A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

terça-feira, 5 de julho de 2016

Remão Vacilão - Parte 2

Na noite da última segunda feira (4), Salgueiro e Remo se enfrentaram no estádio Cornélio de Barros, pela sétima rodada da Série C. Os donos da casa mandaram durante todo o jogo e venceram por um a zero. Agora o Leão cai para a sexta posição no grupo A. 

Logo no inicio do primeiro tempo, Luiz Paulo tocou para Cássio abrir o placar aos nove minutos. O Salgueiro era mais organizado em campo e ditava o ritmo, enquanto o Remo apresentava o mesmo problema de sempre de não ter padrão de jogo. Lembrando que era a estreia de Waldemar Lemos como técnico azulino.

No segundo tempo, o cenário não mudou. O Salgueiro com mais volume e se fechou. Remo apresentou alguns lances de risco com Wellington Saci, mas sem contundência. O desfecho da partida parecia previsível e foi. Com o resultado, o Salgueiro avançou para a terceira colocação no Grupo A.

Salgueiro fez o dever de casa e mandou no jogo contra o Remo
Fonte: http://globoesporte.globo.com/pe
REMO
 Fernando Henrique, Levy (Edicleber), Henrique, Max, Chicão, Fabiano, Yuri, Wellington Saci, Edno, Eduardo Ramos, Patrick (Magno)

SALGUEIRO
Luciano, Tamandaré, Ranieri, Rogério, Rodolfo Potiguar, Daniel, Piauí, Moreilândia, Luiz Paulo (Rafael Mineiro), Cássio, Tatu (Jeferson Berguer).

PROXIMO JOGO

No próximo domingo, dia 10, o Remo recebe o Fortaleza em casa, no Estádio Olímpico do Pará, o Mangueirão, às 18h30.   

Texto por: @Angel_Caldeira

Aquecimento Olímpico: Vôlei de Quadra

O vôlei é um esporte muito popular no Brasil, além de ser uma modalidade de fácil entendimento, é muito simples se apaixonar pelas quadras. Tanto no masculino quanto no feminino, o Brasil é medalhista de ouro e tem uma seleção muito bem preparada, o que nos faz torcer para que eles fiquem no lugar mais alto do pódio nesses Jogos Olímpicos.

Seleção feminina bicampeã em Londres, 2012 (Foto: Getty Images)

Lá vem história...

Em 1895, na Associação Cristã de Moços no Holyoke, em Massachussets, foi proposta a ideia de um esporte menos intenso do que o basquete e que não houvesse contato físico entre os atletas. Foi com a influência do tênis que nasceu a ideia de colocar uma rede para separar as equipes. A sugestão do pastor Lawrence Rider ao professor William George Morgan acabou sendo levada adiante, até que foi consolidada. Menos de um ano depois, o esporte já havia sido difundido mundo afora. Já havia chegado até mesmo no Japão.

O voleibol tornou-se olímpico nos Jogos de Tóquio, em 1968. A modalidade nas categorias masculina e feminina, desde a primeira edição, não saiu da lista de esportes olímpicos.

A seleção brasileira masculina já subiu no lugar mais alto do pódio duas vezes, em Barcelona, 1992 e em Atenas, 2004. Na sequência, os atletas conquistaram por duas vezes a prata, em Pequim, 2008 e em Londres, 2012.

Já a seleção feminina é a atual bicampeã. Fez história em Pequim, 2008, conquistando seu primeiro ouro e repetiu o feito em Londres, 2012. Além dessas medalhas, elas também já conquistaram dois bronzes, em Atlanta, 1996 e em Sydney, 2000.

Seleção masculina (Foto: CBV)
Rio 2016

Será disputado em quase todos os dias dos Jogos Olímpicos, do dia 6 ao dia 21 de agosto, sendo a final do feminino dia 20 (sábado) e a final do masculino dia 21 (domingo). Em ambas as categorias as seleções estão divididas em dois grupos, A e B, contendo seis seleções em cada um.

Após a fase de grupos, em que todas as seleções jogam contra elas mesmas, as primeiras quatro de cada grupo vão para as quartas de final. As quatro seleções vencedoras avançam para a semifinal e após esses confrontos, há a grande final e a disputa de terceiro lugar.

O Brasil está no grupo A por ser o país-sede e é cabeça de chave. No masculino, o grupo A é composto por Brasil, Itália, Estados Unidos, Canadá, França e México. O grupo A feminino é composto por Brasil, Rússia, Japão, Coreia do Sul, Argentina e Camarões.

Local de competição

Maracanãzinho (Foto: Divulgação/FIBV)

O Maracanãzinho será o palco do Vôlei no Rio de Janeiro e receberá mais de duas semanas de jogos das duas categorias.

O Estádio Gilberto Cardoso, nome original do Maracanãzinho, fica localizado ao lado do Maracanã e é de fácil acesso, tendo várias linhas de ônibus, metrô e trem.


Bia Pessôa (@biapessoaguiar)
LEIA: Aquecimento Olímpico - Futebol Masculino

Chega de pé no chão, quero bola no pé

Chegou o momento, a direção precisa tomar a decisão. Eles precisam definir se querem ver o Inter brigando por títulos ou querem seguir com Argel. Os dois juntos é impossível. Argel já tem prazo de validade vencido com a torcida. É inaceitável ficar empurrando um treinador desse porte para o próximo jogo. O Internacional precisa encarar as decisões erradas e resolver arrumar as coisas, pois sozinho isso não vai acontecer. 

Todo torcedor que entende de futebol sabe que trocar de treinador no meio do campeonato é a prova de que o time não tem capacidade de ganhar algo, pois uma boa gestão é feita na PRÉ-TEMPORADA e não se fazem mudanças com o carro andando. Cada vez fica mais claro que Argel foi mantido em 2016 pelos números de 2015 e não pela qualidade do futebol. Os números da planilha eram positivos, mas o futebol mostrava que daquele jeito nunca se ganharia um título.

Foto: Deive Pazos
Quem lê aqui sabe que eu era adepto a acreditar que Argel teria algo para acrescentar no Colorado, mas o Inter de Aguirre era MUITO melhor do que o atual. É triste ver derrotas em casa e não enxergar uma luz no fim do túnel, é complicado saber que, em cinco jogos, somente um ponto foi conquistado em 15 disputados, sendo duas derrotas dentro do Beira Rio.

Estou de saco cheio de saber que tenho que aguentar essa direção, que sempre acha que está certa e que ninguém mais entende nada de futebol, que elege como símbolo de sua um jogador como Anderson. Já disse que ele deve ser apoiado, mas não pode ser o HOMEM do Internacional. Não acredito mais na construção de um elenco, chegamos em JULHO com um time que só apresenta pulmão, porque de resto está em cacos. A equipe não tem proposta nas quatro linhas, tem um treinador de quinta que tem coragem de dizer que vai passar o TRA-TOR no coirmão. PELO AMOR DE DEUS!

Eu tenho saudade sim dos tempos de jogadores provocadores, mas até por que os caras que mais provocavam eram os que mais faziam dentro de campo. Única coisa que peço para o time, o treinador e a direção: não humilhem a camisa do meu amor. E a você, torcedor, abra o olho, pois no final do ano tem votação. Lembre-se que precisamos de mudanças, precisamos uma gestão com desejo de vitorias e não que viva lembrando dos feitos do passado.

ISSO É O INTER, PONHAM MAIS RAÇA, POIS SÓ ASSIM SEREMOS CAMPEÕES

Palmeiras quebra tabu e vence Sport

Foto: Globo Esporte.
Lutando contra a irregularidade entre partidas dentro e fora de casa, o Palmeiras foi até o Recife enfrentar o sempre complicado Sport. Sem vencer o time pernambucano fora de casa desde 2009, o Verdão quebrou o tabu e trouxe mais três pontos com uma boa vitória por 3x1, mantendo a diferença de três pontos para o segundo colocado.

Cuca optou por um reforço na marcação, tirando Cleiton Xavier e lançando Thiago Santos como titular. Era uma intenção válida considerando que no jogo contra o Cruzeiro faltou justamente maior pegada no meio para neutralizar as investidas adversárias. Na frente, sem Dudu, Cuca apostou em Erik para manter o padrão de jogo palmeirense com um velocista pelo lado do campo.

Assim como já acontecera em outras oportunidades, o Verdão conseguiu sair na frente logo no começo e justamente com o “novato” Erik. Ele desviou cruzamento de Gabriel Jesus e abriu o placar na Ilha do Retiro. Assim como havia acontecido contra Cruzeiro, Flamengo e Coritiba o Palmeiras saiu na frente e recuou.

O Sport passou boa parte do segundo tempo com a bola, mas tinha enorme dificuldade de criação mesmo com vários espaços na defesa palmeirense – especialmente pela estreia de Mina, ainda sem entrosamento ideal. A melhor chance veio em cobrança de falta de Diego Souza. Ironicamente, mesmo mal, o verdão poderia ter ampliado não fosse uma boa chance perdida por Roger Guedes.

No segundo tempo, veio o castigo. Não demorou para o Sport empatar com Gabriel Xavier em uma grande bobeira da zaga palmeirense. Foi o momento mais louco do jogo com ataques perigosos para os dois lados até que Thiago Santos aproveitou saída de bola e deixou Gabriel Jesus livre para desempatar. 2x1.

O terceiro gol veio com Cleiton Xavier, de pênalti, dando números finais ao jogo. Ele quem começou a jogada roubando bola no campo de ataque e dando ótimo para Gabriel Jesus ser tocado pelo goleiro Agenor. O Sport até tentou um abafa, mas não teve sucesso. Boa vitória alviverde que teve como ponto baixo os cartões amarelos que suspenderam Gabriel Jesus e Roger Guedes para o clássico contra o Santos.

O DESTAQUE: Autor de um gol e de várias jogadas importantes, inclusive dos outros gols, Gabriel Jesus foi mais uma vez decisivo na vitória contra o Sport. O terceiro amarelo foi o ponto de atenção do jogo.

BOLA MURCHA: Foi apenas a estreia, não tinha entrosamento, mas Mina foi bastante estabanado ao longo do jogo e foi em cima de mau posicionamento dele que as melhores chances apareceram. Tem crédito por ter sido o primeiro jogo.
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana