A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

sábado, 7 de maio de 2016

A espera acabou: 46 vezes Paysandu

(Foto: Fernando Torres/ASCOM Paysandu)
Foram 1084 dias. Quase 155 semanas. 35,61 meses. Foram 2,97 anos. Esse foi o tempo que o Paysandu ficou sem ganhar um título. Tempo que, nessa noite, foi zerado. Neste sábado (7), o Papão entrou em campo contra o São Francisco lutando pela Taça Açaí em jogo único. O clube belenense conseguiu a vitória e sagrou-se campeão do Parazão 2016.

Hoje foi dia de conquistar seu 46° estadual, o sétimo de forma invicta. Foi dia de coroar um trabalho duro que está sendo feito há anos. Finalmente o Paysandu conseguiu colher os frutos da grande administração que está sendo feita no clube. Hoje vencemos a primeira grande batalha do ano e o torcedor pode soltar o grito entalado na garganta. O grito que a torcida espera se repetir em três dias.

O JOGO

O cronômetro não marcava nem um minuto quando o Paysandu abriu o placar. Após cobrança de escanteio, Lombardi saiu da marcação e pulou sozinho, marcando de cabeça o primeiro do Papão. O alviazul continuou pressionando, mas esbarrava na defesa. O São Francisco foi conseguindo se organizar melhor em campo e aos 29' Andrelino deixou tudo igual, após indecisão da zaga bicolor e de falha de Lombardi, o jogador azulino cobriu o goleiro Emerson, fazendo 1x1.

Gol do título. (Foto: Fernando Torres/ASCOM Paysandu)
No segundo tempo, Dado resolveu mudar e optou por tirar o lateral, improvisado de meia Raí, que fazia péssima partida, para colocar Raphael Luz, deixando Fabinho Alves, que sentia dores desde o primeiro tempo, jogar. O Paysandu voltou a comandar a partida, melhorou ofensivamente e foi para o jogo, buscando sair na frente novamente. Foi quando Fabinho Alves, após escanteio, fez o gol do título. O clube belenense ainda tentou ampliar, mas não conseguia vencer Paulo Rafael, que fazia grandes defesas.

"São mais de seis meses que essa torcida não sabe o que é chorar uma derrota. Hoje consolidamos esse momento do Paysandu, com esse título. Temos até o final da noite para comemorar. O Paraense é retrato de que fizemos as escolhas certas. Tenho que agradecer essa diretoria pela aposta em me manter. Hoje podemos dar essa vitória ao torcedor. O título de hoje não vai influenciar, não vamos com menos sede para essa decisão de Brasília, mas vamos mais desgastados. Isso quer dizer que temos que chegar forte para buscar o resultado. Tivemos alguns problemas nesse jogo. Fabinho ia sair, mas continuou, Capanema tem atuado com dificuldades. Foi um baita jogo hoje e temos que repetir a atuação terça feira, que é tão importante quanto" – disse Dado Cavalcanti.

OS GOLS:


Palavra da colunista: Hoje finalmente podemos soltar um grito que estava entalado há algum tempo. Muito disso se deve não só ao que está sendo feito dentro de campo, como também fora. Hoje foi dia do "dedo do Dado" ser coroado e, após um ano e três meses de intenso trabalho, o comandante bicolor recebeu sua primeira recompensa. Mais uma vez o mesmo "calou" a torcida que pedia muito a saída de Fabinho Alves, que sentia dores e poderia ser poupado para a final desta terça, deixando o jogador que marcou o gol da vitória, sendo importantíssimo em campo.

Falando sobre atuações, Raí fez outra péssima partida e foi substituído por Raphael Luz, que dessa vez entrou bem. Outra menção necessária é a Leandro Cearense, que mais uma vez teve uma atuação um tanto quanto desastrosa. Fabinho chegava perto da linha de fundo e procurava o companheiro, que não comparecia. Sumia da área quando era exigido e servia como uma parede, a bola batia nele e saia.

Próxima partida: Paysandu volta a jogar nesta terça-feira (10), em mais uma decisão. Dessa vez o clube joga a Copa Verde, contra o Gama, no Bezerrão.

Milan bate Bologna e segue na disputa pela Europa League

Na tarde deste sábado (7), o Milan foi à província de Bologna, no Estádio Renato Dalla'Ara, enfrentar o Bologna

O jogo começou quente e com os comandados de Roberto Donnadoni melhores na partida até os doze minutos, quando Amadou Diawara, que já tinha levado cartão amarelo aos cinco, levou o segundo e foi expulso. Após a expulsão do volante guines, o Milan tomou posse do meio de campo e dominou o restante da partida, mas sem criar muitas chances, tendo como a mais perigosa um chute de fora da área de Honda.

Aos 39 minutos, em saída rápida pela ponta, Jose Mauri, Luiz Adriano e Donnarumma fizeram boa jogada rápida, o defensor Giaccherini ficou para trás na área e, cara a cara com o jogador do Milan, Da Costa foi fintado pelo brasileiro e cometeu pênalti. Carlos Bacca foi a cobrança e marcou seu décimo oitavo gol no Campeonato, 1x0 Milan, 3 dando ponto final a primeira etapa.


Logo no início do segundo tempo o Bologna adotou uma nova estratégia. Mesmo com um a menos, a equipe mandante sufocou o Milan por boa parte da etapa final, mas o time não tinha criatividade e jogava apenas em levantamentos na área, que acabavam em cortes de Romagnoli e Mexès, em excelente partida.

Já aos 43 minutos do segundo tempo, em cobrança de escanteio, o zagueiro Masina marcou para os donos da casa, mas o gol foi acertadamente anulado. Ainda no fim, Giaccherini teve grande oportunidade em cobrança de falta no último lance da partida, porém, acertou a barreira, decretando assim, Bologna 0x1 Milan.

O Bologna, em décimo quarto, não briga por nada, já escapou do rebaixamento e na próxima rodada enfrenta o Chievo fora de casa.

Já o Milan assume a sexta colocação provisoriamente com a vitória e, para se garantir na Europa League, precisa que o Sassuolo perca para o Frosinone ou para a Internazionale, enquanto precisa fazer seu papel e vencer a Roma na última rodada no San Siro


FICHA TÉCNICA:
Bologna: (4-5-1):
Da Costa; Ikonomou, Gastadello (Taïder), Masina, Rossettini (Ferrari); Brighi, Diawara, Giaccherini, Zuñiga (Mounier), Flocari, Brienza. Tec: Roberto Donnadoni.

Milan: (4-4-2):
Donnaruma; Calabria, Mexès, Romagnoli, De Sciglio; Montolivo, Mauri (Bertolacci), Kucka (Poli), Honda (Boateng) Bacca, Luiz Adriano. Tec: Cristian Brocchi.

Por: @acm_vinicius

O sonho pela Champions continua

Na abertura da 37ª e penúltima rodada do Campeonato Inglês, o Manchester United sofreu, mas conseguiu a vitória por 1 a 0 sobre o Norwich, no Carrow Road, e mantém vivo o sonho de se classificar para a próxima Liga dos Campeões da Europa.


(Fonte:ESPN Brasil)
O gol da vitória foi do espanhol Juan Mata, aos 27 minutos do segundo tempo, quando Bassong não cortou lançamento para Wayne Rooney, que invadiu a área, limpou a zaga e rolou para o meio-campista estufar as redes.

Assim, o time comandado por Louis van Gaal se vinga da derrota sofrida no primeiro turno, em Old Trafford, e complica o Norwich na luta contra o rebaixamento. A equipe canária tem apenas 31 pontos e não deixa a penúltima colocação. Sunderland (32) e Newcastle (33) ainda jogam nesta rodada contra Chelsea e Aston Villa, respectivamente.

United e Norwich jogam no meio da próxima semana partidas atrasadas, com os Red Devils em duelo complicado contra o West Ham fora de casa; enquanto os canários recebem o Watford para ainda respirar na briga ante a degola.

O JOGO:

(Fonte:ESPN Brasil)
A partida não trouxe muitas emoções aos moradores do distrito de Norfolk. O time da casa, de campanha fraca no Inglês com apenas oito vitórias em 36 jogos, não empolgou a torcida e nem ofereceu perigo ao adversário.

No primeiro tempo, o United também não encaixou o jogo. Logo aos 16 minutos o italiano Darmian precisou ser sacado por Van Gaal por conta de uma contusão, e o inglês Borthwick-Jackson foi a campo.

O 4-1-4-1 montado pelo técnico holandês conseguiu furar a retranca adversária só no segundo tempo. Aos 27 minutos, após boa assistência de Rooney, deixando o ataque para buscar a bola no meio, Juan Mata aproveitou o espaço vazio e concluiu na saída do goleiro ao invadir a área. A comemoração eufórica deu o tom da importância do gol.

A entrada de Schneiderlin no meio-campo seis minutos após a abertura do placar já mostrou que Van Gaal não queria arriscar. Os três pontos eram importantes demais para se perderem numa bobeada. O setor mais povoado dificultou ainda mais qualquer tentativa de ataque do Norwich.

Já nos acréscimos, aos 47 minutos, Rooney por pouco não deixou sua marca ao cobrar falta na intermediária. A bola, cheia de curva, passou a poucos metros da trave do goleiro Ruddy e assustou os torcedores, que, após o apito final, lamentaram o rebaixamento já garantido da equipe do Norwich.

Lucas André ||@luc4s_andre
Linha de Fundo ||@SiteLF
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana