A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

quinta-feira, 26 de maio de 2016

Bragantino precisa de três pontos... Aceitamos doações



A fase do Clube Atlético Bragantino não é nada boa; três derrotas em três jogos na Série B e a 19ª colocação na tabela assustam o time de Bragança Paulista. Dessa vez, Bragantino e Brasil de Pelotas em campo no Estádio Bento Freitas, em Pelotas, e a partida para a equipe alvinegra foi péssima.

Logo no primeiro tempo, o time da casa abriu o placar com gol de cabeça de Felipe Garcia, seu terceiro gol na competição. A equipe de Pelotas fez o segundo gol com Leandro Camilo, mas a arbitragem marcou impedimento corretamente.

Mesmo sendo um gol impedido, foi o segundo gol da equipe da casa, enquanto o Bragantino só tentava chutes de longa distância, sem mira alguma. O Bragantino quase empatou, Eliandro recebeu passe e acertou a trave de Eduardo Martini. A zaga parecia nervosa, Jesiel chegou levou amarelo cartão após fazer falta dura em Diogo Oliveira e o meio campo parecia não funcionar, pois a bola não chegava da defesa para o ataque.

No segundo tempo, a proposta de buscar o gol no início não funcionou, o Braga até pressionou, mas sem efeito. Parece que isso animou o time da casa, que aproveitou o contra-ataque puxado por Diogo e Ramon, chutando rasteiro, fez o segundo do Brasil de Pelotas.

A partida que antes estava bem controlada virou uma verdadeira várzea, com lances atrasados, divididas, muitos cartões amarelos e pouca bola rolando. O Bragantino que não jogou bem o primeiro tempo, não jogou o segundo tempo de maneiro ruim, porém, os chutes de longa distância deram espaço a chutes de longuíssima distância, pois o Bragantino estava com uma grande dificuldade de armar suas jogadas ofensivas.


O jogo terminou 2 a 0 para a equipe gaúcha, que segue invicta em casa e chega aos seis pontos na Série B, diferentemente do Bragantino, que perdeu todas as três partidas, e só não está na última colocação por estar na frente no saldo de gols do Sampaio Corrêa, que também não somou nenhum ponto na competição.

A diretoria do Bragantino contratou o técnico Toninho Cecílio, que levou o Santo André ao título de Campeão Paulista da Série A2 de 2016. Essa é uma boa contratação, e esperamos que mude o jeito de jogar da equipe, pois jogando essa bolinha aí, nem mesmo o torcedor mais educado aguenta ficar 10 minutos sem ''elogiar'' a mãe dos jogadores.

O Bragantino volta a jogar, em casa, nesse sábado, dia 28 às 21h00min no Nabi Abi Chedid contra a equipe mineira do Tupi.


Mateus Segur || @SegurMateus
Linha de Fundo || @SiteLF

(As fotos são de autoria do fotógrafo Jonathan Silva e foram retiradas do site oficial do Brasil de Pelotas)
(A foto do técnico Toninho Cecílio é de autoria de Rafael Moreira e foi retirada da página do Facebook do C.A. Bragantino)

Joinville vai a Bahia e mostra o que falta

Em jogo fraco do Joinville, Hernane voltou a resolver e o placar mínimo aconteceu na Bahia.

(Foto: GloboEsporte)
JEC mostra a todos o seu problema, a tal da finalização, Cléo Silva e Fernando Viana não conseguem empurrar a bola para o fundo, a pelota chega, mas a incompetência reina no ataque tricolor. Ontem (25) mais do que nunca, isto ficou provado e os baianos souberam aproveitar.

Agenor salvou o tricolor da Manchester, inclusive mais de uma vez. O goleiro jequeano sempre esbanjando qualidade e técnica mostrou que a defesa não é o maior dos problemas do Joinville. O Bahia teve algumas chances, todas paradas por Agenor, que teve uma noite de Ageneuer.

Já no meio campo parece que nem tudo dava errado, Diones e Paulinho Dias tinham certa dificuldade de fazer a bola chegar em Pereira, mas quando chegava, o armador aproveitava os atacantes incompetentes. O time do Joinville foi a Bahia para realmente mostrar a todos as suas limitações e comprovadamente os reforços tem que chegar, se não as expectativas serão as mais baixas possíveis. Fica aqui a indignação com o Joinville Esporte Clube.

Francisco Borja  || @BorjaFrancisco_ 
Linha de Fundo || @SiteLF

Hyoran brilha e um apito salva os Flamenguistas novamente


Hyoran comemorando seus 23 anos e um golaço pelo Verdão. (Foto: Cleberson Silva)
Há quase 24 horas após o termino de Flamengo 2x2 Chapecoense, resolvi expressar minha opinião sobre esta partida, hoje em um formato um pouco diferente, mas que todos já esperavam o que aconteceria.

Se de um lado vemos um time nadando em crise e vaias, de outro temos um elenco que merece palmas, um time guerreiro, raçudo e mais que isso, um elenco campeão. Guto Ferreira desde que assumiu o comando do Verdão deu a equipe uma forma de jogo, trouxe de volta o espírito Chapecoense, de um time que nunca desiste, de forte marcação e de muita entrega dentro das quatro linhas.

Nesta quarta-feira (25), o Verdão viajou a Volta Redonda para enfrentar o “poderoso” Flamengo, um time queridinho de tal emissora, de tal confederação, em partida válida pela 3° rodada do Campeonato Brasileiro.

Com a bola rolando, quem partiu para cima foram os donos da casa, pressionados pela torcida, o Flamengo manteve a maior posse de bola, e logo aos 7° minutos, abriu o placar, Everton recebeu de Jorge e cruzou, Felipe Vizeu bem colocado empurrou para o fundo das redes.

A alegria dos Rubro-Negros durou pouco, aos 10 minutos Lucas Gomes disputou com Juan dentro da área e o árbitro marcou pênalti. O artilheiro Bruno Rangel foi para a cobrança e bateu forte, sem chances para Paulo Victor, empatando a partida. O Verdão só não virou aos 20 minutos por que PV não deixou, Cleber Santana cobrou falta, mas o goleiro bem colocado pulou para salvar o Mengão.

O Flamengo seguia com maior posse de bola, mas quem seguia levando perigo era a Chapecoense, na última chance do primeiro tempo, aos 40 minutos Lucas Gomes escapou bem pela direita e cruzou perigosamente, Léo Duarte bem colocado se antecipou e afastou.

As equipes voltaram para os segundo tempo com as mesmas formações. Em campo pouca inspiração e jogadas de perigo, a forte marcação da Chapecoense anulava os ataques Rubro Negro que teve sua vida complicada aos 22 minutos, Everton acertou a barriga de Gil, e acabou expulso pelo árbitro.

A primeira grande chance da segunda etapa veio só aos 29 minutos, Bruno Rangel recebeu dentro da área e chutou forte, Paulo Victor bem colocado fez grande defesa, no rebote foi à vez de Lucas Gomes chutar e novamente o goleiro Flamenguista fazer um milagre e salvar a virada.

Foi ai que apareceu a estrela de Guto Ferreira, o treinador que destacou no inicio da semana o futebol de Hyoran, quando entra na segunda etapa contra um time cansado, por ser um jogador leve e muito veloz. Era uma noite especial para o meia, que completava 23 anos nesta quarta-feira, que foi chamado pelo treinador para substituir Lucas Gomes.

E foi aos 34 minutos, com um toque mágico, Hyoran cobrou falta no ângulo de Paulo Victor, que nada pode fazer, marcando 2x1 no placar. Após a virada, só restava o Verdão se fechar e garantir três pontos valiosos longe de casa.

Fica tranquilo Cirino, vou dar uma mãozinha ao Mengão. (Foto: Pedro Martins/ Agif/Gazeta Pres)
Nos minutos finais, enquanto a torcida vaiava e pedia raça aos jogadores Flamenguistas, a pressão era total dos donos da casa. No último ataque, Rodrigo Andrade fez falta boba, na cobrança Alan Patrick cobrou e a bola bateu nas costas de Gimenez, o árbitro não pensou duas vezes e marcou pênalti para os donos da casa.

Após muita reclamação, Alan Patrick foi para a cobrança e empatou a partida, garantindo mais um ponto na tabela para os Flamenguistas, assim como foi contra o Sport, na base do apito.

Para a Chapecoense o empate que era considerado um bom resultado, fica com gosto amargo, e revoltante, por uma arbitragem vergonhosa, como é no futebol brasileiro. Fica de alerta as outras equipes que disputam a Série A do Brasileirão, para os Flamenguistas fica a comemoração, de um time sem vontade nenhuma, mas com uma grande força de pessoas que não querem ver o “poderoso” Mengão na Série B.

Na próxima rodada, o Verdão receberá a surpresa da competição, o Santa Cruz no próximo sábado, às 21h na Arena Condá. Fica o convite ao torcedor que vá a Arena, e aplauda esses guerreiros, que vem nos orgulhando, dentro e fora de Chapecó.

Marcelo Weber || @acfmarcelo

Botafogo derrota Atlético-PR por 2 a 1

Em Juiz de Fora, Botafogo e Atlético-PR enfrentaram-se pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro na noite desta quarta (25). O Glorioso conquistou sua primeira vitoria na competição ao derrotar o Furacão por 2 a 1. Com o triunfo, a equipe comandada por Ricardo Gomes pulou para 4 pontos e saiu da zona de rebaixamento. O Botafogo agora enfrenta o Fluminense, no próximo domingo (29), em Volta Redonda.

O JOGO

O Botafogo começou a partida tocando a bola no campo de defesa e pressionava a saída de bola do Atlético. Aos 11 minutos, o Furacão criou a primeira chance clara no jogo quando Sidcley, pela esquerda, levantou na área, Pablo desviou e a bola passou perto do gol de Helton Leite. Aos 17', o Botafogo abriu o placar depois que Victor Luis deu ótimo lançamento para Ribamar, que driblou o goleiro Weverton e fez o gol. 

Ribamar em agradecimento ao primeiro gol do jogo (Foto: Vitor Silva/ SS Press/ Botafogo)
As duas equipes movimentavam-se bastante em busca do ataque, mas pecavam nos passes errados. Aos 35 minutos, Nikão recebeu de André Lima e chutou cruzado, a zaga do Botafogo conseguiu afastar o perigo. Aos 39', o Furacão novamente arriscou quando Ewandro aproveitou sobra e arriscou chute forte de frente para o gol, mas, para a sorte de Helton Leite, a bola foi para fora. Em seguida, Ricardo Gomes foi obrigado a mexer no time, Rodrigo Lindoso sentiu a coxa e foi substituído por Marquinho. Aos 42 minutos, o Atlético quase empatou. Na entrada da área, Ewandro chutou forte e a bola explodiu na trave de Helton Leite. Aos 46', o primeiro tempo chegou ao fim.

O Botafogo retornou para o segundo tempo com o mesmo time que encerrou a etapa inicial. E aos 5 minutos, disposto a empatar a partida, o Furacão assustou quando Vinícius, na área, girou, chutou e quase marcou. Aos 9', Ewandro recebeu de Sidcley pela esquerda, chutou cruzado e Helton Leite espalmou, mandando a bola para a linha de fundo. Aos 12', Neilton entrou no lugar de Gegê. No minuto seguinte, o Atlético enfim empatou. Thiago Heleno ganhou dividida no meio, a bola sobrou para Vinícius, que encheu o pé e estufou as redes. Tudo igual em Juiz de Fora.

Aos 14 minutos, mais pressão do Atlético. Vinícius cruzou, André Lima subiu e por sorte não achou nada. Aos 27', o Alvinegro chegou ao segundo gol quando Salgueiro fez boa jogada e tocou para Neilton, que invadiu a área e chutou no ângulo. Aos 39', um gringo substituiu o outro, Yaca entrou no lugar de Salgueiro. Aos 44 minutos, Walter, que havia entrado na partida minutos antes, aproveitou bobeira de Emerson Santos e chutou forte, porém, Helton Leite salvou e evitou o empate. Aos 48', o jogo acabou. Vitória sofrida, mas importante do Botafogo.

OBSERVAÇÕES

Diante de São Paulo e Sport, o Botafogo fez boas atuações. No entanto, não venceu. Contra o Furacão, não jogou bem e venceu. O futebol muitas vezes é imprevisível.

Victor Luis tomou conta da posição. É um ótimo jogador. Diogo Barbosa, outro bom jogador, vai ter dificuldades para voltar ao time principal.

O desengonçado Helton Leite vem fazendo defesas importantes ao longo dos jogos. Aos poucos vai adquirindo confiança. Assim como Neilton, que marcou na Copa do Brasil e voltou a marcar nesse jogo.

O departamento médico do Botafogo vem deixando a desejar. Rodrigo Lindoso foi mais um a se lesionar de forma mais grave.

O clube enfim anunciou contratações. Canales, ex-La U e Camilo, ex-Chapecoense, acertaram. São ótimos nomes. Vale lembrar que Rodrigo Pimpão foi anunciado na semana passada. Acredito que com os reforços e a volta dos lesionados, o Botafogo pode fazer uma campanha sem sustos na Série A, visando, quem sabe, algo maior na competição. Sem falar que o clube segue vivo na amaldiçoada Copa do Brasil (apesar do histórico nada favorável). Aguardemos...
Reprodução: Twitter

FICHA DO JOGO

Botafogo 2
Helton Leite, Luis Ricardo, Emerson Silva, Emerson Santos, Victor Luis; Rodrigo Lindoso (Marquinho), Bruno Silva, Fernandes, Gegê (Neilton); Salgueiro (Gervasio Nuñez), Ribamar. Técnico: Ricardo Gomes.

Atlético-PR 1
Weverton, Eduardo, Cleberson, Thiago Heleno, Sidcley; Otávio, Hernani, Nikão (Anderson Lopes); Pablo (Vinícius), André Lima (Walter), Ewandro. Técnico: Paulo Autuori.

Estádio: Mário Helênio (Juiz de Fora/MG).
Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva (PA).
Assistentes: Marcio Gleidson Correia Dias () e Helcio Araújo Neves ().
Gols: Ribamar (17' do 1º T), Vinícius (13' do 2º T), Neilton (27' do 2º T).
Cartões amarelos: Salgueiro e Ribamar (Botafogo); Eduardo e Hernani (Atlético-PR).
Público: 4.445.
Renda: R$ 115.520,00.

Por: Gabriel De Luca (@biel_dluca).

Sigam, divulguem as redes sociais do Botafogo e ajudem o clube a se tornar cada vez mais próximo de seus torcedores!

Canal no YouTube:

E fiquem por dentro do #BotafogoDigital, projeto com CONTEÚDO EXCLUSIVO feito por torcedores e para os torcedores. Acessem o site: http://botafogodigital.com.br/landing/

Guia da Copa América – Grupo B


BRASIL - @leo_fernandes_9

É bem verdade que a Seleção anda bem doente do pé e sem o brilho que as gerações passadas traziam aos campos. O Brasil vem acumulando vexames nos últimos tempos, como o doloroso 7x1 na Copa de 2014, não ter alcançado a final da última Copa América e a amarga 6ª colocação nas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018.

Na última Copa América, realizada ano passado no Chile, a Seleção não agradou. Com oito títulos na competição, o Brasil esperava o nono. Afinal, sempre quando se trata da equipe verde e amarela a expectativa é grande, independente do futebol. Mesmo assim, o time não conseguiu agradar seus torcedores com as vitórias apertadas por 2x1 contra o Peru, 2x1 contra a Venezuela e a derrota por 1x0 contra a Colômbia.

O futebol do Brasil ficou "gourmetizado" e esqueceu um pouco da sua essência, que é a raça e o amor à camisa. Campanha fraca na fase de grupos, mas conseguiu se classificar na primeira colocação. Nas quartas de final, um empate de 1x1 levou a partida para os pênaltis contra o Paraguai. Melhor para os paraguaios, que venceram por 4x3 e avançaram às semifinais.

Para que a Seleção volte aos dias de glória, é necessário que o técnico Dunga convoque o que tem de melhor. Neymar não participará dessa Copa América por falta de liberação do Barcelona, que em negociações com a CBF determinou que escolhessem entre essa competição ou os Jogos Olímpicos Rio 2016. Com o desfalque de Neymar, Phillipe Coutinho, Renato Augusto, Douglas Costa e Willian são fortíssimos candidatos ao protagonismo com a camisa do Brasil. Outro que ficará fora é Ricardo Oliveira, que foi convocado, mas cortado por uma lesão e substituído por Jonas, do Benfica.

EQUADOR - @stebozza

O Equador chega à Copa América com o claro objetivo de desfazer a péssima campanha realizada na competição do ano passado, quando foi eliminado na primeira fase e deixou seguir na competição a fraca equipe da Bolívia que, no Chile, obviamente estava desfalcada do seu grande craque: a altitude.

A imagem negativa, porém, já é passado. Com um início arrasador nas Eliminatórias, a La Tri segue na liderança com 13 pontos (mesma pontuação do Uruguai, perdendo apenas no saldo de gols), com direito a vitória contra a Argentina – e fora de casa. Antes dada como fora carta do baralho, a seleção equatoriana hoje já sonha com a vaga para a próxima Copa do Mundo e, por que não, em incomodar os grandes também na próxima edição da Copa América.

Para surpreender Brasil, Argentina e Chile, os equatorianos vão utilizar a mesma arma de sempre: força física e velocidade. Os jogadores selecionados para o torneio têm nomes conhecidos dos brasileiros, como Erazo (Atlético-MG), Bolaños (Grêmio) e Cazares (Atlético-MG), além dos destaques Ayoví e Enner Valencia.

HAITI - @imastargirl

Estreante na competição, o Haiti chega como uma das seleções mais fracas da Copa América Centenário. Com apenas um ponto nas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018, conquistado contra o Panamá, e em último da tabela, a equipe não deve nem tentar surpreender em seu grupo razoavelmente forte.

"L'Union fait la force" é uma das coisas escritas na camisa nova lançada especialmente para o torneio, e significa "A União faz a força". Isso mostra exatamente qual é a esperança do Haiti nessa edição centenária da Copa América: se unir para buscar resultados positivos. Os soldados haitianos entram em campo com a responsabilidade de tentar pelo menos somar pontos na fase de grupos, já que a chance de classificação é muito pequena.

Em sua convocação, o treinador Patrice Neveu selecionou 23 jogadores que não tem grande destaque no cenário internacional. Boa parte dos nomes atua na North American Soccer League, liga norte-americana, ou nos campeonatos da França. Um desses jogadores é o defensor Stéphane Lambese, que atua no Paris Saint-Germain B e, apesar de já ter jogado pela base francesa, optou por defender as cores haitianas.

PERU - @_cassiagouvea

A Seleção Peruana tem um bom retrospecto na Copa América. Recentemente, em sua última edição, os atletas de Gareca chegaram ao terceiro lugar na competição. Porém, a história da La Blanquirroja também tem primeiros lugares. Em 1939 e 1975, ela sagrou-se campeã da competição, conquistando o primeiro título em cima do Uruguai e o segundo sobre a seleção colombiana.

Considerado em crise, o Peru faz uma campanha fraca nas Eliminatórias e, até o momento, venceu apenas um jogo (contra o Paraguai), empatou com a "fraca" Seleção Venezuelana e foi derrotado em quatro partidas, três vezes como visitante e uma dentro de casa, de virada, contra o Chile.

Paolo Guerrero é o principal nome de uma convocação com grandes ausências sentidas. Ricardo Gareca optou por deixar de fora nomes como Farfán, Pizarro e Advíncula, estes não apareceram nem na pré-lista de 40 jogadores. O treinador resolveu apostar em novos talentos e convocou cinco atletas que ainda não haviam vestido a camisa blanca y roja; são eles Carlos Cáceda, Miguel Araujo, Luis Abram, Armando Alfageme e Alejandro Hohberg.


@SiteLF

Guia da Copa América – Grupo C


JAMAICA - @lsouza73

A Jamaica volta a Copa América depois de estrear na competição justamente na última edição, no Chile em 2015. Com uma campanha fraca e ficando na primeira fase, os Reggae Boys esperam ao menos uma classificação para as quartas de final jogando nos Estados Unidos.

No Grupo C da Copa América com México, Uruguai e Venezuela, os comandados do técnico alemão Winfried Schaffer sabem que vão precisar de superação para alcançar o objetivo de, ao menos, passar de fase. Para alcançar essa meta, os jamaicanos contam com dois nomes importantes na sua defesa, Adrian Mariappa, do Crystal Palace, e Wes Morgan, do campeão inglês Leicester.

Nas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018, os jamaicanos estão na quarta fase, em que são formados três grupos com quatro seleções cada e os dois melhores avançam para a quinta e última fase. No Grupo B, depois de quatro jogos, a Jamaica está atualmente na 3ª colocação com quatro pontos, à frente apenas do Haiti, com um ponto, e atrás da líder Costa Rica, com dez, e do vice-líder Panamá, com sete.


MÉXICO - @Peeedrito17

A seleção mexicana caiu no Grupo C, chega com grandes possibilidades de classificação e, quem sabe, ir longe no torneio. Osorio comentou sobre o atual momento do time desde a sua chegada: "Graças a Deus os resultados têm sido bons, mas é um trabalho muito difícil. Foi uma mudança difícil de manejar, mas temos um bom grupo e muitas possibilidades de fazer uma boa campanha na Copa América Centenário".

O México contará com ausências importantes. Dois dos principais jogadores da seleção optaram por não jogar essa edição da Copa América: Caros Vela e Giovani dos Santos. Vela já havia passado por polêmicas há alguns anos e chegou até ficar fora da última Copa do Mundo, mas voltou a ser convocado na Era Osório. Entretanto, o jogador não vive sua melhor fase e alegou que precisa recuperar o seu futebol com uma pré-temporada completa. Já Giovani, pela primeira vez em sua carreira, se recusou atuar pela seleção mexicana. Sem jogos entre outubro e fevereiro na liga norte-americana, o atleta não vinha sendo convocado e já avisou a nova comissão técnica para que não contem com ele no torneio.

Se por um lado os desfalques preocupam, por outro os destaques acalmam a torcida. Rafael Marques, zagueiro de longa data, voltará a disputar um torneio importante pelo México. Mesmo sendo rebaixado com o Verona no Campeonato Italiano, ele apareceu entre os 23 nomes e estará com o time. O principal nome do time é Javier Hernández, mais conhecido como Chicharito. O camisa 14 vem de bela temporada pelo Bayer Leverkusen e é a grande esperança de gols do México no torneio. Foram 26 gols na temporada, sendo que os 17 na Bundesliga lhe renderam lugar na seleção ideal do campeonato.

Desde que chegou a seleção, o treinador colombiano obteve aproveitamento de 100%. Com cinco vitórias em cinco jogos, doze gols marcados e nenhum sofrido, já é o melhor começo da história de um comandante na seleção mexicana. Nas Eliminatórias, o México ocupa a primeira colocação do Grupo A com doze pontos. Na última terça-feira (17), Osorio divulgou a lista com os 23 nomes convocados para disputa do torneio.


URUGUAI - @BorjaFrancisco_

La Celeste, a maior campeã da Copa América, vem para o torneio com expectativas altas. O Uruguai quer ganhar a sua 16ª edição e provar às Américas que a sua nova geração é capaz de conseguir grandes coisas e atingir o topo do mundo, além de mostrar a todos que o futebol pode voltar a ser celeste como já foi em duas oportunidades.

Entretanto, para realmente acontecer o desejado, o trabalho dos comandados de Oscar Tabarez terá que ser muito mais duro. O país atingiu na última Copa América as quartas de final, onde foi eliminada pela seleção chilena, a campeã do torneio. Nas Eliminatórias para a Copa do Mundo 2018, a seleção é a primeira colocada com 13 pontos e vem rumando facilmente seu caminho até a Rússia.

O treinador Oscar Tabarez já fechou a sua lista de convocados para a competição realizada em solo americano. Os adversários encontrarão uma seleção com algumas pontuais renovações e também a mescla experiente da Copa do Mundo de 2010, realizada na África do Sul. Como sempre, as esperanças serão depositadas no centroavante do Barcelona, Luis Suárez, e a surpresa ficará por conta da chamada do lateral direito Mathias Corujo, já que o atleta tem 30 anos e será reserva de Maximiliano Pereira.


VENEZUELA - @gabrielcec__

A Venezuela não vem muito bem nas Eliminatórias e quer ser uma surpresa na Copa America. A seleção venezuelana fez apenas um ponto em seis jogos, o que é lamentável para quem pode jogar melhor. Nos Estados Unidos, a equipe tentará pelo menos passar da fase de grupos.

Os Venezuelanos só conseguiram destaque na Copa América em duas ocasiões. Em 2007, quando disputou o torneio em casa, o time conseguiu a sexta colocação, melhorando a marca em 2011, quando a seleção conseguiu o quarto lugar e voltou a seu país ovacionado nas ruas.

A esperança da Venezuela está depositada principalmente em dois jogadores, que são os grandes destaques da equipe. Romulo Otero vem se destacando nas Eliminatórias com gols importantes e é um ótimo jogador, podendo fazer uma grande diferença nos jogos. Outro nome é Rondón, atacante que atua na Inglaterra e é o principal nome. Atualmente ele tem nove gols e três assistências pelo West Brown, o que pode fazer a diferença nos confrontos.


@SiteLF

Guia da Copa América – Grupo A


ESTADOS UNIDOS - @Fred_Metro2002

Os estadunidenses vêm para a Copa América Centenária empolgado e esperançoso, já que jogarão o torneio em casa, o que dá ao time comandado pelo alemão Jurgen Klinsmann uma pressão maior por uma boa campanha e, quem sabe, um título. Neste, que será o maior torneio de futebol na terra do Tio Sam desde o Mundial de 94, os norte-americanos querem muito mais do que ser os anfitriões da festa. Segundo o técnico Klinsmann, será uma ótima oportunidade de competir com seleções mais fortes e, em caso de sucesso, mostrará que o futebol dos Estados Unidos está preparado para enfrentar de igual para igual com qualquer equipe.

Porém, para isso acontecer, o comandante terá que reverter a atual situação dos Yanks e superar as recentes frustrações, já que na Copa Ouro de 2015 a equipe foi eliminada pela Jamaica nas semifinais e ainda foi superada nos pênaltis pelo Panamá na decisão do terceiro lugar. A perda desse título ainda obrigou os Estados Unidos a enfrentar o México no playoff por uma vaga para representar a Concacaf na próxima Copa das Confederações, na Rússia em 2017. Vitória norte-americana e festa no Rose Bowl, em Orlando.

A situação não está como os norte-americanos esperavam nas Eliminatórias para a Copa da Rússia em 2018. Apesar de estarem em segundo lugar e na zona de classificação para a fase final, os Yankees não saíram do empate sem gols contra Trinidad e Tobago e perderam por 2x0 para a Guatemala, ambas fora de casa. A sorte de Klinsmann e companhia é que os dois últimos jogos não devem ser difíceis para eles, já que enfrentam São Vicente e Granadinas fora de casa, e Trinidad e Tobago em casa. Entretanto, uma zebra em um desses jogos pode custar à vaga no Mundial.

Jurgen Klinsmann fechou seus 23 convocados para a fase final de preparação após um período de treinamentos e já se preparam para os primeiros confrontos. Dos 40 jogadores chamados inicialmente, quase a metade (17) jogam em times norte-americanos. Além disso, a maioria já atua há um bom tempo no time, fato que desagradou boa parte da torcida, que esperava ver mais jovens convocados. Apenas quatro jovens passaram para a convocação final: Ethan Horvath, Steve Birnbaun, Perry Kitchen e Christian Pulisic, este último de apenas 17 anos e que já se destaca no Borussia Dortmund, sendo uma das esperanças de gols para a torcida dos Yanks.


COLÔMBIA - @ismacedo_

A Seleção Colombiana, detentora de um caneco da Copa América, chega para mais uma edição com um bom time formado, alguns nomes de peso de fora e algumas novidades que andam batendo um bolão. No papel o time é maravilhoso; em campo começam a mostrar resultados agora, e é o que vemos nas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018.

José Pékerman manteve de fora Falcão Gárcia, Teo Gutiérrez e Jackson Martínez, e vai com todas as apostas nos badalados James Rodríguez, Cuadrado e Carlos Bacca. Novidade na equipe são jogadores da sensação do momento Altético Nacional, que anda fazendo uma Libertadores incrível e disponibilizará cinco atletas.

Los Cafeteros não terão missão fácil diante de Paraguai, Costa Rica e Estados Unidos, mas com muito treinamento a equipe tem tudo para chegar longe na competição. Os resultados, que não apareciam nesse time, começaram a surgir nos jogos da equipe neste ano, em que os jogadores colocaram respeito dentro de campo, foram ousados e alcançaram vitórias importantíssimas.


COSTA RICA - @Edumaya7

A seleção sensação da Copa do Mundo de 2014 vem para sua primeira Copa América logo em sua edição comemorativa de centenário. O objetivo é surpreender como fez no mundial, quando eliminou grandes seleções como Inglaterra e Itália e foi eliminada nas penalidades para a Holanda. Para isso, Óscar Ramírez convocou força máxima e a base é a mesma de 2014, entretanto, temos algumas novidades. Assim, o treinador espera mesclar experiência e juventude rumo a uma grande campanha na fase de grupos e uma boa participação nas chaves seguintes.

Os costarriquenhos estão em primeiro nas Eliminatórias para a Copa do Mundo 2018. Com dez pontos conquistados e sem sofrer derrotas, a equipe chega embalada aos Estados Unidos e espera passar da fase de grupos.

O goleiro madridista Keylor Navas, Oscar Duarte, Celso Borges, Bryan Ruiz, Cristian Bolanos e Joel Campbell formam a espinha dorsal costarriquenha. Além disso, as novidades em relação à lista de 2014 ficam por conta do zagueiro Johnny Acosta, o lateral Michael Umana, o meia do Evian Yeltsin Tejeda, o ala direito do West Bromwich, Cristian Gamboa, e o atacante Marcos Urena.


PARAGUAI - @SegurMateus

A seleção paraguaia, grande carrasco do Brasil, chega para a disputa da Copa América com grandes expectativas. O objetivo é tentar avançar da primeira fase, para tentar surpreender no mata-mata, como fez nas duas últimas edições, eliminando a seleção brasileira nas cobranças de pênaltis.

Os paraguaios estão fora da zona de classificação da Copa do Mundo de 2016 (7ª colocação), mas a diferença para a última seleção classificada (Chile e Colômbia) é de apenas um ponto, por isso a seleção pretende ter uma boa Copa América: para encontrar o time ideal para as eliminatórias.

A seleção paraguaia de Ramón Díaz conta com os destaques meio-campistas Óscar Romero (Racing-ARG), Juan Iturbe (Bournemouth-ING) e o atacante Néstor Ortigoza (San Lorenzo-ARG) além do zagueiro Fabián Balbuena, titular do Corinthians e querido pela torcida. Eles serão os protagonistas da seleção albirroja na tão desejada competição da Copa América.


@SiteLF

Tudo errado: em dia ruim, Ponte é dominada e perde para Corinthians

Em um dia em que nada deu certo, a Ponte Preta simplesmente não conseguiu jogar e acabou amplamente dominada pelo Corinthians, em Itaquera. Talvez por conta das alterações de Tite, pela pouca inspiração de Ravanelli e Felipe Azevedo ou até pelo ótimo dia dos donos da casa, com direito a dois golaços.

As alterações no time que Tite fez deram certo para confundir a marcação da Macaca. Sem André e com um atacante de mais velocidade como Luciano e a liberdade para os meias em uma linha de três, o Corinthians foi diferente do 4-1-4-1 que vinha fazendo até então. Matheus Jesus e João Vitor ficaram com dificuldades em encaixar a marcação nos meias adversários.

A missão ficou ainda mais complicada com o gol levado logo cedo, quando Kadu desviou contra o próprio gol. Mais do que um anúncio de que não era um dia bom, a desvantagem complicou a proposta de jogo Pontepretano que se propôs a jogar no erro do Corinthians em um primeiro momento.

Em dia que quase tudo deu errado, Ponte Preta foi presa fácil para o Corinthians.
(Foto: Globo Esporte)
Mal deu tempo de assimilar o primeiro golpe, Bruno Henrique acertou uma pancada de fora da área e marcou um golaço sete minutos depois. Quando até Bruno Henrique faz gol bonito, é sinal de que nada está conspirando a favor. Sendo pouco produtiva na frente, o restante do primeiro tempo foi de domínio Corintiano, mas o placar não se alterou.

Os primeiros minutos do segundo tempo foram esperançosos para a Macaca, finalmente equilibrando um pouco o jogo e chegando a assustar o goleiro Walter. A entrada de Thiago Galhardo deu maior qualidade no passe no meio-campo e o objetivo era tentar um gol rápido para gerar um estado de preocupação no Itaquerão já que o Corinthians vivia um pequeno jejum de vitórias.

Quase deu certo em falta pela esquerda, logo nos primeiros minutos, e por pouco não virou gol logo depois, aos 5’, obrigando boa defesa do goleiro Walter. A reação, porém, ficou por aí. O Corinthians se reorganizou na marcação e passou a controlar amplamente o jogo novamente depois dos quinze minutos.

Se a proposta era pressionar os donos da casa, quem acabou trabalhando mais foi o próprio João Carlos. Contudo, nem ele conseguiu segurar o ótimo chute de Guilherme, marcando o terceiro e matando de vez a partida.

Flu joga mal, desperdiça chances e perde primeira no Brasileiro

Palmeiras x Fluminense  - 25/05/2016
Minha cara quando vejo Levir colocar Magno Alves e Marcos Junior para tentar melhorar o time. Foto: Nelson Perez/Divulgação FFC
Três jogos e três resultados diferentes. Começamos bem com uma vitória apertada fora de casa, empatamos em casa depois de um pênalti absurdo e agora, contra o adversário mais difícil até então, jogamos absolutamente nada. Levir fez certo ao não entrar tão exposto, mas ainda acho que o time não está montado do jeito certo. Ficou claro ontem que contra times como o Palmeiras não dá para deixar que apenas Cícero fique encarregado da criação de jogadas. O time fica muito espaçado e parece que nunca ninguém está perto para receber um passe.

O primeiro tempo ainda teve alguns momentos de perigo a nosso favor. Fernando Prass fez boas defesas e ainda teve o milagre no chute de Fred, que depois isolou. O problema é que nossas chances só vinham de cruzamentos. Não conseguíamos criar uma jogada por meio de uma tabela ou triangulação. Enquanto isso, lá atrás, tomávamos alguns sustos. Bastavam dois toques rápidos entre os atacantes do Palmeiras para que nossa zaga ficasse perdida. Estavam fazendo o que bem entendiam.

Na segunda etapa, o Palmeiras viu a nossa fragilidade defensiva e ofensiva e voltou com duas alterações para aproveitá-las. Logo com 12 minutos, levamos um gol de Vitor Hugo após cobrança de falta para nossa área. Gum ficou marcando dois enquanto metade do nosso time permaneceu parado. Nem deu tempo de passar raiva com o gol porque um minuto depois, Alecsandro recebeu um cruzamento rasteiro no pé e, sem nenhum incômodo, fez o segundo. Impressionante a apatia da defesa que não percebeu o centroavante completamente livre no meio da área. Depois desses gols relâmpagos, Levir tirou Osvaldo e Edson para por Marcos Jr e Richarlison. Nosso atacante que veio do América até fez a única boa jogada nossa da partida, mas Scarpa concluiu muito mal.

Palmeiras x Fluminense  - 25/05/2016
Dependemos demais do Scarpa? Nosso meia jogou muito mal e o time acompanhou. Foto: Nelson Perez/Divulgação FFC
Não podemos virar mensageiros do apocalipse, mas também não podemos ficar tranquilos com essa derrota. Pra mim está claro que Pierre não tem condição alguma de ser titular, assim como Osvaldo e Marcos Jr. Por enquanto, o melhor que poderíamos fazer essa deixar Edson e Douglas de volantes, Cícero e Scarpa na armação e Fred e Richarlison na frente. Precisamos de um meia com urgência. A chegada de William Matheus e Maranhão foram boas para outras duas posições carentes, mas um meia de qualidade ou um volante que saiba sair para o jogo é fundamental.

Próximo jogo é domingo contra o Botafogo. Se não ganharmos, vamos ganhar de quem mais? Ainda confio na nossa recuperação.

Saudações Tricolores

Matheus Garzon
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana