A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Unanimidades - #19

O primeiro turno está acabando e o Unanimidades chega nessa rodada 19 na expectativa daquela mitada perfeita. Antes da indicação dos nomes propriamente, vamos ao resumo da rodada passada:

Começando pela zaga, apostamos todas fichas no mito, o tricolor Geromel, o abelhão confirmou o que todos já esperavam, o SG contra o Santinha, que perdeu a força e já não escreve como no início da competição com o Grafite. O gol que sonhamos não saiu, para piorar o cartão amarelo tirou alguns pontos do xerifão, que fechou com 8.70 pontos.

Passando para a dupla de meia, nosso primeiro nome era do uruguaio Arrascaeta, ele vem sendo o maestro Cruzeirense, que mesmo em má fase, vem toda rodada pontuando regularmente bem. E não foi diferente, no duelo da má fase, melhor para os donos da casa e nossa Unanimidade marcou 13 pontinhos, e sem impeachment.

Mas nem tudo são flores, o chulé da meia ficou a cargo de Diego Souza, que enfrentava o lanterninha da competição. Sem conseguir render o que era esperado pelos cartoleiros, o craque negativou -2.20 pontos para desespero nacional.

Fechamos a rodada com 19,50 pontos na conta das Unanimidades, não foi bom, mas também não foi ruim. Para a próxima rodada ficamos com as dicas de meu colega mineiro Matheus Fernandes, deixo como minha principal dica o árbitro Braulio da Silva Machado, que apita a partida Palmeiras x Vitória, já que sem Jesus, só a mãozinha da CBF para ajudar os paulistinhas.

Agora os nomes indicados são: Robinho, Ricardo Oliveira e Fagner.

Jogo no Independência, Atlético embalado por uma sequência importante de vitórias. Se há um jogador que tem chamado a responsabilidade na arrancada, este é Robinho. Balançou, pedalou, Robinho em Belo Horizonte tem constantemente ajudado o Atlético a conseguir seus resultados, seja com assistências, seja com gols. 





Nome: Robinho
Posição: Atacante
Time: Atlético Mineiro
Valor: C$ 20,51

A segunda Unanimidade da rodada é Ricardo Oliveira do Santos, mesmo jogando fora de seus domínios, fato que pouco importa, o centro avante é constante ameaça principalmente pela sua imensa capacidade de empurrar a bola para  as redes. Tal fato é potencializado pelo desempenho do peixe fora de casa, visto que o time da baixada tem sido um visitante encardido para todos. O jogo será contra o América, o saco de pancadas do Brasileirão. Apostamos que o camisa nove, mesmo no Horto, vá muitas vezes às redes.




Nome: Ricardo Oliveira
Posição: Atacante
Time: Santos
Valor: C$ 21,39

A terceira Unanimidade da rodada é peça fundamental em um sistema defensivo pra lá de azeitado. Trata-se de Fagner, lateral direito do Corinthians. Rápido, técnico e raçudo. Jogador certo para garantirmos o SG da rodada.





Nome: Fagner
Posição: Lateral
Time: Corinthians
Valor: C$ 22,67

Que a sorte esteja com vocês amigos cartoleiros.

Por: @acfmarcelo e @Mhfernandes89

Desabafo Chapecoense


Caros leitores, primeiramente quero declarar que a crônica do duelo entre Chapecoense e Palmeiras, realizado nesta quinta-feira (4), será um pouco diferente das demais. Pensei por horas e horas uma maneira de descrever a partida sem ultrapassar limites. Com a cabeça um pouco mais fria, vamos ao que nos interessa.

Foto: Márcio Cunha
No último domingo, o Verdão viajou a São Paulo para enfrentar o Tricolor Paulista em um Morumbi com mais de 54 mil torcedores. A pressão não intimidou a equipe e, com 11 minutos, a surpresa, a Chapecoense abria 2x0 de vantagem, gols de Kempes e Thiego. Era um grande resultado, mas todos sabiam que os donos da casa viriam para cima e pressionariam em busca do empate. A pressão durou até que Cuevas arriscou chute e diminuiu o placar. E estádio pulsou e a pressão aumentou ainda mais, nos minutos finais, após cobrança de falta, o zagueiro Maicon não conseguiu desviar na bola, que bateu no braço de Josimar, sem intenção alguma, e o árbitro pressionado marcou pênalti. O Peruano tricolor foi para a cobrança e empatou a partida.

Era o segundo erro de arbitragem que prejudicava a Chapecoense na competição. Quem não lembra do pênalti vergonhoso marcado no último minuto de partida a favor do Flamengo, quando o Verdão vencia por 2x1, em Volta Redonda?

Nesta quinta-feira, o jogo era na Arena Condá, diante de outro Paulista, desta vez era o Palmeiras, líder por diversas rodadas, mas vindo de duas derrotas; sem Fernando Prass, cortado da seleção e que passará por cirurgia no cotovelo; e sem Gabriel Jesus, que disputa as Olimpíadas.

Cheio de desfalques, Caio Júnior quebrava a cabeça para escalar a equipe. No ataque, com a contusão de Martinuccio, Tiaguinho ganhou a chance de iniciar a partida ao lado de Kempes. Com a bola rolando, a posse de bola era toda Palmeirense, enquanto o Verdão jogava nos erros do adversário. Os paulistas chutavam mais e obrigavam Danilo, com grande atuação diga-se de passagem, a trabalhar. A Chapecoense deixava o tempo passar e, na primeira grande chance, Kempes não desperdiçou e, depois da falha do goleiro Vagner, abriu o placar aos 29 minutos.

Na segunda etapa, nada mudou, os visitantes criavam as melhores oportunidades e só não marcaram porque o goleiro Danilo estava em uma noite inspirada. A Chapecoense respondeu com Hyoran, que driblou Vagner e não ampliou o placar porque Zé Roberto salvou em cima da linha.

Tudo se encaminhava para um final feliz para os donos da casa, até que o dono do apito resolveu aparecer. Cleiton Xavier invadiu a área e tropeçou em seus próprios pés, o árbitro sem pensar assinalou a marca do pênalti, gerando muita revolta no banco e nas arquibancadas Chapecoenses. O lance ainda rendeu a expulsão do técnico Caio Júnior. Jean foi para a cobrança e empatou a partida aos 38 minutos. Mas a Chape não desanimou e mostrou poder de reação, aos 43 minutos Bruno Rangel que recebeu mais uma oportunidade, recebeu livre dentro da área, mas o centroavante se atrapalhou e viu Tchê Tchê, que não é gaúcho, recuperar a bola.

Com o fim da partida, o senhor Wilton Pereira Sampaio, uma pessoa sem caráter, sem vergonha e mal intencionado, teve problemas ao deixar o gramado da Arena Condá, isso porque os dirigentes e torcedores Chapecoenses não engoliram serem assaltados dentro de casa.

Os relatos de erros aplicados anteriormente mostram que a força do eixo Rio-São Paulo jamais deixará de existir, ainda mais contra uma equipe humilde, que trabalha com salários em dia e tem uma das melhores administrações do Brasil, país este que é SUJO, IMUNDO e CORRUPTO. 

Em campo, a Seleção Brasileira mostra como é administrada, com recentes vexames, como no 7x1 da Alemanha na Copa do Mundo em 2014 e nas Copas América, ao ser eliminada por Paraguai no Chile em 2015, e neste ano sem nem passar da fase de grupos, nos Estados Unidos. Todos pedem mudanças, mas elas não devem começar em campo e sim nessa instituição corrupta e sem vergonha que é a CBF. O futebol brasileiro está no fundo do poço, é um futebol sujo, em que ganha quem tem mais força na camisa e não quem realmente merece.

A Chapecoense merece respeito, é um time que conquistou o Brasil e representa não apenas Chapecó, mas sim a região oeste de Santa Catarina. À direção, basta ser boazinha, é hora de acabar com essa palhaçada de uma instituição que é comandada por um ex presidente da Federação Paulista e que tem um certo carinho a Sociedade Esportiva Palmeiras. Tirem suas próprias conclusões.

A Chapecoense fecha o turno na próxima segunda-feira (8), quando viaja a Belo Horizonte para enfrentar o Atlético-MG, no Estádio Independência, às 20h. Esperamos que seja enfim uma partida resolvida pelos jogadores em campo e não pelo efeito da Corrupção Brasileira de Futebol.

Marcelo Weber || @acfmarcelo

Irregular Botafogo apanha da bola e é derrotado pela Ponte

O Botafogo visitou a Ponte Preta, em Campinas, visando uma sequência positiva no Campeonato Brasileiro, o que não aconteceu. O Glorioso fez uma péssima partida, maltratou a bola e saiu de campo derrotado por 2 a 0. Apesar do revés, o Alvinegro segue fora da zona de rebaixamento, porém, poderá ser ultrapassado na próxima rodada. O Botafogo teve a partida válida pela 19ª rodada adiada para setembro e só entrará em campo no dia 14, diante do São Paulo, no Morumbi. 


Noite terrível do Botafogo, que foi derrotado (Foto: Ale Cabral/Lance! Press)
O JOGO

O Glorioso não fez uma boa partida. A Ponte Preta foi superior durante todo o jogo e mereceu a vitória. Canales, bem no início, deslocou o ombro e, quando indicava que voltaria ao jogo, não pôde retornar, uma vez que Vinícius Tanque já havia entrado em campo. No primeiro tempo, o Botafogo só levou perigo em duas oportunidades. Aos 6 minutos, Renan Fonseca deu lançamento longo, a bola quicou e quase encobriu o goleiro Matheus, que foi salvo por Fábio Ferreira quando o zagueiro tirou a bola antes dela entrar no gol. E aos 43', já perdendo por 1 a 0, Luis Ricardo recebeu pela direita e cruzou, a bola passou pelo goleiro Matheus e Fernandes se esticou para alcançar, mas não conseguiu. E foi só. O gol da Ponte havia saído um pouco antes, aos 29 minutos. Reinaldo tocou para William Pottker, que na entrada da área teve tempo para dominar e chutar rasteiro no canto do goleiro Sidão, a bola tocou na trave e entrou. 

O Botafogo retornou para o segundo tempo com alteração. Fernandes, no intervalo, foi substituído por Leandrinho. A mudança, aparentemente, não surtiu efeito. O Alvinegro só assustou aos 24 minutos após cobrança de falta de Camilo, que mandou a bola bem perto da trave do goleiro Matheus. Instantes depois, Airton sentiu e foi substituído por Dudu Cearense. Aos 38', Fábio Ferreira, de cabeça, quase ampliou, mas Reinaldo, aos 40', não desperdiçou a oportunidade. Roger ajeitou a bola na entrada da área e Reinaldo mandou a bola na gaveta, sem chances para Sidão. Golaço da Macaca. Aos 49 minutos, o jogo chegou ao fim.  

OBSERVAÇÕES

A vitória da Ponte Preta foi justa. O Botafogo praticamente não criou. O goleiro da Ponte nada fez no jogo.

Ricardo Gomes errou na escalação. Fernandes titular com Leandrinho no banco foi um absurdo. Absurdo maior foi precipitar a entrada de Vinícius Tanque sem saber se Canales teria ou não como retornar ao jogo. Por falar em Tanque, ele virou reserva imediato por causa de um gol marcado na Copa do Brasil. Luis Henrique e Rodrigo Pimpão, que fizeram muito mais pelo clube, foram deixados de lado. 


#carinhodatorcida (Reprodução: Twitter)
O Botafogo é irregular. Não consegue emendar uma sequência positiva. Vence uma, perde outra. 

O Glorioso só não é irregular em um aspecto: tomar gols. A defesa é a mais vazada do Brasileirão. Em 18 jogos, o Botafogo só não tomou gol em dois: diante do Coritiba e do Figueirense, ambos 0 a 0. Difícil. 

FICHA DO JOGO

Ponte Preta 2
Matheus, Nino Paraíba, Douglas Grolli, Fábio Ferreira, Reinaldo; João Vitor, Wendel (Thiago Galhardo), Maycon (Matheus Jesus), William Pottker (Giva), Rhayner; Roger. Técnico: Eduardo Baptista.

Botafogo 0
Sidão, Luis Ricardo, Renan Fonseca, Emerson Santos, Diogo Barbosa; Airton (Dudu Cearense), Bruno Silva, Fernandes (Leandrinho), Camilo; Neilton, Canales (Vinícius Tanque). Técnico: Ricardo Gomes. 

Estádio: Moisés Lucarelli (SP).
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (MG). 
Assistentes: Pablo Almeida da Costa (MG) e Celso Luiz da Silva (MG). 
Gols: William Pottker (29' do 1º T); Reinaldo (40' do 2º T). 
Cartões amarelos: Douglas Grolli e Wendel (Ponte Preta); Emerson Santos e Vinícius Tanque (Botafogo). 
Público: 5.050. 
Renda: R$56.640,00. 

Por: Gabriel De Luca (@Biel_dluca). 
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana