A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

sábado, 16 de julho de 2016

Botafogo e Flamengo empatam em clássico eletrizante

Botafogo e Flamengo enfrentaram-se na tarde deste sábado (16), em jogo válido pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro. O clássico inaugurou a nova casa do Alvinegro, a Arena Botafogo. Movimentada, a partida terminou empatada (de novo) em 3 a 3. Com o resultado, o Glorioso agora soma 17 pontos e segue, por ora, fora da zona de rebaixamento. A equipe só volta a jogar no próximo domingo (24), quando enfrenta a Chapecoense fora de casa.

Salgueiro, autor de golaço, garantiu o empate (Foto: Vitor Silva/ SS Press/ Botafogo)
O JOGO

Botafogo e Flamengo fizeram um jogo bem movimentado. O Rubro-Negro tentou comandar as ações iniciais, mas o Alvinegro logo equilibrou. Aos 13 minutos, Camilo bateu escanteio e Rodrigo Lindoso, de cabeça, acertou a trave. O Botafogo passou a dominar o jogo, trabalhando bem a posse de bola. Mas aos 23 minutos, quem abriu o placar foi o Flamengo. Mancuello cruzou na área, Guerrero dominou meio esquisito a bola, que subiu. Everton então aproveitou e fuzilou a rede do goleiro Sidão. Flamengo 1 a 0. O gol não abalou o Glorioso, que aos 33', empatou a partida. Airton aplicou um lençol em Willian Arão e a bola sobrou para Rodrigo Pimpão, que logo tocou para Luis Ricardo. O lateral deixou a bola passar por Sassá, que viu Diogo Barbosa livre para arriscar e fazer um belo gol em bomba perto da entrada da área. Tudo igual na Arena. Aos 44', o Botafogo teve a chance de virar o jogo. Pimpão recebeu de Camilo e chutou. A bola foi para escanteio. Aos 47', o primeiro tempo chegou ao fim.

O Flamengo voltou do intervalo com mais ímpeto e veio em busca do segundo gol. E ele saiu. Aos 11 minutos, Bruno Silva deu bobeira e perdeu a bola para Jorge, que avançou e marcou. Sidão ainda tocou na bola. No minuto seguinte, Rodrigo Pimpão pediu para sair e foi substituído por Neilton. Aos 18', foi a vez de Canales estrear ao entrar em campo no lugar de Sassá. Aos 20 minutos, o Flamengo poderia ter ampliado. Mancuello levantou bola na área e Guerrero, livre, quase debaixo da trave, cabeceou para fora. O gol do peruano, no entanto, não demorou a sair. Aos 22', após nova falha individual, dessa vez do zagueiro Emerson Santos, Guerrero aproveitou roubada de bola de Everton e fez o terceiro gol dos visitantes. A sensação era de que o Flamengo venceria com facilidade.

Aos 26 minutos, Salgueiro entrou no lugar de Bruno Silva. Aos 34', Airton levantou bola para Luis Ricardo, que cruzou para Neilton só empurrar para o gol. O Botafogo diminuiu. Aos 37', o Glorioso empatou. Camilo disparou pela esquerda, tocou para Salgueiro, que girou bonito e finalizou. Golaço do uruguaio. O Alvinegro, muito mais confiante, veio para cima do Flamengo em busca da vitória. Mas aos 46', Canteros assustou ao finalizar mirando o ângulo. E foi isso. Jogaço de seis gols.

OBSERVAÇÕES

A raça do Botafogo nos minutos finais foi contagiante, mas os gols bobos que o time levou por causa de erros individuais frustraram bastante.

Méritos para Ricardo Gomes, que hoje, mexeu com maestria. Neilton e Salgueiro entraram e garantiram o empate. Sobre o uruguaio, é interessante notar que, aparentemente, ele vem numa crescente. No meio de semana, foi responsável direto pelos gols sobre o Bragantino. Hoje, fez um bonito gol que evitou a derrota. Foi o primeiro gol dele com a camisa do Botafogo. Que isso traga confiança ao bom jogador!

A Arena Botafogo foi fundamental. Aproximou time e torcida. Será o trunfo do Alvinegro nessa temporada. Precisamos transformá-la em um caldeirão. Lamento a postura de alguns bobos que arremessaram objetos em campo. Isso com certeza será relatado na súmula do jogo. É torcer para que o Botafogo não perca mando de campo, por exemplo.

O Botafogo levou gols bobos, oriundos de falhas individuais. E não é a primeira vez que isso acontece.

Bruno Silva NÃO TEM CONDIÇÕES de ser titular. É fraco, displicente.

Canales entrou em campo. É dar tempo ao tempo e torcer para que ele encaixe no time. Adquirindo ritmo, tem tudo para dar certo.

FICHA DO JOGO

Botafogo 3
Sidão, Luis Ricardo, Renan Fonseca, Emerson Santos, Diogo Barbosa; Airton, Bruno Silva (Salgueiro), Rodrigo Lindoso, Camilo; Rodrigo Pimpão (Neilton), Sassá (Canales). Técnico: Ricardo Gomes.

Flamengo 3
Alex Muralha, Pará, Réver, Juan, Jorge; Márcio Araújo, Willian Arão, Mancuello (Fernandinho), Everton (Cuéllar); Marcelo Cirino (Canteros), Guerrero. Técnico: Zé Ricardo.

Estádio: Arena Botafogo (RJ).
Árbitro: Flávio Rodrigues de Souza (SP).
Assistentes: Danilo Ricardo Simon (SP) e Alex Ribeiro (SP).
Gols: Everton (23' do 1º T), Diogo Barbosa (33' do 1º T), Jorge (11' do 2º T), Guerrero (22' do 2º T), Neilton (34' do 2º T), Salgueiro (37' do 2º T). 
Cartões amarelos: Airton e Emerson Santos (Botafogo); Everton, Jorge, Fernandinho e Guerrero (Flamengo).
Público: 11.692.
Renda: R$ 391.830,00.

Por: Gabriel De Luca (@biel_dluca).

No Sul, Vila Nova abre vantagem, mas cede empate ao Xavante

Vila foi ao Sul onde enfrentou o Brasil de Pelotas e por mais uma vez, em dois anos seguidos as equipes duelaram por três vezes, e todos os três jogos ficaram empatados. Em 2015 em jogos disputados pelas semifinais da Série C as equipes empataram em 0 a 0, na ocasião o Colorado passou de fase, sendo o campeão do campeonato. Em 2016 não foi diferente, mais um empate agora por 2x2, com a equipe Vilanovense saindo à frente do placar.

Em uma tarde que o Tigre dominou o ponto forte da equipe do Brasil, o bola aérea. A principal jogada deles se virou contra si mesmo, e dessa vez ajudou o Vila a abrir o placar, em mais uma bola cruzada de Jean Carlos para Fabinho, o atacante aproveitou e cruzou para dentro da aérea aonde o zagueiro Reginaldo ia chegando só tendo o trabalho de empurrar para dentro do gol adversário. E por mais uma vez o capitão Robston foi decisivo fazendo o segundo gol do Colorado, após a falha da defesa do Xavante. 

Zagueiro Reginaldo destaque da equipe e autor do primeiro gol da partida. Foto: Carlos Insaurriaga / G.E Brasil.
Há anos o torcedor vem acompanhando times sem raça, sem vontade nenhuma. Hoje podemos ver um time com vontade de jogo, com raça. E quando a Série B parecia não ser mais o lugar do Tigre. A maré começou a mudar, saindo da zona de perigo indo ao meio da tabela. Os números do clube em 2016 são parecidos com o de 2008 quando o clube bateu nas portas a Série A ficando em 5° na tabela.

Mas enfim, vamos ao jogo! Técnico Guilherme voltou pra casa literalmente sem voz, não parou hora nenhuma. Mandando o time pra cima, e sua voz foi ao gramado e fez efeito. O Vila com Fabinho soube aproveitar os contra-ataques que foram surgindo durante o jogo, em um bom jogo do 'zagueiro' Reginaldo, que junto de seus companheiros de zaga soube parar o esquema de bola aérea do Brasil, ganhando todas pelo alto.

Vila sem tomar conhecimento fez o que o técnico vinha falando durante a semana, dominar e tentar não levar gol nos primeiros 15 minutos, e foi isso que fizeram. Após isso foram pra cima, e chegou a abrir uma boa vantagem. Segundo tempo de partida foi quente, duas expulsões uma para casa lado. Victor Bolt novamente pelo lado do Vila, e Teco pelo Brasil. Juiz ainda não poupou cartões amarelos na partida. Bolt, esse nem se discute, bom jogador mais necessita de um puxão de orelha, pois de cinco jogos, em três se ele num for expulso é milagre. Não tem disciplina, algo precisa ser feito, Vila tem que tomar providências. 


Dos seis pontos disputados fora de casa, voltamos com quatro. Nada mal, mas e hora de correr atrás do prejuízo agora em casa. Existe a possibilidade de voltar a jogar no OBA, onde isso pode ser considerado um trunfo a mais para nossa equipe. Gramado perto do torcedor, o calor da arquibancada mais próximo, é o grito de incentivo ouvido de perto. Pode ser uma carta na manga do Vila Nova, não direi que será impossível vencer o Tigrão dentro do seus domínios, porque no mundo do futebol nada é impossível. Mas que será difícil isso sim.

Na próxima rodada o Tigre receberá o Ceará em Goiânia, em mais um jogo importante. Ganhando pode se distanciar ainda mais do Z4. Sei que podem mais, o empate não foi dos piores, ganhar no Bento Freitas era algo complicado. Voltem com a vontade de vencer, que o objetivo final será alcançado.

"Vamos Meu Tigrão, estamos com você"


Apático e previsível: Tupi segue sem vencer fora

Em jogo isolado da 16ª rodada, o Tupi voltou a entrar em campo nesta quinta-feira (14), para enfrentar o CRB pela Série B.


O Galo Carijó voltou a ser derrotado fora de casa (Foto: Ailton Cruz/Gazeta de Alagoas)
A partida era a chance para o time mineiro quebrar duas escritas negativas na competição: ainda não ter vencido duas seguidas e também não ter vencido nenhuma fora de casa. No entanto, a atuação da equipe voltou a ser decepcionante, sendo facilmente dominado em Maceió e perdendo por 3 a 0 (a derrota de maior diferença de gols de que o time sofreu até aqui).

O JOGO

Para a partida, Estevam Soares tinha o desfalque de Marcos Serrato – artilheiro do time na competição ao lado de Vinícius Kiss com três gols cada –, em relação à equipe que venceu o Ceará. Por outro lado, emprestado pelo Botafogo, o meia Octávio pôde fazer a sua estreia com a camisa alvinegra e atuou como "falso-nove" no lugar de Rubens. O onze inicial teve Rafael Santos; Wesley Douglas, Rodolfo Mol, Gabriel Santos e Bruno Costa; Rafael Jataí, Renan Teixeira e Gabriel Sacilotto; Vinícius Kiss e Jonathan; Octávio; alinhado no 4-3-2-1 e apostando em um time mais veloz sem uma referência na área.

O posicionamento dos jogadores mostram a postura defensiva do Galo Carijó no início (Foto: Denilson Roma)
A partida começou de maneira esperada: os mandantes propondo mais o jogo e os visitantes buscando um contra-ataque. Nos primeiros minutos, o Tupi dava mostra que complicaria a vida do adversário, que pouco assustou. Todavia, aos poucos o CRB foi chegando mais próximo do gol, apesar de não exigir nenhuma grande defesa do goleiro adversário.

A melhor chance do time alagoano só veio aos 30 minutos. Após um contra-ataque puxado por Luigi, Roger Gaúcho bateu e Rafael Santos deu rebote, que foi aproveitado por Zé Carlos – claramente IMPEDIDO. O bandeira deixou o jogo seguir e o atacante, que não tinha nada a ver com isso, foi oportunista e inaugurou o marcador.

Com a desvantagem no placar, o Alvinegro perdeu a sua principal arma, o contra-ataque. Pouco criativa, a equipe não conseguia incomodar o adversário e no fim do primeiro tempo não tinha finalizado nem uma vez. Eis que, aos 40 minutos, Jonathan resolveu arriscar e a bola tocou no braço de Boaventura dentro da área. O árbitro não teve dúvidas e apontou a marca da cal: pênalti para o Tupi!

Jonathan perdeu a grande chance do Tupi na partida (Foto: Ailton Cruz/Gazeta de Alagoas)
Dois lances foram cruciais para o resultado final. A começar pela cobrança do pênalti, em que Jonathan teve a chance de deixar tudo igual, mas não aproveitou. O meia bateu mal, Júlio Cesar acertou o canto e salvou o CRB, que foi com a vantagem de 1 a 0 para o intervalo. Na volta, o Tupi esteve desatento e o adversário se aproveitou disso, para criar a primeira chance do segundo tempo. Logo aos 3', Matheus Galdezani passou por Bruno Costa, invadiu a área e bateu cruzado, ampliando o marcador.

Aos 14', Estevam Soares resolveu mexer na equipe e fez duas alterações, Gabriel Sacilotto e Octávio deram lugares a Thiago Espíndola e Rubens. Com a entrada do lateral-esquerdo, Bruno Costa passou a ser o terceiro zagueiro e a equipe passou a ter outro esquema, alinhado no 3-5-2 a exemplo da partida anterior.

Só que desta vez não surtiu o efeito desejado, o time só chegou através das bolas paradas e o CRB esteve mais próximo de ampliar, do que o Tupi de diminuir. Aos 27', a equipe alagoana armou o contra-ataque e Roger Gaúcho teve a chance de matar o jogo, mas Rafael Santos fez uma grande defesa. 10 minutos depois, Welington Júnior aproveitou cruzamento e transformou a vitória em goleada, 3 a 0. Após o terceiro gol, o técnico carijó colocou Recife no lugar de Jonathan, para evitar que a diferença de gols fosse ainda maior.

Com a derrota, o time mineiro segue sem vencer fora de casa na Série B e terminará mais uma rodada na zona de rebaixamento, podendo ficar ainda mais distante do 16ª colocado – caso o Goiás vença o Náutico ou haja vencedor na partida entre Bragantino e Joinville. Na próxima rodada, o Galo Carijó enfrentará mais um time que está no G-4, o Atlético-GO. Essa partida teve alteração no horário e pela primeira vez o time jogará às 16 horas em Juiz de Fora.

Por: Marcelo Júnior || Twitter: @marcelinjrr

Unanimidades #15

Alô cartoleiros,  especialmente nesta edição do Unanimidades, por conta de um pequeno imprevisto não terei a companhia do meu amigo Marcelo Weber na escalação dos nomes da rodada 15. Rodada essa com carga emocional grande à família do Linha de Fundo, principalmente por conta da despedida do grande Patrão, Wagner Oliveira. Esmeraldino apaixonado e cartoleiro de marca maior. Muita sorte ao amigo nas novas empreitadas.



Para começar o resumo da rodada, Arrascaeta foi nossa aposta de maestro, enfrentando um combalido Atlético Paranaense em casa e buscando se firmar como estrela da companhia celeste, o meia não conseguiu o destaque que esperávamos, foi abaixo da crítica como todo time Celeste contabilizando apenas 1,6 pontos, a menor pontuação de nossa escalação.

No ataque digamos que não foi tão ruim mas também não foi tão bom assim. Do Palmeiras, para sair do cliché do Menino Jesus, apostamos pela primeira vez em Dudu para vestir a camisa das Unanimidades, atuação discreta no empate do Porco contra o Peixe lhe rendeu míseros 4 pontos.

Finalmente a única aposta correta, o menino Luan do Grêmio não balançou as redes, mas com um jogo extremamente participativo na vitória gremista ante o Figueirense, garantindo aos cartoleiros 8,30 pontos.

Nessa Rodada 15 as apostas ficarão para Fred, Lucas Lima e Angel Romero.

O primeiro nome vem de Belo Horizonte: O Fred vai te pegar. Sem Cazares a esperança em Belo Horizonte vai para os gols do artilheiro, talvez pela primeira vez com uma parceria de peso com Lucas Pratto, o camisa 99 certamente é a aposta mais correta para ir para as redes do Coxa Branca no Monday Night do Brasileirão.



Nome: Fred
Time: Atlético-MG
Posição: Atacante
Preço: C$ 18,89


Jogo do Santos na Vila, adversário conhecido, maestro Lucas Lima em campo. Obviamente a segunda Unanimidade da Rodada está escolhida. Dono de uma visão de jogo impar, o último dos camisas 10 tem todas as chances de ser decisivo nas enfiadas de bola, nas assistências que saem dos seus pés e principalmente dos golzinhos que costuma marcar

 
Nome: Lucas Lima
Time: Santos
Posição: Meia
Preço: C$ 16,65


A última e não menos importante das Unanimidades é uma aposta de risco e até uma incongruência ao nome do quadro, escalo aqui um jogador cuja qualidade sempre posta em dúvida, mas que por outro lado sempre comparece quando preciso. Angel Romero do Corinthians, atacante contestado por grande parte da imprensa, mas amado pela Fiel Torcida por sua entrega e dedicação durante 90 min. Romero pode não ser o mais refinado, mas participa e como participa, sempre deixando seus golzinhos. Se atualmente existe um jogador que gosta de fazer gol na Arena de Itaquera é o Paraguaio Romerito


Nome: Angel Romero
Time: Corinthians
Posição: Atacante
Preço: C$10,62


Um abraço a todos o cartoleiros de plantão...e mitada when i see u again!

Por: MhFernandes89
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana