A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

quarta-feira, 25 de maio de 2016

Criciúma bate o Goiás e assume a 3ª posição

Criciúma vence com tranquilidade e mantém tabu. Foto: globoesporte.com
Na noite desta terça (23) o time do Criciúma enfrentou o Goiás dentro do Majestoso. O jogo foi válido pela 3ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B.

O jogo foi mais favorável para o time da casa, que além de contar com a força da torcida, também apresentou um time mais forte que os últimos tempos e mais forte que o adversário goiano.

O primeiro tempo foi baseado num Tigre forte, indo pra cima, com mais posse de bola e bom desempenho em campo. Já o Goiás se mostrou um pouco mais recuado e investiu na marcação. Um dos lances que marcou o primeiro tempo foi a falta que ocorreu aos 18'. Numa dividida no alto, Léo Lima acertou em cheio uma cotovelada no rosto do lateral tricolor Marlon, que acabou sendo levado para o hospital e diagnosticado com fratura no nariz. Logo aos 22' Juninho cruzou a bola na área para o artilheiro tricolor Gustavo cabecear a bola para dentro das redes do Majestoso. Criciúma 1x0 Goiás.

O primeiro chute arriscado à gol do Goiás só aconteceu aos 31' onde Léo Lima chutou de fora da área, porém a bola foi para fora. Aos 39', para fechar o primeiro tempo, Élvis cobrou o escanteio e Nathan cabeceou para fechar Criciúma 2x0 Goiás.

O segundo tempo não teve muita diferença do que já havia sido visto, apenas o time do Goiás que com algumas alterações conseguiu dar uma animada no time. O jogo seguiu acirrado, tanto que apenas aos 32' o time da casa voltou a marcar. Élvis recebeu a bola de Ezequiel dentro da área e chutou para o fundo das redes para marcar o terceiro gol tricolor da noite.

Aos 43' o atacante goiano marcou o primeiro gol do Goiás, porém, por causa de na sua comemoração fazer gestos de silêncio para a torcida do Criciúma. O atacante Cassiano que já possuía um cartão amarelo acabou sendo expulso por tal ato.

Assim finalizou o jogo, um jogo de dois times diferenciados tecnicamente e que já haviam se encontrado várias vezes. O time do Goiás concluiu mais um ano sem vencer dentro do majestoso, tal tabu dura vários ano e mais uma vez não foi quebrado.

Com esse resultado de 3X1 o time catarinense assume a 3ª posição da tabela e seu próximo confronto será dia 27 contra o CRB no estádio Rei Pelé.

''Voltaremos outra vez''

Letícia Figueredo

Boa apresentação mas sem o resultado, Luverdense empata com Avaí

Ao som das cornetas, o vazio Passo das Emas viu um fraco jogo entre Luverdense e Avaí.

(Foto: GloboEsporte.com)
No inicio do jogo o Luverdense mostrava mais disposição e qualidade, alguns lançamentos na área e chutes de fora com Ricardo assustavam o goleiro Renan que fazia boas defesas, o alviverde do norte queria dar a seus torcedores motivos para acreditar na vitória. Pouco durou estes motivos, que em jogada pela esquerda, Jajá toca para Tatá, que na saída de Gabriel Leite mete para o fundo das redes, Avaí na frente. Após a jogada da dupla sertaneja e do gol do Avaí, o alviverde continuou tentando e Renan continuou pegando. A bola não entrava.

Na segunda etapa o Luverdense voltou com o mesmo espírito, marcando em cima e buscando o jogo, até que em jogada individual de Régis, ele driblou dois e marcou, o verdão igualou. Após o gol, os times se acomodaram e fizeram um "joguinho de comadre", assim o chato jogo ficou, 1 a 1 sem sal.

Na próxima rodada o LEC irá a o Curuzu enfrentar o Paysandu recém-goleado que tentará reverter a crise, já o Luver tentará um empate para se manter em cima da tabela.

FICHA TÉCNICA:
LUVERDENSE 1 x 1 AVAÍ

Data: 24 de maio de 2016, terça-feira
Horário: 21h30 (de Brasília)
Local: Estádio Passo das Emas, em Lucas do Rio Verde (MT)
Árbitro: Antônio Carlos Pequeno Frutuoso (AM)
Assistentes: Jander Rodrigues Lopes (AM) e Alexsandro Lira de Alexandre (AM)
Público: 1.561 pagantes
Renda: R$ 16.460,00
Cartões Amarelos: nenhum

GOLS: LUVERDENSE: Régis Souza, aos sete minutos do segundo tempo AVAÍ: Tatá, aos 29 minutos do primeiro tempo

LUVERDENSE: Gabriel Leite; Raul Prata, Luiz Otávio, Everton e Régis Souza; Ricardo, Muralha e Jean Patrick (Vitinho); Hugo (Romarinho), Douglas Baggio (Erik) e Alfredo. Técnico: Júnior Rocha

AVAÍ: Renan; Renato, André Santos, Gabriel e João Paulo; Jajá, Lucas de Sá e Tatá; Tauã (Lucas Coelho), William (Toshi) e Romarinho (Romulo). Técnico: Silas


Francisco Borja || @BorjaFrancisco_
Linha de Fundo || @SiteLF

Arrecadação de TV na Premier League ultrapassa £1,6 bilhões

Existe uma grande parcela de saudosismo quando se diz que o Brasil é o país do futebol, já que na verdade esse título é muito mais aplicável aos ingleses. O futebol na terra da rainha é tratado com o devido respeito e atenção que ele realmente deve ter. O principal exemplo vem do dinheiro das cotas de TV, os valores são separados em três grandes pacotes: uma parcela fixa, uma por mérito e uma de acordo com a audiência.

A primeira parcela é dividida igualmente pelos clubes, na temporada 2015-16 esse valor foi em torno de £55,8 milhões por clube. A segunda parte obedece à colocação do clube no último campeonato, o campeão Leicester recebeu £24,8 milhões e o último colocado, Aston Villa, pouco mais de £1,2 milhões. A terceira fatia é dividida de acordo com o alcance de audiência atingido por cada clube, o Arsenal foi o que mais teve jogos ao vivo, 27 no total, o que gerou £21,4 milhões de arrecadação.

Valores distribuídos a cada clube na temporada 2015-16 na Premier League.
Somada toda a renda recebida pelos clubes, a Premier League distribuiu um total de £1.638.805,918 isso mesmo, mais de um bilhão e seiscentos mil euros. Destrinchando os valores, a bilionária liga separou pouco mais de £1,1 bilhões para serem divididos igualmente pelos clubes, valores que vem dos acordos de transmissão e uma parcela separada para desenvolver o marketing do clube. £260.904,868 foi à soma total dos valores pagos pelo alcance da audiência, em média, cada clube recebeu £800 mil por partida exibida ao vivo na TV. Finalizando, £260.905,050 foi o valor distribuído por mérito, pouco mais de £1,2 milhões por posição conquistada na tabela.

Mesmo se sagrando campeão, o surpreendente Leicester ficou em 5º lugar no ranking de arrecadação, recebendo pouco mais de £93,2 milhões, isso porque os Foxes só tiveram 15 jogos exibidos ao vivo durante o campeonato. O recorde de arrecadação é do Arsenal, mais de £100 milhões, valor nunca antes registrado na história do futebol. Manchester City (£96,9 milhões), Manchester United (£96,4 milhões) e Tottenham (£95,2 milhões) completam o TOP 5 de arrecadação.

A tristeza do rebaixamento também foi consolada com alguns milhões. O 17º colocado Newcastle somou £72,8 milhões em arrecadação de TV, o 18º Norwich ficou com £67,1 milhões e o lanterna Aston Villa teve que se contentar com £66,6 milhões. Para a próxima temporada, esses valores já surreais aumentam ainda mais com um novo acordo de £400 milhões pelas transmissões nacionais e outro de £600 milhões pelos direitos de TV no exterior.

Lucas Felipe (@lsouza73)

Vila Nova joga bem, mais sai derrotado do Mané Garrincha

Em uma noite com vários problemas, o jogo entre Vila Nova e Vasco e marcado por desorganização e descaso com o torcedor Colorado. Na noite desta terça-feira (24) o Vila Nova até que tentou, mais não segurou a equipe carioca. Sendo mais agressivo no primeiro tempo, o Tigre não soube aproveitar as oportunidades criadas.



O jogo mal havia começado quando a torcida Vilanovense enfrentava problemas ao entrar no estádio. Bilheterias do lado da torcida 'visitante', problemas com o sócio torcedor. Um descaso com o torcedor, que foi até Brasília acompanhar a partida.

O jogo foi corrido, o Tigre segurou e marcou durante todo o primeiro tempo o Vasco. Neutralizou totalmente a equipe vascaína na primeira etapa, marcando Nenê e Jorge Henrique. E no inicio do jogo o goleiro do Vasco arriscou e por pouco pegou o Edson adiantado, e por pouco não marcou um golaço. E o Edson mais uma vez adiantado.

Vai ano, vem ano é o ataque do Vila continua o mesmo, não aproveitando as chances criadas. E ao ver o lateral Feijão errando e cometendo pênalti em Nenê, ele próprio bate fazendo 1x0.

A equipe do Vila hoje se aproxima do Z-4. O planejamento precisa ser revisto a equipe formada não e ruim, já vi piores por aqui. O problema é, basta o Rogério Mancini ter peito e voz e tirar o Edson do gol. O goleiro vem de lesão no Campeonato Goiano onde não disputou os jogos contra o Goiás na semifinal. E evidente, ele está fora de forma.



Mancini precisa resolver, terá dor de cabeça no próximo jogo onde pega o rival Atlético, hoje líder da Série B. O técnico não deve contar com Jean Carlos que ganhou um cartão vermelho bobo após a partida, mais a equipe deve contar com a volta de Bolt.

O Vila precisa se organizar, sábado será um jogo difícil. O time do Atlético não e bobo, vem ganhando e convencendo, não é a toa que são líderes e donos da melhor defesa até agora. Se não acordar em tempo, depois pode ser tarde demais é não adianta chorar.

Em casa, Sampaio perde a terceira e segue na lanterna

(Foto: Biaman Prado / O Estado)
O Sampaio encarou o Paraná pela terceira rodada do Brasileiro Série B, no Castelão. Era uma noite para o time fazer as pazes com a torcida que compareceu timidamente ao estádio. Mas não foi o que aconteceu. Ansioso e pecando nas finalizações, o time saiu derrotado mais uma vez diante de sua torcida e dos olhares atentos do novo técnico, Wagner Lopes, anunciado oficialmente na tarde de ontem.

O técnico interino Arlindo Maracanã promoveu alterações em relação ao jogo contra o Avaí e escalou um time, em tese, bastante ofensivo. Na defesa, apenas uma alteração. Sacou o zagueiro Rodrigo Arroz e colocou Luiz Otávio em seu lugar. Levi era o único volante com a forte característica de contenção. Daniel Barros voltou à equipe titular para compor a primeira linha de meio de campo, auxiliar na saída de bola e ajudar Pedrinho na ligação com o ataque. Na frente, Edgar, Pimentinha e Carlos Alberto estavam encarregados de dar trabalho ao sistema defensivo da equipe paranaense.

O Sampaio se lançou ao ataque de forma desorganizada mais uma vez, deixando espaços e dando condições para o toque de bola adversário. O time boliviano explorou de forma excessiva as investidas de Pimentinha pelo lado direito, em suas jogadas e dribles típicos. Algumas situações de gol foram criadas através dessas jogadas, mas a pontaria dos atacantes não estava calibrada.

Depois de equilibrar bem o jogo e conseguir criar chances de gol, a equipe maranhense bobeou e deixou espaço para Nadson, ex-jogador do Sampaio, arriscar o chute de fora da área que contou com a colaboração do goleiro Ruan. O Paraná abriu o placar no Castelão. É o segundo jogo seguido que o arqueiro tricolor falha fatalmente. Sua titularidade era defendida por quase toda a torcida, mas está nítida a falta de confiança e a má fase dos goleiros da Bolívia Querida. Ainda no primeiro tempo, o atacante Carlos Alberto, alegando uma lesão, foi substituído por Max.

No intervalo, mudança no Sampaio. Arlindo Maracanã tira Levi, que errou muitos passes, e colocou Léo Gago, estreante da noite. O meia Felipe Costa voltou a ter uma oportunidade de mostrar serviço. Ele substituiu o meia Pedrinho, que saiu sem conseguir fazer nada para mudar o placar. A mudança deu logo resultado. Aos 23 minutos, Pimentinha fez boa jogada pela direita e cruzou rasteiro para Felipe Costa se antecipar e empatar a partida.

O time boliviano martelou, mas sem eficiência, atacando desordenadamente e possibilitando chances para o Paraná. E aos 37 minutos, em um chute de Nadson, a bola desviou em Luiz Otávio e sobrou para Robson chutar para o fundo das redes. Ruan ainda tentou impedir, mas o Paraná passou mais uma vez à frente do marcador. Mais uma falha defensiva do Sampaio. Eli Sabiá é quem estava na marcação do goleador e apenas o observou se deslocando em direção da bola.

Depois do gol, o Sampaio tentou uma pressão se lançando todo ao ataque, mas mais uma vez esbarrou na falta de criatividade. O árbitro apitou o final de jogo e o time boliviano desceu para os vestiários sob as vaias e protestos da torcida.

O time ainda não pontuou na Série B e amarga a lanterna. São três derrotas, oito gols sofridos e apenas um a favor. O destaque do Tricolor foi Luiz Otávio, com seis desarmes e sempre bem postado. O próximo jogo do Sampaio será contra o Náutico, o nono jogo em 27 dias, na sexta-feira (27/05), às 21h30, em Recife, já sob o comando do novo técnico Wagner Lopes.

FICHA TÉCNICA:

LOCAL/HORA: Estádio Governador João Castelo (Castelão), São Luís (MA), às 19h15
Cartões Amarelos: Nadson, Válber e Rafael Carioca (Paraná)

Sampaio Corrêa: Ruan; Gedeílson, Eli Sabiá, Luiz Otávio e Guilherme Santos;
Levi (Léo Gago), Daniel Barros e Pedrinho (Felipe Costa); Edgar, Carlos Alberto (Max) e Pimentinha. Técnico: Arlindo Maracanã

Paraná: Marcos; Diego Tavares, Pitty, João Paulo e Rafael Carioca (Fernandes); Anderson Uchôa, Lucas Otávio, Válber (Basso), Nadson; Robson e Lúcio Flávio (Robert). Técnico: Claudinei Oliveira

Marcos Fernandes || Twitter: @poetafernandes
Linha de Fundo || @SiteLF

Com show de Nenê, Vasco permanece no topo da tabela


Nenê cobrando a falta que resultou no segundo gol (Foto: Carlos Gregório Jr./Vasco.com.br)
A noite da última quarta-feira (24) foi memorável. O jogo foi Vila Nova contra um Vasco impagável, que mesmo não jogando os 90 minutos de forma tão convincente, tem sido eficiente em toda a temporada. O placar foi 2 a 0 para os visitantes e a atuação de Nenê foi brilhante, que além de ser o craque do time, é o artilheiro. Um gol de pênalti e outro de falta convertidos incrivelmente pelo camisa 10 da Colina.

Atuação excepcional (do Nenê). Com uma condição física que eu gostaria de ressaltar. Minha equipe de preparação física está fazendo um trabalho excepcional. A ponto de um Nenê, Jorge Henrique, Julio Cesar correndo muito, o tempo todo. Mantendo um nível desde o início do jogo”, afirmou o professor.

De um lado o Vila Nova, que é o 14° colocado na tabela da Série B do Campeonato Brasileiro, com três pontos e do outro, o Vasco da Gama, que é líder e está com 100% de aproveitamento no campeonato. Além de o time vir com todo esse peso nas costas, essa foi a 30° partida que o Vasco não perde.

Claro que nem tudo são acertos. O zagueiro Rodrigo cometeu uma falha, que por pouco não se tornou perigosa o suficiente para assustar Jordi, mas o próprio Rodrigo reparou o erro. E ainda houve confusão com os jogadores após o apito final. Nenê foi empurrado por Jean Carlos, e Diguinho tentando apartar a briga levou a pior. Dois vermelhos, para Jean Carlos e Diguinho e um amarelo para Nenê.

Jordi substituiu Martín Silva de maneira surpreendente. O goleiro fez atuação impecável e ainda levou perigo à meta adversária. Também teve substituição precipitada, já que Madson sofreu lesão logo no início do primeiro tempo. Eder Luis entrou em seu lugar, o que deu muito mais agilidade e qualidade ao ataque.

Segundo o técnico Jorginho, o objetivo nunca foi alcançar essa invencibilidade. Ele tenta tirar o máximo da pressão dos jogadores e com trabalho duro os resultados vêm naturalmente, como o título estadual e essa grande invencibilidade – que é a maior do Brasil atualmente. A marca mais expressiva do clube é do saudoso Expresso da Vitória, que foi invencível por 35 jogos. O atual elenco está cada vez mais perto de quebrar mais um recorde e entrar para a história da Colina Histórica.

Embalado por essa boa fase, o Gigante da Colina enfrenta o Bahia, em casa, e espera a torcida em peso. A partida começa às 16h, no sábado (28).

100% Atleticano

Saudações Rubro Negras!

O Atlético manteve sua regularidade e venceu o terceiro jogo em três rodadas, pelo mesmo placar dos outros jogos. O Dragão contou com o gol de Luiz Fernando para bater o Ceará, em Fortaleza, pelo placar mínimo, em um jogo que torcedor cardíaco com certeza ligou para seu médico após os 90 minutos.

Luiz Fernando marcou seu terceiro gol no ano
No primeiro tempo, o Ceará começou fazendo uma pressão característica de quando o Vozão joga em casa, perdendo boa chance logo aos 4 minutos com Felipe, desviando cruzamento e obrigando Kléver a fazer uma boa defesa. O Atlético conseguiu uma resposta rápida com Michel, que tabelou com Matheus e chutou por cima do gol de Éverson, essa chance fez com que o Atlético acordasse na partida e chegasse mais duas vezes com Viçosa e Gilsinho com jogada aérea e por contra ataque, respectivamente. Acuado, o Ceará precisava de uma resposta que veio com uma bola na trave de Felipe e um chute de longa distância de Marino, que tentava fazer valer a lei do ex, sem sucesso.

A segunda metade começou com duas mudanças no Atlético, Gilsinho saiu para entrada de William Schuster e o goleiro Kléver, lesionado, deu lugar a Marcos, essas alterações definiriam a partida.

Marcos começou trabalhando logo cedo em falha de Marllon, interceptando um cruzamento perigoso de Thallyson. Júnior Viçosa teve uma chance de ouro aos 15 minutos, onde avançou livre da intermediária até chegar a grande área quando finalizou e o goleiro Éverson, que fechou muito bem o ângulo, defendeu. O Vozão chegou por mais três oportunidades, aos 22, 30 e 34 minutos, com jogadas de linha de fundo, mas o Atlético não estava morto.

Igualmente contra o Brasil de Pelotas, aos 37 minutos do segundo tempo aconteceu o gol da vitória. William Schuster, que veio do banco no intervalo, costurou a zaga alvinegra, tabelou com Viçosa e deu um passe de mestre para Luiz Fernando, que invadiu a área e bateu cruzado na saída de Éverson. Luiz Fernando ao comemorar levantou a camisa e levou o segundo amarelo, sendo expulso.

Marcos foi eleito o melhor em campo
O Vozão se lançou ao ataque e teve diversas chances para conseguir o empate. Porém Marcos se mostrou pronto para assumir o posto de arqueiro Rubro Negro quando necessário e fez torcedores do Ceará sonharem com suas defesas. Em uma das oportunidades a bola chegou a passar por ele, mas Romário estava no lugar certo e na hora certa e tirou a bola em cima da linha.

O Atlético é vice-líder da Série B, é um dos dois clubes 100% no Campeonato Brasileiro das séries A e B, junto do Vasco. Também tem a melhor defesa da competição com a equipe carioca, com nenhum gol sofrido, marca atleticana neste ano, visto que foi a melhor defesa do estadual.

O Dragão volta a campo no clássico contra o Vila Nova, sábado às 16 horas no estádio Serra Dourada. Nos últimos 26 jogos o Atlético leva ampla vantagem contra o Tigre, foram 16 vitórias contra sete empates e apenas três derrotas, uma delas no ultimo confronto.

FICHA TÉCNICA:
Ceará 0 x 1 Atlético

Local: Arena Castelão, em Fortaleza (CE)
Data: 24/05/2016
Hora: 19h15
Árbitro: Philip Georg Bennett
Assistentes: Silbert Faria e João Luiz Coelho
Cartões amarelos: Felipe (Ceará); Pedro Bambu, Luiz Fernando e Eduardo (Atlético)
Cartão vermelho: Luiz Fernando (Atlético)
Gol: Luiz Fernando (ACG) aos 37’ 2T (0-1)

CEARÁ: Éverson; Tiago Cametá, Antônio Carlos, Sandro e Thallyson (Eduardo); Marino, Richardson, Serginho (Assisinho) e Felipe; Tomas Bastos (Alex Amado) e Rafael Costa. Técnico: Sérgio Soares

ATLÉTICO: Kléver (Marcos); Matheus Ribeiro, Lino, Marllon e Romário; Michel, Pedro Bambu, Magno Cruz (Eduardo) e Luiz Fernando; Gilsinho (William Schuster) e Júnior Viçosa. Técnico: Marcelo Cabo

Com goleada histórica, Tupi "dá o troco" no algoz de 2014

É impossível para o torcedor do Tupi ouvir falar do Paysandu e não se lembrar do revés de 2014, quando os times haviam se enfrentado pela última vez. Naquela oportunidade, o Papão venceu em Juiz de Fora e Galo Carijó sofreu uma das suas derrotas mais amargas nos últimos tempos, perdendo o acesso, que aconteceria um ano depois.

Tupi e Paysandu se encontraram novamente (Foto: Site/Hoje em dia)
Nesta terça-feira (24), as equipes voltaram a se enfrentar pela 3ª rodada da Série B, no mesmo palco daquela ocasião. Portanto, o duelo tinha cara de revanche, apesar de poucos remanescentes de ambos os lados. O Alvinegro entrou em campo e a partida foi marcada por uma série de comemorações. Entre elas, os jogadores puderam vestir o novo manto pela primeira vez em um jogo e valia um troféu simbólico ao vencedor. Na semana que o Tupi Football Club completa 104 anos de fundação, quem ganhou o presente, foram os torcedores que estiveram no Estádio Radialista Mário Helênio.

O jogo

Mais uma vez Ricardo Drubscky não repetiu a escalação anterior por dois motivos: Jonathan estava suspenso e Filipe Alves por opção do treinador não estiveram entre os onze que começaram a partida. Com isso, Gabriel Sacilotto e Henrique ganharam as vagas, estando presentes pela primeira vez no time titular. A equipe começou o jogo alinhado no 4-3-2-1 (Glaysson; Filippe Formiga, Heitor, Rodolfo Mol e Bruno Costa; Rafael Jataí, Marcos Serrato e Gabriel Sacilotto; Henrique e Thiago Silvy; Giancarlo).

Antes da partida, o treinador prometeu um time ofensivo, e foi o que ocorreu nos primeiros minutos. Só que dessa vez, o Tupi mostrou ser bastante eficiente, diferentemente das partidas anteriores. Logo aos 3 minutos, Thiago Silvy tocou para Gabriel Sacilotto, que tentou cruzar de perna esquerda, a bola bateu no adversário e sobrou na perna direita do mesmo, que devolveu para Thiago Silvy na área e o atacante finalizou bem, para abrir o placar.

Após o gol, o Paysandu passou a dominar a partida e o Tupi recuou demais, sofrendo alguns minutos de pressão. A melhor chance foi na bola parada, aos 13', quando Alexandro subiu livre na área, mas desperdiçou uma boa oportunidade. As principais chegadas do time Alviceleste eram pelas laterais, sobretudo pelo lado direito da defesa Alvinegra, que contava com o seu lateral em um dia ruim. Porém, Ricardo Drubscky logo percebeu as falhas e resolveu mexer já no primeiro tempo, tirando Filippe Formiga e colocando Vinícius Kiss, aos 32 minutos.

Com isso, Henrique foi recuado para a lateral-direita e Vinícius Kiss entrou na sua posição de origem, no meio. Os ajustes surtiram efeito e o Tupi equilibrou a partida. No fim do primeiro tempo, o Papão buscou o gol, mas foram raras as vezes que levou perigo. O Galo Carijó foi com a vantagem do placar mínimo para o intervalo e o melhor ainda estava por vir.


No segundo tempo o Tupi construiu a goleada (Foto: Reprodução/ESPN)
Na etapa complementar, o Tupi voltou com a mesma postura defensiva, porém tentou aproveitar mais os erros do adversário e explorava o contra-ataque. No entanto, os primeiros minutos foram de poucas chances de gols para ambos os lados. Até os 16 minutos, quando Bruno Costa cruzou da esquerda, a defesa do adversário conseguiu afastar parcialmente e a bola sobrou para Gabriel Sacilotto, que cruzou rasteiro e Vinícius Kiss apenas empurrou para as redes, fazendo 2 a 0.

O Paysandu parece ter sentido o baque do segundo gol, o Tupi cresceu ainda mais na partida e não demorou muito para que mais chances fossem criadas. Aos 21', Rafael Jataí deu um passe por elevação para Gabriel Sacilotto, que bateu no cantinho e Emerson fez uma boa defesa. No lance seguinte, Marcos Serrato puxou um contra-ataque, o Tupi chegou com três jogadores contra apenas dois do adversário e o volante não perdoou, ampliando o marcador para 3 a 0.

Com a vantagem de três gols e a vitória praticamente garantida, Ricardo Drubscky mexeu mais uma vez, tirando Rafael Jataí amarelado e colocando Recife. Contudo, ainda tinha mais emoção, o Tupi teve uns minutos de relaxamento e a partir daí o Paysandu viveu o seu melhor momento no jogo.

Aos 31', Rafael Costa cobrou bem uma falta, mas Glaysson espalmou. Na sequência, os visitantes mantiveram a pressão, tendo uma série de escanteios a seu favor. Em um deles, Pablo desviou de cabeça, a bola bateu em Lucas e o mesmo marcou sem querer. O gol acordou o Papão, que passou a acreditar, chegando até a ter um gol anulado por impedimento, aos 42 minutos. Para o alívio da torcida, o bandeira estava atento, caso tivesse sido validado o Tupi poderia ter sido pressionado nos últimos minutos.

No entanto, quem foi à rede novamente, foi o time da casa. Em um lance com participação de dois jogadores que entraram no segundo tempo, Recife aproveitou o erro na saída de bola, desarmou o adversário já no campo de ataque e tocou para Michel Henrique, que devolveu para o volante e ele finalizou no cantinho, ampliando a goleada, aos 45 minutos.

E ainda tinha mais. Nos acréscimos, Gabriel Sacilotto achou um espaço na defesa adversária e deu a sua terceira assistência no jogo, Vinícius Kiss aproveitou, adiantou a bola na frente do goleiro que havia saído e bateu no gol vazio. Com a goleada por 5 a 1, o Tupi passou a tocar a bola, sob os gritos de "olé" até que o árbitro apitasse pela última vez.

Os jogadores do Tupi fizeram festa em comemoração ao aniversário de 104 anos do clube (Foto: Site/tupifc.esp.br)
Muitas palavras podem definir essa vitória: Entre elas estão superação, alívio e esperança. Após duas derrotas nas duas primeiras rodadas, o time buscava somar os seus primeiros pontos, para respirar na competição. E muito além de vencer, o time conseguiu uma goleada por 5 a 1, deixando os seus torcedores mais tranquilos para a sequência. Com o resultado, o Tupi subiu para a 13ª colocação, deixando a zona de rebaixamento. O próximo compromisso será no sábado (28), fora de casa, diante do Bragantino o time busca embalar.

PONTOS POSITIVOS: É difícil escolher apenas um destaque, quando o time aplica uma goleada por 5 a 1, com um grande desempenho coletivo. Contudo, as substituições de Ricardo Drubscky foram fundamentais para que a vitória acontecesse, Vinícius Kiss e Recife entraram e marcaram três dos cinco gols e Michel Henrique deu uma assistência. Gabriel Sacilotto deu três assistências logo na sua primeira partida e demonstrou que será importante para equipe, embora ainda seja cedo para uma avaliação.

PONTOS NEGATIVOS: Diferentemente das partidas anteriores, quando eu vinha elogiando o setor defensivo, nesta partida alguns erros apareceram, sobretudo no primeiro tempo. O Paysandu explorou bastante os lados do campo e a defesa deixou os atacantes adversários livres em alguns momentos. Se o técnico não tivesse feito à alteração do primeiro tempo, o resultado poderia ter sido muito diferente.

Por: Marcelo Júnior || Twitter: @marcelinjrr

Xepa LF FC - Rodada #3

Fala, Cartoleiros

 “Não há dias cinzentos para quem sonha colorido” é o lema de todo cartoleiro que sempre persevera no ideal de ficar a frente daquele seu amigo ‘chato’, o sabe tudo de futebol.

O Cartola ultrapassou todos limites de fúria nessa rodada. Do mercado fechado antes do tempo até a demora na volta do mesmo. Não há coração que resista ao escalar aquele jogador e, no último minuto, retira-lo e o próprio acabar mitando. E isso ocorreu com o nosso querido Xepa.
 “Lucas Gomes ou Rangel?” era a dúvida. E, senhoras e senhores, adivinhem quem o Xepa escolheu... Sim, o Lucas Gomes. Era fato, obviamente Rangel mitou.

Mas sem muitas lamentações, o Xepa foi, novamente, acima da média da galera. Fizemos 43 pontos e agora somamos 91 pontos nas duas rodadas. E com intuito de sair da casa do 40, montamos um super time com a ajuda de nossos universitários.

XEPA LF FC


Goleiro: Wilson (Coritiba) – Vindo de uma desvalorização e jogando em casa, o protetor do Coxa é uma das boas apostas do time diante do mistão do São Paulo.

Lateral: Arthur (Inter) – A boa defesa do Inter encara o Sport, no Beira Rio, e a chance de sair com SG são enormes. Então, o nosso primeiro escolhido para assumir a lateral é o Arthur.

Lateral: Tiago (Santa Cruz) – A surpresa do ano vem lá do Nordeste, o Mais Querido Clube das Multidões impressiona pelos dois títulos no ano e a primeira colocação no Brasileiro. No Arruda, o Santinha enfrenta o instável Cruzeiro.

Zagueiro: Vilson (Corinthians) – O clube do Parque São Jorge vem sendo contestado nesse ano e jogará contra a Ponte, na Arena. Uma aposta de alto risco, entretanto, temos total convicção de uma boa apresentação do nosso jogador.

Zagueiro: Paulão (Inter) – Fechando o setor defensivo, o zagueiro-zagueiro Paulão surge com uma grande possibilidade de SG, além de se aventurar no ataque, podendo gerar mais pontos para o nosso Xepa.

Meio-Campo: Cristian (Corinthians) – Custando duas cartoletas, Cristian torna-se uma boa opção para o Meio.

Meio-Campo: Alan P. (Flamengo) – Em crise, o time Carioca receberá a Chapecoense. Alan Patrick vem sendo um dos melhores jogadores do clube, então nada mais justo do que convoca-lo.

Meio-campo: Rafael Carioca (Atl-MG) – O meia do Galão da Massa irá cumprir a lei do ex diante do Grêmio, no Horto.

Atacante: Keno (Santa Cruz) – Sabendo da grande procura dos cartoleiros, Grafite não vai conseguir manter a média de gols e quem mitará será o seu   companheiro de ataque, o liso Keno.

Atacante: Luciano (Corinthians) – Com a barração do André, Luciano passa a ser o titular e a esperança de gols do timão. E todos nós já vimos esse filme. O reserva entra e marca dois gols.

Atacante: Kieza (Vitória) – Kieza poderia ser chamado de “gol todo jogo” e com essa missão, o atacante do clube baiano balançará as redes do América-MG, em Minas.

Técnico: Milton Mendes (Santa Cruz) – O treinador do Leicester brasileiro reinará absoluto como comandante do Xepa.

Com esses jogadores, com esses mitos, o Xepa vai MITAR!!

Abcs, Galera.

Matheus Freitas       @_MFreitas9_    //  @SiteLF

Persistindo nas "Endersices"

O Goiás está com um grave problema para essa Série B, que tem nome e sobrenome: Enderson Moreira. Chegou ao clube esse ano com a promessa de repetir o que fez no passado, muitos esmeraldinos (como eu) acreditávamos nisso, porém, fomos ingênuos. Ignoramos o histórico recente de fiascos do treinador e nos iludimos com vitórias simples no estadual. Estamos hoje pagando o pato, com um elenco que tem até boas peças, mas que está sofrendo na mão de um treinador que em cinco meses, não conseguiu achar uma escalação fixa para o time. Ontem, o pesadelo do Heriberto Hülse ganhou mais um capítulo, e nessas páginas, Enderson foi o destaque pela sua incapacidade e amadorismo.

Léo Lima estreou, mas sem brilho. Foto: globoesporte.com
Logo no começo da partida, já se dava pra ver a apatia do Goiás em jogar. Não é nem questão do tabu que temos jogando contra o Criciúma fora de casa, mas pela falta de preparo do time e pela fraqueza. Enderson continuava acreditando que ficar dando balão para o meio do campo ia adiantar em alguma coisa. Resultado: não deu em nada. O Criciúma tinha muita facilidade com a bola nos pés e também, na cabeça. A defesa do Goiás viu Gustavo e Nathan subir facilmente para fazer dois gols em bolas aéreas enquanto Anderson Salles e Deivid Duarte ficavam assistindo. Sobrou até para o Renan depois da partida. Não me lembro de ver uma defesa tão desorganizada com essa em vários anos.

Léo Lima estava estreando e até víamos vontade nele em mostrar algo, mas como? Ele não tinha nenhum apoio, estava bem marcado e não conseguia ligar o meio de campo com o ataque, mas era um dos poucos que ao menos tentava fazer alguma coisa de útil em campo. Não é como o Wagner, que não serve nem pra ser jogador de várzea, e depois sai bloqueando todo mundo na rede social porque não aguenta uma crítica. Esse era um que deveria passar longe da Serrinha, assim como este treinador.

Já era difícil ganhar. Estávamos sem Daniel Carvalho e sem Carlos Eduardo, todos no departamento médico graças à boa conduta que os preparados físicos estão dando para os atletas. E detalhe: eles vão receber mais um jogador. Sim, Léo Lima, que em sua estreia, já sentiu a coxa e vai mostrando que não só o Enderson que é fraco, mas sim, toda a sua equipe técnica. O pior é ver o presidente mentiroso e bobão, mais conhecido como Sérgio Rassi, defendendo ele depois de um jogo horroroso desse.

Criciúma vence com tranquilidade e mantém tabu. Foto: globoesporte.com
Cassiano então resolveu fazer algo de interessante pela primeira vez e marcou um gol. Ficou empolgado e mandou a torcida do Criciúma calar a boca, mas acho que ele já tinha esquecido que estávamos perdendo de três dos catarinenses. Parece que além de problemas físicos, alguns atletas têm problemas com contas matemáticas, não é mesmo? Isso tudo é fruto do trabalho de Enderson Moreira, um treinador que tem prazo de validade, mas o nosso presidente quer aguentar ver a torcida tomando mais tiros pra decidir fazer alguma coisa. Parabéns, Rassi. É melhor mandar expandir seu hospital do coração, pois muitos esmeraldinos irão parar internados com ataques cardíacos vendo essas atuações horrendas. Iremos sofrer ainda com essas "Endersices".

Wagner Oliveira || @wagneroliveiraf
Linha de Fundo || @SiteLF
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana