A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

quinta-feira, 21 de abril de 2016

Confiança? Só se for a do Flamengo

Foto: Gilvan de Souza / Flamengo
Na partida do último domingo (17) contra o Bangu, o Flamengo assegurou sua vaga nas semifinais do Campeonato Carioca. Mesmo assim, ainda havia um problema que precisava de solução e logo. O Mais Querido entrou em campo sabendo que era vencer ou vencer. Encarando o Confiança, o rubro-negro não poderia pensar diferente.

A desvantagem no primeiro jogo já mudou muita coisa desde os minutos iniciais. Muricy resolveu voltar ao 4-3-3 por duas razões: surpreender o Confiança e para colocar Fernandinho, que chegou na última semana, em campo. O adversário, por motivos óbvios, jogou pelo empate e se fechou totalmente atrás.

Vamos começar pelo mais importante. Que diferença a presença de Mancuello faz em campo, não é? O argentino é, sem dúvida, a principal peça desse elenco e, se tudo correr bem, pode se tornar um grande nome no clube. Mancu tem garra, corre o campo todo, arrisca e não deixa de tentar em nenhuma jogada. Quando ele está jogando, o Flamengo tem aproveitamento de aproximadamente 80%. Sem o meia, esse número cai para quase 40%.

Foto: Gilvan de Souza / Flamengo
Outros dois que merecem ser citados pela grande partida nesta quarta são Marcelo Cirino e Willian Arão. Cirino, apesar de não ter tanta regularidade, está sim fazendo bons jogos e decidiu alguns esse ano, o que mostra sua evolução desde 2015. Arão tem o mesmo problema do camisa 7, mas também se mostra muito importante e, contra o Confiança, foi espetacular.

Um cara fantástico é Cuéllar, que chegou já com o campeonato em andamento, se adaptou muito rápido e é um dos nomes mais fortes desse elenco. Seguro na defesa, inteligente, um número absurdo de passes certos (103 só nessa partida) e com muita raça. Será importantíssimo no Brasileiro e nos outros duelos pela frente. 

Agora são três vitórias por 3x0 seguidas. É motivo para se alegrar? Sim, mas com cuidado. É evidente que o time ainda tem problemas e não são poucos. Entretanto, também é fato que o Flamengo é sim capaz de encontrar seu caminho. Confiante e, esperamos, com os pés no chão, o Mais Querido terá mais uma batalha pela frente e é mais um problema que irrita faz tempo.

Foto: Gilvan de Souza / Flamengo
Para o clássico, Juan, Emerson Sheik e Fernandinho estão fora. Para a zaga, César Martins deve ser titular. Ele estava sentindo um desconforto, mas fará trabalhos no Centro de Excelência em Performance (CEP FLA) no Ninho do Urubu para poder jogar. Sobre o ataque, Muricy Ramalho já afirmou que voltará ao 4-4-2 até por não ter Sheik, lesionado, e Fernandinho, que não pôde ser inscrito no torneio.

O Flamengo volta a campo no próximo domingo (24), às 16h, para enfrentar o Vasco na semifinal do Campeonato Carioca. O único resultado que interessa é a vitória, já que o adversário tem a vantagem do empate pela colocação na Taça Guanabara. Mais uma vez, é vencer ou vencer.

Mariana Sá || @imastargirl 

É campeão!

Talvez os rivais estejam pensando "essa Primeira Liga não vale nada, título ‘furreca’". Porém, só nós tricolores sabemos da importância desse título, do tanto que lutamos para que a mesma acontecesse, pela briga com a federação do Rio de Janeiro, mas não vamos falar disso, iremos contar a emoção dessa conquista.

Marcos Jr após o gol do título tricolor (FOTO: André Durão)
O Fluminense nasceu com a vocação do pioneirismo, clube pioneiro não só no Rio, como no Brasil. Nada mais justo do que ser o primeiro campeão de um embrião de uma liga nacional, só que no atual modelo vale como um regional ou um inter-regional. O título veio da forma mais linda possível, diante de sua torcida em Juiz de Fora com muita emoção e gol aos 35 minutos do segundo tempo.

Todos pareciam muito emocionados, principalmente o presidente Peter Siemsen, estava como uma criança quando ganha seu primeiro vídeo game, foi um título marcante. Aqui vai um agradecimento a Levir Culpi, que mudou toda a forma do Flu jogar, elevando o nível de atuação da equipe para uma das melhores do país.

Levir e Peter comemoram a conquista da Primeira Liga  (FOTO: André Durão)
Hoje é só festa, o torcedor tricolor pode ecoar em alto e bom som para todos os cantos do mundo que "É CAMPEÃO" da Primeira Liga.

Saudações Tricolores!

Dificuldade financeira faz Oeste mudar planejamento para a Série B

Em tempos de crise financeira, diretoria oestina é obrigada em apostar em jovens promessas

Foto: (Reprodução TV TEM Bauru)
Oeste vem fazendo mudanças em seu elenco para a disputa da Série B, na qual seu principal objetivo é permanecer na competição mais um ano. Para isso, o time dispensou jogadores, trouxe um novo treinador, que alias já é conhecido pela torcida, e anunciou reforços.

O pensamento da diretoria era outro, inclusive manter alguns jogadores que tinham contrato até o final do ano, como o experiente Marcelinho Paraíba, entre outros. Porém, o descenso para a segunda divisão e perda da cota da Federação Paulista fez o clube diminuir seus gastos. 

Segue abaixo a lista de dispensados do Oeste
Leandro Santos (Goleiro)
Amaral (Lateral)
Brinner (Zagueiro)
Daniel Gigante (Zagueiro)
Sandro Silva (Volante)
João Gabriel (Meia) 
Marcelinho Paraíba (Meia) 
Danielzinho (Atacante)
Renato Kayser (Atacante)

Os que irão permanecer na equipe para Série B:
Jéferson Romário (Goleiro)
Fábio (Goleiro)
Elivelton (Meia)
Ligger (Zagueiro)
Guilherme Amorim (Meia)
Mazinho (Meia Atacante)
Léo Príncipe (Lateral)
Patrick (Meia)
Renan Mota (Meia)
Leandro Mello (Volante)
Betinho (Meia)
Dionísio (Meia)
Mateus Salustiano (Zagueiro)
Maurinho (Atacante)
Fernandinho (Lateral)

Lista de reforços do Oeste para Série B:
Clébson (Meia) - Ex São Bento-SP
Francisco Alex (Meia) - Ex Água Santa-SP
Rafael Castro (Zagueiro) - Ex Chapecoense-SC
Elbis (Lateral esquerdo) - Ex Penapolense-SP
Robert (Meia Atacante) - Ex Aparecidense-GO
Roberto Fonseca (Treinador) 

O diretor do Oeste, Mauro Guerra, explicou que vai adotar uma nova politica de contratações para a Série B. Atualmente o clube conta com 15 jogadores na equipe, a intenção é contratar pelo menos mais dez.

"Nossa intenção é também apostar nas parcerias com grandes clubes, que nos cederiam jovens atletas com custo reduzido. Devemos contratar pelo mais uns dez jogadores, mas a intenção é apostar em jovens valores", adianta Mauro Guerra.

Roberto Fonseca está de volta...

Foto: (Sérgio Pais)
O treinador Roberto Fonseca está de volta ao Oeste para a Série B. Ele, que já teve passagens no Rubrão muito boas em 2003 e 2008, conquistando o acesso a elite estadual, sendo campeão paulista da A2 em 2003 e vice-campeão em 2008. chega com a missão de fazer o Oeste permanecer na Série B e esquecer o amargo rebaixamento para a segunda divisão.

O Rubrão estreia na Série B no próximo dia 14 de maio, contra o Atlético-GO, no Estádio Municipal dos Amaros, em Itápolis-SP.

Césare Boralli || @borallicesare 
Linha de Fundo || @SiteLF

RexPa sai da sequência de empate e tem vitória alviazul

Na noite desta quarta-feira (20), o Paysandu voltou a jogar em casa enfrentando o seu maior rival no primeiro jogo da semifinal da Copa Verde. Pela primeira vez no ano, o RexPa saiu do empate e teve o Papão como vencedor. Com o resultado, o alviazul ganhou a vantagem do empate para próximo confronto contra o Remo.


Foto: Fernando Torres / ASCOM Paysandu

O JOGO:


Foto: Fernando Torres / ASCOM Paysandu
No primeiro tempo, o Remo foi quem teve a primeira grande chance quando, aos 13', Eduardo Ramos puxou um contra ataque, abriu em Ciro e o jogador cortou para o meio e chutou, porém o goleiro Emerson fez uma grande defesa. Passados doze minutos, o time azulino abriu o placar, Ciro deu um chutão para frente e Luís Carlos aproveitou, sozinho, para mandar a bola na rede. Mas a alegria da torcida remista durou pouco. No minuto seguinte, Roniery cruzou na medida para Betinho, que se atrapalhou todo e mandou de qualquer jeito para o gol, empatando o jogo. No final da primeiro etapa, Raí recebeu o cruzamento e levou a bola para a linha de fundo, cruzou novamente e Lucas cabeceou para a fora.


Foto: Fernando Torres / ASCOM Paysandu
Na segunda etapa, o Paysandu começou levando perigo ao adversário. Aos 2', Fabinho Alves recebeu na ponta direita, cortou e chutou, porém a bola acabou indo para fora. O Remo tentou responder com Ciro, que mais uma vez foi parado por Emerson. Aos 19', Fabinho Alves lançou Ricardo Capanema, que cruzou rasteiro para Betinho, que acabou furando. Passados quatorze minutos, Leandro Cearense fez tabela com Bruno Smith e o meia deixou o atacante na cara do gol, o jogador não desperdiçou e fez o segundo.


Foto: Fernando Torres / ASCOM Paysandu
Palavra da colunista: Hoje o Paysandu se saiu bem no geral, conseguiu administrar o nervosismo. Pablo falhou no gol do Remo, mas não deixou isso prejudicar o seu desempenho no restante da partida. Dado mudou bem. Suas duas primeiras alterações culminaram no segundo gol. O único a fugir do padrão foi Raphael Luz, que se apagou demais na partida. Roniery errou nas subidas, não marcou bem, mas no geral, até se saiu bem.

Próximo jogo: Neste sábado (23), às 18h30, contra o Remo, no segundo jogo da Copa Verde.

Fora do RexPa: Capanema e Lucas, ambos levaram 3° cartão amarelo.

Ficha técnica: Paysandu: Emerson, Roniery, Pablo, Fernando Lombardi, Lucas, Augusto Recife, Ricardo Capanema, Raphael Luz (Bruno Smith), Raí, Fabinho Alves (Bruno Veiga) e Betinho (Leandro Cearense)
Remo: Fernando Henrique, Ítalo, Henrique, Max, Marco Goiano, Michel, Chicão, Eduardo Ramos, Ciro, Whelton (Edcleber) e Luís Carlos Imperador (Sílvio)
Amarelos: Eduardo Ramos, Ítalo e Ciro (REM) e Ricardo Capanema, Emerson e Lucas (PSC)

Pela paz e pelo futebol

Vimos desde o início dessa temporada um medo enorme não só por parte das pessoas, mas pela diretoria de Goiás e Vila Nova, pelo ministério público, polícia militar e outras entidades de possíveis conflitos entre as torcidas nos clássicos. A primeira ordem foi de colocar os jogos com torcida única. Não funcionou, pois vimos que houve confusões em terminais de ônibus e em outros locais. Foi uma atitude patética, pois em nosso país não se pune o criminoso que briga nos estádios. Para as nossas organizações maiores, a culpa é do clube, a culpa é da bateria, a culpa é de toda a torcida organizada. É por esses e outros motivos que a violência nos estádios está longe de acabar.

Garotinho esmeraldino comemora gol ao lado de vilanovenses.
Foto: Globo Esporte.
No último clássico as duas torcidas voltaram aos estádio e essa imagem me tocou. Um garotinho esmeraldino comemorando o gol de pênalti de Rafhael Lucas e encantando os vilanovenses ao seu lado com sua pureza e felicidade. Uma pena essa cena ser algo raro no futebol. Muitos pais não arriscariam levar uma criança dessa idade para um clássico desse tipo (pelo menos não nos dias de hoje), muito menos na torcida adversária. O medo de haver uma confusão pelo simples fato de que o garotinho está com uma camisa verde é grande, e a inocência de uma criança não permite entender o perigo que ela está correndo. Mas o fato é que, independente do vencedor, ele é só uma criança. Nova, cheio de espírito e sem se preocupar se seu time vai vencer ou não, ele só quer estar ali, torcendo, vibrando, aprendendo desde cedo como é o calor de um estádio de futebol e como é bom gritar "gol". Ele só quer viver o bom lado desse esporte, que une pessoas e realça sentimentos.

Essa imagem me fez lembrar da bela campanha feita por Goiás e Vila antes do clássico chamada "Jogue Junto", mostrando claramente a insatisfação das crianças à violência das torcidas nos estádios. Simplesmente emocionante e verdadeiro. Elas querem ir ao Serra torcer para seu time, mas elas não podem. Porque pessoas que vão ao estádio com a intenção de brigar as impedem de irem, as impedem de ver pessoas sorrirem, de ver pessoas sem medo. Elas estragam o futebol. Estragam o prazer de ver um jogo.

Goiás e Vila fazem campanha pedindo paz no clássico.
Foto: TV Goiás.
Ainda teremos um clássico no domingo que não é apenas uma decisão para Goiás e Vila, mas sim uma oportunidade das duas torcidas festejarem novamente, sem violência, agressões e com harmonia. O futebol respira por aparelhos e o remédio para curá-lo são as crianças, o nosso futuro, então não os cale e não os impeça de viver. Faça isso pela paz, pelo futebol e acima de tudo, faça isso por você mesmo.





#JogueJunto

Wagner Oliveira || @wagneroliveiraf
Linha de Fundo || @SiteLF

Cruzeiro empata com o time reserva do Campinense na Copa do Brasil

Na noite de ontem a Raposa estreou a Copa do Brasil com empate sem gols, sem qualidade técnica o Cruzeiro mais uma vez decepcionou o seu torcedor, a missão do time mineiro seria vencer, para tranquilizar o jogo de volta que acontecerá no Mineirão na quarta-feira(27), porém não foi possível cumprir o objetivo.

O Campinense estava com o time praticamente todo reserva, o que não impediu de dar trabalho para o Cruzeiro que esta totalmente sem criatividade, a partida esquentou quando o zagueiro Léo foi expulso no segundo tempo, dando mais espaço para os ataques campinenses, sorte do Cruzeiro que o capitão Fábio estava atento para fazer boas defesas e segurar o 0x0 no marcador.

Site Oficial do Cruzeiro
O Cruzeiro começa a pensar no confronto decisivo de domingo contra o América-MG no Gigante da Pampulha, que precisará reverter a vantagem construída pelo Coelho, com o placar de 2x0, o duelo acontecerá ás 16hrs.

Sobre o jogo:

A Raposa começou a partida assustando o adversário, aos 03’ Rafael Silva fez boa infiltração na área, arriscou e o goleiro soltou a bola, quase que Élber conseguiu pegar o rebote.

Aos 12’, jogada de perigo do Cruzeiro novamente, cruzamento de Mayke pela direita para Rafael Silva que cabeceou e goleiro fez ótima defesa
.
Aos 32’, em um bonito toque de Mayke pra Lucas Romero que conseguiu fugir do marcador e com força cruzou para a área, a zaga afastou o perigo.

Site Oficial do Cruzeiro

O time mandante até então não tinha feito um lance de perigo, só dava Cruzeiro na partida, porém, já no fim da primeira etapa o time comando por Francisco Diá chegou com perigo pela primeira vez, em cobrança de escanteio a zaga do Cruzeiro tirou e Magno tentou de longe, a bola raspou no travessão do goleiro cruzeirense.

Segundo tempo:

A etapa final começou da pior forma possível para o Cruzeiro, o zagueiro Léo fez falta e como era ultimo homem foi expulso, e na cobrança de falta, quase que Magno não marcou o gol.

O melhor momento do Cruzeiro no segundo tempo foi aos 19’, Romero lançou para Alisson, o mesmo fez boa jogada e cruzou para Lucas Romero que apareceu de novo e ficou cara a cara com o gol, a bola bateu na trave.

Site Oficial do Cruzeiro
Aos 23’ Cruzeiro desperdiça mais uma, Ariel Cabral tocou, a defesa errou e Èlber ficou de frente para o goleiro do Campinense e mandou por baixo, Gledson fez boa defesa.
O último lance de perigo do time estrelado foi aos 38’, Allano lançou para o Fabrício que cruzou e a zaga afastou, e a bola sobrou para Romero, o jogador bateu rasteiro para o gol.

@Paulinha_CEC

CAMPINENSE 0x0 CRUZEIRO

Motivo: Jogo de ida, 1ª fase, Copa do Brasil 2016
Data/Hora: 20/04/2016, às 21h45
Estádio: Estádio Amigão, em Campina Grande (PB)
Árbitro: Flavio Rodrigues de Souza (SP/CBF)
Assistentes: Carlos Augusto Nogueira Junior (SP) e Marlon Rafael Gomes de Oliveira (PE/CBF)


GOLS: - - -
Cartões amarelos: Magno (CAM); Lucas Romero (CRU)
Cartão vermelho: Léo (CRU).
Público/Renda: Não divulgados.

Campinense: Gledson; Everaldo, Jairo, Tiago Sala e Danilo; Renatinho (Raul - 15'2ºT), Magno, Jussimar e Felipe Ramon (Fernando Pires - 28'2ºT); Pitbull e Bruno Correa (Roger Gaúcho - Intervalo). Técnico: Francisco Diá.


Cruzeiro: Fábio; Mayke, Bruno Rodrigo, Leo e Fabrício; Lucas Romero, Henrique e Ariel Cabral; Alisson (Allano - 34'2ºT), Élber (Douglas Coutinho - 43'2ºT) e Rafael Silva (Bruno Viana - 4'2ºT). Técnico: Deivid.

CSA arranca empate em Murici

Apenas um jogo separa o CSA da tão esperada final do Campeonato Alagoano. O time disputou o primeiro jogo das semifinais do estadual contra o Murici na noite desta quarta-feira (20).

O Azulão não teria tarefa fácil jogando fora de casa, na cidade de Murici. Vindo de mais uma vitória no Clássico das Multidões por 2x1, a equipe de Oliveira Canindé precisava passar por mais um desafio, dessa vez diante de um rival que também buscava a vaga na grande final do estadual. Mesmo tendo o jogo de volta, a equipe do Mutange não queria saber de derrota ou empate, e uma vitória fora de casa seria essencial para a arrancada azulina até a grande final.

O último embate entre as equipes ocorreu em Maceió, ainda pela primeira fase do estadual, no Estádio Rei Pelé. A equipe do CSA derrotou o Murici por 3x0.

O JOGO:


Murici e CSA empataram por 2x2 no jogo de ida das semifinais do Campeonato Alagoano. A partida em si foi movimentada, com o time da casa demonstrando bom ritmo de jogo e fazendo boa partida dentro de seus domínios. Já o CSA passou longe de ser aquela equipe que encanta e demonstra bom futebol ao seu torcedor, talvez por jogar fora de casa e por achar que em Maceió poderia resolver a parada e conseguir a vaga. Entretanto, sabemos que no futebol não podemos pensar em um jogo futuro tendo outro a ser disputado e ganho logo a frente.


Katê sem sombra de dúvidas foi o cara do jogo, marcando os dois gols da equipe mandante e tornando-se o artilheiro do estadual, passando até mesmo o centroavante Azulino Luís Soares, que fez péssima partida, longe de ser o destaque azulino da noite.

1° TEMPO


A partida começou movimentada e logo aos 2', em um cruzamento pelo setor direito de ataque do Verdão, o árbitro Francisco Carlos do Nascimento assinalou pênalti para a equipe da casa, após a bola bater na mão do lateral-esquerdo Rafinha. O meia Katê cobrou com força, no meio do gol, e abriu o placar do duelo. Após o revés, o time azulino começou a sair para a partida, e o meio-campo da equipe mostrou movimentação, tentando oferecer perigo ao alviverde.

Aos 16', o árbitro marcou outro pênalti, só que agora para o Azulão, após Leandro Souza cair na área em jogada de bola aérea com o zagueiro Rodrigão. Didira bateu no canto direito do goleiro Gil, que não evitou o empate do time marujo. O CSA continuou melhor em campo, buscando as jogadas, enquanto o Murici começou a parar o confronto com faltas. As duas zagas estavam bem postadas e evitando sustos para os goleiros.
 
Após falta em Katê, no setor esquerdo de ataque do time da casa, o atacante Luís Soares levou o terceiro cartão amarelo e está suspenso para o jogo de volta da fase semifinal. O Azulão veio controlando a posse de bola na parte final do primeiro tempo e chegando com mais frequência a área do Verdão. Aos 40', em uma rápida jogada de ataque, Deizinho invadiu a área azulina e chutou a bola para fora, tentando acertar o canto esquerdo do goleiro Jeferson. Foi o último grande momento da primeira etapa, e aos 47', Francisco Carlos do Nascimento encerrou o tempo inicial.

(Crédito: Pei Fon / Portal TNH1)
2° TEMPO

Logo no primeiro minuto da etapa final, Luís Soares fez boa jogada pela direita da área muriciense, ganhou no corpo do zagueiro, mas o goleiro Gil estava atento para colocar a bola para escanteio. Logo em seguida, o artilheiro azulino experimentou de fora da área e a bola foi para fora. Aos 5', o meia João Paulo aproveitou rebote da defesa alviverde e mandou por cima do gol de Gil. Aos 14', depois da bobeira da defesa do Azulão, Katê apareceu novamente para desempatar o marcador e balançar as redes para o Murici. Foi o oitavo gol do meia, que se isolou na artilharia do torneio.

O time alviverde retornou para o segundo tempo mais perigoso, aproveitando os seus jogadores leves para assustar a equipe do Mutange. O CSA não conseguia mais ter o controle no campo de ataque adversário, e assim, o técnico Oliveira Canindé fez duas substituições, colocando Cleyton e Rafael Oliveira na formação titular. Aos 30', a bola sobrou para Luís Soares que girou rápido e acertou um chute forte para a boa defesa do goleiro Gil.

Para segurar a vitória, o técnico Bilu colocou o zagueiro Sinval, que entrou no lugar do lateral-direito Deizinho. Os jogadores do Verdão tentaram fazer o tempo passar. Mas aos 44', Rafinha levantou na área, Luís Soares ajeitou de cabeça e Leandro Souza completou, também de cabeça, para o fundo do gol do Verdão. Após o lance, os jogadores e a comissão técnica do Murici reclamaram de impedimento na jogada. No último lance da partida, o atacante Alexandro cabeceou por cima da meta de Jeferson. O árbitro encerrou o duelo que acabou empatado por 2x2.

Houve muita reclamação por parte dos jogadores do Murici no Gol de empate da equipe Azulina, tanto os jogadores como a comissão técnica do Murici alegaram impedimento dos jogadores do CSA no lance do Gol, mas o árbitro da partida validou o lance e o resultado final ficou em 2x2.

(Créditos:gazetaweb.com)
JOGO DE VOLTA

Murici e CSA voltam a se encontrar no próximo domingo, às 18h30, no Estádio Rei Pelé. A arbitragem para a decisão está definida e Charles Hebert Ferreira comanda a partida. Ele será auxiliado por Esdras Mariano de Lima e Benílson dos Santos Silva. Júlio César Farias fica como quarto árbitro. Quem avançar garante vaga na Série D deste ano e nas Copas do Brasil e do Nordeste de 2017.

Lucas André ||@luc4s_andre
Linha de Fundo ||@SiteLF
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana