A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

quarta-feira, 18 de maio de 2016

Everton Silva é apresentado pelo Joinville para a sequência da temporada

Após campanha de destaque no Campeonato Paulista pelo Red Bull Brasil, o versátil jogador Everton Silva foi apresentado oficialmente pelo Joinville na tarde desta quarta-feira (18) no CT do Morro do Meio.

O lateral-direito e meia retorna ao futebol catarinense para defender as cores do Tricolor do Norte. Em Santa Catarina, Everton Silva já atuou na Chapecoense e no Avaí e agora chega ao Joinville com contrato até o final da temporada e pronto para ajudar a equipe a conquistar o acesso para a elite do futebol brasileiro.

- Se estou aqui é porque o Joinville conhece bem o meu trabalho, chego em um momento de carência na posição, mas eu venho para poder ajudar. Se o professor Hemerson Maria optar por mim, vou dar o meu melhor, garante o atleta.

O próximo compromisso do Tricolor é diante do Criciúma, sexta-feira (20), na Arena Joinville, jogo válido pela segunda rodada da Série B  e o novo contratado espera estar a disposição para essa partida.

- Com certeza espero já poder ajudar no próximo jogo contra o Criciúma. Vai ser um jogo muito bom e quero sentir logo o clima do clássico catarinense. Nós conquistamos um ponto fora de casa na estreia e agora precisamos da vitória diante do nosso torcedor, finaliza.

Foto: Rômulo Balbinotti

Em jogo bastante disputado, Vila Nova perde para o Náutico na Arena Pernambuco


Em um jogo polêmico, o Tigrão saiu à frente do placar com o garoto prata da casa Roger. E com gol de falta o Timbu chegou ao empate. A equipe do Tigre, lutou até o fim, mas perdeu após uma boa vitória na estreia do Brasileirão Série B.

O árbitro Luiz César foi o protagonista da noite, aos 20 minutos do primeiro tempo, Victor Bolt dividiu com Esquerdinha. O juiz mandou seguir o lance, mas logo em seguida o assistente marcou falta. Depois de cinco minutos de muita confusão o juiz decidiu expulsar o volante do Vila Nova. Lance que gerou bastante revolta pelo lado do colorado.

Era evidente que o árbitro estava perdido na partida, como se não bastasse só isso. Após o goleiro Edson do Vila, sair em mais um lance polêmico no jogo, o juiz marca pênalti. Pênalti no qual foi revertido pela equipe do Náutico, fazendo 2x1 e virando a partida para a equipe de Recife.

Vila voltou para a etapa final perdido em campo, a zaga batendo a cabeça. Vinicius Simon perdido, o volante Robston como sempre o mesmo. E acabou levando mais um gol. Mas, o colorado chegou a diminuir com Vandinho, onde marcou pela primeira vez com a camisa do Tigrão. 


E mesmo saindo derrotado da partida, a equipe comandada pelo técnico Rogério Mancini, mostrou potencial, o torcedor está cansado de ver times bons tecnicamente, cair. E desde 2008 o torcedor não vê um time com potencial para lutar pelo G4, ainda e cedo para tirar conclusões, mas o clube precisa pensar grande. Série B não e esse bicho que o clube tanto tem medo não.

Esperamos ver uma equipe forte e vencedora, que possa lutar por algo como em 2008, o 'ano' do Vila Nova, que na época era comandado pelo técnico Givanildo Oliveira hoje no America-MG, por pouco não subiu. Batendo em adversários fortes, Corinthians entre eles. De lá pra cá, o torcedor só viu rebaixamentos. Nada e impossível, de fato. Vamos te seguir seja onde for. E o próximo desafio do Vila, e contra a equipe do Vasco da Gama, dia 24 no Mané Garrincha, em Brasília.

O colorado vendeu o jogo para poder concluir a obra do seu próprio estádio que está bem encaminhada. Se não ocorrer nenhum imprevisto, a reabertura do Onésio Brasileiro Alvarenga (OBA) está programada para o dia 31, na partida diante do CRB. E nesta partida onde enfrentará a equipe do Vasco o clube vai oferecer 10 ônibus, de forma gratuita para sócios que aderem ao plano Ouro. 

Luverdense ganha em Bragança e alcança primeira vitória

Ontem (17) em Bragança Paulista no estádio Nabi Abi Chedid, ou Marcelo Stefani, o Luverdense ganhou de 1 a 0 do Bragantino, conseguindo assim sua primeira vitória na Série B.

O clássico estádio Nabi Abi Chedid sem nenhuma animação, os poucos torcedores apenas berravam xingamentos e não apoiavam o time. A impressão que ficou é que, jogar em Bragança Paulista ou fora, tanto faz para a equipe do Bragantino.

Talvez por isso os jogadores do dono da casa tenham demonstrado mais timidez na primeira etapa do que os atletas de Lucas do Rio Verde. O Braga era um time inseguro em suas ações, tentando jogadas ofensivas ineficientes e mal trabalhadas no campo defensivo do Luverdense, que por serem mal trabalhadas não davam resultado.

Do lado mato-grossense, o Luverdense segurou a bola e tentou buscar espaços na defesa adversária com jogadas em profundidade de Régis Souza e Douglas Baggio, os homens de velocidade da equipe. Nada saia e o chato primeiro tempo finalmente (para os que estavam assistindo) acabou.

Na segunda etapa, o homem decisivo, que iria vir a ser o definidor da partida entrou no lugar de Alfredo, se trata do também atacante Hugo. E além de Hugo, entrou também o velocista Erik.

Segundo tempo muito movimentado, chutes dos dois lados e os goleiros Felipe e Gabriel Leite com muito trabalho, Ricardo explorava a conhecida "mão de alface" do goleiro Felipe, para arriscar de fora, os pontas Régis e Baggio continuavam se infiltrando na área e buscando Hugo.

Reprodução: Twitter
Até que em uma nova jogada pelas laterais, Erik cruzou, Ricardo rolou, Hugo dominou, virou e guardou: 1 a 0 Luverdense, e com isso a complicada vitória fora de casa e de bônus a cobiçada liderança do campeonato, mesmo que possa ser apenas por duas noites.

Ficha técnica:

Local: Estádio Nabi Abi Chedid - Bragança Paulista (SP)
Árbitro e Assistentes: José Ricardo Vasconcellos Laranjeira (AL), Luciano Roggenbaum (PR) e Sidmar dos Santos Meurer (MG)
Renda: R$ 17.040,00
Gols: Luverdense-MT: Hugo 32' 2T
Público: 3.219 pagantes

Bragantino
Felipe; Alemão, Douglas Silva, Eder Lima e Pacheco; Serginho, Edson Sitta e Leandro Oliveira; Thiago Santos (Léo Jaime), Zambi e Eliandro (Lincom) (Jobinho). Técnico: Léo Condé.

Luverdense
Gabriel Leite; Raul Prata, Luiz Otavio, Everton e Paulinho (Erik); Muralha, Ricardo (Da Mata) e Jean Patrick; Douglas Baggio, Alfredo (Hugo) e Régis. Técnico: Júnior Rocha.


Francisco || @BorjaFrancisco
Linha de Fundo || @SiteLF

Aquecimento Olímpico: Natação

A natação é considerada um dos exercícios físicos mais completos, capaz de estimular a movimentação de quase todos os músculos do corpo e recomendado para benefícios ao organismo e a saúde.

Dentro dos desportos, a prática da natação é uma das modalidades mais populares. A competição tem uma metodologia relativamente simples, trata-se de completar o percurso nas águas mais rápido do que seu oponente.

Na Olimpíada, o Comitê Organizador Internacional (COI) reconhece 32 modalidades de piscina e a maratona aquática de dez quilômetros em mar aberto. Pelas regras da Federação Internacional de Natação (FINA), nos Jogos, a piscina tem que ser 50 metros de comprimento e oito raias com dois metros e meio de largura cada.

Prova de piscina nas Olimpíadas de Londres 2012
Foto: Getty Images/London2012

No masculino e no feminino, existem cinco estilos de natação: livre, peito, costas, borboleta e medley. Os homens disputam as provas de 50,100, 200, 400 e 1500 metros livre, 100 e 200 metros costas, peito e borboleta, 200 e 400 metros medley, além dos revezamentos 4x100 e 4x200 metros livre e 4x200 metros medley. As mulheres disputam as mesmas provas, com excessão dos 1500 metros que é substituido pela prova de 800 metros livre.

A maratona aquática é uma prova de 10 quilômetros disputada em mar aberto. Essa exige muito fisicamente do atleta, disputada nas categorias feminino e masculino.

Lá vem história...

Os primeiros registros da natação remetem as pinturas rupestres de 7000 anos atrás. As referências escritas apareceram no épico Poema de Gilgamesh, que nada mais é, que o primeiro registro de escrita da humanidade datado de 2000 a.C., essas também são encontradas na Bíblia, Odisseia, Lenda de Beowulf, entre outras sagas históricas.

A natação desportiva começou por volta de 1800 na Europa e fez parte dos primeiros Jogos Olímpicos da Era Modera, em 1896, em Atenas. No início do século XX, mais precisamente em 1908, foi fundada a Federação Internacional de Natação (FINA), para ditar as regras e registrar os recordes do esporte.

No início, grande parte das provas era disputada em águas abertas, mares, rios e lagos. Com a evolução e a consequente popularização do esporte, mais piscinas foram construídas e as provas de águas abertas foram reduzidas.

A maratona aquática só entrou no programa olímpico nos jogos de Pequim, em 2008. A prova de 10 quilômetros passou a ser disputada tanto pelos homens, quanto pelas mulheres. Na competição de Triatlo nos Jogos, a parte de natação também é disputada em mar aberto.

RIO 2016

Das 452 vagas já garantidas ao Brasil nos Jogos Olímpicos, 38 são da natação. No Mundial da categoria, disputado em 2015, em Kazam, na Rússia, os brasileiros garantiram vaga nos revezamentos 4x100 metros livre masculino, 4x200 metros livre feminino e 4x200 metros medley, masculino e feminino.

Em cada prova de revezamento, podem ser inscritos seis atletas, totalizando 18. Além das equipes, 20 nadadores conquistaram índices individuais no Troféu Open de Palhoça. Na última chance de conquistar vagas no Troféu Maria Lenk, em abril de 2016, o Brasil teve uma baixa considerável. César Cielo não atingiu o índice olímpico e ficará de fora dos jogos em agosto.

Etiene Medeiros. (Foto: Getty Images/Toronto 2015)

Dentre os destaques brasileiros, estão Bruno Fratus, Thiago Pereira, Felipe França, Joanna Maranhão e Etiene Medeiros. Esta última conquistou a primeira medalha de ouro internacional para a natação feminina, nos Jogos Pan-Americanos de Toronto, no Canadá, em 2015.

A maratona aquática também já tem atletas classificados para os jogos. São três os nomes que vão representar o Brasil em agosto, Ana Marcela Cunha, Allan do Carmo e Poliana Okimoto.

Locais de competição: Forte de Copacabana e Estádio Aquático Olímpico

O Forte de Copacabana será o palco de algumas modalidades olímpicas, dentre elas, o ponto de partida para a maratona aquática. O trecho de 10 quilômetros seguirá pelo mar aberto no tradicional e belíssimo cenário carioca.

Estádio Aquático Olímpico (Foto: Divulgação Rio 2016)

Uma instalação temporária, o Estádio Aquático Olímpico receberá todas as provas da Natação nos Jogos do Rio de Janeiro. O local está sendo construído no Núcleo do Parque Olímpico, terá capacidade para 18 mil espectadores e ficará dez minutos de distância da Vila Olímpica.

Aproveite os jogos! Lucas Felipe (@lsouza73)

←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana