volante da época, coadjuvante de luxo na equipe estrelar de 54.

LANTOS
Defensor de garra, jogava por amor à sua seleção, raçudo.

ZACARIA
Típico jogador nômade, pois não parava quieto em uma só posição. Ajudava na defesa e coordenava o meio defensivo.

LORANT
Defensor que ajudava no meio campo, era efetivo e técnico.

BUDAI
Foi o mágico do time, deixava seus companheiros em condições de marcar gol.

HIDEGKUTI
Era o cérebro da equipe. Apesar de ser atacante, jogava como um meia atacante recuado, um falso 9, inovador na época e que deixava os adversários loucos.

CZIBOR
Foi um velocista e habilidoso ponta, também estrela da seleção de 54, um dos melhores do mundo.

PUSKAS
O GÊNIO húngaro, um dos maiores jogadores da historia do futebol e que o mundo já viu. Marcou exatos 63 gols em 65 jogos, média de quase um gol por partida, um monstro.

A derrota na final para a Alemanha quebrou uma invencibilidade da Hungria de 29 partidas, sendo superada pela Argentina de 90 com 31 partidas.

Anteriormente, na década de 30, a Hungria já dava indícios de que iria dar trabalho nos próximos anos. O vice campeonato mundial de 38, perdido para a Itália, cresceu o futebol do país até a década de 60, revelando craques para o mundo esportivo da época.

Hoje em dia é impossível acreditar que a seleção húngara consiga o feito das décadas de 30, 50 e 60. Não vemos mais as habilidades de jogadores como Puskas, Hidegkuti e Bozsik na seleção atual, que, por si só, é bem desconhecida para maioria, não afetam os adversários como naquela seleção de ouro que encantou o mundo em 1950.

Sérgio Júnior 
Colunista do Bayern de Munique e da Hungria
Meu Twitter

Arsenal: Emirates Cup cancelada em 2016

Desde 2007, após a inauguração do seu novo estádio, o Arsenal e a Emirates, patrocinador que dá nome a casa da equipe, organizam a Emirates Cup. O torneio já virou uma competição tradicional na pré-temporada dos Gunners, disputado por quatro times em um fim de semana.

Arsenal foi o campeão da edição de 2015 da Emirates Cup
Foto: The Telegraph
Mas esse ano, repetindo o que aconteceu em 2012, o torneio foi cancelado. Os motivos são parecidos com os de quatro anos atrás, esse é ano de Eurocopa e, no caso específico de 2012, as Olimpíadas de Londres. O calendário apertado impede a realização da competição.

Como agravante, o clube divulgou que pretende realizar uma reforma no gramado do estádio durante o verão europeu, o que inviabiliza qualquer atividade no campo. O Arsenal vai realizar sua pré-temporada nos Estados Unidos, onde fará dois amistosos contra o All-Stars, da MLS, e o Chivas Guadalajara, do México, no estado da Califórnia.

Dono de quatro títulos em oitos edições do torneio, o Arsenal já adiantou que pretende voltar a organizar a Emirates Cup em 2017. Além dos Gunners, Hamburgo, da Alemanha, New York Red Bulls, dos Estados Unidos, Galatasaray, da Turquia, e Valencia, da Espanha, também já levaram o troféu para a casa.



Lucas Felipe (@lsouza73)

Meio de semana de jogos atrasados na Inglaterra

O meio de semana vai servir para igualar o número de jogos de todos os times no Campeonato Inglês. O calendário na Inglaterra é apertado e partidas das Copas domésticas acabam atropelando da Liga. O número elevado de compromissos, inclusive, é tema de discussão bem antigo na terra da Rainha. A Premier League já vai chegar a sua 35ª rodada, mas no meio de semana tem partidas válidas pela 27ª e 30ª jornada.

Na terça-feira (19), às 15h45, o desesperado Newcastle recebe o Manchester City, no St-James Park, pela 27ª rodada. Os Magpies amargam a vice-lanterna da liga com 28 pontos, três da salvação, e precisam reagir na reta final para fugir da Championship na próxima temporada. O City alcançou o Arsenal em número de pontos (60) e ultrapassaram nos critérios de desempate, assumindo a terceira posição na tabela.

Daniel Sturridge marcou em Bournemouth 1-2 Liverpool (17/04).
Foto: PremierLeague.com
O outro jogo atrasado da 27ª rodada é simplesmente o clássico entre Liverpool e Everton. O chamado "Marseyside derby" está marcado para quarta-feira (20), às 16h, em Anfield. Os Reds ocupam a 8ª posição na tabela com 51 pontos, dez pontos a frente dos rivais azuis da cidade, que estão na 11ª colocação.

Três jogos vão completar também a 30ª rodada nesse meio de semana. Na quarta-feira, às 15h45, o West Ham recebe o Watford, no Boleyn Ground. Os Hammers estão na briga por uma vaga nas competições europeias, hoje estão com 53 pontos, na 6ª posição. Os Hornets estão nas semifinais da Copa da Inglaterra e no Campeonato Inglês fazem campanha regular, na 12ª colocação, com 41 pontos.

Ainda na quarta, em confronto de semifinalistas da Copa da Inglaterra, o Manchester United recebe o Crystal Palace, às 16h, no Old Trafford. No campeonato, os Red Devis estão em quinto, com 56 pontos, muito vivos na luta por uma competição continental na próxima temporada. O Palace está com 39 pontos, na 16ª colocação, e precisa somar pontos para afastar o risco de rebaixamento.


Finalizando a rodada de jogos por fazer, na quinta-feira (21), o Arsenal encara o West Bromwich, no Emirates, às 15h45. Com 60 pontos e na 4ª posição da tabela, os Gunners perderam força na briga por título e viram os rivais se aproximarem na briga pela vaga na próxima Liga dos Campeões. O West Brom está com 40 pontos na 14ª colocação e busca somar pontos para se garantir na primeira divisão da próxima época.


Lucas Felipe (@lsouza73)

Coritiba vence e está à meio passo da final do Paranaense

Jogadores comemorando o gol marcado por Thiago Lopes
(Coritiba/Divulgação)
Na tarde deste domingo, o Coritiba foi até Cornélio Procópio e conseguiu um grande resultado rumo à final do Campeonato Paranaense 2016. Atuando de forma segura e bastante sólida, o Verdão fez 3x0 no PSTC e praticamente garantiu seu lugar na decisão. De quebra, o Alviverde não pode ser mais alcançado por qualquer adversário e assegurou que a final do Estadual acontecerá no Couto Pereira.

O primeiro gol do Verdão veio de um zagueiro. O prata da casa Luccas Claro marcou de cabeça ainda no primeiro tempo. Na etapa complementar, Thiago Lopes e Juan fecharam a conta a favor do Coxa e comemoraram com o restante do grupo.


Coritiba vai para o intervalo com vantagem no placar

Com a melhor campanha até a semifinal, o Coritiba foi a campo com mudanças na equipe titular, saíram Carlinhos (que ficou fora devido a amidalite) e Kléber (fora por conta do terceiro amarelo) e em seus lugares entraram os paraguaios Benítez e Ortega.

O jogo começou como se esperava. O PSTC, que jogava em casa, partiu para o ataque na base da empolgação. Logo aos 9' Fauver cobrou falta, João Paulo cabeceou para trás e obrigou o goleiro Elisson a fazer boa defesa. A primeira chegada Alviverde ocorreu aos 19', Juan cruzou da direita e Ortega perdeu uma grande chance. 

Aos 21', o primeiro erro da arbitragem. Dudu foi até o fundo e chutou, sem ângulo. A bola bateu na trave, na cabeça do goleiro Lucas e entrou. Entretanto, erroneamente o árbitro alegou que a bola já havia saído pela linha de fundo.

Depois o ritmo do jogo caiu. O Coritiba foi chegar novamente aos 38' com Alan Santos, após cobrança de falta em que o goleiro Lucas fez grande defesa. Entretanto aos 42', saiu o primeiro gol Alviverde. Após cobrança de escanteio, Luccas Claro subiu mais que a zaga testou firme para o chão. A bola enganou o goleiro Lucas e foi morrer no fundo das redes. 1x0 e o Coritiba foi para o intervalo com a vantagem.

Coxa faz mais dois e fica próximo da final
O Coritiba manteve o mesmo ritmo na volta para a segunda etapa e criou a primeira chance logo aos 9'. Juan cruzou e Jorge Ortega, no meio da área, perdeu um gol incrível, acertando o goleiro Lucas. No lance seguinte, Luccas Claro subiu mais que todo mundo em cobrança de escanteio e exigiu outra belíssima defesa de Lucas. Logo depois, o técnico Gilson Kleina fez duas substituições, Dudu e Jorge Ortega saíram para as entradas de Thiago Lopes e Leandro. Pouco depois, Alan Santos tomou o terceiro cartão amarelo e está fora do jogo da volta.

Aos 30', foi a vez de Vinícius entrar no lugar de Negueba. Três minutos mais tarde, eis que sai o segundo gol Alviverde. Juan bateu falta na área, o goleiro Lucas deu um leve tapa na bola e Thiago Lopes colocou para o fundo das redes.

Com 2x0 no placar, o Verdão passou a administrar o jogo e passou a tocar mais a bola. Aos 44', o Coritiba matou o placar. Juan dominou na área, limpou o zagueiro e tocou na saída de Lucas, fazendo o terceiro e mandando a torcida de Cornélio Procópio para as suas casas. Ainda deu tempo de Leandro também tomar o terceiro cartão amarelo e também ficar de fora do jogo da volta. Fim de jogo, 3x0 Verdão.

O Coxa ficou mais próximo da conquista da vaga na final do Campeonato Paranaense. Agora o Verdão volta à capital do estado e terá a semana toda de preparação para buscar um bom resultado em casa, ao lado da torcida coxa-branca, no Couto Pereira. O jogo está marcado para sábado, dia 23, a partir das 16h. 

Valeu Coxa!

Texto feito por:
@_Andreysuldovski

Botafogo vence e enfrentará o Fluminense na semifinal do Carioca

Botafogo e Boavista enfrentaram-se pela última rodada da Taça Guanabara. Já classificado, o Glorioso buscava terminar na segunda colocação para obter vantagem na semifinal do Carioca. O Alvinegro sofreu mas derrotou a equipe de Saquarema pelo placar mínimo. Apesar da vitória, o Botafogo terminou a fase de classificação em terceiro, com 14 pontos, e agora, enfrentará o Fluminense pela semifinal. Só a vitória interessa. O jogo, que ocorrerá no fim de semana, ainda não tem data nem local definido. 

O JOGO

A partida começou morna, apesar do forte calor. Botafogo e Boavista erravam muitos passes. Aos 8 minutos, André Luis recebeu cruzamento na área e cabeceou nas mãos de Jefferson. A arbitragem já havia assinalado impedimento.


O Glorioso cresceu após a parada técnica. Aos 25 minutos, Luis Henrique, na linha de fundo, cruzou rasteiro para Bruno Silva, que sozinho, na cara do gol, furou. Foi a primeira grande chance do Botafogo no jogo. A resposta do Boavista veio na sequência. Guilherme Costa fez boa jogada pela direita e tocou para Thiaguinho, na área. O lateral chutou forte, rasteiro mas Jefferson, atento, evitou o gol. Aos 28 minutos, o Botafogo novamente levou perigo. Rodrigo Lindoso, em boa jogada, tabelou com Luis Ricardo, que devolveu para o volante. Ele, no entanto, não conseguiu finalizar direito. No rebote, Gegê finalizou mas a zaga evitou o gol. Aos 32 minutos, outra resposta do Boavista. Willian Maranhão arriscou de fora da área e Jefferson fez ótima defesa. Matheus Paraná, no rebote, mandou a bola para o fundo da rede, mas em posição irregular. A arbitragem marcou impedimento. No minuto seguinte, o melhor goleiro do Brasil novamente fez outra defesaça, essa à queima-roupa.

Aos 43 minutos, o Botafogo desperdiçou outra grande oportunidade. Luis Ricardo lançou Neilton na linha de fundo, que cruzou na segunda trave para Luis Henrique. Livre, o atacante, desequilibrado, pegou mal na bola e perdeu gol feito, inacreditável. E foi o último lance do jogo.

O Alvinegro voltou para o segundo tempo com modificação. Ribamar substituiu Luis Henrique, que tinha cartão amarelo. E logo aos 2 minutos, o Glorioso foi em busca do gol. Neilton cruzou na área e Gegê antecipou-se ao zagueiro. O meia, porém, não conseguiu cabecear. Aos 14 minutos, Guilherme Costa recebeu de Thiaguinho na entrada da área e chutou rasteiro para mais uma defesa do melhor goleiro do Brasil. Aos 20 minutos, Luis Ricardo deu lançamento espetacular para Neilton, que desperdiçou uma boa chance. A arbitragem, de forma equivocada, já havia marcado posição irregular.

Aos 26 minutos, Ricardo Gomes aproveitou para fazer duas alterações. Salgueiro e Gegê foram substituídos por Leandrinho e Gervasio Nuñez, respectivamente. As mudanças deram certo. Aos 29 minutos, Ribamar saiu na cara do goleiro Vinícius mas chutou em cima do jogador. No rebote, Leandrinho bateu fraco mas o suficiente para fazer o gol. A bola ainda passou por baixo do goleiro e por um dos zagueiros. Botafogo 1 a 0.


Leandrinho comemora primeiro gol no profissional (Foto: Vitor Silva/ SS Press/ Botafogo)
Aos 36 minutos, o Botafogo quase ampliou o placar. Neilton deu bolão para Ribamar, que mais uma vez saiu na cara do goleiro Vinícius, que defendeu de novo. Foi o último lance de perigo na partida, que aos 49 minutos, foi encerrada. Vitória suada e 100% de aproveitamento diante dos chamados times pequenos. 

OBSERVAÇÕES

Luis Henrique ultimamente anda tentando cavar muitos pênaltis. Alguém precisa chamar sua atenção.

Impressiona como o Botafogo sofre diante de equipes menores mas joga melhor diante dos rivais em clássicos.

As atuações recentes preocupam. Faz tempo que o Botafogo não tem uma boa atuação. 

A possível chegada de Alex foi assunto nessa semana. E está tudo muito estranho nessa história. O Internacional liberou a jogador para negociar com o Botafogo, o dirigente cravou 90%, o presidente disse só depender da esposa e do nada a chegada dele melou? Enfim... 

E óbvio: os parabéns aos juniores do Botafogo, campeões Sub-20 da Taça Guanabara com bela campanha. Título merecido demais!

FICHA DO JOGO

Boavista 0
Vinícius, Thiaguinho (Léo Cunha), Victor, Anderson Luiz, Davi; Douglas Pedroso, Willian Maranhão, Júlio César, Guilherme Costa; André Luis, Matheus Paraná (Marcelo Nicácio). Técnico: Rodrigo Beckham.

Botafogo 1
Jefferson, Luis Ricardo, Renan Fonseca, Emerson Silva, Diogo Barbosa; Rodrigo Lindoso, Bruno Silva, Gegê (Gervasio Nuñez), Salgueiro (Leandrinho); Neilton, Luis Henrique (Ribamar). Técnico: Ricardo Gomes.

Estádio: Bacaxá (RJ).
Árbitro: Mauricio Machado Coelho Junior (RJ).
Assistentes: Wagner de Almeida Santos (RJ) e Thiago Henrique Neto (RJ).
Gol: Leandrinho (29' do 2º T).
Cartões amarelos: Thiaguinho e Willian Maranhão (Boavista); Rodrigo Lindoso, Emerson Silva e Luis Henrique (Botafogo).
*Público e renda não foram divulgados.

Por: Gabriel De Luca (@biel_dluca).

Cabeça na Bolívia: São Paulo é goleado e está fora do Paulista

São Paulo assiste Audax jogar e está fora do Campeonato Paulista


Após uma ótima partida contra o River Plate pela Libertadores, o São Paulo enfrentou nesse domingo (17/04) o Audax pelas quartas de final do Paulista. Entretanto, o Tricolor não jogou, apenas assistiu o adversário jogar e foi derrotado por 4 a 1, sendo eliminado do Estadual.

Por motivo ainda não compreendido, Bauza escalou o time titular para essa partida, exatamente o mesmo que ganhou do River, com exceção de João Schmidt (entorse no joelho direito) e também sem o meia-atacante Lucas Fernandes (suspenso pelo terceiro amarelo). Mesmo a escalação sendo a mesma, dentro de campo foi totalmente diferente. 

No início da partida, parecia que seria um bom jogo, com boas chances pros dois lados, jogo bom de assistir. Denis salvou após vacilada de Rodrigo Caio e em seguida Sidão salvou para o Audax, após Ganso tentar fazer um golaço por cobertura fora da área. São Paulo pressionou, pressionou, pressionou mais um pouco. E após vacilo da zaga - e do Denis -, quem abriu o placar foi o Audax, com gol de Ytalo. Algum tempo depois, Calleri empatou o jogo, o argentino desarmou Bruno Silva e sozinho entrou na área, esperou a saída do goleiro e tocou para o gol.

A animação tricolor não durou muito, já que, ainda na primeira etapa, o Audax fez o segundo. Yuri fez o lançamento para Ytalo, que saiu entre os zagueiro são-paulinos e, aproveitando o mau posicionamento de Denis, não esperou a bola tocar no chão e mandou por cobertura.

No segundo tempo, não deu tempo nem do Tricolor pensar em alguma reação. Aos 5' o Audax marcou o terceiro quando Juninho cobrou falta, a bola bateu no travessão e no rebote, Mike, que estava livre de marcação, ampliou o placar. São Paulo tentou chegar algumas vezes, mas não aparentava ter força de vontade alguma. E assim, após Mike driblar Mena e Denis espalmar praticamente nos pés de Juninho, saiu o quarto gol e por pouco não foi mais. 

Com esse resultado, o Tricolor foi eliminado e tem como objetivo a vitória em La Paz contra o The Strongest, quinta-feira (21), pela Libertadores. 

FICHA TÉCNICA
Local: Estádio Prefeito José Liberatti, Osasco - SP
Gols: Juninho, Mike e Ytalo (2) (AUD); Calleri (SP)
Cartões amarelos: Thiago Mendes e Kardec (SP)
Arbitragem: José Claudio Rocha Filho (SP), auxiliado por Daniel Paulo Ziolli e Risser Jarussi Corrêa (ambos de SP)

AUDAX
Sidão; Yuri, André Castro, Bruno Silva (Bruno Lima) e Velicka; Tchê Tchê (Felipe Diadema), Camacho (Mauricio) e Juninho; Bruno Paulo, Mike e Ytalo. Técnico: Fernando Diniz

SÃO PAULO
Denis; Bruno, Lugano, Rodrigo Caio e Mena; Hudson (Wesley), Thiago Mendes, Kelvin (Centurión), Ganso e Michel Bastos (Alan Kardec); Calleri. Técnico: Edgardo Bauza
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana