A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

domingo, 21 de agosto de 2016

Zica da Macaca: Palmeiras bobeia na defesa e segue sem vencer Ponte Preta no Allianz

Se existe um time que tem se dado bem quando enfrenta o Palmeiras dentro do Allianz Parque, esse time é a Ponte Preta. No seu terceiro jogo no estádio palmeirense após a reforma, o time campineiro segue sem perder: duas vitórias por 1x0 em 2015 e o empate deste domingo (21), mesmo saindo duas vezes atrás no placar.

Sem Barrios e Leandro Pereira, lesionados, o Palmeiras entrou em campo com Rafael Marques como centroavante, ainda que com toda liberdade de movimentação para atuar como o “falso 9” que ficou famoso quando utilizado pelo Barcelona. Na última partida sem Jesus, Rafa não foi mal e ainda foi decisivo ao aproveitar uma grande jogada de Roger Guedes – que não desistiu de uma bola que parecia perdida.

Se Rafael Marques decidiu na frente, o outro substituto estava no gol. Jaílson mostrou que merece ficar oficialmente com a vaga de Fernando Prass até o final do ano e cresceu para evitar o gol dos visitantes antes quando o placar ainda marcava 0x0. Não era um jogo de grandes chances, porém movimentado.

Rafa entrou bem como homem mais ofensivo, mas não foi suficiente para vencer. (Foto: Globo Esporte)
O segundo tempo manteve o ritmo acelerado e viu Tchê Tchê perder um gol incrível e ser salvo por um erro do bandeira ao marcar impedimento inexistente. Quem também errou foi a defesa palmeirense que não quis dar o famoso “chutão” para limpar uma jogada de perigo e viu Wellington Paulista livre para empatar. Não foi a única bobeada da tarde.

O gol de empate acordou o Verdão. Cleiton Xavier passou a participar mais do jogo, Dudu alternava os espaços dentro de campo e as chances começaram a parecer. Aranha salvou duas ótimas oportunidades, mas saiu de maneira bisonha do gol pouco depois e deixou tudo aberto para Thiago Martins colocar o alviverde na frente novamente.

A entrada de Thiago Santos, segundos depois, tinha como intuito proteger o setor defensivo com o placar nas mãos. Nem deu tempo, porém, do volante se ambientar em campo. Um erro juvenil da defesa palmeirense deixou Egídio correndo atrás do atacante da Ponte Preta. Novo empate.

Na base do abafa, o Palmeiras tentou uma pressão final desorganizada. Satisfeita com o resultado, a Macaca usou de cera e posse de bola para matar o tempo palmeirense que, a rigor, só voltou a assustar com bola parada.

O DESTAQUE: Boa movimentação e o gol colocaram Rafael Marques em evidência em um jogo apenas razoável do Palmeiras como time. Se houve alguma soberba contra a Ponte Preta, que esse jogo sirva de lição.

BOLA MURCHA: Depois de fazer ótima partida contra o Atlético-PR, Vitor Hugo falhou feio no primeiro gol da Ponte Preta que complicou o jogo. Além desse lance, a zaga palmeirense deu outros vacilos que poderiam ter dado ainda mais trabalho para Jailson.

Super Bacca! Milan vence o Torino na estreia do Calcio

O Milan começou a temporada do Campeonato Italiano com o pé direito. Ou melhor, com os pés de Bacca. O atacante colombiano marcou três vezes na vitória por 3 a 2 sobre o Torino, em casa, e mostrou todo o repertório que fez despertar o interesse de várias equipes em sua contratação. A partida teve emoção até o último lance, quando Belotti cobrou pênalti e o goleiro Donnarumma salvou o time de Milão.

O show de Bacca começou aos 38 minutos do primeiro tempo. Ele recebeu cruzamento da direita de Abate, meteu a cabeça na bola e correu para o abraço. Na volta do intervalo, o Torino ameaçou uma reação com Belotti, que aproveitou passe de Molinaro para concluir.

Porém, em um dia inspirado, Bacca fez mais dois para o Milan. O segundo gol veio após cruzamento de Niang. O atacante dominou e bateu sem chances para Padelli. E ampliou cobrando pênalti, aos 17 minutos, para deixar o Rubro-Negro com boa vantagem. Daniele Baselli descontou para o Torino. E aos 48’, Belotti perdeu um pênalti que poderia dar o empate para a equipe de Turim. Donnarumma defendeu.


MILAN: (4-3-3)

Donnarumma: 10 (A imagem define tudo!)
Abate e Antonelli: 7
Muito bem no apoio, e na marcação cumpriram bem o seu papel.

Romagnoli e Paletta: 6
Fez uma partida regular estava muito bem até falhar no primeiro gol do Torino. Já Paletta fica com a mesma nota fez uma partida boa apesar de ter cometido o pênalti no final.

Kucka - Montollivo - Bonaventura - Bertolacci - Poli: 8
Milan claramente teve uma evolução com Montella apesar de ser o primeiro jogo oficial da temporada, mais o meio de campo agora tem cara de Milan sem muitas ligações diretas e tranquilidade para armar o time e detalhe para Kucka que é um monstro!

Suso e Niang: 8
Fizeram muito bem a suas funções no lado de campo e destaque para Niang que fez uma belíssima partida, depois de Bacca e Donnarumma ele foi o jogador principal.

Bacca: 10000000
Faltam elogios para Carlos Bacca, desde a temporada passada defendi sua permanência, e já chegou fazendo hat-trick!

FORZA MILAN!

Saiba como foi a estreia do Atlético de Madrid na La Liga

A partida ficou empatada, apesar de vários chances do Atlético de Madrid. 
Atlético de Madrid apenas empatou com modesto Alavés em casa, na estreia da La Liga.

Os dois gols da partida (Gameiro, para o atlético e Manu Garcia, para o Alavés), foram todos nos acréscimos da partida. O Atlético começou bem no jogo. Logo no começo da partida, após passe de Gameiro, Saúl ficou na cara do gol, mas finalizou fraco e ficou fácil para o goleiro fazer a defesa.

O estreante Gameiro perdeu um gol incrível, depois da jogada de Juanfran. O atacante recebeu a bola de Koke, mas isolou, perdendo a chance de abrir o placar.

Carrasco também teve a chance dele. Após receber a bola do brasileiro Filipe Luís, dominou e finalizou, mesmo estando no meio de três marcadores do Alavés. A bola passou a direita do gol, sem muito perigo.

No segundo tempo, o Atlético de Madrid seguiu pressionando. Juanfran cruzou, Godín cabeceou, mas o goleiro do Alavés fez uma boa defesa e, mais uma vez, impediu o gol dos Colchoneros.

Torres teve a grande chance de abrir o placar, depois de jogada de Koke, o atacante ficou cara a cara com o goleiro, mas acertou a trave. O ataque do Atlético de Madrid estava sem sorte no jogo, a bola não entrava.

Chute do Fernando Torres, que parou na trave. Foto: Twitter oficial do Atlético.
Pouco tempo depois, Godín cabeceou, a bola sobrou para Gameiro, que se embolou todo e finalizou em cima do goleiro. Logo em seguida, veio a grande chance. Após pênalti sofrido por Torres, Gameiro foi para a cobrança e converteu, chutando firme no canto esquerdo. Atlético de Madrid 1 x 0 Alavés.

Até aí, todo mundo estava imaginando uma vitória sofrida do Atlético de Madrid, mas não foi o que aconteceu. Manu Garcia finalizou bem de fora da área e marcou um golaço, empatando a partida no fim do jogo.

Comemoração do gol do Atlético de Madrid. Foto: Twitter oficial do Atlético.
Nesta peleja, podemos ver a diferença que o Francês Griezmann faz para o Atlético. O time teve diversas chances - ao todo, foram 27 chutes, sendo seis na direção do gol, 13 para fora e oito bloqueados -, enquanto a equipe adversária teve apenas dois chutes e um gol.

O estreante Gameiro, apesar do gol, não finalizou bem, e perdeu muitos gols. Também é possível destacar a partida de Godín, Gabi, Koke e do atacante Fernando torres, que entrou no inicio do segundo tempo, no lugar de Gabi.

A próxima partida do Atlético será dia 27 de agosto, contra o Leganés, fora de casa, em jogo válido pela 2ª rodada da La Liga.

Rio 2016: Nado sincronizado, leveza e simetria nas piscinas

Equipe brasileira trouxe o carnaval para as piscinas (Foto: Satiro Sodre/SSPress/CBDA)
De 14 a 19 de agosto, beleza e harmonia tomaram conta das piscinas do Parque Aquático Maria Lenk. Um verdadeiro ballet subaquático, o nado sincronizado encantou os espectadores na Olimpíada Rio 2016. Em duas categorias (duetos e equipes), as competidoras puderam mostrar toda a sua graciosidade em duas apresentações: uma técnica, com movimentos obrigatórios, e outra livre.

Apesar de ter terminado fora do pódio, o Rio 2016 marcou a estreia da equipe brasileira em Jogos. Além disso, a Rússia confirmou o favoritismo e é soberana na modalidade, agora com nove ouros.

Duetos:

Duda Miccuci e Luisa Borges foram as atletas que representaram o Brasil na disputa do nado sincronizado em duetos. No primeiro dia de provas (14), as brasileiras fizeram uma homenagem à Amazônia. Em uma apresentação superdivertida, na qual imitaram diversos animais, como macacos, onças, pássaros e cobras, a dupla saiu da piscina aplaudidíssima.

Dueto brasileiro no segundo dia de apresentação  (Foto: REUTERS/Athit Perawongmetha)
No segundo dia de apresentação, o tema escolhido foi, novamente, tipicamente brasileiro: a capoeira. Com batuque, movimentos ágeis e esbanjando simpatia, Duda e Luisa levantaram o público presente no Maria Lenk. As meninas do Brasil, contudo, terminaram a fase de classificação no 13º lugar entre 24 participantes. Apenas uma posição atrás dos 12 classificados para a final, repetindo o desempenho de Lara Teixeira e Nayara Figueira há quatro anos em Londres e também em Pequim 2008. As brasileiras ficaram com nota total de 167.3341, somando as rotinas técnica e livre, contra 170.3304 do dueto da Áustria, as irmãs gêmeas Anna-Maria e Eirini-Marini Alexandri, que ficaram na 12ª colocação.

A Rússia, que ficou em primeiro nos últimos quatro Jogos Olímpicos, repetiu o sucesso na Rio 2016, com um incrível pentacampeonato. A final, que aconteceu na terça-feira (16), consagrou as russas Natalia Ischenko e Svetlana Romashina. Subiram ao pódio também as chinesas Xuechen Huang e Wenyan Sun, que ficaram com a prata, e em terceiro lugar as japonesas Yukiko Inui e Risako Mitsui.

Classificação final:

1º Rússia - 194.9910 - OURO
2º China - 192.3688 - PRATA
3º Japão -­ 188.0547 - BRONZE
4º Ucrânia - 187.1358
5º Espanha - 186.6357
6º Itália - 182.8079
7º Canadá - 179.8916
8º França - 174.2491
9º Estados Unidos - 173.9945
10º Grécia - 171.8550
11º México - 170.9935
12º Áustria - 170.5970

Disputa por Equipes:

Foi a primeira vez que o Brasil participou com uma equipe na disputa do nado sincronizado. Bia e Branca Feres, Lara Teixeira, Duda Miccuci, Luisa Borges, Maria Bruno, Pamela Nogueira e Lorena Molinos entraram nas piscinas do Parque Aquático Maria Lenk para fazer história. No primeiro dia de competição (18), as oito garotas se apresentaram ao som da banda australiana Spiderbait, com a música Black Betty, e som de motocicletas ao fundo na rotina técnica. As brasileiras terminaram o dia na sexta posição.

No segundo dia de prova, desta vez pela rotina livre, as brasileiras ousaram mais. Com o tema carnaval e sob o som de Ivete Sangalo, o grupo surpreendeu e empolgou o público, que foi ao delírio. O ponto alto da coreografia foi a representação do Cristo Redentor. A nadadora Lorena ficou "em pé" fora da água, com os braços abertos, fazendo referência a um dos maiores símbolos do país. A exibição manteve as brasileiras na sexta posição, com um total de 171.9985 pontos (84.7985 na rotina técnica e 87.2000 na rotina livre). Assim, o Brasil, único representante latino-americano do nado sincronizado por equipes na Rio-2016, terminou à frente de Egito e Austrália.

Lorena Molinos representa o Cristo Redentor (Foto: Satiro Sodré/SSPress)
O ouro na disputa por equipes também ficou com a Rússia. As atletas foram as melhores nas duas apresentações (técnica e livre|), somando 196.1439 pontos no total. A equipe do país emocionou ao fazer uma homenagem à neta da técnica Tatiana Pokrovskaya, que recentemente faleceu aos 15 anos de idade. A tragédia ocorreu enquanto Pokrovskaya estava montando a apresentação e suas emoções transpareceram no roteiro livre. A China levou a prata, após somar 192.9841 pontos, com apresentação regada a samba e batuque de escolas cariocas. Na terceira posição, com o bronze, o Japão, repetindo o pódio do dueto, com 189.2056 pontos somados.

Classificação final:

1º Rússia - 196.1439 – OURO
2º China - 192.9841 – PRATA
3º Japão - 189.2056 – BRONZE
4º Ucrânia - 188.6080
5º Itália - 183.3809
6º Brasil - 171.9985
7º Egito - 155.5505
8º Austrália - 149.5000

Janaína Wille, @janainawille

Altos vence, mas a classificação foi do CSA

Jogando em Teresina-PI, CSA perdeu para o Altos por 2x0, mas garantiu vaga para as quartas de final da Série D:

(Fonte:cidadeverde.com)
Altos-PI e CSA duelaram na tarde deste domingo, 21, em jogo que valeu um lugar nas quartas de final da Série D. O confronto, que teve início às 16h, no Estádio Lindolfo Monteiro, terminou com o placar de 2 x 0 para a equipe local, gols de Ricardo Maranhão e Vítor Bafana. Porém, como o primeiro encontro acabou com o triunfo azulino por 3 x 0, a equipe maruja conseguiu avançar para a próxima fase do torneio.

Apesar de jogar com boa vantagem, o time do Mutange resolveu dar um ar de emoção neste confronto de volta da terceira fase da competição. A equipe altoense abriu o placar aos 28 minutos da 1ª etapa e ampliou no início do 2º tempo, deixando o duelo eletrizante na parte final. Porém, o CSA conseguiu administrar o placar nos últimos minutos, e agora ficou a dois passos de obter o acesso para a Série C. O adversário da próxima fase ainda será conhecido.

Lucas André || @luc4s_andre
Linha de Fundo || @SiteLF

Perotti decide e Roma goleia

ROMA 4 x 0 Udinese

Começou a temporada 16/17 da Serie A na Itália! Roma e Udinese ficaram responsáveis por disputar o jogo de abertura da competição, no Estádio Olímpico. O time Giallorossi, que divide as atenções entre a liga e a Champions, foi para a partida com três alterações no time titular: Florenzi, De Rossi e Perotti foram poupados e deram lugar ao estreante Bruno Peres, Paredes e a El Shaarawy, além de Szczesny, que entrou no lugar de Alisson.

(foto: asroma.com)
Na primeira etapa a Roma teve dificuldades em passar pela retranca dos visitantes e quando conseguiu criar, pecou nas finalizações. Foram 10 tentativas, mas somente três acertaram o alvo. No segundo tempo a equipe Romanista foi pro tudo ou nada e, com grande participação dos laterais Bruno Peres e Emerson Palmieri, conseguiu furar a defesa da Udinese.

O jogo podia ser divido em antes de Perotti e depois de Perroti. O argentino entrou aos 57’ e marcou duas vezes de pênalti. O primeiro saiu depois de linda enfiada de bola de Peres para Dzeko, que cortou o marcador e foi derrubado. No segundo ele mesmo enfiou para Salah invadir a área e sofrer a falta. E ainda deu tempo para mais dois: Paredes deu belo passe para Nainggolan, que num bonito carrinho rolou para Dzeko marcar o 3º. Aos 84’ Perotti cruzou na cabeça de Salah, que perdeu na 1ª, mas não perdoou na 2ª e fechou o placar em 4 x 0. Passeio na capital italiana.

(foto: asroma.com)
A goleada dá muita moral para os Romanistas, que tem confronto pela Champions League no meio da semana. Jogando em casa, a equipe vai com tudo pra cima do Porto para garantir sua vaga na fase de grupos da competição. A partida está marcada para terça-feira (23/08). Pela Série A, a equipe só volta a campo no domingo (28/08), enfrentando o Cagliari.

Fellipe Vicentini || @_FellipeS

Buscando respeito

No último sábado (20) Goiás e Tupi se enfrentaram na abertura do segundo turno da Série B. Em um jogo travado, o esmeraldino bateu o galo de juiz de fora no apagar das luzes do Serra Dourada e respira um pouco mais aliviado na Série B, os três pontos serviram como motivação para o Goiás, que se encontra na busca para recuperar sua dignidade construída por campanhas vitoriosas no passado. Saímos de campo com a vitória, mas carregamos também uma enorme lista de erros que precisam ser reparados urgentemente.


O time entrou em campo pressionado, já que devido aos resultados da rodada, uma vitória nos tiraria da zona de rebaixamento. Logo aos 3 minutos de jogo, o Tupi teve uma chance claríssima de gol que assustou a todos, a bola de Octávio não entrou por muito pouco, e partir desse instante o Goiás acordou na partida. Com Léo Lima e Daniel Carvalho armando o jogo a equipe alviverde dominou a posse de bola, mas não conseguia achar espaços para finalizar. Quando achávamos alguma brecha, o Goiás pecava em suas finalizações e desperdiçava diversos ataques.

Não é de hoje a insatisfação com o desperdício de oportunidades de Carlos Eduardo. Contra o Sampaio Corrêa na ultima rodada, o atacante teve duas vezes em seus pés a chance de garantir três pontos e uma vitória para a equipe esmeraldina. Porém, relembrando seus bons momentos no campeonato goiano, o atacante recebeu um passe na intermediária e partiu pra cima da marcação, driblando dois defensores e finalizando no meio das pernas do goleiro Rafael Santos, 1x0 Goiás e fim de papo no primeiro tempo.

Carlos abria o placar, e aliviava a pressão sobre o elenco esmeraldino. Foto: globoesporte.com

No segundo tempo, ocorreu a estreia do lateral direito Edinei (que entrou no lugar de Daniel Carvalho) e Léo Sena foi encarregado da armação ao lado de Léo Lima. Quando todos nós esperávamos uma postura mais ofensiva da equipe, o técnico Léo Conde recuou o time novamente para segurar o placar. O Tupi cresceu na partida, e teve um segundo tempo com mais volume de jogo, novamente a falta de coragem esmeraldina custou caro com o empate mineiro aos 40 do segundo tempo. Após um chute de Hiroshi, a bola desviou na defesa e liquidou Ivan: 1x1 e o desespero dominava as arquibancadas (novamente).

Partimos para o desespero, finalizamos varias vezes e contamos com a sorte quando Léo Lima cabeceou a bola cruzada por Cassiano para marcar o gol e garantir os três pontos para o Goiás. Finalmente o "azar" que perseguia a equipe nos últimos minutos de jogo foi cessado e saímos de campo com a vitória.

Léo Lima marcava aos 45 minutos do segundo tempo para garantir a vitória esmeraldina. Foto: globoesporte.com
Mesmo com a vitória, o Goiás tem uma série de detalhes que precisam ser concertados para termos um segundo turno melhor. Léo Conde falha ao recuar o time nos últimos momentos da partida, já que não temos defesa para segurar o placar e muitas das vezes que levamos o gol no final do jogo, estamos em melhor momento que o adversário. Outro defeito a ser notado é o ataque, com Walter ainda assinando contrato e Marcão machucado, os atacantes disponíveis desperdiçam diversas chances importantes ao nosso favor. Léo Gamalho irá estrear contra o Londrina e espero que novamente possamos contar com um homem de referencia na frente, afinal, precisamos recuperar nosso respeito nesse campeonato.

Linha de Fundo ll @SiteLF

West Brom leva virada em casa e Everton ganha a primeira

West Bromwich e Everton entraram no campo do The Howthorns, em jogo válido pela 2ª rodada da Premiere League 16/17. O time da casa, que estreava diante da sua torcida, vinha embalado pela vitória contra o Crystal Palace na rodada inaugural. Já o time azul de Liverpool precisava se recuperar depois de perder dois pontos em casa, diante do Tottenham.

Jogadores do Everton(ao fundo) comemorando, enquanto o goleiro Foster desaba após não conseguir evitar o gol do Everton. (Fonte: MirrorFootball)
O jogo começou e não demorou muito para o placar ser alterado. McAuley aproveitou escanteio cobrado por Gardner e abriu o placar para os donos da casa. Depois do gol inaugural, esperava-se que o jogo melhoraria, mas não foi oque aconteceu. Com muitas faltas e poucas chances claras de gol, o West Brom segurava o resultado enquanto o Everton tentava chegar ao empate. O time visitante, que tinha uma posse de bola maior, passou a arriscar mais e perder chances com Barry e Baines. Mas não demorou pra enfim os Toffees empatarem o jogo, com Mirallas no último lance do 1º tempo.

O zagueiro McAuley comemora o único gol do West Brom na partida. (Fonte: MirrorFootball)
Com o jogo aberto, as duas equipes voltaram do vestiário dispostas a mudar a partida. Com uma postura bem diferente, o Everton começou a dominar a partida e, pressionando os donos da casa, chegaram ao gol da virada com Barry que aproveitou escanteio cobrado por Holgate. Após o gol, o técnico Pulis, do West Brom fez duas alterações, para tentar melhorar o desempenho do meio campo dos donos da casa. Mas oque se viu foi o Everton dominando mais ainda o jogo. Nos últimos 10 minutos, na tentativa de sufocar o Everton para chegar ao empate, o West Brom quase levou o 3º gol. Mas não adiantou de nada a pressão. Final de jogo: West Bromwich 1x2 Everton

Barry comemora com Lukaku o gol da vitória do Everton. (Fonte: MirrorFootball)
West Bromwich: O resultado foi melhor que o futebol apresentado

O início da partida não poderia ter sido melhor para o Albion. Com o gol marcado, o time teria mais tranquilidade para conduzir a partida. Mas a má atuação do time pós-gol chamou a atenção. Tendo os mesmos problemas de (falta de) finalização do ano passado, o time se viu sucumbir pela posse de bola do Everton, não conseguindo ameaçar para marcar o 2º gol. Mesmo depois de levar os dois gols do Everton, o West Brom não mudou a postura, e não conseguia armar boas jogadas com seu meio campo, que parece estar muito distante do ataque.

Resumindo: O time precisa melhorar a posse de bola, ficar mais com ela em seus pés; Diminuir o buraco entre meio campo e ataque, Berahino e Rondón parecem jogar isolados na frente. E o mais importante, melhorar as finalizações, e chutar mais ao gol. O time precisa se impor mais, principalmente em casa, onde o time terá mais chances de pontuar. Mas não começou bem. E se partir desse jogo, o West Brom será forte candidato à degola. A primeira chance de mudar esse panorama dentro de casa será já na próxima rodada, quando o West Brom receberá o Middlesbrough, no domingo dia 28 às 09h30min.

Everton:

Foram dois tempos distintos do Everton, no primeiro tempo até conseguiu estar com a bola, mas faltou eficiência, era muito passe e pouca ofensividade, troca de passes que, aliás, foi muito lenta. Tecnicamente o primeiro tempo foi fraco no geral, mas analisando somente o lado dos toffees, faltou transformar o bom número da posse de bola em chances efetivas de gol, e esse era o objetivo, já que Koeman sacou McCarthy e colocou Lukaku, logo aos 37 minutos. É nítida a diferença do time com a qualidade ofensiva de Romelu Lukaku, e a evolução do Everton foi nítida, já que passou a ter um jogador forte que consiga segurar a bola na frente, além da qualidade no passe, sem falar no forte poderio de finalização. Os nossos gols do clube azul de Liverpool foram anotados por Mirallas e Barry (quem diria), um em cada tempo. Sendo mais breve, essa vitória traz um pingo de esperança para o torcedor dos toffees, algo do tipo “essa temporada vai”, pois apesar do físico ter pesado, mas o Everton fez uma boa partida contra o Tottenham na primeira rodada, pena que a vitória escapou, mas é de se empolgar, Ronald Koeman deu outra cara ao futebol dos toffees e o time está jogando bem (apesar de ter feito um primeiro tempo ruim contra o West Brown).

Próximo jogo do Everton: Vs. Stoke City (Goodison Park, 11h, 27/08)

Técnico do Koeman(à esquerda) ganhou a primeira no camando do Everton, enquanto Pulis terá muito trabalho à frente do West Brom. (Fonte: MirrorFootball)
West Bromwich:
Foster | Dawson, Evans, Olsson, McAuley | Yacob, Fletcher, Gardner (McClean), Philips (Leko) | Berahino (Lambert), Rondón | Técnico. Tony Pulis

Everton:
Stekelenbug | Holgate, Funes Mori, Jagielka e Baines | McCarthy (Lukaku), Gueye, Barry, Mirallas (Williams) e Barkley | Deulofeu (Bolasie) | Técnico: Ronald Koeman 

Rio 2016: Da corda no pescoço a medalha no peito, o ouro da superação

Quando está suficientemente escuro, você consegue ver as estrelas”; essa frase define bem o que foi a olimpíada para a seleção masculina de vôlei, que se encontrou em um momento difícil, se fecharam e jogaram por toda uma nação, e conquistando a glória máxima, o ouro. Foi lindo, foi difícil, mas foi EMOCIONANTE, digamos que foi a cereja do bolo para o Brasil nesses Jogos Olímpicos, o qual todo mundo conheceu histórias incríveis, mas se emocionou com o time de Bernardinho & Cia.

Geração de ouro! Foto: DW
O ouro encerrou mais um ciclo olímpico, mas ele encerrou também a carreira de Serginho; e não teve forma melhor, hein, Escada?! Quatro finais olímpicas, duas pratas (2008 e 2012) e dois ouros (2004 e 2016), um verdadeiro mito do esporte brasileiro, que como todo ciclo na vida, encerrou o seu na seleção, e a gente só tem a agradecer, por tudo que ele nos deu, por todas as alegrias e por todas as conquistas com que choramos. Outra coisa legal de se ressaltar nessa seleção foi a superação, que de quase eliminado, terminamos dando show, batendo a Rússia por 3 a 0 na semifinal e a Itália na final, com outro 3 a 0.

Obrigado por tudo Serginho! Foto: oglobo.com
Se o Lucarelli não jogou tudo o que podia (até por jogar no sacrifício na fase decisiva), o nosso Wallace compensou, aos olhos de todo mundo foi o grande craque da competição, fazendo partidas em extremo alto nível, e sendo peça fundamental para a seleção. Apesar de Wallace ser o craque, mas há de se ressaltar as GRANDES partidas que o Lipe fez nos dois últimos jogos, sendo seguro nos ataques e eficiente demais no saque. No mais, todos foram bem demais, Serginho escada um monstro da defesa, Bruninho muito lúcido na armação, Maurício Souza entrando e mudando o jogo, enfim, todos, mas em especial tem um cara que merece todos os elogios possíveis, e esse monstro se chama Bernardinho, que conquistou SETE medalhas olímpicas (6 como treinador e uma como jogador), número para ninguém botar defeito, e o esporte brasileiro só tem que agradecer a essa lenda viva!

E foi isso, campeões olímpicos, a coroação para essa geração guerreira demais, e a cereja no bolo da carreira brilhante do Serginho escada. 

Um grupo com muita raça! Foto: oglobo.com

Voltando do segundo turno com raça

No último minuto, Rubrão faz o gol e garante empate contra o Dragão no Serra Dourada.

Parece que esses aproximadamente 15 dias de treinamento em Sorocaba sem jogo por causa da Olimpíada fez um pouco de efeito, vimos nessa volta do segundo turno o time do Oeste jogando com raça, jogando de igual pra igual, correndo atrás do resultado. Diferentemente como foi na partida de ida contra o mesmo Atlético-GO, naquela ocasião era um time totalmente diferente, treinador diferente, tipo de jogo, enfim era um time desorganizado.

Foto: Reprodução/Globoesporte.com
Logo de início a partida já começou bem truncada, com os dois times indo pra cima e o Oeste incrivelmente esboçando uma pressão adversária, porém em uma infelicidade rubro-negra oestina o Dragão abriu o placar aos 25 minutos da primeira etapa. Em seguida o Rubrão até tentou descontar com Crysan aos 30', mas infelizmente foi marcado impedimento.

Na segunda etapa, a partida não foi muito diferente, o mandante indo atrás de ampliar o placar e que, aliás, por pouco não conseguiram e o Rubrão indo atrás do empate. Aos 23 minutos em uma boa jogada do Léo Arthur que arriscou de fora da área, porém o goleiro do Atlético conseguiu fazer a defesa. Diniz mexeu bem no time, colocando o estreante Marquinho que entrou bem na partida e empatou a partida no finalzinho para o Oeste, aos 47 minutos.

Particularmente eu gostei da atuação do Oeste em Goiânia, mostrou uma equipe diferente, com raça e é assim que tem que ser e é o que nós queremos. Um empate fora de casa contra o Atlético-GO, um time que está no G4 é de se comemorar mesmo, temos que lutar até o fim, nunca se entregar em campo. Precisa melhorar seu desempenho em casa que é essencial.

O Rubrão terá mais uma semana para se preparar pra próxima partida que será realizada em Barueri diante do Paysandu no próximo sábado às 16h. É a hora de se distanciar de vez do Z4 e almejar algo melhor na competição.

VAMOS OESTE!

Césare Boralli || @cesareboralli
Linha de Fundo || @SiteLF

Real Madrid estreia com vitória na La Liga


Pela primeira rodada da La Liga Santander, o Real Madrid viajou até San Sebastián para enfrentar a Real Sociedad no Anoeta. Sem Cristiano Ronaldo, Benzema e Modric, o vasto elenco de Zidane não enfrentou dificuldades para se encontrar em campo e venceu por 3x0 sem sustos.

O clube merengue saiu na frente logo no primeiro minuto de jogo, Carvajal fez um belo cruzamento e encontrou Gareth Bale, que subiu mais alto e cabeceou para o fundo das redes de Rulli, fazendo 1x0. Após o gol, o time vasco segurou a bola fazendo o Madrid trabalhar na defesa, a tática não deu resultado, já que poucas chances foram criadas e em boas oportunidades a bola apanhou de Illarramendi - que ficou sozinho frente a frente com Kiko Casilla e preferiu tocar para ninguém na área.

Morata abraça Asensio após o gol do camisa 20. Foto: Getty Imagens
Ainda no primeiro tempo, o segundo gol saiu de um lançamento monumental de Varane que parou nos pés de Asensio, com calma ele encobriu argentino Rulli e fez um golaço no Anoeta.

A segunda etapa começou sem mudanças, a Real Sociedad buscava criar chances que paravam em seus próprios erros. No Real Madrid, Morata continuou a fazer um ótimo jogo como pivô, sua boa movimentação e seus bons passes criaram boas chances para os blancos. Chutes de Kovacic e Kroos passaram perto de aumentar o placar.

Aos 66 minutos Zidane tirou Marco Asensio para colocar Lucas Vázquez. Logo na primeira jogada o jovem lançou Gareth Bale que foi parado com falta na meia lua. A mudança não alterou a forma merengue de se comportar em campo, as boas chances continuaram a chegar. Pouco depois, aos 73 minutos, Kroos saiu para dar chance a Isco, e aos 74 Morata deixou o campo após boa atuação para James Rodriguez jogar. Na primeira vez que tocou na bola, o colombiano achou Isco bem colocado na área e criou uma ótima oportunidade do terceiro gol.

O time inicial do Real Madrid: Casillas. Carvajal, Varane, Ramos, Marcelo.
Kroos, Casemiro, Kovacic. Asensio, Morata e Bale. Foto: Getty Imagens
No último minuto de jogo Gareth Bale recebeu sem goleiro, sem marcador e fez o seu segundo gol no jogo, o terceiro da equipe de Madri.

A estrada é longa e o caminho é repleto de possibilidades para Zinedine Zidane. Com tantos talentos treinando em Valdebebas, os dois primeiros jogos da temporada demonstram que difícil mesmo vai ser aguentar a pressão da imprensa por deixar James Rodriguez no banco, enquanto tanto Lucas Vázquez quanto Marco Asensio demonstram ser uma opção muito melhor.
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana