A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

terça-feira, 26 de abril de 2016

Milagre ou não, Remo veio para o Rio em busca da classificação


O treino de hoje foi apenas um recreativo entre os jogadores (Foto: Angelica Caldeira)
Hoje, às 21h45, acontecerá em São Januário o segundo jogo entre Vasco e Remo pela Copa do Brasil. A primeira partida foi bastante equilibrada e o Gigante da Colina conseguiu vencer por 1 a 0 graças a Thalles, que cabeceou direto para o gol após o cruzamento de Henrique, aos quarenta minutos do segundo tempo.

O Vasco vem embalado por uma bela vitória no Campeonato Carioca em cima do grande rival, o Flamengo. Porém, o técnico Jorginho e os jogadores garantem que não vão deixar esse clima atrapalhar a concentração e afirmam estarem focados agora na Copa do Brasil.

Já o Remo vem de uma fase complicada, com eliminação precoce no Campeonato Paraense e uma derrota amarga para o rival Paysandu, que fez o Leão dar adeus a Copa Verde. Entretanto, a comissão técnica, jogadores e a própria torcida azulina acreditam na vitória do Mais Querido em cima da Turma da Fuzarca.

Em um breve retrospecto, lembramos a Copa do Brasil de 1991, em que o Remo eliminou o Vasco dessa mesma competição. Então, meus amigos, tudo é possível e o futebol é uma caixinha de surpresas.

Conversamos com o Yago Pikachu, que deu uma entrevista exclusiva ao Linha de Fundo sobre a expectativa dele para esse jogo. O lateral afirmou que amanhã tem tudo para ser um jogo difícil.

Apesar da nossa vantagem, estudamos muito bem o adversário e estamos preparados para não ter nenhum tipo de surpresa durante o jogo. A Copa do Brasil é uma prioridade para o clube, então vamos estar concentrados para tentar passar de fase e conseguir a vitória”, disse Pikachu.

Sobre a ansiedade em reencontrar a velha conhecida torcida do Remo, o jogador disse que agora ele já está mais calmo: “No primeiro jogo a ansiedade foi um pouco maior pelo fato de ter sido em Belém, mas eu sei que torcida do Remo vai comparecer aqui e a gente respeita muito a torcida adversária. Dentro de casa a nossa equipe é muito forte”.

Sobre a vantagem do empate e estar jogando em casa, Yago afirma que não só ele, como todo o elenco do Vasco vem para a partida respeitando o Remo: “Estamos contando a força da nossa torcida. Queremos impor um ritmo bom de jogo e buscar pelo gol logo de início para nos dar uma tranquilidade durante a partida”.

Questionado sobre a experiência em jogar contra o Remo e ter isso como um “trunfo”, o jogador confessa sua enorme contribuição, principalmente no primeiro jogo, em que descreveu para o técnico Jorginho características de algumas peças do time azulino. “No primeiro jogo eu tive uma participação mais efetiva, pude falar com o técnico sobre os jogadores do Remo. Porém, para esse segundo jogo a equipe inteira já estudou o adversário e estamos muito bem preparados”, completou Pikachu.

O Remo foi eliminado pelo seu antigo clube de Pikachu, o Paysandu, recentemente pela Copa Verde. Perguntado sobre se isso lhe dava uma confiança a mais para essa partida, o jogador comentou: “São competição diferentes, mas sei que a prioridade do Remo era conquistar a Copa Verde. O Vasco está tranquilo e confiante em busca da vitória. A Copa do Brasil é uma competição muito difícil, então todos da equipe vão dar o máximo em campo para conseguir essa classificação”.

O treino de hoje do Vasco foi fechado para a imprensa, e o Remo fez um breve aquecimento e logo depois um “rachão”. 

O "rachão" teve a duração de apenas meia hora (Foto: Angelica Caldeira)
O goleiro azulino Fernando Henrique afirmou estar de cabeça erguida em busca da classificação na Copa do Brasil: “Fiz uma reflexão da minha parte, sei que goleiro bom é goleiro que faz milagre, então vou me esforçar para fazer isso pelo clube. Sei que tínhamos que estar pelo menos na final do Campeonato Paraense, mas a partir de agora temos que ter personalidade e tentar mudar a história e ir em busca dessa classificação”.

O jogo desta quarta-feira (27) terá como arbitro Flávio Rodrigues de Souza (SP) e os assistentes serão Leandro Matos Feitosa (SP) e Fabrício Porfírio de Moura (SP).

Vasco: Martin Silva, Madson, Luan, Rafael Vaz e Henrique; Marcelo Mattos, Yago Pikachu, Andrezinho e Nenê; Thalles e Riascos. Técnico: Jorginho

Remo: Fernando Henrique, Levy, Henrique, Max e Fabiano; Lucas Garcia, Chicão, Alisson e Marco Goiano; Eduardo Ramos e Ciro. Técnico: Marcelo Veiga

O Remo tem alguns desfalques para esta partida, mas conta com a estreia dos recém-contratados Fabiano e Lucas Garcia.

Queria agradecer a ASCOM do Vasco por ter permitido o Yago Pikachu falar comigo e responder as minhas perguntas. E agradeço também a ASCOM do Remo que permitiu a minha entrada e permanência no gramado durante o treino.

Texto: @Angel_Caldeira

Atlético de Madrid - Raio X


As expectativas sobre a temporada do Atlético de Madrid nesse ano não eram as melhores. Isso foi porque, já no início da temporada 2015/16, o clube optou por fazer uma reformulação no time e, com isso, vários jogadores importante saíram. O primeiro a abandonar o barco foi Arda Turan, o maestro decidiu que precisava de novos ares e fechou contrato com o rival Barcelona. Mandzukic, Raúl García e Miranda são outras peças importantes que saíram. A perda de tantos jogadores foi até meio preocupante a princípio, mas com o tempo os reforços foram chegando. Como sempre, o Atléti apostou em jogadores novos, como Carrasco, Vietto e Kranevitter. 

Os primeiros jogos do Atlético foram horríveis, já que o time não jogava bem, não tinha sintonia e muito menos entrosamento. Porém, por outro lado já demostrava que tinha algo de bom e isso seria a principal arma. Mesmo jogando mal, a equipe conseguia as vitória e, com isso, não deixava os rivais se distanciar na Liga.

O treinador Diego Simeone teve muito trabalho no início, principalmente com os novos contratados Jackson Martínez, que não jogava bem, e Vietto, ainda tinha problemas em se adaptar com o estilo de jogo do Atlético. 

O tempo passava e as péssimas atuações dos colchoneros foi preocupando todo mundo. Na Liga, a equipe até que conseguia ganhar e se manter entre os primeiros, mas essa folga não durou muito, e o Atléti só acordou de verdade quando foi eliminado da Copa del Rey nas quartas de final para o Celta de Vigo. A queda diante do Celta até hoje não é aceitável, o time errou muito, entretanto, o lado positivo da eliminação foi que, a partir daí, a equipe criou um estilo de jogar e não parou mais.

O desempenho do Atlético na fase de grupos da UEFA Champions League foi bom. Com 13 pontos, os colchoneros terminaram na primeira posição, deixando o Benfica em segundo lugar. Além do time português, o grupo contava com o Galatasaray e Malmo.

Estilo de Jogo:


Quando falam que o Atlético tem a cara de Diego Simeone, sem dúvida essas pessoas têm toda razão. O time tem tudo a ver com o treinador, começando pelo o estilo de jogo dentro de campo. Simeone conseguiu implantar no clube e, principalmente, em seus comandados o mesmo estilo que ele mesmo jogava quando foi jogador.

O time abraçou a ideia do treinador, que é "partido a partido", que significa simplesmente "jogo a jogo". Cada passo pequeno é meio caminho andado para glória. Porém, o estilo de jogar da equipe dentro de campo é simplesmente se defender bem e contar ou acreditar que caras como Griezmann, Carrasco ou até mesmo Fernando Torres possam ser decisivos ofensivamente. É claro que eles não jogam retrancados, mas a coisa principal é se defender.

Com essa ideologia, o Atlético hoje tem a melhor defesa da Europa com apenas 27 gols sofridos e 90 a favor, isso tudo em 55 jogos contando com os da pré-temporada. O Atléti agora é um time respeitado por muitos e até temido por alguns rivais.

Entretanto, além de ter uma defesa muito sólida, o Atlético conta com um grande jogador que vem sendo importantíssimo e decisivo para time. Antoine Griezmann é o grande protagonista do elenco desde o início, e é a arma mais forte para o resto da temporada. 

Sonhos:


O maior sonho de qualquer time Europeu é ganhar a Champions League e para o Atlético seria algo mágico, já que por duas vezes eles quase a conquistaram. A primeira vez que o Atléti chegou à final da Champions foi contra o Bayern de Munique, mas infelizmente quem saiu com o título foram os alemães. A segunda vez foi contra o maior rival Real Madrid em 2013/2014, mas o Real conseguiu um gol no último minuto, levando o jogo para a prorrogação e depois conquistando a taça.

Já esse ano, o sonho ainda segue vivo e, para muitos, o Atlético de Madrid levará o título da Champions. Porém, o time espanhol ainda precisa enfrentar o todo poderoso Bayern de Munique do treinador Guardiola. A primeira partida será na casa do Atlético e a torcida já avisou que fará uma festa gigantesca.

Além do sonho da UEFA Champions League, o Atlético ainda está disputando a Liga Espanhola que, por sinal, está muito igualada. Faltando três rodadas, o time tem os mesmos pontos que o Barcelona e divide a liderança com o rival. Logo atrás vem o Real Madrid com 81, o que acaba colocando pressão nos outros dois. 

A única coisa que nós, colchoneros, podemos esperar do time é que lutem até o final. Os jogadores vão deixar o sangue e a alma dentro de campo. Vamos apoiar até o final e curtir muito esse momento, porque mesmo não ganhando podemos dizer que estamos entre os quatros melhores time do mundo (mesmo sem tanto dinheiro) ou, quem sabe, sejamos o melhor de todos.

Texto escrito por Alzemir Neto, colunista do Atlético de Madrid.

Twitter:

Alzemir Neto: @NeetoMoraes96
Linha de Fundo: @SiteLF

Com torcida única, Palmeiras empata na raça, mas é eliminado nos pênaltis

Em jogo realizado com torcida única, a equipe alviverde foi eliminada pelo Santos nos pênaltis. 


Foto de Cesar Greco/Ag. Palmeiras
O jogo no tempo normal foi marcado por uma reviravolta, já que o Palmeiras perdia até os 42' e Rafael Marques empatou com dois gols e levou a partida para a disputa de pênaltis. Porém, o mesmo Rafael Marques perdeu sua cobrança e o Santos venceu por 3x2 depois de Fernando Prass mandar seu chute para fora. 

O JOGO 

O Palmeiras começou sendo sufocado pelo rival e sem espaço para pensar, além do time de Cuca ter entrado mal escalado. A equipe não atacava e não marcava, o que foi um prato cheio para os donos da casa, que só não marcaram aos 12 minutos graças ao goleiro Fernando Prass.

O Palmeiras levou pouco perigo ao gol do Santos e, como de costume, errou muitos passes, sofrendo com a marcação santista. A única boa chance no primeiro tempo veio com uma bela jogada individual de Róger Guedes, que foi espalmada por Vanderlei. O gol do Peixe no primeiro tempo saiu aos 36' com Gabriel.

Segundo Tempo 

No intervalo, nem Cuca e nem Dorival fizeram alterações, porém, ambos mudaram a postura de seus times. O treinador palmeirense protegeu mais o meio, o que deixou a equipe mais compacta, e o santista, tendo a vantagem no placar, apostou mais nos contra-ataques. O Palmeiras até deu nos primeiros minutos a impressão de que incomodaria mais a equipe alvinegra, mas era só impressão mesmo.

Porém, o que deu novamente ânimo ao Palmeiras foram as entradas de Cleiton Xavier e Rafael Marques. Aos 16 minutos, Gabriel Jesus poderia ter comemorado, mas errou finalização na cara do gol, tendo a melhor chance do palmeirense até o momento. Aos 28', saiu a jogada do segundo gol, feito novamente por Gabriel. 

No momento em que o Santos já se sentia com a vitória e a torcida gritava "eliminado", o Palmeiras ensinou mais uma vez que nunca se deve duvidar de sua força. Em dois minutos, aos 42 minutos e aos 44', Rafael Marques empatou o jogo e levou aos pênaltis. 

Foi lindo, uma pena que nas cobranças de pênaltis o Santos foi mais eficaz. 

Ao Cuca: DEUS NÃO AJUDA SE VOCÊ BOTA O RAFAEL MARQUES PARA BATER PÊNALTI. 

Pós-jogo por Luigi Berzoini || @LuigiLouco999 
Linha de Fundo, sua linha de notícias
SIGA @SiteLF E SE INFORME SOBRE O PALMEIRAS

Avanti Palestra! 
Paz no futebol, não à violência!

Confiante, Everton Silva acredita na classificação do Red Bull na Copa do Brasil

Foto: Assessoria de Comunicação / Red Bull Brasil
Disputando a Copa do Brasil pela primeira vez na história, o Toro Loko tem no elenco jogadores experientes na competição, como é o caso do lateral-direito Everton Silva. Com passagens por grandes clubes, o atleta já atuou no campeonato nacional vestindo a camisa de times como Flamengo, Paysandú e Avaí. E agora quer ir mais longe com o Red Bull Brasil.

"Fico satisfeito por estar entrando para a história da equipe que disputa a Copa do Brasil pela primeira vez. É uma grande competição, boa de disputar e, pela nossa campanha no Campeonato Paulista, sabemos que a gente pode surpreender também na competição nacional", diz Everton Silva.

O Red Bull Brasil fez estreia na Copa do Brasil na última quarta-feira (20) diante do América-MG, no Moisés Lucarelli. A equipe mineira saiu na frente, mas o Toro Loko conseguiu o empate e o jogo terminou empatado em 1 a 1. "Claro que esperávamos um resultado melhor, mas buscamos o empate mesmo saindo atrás do placar, nossa equipe tem qualidade e agora temos mais 90 minutos para garantir a classificação para a próxima fase", afirmou o lateral.

As equipes voltam a se enfrentar na quinta-feira (28), às 19h15, no Estádio Independência, em Belo Horizonte. Para garantir vaga na próxima fase da Copa do Brasil, o Red Bull precisa vencer ou empatar por dois ou mais gols. Empate por 1 a 1 leva a decisão para os pênaltis e empate sem gols favorece o América-MG.

Draft 2016: NFC


SOUTH

CAROLINA PANTHERS: depois de perder no Super Bowl, o Panthers está com um gosto amargo. O time ainda acredita nos Offensive Tackles novatos do seu elenco, mas seria bom achar peças para melhorar esta região. O sucesso do Carolina está em seu jogo terrestre, entretanto, com Jonathan Stewart (RB) frequentemente lesionado, talvez seja necessário achar alguém. Na defesa, Greg Hardy (DE) já não é o mesmo jogador dos últimos anos e, com as suas confusões, a franquia busca um alguém para repor. Já Charles Johnson (DE) está no fim da carreira e, apesar de boas partidas de Kony Ealy (DE), ainda é necessário alguém mais agressivo no combate. A segunda linha também mostrou surpresas, porém Josh Norman foi para o Redskins. Outra posição que o time poderia investir seria um novo quarterback para revezar e poupar Cam Newton (QB).

Necessidades: OT, RB, DE, CB e QB

NEW ORLEANS SAINTS: o time sempre teve como característica ataques fortes e pontuadores, mas ultimamente faltam alguns jogadores chave para voltarem a serem dessa maneira. O número de bons alvos para Drew Brees (QB) estão muito limitados. Já na defesa, a franquia contratou três LBs e deixou um tanto quanto confuso o que será feito no Draft. Entretanto, informações de bastidores mostram que um DT será incorporado ao Saints para aumentar as rotações, já que no ano passado New Orleans sofreu muito com contusões.

Necessidades: G, WR, DE, DT e CB

TAMPA BAY BUCCANEERS: Nos últimos anos, os Buccs buscaram muitos jogadores ofensivos. Agora, o foco volta para o seu time defensivo, já que, tirando seus LBs, existem deficiências grandes em toda defesa. A necessidade de um parceiro para Gerald McCoy (DT) nessa linha é notória, e já estão atrás de um novo CB e Safety. Outro setor que Tampa pode investir é o de WRs, pois praticamente só Mike Evans (WR) recebe a bola de Jameis Winston (QB).

Necessidades: QB, OT, G, RB, DE e S

ATLANTA FALCONS: Muito complicado palpitar sobre o que será feito nos Falcons, pois são inúmeras necessidades. Talvez seja a escolha de algum nome de peso para tranquilizar seus torcedores, além de melhorias na linha defensiva, mas o time diz que isso será focado nas rodadas finais do Draft. Para o ataque, não são descartadas possíveis escolhas, já que Alex Mack (C) é o equilíbrio da linha, entretanto a expectativa é grande para suprir a necessidade de alguém tão bom quanto Tony Gonzalez, que está aposentado e ainda deixa saudades.

Necessidades: LB, CB, G, S e TE

NORTH


GREEN BAY PACKERS: o time não tem muitas áreas para se preocupar, sendo assim seu foco é escolher os melhores atletas e não suprir necessidades. Os pouco confiáveis Eddie Lacy (RB) e James Starks (RB) são jogadores que estão fora dos planos de Green Bay, e os atletas da linha ofensiva estão encerrando seus contratos, logo a procura pode tender para essas posições.

Necessidades: LB, DT, OLB, RB e Linha ofensiva

MINNESOTA VIKINGS: outro time que está pouco preocupado com escolhas. O foco é selecionar os melhores jogadores, mas a franquia disse abertamente que procura um WR para melhorar as escolhas de ataque de Teddy Bridgewater (QB). Creio que eles não vão fazer isso logo no primeiro round, e vão buscar talentos em locais que podem sofrer alguma dificuldade no decorrer da temporada.

Necessidades: WR, DE, C, CB e RB

CHICAGO BEARS: está ainda em construção desde a saída de John Fox (HC) e boa parte de sua comissão técnica, o time precisa de bons jogadores. Vejo como posição realmente carente no Bears a de CB. Ninguém está convencido com as corridas de Jeremy Langford (RB) depois da saída de Matt Forte (RB) para os Jets. Porém, o maior reforço do elenco já está na franquia, já que Kevin White (WR) foi selecionado na sétima escolha geral de 2015 e é um talento natural que ainda não entrou em campo.

Necessidades: OT, CB, RB, OLB e DT



DETROIT LIONS: tem picks muito bons nos últimos anos, porém a linha ofensiva continua preocupando. Já que o Lions tem um estilo bem defensivo, achar um Cornerback para jogar junto com Darius Slay (CB) é algo imediato. Calvin Johnson (WR) se aposentou cedo e Detroit ficou a ver navios. A franquia trouxe dois WRs no Free Agents, mas eles ainda não suprem tudo o que o antigo craque proporcionava.

Necessidades: OT, CB, WR, DE e DT


WEST

SEATTLE SEAHAWKS: já faz muito tempo que o time não escolhe no primeiro round e a situação da linha ofensiva é assustadora, mas Pete Carroll se diz confiante e que não precisa de mudanças. Já fazia anos que Marshawn Lynch vinha sido um pesadelo para seus adversários, porém, com a sua aposentadoria a franquia precisa alguém para a posição. Thomas Rawl (RB) cumpriu bem o papel de suplente, entretanto, será necessário alguém para manter o nível do time intacto. Quem também precisa de ajuda é a famosa linha secundária. Os titulares são incontestáveis, mas qualquer baixa por contusão pode ter efeito dramático.

Necessidades: Linha ofensiva, DT, RB, CB e S


ARIZONA CARDINALS: depois de negociar Chandler Jones com o Patriots, o foco se volta para a segunda linha, em que seu CB oposto a Patrick Peterson (CB) é fundamental para o esquema defensivo. Já na linha ofensiva, Arizona busca um Center de qualidade, além de um Wide Receiver para suprir possíveis baixas como as que ocorrerão no final desta temporada, quando os contratos de Larry Fitzgerald e Michael Floyd vão expirar.

Necessidades: CB, C, DT, OT e WR



LOS ANGELES RAMS: não mediu esforços para conseguir seu atleta preferido e negociaram muitos picks para se aproximar de Jared Goff, seu quarterback favorito no Draft. A próxima escolha deles será somente na quarta rodada e tudo indica que o foco será em um WR rápido e um Safety para compor a sua boa defesa.

Necessidades: QB, WR, DE, TE e S


SAN FRANCISCO 49ers: caiu demais e passaram de forte franquia para um amontoado de jogadores em apenas dois anos. Muito disso foi devido as aposentadorias e outras por decisões gerenciais. A situação de Colin Kapernick (QB) e a diretoria é algo bem complicado, o desgaste está cada vez maior do que imaginávamos. Fora isso, Cornerback é uma posição que precisa de fortalecimento, a forte investida em Josh Norman (CB dispensado pelos Panthers) confirma isto.

Necessidades: QB, CB, OT, G e WR


EAST


DALLAS COWBOYS: sofreu muito com a contusão de Tony Romo (QB) e o time não foi capaz de suplantar essa dificuldade. A franquia está com uma séria dúvida entre selecionar um Quarterback na quarta escolha geral, visando 2017, ou procurar um nome forte para a atual temporada, assim motivando os veteranos que não fazem parte dos planos do Dallas. Além disso, há a necessidade de um LB veloz para suprir a futura saída de Sean Lee e, se possível, um WR para ser mais uma opção para Romo.

Necessidades: QB, DT, DE, WR e LB

PHILADELPHIA EAGLES: está cheio de lacunas que dificilmente serão preenchidas por completo. Metade do time que Chip Kelly (HC) selecionou foi dispensado, o Running Back foi embora, entre os CBs só sobraram alguns jogadores com pouca experiência ou com histórico de contusões frequentes. Mesmo com a manutenção de Sam Bradford (QB) e a contratação de Chase Daniel (QB), o Eagles se mostra muito interessado em atletas dessa posição, tanto que o próprio dono do se envolveu diretamente na pesquisa.

Necessidades: RB, CB, DT, OT e QB

NEW YORK GIANTS: Ninguém investiu mais na offseason do que o Giants, mas não quer dizer que tudo está bem. A linha ofensiva tem dado muita dor de cabeça. Não creio que usariam a primeira escolha para esse setor, porém, caso aconteça faria todo sentido técnico. A segunda linha também é um problemas. Apesar do investimento forte por Janoris Jenkins (CB), ainda precisam de opções para a posição. A grande incógnita é Victor Cruz (WR), que está há um ano e meio fora dos gramados. Com ou sem ele, Eli Manning (QB) precisa de novos alvos.

                                                      Necessidades: OT, S, WR, CB e G

WASHINGTON REDSKINS: surpreendeu ao vencer a sua divisão, entretanto, está com alguns problemas que parecem difíceis de resolver a longo prazo. Kirk Cousins (QB) está confirmado por mais um ano por causa do Franchise Tag, mas ele não confirmou a manutenção para outras temporadas. Se na posição de QB existem especulações e dúvidas, na defesa a certeza é que o time precisa urgentemente de um LB. Já ofensivamente, um Wide Receiver novo seria muito bom para substituir o caro Pierre Garçon (WR).

Necessidades: ILB, DT, WR, S e QB


 Ismael Schonardie | @ismahsantos

Real Madrid – Raio X

REAL MADRID

A temporada Madridista foi como uma “montanha-russa". Isso começou antes mesmo do último ciclo em 2014-2015 terminar graças a uma substituição no comando, no mínimo, questionável. Foi anunciado que Carlo Ancelotti não permaneceria para 2015-16 sob a alegação de não ter ganhado títulos de expressão na temporada vigente (ganhou a Recopa Europeia e Mundial de Clubes da FIFA disputando contra Sevilla e San Lorenzo, respectivamente).



Foi então contratado Rafa Benítez e, junto com sua vinda, chegaram alguns reforços para a atual temporada. Danilo, vindo do FC Porto por 31,5 milhões de euros; Mateo Kovačić, proveniente da Internazionale; Kiko Casilla, do Espanyol; e Casemiro, após usar a opção de recompra prevista no contrato. Além dessas contratações, também chegaram atletas que estavam voltando de empréstimo, como Lucas Vázquez, que estava cedido ao Espanyol; e Denis Cheryshev, que estava atuando no Villarreal. Ainda no começo da temporada foram vendidos Iker Casillas, Sami Khedira e Illarramendi. Junto com eles, saíram Coentrão e Lucas Silva por empréstimo.



O técnico espanhol veio com a promessa de montar um time mais equilibrado entre defesa e ataque. Para isso acontecer, ele resolveu dar mais espaço para Casemiro no elenco, e o atleta fez sua parte e jogou bem, mas não o suficiente para dar a resultado que Benítez desejava. A cada jogo comandado pelo treinador, ficava ainda mais evidente a desarmonia entre a equipe, o que demonstrava uma queda de ofensividade.

Entretanto, quem realmente se desequilibrou foi o próprio treinador, que, além dos problemas em campo, colecionou vários conflitos fora dele. Um jornal noticiou na época que Cristiano Ronaldo teria dito a Florentino Pérez que com Rafa não ganhariam nada. Em dezembro, o Real foi eliminado da Copa do Rey por escalação irregular do russo Chéryshev.



Em janeiro Benítez foi demitido mesmo sem perder nenhum jogo na primeira fase (cinco vitórias e um empate) da UEFA Champions League. Cinco dias após sua demissão, Zinedine Zidane estreou contra o La Coruña e o Real Madrid venceu por 5x0. O ex-jogador acumulou 20 gols em seus quatro primeiros jogos em casa, mas acabou empatando com o Málaga em La Rosaleda e logo depois perdendo em casa por 1x0 para o Atlético de Madrid em seu primeiro grande teste. Entre estes jogos, eliminou a Roma na Champions e ainda ficou nove jogos invicto no Espanhol (sem nenhum empate), tendo vitórias notáveis. Voltando a vencer um clássico, derrotando o Barcelona de virada por 2x1 em pleno Camp Nou.



Nas quartas de final, após o El Clásico, o Real enfrentou o Wolfsburg e perdeu o primeiro confronto por 2x0, vazando pela primeira vez Keylor Navas, que buscava o recorde de mais tempo sem sofrer gols na Champions. Na volta, o clube madridista conseguiu reverter o placar, fazendo um 3x0 com três gols de Cristiano, que chegou a 16 gols, faltando apenas dois gols para quebrar seu próprio recorde.
  • AS SEMIFINAIS

O Real enfrentará o Manchester City e, apesar do clube inglês contar com a grande fase de De Bruyne e Agüero, a expectativa dos Blancos é passar pelo adversário e confirmar o favoritismo, visto que o City é estreante nas semifinais e provavelmente não contará com Yaya Touré. Apesar de Cristiano não ir nem no banco no primeiro jogo, Lucas Vázquez, em grande fase, poderá mostrar a que veio.

Os dois times se enfrentaram apenas na fase de grupos da Champions League 2012-2013. No primeiro jogo, Manchester City e Real Madrid empataram em 1x1 na Inglaterra, já no segundo, os espanhóis venceram por 3x2.

Nos últimos quatro jogos como visitante no mata-mata, o Real venceu apenas um, contra a Roma nas oitavas de final. Por outro lado, desde que começou essa fase o City só venceu um dos quatro jogos em casa, contra o PSG nas quartas de final. O pior visitante contra o pior mandante.

Aquecimento Olímpico: Boxe

Foto: Scott Heavey/Getty Images
Atrás de socos e um esporte extremamente físico, o boxe carrega muito mais. O foco, a determinação e a inteligência são as principais armas de um lutador, que precisa estar atento e pontuando em cada segundo da luta. Histórico, esse único esporte a manter a tradição de utilizar majoritariamente atletas amadores, foi o último a incluir as mulheres na disputa.

Lá vem história...

Presente nos Jogos Olímpicos desde 1904, St. Louis, e tendo ficado de fora apenas em Estocolmo, 1912, quando uma lei sueca bania a prática do esporte em seu território, o boxe é uma das lutas que mais ganha adeptos. As regras dessa disputa já foram alteradas diversas vezes, mudando o sistema de pontuação, o uso de capacete, a permissão ou não das mulheres, entre outros.

O Brasil possui apenas quatro medalhas na modalidade, sendo uma de prata e três de bronze. No peso mosca (até 52 kg), Servílio de Oliveira levou o primeiro bronze na Cidade do México, em 1968. A prata veio na categoria peso médio (até 75 kg) em Londres, 2012, com Esquiva Falcão. Ainda na Inglaterra, no peso meio-pesado (até 81 kg), o segundo bronze chegou com Yamaguchi Falcão.

Por incrível que pareça, os Jogos Olímpicos Rio 2016 marcarão apenas a segunda participação das mulheres nessa modalidade. O boxe foi o último esporte a permitir a participação feminina e apenas na Olimpíada de Londres, em 2012, foi oficialmente introduzido. Na ocasião, o Brasil ficou em quarto lugar com a brasileira Erica Matos, que por pouco não venceu a venezuelana Karlha Magliocco. Além dela, Adriana Araújo, que conquistou a medalha de bronze, e Roseli Feitosa também marcaram presença nesse evento histórico.

RIO 2016


A competição de boxe terá a participação de 286 atletas, sendo 250 na disputa masculina e 36, na feminina. A modalidade olímpica passou a ter dez categorias no masculino e três categorias no feminino na última edição dos Jogos em 2012. São elas:

Masculino: Mosca-ligeiro (até 49kg), Mosca (até 52kg), Galo (até 56kg), Leve (até 60kg), Médio-ligeiro (até 64kg), Meio-médio (até 69kg), Médio (até 75kg), Meio-pesado (até 81kg), Pesado (até 91kg) e Superpesado (acima de 91kg).

Feminino: Mosca (até 51kg), Leve (até 60kg) e Meio-pesado (até 81kg)

Até agora, apenas Robson Conceição, da categoria até 60kg, está classificado para representar o Brasil. Outras eliminatórias, tanto no feminino quanto no masculino, ainda acontecem até julho.

Foto: Scott Heavey/Getty Images
No Rio 2016, algumas regras importantes serão alteradas visando aproximar o esporte olímpico do profissional. As mais relevantes são a retirada do protetor de cabeça (apenas para os homens) e a mudança na contagem dos pontos, que não será mais feita pelo número de golpes computados, mas em uma pontuação parecida com o boxe profissional (até dez, com a diferença que em todos os assaltos haverá obrigatoriamente um vencedor).

Hoje, o duelo masculino é disputado em três rounds de três minutos, e o feminino tem quatro rounds de dois minutos. Quando o round chega ao fim, os cinco juízes selecionados atribuem notas aos dois lutadores, sendo que um deles precisa vencer. Um boxeador recebe dez a cada round vencido, enquanto o perdedor ganha de seis a nove pontos.


A definição do vencedor de uma luta pode acontecer de três formas: pela pontuação, quando quem tem mais pontos vence, desqualificação de um dos lutadores ou por nocaute.


Local de competição: Riocentro – Pavilhão 6


Foto: Empresa Olímpica Municipal
O Riocentro é conhecido por seus grandes eventos, convenções e exposições. A localização, que faz parte da zona da Barra, está acostumada ao fluxo intenso de pessoas e deve receber mais de 25 mil pessoas durante os Jogos. Os Pavilhões 2, 3, 4 e 6 serão a casa do levantamento de peso, tênis de mesa, badminton e boxe na Olimpíada, além de sediar o halterofilismo e tênis de mesa na Paralimpíada.

Mariana Sá || @imastargirl 

LEIA: Aquecimento Olímpico - Rugby Sevens - entrevista com Beatriz Futuro
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana