A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

sexta-feira, 27 de maio de 2016

Oeste não vence, mas convence

Os Oestinos foram a Vila Capanema enfrentar o Paraná Clube e saíram "injustamente" derrotados.

(Foto: ESPN.com.br)
No início, tivemos um jogo indefinido, cheio de oportunidades para os dois lados. O Paraná saia mais para buscar o jogo e tentava jogadas com Diego Tavares e Nadson pelas alas do campo municiando Lúcio Flávio, parecia que não querer marcar. Como o jogo era muito equilibrado, em jogada do Oeste, Mazinho recebeu passe após tabela de Francis e Clebson, passou por dois e bateu cruzado, o goleiro Marcos falhou e o time de Itápolis abriu a conta.

Após o gol, o Paraná tomou conta do jogo, usando o seu meio de campo Válber e o ponta Nadson para chegar com perigo. Mas o gol não. Em escanteio para o time da Vila Capanema, o contestado Lúcio Flávio empatou de peixinho, fazendo 1 a 1. Depois do gol, Oeste ficou muito apático, não parecia o mesmo time e isso acabou ajudando o Paraná, que passou a trabalhar com tranquilidade. Depois disso, num lance isolado, Bruno Silva fez falta e foi expulso, o Rubrão ficou com um a menos. O meio campista Válber aproveitou a superioridade numérica e virou para o tricolaço da Vila.

Logo após o gol, Válber foi expulso e Diniz partiu para cima, o domínio do meio campo voltou a acontecer e os toques curtos e rápidos também. Com duas alterações no meio campo e com a entrada de Francisco Alex, o Oeste mostrou a todos na Vila que não entrou para brincadeira. No finalzinho da partida o time passou até a tentar o abafa, coisa "proibida" nos times de Diniz. Apesar das tentativas desesperadas, o Paraná fez valer o fator casa e, abaixo do esperado (em minha humilde opinião), acabou por vencer o time que está em Osasco momentaneamente.

Melhores momentos:


Destaques da partida: Em um jogo muito difícil. Francisco Alex entrou muito bem para ocupar o meio campo, arriscando bastante e dando ao Rubrão poder maior de finalizar. O destaque negativo vai para o zagueiro Bruno Silva, o homem de confiança de Fernando Diniz que estava fazendo uma boa partida até se perder e fazer uma falta desnecessária, atrapalhando o andamento do jogo para Onça Rubro Negra.

Pontos positivos: Como ponto positivo fica a insistência do Oeste no jogo, sem perder o foco e tentando a todo custo reverter o placar. Também é válido citar a melhora nítida do toque de bola da equipe, triangulações mais rápidas e algumas tentativas mais ousadas do que o normal.

Ponto negativo: Além de sair com a derrota, o único ponto negativo visto pelo colunista foi à falta de finalizações ao longo do jogo, as coisas apenas melhoraram com a entrada do já citado Francisco Alex.

O próximo compromisso do Oeste será na próxima terça-feira contra o Vasco da Gama às 21h30, na Arena Barueri em Barueri-SP.

Ficha técnica:

Local: Durival Britto - Curitiba (PR)
Árbitro: Célio Amorim (SC) e Assistentes: Alex dos Santos (SC) e Thiaggo Americano Labes (SC)
Público: 2.113 pagantes.
Renda: R$ 25.360,00
Cartões Amarelos: Paraná: Diego Tavares, Rafael Carioca, Válber || Oeste: Bruno Silva
Cartões Vermelhos: Paraná: Válber || Oeste: Bruno Silva
Gols:
Paraná: Lúcio Flávio 25' 1T, Válber 27' 1T
Oeste: Mazinho 21' 1T

Paraná: Marcos; Diego Tavares (Robert), Pitty, João Paulo e Rafael Carioca (Fernandes); Lucas Otávio, Anderson Uchoa, Nadson e Válber; Robson e Lúcio Flávio (Leandro Silva). Técnico: Claudinei Oliveira.

Oeste: Felipe Alves; Francis, Bruno Silva e Léo Bahia (Francisco Alex), Velicka, Danielzinho, Clébson (Renan Mota) e Mazinho; Maurinho, Ricardo Bueno (Rafael Rocha) e Léo Artur. Técnico: Fernando Diniz.

Francisco Borja || @BorjaFrancisco
Linha de Fundo || @SiteLF

É por isso que continuamos aplaudindo

Foto: Gilvan de Souza / Flamengo
Precisamos falar sobre o FlaBasquete. Sobre aqueles caras que, apesar de muitas vezes não terem o reconhecimento que merecem, são tudo que o torcedor sempre pediu que seus atletas fossem. Eles são, acima de tudo, muito apaixonados pelo que fazem e pelo que representam. Porque sim, eles representam muita coisa.

Não interessa se não eram rubro-negros antes, pois quando vestem a camisa vermelha e preta eles são mais do que muitos por ai. Quando se reúnem no meio da quadra e cantam junto com a arquibancada que "Seremos Campeões", eles dizem isso do fundo do coração. E pulam, gritam, torcem.

Os jogadores do Flamengo dão tudo de si. Quando levam uma cotovelada ou um empurrão, respondem com bolas de três. Cada vibração, que há muito não temos no futebol, mostra o que aquilo significa para eles. Na vitória, é o grito de alívio. Na derrota, o mais sincero pedido de desculpas e a raiva mais genuína. É de coisas assim que esse clube é feito e, por sorte, nossos heróis do basquete não deixam isso morrer.

É por isso que continuamos aplaudindo independente do resultado. Passamos por turbulências, como já é esperado, mas aplaudimos de pé esse time que nunca deixou, por um momento sequer, de colocar todas as forças que tinha buscando uma vitória. Que nunca desistiu mesmo quando tudo pareceu dar errado. Que vibrou, gritou, esbravejou e, principalmente, amou esse clube como nós sempre desejamos.

Nós acertamos juntos, erramos juntos e torcemos juntos. Desta forma vamos ganhar tudo. Porque, queridos jogadores, vocês merecem cada taça levantada. Cada nome cantado, cada minuto jogado. Se perdermos a voz por vocês, é porque merecem. Se vivemos por isso, é porque nos dão motivo para tal. Se os amamos, é porque vocês honram essa camisa como muitos jamais vão conseguir. E é por isso que o FlaBasquete é o orgulho de uma Nação inteira. Por vocês, por cada um de vocês.

Foto: Gilvan de Souza / Flamengo
Joguem por nós e nós lutaremos até o fim para defender vocês. Que venha o penta, hexa, hepta. Outra Liga das Américas, Mundial. Que venha o que for. Estaremos juntos, sempre.

Mariana Sá | @imastargirl 

Copa da Inglaterra elimina jogo replay nas quartas de final

Na ultima semana, a Premier League divulgou uma arrecadação recorde com direitos de transmissão de TV, ultrapassando £1,6 bilhões. Mas nem tudo são flores no futebol inglês e existe uma reclamação bem antiga quanto ao número excessivo de jogos disputado pelos clubes ao longo da temporada.

Troféu da Copa da Inglaterra. Foto: Divulgação Oficial The FA
Com a liga nacional e duas copas domésticas, os times ingleses intercalam jogos durante a semana para atender ao calendário. A FA (Federação de Futebol Inglesa) eliminou pelo menos um compromisso dos clubes. Não é muito, mas já um começo.

A Copa da Inglaterra, torneio mais antigo do mundo, terá uma mudança no regulamento para a próxima edição. Seu formato tradicional com os chamados jogos replay agora termina nas quartas de final. O regulamento da competição diz que, quando dois times empatam, é marcado um jogo replay com o mando de campo invertido.

O jogo replay era previsto até as semifinais, quando os quatro melhores se enfrentavam em partida única em Wembley. Com a mudança, essa partida agora só vai até as oitavas de final, nas quartas, confronto único e, em caso de empate, prorrogação e decisão por pênaltis permanecendo a igualdade. O mando de campo será, como nas fases anteriores, decido por sorteio.


Martin Glenn, presidente-executivo da FA, falou sobre a mudança: “A Emirates FA Cup permanece no coração do futebol inglês e essa mudança aumenta a emoção da competição e vai beneficiar o jogo de uma forma geral”.

A decisão da mudança no regulamento aconteceu na última quinta-feira (26) e promete ser só a primeira de uma série de alterações que visam melhorar ainda mais o futebol inglês. Mudanças na Copa da Liga Inglesa, disputada na primeira metade da temporada, também são discutidas, mas ainda estão em um processo inicial de conversas para se tomar qualquer decisão.

Lucas Felipe (@lsouza73)

Patrão Cartoleiro - Rodada #4

Patroleiros e patroleiras, você que não faz nem a barba esperando as dicas do Cartola para a 4ª rodada já pode se aliviar. Para essa rodada, o Patrão está mais confiante e montou um time muito bem adequado e forte esperando bons pontos e também subir na tabela da liga desse site que sustenta minha família e coloca comida na minha mesa (não sou tão patrão como vocês pensam). Estão preparados para mitar? Então, vamos lá.


Patrão na última rodada:

O Patrão não aguenta mais traidores da pátria. Jogadores que não estão honrando a camisa do Patrão Futebol Clube devem ser exilados, torturados e sem sair para a baladinha por um mês. É o caso de Tiago Luis, do América Mineiro, e Marquinhos Gabriel, do Corinthians. Pra variar, só o meu Grafite da Massa, melhor atacante do mundo, Príncipe de Recife, conseguiu pontuar bem novamente. Infelizmente, não poderei contar com ele nessa rodada, mas sim, ele ainda é uma boa opção.

Melhores times para apostar - 4ª rodada:

GRÊMIO - O Patrão subestimou o Imortal na rodada passada e agora é hora de recompensá-los apostando em seus jogadores. O Grêmio enfrenta o frágil Coritiba jogando na Arena e é bem provável que a equipe de Roger Machado saia com os três pontos mais uma vez. É a melhor equipe para se apostar nessa rodada, sem sombra de dúvidas.

ATLÉTICO-PR - Pintou o Furacão na telinha do Patrão e, dessa vez, no jogo contra o Figueirense, é uma boa apostar nos paranaenses. Jogando em casa, os atleticanos tem uma força admirável e diante do Figueira, que tem uma péssima defesa, pode ser que faça a diferença.

VITÓRIA - A rodada vai ser muito disputada e admitimos que essa escolha foi difícil, mas o Patrão aqui acha que o Vitória pode ser uma boa. Jogando contra o Galo no Barradão, recomendamos não apostar em defensores do time baiano, porém, em meias e atacantes é uma boa opção. O Vitória vem forte e empolgado para a partida.

Escalação - 4ª rodada:

Para essa rodada, escolhemos jogadores de várias equipes que vêm mostrando qualidade nesse campeonato e podem mitar ainda mais nas oportunidades que irão receber. Muitos gremistas e atleticanos, um ataque bem aleatório, porém, bem forte.

GOLEIRO:

Nome: Marcelo Grohe
Clube: Grêmio (RS)
Preço: C$ 12,16
Quer um goleiro melhor para essa rodada do que o Marcelo Grohe? Habilidoso, faz ótimas defesas e o risco de você sofrer gols é mínimo em uma partida contra o Coritiba. Grohe fará com que você fique tranquilo em busca do seu objetivo de perder poucos pontos.

LATERAIS:
Nome: Sidcley
Clube: Atlético (PR)
Preço: C$ 3,18
Sidcley aparece pela primeira vez na nossa escalação e espero que eu e você, cartoleiro, não se arrependa de escalar ele nessa rodada. O Atlético Paranaense joga em casa e Sidcley é um lateral bem participativo, além de dar bons passes. E está bem baratinho também.
Nome: Edílson
Clube: Grêmio (RS)
Preço: C$ 9,85
Edílson também é uma opção considerável para seu sistema defensivo. De volta para a equipe do Grêmio, ele será uma das boas opções de Roger Machado para o jogo contra o Coxa e também para o seu cartola. Está com um preço até razoável pra você que já anda mitando em algumas rodadas.

ZAGUEIROS:
Nome: Bressan
Clube: Grêmio (RS)
Preço: C$ 7,16
Bressan já foi muito contestado, mas é uma boa opção nessa rodada para os cartoleiros. A defesa gremista vem de boa fase e é provável que eles consigam segurar a pequena pressão mais uma vez nessa rodada. Só não garanto nada sobre os gols contras e cartões que Bressan costuma levar, mas é só às vezes, podem ficar tranquilos.
Nome: Thiago Heleno
Clube: Atlético (PR)
Preço: C$ 5,62
Thiago Heleno é o "xerifão" do seu time nessa rodada. O zagueiro não vai querer deixar o ataque de Rafael Moura furar a sua defesa e virá forte para segurar a pressão dos catarinenses. Uma vitória em casa empolgaria os atleticanos, e Thiago vai fazer de tudo para evitar um desastre. É o melhor defensor do seu time.

MEIAS:
Nome: Cléber Santana
Clube: Chapecoense (SC)
Preço: C$ 5,23
Olha a Chapecoense pintando no nosso time mais uma vez. Dessa vez com um dos seus principais jogadores: o meia Cléber Santana. O jogador dá muitas assistências, muito participativo, faz gols e o melhor, entrará com atenção dobrada para o jogo difícil contra o Santa Cruz. O fator casa pode ajudar e ele está com um preço bem pequeno.
Nome: Gustavo Scarpa
Clube: Fluminense (RJ)
Preço: C$ 12,50
Gustavo Scarpa chegou para mitar para a gente. Sim, o jogo será um clássico contra o Botafogo e tudo pode acontecer, porém, o Fluminense vive uma fase melhor e assim como Scarpa, que não deixará "scarpar" seus pontos nessa rodada. Esperamos muitos gols e assistências do garoto prodígio do Flu. É o seu melhor meia dessa rodada, sem dúvidas.
Nome: Arrascaeta
Clube: Cruzeiro (MG)
Preço: C$ 15,92
Nem somos loucos de apostar na fraca defesa do Cruzeiro, porém, vale apostar em um meia de qualidade dos celestes para essa rodada. Esse meia é Arrascaeta, que sempre que tem oportunidades, marcar gols e faz bons pontos. Para o clássico contra o América de Minas, que vem de má fase, ele pode ser um fator diferencial.

ATACANTES:
Nome: Luan
Clube: Grêmio (RS)
Preço: 19,26
Seu primeiro atacante dessa rodada já é um dos mais fortes desse Brasileirão. É Luan, mais conhecido como "Luanel Messi", do Grêmio. Os gremistas irão com força total pra cima do Coritiba como já havíamos dito e Luan vem de ótima fase vindo com a expectativa de muitos gols novamente. Não é nada barato, mas vale a pena.
Nome: Ewandro
Clube: Atlético (PR)
Preço: C$ 8,06
Voltando para o Furacão, escalaremos Ewandro para o nosso ataque. Tem muita velocidade e pode ser um fator diferencial nessa rodada contra o Figueirense, tendo tudo para mitar. Está com um preço razoável também, bom para ir valorizando junto com sua equipe.
Nome: Kieza
Clube: Vitória (BA)
Preço: C$ 19,34

Gaste mais um pouco nessa rodada, porque o único da Vitória que iremos escalar é um dos craques desse Brasileirão. O artilheiro Kieza, vem de ótima fase e é promessa de marcar bons gols no Atlético Mineiro de Marcelo Oliveira, que ainda não conseguiu se encontrar em campo. Sim, Kieza é caro, e se você não tem dinheiro, eu sinto muito. O Patrão tem. Beijos.

TÉCNICO:
Nome: Paulo Autuori
Clube: Atlético (PR)
Preço: C$ 3,87
Você já gastou demais com atacantes, então para que gastar muito com treinador? Aposte em Paulo Autuori, técnico do Atlético Paranaense. Não é o melhor do mundo, mas pode fazer bons pontos nessa rodada levando o Furacão para a vitória em cima do Figueira. Manda a ver, professor Autuori!

Preço do time: 122,15

Wagner Oliveira || @wagneroliveiraf
Linha de Fundo || @SiteLF

Melhorou, mas ainda precisa de mais

Uma vitória era tudo o que o Corinthians precisava no Campeonato Brasileiro, já que desde que a edição começou ainda não havia somado três pontos de uma vez. O futebol apresentando ainda não é o melhor perto do que já vimos no meio do Paulistão, mas houve uma simbólica evolução desde o jogo do Grêmio e Vitória. Saltamos do 15º lugar para a sexta colocação na tabela. A competição é longa e muita coisa pode acontecer.

Demora um pouco, mas aos poucos Tite vai mostrando que dá pra ser ousado com esse elenco. Sem vencer a pouco mais de um mês, o comandante alvinegro precisava mostrar resultado em campo. O Corinthians teve três gols a seu favor, Kadu marcou contra, acredito que ele deve ter pensado “já que os jogadores do Corinthians não chutam, vou dar um golzinho para eles”. O criticadíssimo Bruno Henrique marcou um golaço e Guilherme também deixou o dele.

Reprodução Corinthians
Se pegarmos os nomes e os jogos passados não seriam bem os jogadores que esperaríamos ver fazendo gol. Bruno Henrique é o jogador certo que a torcida pede a saída pelo futebol horroroso que ele vem apresentando, e Guilherme vem mostrando uma evolução a cada jogo. Acredito que enfim, Tite percebeu o lugar exato de Guilherme nesse time, já que quando o jogador joga um pouco mais avançado mostra resultados.

A defesa foi mais solida com Vilson no lugar de Balbuena e Cristian no lugar de Elias. No ataque Luciano ganhou a posição de André, mas não foi melhor assim. É fato que com as mudanças o time foi mais ousado, buscou ter mais domínio de bola, velocidade e por incrível que pareça o time finalizava.

A movimentação de Marquinhos Gabriel e Giovanni Augusto acompanhado dos laterais Fagner e Uendel ajudou o Timão a chegar ao ataque, fazendo o time melhorar em campo. Cristian fez muito bem o papel que ele mesmo fazia em passagem anterior no Alvinegro, ajudou o time a recompor a defesa e a dar velocidade no meio de campo.

Algumas mudanças a mais têm que ocorrer, Felipe deve estar próximo de dar tchau ao Corinthians e precisamos ter uma defesa sólida, acredito muito nos nomes do Balbuena, Yago e Vilson para dar conta do recado.

Outra coisa que não pode ocorrer é ter jogador dentro do clube insatisfeito com o banco, Cássio por mais que já tenha sido importante para o Corinthians não está em sua melhor fase e o banco foi a solução, e ficar falando mal da comissão técnica não o fará voltar ao gol. Walter está melhor então merece a chance de ser titular. O arqueiro do Timão tem que entender que Tite sempre pregou o coletivo, merecimento e o Cássio sabe de tudo isso para ficar dando showzinho a parte agora.

A mídia fica pregando crise dentro do Corinthians enquanto não temos, apenas precisamos melhorar a postura dentro de campo e não ficar criticando. O papel da torcida em ir conversar com os jogadores é superválido, o Tite e os jogadores deveriam agradecer por ter sido apenas uma conversa, em outros tempos poderia ser pior. Os torcedores só querem ter o que comemorar de quarta e domingo, e isso reflete em vitórias do Corinthians. O time melhorou em campo, mas ainda tem reajustes a fazer. Foco total agora no Sport lá na Ilha do Retiro.

Isabela Macedo || @ismacedo_
Linha de Fundo || @SiteLF

Goleada suficiente para vencer

Futebol bonito, toque de bola, jogadas de habilidade, amplo domínio sobre o adversário, jogo ofensivo... Nada disso foi apresentado na partida de ontem. Mas para garantir os três pontos não são necessário isso. Podemos jogar uma partida feia, ganhar com um gol contra e não mostrar nada de bom, o importante é que o Inter venceu mais uma no Brasileirão e chegou à pontuação do líder.

Mais uma vez o ditado que todo mundo fala se fez valer, “De grão em grão a galinha enche o papo”. O 1 a 0 de ontem contra o Sport foi pouco, porém suficiente. Mais uma vez o jogo não foi tão ruim quanto eu esperava. O revolucionário Argel montou novamente o time com os três volantes básico que só ele acredita que dá certo, mas justiça seja feita, o homem teve colhões para ainda na primeira etapa perceber que isso tudo não estava funcionando e a mudança era urgente. O time ficando no clássico 4-4-2 melhorou, criou boas oportunidades e estiveram na cara do gol pelo menos umas quatro vezes, mas infelizmente a maldita não balançou o barbante.

Inter vence o Xpó e segue correndo por fora pela a liderança (Foto: Deive Pazos)
O Inter hoje é um time que precisa de uma USINA NUCLEAR para acender uma lâmpada, falta ainda armação e criação na meia cancha e os meias que fardam no Inter, hoje, não servem para a posição. Andrigo, Ferrareis e Anderson vocês precisam só entregar o posto da meia, ou seja, vocês são ótimos, no banco. Vitinho e Sasha ainda tiveram algumas chances claras de gol desperdiçadas. Não fizeram falta, mas essas poucas oportunidades que tiveram foram criadas pelos laterais, que apoiam mais que os meias. Com isso o jogo foi o quadro do horror na moldura do desespero.

Não tenho gostado do futebol que o "Sir Argel Fuckson" vem montando para o time, mas os números estão a favor dele, então me resta ficar quieto, abaixar a corneta e apoiar o homem da casamata. Óbvio que o meu Inter está milhas daquele que sonho ver em campo, mas os bons resultados neste início de Brasileirão podem dar confiança e com os reforços que ainda estão por vir, o time pode dar uma melhoradinha. Seguimos observando, expectativa baixa sempre, mas tá melhor que o imaginado.

Brocador marca e espanta jejum de gols do Bahia

Depois do frustrante empate sem gols contra o Paraná no Durival de Brito, das muitas chances perdidas na eliminação contra o América-MG e no triunfo contra o Avaí, o Bahia entrou em campo para enfrentar o Joinville pela terceira rodada da Série B depositando todas as suas esperanças no artilheiro a equipe na temporada: Hernane Brocador reaparecia no time após ausência por contusão que o manteve fora desde a decisão do Campeonato Baiano. Retornava ao time em um momento que, apesar de atuações razoáveis e das arbitragens duvidosas, os gols teimavam em não sair dificultando as partidas para o tricolor e testando a já combalida paciência do torcedor. Mais que nunca Hernane precisava justificar o epíteto de BROCADOR.

Por motivo de contusão outras mudanças aconteceram na equipe. Moisés e Thiago Ribeiro deram lugar a João Paulo – que saindo do meio abriu espaço para Luisinho – e ao próprio Hernane com a manutenção de Zé Roberto no ataque. Única mudança técnica na equipe foi à entrada de Juninho na vaga de Paulo Roberto, alteração plenamente justificável devido ao bom rendimento do volante carioca nas últimas aparições. Dessa forma o sistema de 4-4-2 foi mantido como principal, repetindo o padrão que deu mais estabilidade à equipe nos últimos jogos.

Time do Bahia que iniciou a contenda contra o Joinville no sábado á noite
O Bahia adotou uma postura agressiva nos primeiros minutos – algo não tão usual na temporada – com as linhas avançadas no campo defensivo do Joinville e com momentos de pressão intensa no jogador adversário que tinha a posse, diminuindo espaços e linhas de passe com vários jogadores em um curto espaço de campo. Dessa forma o Bahia sufocou a equipe catarinense nos primeiros minutos, recuperou muitas posses de bola e criou algumas situações de gol. Zé Roberto flutuava bastante na entrelinha e buscava espaços às costas dos volantes, enquanto Hernane fazia a referência, e com essa movimentação quase abriu o placar – Agenor fez grande intervenção.

Time inicia pressão no campo ofensivo no momento em que perde a posse. Intensidade
Entretanto, era impossível manter essa postura – que exige intensidade e entrega física – por muito tempo. A equipe vem de uma sequência longa de jogos e sem tempo adequado para recuperação, com muitos jogadores ainda fora de combate. O desgaste é compreensível e esperado. A incapacidade de recompor defensivamente o time acabou proporcionando uma grande chance ao Joinville – no lance Lucas errou o posicionamento e Jackson também falhou na tentativa de fazer a linha de impedimento. Para sorte da equipe, Lomba estava atento e saiu muito bem da meta, fechando os espaços de Cléo e efetuando uma grande defesa.


A partir desse momento o Bahia ‘abaixou’ as linhas e passou a ter uma postura mais comedida na fase defensiva.  Procurava criar espaços e encontrava algumas dificuldades para transpor a defesa adversária. Faltava velocidade na troca de passes e ser incisivo no último terço do campo.  Ainda assim mantinha domínio territorial, tinha mais posse de bola e presença no campo ofensivo. Equipe tinha paciência para rodar a bola, mas sempre falhava no momento de infiltrar na área do adversário. Porém se mostrava organizada e consciente mesmo com dificuldade em vencer alguns confrontos individuais e dar sequência a lances ofensivos. O primeiro tempo, dessa forma, findou com igualdade no placar.

Ciente da necessidade de suplantar um rival que estava bem postado defensivamente, o time passou a usar muitas inversões de bola a fim de encontrar brechas para chegar ao gol. Até que uma bola esticada da defesa por João Paulo encontrou Zé Roberto no ataque, na disputa pelo alto ela sobrou limpa para Danilo que acertou belo passe para Hernane. A partir daí um PANDEMÔNIO dentro da área; sequência de finalizações de Hernane, Zé e Luisinho que pararam em Agenor ou na zaga; até que mal afastada ele bateu em Danilo e sobrou novamente para Hernane que se atirou para finalizar. Agenor ainda amorteceu o chute com a luva, mas ela foi mansa, obediente, e mal ultrapassou a linha de gol. Enfim, após mais de 250 minutos desde o último tento a torcida pôde soltar o grito de gol entalado na garganta. 

Bahia tem sido uma equipe que trabalha bem a bola e conclui bastante. Precisa melhorar eficácia
Com a vantagem o time de Doriva foi bastante inteligente. Soube valorizar a posse de bola, controlou a partida e não correu riscos – JEC só finalizou uma vez durante todo o jogo – e o próprio técnico Hemerson Maria admitiu a superioridade do time da casa e creditou o resultado como justo.

O objetivo principal foi alcançado por ora; time se mantém no G-4 desde o início do certame, tem mostrado um padrão consistente e precisa melhorar a eficiência no ataque para seguir sua caminhada de retorno à elite do futebol brasileiro sem percalços. No próximo sábado um grande desafio: Enfrentar o líder Vasco que tem vantagem de dois pontos sobre o Bahia e está invicto desde novembro do ano passado, no caldeirão de São Januário. Um jogo que reúne seis títulos brasileiros, muita tradição e duas torcidas apaixonadas e gigantes. Uma partida que transcende qualquer campeonato.

NOTAS SOBRE ELA [O FIM DA URUCUBACA]

- João Paulo Gomes fez enfim sua primeira boa partida pelo Bahia – jogando na sua posição original. Como o Joinville não atacou pelo seu setor teve tranquilidade para apoiar o ataque e o fez muito bem; foi a principal válvula de escape ofensiva sendo o jogador que mais acertou passes [61], lançamentos [10] e cruzamentos [2] no jogo. Ótima notícia justamente quando Moisés deve ficar fora por algum tempo por contusão;

- Elogiar Jackson tem sido chover no molhado. Antecipa bem, ganha todas pelo alto, leva vantagem nas batalhas individuais... Agora após um início tímido tem sido importante também na saída de jogo: Foi o segundo em passes certos [59] e acertou todas as viradas de jogo que tentou [8] e o que fez mais rebatidas pelo Bahia [9];

- Após oscilar durante a temporada – e reclamar VELADAMENTE de estar jogando fora de posição – Juninho enfim parece ter reencontrado o bom futebol que levou o Bahia a buscá-lo no Macaé: Volante construtor, que pensa o jogo na faixa central do campo, distribui bem a bola e faz o jogo ‘rodar’. Além disso, é líder em desarmes do time [11] e o 4º do campeonato mesmo só tendo começado como titular um jogo. Ano passado ele liderou esse quesito pelo Macaé;

- Não bastasse ter marcado 11 gols em 13 partidas, Hernane Brocador tem todos os elementos para se tornar ídolo no Bahia: É brigador, não desiste fácil, dedicado e insistente. Mesmo voltando de contusão ficou até o final do jogo e mesmo sendo quem mais liderou finalizações erradas no jogo [4] e perdas de posse [11] foi também o mais caçado [sofreu 7 faltas] e o autor da finalização correta que garantiu os três pontos da partida.

Estatísticas: Footstats
Alex Rolim - @rolimpato - #BBMP

Guia da Copa América – Grupo D


ARGENTINA - @ismahsantos

Vice-campeã na edição anterior, a Argentina busca uma nova oportunidade para levar o troféu dessa edição especial da Copa América. Porém, a Albiceleste, além de querer o título, também busca a manutenção da equipe, pois são atletas jovens e que tem um ótimo futuro a nível mundial. Desta forma, essa competição será um belo teste para ajustar o foco nas Eliminatórias e será uma maneira de implantar um espírito de campeão a todos que estão vestindo a camisa Portenha.

Tata Martino manteve a base que vem utilizando nas últimas partidas, além de ter dado continuidade aos novatos Pinola e Augusto Fernández, que, assim como Mercado e Higuaín, presente em outras ocasiões, passaram a brigar por um espaço na equipe após agradarem na última rodada das Eliminatórias.

Porém, a poucos dias da convocação definitiva para a Copa América 2016, Martino perdeu dois jogadores presentes na pré-lista. O lateral-direito Pablo Zabaleta e o zagueiro Javier Pinola foram confirmados nos últimos dias como baixas para a Albiceleste, que logo iniciará sua preparação pensando na Copa América.

Tata optou chamar 35 jogadores, para no dia 20/05 divulgar quem será os 23 definitivos que viajarão para os Estados Unidos, na disputa da Copa América Centenário. Até o momento, apenas Kranevitter e Funes Mori receberam autorização para disputarem a Olimpíada e a Copa América, o que provavelmente não ocorrerá com Dybala e Correa, que são esperanças da "Hinchada Albiceleste" nos Jogos Rio 2016. Em contrapartida, Musacchio, um dos supostos experientes que estarão no Rio de Janeiro, não deverá figurar na Copa América.


BOLÍVIA - @wagneroliveiraf

A Bolívia deve passar por muitas dificuldades nessa Copa América, já que acabou caindo em um dos grupos mais difíceis da competição. A tendência é que a seleção verde seja eliminada logo na fase de grupos justamente pela fase que passa. Os bolivianos não estão nada bem nas Eliminatórias e, de seis jogos disputados, a equipe venceu apenas um, com 4x2 em cima da Venezuela, e tem cinco derrotas. É a vice-lanterna com apenas três pontos ganhos.

A La Verde não tem um histórico tão grandioso na Copa América. Com algumas campanhas vergonhosas e outras gloriosas, a Bolívia já participou da competição por 23 ocasiões. Na maior parte delas, os bolivianos não conseguiram ter destaque e sempre foram alvos fáceis das outras seleções sul-americanas. Isso foi diferente apenas em 1963, quando a própria Bolívia sediou a competição e acabou levando o título do até então Campeonato Sul-Americano, como era conhecido antes. Foi o único título deles até hoje.


CHILE - @_FellipeS

A seleção chilena vem para a Copa América Centenário sonhando alto e com grande expectativa de seus torcedores. Como uma bela base formada nos últimos anos, La Roja, como é conhecida, conquistou a Copa América pela primeira vez em 2015, jogando em casa, e agora não vai poupar esforços para defender seu título nos Estados Unidos.

A seleção vive grande momento e, além do título inédito de 2015, o Chile ocupa a surpreendente terceira colocação no ranking FIFA de seleções masculinas. Pelas Eliminatórias da Copa, a equipe vem se recuperando das duas derrotas sofridas e atualmente ocupa a quarta colocação, onde estaria classificada para a Copa da Rússia 2018.

O caminho da Roja não parece ser tão complicado assim, pelo menos até a semifinal. A seleção caiu no Grupo D e não deve ter dificuldades para se classificar junto à Argentina. Na segunda fase, o grupo cruza com o Grupo C, onde estão Jamaica, México, Uruguai e Venezuela.

O treinador Juan Antonio Pizzi já divulgou a lista oficial dos 23 convocados para a competição com os principais nomes da equipe: Bravo, Sánchez e Vidal. Dentre os convocados, somente um deles atua no Brasil: Mena, do São Paulo. Outros dois chegaram a ser pré-selecionados, mas acabaram cortados da convocação final: Vilches (CA Parananense) e González (Sport). A maior surpresa foi a não convocação do meia Jorge Valdivia, presença constante e titular da equipe em vários jogos.


PANAMÁ - @NeetoMoraes96

A seleção do Panamá ainda está em festa pelo simples fato de ter conseguido a classificação para Copa América. Será a primeira vez que a seleção disputará esse torneio e, sem dúvidas, o principal objetivo é aproveitar ao máximo esse momento e, quem sabe, tirar alguns pontos das principais potências.

Para chegar até aqui, o Panamá precisou disputar antes a Copa Oro e quase foi eliminado na primeira fase. Com apenas três pontos, a seleção acabou conseguindo se classificar como melhor terceiro colocado. No mata-mata, o time conseguiu eliminar Trinidade e Tobago nos pênaltis, mas na semifinal infelizmente perdeu para o México na prorrogação. A equipe ainda teve que enfrentar os Estados Unidos na disputa pelo terceiro lugar e novamente conseguiu ganhar nos pênaltis.

Na segunda colocação do Grupo B nas Eliminatórias da Copa com sete pontos, o Panamá está se preparando para enfrentar adversários difíceis na Copa América no considerado grupo da morte. O estreante não terá vida fácil e sem dúvidas tentará dificultar muito para as grandes seleções.


@SiteLF
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana