A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

quarta-feira, 22 de junho de 2016

Irlanda marca no fim e desbanca os italianos

Uma surpresa aconteceu na Eurocopa. Os irlandeses superaram a Itália que vinha de duas vitórias seguidas, e assim, garantiram a classificação para as oitavas de final da competição e vão ficar por mais um tempo na França. O gol da classificação veio nos pés de Robby Brady, que marcou no final da partida, deixando os italianos que entraram com o time misto, um pouco desmotivados para a próxima fase.

Brady marca no fim e garante classificação da Irlanda. Foto: globoesporte.com
Itália: Era tudo ilusão?

Os italianos estavam surpreendendo a todos com uma boa campanha. Batemos as seleções de Bélgica e Suécia, então, seria tudo mole com a Irlanda, não é mesmo? Errado. Antonio Conte optou por mudar a equipe e poupar alguns jogadores, afinal de contas, já estávamos classificados para as oitavas, então, um time misto entrou para o jogo com a Irlanda.

O resultado não foi do melhor esperado. Esperava-se ao menos uma garra da Itália, mas o time atacou pouco e deixou o jogo ficar sem graça de se ver. Imobille e Zaza deram apenas um chute cada para o gol de Randolph e Insigne acertou a trave no segundo tempo. Apenas isso. A Irlanda, que precisava do resultado, era muito mais incisiva.

É a famosa frase: "Quem entra para empatar, perde". Não deu outra. Bonucci não conseguiu acompanhar Brady que deu uma cabeçada bonita para o gol e fez a festa dos irlandeses. Era tudo que a Itália temia e levou um banho de água fria, e a incerteza de que aquelas duas vitórias no começo era apenas ilusão.

Itália sofreu com a pressão irlandesa no primeiro tempo. Foto: globoesporte.com
O grande problema é que o nosso adversário nas oitavas de final será nada mais e nada menos do que a Espanha, que ficou em segundo no grupo deles. A partida ainda sim, será extremamente difícil. Parece que a Itália quis perder esse jogo na expectativa da Bélgica nos passar e assim, nos livrarmos da Espanha. Não deu muito certo. O que os italianos querem saber é se vamos ver uma postura diferente e uma garra como a que os croatas entraram contra os espanhóis. A Itália pode superar isso, mas precisa de uma nova postura e querer jogar como uma seleção grande.

Irlanda:

Veio à segunda etapa e o gol parecia questão de tempo. Hendrick comandava as ações no meio do campo enquanto McClean pelo lado faziam jogadas insinuantes até a linha de fundo. O problema é que o tempo ia passando e a superioridade não se transformava em gol. Os Azzuri não eram ameaça no ataque, mas iam conseguindo se segurar na defesa. O treinador colocou McGeady e Hoolahan para soltar mais a seleção, que já começava a apelar para os cruzamentos da intermediária. A Irlanda teve uma chance de ouro com o próprio Hoolahan que desperdiçou cara a cara com Sirigu aos 37 dos segundo tempo. Parecia que o gol da classificação havia sido desperdiçado. Dois minutos depois o vilão se tornou herói ao cruzar a bola na cabeça de Robert Brady que faz 1-0.

A Irlanda se classificou como uma das melhores terceiras colocadas com quatro pontos. Agora enfrentará a anfitriã França no domingo. Missão ainda mais complicada para a seleção da torcida mais alegre da Euro, mas depois dessa classificação heroica nada é impossível para eles.

Republic of Ireland players celebrate

Wagner Oliveira || @wagneroliveiraf
Matheus Garzon || @MatheusGarzon
Linha de Fundo || @SiteLF

Cristiano Ronaldo e Dzudzack brilham e Portugal e Hungria se classificam

Cristiano Ronaldo enfim acordou, o português que estava deixando a desejar nos primeiros jogos afinal decidiu mostrar toda a sua intimidade com a bola e levou Portugal para as oitavas de final da Euro 2016. Apesar de não vencer os húngaros, Portugal esteve por três vezes atrás do placar e chegou por três vezes a igualdade graças ao seu capitão. Cristiano Ronaldo foi responsável por uma assistência e dois gols em uma atuação de gala do craque português.

Portugal precisou de muito jogo de cintura e mais do que nunca precisava de CR7 para seguir na Euro, as jovens promessas nas quais o treinador Fernando Santos apostou nos dois primeiros jogos (André Gomes e João Mário) estavam afobados e precipitados. Isto ficou mais latente quando a Hungria abriu o marcador, a experiência dos mais velhos, Ronaldo, Nani, Pepe, Ricardo Carvalho precisava prevalecer. O primeiro tempo foi sofrível para os portugueses, mesmo com mais posse de bola, não conseguia criar perigo, até que num toque de categoria Ronaldo deixou Nani na cara do gol, era o que os portugueses queriam, o empate, no fim da primeira etapa

Na etapa complementar, entraram Renato Sanches e Quaresma, a dinâmica do jogo mudou, Portugal era mais objetivo, só que mais uma vez uma ducha de água fria, mais um gol húngaro. Só que neste jogo CR estava inspirado e conseguiu o empate com um golaço de letra. Se tornando o único jogador a marcar em quatro Euros diferentes. Mais uma vez um balde de água fria, a Hungria fez outro, mas CR contava com o apoio de Quaresma, o cigano colocou a bola na cabeça de Cristiano que deu números finais ao jogo: 3 a 3.

Agora Portugal será adversário da Croácia nas oitavas de final, e o que queremos é vencer. Jogar bem, se joga. Ter a bola, se tem. Falta concretizar em gol.


Surpreendentemente, a Hungria foi a primeira colocada no Grupo F. Grupo com Portugal, Islândia e Áustria. No jogo de hoje, a Hungria demonstrou que vai chegar junto e o que quer nessa Eurocopa, ser a seleção surpresa.

Logo cedo à equipe húngara abriu seu marcador, forçando Portugal ir ao ataque, o que deu certo, o 3-3 no placar final não foi em vão, os times se equilibraram, mas, a Hungria demonstrou que queria vencer a partida, mesmo morta em alguns momentos do jogo.

O jogo húngaro se resumiu em, atacar, ser atacado e ver no que dar, assim saiu os três gols adversários, contra-ataques. Mas sem deixar a desejar, os húngaros foram pra cima dos portugueses, chegando até a colocar bola na trave, o que poderia resultar em um placar favorável à Hungria.

A liderança veio para aliviar torcida e a federação, que mesmo antes de começar a Eurocopa, não pensava em nada a não ser um terceiro ou quarto lugar. Agora o foco será na Bélgica, seleção que conta com craques recém-descobertos no mundo da bola.



Rodrigo Ferreira e Sérgio Júnior.

Argentina domina Estados Unidos e está na final da Copa América

Os Estados Unidos deram a festa, mas quem aproveitou foram os argentinos. Nesta terça-feira (21), a Albiceleste atropelou os estadunidenses por 4 a 0 na semifinal da Copa América do Centenário, em Houston, com gols de Lavezzi, Messi e Higuaín (2).

Agora a seleção argentina espera o adversário da decisão desse domingo (26). O vencedor do jogo desta quarta-feira entre Chile e Colômbia disputará o título diante a Argentina que fará sua terceira final consecutiva às 21h (horário de Brasília) em Nova Jersey.

Estados Unidos 0x4 Argentina. Fonte:(ussoccer.com)
Estados Unidos:

A seleção norte-americana, que chegou pela segunda vez na semifinal da Copa América, não suportou a pressão da Argentina. Com uma escalação bastante defensiva, num 4-4-2 com dois volantes, os estadunidenses esperavam segurar a iniciativa argentina. Mas não deu muito certo, já que os argentinos abriram o placar aos 3 minutos de jogo.

A equipe não conseguiu reagir, e o que se assistiu foi um jogo de ataque contra defesa. Sem conseguir atacar, o técnico Klinsmann pediu para seu time se fechar e chamar a Argentina pro seu campo e apostar em um contra-ataque. Mas a tática não deu certo. Pelo contrário. A Argentina aproveitou para ampliar a partida. Com o placar, restou ao Estados Unidos assistir a Argentina jogar e evitar uma goleada. Sem reação alguma, o jogo se arrastou para os Estados Unidos, que conformado, só esperou o apito final.

Para os estadunidenses, a chance de se redimir da goleada, será ganhar a terceira posição do torneio. Seria um alento pra torcida que tanto apoiou, mas viu um time totalmente sem vontade no jogo diante dos hermanos argentinos. Mas a boa campanha dá uma animada para o time e para a torcida, para o prosseguimento das eliminatórias, onde os Estados Unidos não vem apresentando um bom futebol.

Apoio não faltou para os EUA. Fonte: (twitter ussocer)
Argentina:

O domínio da Argentina foi impressionante. O time apresenta uma facilidade de jogar devido ao entrosamento dos jogadores, a maior parte deles estão juntos na seleção desde a Copa do Mundo de 2014. Essa continuidade fez o craque argentino Lionel Messi se apresentar cada vez mais espetacular nas jogadas ministradas por ele.

Se os Estados Unidos optaram em montar um time defensivo, este esquema foi destruído aos três minutos, quando o camisa 10 deu um toque precioso por cima da defesa ao companheiro Lavezzi que abriu o placar encobrindo o goleiro de cabeça. Os hermanos controlavam totalmente a partida, aos 31 minutos foi a vez de Messi aparecer em cobrança de falta sensacional no ângulo do goleiro Guzan, assim o melhor jogador do mundo se tornou o artilheiro de sua seleção com 55 gols.

A qualidade mostrada em campo e a possibilidade de variação de jogadas que a seleção da Argentina apresentava se transformou em gols. Aos 4 e aos 40 minutos da segunda etapa Higuaín ampliou o placar. Foi um atropelamento, a seleção dos Estados Unidos não chutou ao gol nenhuma vez nos 90 minutos dessa semifinal.

Para a decisão da Copa América do Centenário, a Albiceleste não poderá contar com o volante Augusto Fernández, que apresentou um problema muscular e o atacante Lavezzi que teve uma luxação no cotovelo esquerdo após cair atrás da placa de publicidade quando tentava dominar a bola.

Messi, o melhor jogador dessa semifinal (Foto: El País)
Ismael Schonardie | @Ismahsantos
Frederico Kuhnen@Fred_Metro2002
Linha de Fundo | @SiteLF

Braga perde em casa para o Goiás e segue no Z4

BRAGANTINO 0 x 1 GOIÁS - Quando a fase não é boa, nada dá certo para um time, ainda mais quando se trata do Bragantino, que coleciona resultados muito ruins na Série B nessas últimas rodadas.

O Massa Bruta recebeu o Goiás no Estádio Nabi Chedid, e diante de 1200 torcedores, saiu derrotado pelo placar mínimo.

Vestiário do Bragantino, minutos antes do início da partida.

PRIMEIRO TEMPO - O Goiás teve a primeira chance do jogo; David cobrou escanteio fechado e Felipe afastou, no rebote ele evitou o primeiro gol em uma grande defesa.

A equipe da capital goiana tinha mais posse de bola e chegava bem pelo lado direito, enquanto o Bragantino sequer chegava ao gol de Renan. A primeira boa chegada do Braga foi em bola longa de Éder Lima para Bruno Pacheco que sem deixar a bola sair pela linha de fundo cruzou e Eliandro cabeceou, mas muito forte.

Para o alívio do Bragantino, o goleiro Felipe estava inspirado e fez boas defesas nos chutes de Léo Sena e Anderson Salles, levando o jogo para o intervalo sem gols.

MUDANÇAS - Toninho Cecílio mexeu bem no time ao mudar o meio-campo, saiu Tartá para entrar Erick e Edson Sitta para entrar Rômulo, que chegou a pouco tempo na equipe mas aos poucos está encontrando seu espaço. A maior dificuldade do Bragantino foi a criação de jogadas; o time não tem nenhum armador de origem, obrigando Cecílio a improvisar no meio.

SEGUNDO TEMPO - Jogando em casa e não conseguindo se impôr, o Bragantino passou a prender a bola no ataque com a presença de Bruno Pacheco, que tentava levantamentos, mas a defesa do Goiás estava bem postada e evitava as boas chegadas do Massa Bruta.

Os primeiros 10 minutos foram muito fracos tecnicamente: meio-campo muito pegado e sem lances ofensivos para abrir o placar, pouca emoção e muita correria.

A primeira chance criada foi por Erick que cruzou para Gabriel Dias cabecear, mas o goleiro Renan do Goiás defendeu. O Bragantino passou a pressionar.

Após cobrança de escanteio, sobra de bola na entrada da área, Erick arriscou o chute de fora da área e até pegou bem, mas a bola acabou desviando para escanteio.

O GOL - Aos 22 minutos do segundo tempo, Léo Sena apareceu na área pela esquerda e cruzou para Rossi desviar para o gol, e assim, colocar o Goiás na frente no placar.

A resposta do treinador Bragantino foi colocar o lateral Alemão, que acabara de voltar de lesão, para tirar Gabriel Dias, e assim, deixar a partida com mais velocidade, o que faltava no momento.

MINUTOS FINAIS - O Bragantino até ensaiou uma pressão, mas não foi o suficiente, pois a defesa Esmeraldina conseguia lidar com o ataque adversário, e numa tomada de bola no meio de campo, Cassiano puxou contra-ataque e ficou na cara do gol, Felipe fez grande defesa e evitou uma derrota ainda pior.

Na sequência, Éder Lima perdeu a bola para Cassiano que chegou sozinho dentro da área, mas Felipe se antecipou com um chutão, evitando outro gol.

CONCLUSÃO - O Bragantino continua com os mesmos erros bobos na defesa; Éder Lima parece inseguro lá atrás, perdendo muito a posse de bola nas divididas; os laterais não tem liberdade de avançar, pois acabam por deixar o time exposto ao adversário; os volantes estão bem, principalmente Edson Sitta que é muito versátil, fazendo sua função tanto na defesa quando no ataque; no setor ofensivo o time ainda é inconstante, já que, apesar de ter bons nomes, ainda não tem bom futebol, e, parece que falta treinamento, pois qualidade não é problema com Claudinho, Eliandro, Erick e Tartá.

O único setor que ABSOLUTAMENTE NINGUÉM pode reclamar é o gol, pois o goleiro Felipe, já consagrado em grandes times no Brasil (Corinthians e Flamengo) mostra o porquê de ser o capitão do time, demonstrando confiança e tranquilidade no jogo com boas defesas, além de ter tentado organizar defensivamente a bagunça de Éder Lima e Rodrigo Sam.

PRÓXIMA RODADA - Na sexta-feira, 24, o Bragantino joga contra o Criciúma, às 19h15 no Heriberto Hülse, em Santa Catarina, para tentar deixar a 18ª colocação na tabela.

Veja os melhores momentos da partida entre Bragantino e Goiás pela Série B

Com visita de olheiros, Jesus faz dois e Palmeiras bate Coelho

A abertura da janela de transferências internacional já movimenta os olheiros dos grandes times em busca de novas contratações. Foi assim que alguns diretores do Barcelona decidiram vir ao Brasil para ver o Palmeiras enfrentar o América-MG pelo Brasileirão. A ideia inicial era analisar o jogo de Gabriel Jesus, atacante que está na mira dos espanhóis, mas acabaram por ver um jogo espetacular de outro atacante palmeirense: Roger Guedes.

Melhor em praticamente todo jogo, o verdão cedeu apenas uma chance perigosa para os mineiros logo no começo, quando Egídio perdeu de cabeça e o Coelho quase abriu o placar. Foi o único susto que Fernando Prass teve antes de ver um verdadeiro show de Roger Guedes que começou poucos minutos depois ao evitar uma saída de bola que parecia perdida e rolar para Cleiton Xavier desviar e Gabriel Jesus marcar o primeiro gol do jogo.

Gabriel Jesus comemora um dos dois gols marcados. (Foto: Verdão Web)
Com a vantagem no placar, o Palmeiras passou a trabalhar a bola com uma confiança que há muito não se via. A constante movimentação do time que troca posições a todo o momento bagunçou a defesa adversária e criou espaços. Foi assim que depois de uma longa e bonita troca de passes que mudou de lado duas vezes no gramado, viu-se praticamente uma repetição do primeiro gol. Roger Guedes evitou saída de bola e cruzou para mais um gol de Gabriel Jesus.

O América-MG até tentou mudar o panorama do jogo colocando mais um atacante ainda no primeiro tempo, mas não adiantou. Dominando completamente o meio, o Verdão seguiu com controle absoluto da bola e não correu riscos de levar gol – cenário esse que se repetiu no segundo tempo.

Sem dificuldades, o Palmeiras seguiu interessado em se manter no ataque mesmo com o placar favorável, coisa que já havia feito em outros jogos, inclusive no clássico contra o maior rival. E Roger Guedes mostrou estar em dia mais do que inspirado com um festival de dribles e arrancadas que fizeram seu nome ser ovacionado no Allianz Parque.

O placar talvez não traga um retrato tão bom da superioridade palmeirense na partida, mas a tranquilidade do jogo sim. Praticamente um espectador dentro de campo, Prass teve pouquíssimo trabalho e viu o goleiro adversário evitar uma goleada. Os próximos dois jogos permitem perspectiva positiva também: Cruzeiro (fora) e Figueirense (casa).

PONTO TÁTICO: Havia certa ansiedade para ver como o time de Cuca reagiria ao jogo diante do América-MG. Ao contrário dos outros jogos, seria a primeira vez que haveria uma grande retranca que tanto atrapalhou o Palmeiras em 2015. E o primeiro teste foi aprovado: com muita movimentação e aproximação, o Verdão conseguiu incomodar a marcação adversária e criar várias chances de gol. Tchê Tchê é um dos nomes mais importantes nesse tipo de jogo já que possui ampla liberdade para se movimentar e acaba criando espaços.

O DESTAQUE: Mesmo com dois gols de Gabriel Jesus, não tem como não se render ao que jogou Roger Guedes diante do América-MG. Não bastassem as duas assistências da primeira etapa, ele deu um show na reta final do jogo com direito a um vasto repertório de dribles (um deles espetacular usando o calcanhar), chutes e uma roubada de bola no meio-campo, puxada de contra-ataque e assistência para o que poderia ter sido o terceiro gol de Jesus não fosse a posição de impedimento.

BOLA MURCHA: Em mais um ótimo jogo coletivo do Palmeiras, o ponto negativo voltou a ser o lateral Egídio. Foi dele a única falha que quase resultou em gol do América-MG quando o jogo ainda estava em 0x0, além de não estar em um dia muito inspirado ofensivamente. Não que tenha comprometido, mas segue sendo o ponto fraco do time.

Ceará vence Oeste e entra no G4 da Série B

A equipe do Ceará enfrentou o time do Oeste em partida válida pela 11ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B e venceu por 1x0. Placar magro, mas que colocou o alvinegro no G4 do campeonato, lugar aonde não pretende mais sair e assim conquistar o tão sonhado acesso a Série A do Brasileirão.

A partida começou a todo vapor, com o Ceará pressionando e fazendo com que a equipe do Oeste não conseguisse sair do campo de defesa, porém quando saiu teve um pênalti a seu favor. Na cobrança a equipe de Itápolis não esperava ter um gigante no gol e perdeu o pênalti em bela defesa do goleiro Éverson da equipe do Vozão. O primeiro tempo continuava todo vapor, jogo lá e cá, chance para as duas equipes, um verdadeiro espetáculo para o futebol, mas os grandes responsáveis pelo placar do primeiro terminar 0x0 foram os goleiros que fizeram uma brilhante partida.

No segundo tempo de partida o técnico Sérgio Soares acertou em cheio na substituição que fez no intervalo, colocou Wescley que fazia sua reestreia na equipe alvinegra e já marcou aos 2 minutos de partida, na comemoração chorou por ser questionado por uma parte da torcida. O segundo tempo teve um Ceará mais presente no campo de ataque, com mais oportunidades ao seu favor e que mesmo não marcando o segundo gol de partida, administrou bem para que ela terminasse com o resultado favorável de 1x0.

Wescley, o herói da noite, bastante emocionado na comemoração do gol.(Foto: CearáSC)
A próxima partida será mais emocionante ainda, a equipe alvinegra irá confrontar o Náutico na Arena Castelão às 16h30, adversário direto que briga com o Vovô por posições no G4. Uma boa atuação na próxima rodada será fundamental, tanto para se consolidar ainda mais na Série B, como para mostrar que a equipe chega forte e lutará até o fim do campeonato para conquistar o tão sonhado acesso.

Ficha Técnica:

Ceará: Everson, Thalysson, Valdo, Charles, Eduardo, João Marcos, Richardson (Marino), Felipe, Ricardinho (Wescley), Rafael Costa e Bill (Rafinha). Técnico: Sérgio Soares

Oeste: Felipe Alves, Felipe Rodrigues (Betinho), Bruno Silva, Francis; André Castro, Danielzinho, Mazinho, Wellington (Matheus Vargas); Crysan (Maurinho), Marcus Vinícius, Léo Arthur. Técnico: Fernando Diniz

Local: Arena Castelão
Árbitro: Caio Max Augusto Vieira/RN
Cartões: CEA: João Marcos | OES: Francis e Maurinho
Público: 8228
Renda: R$ 62.916.00

Por: @thomazgomes_

Mais uma atuação vergonhosa e nada das coisas melhorarem

90 minutos de partida, e nenhuma finalização ao gol; esse foi o Joinville em campo, um time sem qualidade e completamente desorganizado, que necessita urgentemente de reforços, caso contrário, tem uma tal senhora chamada “Série C” que está batendo na nossa porta. E sim, com as partidas que o JEC vem fazendo, a chance de rebaixamento existe, e tanto a diretoria quanto a comissão técnica precisam abrir o olho logo e acordar para a vida!

Edson Ratinho começou a temporada jogando pelo JEC. Foto: Divulgação/Paysandu
Está se tornando repetitivo falar das péssimas atuações do Joinville, mas acreditem, é jogo atrás de jogo, o mesmo Joinville, um time covarde, que não ousa, e muito menos chega perto, somos um time previsível, que não sabe o que fazer com a bola no pé. O show de bobagens começa na escalação, quando Junior é remanejado ao meio-campo e Fernando Viana segue titular, mas fazer o que, é isso aí que temos, e é com isso aí que vamos (Me ajuda Deus). A lateral direita nunca foi tão revezada no JEC, começou com Paulinho Dias na posição, depois foi a vez de Diones, e por fim Naldo; ou seja, uma salada de frutas desgraçada armada pelo técnico Hemerson Maria, que já passou da hora de fazer esse time jogar, tudo bem que o elenco é fraco, mas a covardia e o medo de jogar não se fazem pelo nível do elenco, precisamos ser mais incisivos! Mas vamos ao jogo, o Paysandu abriu o placar logo aos 2 minutos, quando Jhonnatan finalizou e Oliveira aceitou (que falha), 1x0 Paysandu. O papão viria a quase ampliar três minutos depois, quando Lucas cabeceou para fora, e acredite, o primeiro tempo foi apenas isso, nada demais, apenas o gol e uma chance. Não tirando os méritos do papão, mas eles não precisaram forçar muito para ganhar o jogo, o Joinville que está fraco demais, atuação de doer os olhos e entristecer o coração.

Foto: Divulgação/JEC
No segundo tempo, o Joinville teve que ir ao ataque, só que mesmo assim, eram ataques cautelosos, não se lançando inteiramente ao ataque. Uma boa chance teve em uma bola desviada na zaga adversária (sim, isso mesmo); foi quando Gabriel Vasconcelos cruzou e a bola desviou em Gilvan, que quase encobriu o arqueiro Emerson. Apesar da falha, o goleiro Oliveira salvou o tricolor em uma oportunidade, quando Betinho cabeceou no canto, o mesmo pulou para evitar o gol do papão da Curuzu. E foi isso, mais uma derrota sendo inofensivo ao adversário, e o sonho do acesso indo cada vez mais para o espaço (se é que já não foi). O que vou falar agora tenho falado em quase todos os textos: Além de qualidade, falta um pouco mais de coragem ao Joinville. O jogo todo sem dar uma mísera finalização ao gol? Estão de sacanagem, tirando o torcedor para otário, ou sei lá o que seja, mas é uma piada de mau gosto. Essa foi a 11ª rodada da série B, e estamos na zona de rebaixamento, situação delicada, por mais que falte muito para o fim, mas é um cenário que preocupa o torcedor, e que requer mudanças de atitudes por parte de todos que estão no JEC, desde o presidente até o treinador, precisamos sair dessa situação o quanto antes!

Confira abaixo a ficha técnica do jogo:

Paysandu 1x0 Joinville:

Local: Estádio da Curuzu, Belém (PA);
Público e renda: 6.921 pessoas presentes, para uma renda de R$ 46.718,00;
Arbitragem: Avelar Rodrigo da Silva foi quem apitou, ele foi auxiliado por Nailton Junior de Sousa Oliveira e Jander Rodrigues Lopes;
Cartões amarelos: Alexandro (PSC) e Leandro Cearense (PSC) | Diones (JEC), Paulinho Dias (JEC), Naldo (JEC) e Carlos Alberto (JEC);
Gol: Jhonnatan (PSC). Confira o gol do jogo clicando aqui;

Paysandu: Emerson | Edson Ratinho, Gilvan, Fernando Lombardi e Lucas | Augusto Recife, Ricardo Capanema, Jhonnatan e Raphael Luz (Rodrigo Andrade) | Alexandro (Hiltinho) e Leandro Cearense (Betinho) | Técnico: Gilmar Dal Pozzo;

Joinville: Oliveira | Diones (Diego Felipe), Bruno Aguiar, Ligger e Diego | Naldo, Paulinho Dias, Carlos Alberto e Júnior (Murilo) | Juninho (Gabriel Vasconcelos) e Fernando Viana | Técnico: Hemerson Maria.

Foto: Divulgação/Paysandu
O JEC volta a campo no próximo sábado, e o adversário será o Paraná Clube na Vila Capanema às 16h. Com a posição desconfortável na tabela, e a real chance de queda do treinador, só uma vitória interessa ao tricolor do norte de Santa Catarina.

Num golpe de sorte, Vasco vence o Londrina no Estádio do Café

Vindo de duas derrotas em três jogos, o Vasco venceu o Londrina, em um jogo sem muito brilho ou glória.

O primeiro tempo, aliás, o jogo em si, foi marcado por um lance esquisito, um lance de sorte que fez a diferença no placar. Aos seis minutos saiu o primeiro e único gol da equipe vascaína na partida, na falta cobrada por Rodrigo, a bola bateu na barreira quicou e encobriu o goleiro Marcelo Rangel. Um momento de sorte absurdo e bizarro, que favoreceu imensamente o Gigante da Colina.

Foto: GE
No restante da primeira etapa o Vasco se esforçou para segurar o resultado, o Londrina provocou algum perigo, aproveitando os espaços do time visitante. A maior chance londrinense foi aos 17' com Keirrison cara a cara com Martín Silva, mas o goleiro fez uma linda defesa, salvando o time.

O segundo tempo foi puxado para a equipe CruzMaltina, o time da casa veio com tudo, mas foi o Vasco que teve logo de cara uma boa chance com outra falta cobrada pelo capitão Rodrigo, mas dessa vez a bola triscou no travessão. O Londrina ainda teve boas oportunidades, mas não conseguiu finalizar.

Foto: Jornal Floripa
O Gigante da Colina jogou o suficiente, nada muito belo, nada que contagiasse a torcida, mas o bastante para administrar o placar e levar a melhor nessa. A equipe carioca continua na liderança da Série B, sem um futebol bonito muito de se ver, mas muito confiante na caminhada rumo a Série A.

O Vasco visita o CRB, no próximo sábado, às 16h30, em Maceió. Já a equipe paranaense enfrentará o Luverdense, em Mato Grosso, na sexta-feira, às 21h30.
 
Ana Clara Soares (@AnaClaraSoares1)

Ficha Técnica:

Londrina: Marcelo Rangel, Igor Bosel, Luizão,, Léo Pelé, Germano, Rafael Gava, Zé Rafael (Netinho), Paulinho Moccelin (Marcelinho), Jô, Keirrison (Itamar). Técnico: Cláudio Tencati

Vasco da Gama: Martín Silva, Madson, Luan, Rodrigo, Julio Cesar, Marcelo Mattos (Diguinho), William (Julio dos Santos), Nenê, Andrezinho, Jorge Henrique e Leandrão (Jomar). Técnico: Jorginho

Árbitro: José Cláudio Rocha Filho (SP).
Cartões Amarelos: Luizão, Itamar, Paulinho Moccelin, Jô, Germano (Londrina)
Martín Silva, William, Marcelo Mattos, Rodrigo (Vasco)
Cartões Vermelhos: Rodrigo (Vasco)

Em jogo movimentado até o final, Croácia surpreende Espanha e passa como primeira do Grupo D

A partida entre Espanha e Croácia aconteceu no Estádio Matmut Atlantique em Bordeaux e era a última partida do Grupo D das duas seleções. A Espanha já estava classificada por ter vencido as duas partidas anteriores, contra Turquia e República Tcheca. Já a equipe Croata venceu a Turquia na primeira partida e apenas empatou diante da República Tcheca na segunda partida disputada.

O jogo começou a todo vapor, com a seleção espanhola marcando o primeiro gol da partida já aos 6 minutos do primeiro tempo, Morata abriou o placar para a Fúria. O jogo permanecia disputado, tendo as duas equipes em busca do resultado positivo, a seleção Croata não se acovardou em momento nenhum da partida e conseguiu o empate no final do primeiro tempo, Kalinic empatava a partida aos 44 minutos e levava a partida empatada para o segundo tempo e o jogo ficava mais em aberto ainda.

Morata comemorando com a equipe o gol marcado. (Foto:Sergio Pérez/Reuters)
O segundo tempo de partida foi marcado por dois lances polêmicos, o primeiro o pênalti marcado a favor da Espanha que foi bastante duvidoso e em seguida o goleiro Croata se adiantando demais na cobrança, porém o arbitro não mandou o lance voltar e a Fúria perdia a chance de ficar em vantagem do placar novamente. A Croácia que não tinha nada a ver com isso melhorou na partida e aos 42 minutos Perisic marcouo gol da virada Croata em um contra-ataque fulminante e o placar terminava 2-1, o que colocava a Croácia como a primeira colocada do Grupo D.

Perisic comemorando o segundo gol que consolidava a vitória Croata. (Foto: Michael Dalder/Reuters)
A seleção Croata fez o seu jogo, não se acovardou ao jogo de passes da seleção Espanhola, que não teve uma boa atuação e foi até refém de falhas de alguns jogadores de sua equipe e inferior a seleção da Croácia que buscou a vitória em toda a partida e conseguiu com méritos, apesar de não contar com o time titular completo. A Espanha tem muito de melhorar, posse de bola e superioridade em passes não vencem a partida e terá de apresentar um futebol melhor já que vai enfrentar a seleção da Itália. A Croácia também não terá jogo fácil, vai enfrentar a seleção de Portugal. Dois duelos que trarão bastante emoção para os amantes do futebol.

FICHA TÉCNICA
Croácia 2 x 1 Espanha

Local: Estádio Matmut Atlantique, Bordeaux (França)
Árbitro: Bjorn Kuipers (Holanda)
Gols: Morata, aos 6min, e Kalinic, aos 44min do 1º tempo; Perisic, aos 42min do 2º tempo
Cartões amarelos: Rog, Vrsaljko, Srna e Perisic (Croácia)

Croácia: Subasic; Srna, Corluka, Jedvaj e Vrsaljko; Badelj e Rog (Kovacic); Perisic (Kramaric), Rakitic e Pjaca (Cop); Kalinic. Técnico: Ante Cacic

Espanha: De Gea; Juanfran, Piqué, Sergio Ramos e Alba; Busquets; David Silva, Fàbregas (Thiago), Iniesta e Nolito (Bruno); Morata (Aduriz). Técnico: Vicente del Bosque
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana