A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

segunda-feira, 16 de maio de 2016

Quatro finais em um fim de semana na Europa

As quatro principais ligas europeias chegaram ao seu final no último fim de semana. O improvável título inglês do Leicester foi a maior surpresa da temporada. Na Espanha, Alemanha e Itália deu a lógica, Barcelona, Juventus e Bayern se sagraram campeões dentro de seus domínios. Terminada a principal competição doméstica, os clubes se voltam para as tradicionais Copas.

Taça da Copa da Inglaterra. Foto: Divulgação oficial/The FA
Na Copa da Inglaterra, os finalistas serão Crystal Palace e Manchester United. A decisão da FA Cup está marcada para o sábado (21), às 13h30, no lendário Estádio de Wembley, em Londres. Os Red Devils buscam o 12º título da competição, enquanto os Eagles tentam sua primeira conquista no torneio mais antigo do mundo da bola.

A Copa da Alemanha terá na decisão os dois principais times do país atualmente, Bayern e Borussia Dortmund se enfrentam para alimentar ainda mais a crescente rivalidade entre os dois. A final da DFB Pokal também será no sábado, às 15h, no Olympiastadion de Berlim. Os Bávaros são donos de incríveis 17 títulos, enquanto os Aurinegros sonham com o tetracampeonato da competição.

Finalizando o sábado de decisões, o Estádio Olímpico de Roma recebe um dos maiores clássicos do cálcio, Milan e Juventus medem forças para conquistar o segundo torneio mais importante do país. A decisão da Coppa Italia esta marcada para às 15h45, enquanto a Vecchia Signora acumula dez títulos na competição, os Rossoneros somam cinco.

O domingo (22) ficou reservado para a final espanhola, a decisão da Copa do Rei entre Barcelona e Sevilla está marcada para às 16h30, no Estádio Vicente Calderón, em Madri. Os Culés são os maiores vencedores de La Copa com 27 taças e os Sevillistas são donos de cinco conquistas.

Lucas Felipe (@lsouza73)

Figueirense e Ponte Preta não saem do zero na estreia do Brasileirão

Na tarde deste domingo (15), o Figueirense, diante da Ponte Preta, deu início a sua caminhada em mais um Campeonato Brasileiro da Série A. E, ao que parece, será mais uma caminhada longa, cruel, caótica e dolorosa para o torcedor alvinegro.


Tá certo... Primeira rodada de um campeonato que ainda terá mais 37. Não há com o que se preocupar se o time jogar mal nesse primeiro jogo, né? Olha, não é bem assim não. No caso do Figueirense, sempre há com o que se preocupar. Uma partida totalmente ridícula, em que absolutamente nada de bom foi apresentado. Nada. A Ponte Preta, que jogara fora de seus domínios, mandou em quase toda a partida. O Figueira só não perdeu talvez graças aos famosos Deuses do futebol. Ou não.

Logo aos 5 minutos, Bady cobrou falta, Rafael Moura subiu para cabecear, porém para fora. Aos 20', cobrança de escanteio de Ravanelli, Kadu desviou de cabeça para Júnior Oliveira fazer fácil defesa. Na sequência, Gustavo Ermel chutou e João Carlos fez uma bela defesa. Aos 29', Jocinei bateu de fora da área e o goleiro campineiro espalmou. Aos 41', Reinaldo fez a cobrança de escanteio e Wellington Paulista chegou cabeceando com perigo. Aos 42', Ravanelli fez bom passe para Clayson sair cara a cara com Jr. Oliveira, e o goleiro do Figueira fez boa intervenção.

Na segunda etapa, logo aos 2 minutos, um lance bizarro. Chutão para o ataque da Ponte Preta, a bola quicou no chão, Júnior Oliveira saiu "caçando borboleta" e foi encoberto, Jefferson, da Ponte, cabeceia para o gol, mas Jaime chegou a tempo de evitar o que seria o gol pontepretano. Aos 30', bate e rebate na área, Bady pegou a sobre e arriscou, fazendo a bola passou muito perto do gol. Aos 39', Dudu cruzou na área e Jaime chegou cabeceando por cima da meta de João Carlos.

Eu que vos escrevo digo que sim, fiquei grato a Deus pela chegada de Vinícius Eutrópio ao Figueirense. Porém, hoje, ou ele muda sua forma de pensar sobre o Figueira, ou ele pegue sua mala e saia para bem longe daqui. É inadmissível que um time de futebol não evolua em nada com 20 (VINTE) dias livres para treinar. Lhes pergunto: o que estaria fazendo o elenco do Figueirense durante tal período? As críticas para uma primeira rodada podem até parecer exageradas, mas o torcedor que não é aquele que está nem aí se o time joga bem ou não, jamais aceita um futebol tão pífio, seja em qual rodada e campeonato for.

Figueirense volta agora a campo no próximo sábado, às 21h, no Mineirão, contra o Cruzeiro, na estreia do técnico Paulo Bento. Seja o que Deus quiser.

Ficha Técnica - Figueirense 0x0 Ponte Preta

Data: 15 de maio de 2016
Horário: 21h (horário de Brasília)
Local: Estádio Orlando Scarpelli, Florianópolis, SC
Público e renda: 5.714 presentes; 5.458 pagantes; renda de R$ 62.150,00
Arbitragem: Emerson de Almeida Ferreira (MG); Pablo Almeida da Costa (MG); Rafael Trombeta (PR)
Cartões amarelos: Elicarlos e Ferrugem (FIG); João Vitor, Ravanelli, Clayson, Kadu, Douglas Grolli (PON)

Figueirense: Júnior Oliveira, Jefferson, Jaime, Bruno Alves, Marquinhos Pedroso; Elicarlos, Jocinei (Michael Ortega), Ferrugem (Guilherme Queiroz), Bady; Gustavo Ermel (Dudu), Rafael Moura | Técnico: Vinícius Eutrópio

Ponte Preta: João Carlos, Jefferson, Douglas Grolli, Kadu, Reinaldo; João Vitor, Matheus Jesus, Ravanelli (Felipe Menezes); Felipe Azevedo (Rhayner), Clayson (Roger), Wellington Paulista | Técnico: Eduardo Baptista

Patrick Silva | @paddydepre

Coritiba vence na estreia do Brasileirão

Jogadores comemorando o gol marcado por Kléber
(Coritiba/Divulgação)

O Coritiba recebeu no Couto Pereira a equipe do Cruzeiro pela 1ª rodada do Campeonato Brasileiro 2016Com gol do artilheiro da equipe na temporada, Kléber, o Coxa venceu e somou seus primeiros três pontos na competição nacional.

O jogo foi decidido no segundo tempo com o gol aos 25 minutos. O Cruzeiro acabou ficando com dois a menos em campo com os dois expulsos. O Verdão comemorou seus primeiros três pontos no Campeonato Brasileiro deste ano.


O Coritiba estreou no Campeonato Brasileiro com algumas mudanças em relação à equipe que vinha atuando. O goleiro Wilson voltou a campo após ficar longe dos gramados desde a primeira fase do estadual. Outra mudança foi a entrada do prata da casa Dodô e o estreante no Couto Pereira Cesar Gonzalez. O Verdão foi para o jogo com Wilson, Dodô, Rafael Marques, Juninho, Carlinhos, João Paulo, Alan Santos, Ruy, Gonzalez, Vinícius e Kleber.

Desde o início, o Coritiba foi para cima e começou criando as melhores chances. Pressionando a saída de bola do time mineiro, o Coxa tentava armar. Logo aos 7 minutos, Dodô recebeu bola de Gonzalez e chutou, mas Fábio defendeu.


O Cruzeiro assustou aos 10 minutos com Élber, a bola passou pela direita do gol de Wilson e foi pela linha de fundo. O Verdão concentrava o jogo no campo ofensivo e puxava as jogadas. Kléber recebeu perto da área, limpou a jogada e tentou o chute, mas saiu muito fraco.


Perto dos 30 minutos, o time do Cruzeiro começou encaixar em campo e achar espaços para as jogadas. Por duas vezes a arbitragem assinalou impedimento nas jogadas. Gonzalez também teve boa chance antes do apito final da primeira etapa, mas a zaga cruzeirense tirou o perigo.


Kléber decide a partida no 2º tempo


Logo no primeiro minuto da 2ª etapa, Ruy cobrou falta e Juninho cabeceou na direção certa para o gol, mas o goleiro Fábio fez uma bela defesa e evitou que o Coxa abrisse o placar.


A resposta cruzeirense veio novamente com Élber, que arriscou de longe e a bola passou com perigo perto do gol de Wilson. No time do Cruzeiro, Pisano deixou o campo para a entrada de Ariel Cabral e o Verdão também fez a primeira modificação aos 16 minutos, com a entrada de Leandro no lugar de Ruy.


O Cruzeiro havia se organizado em campo e equilibrado a partida. Porém, aos 20 minutos, o lateral Lucas tomou o primeiro amarelo em lance na defesa Alviverde. Um minuto mais tarde, o mesmo Lucas tomou o segundo amarelo e consequentemente o vermelho. Na cobrança de falta, Alan Santos desviou de cabeça e Fábio fez nova defesa dificílima.


Aos 25 minutos, em um contra ataque, Vinícius levou a bola até a linha de fundo e cruzou para Kléber, o camisa 83 bateu da entrada da área sem defesa para Fábio e abriu o placar.


No time adversário, Élber deu lugar a Bruno Edgar. Aí mais um atleta do Cruzeiro foi expulso quando Lucas Romero derrubou Gonzalez no meio de campo e o jogador cruzeirense, mesmo vendo que o atleta Coxa-branca estava caído no chão, pisou nas costas do camisa 19 Alviverde. Cartão vermelho direto para Romero. 


No Verdão, Thiago Lopes entrou em campo no lugar do estreante do Couto Pereira, Cesar Gonzalez. Pouco depois, Vinícius deixou o campo aplaudido pela boa partida, e Ortega entrou em seu lugar.


Com dois jogadores a mais em campo, o Verdão passou a administrar o resultado, tocando a bola e fazendo o tempo passar. Aos 47 minutos, Thiago Lopes subiu para o cabeceio e a bola tirou fina da trave. No lance seguinte, Leandro e Ortega perderam a melhor chance para o Coritiba quando Leandro invadiu a área e, quando foi driblar o goleiro Fábio, o mesmo deu um leve toque na bola, que sobrou para Ortega que bateu em cima do zagueiro cruzeirense, fazendo a bola sair para escanteio. 


Final de jogo no Couto Pereira e o Coritiba garantiu os três primeiros pontos do Brasileirão.

Valeu Coxa!

Texto feito por:
@_Andreysuldovski


Qual o sinal para o torcedor, Corinthians?

A volta do Corinthians aos gramados depois de um período de recesso de duas eliminações (Paulista e Libertadores), era tudo o que o torcedor alvinegro queria. A ansiedade da torcida era poder estrear um Campeonato Brasileiro gritando gol, vendo o time tentar algo, almejar um caneco na temporada. O jogo diante do Grêmio foi marcado por apresentações apáticas de alguns jogadores e a estrela de Marquinhos Gabriel que vem para a competição com grande expectativa de ser um craque.

Foto: Reprodução - Corinthians
Baixa mesmo é para o Matheus Vidotto, o garoto estava ansioso pelas Olimpíadas, jogar em casa, representar as cores verde a amarela da nossa seleção, e foi quando o susto veio, ele se machucou no aquecimento antes do jogo. Força moleque!

A saída de Edílson foi excelente, Léo Príncipe volta ao alvinegro para ser banco de um jogador genial como o Fágner. Uendel não pode nunca ser titular de Arana, o LE anda falhando muito. Nossa defesa é boa, Cássio e Walter no gol e nossos zagueiros dão conta do recado, com Felipe, Balbuena e Yago.

Confesso que eu em particular ainda acredito que André será o camisa 9 do Timão, aquele jogador de frente matador e que podemos montar um time com Marquinhos Gabriel e Giovanni Augusto juntos. Podemos ser ousados com esse time, Elias tem que voltar ao seu futebol real, dá pra arriscar Marlone no titular também. Rodriguinho e Bruno Henrique podiam passar no RH e pegar a cartinha de demissão. Contamos com um banco com bons nomes, o Corinthians tem elenco!

A dúvida que fica é: Teremos o Corinthians que irá lutar e brigar por algo esse ano, já que o estilo de jogo que o Tite gosta, de colocar o time pra cima e buscar vencer, ou o time deixará o torcedor apenas na esperança...

A cobrança do torcedor é porque pagamos caro pra acompanhar e estar ao lado de quem tanto amamos, é claro que queremos resultados, pois novamente a história se repetiu, eliminações em momentos onde éramos melhores. Tudo bem, fomos campeões brasileiros da última edição, mas a história se repetirá?

Não podemos aceitar um time que em jogo de estreia importante e de campeonato longo não tenha finalização que ameace o adversário. Necessitamos de gente que busca, vá atrás e represente o manto. 

Agora o Timão soma quatro jogos seguidos com empate, uma fase muito comum na mão do técnico Adenor em anos anteriores. Foco total no próximo jogo que será diante do Vitória no Barradão, só a vitória importa já que estamos falando de pontos corridos e é o formato em que o Tite adora jogar.

Isabela Macedo || @ismacedo_
Linha de Fundo || @SiteLF

Com amarga derrota, Maracanã se despede dos gramados


Não era o que esperava a torcida boliviana queria, ainda mais em um dia tão marcante como a despedida do ídolo Arlindo Maracanã, que dá adeus aos gramados, mas continuará no mundo da bola atuando como gerente de futebol do próprio Sampaio Corrêa. 

Para os mais de 32 mil expectadores, maior público do ano no Castelão até então, a expectativa era de um grande jogo das duas equipes. A massa boliviana teve uma surpresa preparada pelo treinador Dejan Petkovic, que escalou o "eterno capita" como titular para que pudesse promover sua despedida diante de sua torcida. A escalação foi contestada pelo próprio presidente do clube, Sérgio Frota, que pretendia fazê-la em outro jogo "menos importante". O time mudou de um 4-3-3 bastante ofensivo, com Daniel Barros de segundo volante flutuando no meio-campo e conduzindo a bola do meio ao ataque, para um 4-3-1-2, o que poderia ser válido se houvesse mais empenho na marcação e ajudaria na posse de bola. A verdade é que o Pet escalou dois jogadores no meio-campo sem tanta capacidade para marcar, caso de Daniel Barros e Arlindo. Isso se refletiu nitidamente em campo. O que se viu foi um Sampaio falhando muito no setor defensivo, perdendo o meio-campo para o time cruzmaltino, errando passes e dando espaços ao adversário.

O Vasco, com o status de bi-campeão carioca, tratou logo de assustar a defesa boliviana. Aos 4 minutos de jogo, após um erro na saída de bola da equipe tricolor, Nenê acertou um belo chute para a defesa de Rafael. Em seguida, após cruzamento na área o próprio Nenê cabeceou para o centro do gol, mas o goleiro tricolor bem colocado fez a defesa tranquilamente. O Sampaio respondeu aos 8 minutos com uma cabeçada de Luiz Otávio em cobrança de escanteio, mas não levou perigo ao gol defendido por Martin Silva.

Aos 13 minutos, veio o que o torcedor boliviano temia. Nenê recebeu a bola no flanco esquerdo tricolor e, sob a tímida marcação de Daniel Barros, achou espaço para efetuar o cruzamento para Riascos, livre de marcação, cabecear quase de peixinho para o gol, abrindo o placar no Estádio Castelão. Aos 14', substituição na equipe vascaína, quando saiu o zagueiro Jomar, lesionado, para a entrada de Rafael Vaz. Logo em seguida, aos 16', em cobrança de falta para o Sampaio, Pedrinho chutou sem perigo à direita da meta cruzmaltina.

O Sampaio estava irreconhecível em campo. Diferente dos outros jogos, o time estava jogando aberto demais, sem compactação. Havia um abismo no meio de campo, deixando a sua defesa exposta em muitas oportunidades. Aos 24 minutos, em tabela com Riascos, Nenê aproveitou a chance diante do goleiro Rafael e deu uma bela cavadinha para ampliar o placar. Aos 26', uma bela jogada pela esquerda feita por Arlindo Maracanã, limpando os defensores e chutando para a defesa de Martin Silva. Logo em seguida, mais uma tentativa de Arlindo que parou nas mãos do goleiro vascaíno.



Aos 29 minutos, mexida na equipe tricolor, Arlindo Maracanã sai aplaudido pelos bolivianos presentes no estádio e certamente pelos telespectadores de forma merecida por tudo que fez pelo tricolor, para a entrada do centroavante Carlos Alberto. Dessa forma, o onze tricolor voltou ao 4-3-3 de outros jogos, com Pimentinha e Edgar jogando abertos pelos lados. O time ficou mais agressivo, mas esbarrava na forte marcação do Vasco, principalmente sobre Pimentinha. Aos 31', nova chance para o Vasco em jogada pela direita, quando Madson chutou cruzado e Rafael defendeu. No lance seguinte, erro na saída de bola de Martin Silva e a bola caiu nos pés de Pimentinha, que tocou para Carlos Alberto na entrada da área. Ele rolou na esquerda para Edgar, que invadiu a área e chutou para a defesa do goleiro vascaíno. Aos 42 minutos, mais uma alteração no Sampaio, o comandante tricolor promoveu a estreia de Eli Sabiá na vaga de Mimica, lesionado.


O primeiro tempo foi de amplo domínio do Vasco, principalmente no meio-campo. O time marcou forte e estava sempre atento aos erros defensivos da equipe boliviana. No intervalo, o técnico Jorginho fez a sua segunda substituição, sacando Julio dos Santos e promovendo a entrada de Yago Pikachu.

Logo no primeiro minuto do segundo tempo, susto para defensiva tricolor graças a um chute de Nenê da entrada da área, mas Rafael defendeu com segurança. Aos 4', bola cruzada na área e mais um vacilo da defesa tricolor, que deixou o baixinho Yago Pikachu finalizar de cabeça para fora do gol. Um minuto depois, mais uma chance para o Vasco, quando Rafael Vaz chutou forte na diagonal da área por cima das traves.

Pikachu continuava dando trabalho para a defensiva boliviana e criou mais uma chance para a sua equipe. Após receber lançamento, o jogador chutou cruzado da entrada da área, a bola bateu na trave direita de Rafael e saiu pela linha de fundo. O Sampaio, totalmente desorganizado, se lançava ao ataque sempre com as investidas de Edgar pela esquerda. Desta vez, aos 12 minutos, ele faz uma bela jogada, limpando os marcadores e chutou forte colocado de pé direito, mas a bola pegou na rede pelo lado de fora, tirando o grito de gol de alguns torcedores bolivianos.

Aos 17 minutos, sofrendo com os avanços desordenados de sua equipe, o Sampaio levou o terceiro gol. Jogada de Andrezinho pela direita, que entrou na área e cruzou rasteiro para o meio da pequena área em direção a Riascos, o atacante escorregou junto com Guilherme Santos que o marcava, mas a bola sobrou para Nenê sozinho empurrar para o fundo da rede. Após sofrer mais um gol, Petkovic tentou recuperar o controle do meio-campo sacando Pimentinha e promovendo a estreia do volante Daniel Amora. O Vasco diminuiu o ritmo com a ótima vantagem no marcador, já o Sampaio em seu ímpeto quase diminuiu, aos 28 minutos, com Edgar. Após receber belo passe de Pedrinho, Carlos Alberto deu uma cavadinha para a esquerda na saída de Martin Silva, Edgar recebeu a bola livre e chutou ao gol, mas Rodrigo chegou a tempo e se jogou em direção a bola, impedindo o gol tricolor em cima da linha.

O Bolivão continuava pressionando a defesa cruzmaltina. Agora Edgar, aos 31 minutos, aproveitou a sobra de um chute de Luiz Otávio que desviou em Rafael Vaz e chutou colocado no travessão. Essa que é a jogada característica e a marca do artilheiro boliviano. O Vasco não se intimidou e deu números finais a partida. Aos 34', Riascos, em contra-ataque pela esquerda, encontrou a defesa boliviana desarmada e tentou encobrir Rafael, mas o goleiro espalmou a bola e, na sobra, Nenê conferiu o quarto gol da equipe de São Januário e seu terceiro na partida.

O Sampaio pecou em sua escalação inicial e falhou inúmeras vezes defensivamente, além de não ter aproveitado as reais chances de gol que teve. A equipe tricolor deixou o homem mais perigoso da equipe cruzmaltina muito solto, com liberdade para criar e arriscar nas finalizações. Há que se destacar a função tática de Jorge Henrique, do Vasco, sempre voltando pelos lados do campo, auxiliando a marcação e os combates feitos pelos jogadores de meio-campo, que roubaram diversas vezes a bola. No Tricolor de São Pantaleão, o destaque foi Edgar, que mais uma vez repetiu uma atuação digna do peso da camisa boliviana, só lhe faltou o gol para coroar a sua boa partida.

FICHA TÉCNICA: 
Local: Estádio Castelão, em São Luís (MA), 14 de maio de 2016 (Sábado), 16h (de Brasília) 
Público: 32.188
Cartões Amarelos: Léo Rodrigues (Sampaio); Yago Pikachu e Nenê (Vasco)
SAMPAIO: Rafael; Léo Rodrigues, Mimica (Eli Sabiá), Luiz Otávio e Guilherme Santos; Diego Lorenzi, Arlindo Maracanã (Carlos Alberto), Daniel Barros, Pedrinho; Pimentinha (Daniel Amora) e Edgar. Técnico: Dejan Petkovic
VASCOMartin Silva; Madson, Jomar (Rafael Vaz), Rodrigo (Aislan) e Júlio César; Marcelo Mattos, Julio dos Santos (Yago Pikachu), Andrezinho, Nenê; Jorge Henrique e Riascos. Técnico: Jorginho

Marcos Fernandes || Twitter: @poetafernandes
Linha de Fundo || @SiteLF

Por cada um de nós, joguem como Orgulho da Nação


Certos esforços são feitos apenas por amor e confiança. Você precisa sentir algo muito forte e ter total certeza de que vale a pena para mudar seus dias por alguma coisa. Sair do Rio de Janeiro em direção a Mogi das Cruzes foi uma tarefa difícil, mas eu tinha certeza que nós podíamos vencer. E faríamos isso juntos, como Flamengo.

A atmosfera hostil e a tensão no local não nos impediram de cantar, apoiar e perder nossas vozes pelos jogadores que honram o Manto em quadra. Não falo de futebol, falo de basquete, que dominou o coração de uma Nação inteira e faz com que torcedores que antes só ligavam para um esporte se encantarem pela bola laranja.

A cada cesta a confiança aumentava, cada roubada de bola, cada segundo a menos no relógio, cada esforço enorme que eles faziam também por nós. Foi visível que a vontade de empatar essa série da semifinal era maior até do que a nossa de vê-los no topo. É disso que o Flamengo precisa sempre, de jogadores que nas horas mais difíceis peguem o espírito do clube e transformem em vontade.

O placar estava em 91 a 91 e tudo parecia correr muito devagar. A roubada de bola de Marcelinho e o passe que palavras não podem descrever para Mineiro foi absurdo. A vontade do camisa 12, que deu a vida pela corrida e fez a cesta, mostrou que tudo ia dar certo. No ataque de Mogi, um dos nomes mais importantes do elenco se fez presente novamente e Marquinhos deu o toco que entregou ao Flamengo o empate e a chance de decidir em casa.


O que precisamos nesse Jogo 5 é a vontade nas disputas de bola, a raça que cada um mostrou em quadra quando o ginásio jogava contra, as corridas e ações rápidas e inteligentes que vimos na partida. É a Nação e seu orgulho contra um adversário que pode ser batido se o time der tudo de si. Nós podemos fazer isso juntos.

Precisamos jogar a responsabilidade e o nervosismo no colo deles, deixando a pressão totalmente do lado de lá. Que eles fiquem tensos por serem chamados de pipoqueiros, que seja deles o problema de estar com a série quase ganha e empatar em casa. Que seja deles a sensação de que as coisas podem dar errado.

O Flamengo precisa ser Flamengo. Precisa lembrar-se do que pode produzir e fazer tudo para levar a vaga. Cada um deve lembrar o que é jogar como Orgulho da Nação, como devemos colocar as falhas do ano para trás e lembrar-se de cada glória. Nós merecemos cada cesta, cada ponto, cada comemoração. O grupo merece, a torcida merece e o clube também.

A última batalha será nesta terça-feira (17) com a Nação Rubro Negra lotando o Tijuca Tênis Clube. Nosso amor deve entrar em quadra e nossos jogadores devem dar tudo de si. Vamos para cima deles mostrar que aqui é Flamengo.

"Minha maior herança é esse amor por você"

Mariana Sá | @imastargirl

O futuro atleticano

Saudações Rubro Negras!

O Atlético estreou bem na série B e venceu o Oeste em Catanduva-SP, mas como devemos ver este primeiro jogo sob o comando de Marcelo Cabo? Foi um jogo ótimo para analisarmos o time que temos no momento e observar seus pontos fortes e também os fracos para saber até onde o Dragão pode chegar, e pensando bem, há mais motivos para o atleticano ter um sorriso no rosto do que lágrimas nos olhos.


Todo bom time começa por uma defesa sólida

O Dragão conta com uma defesa confiável, começando pelo capitão, o goleiro Márcio, que é um exemplo de liderança dentro e fora de campo e um talento absurdo dentre as traves, o miolo de zaga conta com, além de Marcus Winicius que está lesionado, Marllon e Lino que atuaram muito bem contra o Oeste, se não fossem a frieza de ambos o Rubrão teria chegado ao empate e talvez até virado a partida.

Nas laterais o Atlético está bem servido na direita com Ednei, o homem da bola parada rubro negra, na esquerda temos o contestado Romário, porém já pode ser notada uma melhora de postura do lateral com o novo comandante, foi dele a assistência para o gol da vitória, assim ganha uma sobrevida com a torcida atleticana.

O meio campo é a alma do jogo

A meiuca rubro negra ganhou um reforço nas ultimas semanas que já mostrou a que veio, o volante Michel jogou bem e deu outra qualidade na saída de bola do Dragão, além dele contamos no time com a raça de Pedro Bambu, os habilidosos Magno Cruz e Jorginho, que está no departamento médico, William Schuster, que tem um ótimo passe e um chute de longa distância muito bom, e o garoto Luís Fernando, que atua de meia-atacante e vem jogando bem esse ano com o manto.

Nosso meio campo é um dos melhores da Série B em conjunto, na ultima partida já podemos observar uma melhora de aproximação com o ataque e várias triangulações surgiram entre os zagueiros do Oeste, inclusive em uma delas surgiu o nosso tento.

Um ataque para melhorar

É inegável a qualidade do nosso comandante do ataque, Júnior Viçosa, porém esse ano ele está devendo, muito por conta da falta de entrosamento que se via com o meio campo. No ultimo jogo Júnior Viçosa deu uma melhorada significativa em relação ao estadual, teve três chances de gol sendo duas em jogadas aéreas e uma pelo chão, a qual foi convertida, ele é a esperança de gols do Atlético durante a Série B e é de extrema importância que ele mantenha a atuação contra o Oeste e, porque não, até melhore para que podemos ter uma esperança de disputar lá em cima.

Junto ao Viçosa, temos o recém-chegado Caion, que jogou alguns minutos contra o Oeste e não mostrou muita qualidade, pode ser perdoado pela falta de entrosamento com os colegas de grupo e pela péssima qualidade do gramado em Catanduva. Temos também o contestadíssimo Gilsinho que não havia atuado bem em nenhum jogo oficial, apenas contra o Gama na pré-temporada, porém ele mostrou confiança e personalidade no ultimo confronto e promete ser um baita reforço para o ataque atleticano, assim como Viçosa, tem que manter a atuação para que possamos sonhar mais alto.

O Comandante

Chegou como um desconhecido e com a tarefa de substituir um treinador muito querido por toda a torcida atleticana, mas já está mostrando que não veio para brincar e quer aparecer no cenário nacional. Este é Marcelo Cabo, que está conseguindo fazer um trabalho interessante neste início.

Cabo comandou alguns treinamentos aonde o time vinha com melhora notável no toque de bola e nas triangulações, aproximou mais o time e cobrou isso durante o jogo. O resultado nós vimos no primeiro tempo, o time não deu chutão e tocava a bola com zaga, meio e ataque participando de toda armação de jogada. A expectativa é grande em torno do comportamento dos jogadores durante o campeonato.

O time em geral

O preparo físico deixa a desejar, vimos durante o Campeonato Goiano que o Atlético não acompanhava os adversários nesse quesito e, com o trabalho do preparador físico permanente Jorge Sotter, a tendência é que melhore consideravelmente esse aspecto em algumas rodadas para que não passemos um sufoco no segundo tempo contra todas as equipes da série B.

O Atlético tem jogadores bons para fazer um bom grupo, não temos um grupo adequado ainda para lutar por acesso e a diretoria sabe disso. O Atlético precisa de jogadores pontuais para pleitear algo maior na série B e eles chegarão.

O Futuro?

Sempre é bom começar o campeonato buscando os 45 pontos para se livrar logo do fantasma do rebaixamento, mas porquê não pensar mais alto? Quem pensa em acesso nunca irá rebaixar. Esse pensamento tem que partir da própria torcida e contagiar os jogadores com ele, sonhem com acesso, sonhem com o título inédito da Série B, mesmo que pareça improvável agora.


Para um clube que em 2005 estava na Série B do Campeonato Goiano e em cinco anos chegou à elite do futebol brasileiro, sonhar é o começo para grandes conquistas.

Wendel Azeredo || @AtletiCorneta
Equipe Linha de Fundo

Netsoccer2: Conheça sobre o jogo

Johannes Eski, finlandês de nascimento, criou o game em 2006. Com o passar do tempo, houve evoluções no jogo, atualmente é comandado por portugueses, holandeses, polacos e brasileiros. Não há indícios de primeiros passos dos brasileiros no jogo, mas no dia 23/03/2006, foi criada a primeira equipe não finlandesa no jogo. Era então, a invasão dos portugueses no game. A equipe Pedrada pelo jogador Ariev a qual se juntaram inicialmente os seguintes jogadores: inves1, d_i_o_g_o, coelho91, Y2C.




Criando seu personagem

No início, você terá a opção "Register" na imagem acima. Colocando seu "username" e senha, como o jogo é online, haverá nomes que já estão sendo usados. Evite usar algo como "John75916" ou algo do tipo, crie um nome legal como "José" ou até algum jogador de seu gosto. A parte do e-mail, não se preocupe, o jogo não lhe forçará a entrar em seu e-mail para fazer alguma confirmação de que você está registrado no jogo.

O que é Netsoccer?

Netsoccer é um jogo online de futebol, onde você tem seu personagem e pode entrar em um time e enfrentar outros jogadores. O jogo tem uma semelhança com um "primo" mais conhecido mundialmente, que é o "New Star Soccer". No vídeo abaixo, um simples tutorial que é um pouco antigo:


Normalmente, pela manhã é difícil encontrar players online. Isso se dá por conta do número de jogadores no game. Antes, havia 300 players online em um só momento, mas com várias mudanças, e o pessoal crescendo e tendo que largar seu vício no game, o jogo foi perdendo popularidade.

Havia uma divulgação no Baixaki, que elevava muito a quantidade de pessoas no jogo. Fique online durante a tarde/noite, evitando manhã/madrugada pós-1h. Assim, você irá conhecer o pessoal e ver que o jogo é bem legal.

Gírias do jogo

Afk = Vem do inglês "away from keyboard", que significa "longe dos teclados". É equivalente a estar ausente.
Bug = É uma jogada irregular, ou seja, chute ilegal onde não pode ser feito.
Chall = Partida amistosa contra algum outro clube do jogo.
Croos = Cruzamento, cruzar a bola.
Cbt = Cobertura, um olé que você passa a bola por cima do jogador.
Lob = Gol de cobertura dentro da área
Lobby = Estar na área comum do jogo.

Posições

Zagueiro: Defende a frente da área, também atuam como volantes, já que normalmente, as partidas são feitas 5vs5

Ala: Atua pelos lados, defende como um lateral e ataca como um ponta.

Atacante: É o ponto de referência do time, deve marcar também na entrada da área quando a equipe adversária tem a posse em jogadas pelos lados e escanteio.

Veja abaixo duas partidas amistosas entre clubes no game:



Dúvidas

Como faço para ir ao "Chall"? Vá em "Team Matches" procure o nome do seu time, e clique, ai clique em Join.

Criando meu time: Para criar seu time, basta clicar em "Create Team". Escolha o nome e pronto. Para ajustar text, uniforme e escudo, clique em "Player List" no canto direito da tela do seu time, e clique em "Settings", lá, você pode trocar o uniforme, escrever a mensagem e colocar o escudo do seu time colando um "url" na barrinha que terá por lá, e dar "Save Changes".

Você pode jogar/treinar com pessoas. Como chegar? Bom, você vai clicar na barrinha "Training", e lá estarão os servidores brasileiros, você irá clicar em um e entrar no game apertando em "join". 

Formas de comunicação? Assim que você entrar no game, terá a opção de "F1 - Ajuda". Você irá pressionar, e lá estarão as seguintes opções:

F2 - Falar com algum personagem de forma privada, em cima você colocará o nome dele, e a baixo o seu texto.
F3 - Você irá se comunicar com as pessoas presentes no servidor, busque ajuda por lá.
F4 - Essa opção lhe dará o atributo de se comunicar com os seus companheiros de time no servidor.
F5 - Falar com algum personagem de forma privada, em cima você colocará o nome dele, e a baixo o seu texto. Caso o F2 não funcione anteriormente, tente esta opção.
F6 - Se comunicar com uma equipe do jogo
F7 - Se comunicar com sua equipe. 

Public Chat - Utilize essa ferramente, e busque algum contato pra você dialogar com esta pessoa. Buscar informações do jogo e etc.


Requer o uso de um mouse para ser jogado.


Fórum Brasileiro:

http://netsoccer.forumfree.it/

Netsoccer Brasil tem 169.855 postagens, 4.566 tópicos, 3.063 usuários, 787.244 total de visitas, 3.428 visitas mensais, 363º em Top Fórum.

Nosso máximo de usuários online foi 157 em 30/4/2013

O Fórum brasileiro do game é também símbolo da principal esperança do jogo, que muitas vezes ficou fora do ar por conta de novas versões como o Netsoccer3, onde foi pouco utilizado e logo faliu. Nessa mudança de "NS2" para "NS3", muitos jogadores deixaram o jogo. Antes era fácil encontrar 300 "players" online de uma vez só, hoje não mais. Os brasileiros se juntaram com o português "2n2u" e o holandês "Akinho" pedindo a volta do game, houve várias quedas do jogo, mas hoje, o jogo voltou a suas origens no "NS2" com administração totalmente brasileira.

Outra ferramenta de comunicação é o grupo do Netsoccer Brasileiro no Facebook:


←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana