A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Rio 2016: Natação, da decepção brasileira à glória de Phelps

Terminaram por completo as competições de natação da Olimpíada Rio 2016. As provas de natação na piscina finalizaram no dia último dia 13, depois de um show magnífico dos atletas e da torcida. Já as finais da Maratona Aquática foram realizadas no dia 15 e 16, dando direito a uma medalha para o Brasil.

Foto: Rio 2016

E é exatamente esse quesito que trouxe maior frustração para os brasileiros. Muitos esperavam por medalhas, acreditavam no potencial dos nadadores brasileiros, principalmente nadando em casa, com a torcida em seu favor. Mas não foi isso que aconteceu, mesmo com delegação recorde, não houve uma vitória brasileira nas piscinas.

Já no mar, recebemos a medalha de honra, uma para contarmos história, nossa brasileira Poliana Okimoto chegou em quarto lugar mas levou o bronze depois que a francesa Auriele Muller foi punida por se apoiar na adversária na linha de chegada.

Poliana Okimoto, medalha de bronze na maratona aquática 

Decepções e punições a parte, foram dias de um espetáculo sem igual! E claro, não tem como falar em algo espetacular sem falar nele, o incrível e insuperável Michael Phelps! Disputando os últimos Jogos Olímpicos da carreira, ele veio com fome de medalha e das seis finais disputadas, foram seis medalhas conquistadas, sendo cinco de ouro e uma de prata. Agora o gigante das águas possui nada mais, nada menos do que 28 medalhas olímpicas, sendo 23 ouros, três pratas e dois bronzes. E aqui, no nosso país vimos um mito, um fenômeno dando seu show, fazendo sua parte e enfim se aposentando. Muita honra para todos nós.

 Michael Phelps, maior medalhista da história da natação
No total foram 63 medalhas distribuídas na piscina e seis no mar, que consistem em:

DIA 6:

- 400 m medley masculino
1º JAP - Kosuke Hagino
2º EUA - Chase Kalisz
3º JAP - Daiya Seto

- 400 m livre masculino
1º AUS - Mack Horton
2º CHN - Yang Sun
3º ITA - Gabriele Detti

- 400 m medley feminino
1º HUN - Katinka Hosszu
2º EUA - Madeline Dirado
3º ESP - Mireia Belmonte Garcia

- 4x100 m livre feminino
1º Austrália
2º Estados Unidos
3º Canadá

DIA 7:

- 100 m borboleta feminino
1º SUE - Sarah Sjostrom
2º CAN - Penny Oleksiak
3º EUA - Dana Vollmer

- 100 m peito masculino
1º GBR - Adam Peaty
2º AFS - Cameron Van Der Burgh
3º EUA - Cody Miller

- 400 m livre feminino
1º EUA - Kathleen Ledecky
2º GBR - Jazz Carlin
3º EUA - Leah Smith

- 4x100 m livre masculino
1º Estados Unidos
2º França
3º Austrália

DIA 8:

- 200 m livre masculino
1º CHN - Yang Sun
2º AFS - Chad Guy Bertrand Le Clos
3º EUA - Conor Dwyer

- 100 m costas feminino
1º HUN - Katinka Hosszu
2º EUA - Kathleen Baker
3º CAN - Kylie Masse

- 100 m costas masculino
1º EUA - Ryan Murphy
2º CHN - Jiayu Xu
3º EUA - David Plummer

- 100 m peito feminino
1º EUA - Lillia King
2º RUS - Yulia Efimova
3º EUA - Catherine Meili
 
DIA 9:

- 200 m livre feminino
1º EUA - Kathleen Ledecky
2º SUE - Sarah Sjostrom
3º AUS - Emma Mckeon

- 200 m borboleta masculino
1º EUA - Michael Phelps
2º JAP - Masato Sakai
3º HUN - Tamas Kenderesi

- 200 m medley feminino
1º HUN - Katinka Hosszu
2º GBR - Siobhan-marie O'connor
3º EUA - Madeline Dirado

- 4x200 m livre masculino
1º EUA - Estados Unidos
2º GBR - Reino Unido
3º JAP - Japão
 
DIA 10:
 
- 200 m peito masculino
1º CAZ - Dmitriy Balandin
2º EUA - Josh Prenot
3º RUS - Anton Chupkov

- 200 m borboleta feminino
1º ESP - Mireia Belmonte Garcia
2º AUS - Madeline Groves
3º JAP - Natsumi Hoshi

- 100 m livre masculino
1º AUS - Kyle Chalmers
2º BEL - Pieter Timmers
3º EUA - Nathan Adrian

- 4x200 m livre feminino
1º EUA - Estados Unidos
2º AUS - Austrália
3º CAN - Canadá
 
DIA 11:
 
- 200 m peito feminino
1º JAP - Rie Kaneto
2º RUS - Yulia Efimova
3º CHN - Jinglin Shi

- 200 m costas masculino
1º EUA - Ryan Murphy
2º AUS - Mitchell Larkin
3º RUS - Evgeny Rylov

- 200 m medley masculino
1º EUA - Michael Phelps
2º JAP - Kosuke Hagino
3º CHN - Shun Wang

- 100 m livre feminino
1º EUA - Simone Manuel
2º CAN - Penny Oleksiak
3º SUE - Sarah Sjostrom
 
DIA 12:
 
- 200 m costas feminino
1º EUA - Madeline Dirado
2º HUN - Katinka Hosszu
3º CAN - Hilary Caldwell

- 100 m borboleta masculino
1º CIN - Joseph Schooling
2º EUA - Michael Phelps
3º RSA - Chad Guy Bertrand Le Clos

- 800 m livre feminino
1º EUA - Katie Ledecky
2º GBR - Jazz Carlin
3º HUN - Boglarka Kapas

- 50m livre masculino
1º EUA - Anthony Ervin
2º FRA - Florent Manaudou
3º EUA - Nathan Adrian

DIA 13:
 
- 50m livre feminino
1º DIN - Pernille Blume
2º EUA - Simone Manuel
3º BLR - Aliaksandra Herasimenia

- 1.500 m livre masculino
1º ITA - Gregorio Paltrinieri
2º EUA - Connor Jaeger
3º ITA - Gabriele Detti

- 4x100 m medley feminino
1º Estados Unidos
2º Austrália
3º Dinamarca

- 4x100 m medley masculino
1º Estados Unidos
2º Reino Unido
3º Austrália
 
MARATONA AQUÁTICA

Feminino:
1º PAÍSES BAIXOS - Sharon van Rouwendaal
2º ITA - Rachele Bruni
3º BRA - Poliana Okimoto

Masculino:
1º PAÍSES BAIXOS - Ferry Weertman
2º GRE - Spyridon Gianniotis
3º FRA - Marc-Antoine Olivier

Ana Clara Soares (@AnaClaraSoares1)

FC Porto fica no empate com a AS Roma pelo play-off da UCL

O Futebol Clube do Porto ficou no empate por 1x1 com a AS Roma, no Estádio do Dragão. Os gols foram marcados por Felipe (contra) para os italianos e André Silva de pênalti para o FC Porto. Com um jogador a menos desde o primeiro tempo, os visitantes saíram no lucro com o empate. Já o Dragão terá que fazer gol de todo jeito, na Itália, para passar à fase de grupos da Champions League. Os tripeiros continuam sem perder para os romanos na história.

 Os visitantes começaram com tudo e foram tratando de assustar o goleiro Iker Casillas em várias oportunidades. Em uma delas, o espanhol teve que fazer três defesas. Os italianos eram fortes no jogo aéreo e foi assim que saiu o único gol dos romanos na partida, após escanteio de Salah, o zagueiro Felipe ex-Corinthians tratou de mandar a bola para o próprio gol. Foi a segunda vez na temporada que o brasileiro fez gol contra.

Com o gol da equipe adversária, os tripeiros trataram de atacar, com um pênalti não marcado, os lusos reclamavam bastante da arbitragem, até que no fim da primeira etapa, o zagueiro recém-chegado do Barcelona Vermaelen cometeu uma falta dura no atacante André Silva e recebeu o segundo amarelo. Com isso, a equipe azul e branca criaram algumas chances com Otávio e André Silva no fim do primeiro tempo, mas o jogo ficou mesmo no 1x0, na ida para o intervalo.

André Silva após marcar o gol (Fonte: Site oficial do FC Porto)
Na segunda etapa, os mandantes iniciaram pressionando. Adrian López fez um gol, anulado pelo arbitro, no início do segundo tempo. O Porto arriscava com Telles, Herrera, André Silva e Otávio, mas a bola custava a entrar. Num lance parecido com o do primeiro tempo, onde o arbitro não marcou o pênalti para o Dragão, desta vez ele apitou e assinalou grande penalidade para os tripeiros. André Silva bateu e deixou tudo igual, 1x1.

O tempo passava e o jogo ficava truncado. A equipe portuguesa tentava pressionar, mas parava no muro romano. Muitos cartões e pouco futebol. E assim acabou a partida, com o Porto tentando, a Roma se defendendo e os cartões aparecendo. No final da partida, os torcedores aplaudiram as duas equipes que voltam a se enfrentar no dia 24 de agosto. Tudo se decidirá no Estádio Olímpico de Roma, onde há 13 anos, os portistas garantiram presença na final da Taça UEFA, contra a Lázio. Que viriam a conquistar contra o Celtic, em Sevilha.

Guia da PL 16/17: quais são as pretensões de cada time?

Após uma longa espera, os fãs do futebol poderão matar as saudades das principais ligas europeias, que começarão em breve. Na Inglaterra não é diferente, será dado o pontapé inicial na Premier League, que é considerado por muitos o melhor campeonato nacional do mundo. Do dia 13 de agosto de 2016 à 21 de maio de 2017, 20 equipes lutarão pelos seus objetivos, que vão do título até a luta contra o rebaixamento.

O Leicester fez história ao conquistar a Premier League na temporada passada (Foto: Reuters)
A edição atual seguirá com o tradicional regulamento, todavia, terá uma particularidade importante. Com intuito de rivalizar com as ligas americanas, não terá mais o naming rights do banco Barclays, ou seja, a liga inglesa será conhecida apenas por Premier League. No entanto, os clubes continuarão recebendo um grande investimento das cotas de TV, podendo fazer contratações de grandes jogadores e mantendo a liga em um nível elevado.

O Linha de Fundo preparou este Guia da Premier League 2016/17, com intuito de trazer todas as informações sobre preparação, transferências e perspectivas das dezessete equipes que permaneceram na primeira divisão e dos três novos integrantes, que conseguiram o acesso através da Championship na temporada passada. Confira:  

Arsenal Football Club
Fundação: 1886
Cidade: Londres
Estádio: Emirates Stadium
Campanha em 2015/16: Vice-campeão
Principais jogadores: Mesut Özil (meia) e Alexis Sánchez (atacante)
Objetivo: Título
Apesar de ter feito uma campanha considerada boa, o Arsenal vem de uma temporada decepcionante, por não ter conseguindo quebrar o longo jejum de 12 anos sem conquistar a Premier League. Principalmente por conta de outros grandes clubes terem feito campanhas fora do padrão e a briga do título ter sido contra times não consideradas favoritas no início da temporada, a maior parte da torcida passou a contestar fortemente o trabalho de Arsène Wenger, que é visto por muitos como um "técnico ultrapassado".

Para essa temporada, o francês inicia um campeonato mais pressionado do que nunca, justamente no ano em que completará duas décadas à frente dos Gunners. Essa temporada poderá ser a última do treinador no clube londrino e, consequentemente, seria a última chance do treinador deixar o clube pela "porta da frente", o que só aconteceria com o título e essa é a expectativa da torcida.

Chegadas: Granit Xhaka (ex-Borussia Mönchengladbach); Takuma Asano (ex-Sanfrecce Hiroshima); Rob Holding (ex-Bolton);

Saídas: Isaac Hayden (Newcastle); Wellington Silva (Fluminense); Mikel Arteta (Aposentado); Tomas Rosicky (Sem renovação); Mathieu Flamini (Sem renovação); Dan Crowley (Emprestado/Oxford United); Jon Toral (Emprestado/Granada); Wojciech Szczesny (Emprestado/Roma)

Time-base: Cech, Bellerin, Mertesacker ,Koscielny, Monreal;Xhaka, Elneny(Ramsey); Alexis, Özil, Ramsey(Chamberlain);Giroud.


Burnley Football Club
Fundação: 1882
Cidade: Burnley
Estádio: Turf Moor
Campanha em 2015/16: Campeão (Championship)
Principais jogadores: Tom Heaton (goleiro) e Andre Gray (atacante)
Objetivo: Permanência
O Burnley jogará a sua segunda Premier League em três temporadas, porém, dessa vez como o campeão da Championship. Na temporada passada, o time não teve uma vida fácil durante todo o campeonato, que foi bastante disputado, mas conseguiu ser o campeão com 93 pontos conquistados. O grande destaque foi o atacante inglês Andre Gray, que marcou vinte e cinco vezes na campanha da temporada passada e na pré temporada teve a impressionante marca de nove gols em seis jogos.

O grande objetivo da equipe nessa temporada é não repetir aquilo que acontecera na temporada 2014/15, quando o time ficou apenas uma temporada na elite, sendo rebaixado de volta. Ou seja, a luta dos Clarets é claramente contra o rebaixamento. Para isso, o time manteve a base campeã da segunda divisão e conta com o apoio de sua torcida nos jogos no Turf Moor.

Chegadas: Jamie Thomas (ex-Bolton); Robbie Leitch (ex-Motherwell); Nick Pope (ex-Charlton); Johann Berg Gudmundsson (ex-Charlton),Jon Flanagan(Emprestado/ex-Liverpool), Stevan Defour(ex-Anderlecht);

Saídas: Joey Barton (Dispensado); Luke Conlan (Morecambe); Matt Gilks (Dispensado); Lloyd Dyer (Burton); Danijel Nizic (Sem renovação); Matt Taylor (Sem renovação); Steven Hewitt (Accrington); Michael Duff (Aposentado); Jamie Thomas (Emprestado/Ayr United); Alex Whitmore (Emprestado/Morecambe);

Time-base: Heaton Lowton(Darikwa) ,Keane, Mee, Ward(Lafferty) ;Gudmundsson(Boyd) ,Defour Jones(Marney),Arfield;Vokes,Andre Gray.


Athletic Football Club Bournemouth
Fundação: 1882
Cidade: Bournemouth
Estádio: Vitality Stadium
Campanha em 2015/16: 16ª posição
Principais jogadores: Artur Boruc (goleiro) e Callum Wilson (atacante)
Objetivo: Permanência
O Bournemouth vem para a segunda temporada consecutiva na elite. Após conseguir um acesso pela Championship, o grande objetivo do time era a permanência e, mesmo com uma campanha irregular e esperada, ficou na 16ª colocação na temporada passada.

Com isso, inspirado na conquista da permanência na Premier League, os Cherries investiram um pouco mais para tentar lutar por algo melhor nessa temporada. Além de ter mantido o time base da temporada passada, o clube trouxe jogadores pontuais, como Ibe, Ake e Cook. Em contrapartida, um dos principais nomes da equipe, Ritchie, deixou o clube para ir para o Newcastle, o que pode fazer falta. Ainda assim, o Bournemouth deverá complicar a vida de muitos candidatos ao título.

Chegadas: Jordon Ibe (ex-Liverpool); Lys Mousset (ex-Le Havre); Emerson Hyndman (ex-Fulham); Nathan Ake (Emprestado/Chelsea); Lewis Cook (ex-Leeds); Brad Smith (ex-Liverpool)

Saídas: Jayden Stockley (Aberdeen) Sylvain Distin (Sem renovação); Tommy Elphick (Aston Villa); Matt Ritchie (Newcastle); Lee Tomlin (Bristol City); Glenn Murray (Emprestado/Brighton); Jon Muleba (Sem renovação); Mason Walsh (Sem renovação); Stephane Zubar (Sem renovação); Josh Wakefield (Sem renovação); Josh Carmichael (Sem renovação); Joe Quigley (Emprestado/Gillingham); Harry Cornick (Emprestado/Leyton Orient)

Time-base: Boruc,Francis,Steve Cook, Wiggins(O'Kane),Daniels(Ake) Ibe(Pugh),Surman, Arter,Gradel;Wilson,King.

Chelsea Football Club
Fundação: 1905
Cidade: Londres
Estádio: Stamford Bridge
Campanha em 2015/16: 10ª posição
Principais jogadores: Thibaut Courtois (goleiro) e Eden Hazard (meia)
Objetivo: Título
Após uma temporada conturbada, com muitos jogadores rendendo abaixo do esperado, problemas internos e troca de treinador, o Chelsea foi a maior decepção entre os postulantes ao título e só terminou na 10ª colocação da Premier League. Porém, houve poucas mudanças no elenco do time londrino e as esperanças é que os principais jogadores voltem a render o esperado, como na temporada 2014/15, quando conquistou o título. 

A grande aposta é seu novo treinador, o italiano Antonio Conte, que fez uma excelente campanha à frente da Itália na última Eurocopa. Buscando se recuperar, os Blues começam a temporada com o objetivo de brigar pelo título inglês e voltar à disputar a UEFA Champions League. À seu favor, o time tem o fato de não estar em nenhuma competição europeia, priorizando apenas a competição nacional e por conta disso terá uma vantagem física em relação aos demais postulantes ao título.


Chegadas: Michy Batshuayi (ex-Marseille); N'Golo Kante (ex-Leicester);

Saídas: Mohamed Salah (Roma); Stipe Perica (Udinese); Charly Musonda (Emprestado/Betis); Nathan (Emprestado/Vitesse Arnhem); Lewis Baker (Emprestado/Vitesse Arnhem); Mitchell Beeney (Emprestado/Crawley); Nathan Ake (Emprestado/Bournemouth); Jeremie Boga (Emprestado/Granada); Tomas Kalas - (Emprestado/Fulham); Alex Kiwomya (Emprestado/Crewe Alexandra); Reece Mitchell (Chesterfield); John Swift (Reading); Marco Amelia (Sem renovação); Tika Musonda (Sem renovação); Kevin Wright (Sem renovação); Baba Rahman (Emprestado/Schalke),Bertrand Traore(Emprestado/Ajax);


Time-base:Courtois,Ivanovic,Cahill(Zouma),Terry,Azpillicueta;Matic,Kanté;Hazard, Fàbregas,Willian;Diego Costa(Batshuayi).

Crystal Palace Football Club
Fundação: 1905
Cidade: Londres
Estádio: Selhurst Park
Campanha em 2015/16: 15ª posição
Principais jogadores: Scott Dann (zagueiro) e Yohan Cabaye (volante)
Objetivo: Meio da tabela
A última temporada foi de altos e baixos para o Crystal Palace. Após um bom primeiro turno da Premier League, ficando na 8ª colocação, a equipe perdeu o embalo no segundo turno e só ficou com a 15ª colocação. A queda de rendimento tem muito a ver com a prioridade dada a FA Cup, competição pela qual a equipe surpreendeu positivamente, eliminando, inclusive, o Tottenham em uma das fases e indo para Wembley. Porém, ao ser derrotado para o Manchester United na prorrogação, amargou o vice-campeonato  assim como em 1989/90.

Passada a frustração de bater na trave mais uma vez, o que seria o maior título de sua longa história, o time londrino espera uma temporada melhor em 2016/17. Além de ficar longe da temida zona de rebaixamento, o primeiro objetivo deve ser ficar no meio da tabela e, quem sabe, brigar por uma vaga em competições europeias, o que é uma possibilidade mais distante do time "mais sul-americano" da Inglaterra.

Chegadas: Andros Townsend (ex-Newcastle); Steve Mandanda (ex-Marseille); James Tomkins (ex-West Ham);

Saídas: Dwight Gayle (Newcastle); Alex McCarthy (Southampton); David Gregory (Cambridge); Chris Kettings (Oldham); Jake Gray (Luton); Emmanuel Adebayor (Sem renovação); Marouane Chamakh (Sem renovação); Brede Hangeland (Sem renovação); Adrian Mariappa (Sem renovação); Reise Allassani (Sem renovação); Connor Dymond (Sem renovação); Jerome Binnom-Williams (Peterborough),Yannick Bolasie(Everton)

Time-base: Mandanda, Ward, Tomkins, Dann, Souare; Jedinak, Cabaye, Townsend, Puncheon(McArthur),Zaha;Wickham.

Everton Football Club
Fundação: 1878
Cidade: Liverpool
Estádio: Goodison Park
Campanha em 2015/16: 11ª posição
Principais jogadores: Ross Barkley (meia) e Romelu Lukaku (atacante)
Objetivo: Qualificação p/ competição europeia
Nas últimas duas temporadas, sob comando de Roberto Martínez, o Everton esboçou alguns lampejos que empolgassem e demonstrou que a equipe poderia brigar por algo maior. No entanto, em ambas ficou apenas no meio da tabela e, consequentemente, fora das competições europeias. Isto causou grande insatisfação da torcida, que passou a contestar fortemente o trabalho do técnico espanhol, fazendo com que a demissão fosse inevitável.

Buscando fazer diferente nessa temporada, os Toffees contrataram o técnico holandês Ronald Koeman, que estava no Southampton. Em relação ao elenco, a diretoria tem buscado apenas contratações pontuais e tentando manter seus principais jogadores, que tem sido fortemente assediados por outros times ingleses e até de fora. Até o momento, a única baixa importante é o zagueiro John Stones, que foi para o Manchester City. Entretanto, a diretoria agiu rápido e contratou um bom reforço para a posição, Ashley Williams.


Chegadas: Maarten Stekelenburg (Fulham); Bassala Sambou (Coventry); Chris Renshaw (Oldham); Idrissa Gueye (Aston Villa),Ashley Williams(Swansea),Yannick Bolasie(Crystal Palace)

Saídas: Leon Osman (Sem renovação); Tony Hibbert (Sem renovação); Tim Howard (Colorado Rapids); Steven Pienaar (Sem renovação); Jordan Thorniley (Sheffield Wednesday); Jindrich Stanek (Sem renovação); Felipe Mattioni (Sem renovação); Conor Grant (Emprestado/Ipswich),John Stones(Manchester City)

Time-base: Joel (Stekelenburg), Coleman, Jagielka, Williams, Baines; McCarthy, Besic(Barry); Deulofeu, Barkley, Bolasie(Mirallas); Lukaku.


Hull City Association Football Club
Fundação: 1904
Cidade
Estádio: KC Stadium 
Campanha em 2015/16: 3ª posição (Championship)
Principais jogadores: Andrew Robertson (lateral) e Abel Hernandez (atacante)
Objetivo: Permanência
A última vaga na Premier League 2016/17 ficou com o Hull City. Após a boa campanha na Championship, o time ficou na 4ª colocação e não conseguiu o acesso de forma direta, mas se classificou para os play-offs. Já na fase seguinte da competição, eliminou o Derby Country e depois o Sheffield Wednesday, garantindo assim, o seu acesso à elite do futebol inglês. 

Apesar de serem um dos "novatos" desta edição, os Tigers se acostumaram a disputar a competição, sendo esta a sua 4ª participação desde 2008/09. Desta vez, o time novamente tentará se consolidar na elite, tendo falhado nas outras tentativas e não conseguindo se manter mais do que duas temporadas consecutivas. Todavia, essa missão não será nada fácil, já que há um indefinição sobre a venda do clube para chineses e por isso não se reforçou bem. Com apenas treze jogadores no elenco, o técnico Steve Bruce pediu demissão, dano lugar à Mike Phelan. Enquanto a situação não é resolvida, o novo técnico terá que se virar com o que tem e buscar o principal objetivo do time na temporada, que é a permanência na elite.

Chegadas: Jonathan Edwards (Peterborough);

Saídas: Mohamed Diame (Newcastle), Sone Aluko (Sem renovação/Fulham), Ryan Taylor (Sem renovação).

Time-base: Jakypovic; Odubajo, Davies, Dawson e Robertson; Livermore, Huddlestone, Elmohamady, Maloney e Snodgrass; Abel Hernandez.




Leicester City Football Club
Fundação: 1884
Cidade: Leicester
Estádio: King Power Stadium 
Campanha em 2015/16: Campeão
Principais jogadores: Riyad Mahrez (meia) e Jamie Vardy (atacante)
Objetivo: Meio de tabela
Vindo de uma temporada brilhante, quando muitos diziam ser impossível o Leicester conquistou a Premier League, em uma das temporadas mais inacreditáveis do futebol inglês. Porém, passada a euforia, não será uma temporada fácil para o atual campeão inglês. O clube terá pela frente a UEFA Champions League, onde é cabeça de chave no grupo, e mais uma Premier League, que é sempre muito difícil.

Muitos torcedores já dão como certo que o time passará longe de uma temporada de muitos feitos e que será um campeonato de "meio de tabela" e que não dê muitos sustos na torcida como foi na temporada 2014/15, quando o time se salvou do rebaixamento nas últimas rodadas. Os Foxes tem como um dos desafios para a temporada, fortalecer o elenco com contratações e suprir algumas perdas importantes, que fatalmente acontecem depois de um grande sucesso. Para isso, o scout da equipe tenta repetir a fórmula dos últimos anos, buscando jogadores com grande potencial, baixo custo e jovens.


Chegadas: Nampalys Mendy (ex-Nice); Ron-Robert Zieler (ex-Hannover 96); Luis Hernandez (ex-Sporting Gijon); Raul Uche Rubio (ex-Rayo Vallecano); Ahmed Musa (ex-CSKA Moscow); Bartosz Kapustka (ex-Cracovia);                 

Saídas: N'Golo Kante (Chelsea); Andrej Kramaric (Hoffenheim); Joe Dodoo (Rangers); Jonny Maddison (Yeovil); Paul Konchesky (Sem renovação); Mark Schwarzer (Sem renovação); Jacob Blyth (Motherwell); Ryan Watson (Barnet); Dean Hammond (Sheffield United); Jonny Maddison (Sem renovação); Harry Panayiotou (Sem renovação); Callum Elder (Emprestado/Brentford);

Time-base: Schmeichel, Simpson, Morgan, Huth, Fuchs; Albrighton, Mendy, Drinkwater, Mahrez;Okazaki(Musa),Vardy.


Liverpool Football Club
Fundação: 1892
Cidade: Liverpool
Estádio: Anfield
Campanha em 2015/16: 8ª posição
Principais jogadores: James Milner (meia) e Philippe Coutinho (meia)
Objetivo: Título
A última temporada do Liverpool foi, de certa forma, injustiçada. Após um início ruim na Premier League, Brendan Rodgers deu lugar à Jürgen Klopp, que mudou o rumo do time na temporada. Com três meses no cargo, o alemão já havia levado o time à final Copa da Liga Inglesa, sendo derrotado para o Manchester City. Na UEFA Europa League, o time fez uma campanha brilhante, eliminando, inclusive, o Borussia Dortmund na base da superação, em um 4 a 3 espetacular em Anfield. Apesar de ter levado o Liverpool à duas finais, o técnico alemão só conseguiu ficar na 8ª colocação da tabela e, devido aos fracassos nas taças e a posição na liga, o time não disputará competições europeias na temporada atual.

Mas, nem tudo está perdido. Diferentemente da última temporada, quando os Reds foram um dos que mais tiveram jogos na temporada inglesa, nesta disputará apenas três competições e com chances reais de brigar pelos títulos. Se em sua primeira temporada, o técnico alemão herdou o elenco que havia sido montado pelo antecessor e conseguiu tantos feitos com poucos recursos, nessa temporada as expectativas são ainda maiores.

Chegadas: Sadio Mane (ex-Southampton); Loris Karius (ex-Mainz); Joel Matip (ex-Schalke); Ragnar Klavan (ex-Augsburg); Georginio Wijnaldum (ex-Newcastle); Alex Manninger (Livre)

Saídas: Jordon Ibe (Bournemouth); Martin Skrtel (Fenerbahce); Joe Allen (Stoke City); Jordan Rossiter (Rangers); Jerome Sinclair (Watford) João Teixeira (Porto); Danny Ward (Emprestado/Huddersfield); Kolo Toure (Celtic); Lawrence Vigouroux (Swindon); Ryan Fulton (Emprestado/Chesterfield); Ryan Kent (Emprestado/Barnsley); Brad Smith (Emprestado/Bournemouth); Jack Dunn (Emprestado/Morecambe);

Time-base: Karius,Clyne,Matip,Sakho(Lovren),Alberto;Can,Henderson;Coutinho, Firmino (Wijnaldum),Mane;Sturridge(Firmino).




Manchester City Football Club
Fundação: 1880
Cidade: Manchester
Estádio: Etihad Stadium
Campanha em 2015/16: 4ª posição
Principais jogadores: Kevin De Bruyne (meia) e Sérgio Agüero (atacante)
Objetivo: Título
Apesar da decepção de não ter brigado pelo título na última edição da Premier League, a temporada passada não foi um fracasso, longe disso, já que conquistou a Capital One Cup e principalmente por ter feito a sua melhor campanha da história da UEFA Champions League, caindo apenas nas semifinais. De quebra, ainda terminou na 4ª colocação e garantiu a classificação para os play-offs da principal competição europeia.

Com o anúncio de Pep Guardiola, a "era Manuel Pellegrini" chegou ao fim e a temporada atual será de transição para os azuis de Manchester, que tem um projeto ambicioso de se tornar um dos maiores clubes da Inglaterra e do mundo. Mesmo que o objetivo principal seja conquistar a Europa pela primeira vez, os Citizens entram como um dos postulantes ao título da Premier League, tendo um elenco qualificado e competitivo para brigar nas duas competições.


Chegadas: Ilkay Gundogan (ex-Borussia Dortmund); Nolito (ex-Celta Vigo); Oleksandr Zinchenko (ex-FK Ufa); Aaron Mooy (ex-Melbourne City); Leroy Sane (ex-Schalke); Gabriel Jesus (ex-Palmeiras); Marlos Moreno (ex-Atletico Nacional),John Stones(ex-Everton)

Saídas: Seko Fofana (Udinese); Florian Lejeune (Eibar); Martin Demichelis (Dispensado); Richard Wright (Aposentado); Jack Byrne - Blackburn, empréstimo; Luke Brattan (Emprestado/Melbourne City); Anthony Caceres (Emprestado/Melbourne City); Aaron Mooy (Emprestado/Huddersfield); Marlos Moreno (Emprestado/Deportivo),Gabriel Jesus(Emprestado/Palmeiras);

Time-base: Hart, Zabaleta, Kompany, Otamendi, Clichy (Kolarov); Fernandinho, Gundogan (Silva); De Bruyne, David Silva (Sterling), Nolito; Agüero.



Manchester United Football Club
Fundação: 1878
Cidade: Manchester
Estádio: Old Trafford
Campanha em 2015/16: 5ª posição
Principais jogadores: David De Gea (goleiro) e Zlatan Ibrahimovic (atacante)
Objetivo: Título
O maior campeão inglês busca retomar a soberania na competição. Na última edição, o time comandado por Louis Van Gaal decepcionou, principalmente por não ter conseguido a vaga na UEFA Champions League e muito menos ter brigado pelo título da Premier League. Entretanto, nem tudo foi frustrações e lamentos, já que conquistou a sua 12ª taça da FA Cup e voltou a ser o maior campeão da competição mais antiga do mundo - ao lado do Arsenal. 

Apesar do título, houve a troca de treinador e José Mourinho assumiu a equipe, que tentará retomar a soberania na competição e voltar a brigar pelo título. Para isso, o clube não poupou esforços e foi um dos que mais investiram, fazendo contratações de peso. Uma semana antes do início da Premier League, os Red Devils já estrearam oficialmente e puderam comemorar um título da Community Shield, que abre a temporada inglesa.


Chegadas: Zlatan Ibrahimovic (Livre); Eric Bailly (ex-Villarreal); Henrikh Mkhitaryan (ex-Borussia Dortmund),Paul Pogba(ex-Juventus)

Saídas: Victor Valdes (Middlesbrough); Nick Powell (Wigan); Tyler Reid (Swansea); Oliver Rathbone (Rochdale); Joe Rothwell (Oxford); George Dorrington (Huddersfield); Ashley Fletcher (West Ham); Guillermo Varela (Emprestado/Eintracht Frankfurt), Paddy McNair(Sunderland);

Time-base: De Gea, Darmian, Smalling, Bailly, Shaw (Rojo); Carrick (Schneiderlin), Pogba; Martial, Rooney e Mkhitaryan; Ibrahimovic.


Middlesbrough Football Club
Fundação: 1876
Cidade: Middlesbrough
Estádio: Riverside Stadium
Campanha em 2015/16: Vice-campeão (Championship)
Principais jogadores: Victor Valdes (goleiro) e Álvaro Negredo (atacante)
Objetivo: Permanência
Foram sete temporadas amargando a segunda divisão inglesa até que o Middlesbrough conseguisse seu retorno para a Premier League. E o retorno foi quase triunfal, terminando a Championship na segunda colocação com 89 pontos  4 a menos que o campeão. Apesar disso, o time chegou a liderar a competição por um bom tempo e brigou pelo título até a última rodada, mas acabou falhando e se contentou com o vice-campeonato.

Além de uma base forte, mantendo os principais jogadores e vários reforços experientes, o dono do Riverside Stadium é sempre forte em casa, onde poderá dar trabalho aos grandes times ingleses. Apesar de seu objetivo principal seja a permanência na Premier League, o Boro pode surpreender e beliscar algo mais no certame.

Chegadas: Marten de Roon (Atalanta); Viktor Fischer (Ajax); Bernardo Espinosa (Sporting Gijon); Jordan McGhee (Emprestado/Hearts); Victor Valdes (ex-Manchester United); Alvaro Negredo (Emprestado/Valencia); Brad Guzan (ex-Aston Villa),Antonio Barragan(Valencia),Fábio(Cardiff)

Saídas: Jonathan Woodgate (Sem renovação); Damia Abella (Sem renovação); Rhys Williams (Perth Glory); Jonathan Burn (Emprestado/Kilmarnock); Jordan Jones (Kilmarnock); Luke Coddington (Huddersfield); Andre Bennett (Sem renovação); Conor Ripley (Emprestado/Oldham);

Time-base: Valdés,Barragan,Ayala,Gibson,Friend(Fábio);Fischer,Leadbitter(Clayton), de Roon, Stuani;Rhodes,Negredo.



Southampton Football Club
Fundação: 1885
Cidade: Southampton
Estádio: St. Mary's Stadium
Campanha em 2015/16: 6ª posição
Principais jogadores: Virgil van Djik (zagueiro) e Ryan Bertrand (lateral)
Objetivo: Qualificação p/ competição europeia
O Southampton vem embalado por boas campanhas. Mesmo com um investimento menor, em relação aos clubes mais badalados, o time contou com o trabalho de Ronald Koeman e conseguiu bater de frente com os grandes. Na última edição, o time terminou na 6ª colocação e garantiu uma das vagas na UEFA Europa League. 

A consequência disso, é o assédio sofrido toda temporada pelos seus principais jogadores, que deixam o clube. E na última janela de transferências as coisas não foram diferentes: alguns dos jogadores mais importantes, como o volante Wanyama e a dupla Mané e Pellè, seguiram o mesmo caminho do técnico e deixaram o clube. Agora, cabe ao francês Claude Puel, que comandou o Nice na última Ligue 1, manter o time competitivo e repetir o desempenho das edições anteriores.

Chegadas: Nathan Redmond (ex-Norwich); Pierre-Emile Hojbjerg (ex-Bayern München); Kieran Freeman (ex-Dundee Utd); Alex McCarthy (ex-Crystal Palace); Jeremy Pied (ex-Nice);

Saídas: Sadio Mane (Liverpool); Victor Wanyama (Tottenham Hotspur); Juanmi (Real Sociedad); Paulo Gazzaniga (Emprestado/Rayo Vallecano); Gaston Ramirez (Sem renovação); Kelvin Davis (Aposentado); Joe Lea (Yeovil); Jason McCarthy (Emprestado/Walsall); Graziano Pelle (Shandong Luneng);

Time-base: Forster,Cédric,Jose Fonte,van Djik, Bertrand; Clasie, Romeu; Tadic, Hojbjerg, Redmond;Long.

Stoke City Football Club
Fundação: 1863
Cidade: Stoke-on-Trent
Estádio: Britannia Stadium
Campanha em 2015/16: 9ª posição
Principais jogadores: Xherdan Shaqiri (meia) e Marko Arnautovic (meia)
Objetivo: Qualificação p/ competição europeia
O Stoke City vem de mais um campeonato de "meio de tabela" na última temporada. Ao mesmo tempo que não havia riscos de rebaixamento, também não havia chances de classificação européia. A equipe treinada por Mark Hughes passou por bons e maus momentos dentro de campo. Em alguns jogos, a equipe chegou a jogar sem centroavante, um time mais leve com Bojan mais adiantado, e esse esquema deu resultados. Porém, com o passar do tempo, o time teve uma queda de rendimento, o que explica a 9ª colocação na última edição da Premier League.

A expectativa para esta temporada é dar continuidade ao bom futebol jogado em parte da última, possuindo potencial e podendo surpreender  assim como fez o West Ham no último campeonato , afim de conquistar uma das vagas em competições europeias. Para isso, apostam principalmente no trio ofensivo  Shaqiri, Bojan e Arnautovic , que terá mais um campeonato inteiro para provar que podem sim, levar o time à lugares maiores. Caberá ao técnico Mark Hughes lidar com toda a pressão por parte dos torcedores, que sonham com essa vaga há muito tempo.

Chegadas: Joe Allen (ex-Liverpool); Ramadan Sobhi (ex-Al Ahly);

Saídas: Peter Odemwingie (Sem renovação); Steve Sidwell (Brighton); Mark Waddington (Emprestado/Kilmarnock); Ben Barber (York City);

Time-base: Butland; Cameron (Glen Johnson), Wollscheid, Shawcross e Pieters; Imbula, Allen; Shaqiri, Bojan (Waiters) e Arnautovic;Diouf(Bojan).

Sunderland Association Football Club
Fundação: 1879
Cidade: Sunderland
Estádio: Stadium of Light
Campanha em 2015/16: 16ª posição
Principais jogadores: Jack Rodwell (volante) e Jermain Defoe (atacante)
Objetivo: Permanência
O Sunderland vem de uma temporada bastante sofrida. Com uma campanha irregular do início ao fim, ficou entre os últimos colocados na maior parte do campeonato e era dado por muitos como um dos rebaixados, principalmente pela sequência que teria nas últimas rodadas. Porém, alguns resultados surpreendentes fizeram com que o time permanecesse na elite, principalmente um 3 a 2 de virada sobre o Chelsea na penúltima rodada, foi fundamental para que a queda não acontecesse.

Nessa temporada o objetivo é o mesmo, entretanto, sem toda a dramaticidade e o quanto antes. Sem Sam Allardyce, que deixou o comando da equipe para assumir a seleção inglesa, os Black Cats tiveram obrigatoriamente buscar um novo treinador. O escolhido foi David Moyes, que tem a experiência de ter trabalhado na Premier League recentemente, já que passou por Everton e pelo Manchester United.

Chegadas: Paddy McNair (Manchester United), Donald Love (Manchester United), Adnan Januzaj (Emprestado/Manchester United), Papy Djilobodji (Chelsea)


Saídas: Emmanuel Giaccherini (Napoli); Steven Fletcher (Sheffield Wednesday); Steve Harper (Sem renovação);


Time-base: Mannone; Love, Kone (Djilobodji), Kaboul, van Aanholt; Cattermole (McNair) e Rodwell; Lens (Watmore), Khazri e Borini; Defoe.

Swansea City Association Football Club
Fundação: 1912
Cidade: Swansea
Estádio: Liberty Stadium
Campanha em 2015/16: 12ª posição
Principais jogadores: Leroy Fer (volante) e Gylfi Sigurdsson (meia)
Objetivo: Meio de tabela
O Swansea disputará pela sexta vez consecutiva a Premier League e novamente será o "intruso" da edição. Após uma campanha considerada boa dentro das suas pretensões, ficando na 12ª colocação e sem grandes riscos de rebaixamento na temporada passada, se manteve como único representante do País de Galês na competição.

Apesar do objetivo principal ser manter este posto, os Cines não se contentam apenas em brigar pela permanência, já que desde que conseguiu o acesso tem ficado longe das últimas colocações. Se uma vaga em competições europeias também parece distante, o objetivo é pelo menos repetir o que acontecera na temporada passada, ficando o mais distante possível da zona de rebaixamento e, quem sabe, na parte de cima da tabela desta vez. 

Chegadas: Leroy Fer (ex-QPR); Mike van der Hoorn (ex-Ajax); Mark Birighitti (ex-Newcastle Jets); Tyler Reid (ex-Manchester United); George Byers (ex-Watford); Mark Birighitti (Livre),Fernando Llorente(ex-Sevilla)

Saídas: Eder (Lille); Alberto Paloschi (Atalanta); Bafétimbi Gomis (Emprestado/Marseille); Kenji Gorre (Emprestado/Northampton); Kyle Bartley (Emprestado/Leeds); Raheem Hanley (Northampton); Liam Shephard (Emprestado/Yeovil); Oliver Davies (Emprestado/Kilmarnock); Matt Grimes (Emprestado/Leeds),Andre Ayew(West Ham).

Time-base: Fabianski, Àngel Rangel, van der Hoorn, Fernández, Taylor (Naughton); Fer, Ki; Montero, Sigurdsson, Routledge; Llorente.


Tottenham Hotspur Football Club
Fundação: 1882
Cidade: Londres
Estádio: White Hart Lane
Campanha em 2015/16: 3ª posição
Principais jogadores: Dele Alli (volante) e Harry Kane (atacante)
Objetivo: Qualificação p/ competição europeia
O Tottenham foi outra surpresa positiva da última edição. Apesar da frustração de não ter quebrado o jejum de conquistar um título inglês, o time de Maurício Pochettino jogou o futebol mais bonito e foi quem esteve mais próximo de desbancar o Leicester, entretanto, teve que se contentar com 3ª colocação. Dessa forma, garantiu uma das vagas na UEFA Champions League e voltará à disputar a principal competição europeia, o que não acontece desde 2010/11.

Nesta edição da Premier League, o time londrino tentará repetir o feito de ser uma das surpresas, uma vez que, novamente, não é um dos principais candidatos ao título. Para tal, os Spurs apostam na manutenção do elenco, além de alguns reforços pontuais. Além disso, poder contar com o seu estádio na competição nacional, que passa por reformas e deverá ser fechado na próxima temporada, certamente é um "reforço" de peso para o clube do norte de Londres. 


Chegadas: Vincent Janssen (ex-AZ Alkmaar); Victor Wanyama (ex-Southampton);

Saídas: Federico Fazio (Emprestado/Roma); Grant Ward (Ipswich); Christopher Paul (QPR); Filip Lesniak (Emprestado/Slovan Liberec); Emmanuel Sonupe (Sem renovação); Alex Pritchard (Norwich)

Time-base: Lloris, Walker, Alderweireld, Vertonghen, Rose; Dier, Dembele (Wanyama) ;Eriksen,Alli,Lamela;Kane.


Watford Football Club
Fundação: 1881
Cidade: Watford
Estádio: Vicarage Road 
Campanha em 2015/16: 13ª posição
Principais jogadores: Deeney (meia) e Odion Ighalo (atacante)
Objetivo: Permanência
A última temporada foi promissora para o Watford, que havia acabado de conseguir o acesso e era um dos principais postulantes a queda, mas em momento algum sofreu para ficar longe da zona de rebaixamento. Além de garantir por mais uma temporada na Premier League, fez uma grande campanha na FA Cup e surpreendeu ao se classificar para Wembley, sendo eliminado apenas na fase semifinal para o Crystal Palace.

Apesar de ter alcançado o objetivo na temporada passada, o espanhol Quique Sánchez Flores deixou o comando do time, que terá o italiano Water Mazzarri como sucessor. Para essa temporada, os Orns conseguiram manter seus principais nomes, já que o brasileiro Gomes renovou contrato e Deeney recusou uma proposta do Leicester. Mas, com um novo treinador, temos também uma nova filosofia e a torcida e a diretoria precisarão ter calma.

Chegadas: Isaac Success (ex-Granada); Christian Kabasele (ex-Genk); Jerome Sinclair (ex-Liverpool); Juan Camilo Zuniga (Emprestado/Napoli); Brice Dja Djedje (ex-Marseille);

Saídas: José Manuel Jurado (Espanyol); Almen Abdi (Sheffield Wednesday); Daniel Pudil (Sheffield Wednesday); Steven Berghuis (Emprestado/Feyenoord); Joel Ekstrand (Sem renovação);Josh Doherty (Leyton Orient);Gabriele Angella (Udinese); Miguel Layún (Porto); Bernard Mensah (Aldershot); Uche Ikpeazu (Sem renovação); George Byers (Swansea); Jorell Johnson (Sem renovação); Luke Simpson (Sem renovação),Mario Suárez (Valencia/Empréstimo)

Time-base: Gomes, Cathcart(Kabasele) ,Prodl ,Britos; Amrabat(Zuniga) ,Capoue, Behrami, Guedioura,Holebas;Deeney,Ighalo.

West Bromwich Albion Football Club
Fundação: 1878
Cidade: West Bromwich
Estádio: The Hawthorns
Campanha em 2015/16: 14ª posição
Principais jogadores: Saido Berahino (meia) e Salómon Rondón (atacante)
Objetivo: Permanência
O West Bromwich vem de uma temporada fraca, porém, sem dar grandes sustos à sua torcida. Com uma defesa sólida, o time treinado por Tony Pulis deu trabalho aos adversários, sendo pouco vazado durante a competição. Por outro lado, teve um fraco desempenho ofensivo e só marcou 34 gols em 38 jogos  superior apenas ao lanterna Aston Villa com 27 , o que ajuda a explicar a 14ª colocação.

Mesmo assim, o clube não se reforçou como deveria e a expectativas não são grandes, tendo como único objetivo fugir do rebaixamento. Se garantir uma vaga na próxima edição da Premier League, quando o time deverá ter um investimento maior, já que o time será vendido para um grupo chinês.


Chegadas: Matt Phillips (ex-QPR);

Saídas: Stephane Sessegnon (Sem renovação); Victor Anichebe (Sem renovação); Anders Lindegaard (Preston); Callam Jones (Emprestado/Accrington); Josh Ezewele (Yeovil); Tyler Roberts (Emprestado/Oxford Utd); Kyle Howkins (Emprestado/Mansfield),James Chester(Aston Villa);

Time-base:Foster,Dawson(Gamboa), Olsson, Evans, Pocognoli; Phillips, Yacob, Fletcher (Gardner), Morrison e Berahino; Rondon.


West Ham United Football Club
Fundação: 1895
Cidade: Londres
Estádio: Olímpico de Londres
Campanha em 2015/16: 7ª posição
Principais jogadores: Dimitri Payet (atacante) e Mark Noble (meia)
Objetivo: Qualificação p/ competição europeia
A temporada 2015/16 serviu para elevar o ânimo da fanática torcida dos Hammers. Além da boa campanha na última Premier League, que lhe garantiu a 7ª colocação e a qualificação para a UEFA Europa League, o time chegou as quartas-de-final da FA Cup, mas acabou eliminado no 'replay' para o time que acabaria com o título, o Manchester United.

Para a temporada 2016/17, o West Ham manteve seus principais jogadores, trouxe ainda alguns reforços e terá uma nova casa, o Estádio Olímpico de Londres. Portanto, as expectativas são ainda maiores de que o clube possa brigar por algum título ou, pelo menos, repita a campanha na competição nacional, que é considerada boa para as suas pretensões.


Chegadas: Manuel Lanzini (ex-Al Jazira Club); Toni Martinez (ex-Valencia); Havard Nordtveit (ex-Borussia Mönchengladbach); Sofiane Feghouli (ex-Valencia); Gokhan Tore (Emprestado/Besiktas); Domingos Quina (ex-Chelsea); Ashley Fletcher (ex-Manchester United),Andre Ayew(ex-Swansea),Fuka Arthur Masuaku(ex-Olympiakos),Jonathan Calleri(Dep.Maldonado/Empréstimo)

Saídas: James Tomkins (Crystal Palace); Stephen Hendrie (Emprestado/Blackburn); Elliott Lee (Barnsley); Jordan Brown (Hannover); George Dobson (Emprestado/Walsall); Kyle Knoyle (Emprestado/Wigan); Joey O'Brien (Sem renovação); Nathan Mavila (Sem renovação); Leo Chambers (Sem renovação);

Time-base: Adrián, Antonio(Byram), Reid, Ogbonna, Cresswell(Masuaku) ;Nordtveit, Kouyate; Payet,Noble,Feghouli;Carroll(Andre Ayew).


Linha de Fundo || @SiteLF
Premier League BR || @PLBrasil_LF 
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana