A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

quarta-feira, 8 de junho de 2016

E o dever de casa, Paraná?

PARANÁ 0 x 0 ACG

Série B. Estamos há quase 10 anos nessa desgraça. Será que ainda não aprendemos como jogá-la? Apesar de contar com desfalques importantes nas últimas rodadas, conseguimos dois empates bons fora de casa (bons pelo ponto conquistado, pelos jogos era pra termos voltado com seis) e agora voltaríamos a nossa casa, a Vila Capanema, para consagrar a sequência fazendo o dever de casa. Mas parece que estamos matando as aulas...

Foto: Geraldo Bubiniak
Na fria noite curitibana faltou criatividade aos dois times, o Paraná sentia a ausência de Nadson e Robson e assim não conseguia jogar na sua principal característica: a saída em velocidade. Valber não se achou em campo, Marcelinho tentava, mas não encontrava alguém para jogar junto, Tavares virou triatleta, corria pedalava e nada. Já Lucio Flavio... Bom, esse dispensa comentários...

Para a segunda etapa Claudinei tentou mudar as peças da equipe. Valber e Uchoa saíram lesionados, Murilo e Robert entraram, Tavares passou pra direita e Leandro Silva pro meio. Com as mudanças o Tricolor até conseguiu ter mais volume de jogo do que na primeira etapa e criou duas boas chances, mas estas foram desperdiçadas por Lucio Flavio e Robert. Nada mais justo do que um empate sem gols para duas equipes sonolentas.

O que podemos tirar do jogo é que: Lucio Flavio continua sendo um bosta. Marcelinho é um bom nome, mas não joga sozinho. Valber está mal de novo. Sem alguém pra decidir (Robson, Nadson e até Henrique que chegou agora) numa jogada individual, um drible diferente, teremos bastante dificuldade. Fernandes é horroroso. E por fim, Robert: entrou bem melhor do que os outros jogos, mas perdeu um gol dentro da pequena área. Acredito que não vai demorar muito para bancar o lixo do Lucio Flavio e começar a contagem com a camisa Paranista.

Fonte: Paraná Clube
O próximo duelo do nosso Paraná Clube é no sábado contra o Náutico, em Recife, mas antes disso o clube prepara um grande evento, denominado ‘Eu vou estar lá’. O evento terá diversas atrações: lançamento das camisas da Topper, lançamento do novo plano de sócios, foodtrucks, música e talvez outras surpresas da diretoria. Dia 09/07, 19h na Vila Capanema, EU VOU ESTAR LÁ! E você?

Fellipe Vicentini | @_FellipeS

Estados Unidos vence Costa Rica e se recupera na Copa América

Estados Unidos e Costa Rica se enfrentaram em Chicago, pela 2ª rodada da Copa América Centenária. E foi um jogo histórico. Pela 1ª vez na história, dois times de fora da América do Sul se enfrentaram num jogo da Copa América. O jogo começou com a Costa Rica assustando, mas não demorou muito para os estadunidenses reverterem à condição e sairam na frente do placar, em pênalti cometido por Gamboa e convertido por Dempsey. A Costa Rica se perdeu e começou a errar muitos passes. Os donos da casa, em busca de um saldo melhor, seguiam pressionando. Já na reta final do primeiro tempo, os EUA conseguiram marcar duas vezes e praticamente decretar o placar. Para o segndo tempo, os Estados Unidos tiraram o pé do acelerador, tirando a qualidade do jogo. A Costa Rica bem que tentou, mas foram os donos da casa que marcaram novamente, com Zusi, fechando o placar. Além da recuperação no campeonato, e trazendo a torcida novamente pro seu lado, os Estados Unidos ainda aplicou a maior goleada no confronto entre as duas seleções na história.

Estados Unidos: Mesma escalação, Melhor Eficiência!

Depois de uma péssima atuação na estreia da Copa América diante da Colômbia, os EUA entraram para o jogo contra a Costa Rica pressionados pela vitória. Uma derrota para os costarriquenhos fariam os norte americanos serem eliminados precocemente em uma competição dentro da própria casa.

Num jogo onde teve apoio total da torcida no estádio Soldier Field, mesmo com a pressão, o técnico Jurgen Klinsmann decidiu manter a mesma escalação do jogo diante da Colômbia. Mas agora com uma atitude diferente, e jogando contra uma seleção mais fraca, os estadunidenses conseguiram jogar bem, criar várias chances e marcar quatro gols sem dificuldades. No primeiro tempo, depois de uma pequena pressão da Costa Rica, os Estados Unidos embalou depois do pênalti convertido por Dempsey. A boa atuação do meio comandado por Bradley e do ataque comandado por Dempsey, o time conseguiu fazer dois gols no final do primeiro tempo, com Jermaine Jones e Bobby Woods. No segundo tempo, os Yankees diminuíram o ritmo, e o jogo esfriou. Mesmo assim, os EUA seguiram jogando melhor e conseguiram marcar o último gol no final do jogo, com Zusi.

Dempsey comemorando o gol que abriu a goleada (Fonte: Ussocer)
Agora, os EUA vão para a última rodada como favorito pela segunda vaga. O time enfrentará o Paraguai, na cidade de Filadélfia, precisando de uma vitória simples para ir às quartas. O time precisa mostrar a mesma garra e vontade de vencer igual no jogo contra a Costa Rica. O time evoluiu bastante, mesmo com a diferença de nível dos adversários. A equipe teve tranquilidade para dominar a Costa Rica e construir a vitória com facilidade. Se o time mostrar a mesma eficiência, não deverá ter dificuldades para ganhar do bom time paraguaio, mas que está em má fase, e passar de fase com moral para ir mais longe do que esse time parece jogar.

O apoio foi incondicional por parte da torcida (Fonte: globoesporte)
Costa Rica: Os erros foram cruciais

Dos quatro gols americanos, três resultaram de erros de marcação, passes ou individuais, esses erros foram cruciais para a derrota Costarriquenha, o time com o gol no início se abateu enfraquecendo a marcação, o segundo gol saiu em um momento que se iniciava uma reação Costarriquenha e jogou tudo por água abaixo, se houvesse qualquer indício de reação ele foi embora com o terceiro gol 5 minutos depois. A seleção voltou e sem muitos sinais de reação, completamente entregue, apenas em busca de um gol de honra que não veio apenas o quarto gol americano com Zusi para decretar a goleada Norte-americana.

Eduardo Maya|@Edumaya7
Frederico Kuhnen|@Fred_Metro2002
Linha de Fundo|@SiteLF

Oeste vence duas seguidas e se aproxima do G4

Oeste joga melhor e consegue a vitória diante do desesperado Tupi-MG.


Jogando fora de casa o Rubrão conseguiu pontos muito importantes, o clube venceu a primeira fora de casa nessa Série B, desta vez diante do desesperado Tupi-MG de Juiz de Fora, jogo no qual o Oeste mandou no jogo, acredito que um a zero foi muito pouco, uma vitória magra pelo o que o Oeste produziu no Jogo.

Em minha opinião, o Oeste está indo pelo caminho certo dentro de campo, porém eu e milhares de Itapolitanos Oestinos queríamos que o nosso time fizesse uma campanha como essa jogando em Itápolis, infelizmente não é como a gente quer.

Mais uma vez, o jovem promissor do Rubrão se destacou dentro de campo, Léo Arthur vem crescendo a cada jogo, é um dos artilheiros da equipe no campeonato, com três gols marcados pelo Oeste. Era nítida a superioridade do Oeste em campo, não desmerecendo o mandante, mas estavam todos perdidos, o Rubrão teve várias chances de abrir o placar ainda no primeiro tempo, porém foi na segunda etapa, que Léo Arthur, aos 15' minutos abriu o placar no bico da pequena área sem chances para o goleiro.

O Oeste até teve chances após o gol de ampliar, mas não foram bem aproveitadas, mas um jogo que o Mazinho não entrou bem em campo, infelizmente não é mais o mesmo Mazinho de antes, Marcus Vinicius melhorou um pouco de rendimento, Francisco Alex sumiu de campo, começou jogando bem jogos atrás, agora que está de titular não vem fazendo boas atuações, acredito que ele pode ser uma opção melhor para o segundo tempo, enfim é questão de tempo pra equipe se acostumar com essa forma de jogar, tem esse detalhe também, jogadores ainda não estão acostumados.

Aos poucos, Diniz vem encontrando a forma ideal do Oeste jogar, o time largou o chutão, e adotou o tiki-taka que por enquanto vem dando certo pro Rubrão, é questão de tempo, treinamento e dedicação pro time melhorar cada vez mais, esperamos que o nosso querido Oeste continue jogando assim, porém seria melhor jogando em sua casa de 95 anos, onde está armazenada sua história e conquista. Enfim não sei se agora é o momento de falar disso, agora é focar nos trabalhos para essa Série B.

O Oeste voltará a campo já nessa sexta-feira, onde enfrentará a equipe do Goiás time de Série A de Brasileiro, às 20h30 no Serra Dourada. Será um jogo bem truncado, difícil, mas esperamos que seja mais uma vitória do Rubrão.

VAMO OESTE!

Césare Boralli ||@cesareboralli
Linha de Fundo || @SiteLF

Ceará vence a terceira seguida e anima o seu torcedor

O Ceará enfrentou a equipe do Londrina pela 7ª rodada do Brasileirão Série B na Arena Castelão, e fez mais uma vez seu papel de mandante vencendo a partida por 1x0, e deixando assim a torcida cada vez mais confiante, pois está empatado no número de pontos com o Criciúma e Náutico, e acabou ficando na 6ª colocação apenas por conta dos critérios de desempate.

O jogo foi bastante disputado no meio de campo, as duas equipes lutaram bastante pela posse de bola e pouco atacaram no primeiro tempo de partida, que teve a chance mais clara em cobrança de escanteio para a equipe do Londrina, aonde Keirrison desviou no primeiro pau e a bola sobrou para Igor Bosel que de cara para o gol desviou e a bola bateu no travessão e no rebote a zaga do alvinegro afastou para longe. A outra oportunidade perigosa do primeiro tempo foi a favor do Ceará em cobrança de falta de Rafael Costa a bola passou perto da trave do adversário.

O segundo tempo foi mais intenso, a equipe alvinegra chutou mais para gol e quase abriu o placar em duas chances parecidas do lateral Eduardo que foram salvas pelo guarda-rede do Londrina. Foi apenas aos 17 minutos que Rafael Costa mandou uma bomba na entrada da área e a bola foi para o fundo da rede sem chance de defesa. A partir do primeiro gol da equipe alvinegra o time descansou e tomou sufoco, quase sofrendo assim o gol de empate, porém o Vozão de Porangabuçu soube se defender na medida do possível e prender a bola no meio de campo e consolidou a vitória ao apito final do árbitro.

Jogadores comemorando o gol de Rafael Costa. (Foto: Christian Alekson)
Na próxima rodada o Ceará visita o Luverdense às 21h no estádio Passo das Emas, partida que irá realizar sem o atacante Bill e o Meia Felipe suspensos, mas pode enfim ingressar a zona dos quatro que sobem para a 1º divisão do Campeonato Brasileiro dependendo de alguns resultados de equipes que estão em cima do Vovô, porém com a série de três vitórias consecutivas o Vozão espera ser mais uma vez um visitante indigesto e trazer mais uma vitória para a capital cearense.

Ficha Técnica:

Ceará: Éverson; Sandro, Ewerton Páscoa(Charles); Eduardo, Thalysson; Baraka, Richardson, Felipe, Zé Mário(Roni); Rafael Costa e Bill(Marino). Técnico: Sérgio Soares.

Londrina: Marcelo Rangel; Igor Bosel, Matheus(Marcondes), Luizão e Léo; Germano(Rondinelly), Bidía e Rafael Gava; Paulinho Moccelin, Jô e Keirrison(Itamar). Técnico: Claudio Tencati.

Árbitro: Paulo Sergio Santos Moreira/MA
Cartões: CEA: Bill, Roni e Felipe || LON: Igor Bosel, Matheus, Jô e Rafael Gava
Público: 8.321 pagantes e 402 não pagantes
Renda: R$ 73.456,00

Por: Thomaz Gomes || Twitter: @thomazgomes_

Quatro jogos em casa, 100% de aproveitamento

Criciúma goleou o Brasil de pelotas por 3x0 e mira G4.

Roberto e Elvis comemorando o gol relâmpago

O tigre catarinense jogou muito bem e já aos 52 segundos Roberto recebeu um lindo passe de Elvis e finaliza no canto do goleiro fazendo um gol relâmpago, depois do “choque” do gol o time Xavante tentou até pressionar indo ao ataque, mas não conseguiu dar perigo ao gol defendido por Luiz e o tricolor catarinense retomou a posse da bola e começando a fazer pressão pra cima dos adversários, aos 16° do primeiro tempo Douglas Moreira demonstrando muita habilidade fez uma sequência de dribles curtos e chutou com a esquerda para a defesa de Eduardo aos 41’ ainda do primeiro tempo, Gustavo fez uma jogada sensacional fazendo fila desde a defesa cruzou rasteiro, a bola passou por Elvis, mas no rebote Juninho ampliou para o Criciúma.

No segundo tempo o jogo voltou mais equilibrado, porém de novo o time de Pelotas não conseguia ter uma chance clara de gol e o assim o tigre mantinha mais a posse de bola, aos 26’ em cobrança de escanteio Roberto desviou e Nathan completou para o gol fechando o caixão do Xavante! Depois do terceiro gol o Brasil de Pelotas buscava desesperadamente o gol, mas não conseguiu nada e ainda Wender tomou o segundo cartão e foi expulso em lance bobo.

Desempenho do time e expectativa para as próximas partidas

O time que foi apresentado nessa terça foi o resultado que a torcida esperava. Depois de jogos com finalizações ruins, derrotas e empates por falta das mesmas, o time mostrou grande evolução, jogando com bom domínio de bola e finalizando com sucesso. Mesmo havendo alguns erros durante a partida, já se nota que o time está sendo modificado e felizmente para melhor. O técnico Roberto Cavalo vem investindo nos garotos mais novos da equipe e testando novas contratações que estão tendo um bom desempenho em campo. Nos últimos jogos nota-se que as substituições nada mais são do que treinos para a titularidade do jogo seguinte, por exemplo, o jovem Roberto que depois de entrar no segundo tempo de alguns jogos, acabou conquistando a titularidade dos jogos mais recentes. O que se espera é que nos próximos jogos o clube continue pontuando bem, se mantendo no G4 e próximo dele, assim, continuando na luta pelo acesso à elite do futebol brasileiro.

Crítica para Arbitragem

Mais uma vez vi uma arbitragem muito fraca no jogo do Criciúma dando várias “faltinhas” desnecessárias tanto pra um lado como pra outro, claramente em uma jogada Roberto foi lançado pela direita ia sair livre para o gol, ele tomou um carrinho por trás visando apenas à perna dele, sem a intenção de buscar a bola, o juiz apenas deu cartão amarelo, isso foi uma medida de controlar o jogo sem precisar tomar decisões “radicais”, Vergonha!

Ficha de jogo para Criciúma x Brasil de Pelotas

Estádio Heriberto Hülse
Público: 3.607
Renda: R$ 41.640
Árbitro: Alexandre Vargas Tavares de Jesus (RJ).
Gols: Roberto, aos 52 segundos e Juninho aos 41 minutos do primeiro tempo. Nathan aos 25 do segundo tempo (C)
Cartões amarelos: Alex Maranhão, Elvis e João Afonso (C); Marcos Paraná, Marlon, Nathan e Ramon (B)
Cartão vermelho: Wender (B)

Criciúma: Luiz; Ezequiel, Ferron, Nathan, Niltinho (Diego Giaretta); João Afonso, Douglas Moreira, Elvis (Alex Maranhão); Juninho (Gabriel Leite), Roberto e Gustavo. Técnico: Roberto Cavalo

Brasil de Pelotas: Eduardo Martini; Wender, Leandro Camilo, Teco, Marlon; Leandro Leite, Washington, Diogo Oliveira, Marcão (Felipe Garcia), Ramon (Gustavo Papa) e Marcos Paraná (Nathan). Técnico: Rogério Zimmermann

“Voltaremos pra primeira como em 2003

@gabrielcec__ || @_lefiguereedo 

Sampaio luta bastante, mas perde em Maceió


O Sampaio foi a Maceió enfrentar o CRB, no Estádio Rei Pelé, pela 7ª rodada do Campeonato Brasileiro Série B. O time maranhense vinha de uma sequência de resultados negativos, com apenas um ponto na tabela e na lanterna da competição. Em contrapartida, o CRB vem fazendo um bom e surpreendente início de campeonato, chegando a almejar o G4.

Para essa partida, o técnico Wagner Lopes, do Sampaio, não contava com o zagueiro Luiz Otávio, com problemas musculares, e o atacante Edgar, que teve seu contrato renovado um dia antes do jogo. Na ausência do zagueiro, o treinador promoveu a estreia de Wagner Fogolari. Guilherme Santos, expulso no último jogo, abriu vaga para Rafael Estevam.

Aos 8 minutos, Lúcio Maranhão recebeu bom lançamento em profundidade de Marcos Martins na entrada da área pela direita e quase abriu o placar chutando forte com perigo. A bola passou à direita do gol defendido por Rodrigo Ramos, estreando novamente com a camisa tricolor. No minuto seguinte, o Sampaio partiu em contra-ataque. Pimentinha invadiu a área adversária e tentou fazer o lançamento invertendo à jogada para Daniel Barros que se aproximava da área, mas a bola bateu na mão de Flávio Boaventura. O juiz assinalou a penalidade e advertiu o jogador com o cartão amarelo. Léo Gago se encarregou de converter a cobrança de pênalti e abriu o placar para o Tricolor de Aço. Depois do gol sofrido, o CRB passou a atacar com mais frequência e pressionar para empatar. Aos 16’, o CRB quase igualou o marcador com Gersón Magrão, mas Rodrigo Ramos fez a defesa, espalmando a bola para a linha de fundo. O Sampaio marcava, mas aos 19’ minutos, Marcos Martins cruzou da direita e Lúcio Maranhão cabeceou para empatar a partida no Rei Pelé. O time alagoano ainda criou outra chance de gol. Após cobrança de escanteio, Flávio Boaventura ganhou no alto do marcador e cabeceou forte por cima do gol. Aos 30 minutos, Guilherme Lucena cruzou da direita e Marcos Martins tentou afastar a bola de cabeça, mas ela tomou o rumo contrário e passou perto do gol, assustando o goleiro Juliano. Próximo do término do primeiro tempo, o Sampaio ainda tentou desempatar com Léo Gago que recebeu a bola de Daniel Barros e chutou forte de fora da área. O goleiro Juliano fez uma linda defesa, mandando a bola para escanteio.

O segundo tempo iniciou com uma grande chance para o Sampaio logo no primeiro minuto. Max carregou a bola sem ser incomodado pelos defensores e chutou da entrada da área. A bola passou ao lado da trave, assustando o arqueiro do time alagoano. Aos 13 minutos, cruzamento da esquerda na área do tricolor maranhense. A bola passou por toda a defesa e sobrou nos pés de Matheus Galdezani. Sem marcação, ele chutou forte, mas Rodrigo Ramos saiu bem do gol e fez uma excelente defesa, impedindo o gol da virada. O Sampaio não conseguiu segurar o empate e aos 22 minutos, após cruzamento da esquerda, ninguém da defensiva tricolor afastou o perigo e Rodolfo, que havia entrado no lugar de Luidy, cabeceou sozinho e virou o placar para o CRB. Após o gol, o Sampaio teve uma baixa na equipe. Guilherme Lucena recebeu o segundo cartão amarelo por reclamação e foi expulso. Pouco antes do gol do time da casa, ele já havia reclamado acintosamente e recebido o primeiro cartão. Três minutos depois, Gérson Magrão, em contra-ataque, acertou um belo chute da ala esquerda, mas Rodrigo Ramos fez grande defesa. No minuto seguinte, após bate e rebate na área do time maranhense, a bola sobrou nos pés de Rodolfo que chutou em cima do goleiro do time boliviano. Mesmo com um a menos em campo, o Sampaio não se entregou ao resultado e partiu para o tudo ou nada. Willian Paulista que havia entrado no lugar de Max poderia ter aproveitado uma chance no contra-ataque, mas já dentro da área adiantou muito a bola e foi travado pelo zagueiro do CRB. Pimentinha também recebeu um belo lançamento e partiu em velocidade na lateral, fez a jogada na linha de fundo e tocou errado para trás. Se o jogador tivesse um pouco mais de calma poderia ter definido melhor a jogada. Antes do fim da partida, o treinador Wagner Lopes ainda promoveu a estreia do atacante Jean Carlos que entrou na vaga de Pimentinha. O juiz apitou o fim do jogo e decretou a 6ª derrota do Sampaio na competição e o time continua na lanterna.

O jogo iniciou com uma tímida pressão do time da casa, mas o Sampaio marcava bem e conseguia conter as ações do CRB. O primeiro tempo não teve grandes chances de gol. Mas no segundo tempo os dois times saíram mais para o jogo e criaram um pouco mais. O Sampaio dominou boa parte do segundo tempo, mas quem criou mais chances de gol e levou mais perigo foi o time da casa. Foi notória a evolução que o time maranhense apresentou nesse jogo, ajustando a marcação e saindo bem para o jogo. Se houvesse um jogador de melhor qualidade na armação poderia ter saído de Maceió com um resultado positivo ou ao menos um empate. Mesmo com pouco tempo para treinar devido ao apertado calendário, o técnico Wagner Lopes já está conseguindo fazer mudanças no time, inclusive na postura dos jogadores.

O próximo desafio da Bolívia Querida será na sexta-feira, dia 10, contra o Criciúma, no Estádio Castelão, em São Luís, às 20h30.

FICHA TÉCNICA:

Local: Estádio Rei Pelé, em Maceió (AL)
Horário: 19h15 (de Brasília)
Gols: Lúcio Maranhão, aos 19’ 1ºT e Rodolfo, aos 22’ 2ºT (CRB); Léo Gago, de pênalti, aos 10’ 1ºT (Sampaio).
Cartões amarelos: Flávio Boaventura (CRB); Diego Lorenzi, Guilherme Lucena, Rodrigo Ramos, William Paulista (Sampaio)
Cartões vermelhos: Guilherme Lucena (Sampaio)

CRB: Juliano; Marcos Martins, Adalberto, Flávio Boaventura e Diego; Olívio, Maheus Galdezani (Somália), Dakson (Elton Lira), Gerson Magrão e Luidy (Rodolfo); Lúcio Maranhão. Técnico: Mazola Júnior

SAMPAIO CORRÊA: Rodrigo Ramos; Guilherme Lucena, Wagner Fogolari, Rodrigo Arroz e Rafael Estevam; Léo Gago (Cleitinho), Renan Ribeiro, Diego Lorenzi e Daniel Barros; Pimentinha (Jean Carlos) e Max (William Paulista). Técnico: Wagner Lopes

Marcos Fernandes || Twitter: @poetafernandes
Linha de Fundo || @SiteLF

A corda arrebentou do lado mais fraco

Após mais um revés na Série B, diante do Oeste pela sétima rodada, os protestos da torcida carijó surtiram efeito. A pressão chegou à diretoria, que finalmente deu uma resposta, se pronunciando através do responsável pelo futebol do clube, Gustavo Mendes.

Não é novidade no futebol brasileiro que a corda sempre arrebenta do lado mais fraco, no caso do treinador, que sempre assume a maior parte da responsabilidade de uma campanha indesejada. Era nítido que Ricardo Drubscky seria demitido mais cedo ou mais tarde, o que veio a acontecer um dia depois da derrota.

Embora a demissão seja justa, pela incapacidade do treinador de conseguir tirar tudo que podia deste elenco, foi apenas o primeiro passo para que as mudanças venham a acontecer. A solução dos problemas não está apenas em trocar de treinador e esperar que o próximo mude totalmente o desempenho de um elenco limitado. Para que o time busque a reação na competição, há a necessidade de reforços imediatos, exigimos uma campanha digna e a pressão sob a diretoria/jogadores continuará.

A segunda passagem de Ricardo Drubscky terminou da pior maneira (Foto: Marina Proton)
PS: Gostaria de demonstrar a minha profunda admiração por Ricardo Drubscky, tanto como treinador, quanto como pessoa. Na maioria das vezes, os torcedores são movidos pela paixão e eu me incluo nisso, de maneira nenhuma queremos ver nosso time mal. Porém, com um investimento tão baixo e em uma competição tão difícil, todos nós sabemos o quanto seria difícil trazer bons resultados. Infelizmente você não foi capaz de "fazer milagre", errou e teve sua parcela de culpa sim! Mas, essa passagem não apaga tudo que foi feito no passado, tendo conquistado o título mais importante da história do clube. Desejo toda sorte nos próximos desafios! Obrigado professor!

Por: Marcelo Júnior || Twitter: @marcelinjrr

Zagueiro Gustavo Bastos, do ABC, aposta no fator casa para voltar a vencer

Após a derrota diante do Botafogo-PB, em João Pessoa, a equipe alvinegra tem agora dois compromissos diante do torcedor. No próximo sábado (11) receberá o Confiança, em jogo válido pela 4ª rodada da Série C do Campeonato Brasileiro. E na sequência, enfrenta o Gama, quarta-feira (15), no jogo de volta da segunda fase da Copa do Brasil, no Frasqueirão.

- Dentro de casa temos que mostrar a nossa força, conquistar a vitória é nossa obrigação. Vamos pensar jogo a jogo, mas a nossa meta é garantir a vaga na próxima fase da Copa do Brasil e conquistar os três pontos diante do Confiança para nos aproximarmos novamente da ponta da tabela na Série C, garante Gustavo Bastos.

O ABC ocupa a oitava posição do Grupo A com três pontos e, mesmo estando no início da competição o zagueiro, que tem experiência e foi campeão da Série C no ano passado com o Vila Nova-GO, sabe que é preciso manter uma boa sequencia para conquistar os objetivos.

- A Série C é um campeonato bastante complicado, muito difícil e não podemos vacilar. Nós temos agora esse jogo em casa, mas depois são dois compromissos fora, contra o Fortaleza, que é o atual líder e contra o Remo. Então, se quisermos comemorar no final da temporada, temos que pontuar também fora de casa, diz Bastos.

Foto: Assessoria de Comunicação / ABC FC

O imbatível Vasco da Gama

Atacante brilha na vitória do Gigante. Foto: Carlos Gregório Jr./Vasco.com.br
O mais improvável herói que o Vasco jamais imaginou. Sim, na partida da noite de terça-feira (7), o atacante que brilhou foi Leandrão. Jogador comparado em agosto de 2015 para evitar o rebaixamento, nunca foi tão bem quanto na última partida. O Vasco ganhou de 2 a 0 e os dois gols foram dele. Essa vitória além de somar os três pontos na tabela, deixando o Gigante na liderança isolada da competição, ampliou a grande invencibilidade do clube para 34 jogos – faltando apenas um para bater o recorde do Expresso da Vitória.

"Venho trabalhando forte desde o meu retorno, com a indecisão se ficaria ou não (no Vasco). Falei que o meu pensamento era retornar e ajudar, e ainda bem que fui premiado. É um jogo pegado, já imaginava por jogar bastante aqui no Sul, mas a Série B é assim mesmo", afirmou o camisa 9.

Foi ainda no primeiro tempo que nasceu o gol. O lance começou com troca de passes perto da grande área e William cruzou direto na cabeça de Leandrão, que abriu o placar. A comemoração foi de braços abertos e logo abraçou os jogadores do banco de reservas.

O segundo gol foi na segunda etapa e surgiu de um lançamento de Luan para o ataque, mas a falha da defesa do JEC fez a bola chegar exatamente nos pés do nosso herói Leandrão, que como um bom atacante, matou a partida naquele lance.

Nenê, que não apareceu muito na partida nem nos lances decisivos, levou o terceiro amarelo e está suspenso para a próxima partida. Sem o camisa 10 do time, Vasco terá que improvisar e mostrar que não é dependente de Nenê.

Jordi tem desempenhado seu papel com louvor na vaga de Martín Silva. O goleiro titular está com a seleção uruguaia na Copa América. Jordi está com todo gás, já que além de titular, ele renovou com o clube por mais cinco anos e deve permanecer até 2021 em São Januário.

O elenco saiu de Joinville e desembarcou direto no Espírito Santo, que é onde encara seu próximo desafio, contra o Atlético-GO. No Estádio Estadual Kléber Andrade, às 16h no sábado (11).

Beatriz Pessôa || @biapessoaguiar
Linha de Fundo || @SiteLF

A primeira derrota fora de casa

Uma sequência de cinco jogos sem derrota separavam as vaias e os gritos de "É TUBARÃO!" (coro sempre presente após as vitórias) da última rodada. De fato, o progresso do time foi grande entre a derrota em casa diante do CRB e o placar favorável conquistado contra o Tupi, mas nem tudo são flores e após a sequência invicta surgiu a primeira derrota fora de casa. O clima no Tuba era de animação, junto ao paranito éramos os únicos que só haviam perdido na primeira rodada e encaixado uma sequência invicta no campeonato (o Vasco segue invicto desde o início). Por sua vez, o Vozão estava animado por obter duas vitórias nos dois últimos jogos e pretendendo a terceira, duelou de igual para igual com o LEC.

Seguindo este contexto não poderíamos esperar nada além de um jogo equilibrado com chances para ambos; a primeira delas veio com o Tubarão, Igor Bosel perdeu uma oportunidade clara de gol aos 9 minutos e este lance foi o suficiente para acordar a equipe da casa e promover a organização e a melhora da postura do clube dentro de campo. O Ceará passou a utilizar boas triangulações, trazendo jogadas do meio de campo para as laterais e buscando a agudez de sua linha ofensiva, além de aproveitar para alçar bolas áreas na defesa Londrinense. Por sua vez, o Alviceleste organizava-se para impedir o avanço do alvinegro e conseguia, ainda que paralisando o jogo com faltas e fazendo o corte das jogadas aéreas; em seus ataques buscava explorar as jogadas laterais, hora buscando a linha de fundo, hora buscando as diagonais (da lateral para o meio). 

Foto: futebolparanaense.net
O segundo tempo trazia a expectativa de um jogo onde os times se propusessem a atacar mais e por consequência aumentar a temperatura do jogo. Sob tal expectativa, o Londrina começou cedo a sua caça pelo gol e logo no primeiro minuto levou perigo à defesa cearense, mas quem chegou ao gol foi a equipe da casa. Rafael Costa tabelou e acertou um belo chute de fora da área. Do minuto do gol em diante, o que se viu foi um Ceará acuado pela pressão do visitante que buscava jogadas pelas laterais e bolas alçadas à área, estas eram cortadas pela defesa. Mostrando resistência, a equipe da casa (completamente extenuada) segurou o placar até o final da partida.

Foto: globoesporte.globo.com
Mais uma vez a equipe comandada por Cláudio Tencatti esteve próxima da vitória (isto porque perdeu boas chances, não só no início da partida, mas também quando a equipe alvinegra deu sinais de cansaço). Ao final, o Vozão saiu com os três pontos e o Tubarão com aquela sensação de que poderíamos ter chego à vitória, mas deixamos escapar. Como já diriam as entrevistas da boleirada (sim, aquele clichê...) "infelizmente hoje não deu, mas é trabalhar para se Deus quiser, trazer os três pontos na próxima rodada e dar alegria pra essa torcida maravilhosa".

Ceará (1) x (0) Londrina levou 8000 torcedores e cerca de 720 corneteiros, gerando uma renda de R$73.456,00.

O Vozão foi escalado por Sérgio Soares com Éverson, Eduardo Ewerton Páscoa (Charles), Sandro e Thallyson; Richardson, Baraka, Zé Mário (Roni) e Felipe; Rafael Costa e Bill (Marino).

Já o Tubarão de Cláudio Tencatti veio a campo com Marcelo Rangel, Igor Bosel, Matheus (Marcondes), Luizão e Léo; Germano (Rondinelly), Bidia e Rafael Gava; Jô, Paulinho Moccelin e Keirrison (Itamar).

Na próxima rodada:

Luverdense x Ceará - Passo das Emas - 11/06 às 21 horas
Londrina x Vila Nova - Estádio do Café - 11/06 às 16 horas

Vitor Guimarães || @VitorBatata3
Linha de Fundo || @SiteLF

Ponto importante

Saudações Rubro-Negras!

O Atlético conseguiu um bom resultado em Curitiba, contra o Paraná Clube, empatando em 0x0. Apesar de o Dragão ter pressionado mais e criado mais chances, um empate contra o time paranista fora de casa é algo a se comemorar, mesmo tendo uma campanha superior. Nessa Série B cada ponto conquistado fora de casa é para levantar as mãos para o céu e agradecer.


No primeiro tempo o Dragão conseguiu segurar o ímpeto do Tricolor no início e não abriu mão de atacar, os primeiros minutos foram de estudo entre as equipes e, com 26 minutos, o Atlético teve a primeira boa chance com Magno Cruz, que recebeu cruzamento da esquerda e chutou na rede pelo lado de fora. Dois minutos depois Pedro Bambu chutou de fora da área e a zaga desviou para escanteio.

Júnior Viçosa, aos 38’, conseguiu cabecear uma bola no alto e o goleiro Marcos, do Paraná, fez uma boa defesa, ele voltou a trabalhar logo depois em chute perigoso de Romário. O goleiro atleticano saiu de uniforme limpo no primeiro tempo.

Já na segunda etapa o Paraná começou pressionando e logo com cinco minutos o goleiro Marcos, do Atlético, fez um milagre em chute à queima-roupa de Lúcio Flávio. Em resposta, o técnico Marcelo Cabo sacou Luiz Fernando e promoveu a entrada de Bruno Barra, que fez sua estreia na equipe, a mudança surgiu efeito e freou o Tricolor, com isso o Dragão voltou a controlar a posse de bola e perdeu boa chance com Schuster, que desviou um cruzamento de Matheus e mandou para fora.

As duas equipes tiveram poucas chances após o lance de Schuster, então o árbitro Igor Benevenuto resolveu chamar a atenção e inverteu faltas a favor da equipe paranista e distribuiu amarelos para o time atleticano, note na ficha técnica a quantidade de cartões, a grande maioria foi após os 35 minutos de segundo tempo. Um dos amarelos foi decisivo, Romário sofreu uma falta pela ponta esquerda do gramado, um carrinho por trás o derrubou, o árbitro conseguiu ver uma simulação do lateral e o amarelou, com isso, Romário está suspenso para o jogo contra o Vasco.

A partida terminando em 0x0 deixa o Dragão com 16 pontos em segundo há três pontos do clube carioca, que será o adversário no próximo sábado em Cariacica-ES, às 16h30. O Paraná, que ficou com a 11ª posição e tem 10 pontos, viaja até Recife-PE e encara o Náutico, no mesmo dia porém 30 minutos mais cedo.

Ficha Técnica
Paraná x Atlético

Local: Estádio Durival de Britto, Curitiba, PR
Data: 07/06/2016
Árbitro: Igor Junio Benevenuto
Assistentes: Celso Luiz da Silva e Sidmar dos Santos Meurer
Cartões amarelos: Matheus Ribeiro, Magno Cruz, Romário, Bruno Barra e William Schuster (Atlético); Marcelinho (Paraná).
Público pagante: 6.046
Público total: 6.846
Renda: R$ 66.320,00

PARANÁ: Marcos; Leandro Silva, Pitty, João Paulo e Fernandes; Anderson Uchôa (Robert), Lucas Otávio (Basso), Válber (Murilo Rangel) e Diego Tavares; Marcelinho e Lúcio Flávio. Técnico: Claudinei Oliveira

ATLÉTICO: Marcos; Matheus Ribeiro, Lino, Marllon e Romário; Pedro Bambu, William Schuster, Magno Cruz (Caion) e Luiz Fernando (Bruno Barra); Gilsinho (Jorginho) e Júnior Viçosa. Técnico: Marcelo Cabo
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana