A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

É teste para cardíaco

Em jogo emocionante de seis gols, Oeste e Paraná empatam e saem frustados


Logo no início da partida, percebia-se que o Oeste estava bem perdido em campo e não parecia a mesma equipe de outras rodadas, aquela que, mesmo não conseguindo grandiosos resultados, jogava com raça. Não serei hipócrita, o time fez um primeiro tempo horrível, mal conseguia tocar a bola. A posse de bola era total do adversário, tanto é que o Rubrão acabou saindo atrás no placar com diferença de dois gols.

O técnico do Oeste saiu frustrado com o desempenho da equipe na primeira etapa, porém parece ter tido uma boa conversa no vestiário, visto que o time entrou com outra postura, jogando pra frente, arriscando e fazendo o goleiro do Paraná trabalhar, coisa que não estava acontecendo anteriormente. A reação começou a caminhar para o clube de Itápolis logo aos 26 minutos da segunda etapa após bom toque de bola entre Marquinho e Crysan, que finalizou bem para o fundo da rede. 

O Rubrão não queria de nenhuma forma sair derrotado naquela tarde e não desistiu. Foi para cima e aproveitou o "desligamento" do time do Paraná. Oito minutos depois de ter feito o gol, o Oeste conseguiu o empate com Marquinho, que para mim foi o homem do jogo, aos 34'. E você acha que o rubro-negro se contentava com o empate naquela altura da segunda etapa? Não mais. A equipe foi para cima e, aos 42', Rodolfo em uma belíssima cobrança de falta virou o jogo de forma incrível e guerreira, fazendo o Diniz comemorar como se não houvesse amanhã.

Porém, como o jogo só acaba quando o árbitro apita, conforme a lógica, no último SEGUNDO, sim no último segundo, o Paraná conseguiu empatar em uma boa jogada pela linha de fundo, frustrando o time oestino. Bom, ao meu ver, se o Oeste jogar todos os jogos como fez no segundo tempo, não cai para a terceira. Se mostrou um time guerreiro e é assim que tem que ser. Mas não pode vacilar e tomar dois gols no primeiro tempo, nem sempre vai conseguir reagir como foi no sábado.  

Daqui para frente é só pedreira, iremos enfrentar nada mais, nada menos que o líder dessa Série B, o Vasco da Gama, no sábado, em São Januário, às 16h30. Tem uma semana para se preparar e, quem sabe, surpreender o mandante. Futebol é uma caixinha de surpresas. 

Césare Boralli || @cesareboralli
Linha de Fundo || @SiteLF

A situação fica cada vez mais complicada

O Criciúma pegou o CRB em casa com um único objetivo: ganhar. O esquema tatico que Cavalo mandou a campo não foi tão ruim, com três volantes volantes, Felipe Guedes, Barreto e o motorzinho Douglas Moreira, e um meia, Alex Maranhão, na frente Jheimy e Roberto.


Os três volantes jogaram muito bem, povoando o meio e ajudando o ataque. Alex Maranhão ficou sumido o primeiro tempo inteiro, enquanto Jheimy jogava de mochila e Roberto estava bem até. Por último e não menos importante, a defesa, os zagueiro Raphael Silva e Giaretta foram muito bem e os laterais foram fenomenais. O estreante PC Magalhães, pela direita, esteve muito bem e colocou o atacante Luidy no bolso; pela esquerda, Niltinho foi bem, dando uma bela assistência para Jheimy, que não estava bem na partida, abrir o placar no Heriberto Hulse. 

O CRB pressionou em boa parte do primeiro tempo. Já o Criciúma esperava um erro para sair em contra-ataque e, quando não dava, trocava passes esperando sempre uma brecha da defesa do time nordestino. A etapa inicial acabou 1x0 para o time carvoeiro.


No segundo tempo, os carvoeiros voltaram melhores. Apesar das várias "vaciladas" da defesa adversária, nada de gol. No meio da etapa complementar, os nordestinos equilibraram o jogo e partiram para o tudo ou nada. Felipe Guedes se machucou, eles não realizaram o fairplay e, depois de alguns minutos, gol do CRB. Lamentável.   

O torcedor carvoeiro não aguenta mais pontos perdidos dentro de casa com empates bobos e derrotas mais bobas ainda. De quem é a culpa? Do nosso querido treinador, que está conseguindo apagar tudo que fez de bom quando era jogador pelo tigre catarinense. O Criciúma foi o time que ele mais atuou, com 159 jogos e 53 gols marcados, e ganhou o maior título dos clubes de Santa Catarina, a Copa do Brasil de 1991. Infelizmente a torcida está pegando ódio dele. 

Enfim depois desse empate, o Criciúma volta a campo contra o Avaí na Ressacada sábado (9), às 16h.

"Nós vamos te apoiar até o final" 

@gabrielcec__

A procura do Ceará no segundo turno

Ridículo, vergonhoso e patético são apenas algumas palavras que resumem bem a atual fase do Ceará na Série B. Contando com os dois empates nos últimos dois jogos do primeiro turno, contra Paraná e Vasco, são seis empates e também seis pontos perdidos dentro de casa. Seis pontos para quem quer subir é muita coisa, o mais pífio de tudo é que, nas três ultimas partidas, o alvinegro jogou com um jogador a mais por no mínimo 20 minutos e ficou pior, criava menos ainda e perdia chances claras.

É difícil entender o que está se passando no Ceará, não só dentro de campo. Parece existir uma falta de vontade de certos jogadores que não fazem absolutamente nada, nem um mínimo esforço vem dessa meia duzia de mortos. A diretoria, omissa, fala que não tem dinheiro para contratar e anunciou, na tarde desta segunda-feira (5), anunciou os últimos 3 reforços para o restante da temporada. Vale destacar a contratação do zagueiro André Paulino, vindo do Botafogo/PB, onde era reserva. Onde diabos estão com a cabeça trazendo um reserva de Série C? É inacreditável o tamanho amadorismo dos nossos dirigentes. 

A partida contra o Avaí foi apenas mais uma dessas terríveis atuações, poucos chutes a gol, chances perdidas e as melhores oportunidades foram do time visitante. Vale lembrar também a falta de criatividade de jogadas na equipe do Ceará e o gol perdido pelo fraquíssimo William Henrique, jogador extremamente limitado que perdeu o gol mais feito em todo confronto. Está mais do que na hora de ligar o sinal de alerta depois desse 0-0, não vamos deixar que seja que nem 2014, quando o time chegou a também liderar a Série B e não subiu. Que bom que, nessa oportunidade, o treinador Sérgio Soares é o menos culpado, faz o que pode com fraquíssimo elenco que temos.


(Foto: Christian Alekson/ CearáSC)
Na próxima rodada, o Ceará enfrenta o Goiás fora de casa, jogo que será ainda mais complicado depois da imatura expulsão do atacante Bill, aos 48 minutos do segundo tempo. É esperado que a postura do Vozão pelo menos mude, mude para melhor, pois já não sei se dá para ficar pior do que está.

Linha de fundo | @SiteLF
Thomaz Gomes | @thomazgomes_

Com pintura de Camilo, Botafogo vence e sobe no Brasileirão

Sob olhares desconfiados, o Glorioso entrou em campo diante do Grêmio pelo Campeonato Brasileiro, na tarde deste domingo (4), na Arena Botafogo, mesmo palco do vexame protagonizado na última quinta-feira (1), na Copa do Brasil. Com algumas mudanças, o Alvinegro fez um bom jogo e, sem dificuldades, venceu por 2 a 1. O destaque foi a obra de arte feita por Camilo, que de bicicleta, marcou um gol de placa. A vitória fez com que o Botafogo chegasse aos 29 pontos. O clube agora é o 11º colocado e volta a jogar na próxima quarta (7), feriado, contra o Fluminense. É dia de clássico vovô na Ilha do Governador.   

O JOGO

A equipe comandada por Jair Ventura fez uma ótima exibição no primeiro tempo. Com apenas 2 minutos, o Botafogo levou perigo. Neilton tocou para Camilo, que deixou Bruno Silva livre para pegar de primeira. A bola passou rente à trave. No minuto seguinte, o Glorioso marcou o gol. Luis Ricardo lançou para Sassá, que na disputa com o goleiro gremista, viu a bola sobrar limpa para Neilton só empurrar para o fundo das redes. A arbitragem, no entanto, anulou o gol, em lance confuso. O Alvinegro fazia uma marcação forte, principalmente no meio de campo e dificultava a vida do time gaúcho. 

Aos 20 minutos, eis que Camilo marcou simplesmente o gol mais bonito do Campeonato Brasileiro, pelo menos por enquanto. Foi uma pintura, uma verdadeira obra de arte. A jogada em si foi muito bonita. Bruno Silva abriu para Luis Ricardo, que cruzou de primeira, na medida, para o camisa 10, que de bicicleta, fez gol digno de prêmio Puskás. Botafogo 1 a 0. 

Camilo marcou gol de placa na Arena (Foto: Vitor Silva/ SS Press/ Botafogo)
O segundo gol poderia ter saído já aos 23', em outra boa jogada. Neilton levantou a cabeça e encontrou Sassá. O atacante fintou o zagueiro Kannemann mas chutou muito forte. Faltou capricho. Aos 28 minutos, Jair Ventura foi obrigado a fazer uma substituição. Fernandes, com dores, saiu e deu lugar ao experiente Dudu Cearense. Na sequência, o Alvinegro ampliou o placar. Luis Ricardo colocou na medida para Sassá, que chutou forte no gol de Bruno Grassi. Enquanto isso, o Grêmio não levou perigo no primeiro tempo, que terminou aos 46' com vantagem botafoguense.

O Botafogo voltou com a mesma formação para a etapa final. E no primeiro minuto, Neilton recebeu nas costas da zaga gremista, driblou dois e tocou para Sassá, mas Kannemann chegou a tempo e mandou a bola para escanteio. Aos 16', Sassá pediu para sair após leve incômodo. Rodrigo Pimpão foi o substituto. Aos 33', o Grêmio chegou a marcar, mas com Luan e Kannemann impedidos, a arbitragem logo anulou o gol. O time gaúcho, no entanto, diminuiu no minuto seguinte. Ramiro ajeitou, Luan tocou na frente e Batista, mesmo sem ângulo, ganhou de Sidão, que falhou e fez o gol. Na jogada, Luis Ricardo, ao tentar tirar a bola, fraturou o tornozelo e teve de ser substituído por Emerson Silva. Apesar do gol sofrido o Glorioso segurou o Grêmio e aos 50' pôde comemorar a importante vitória. Botafogo 2 a 1.  

OBSERVAÇÕES

A vitória foi importante para o Botafogo se distanciar da zona de rebaixamento. O triunfo ajudará a melhorar o ambiente alvinegro, certamente abalado pelo deslize na Copa do Brasil. 

O Botafogo é outro desde que Camilo chegou ao time. O camisa 10 marcou um gol de placa que merece ser visto inúmeras vezes. Foi o gol mais bonito do Campeonato (sem clubismo).

Luis Ricardo foi fundamental. Cruzou na medida para Camilo e deu assistência para o gol de Sassá. Infelizmente, como há coisas que só acontecem com o Botafogo, o lateral saiu da partida com fratura no tornozelo e só voltará a jogar em 2017. É uma perda enorme para o Glorioso, que terá que se virar sem ele. 

Joel Carli voltou a ser titular para não sair mais. O zagueiro argentino é muito mais seguro. 

Sassá também merece destaque. Com o gol marcado, o atacante é agora um dos artilheiros do Campeonato Brasileiro, com 10 gols. 

FICHA DO JOGO

Botafogo 2
Sidão, Luis Ricardo (Emerson Silva), Joel Carli, Emerson Santos, Victor Luis; Airton, Bruno Silva, Fernandes (Dudu Cearense), Camilo; Neilton, Sassá. Técnico: Jair Ventura. 

Grêmio 1
Bruno Grassi, Edilson, Kannemann, Wallace Reis, Marcelo Oliveira; Walace (Ramiro), Maicon (Kaio), Jaílson, Douglas; Luan, Henrique Almeida (Batista). Técnico: Roger Machado. 

Estádio: Arena Botafogo (RJ). 
Árbitro: Wagner Rewat (MT). 
Assistentes: Eduardo Gonçalves da Cruz (MS) e Fabio Rodrigo Rubinho (MT). 
Gols: Camilo (20' do 1º T); Sassá (28' do 1º T); Batista (34' do 2º T). 
Cartões amarelos: Joel Carli, Emerson Santos e Airton (Botafogo); Edilson, Ramiro, Maicon e Luan (Grêmio). 
Público: 5.199. 
Renda: R$ 143.720,00. 

Por: Gabriel De Luca (@biel_dluca). 

Na estreia de "Big Sam", Inglaterra sofre, mas vence

Após o vexame na última competição oficial, Roy Hodgson deixou o comando dos The Lions e Sam Allardyce assumiu, com o objetivo de levar a seleção à próxima Copa do Mundo na Rússia em 2018. Na estreia do novo treinador, a Inglaterra enfrentou a Eslováquia neste domingo (04), pela 1ª rodada das Eliminatórias na Europa.


O ex-técnico do Sunderland fez a sua estreia pelos The Lions (Foto: The FA via Getty)
Para a partida, o "Big Sam" optou pelo 4-1-4-1 (Hart; Walker, Cahill, Stones e Rose; Dier, Henderson e Rooney, Sterling e Lallana; Kane), com o camisa 10 na armação. O capitão, inclusive, chegou a marca de 166 jogos com camisa da seleção e superou David Beckham, se tornando o segundo jogador que mais atuou pelos The Lions.

Em relação ao jogo, Rooney e cia não tiveram uma grande atuação, tendo dificuldades na criação de jogadas. Com um primeiro tempo morno e mesmo com um jogador à mais durante boa parte do segundo tempo, a Inglaterra sofreu diante de uma Eslováquia retrancada, mas conseguiu sair com a vitória magra.

O JOGO

Os primeiros 45 minutos foram de um jogo sem muitas emoções. Com mais posse de bola, a Inglaterra esteve mais presente no campo de ataque e tentou furar a retranca adversária, sem sucesso. A Eslováquia, por sua vez, foi bem efetiva na sua proposta de jogo e esperava um erro do adversário. 

E ele veio. Aos 37', Rose vacilou dentro da área, Mak cruzou com muito perigo e ninguém apareceu para empurrar a bola para as redes. No minuto seguinte, Sterling deu a resposta, batendo cruzado. Entretanto, as equipes voltaram para os vestiários com o placar zerado.

Sem mudanças na equipe, a Inglaterra voltou do intervalo com uma postura diferente, levando mais perigo ao adversário. Porém, as coisas só ficariam mais fáceis a partir dos 12', quando Skrtel deu um pisão em Kane e foi expulso merecidamente.

Após o lance, o jogo virou um ataque contra defesa definitivamente, já que só a Inglaterra teve chances de marcar. Não demorou muito para que Sam Allardyce mexesse na equipe, colocando Dele Alli, Walcott e Kane nos lugares de Henderson, Sterling e Kane, respectivamente. Aos 30', Lallana finalizou bem, mas carimbou a trave. 


Lallana marcou o seu primeiro gol pela seleção inglesa (Foto: Action Images via Reuters)
Já nos acréscimos, o empate parecia prevalecer, mas as redes ainda seriam balançadas mais duas vezes. Na primeira delas, o gol de Walcott foi mal anulado, já que o passe veio do zagueiro eslovaco. Porém, ainda daria tempo de Lallana "salvar a pele" da seleção inglesa e da arbitragem, no último lance da partida. Após cruzamento de Rose, a defesa afastou mal, o camisa 11 finalizou fraco e o Kozácik aceitou, decretando a vitória inglesa.

Com o resultado positivo, a Inglaterra somou os primeiros três pontos nas Eliminatórias e lidera o Grupo F ao lado da Escócia - que tem saldo melhor -, em um grupo que também é composto por Eslováquia, Eslovênia, Lituânia e Malta. Na próxima rodada, o English Team fará a sua primeira partida em casa no dia 08/10, diante de Malta. 

Por: Marcelo Júnior || Twitter: @marcelinjrr / @SiteLF / @PLBrasil_LF

CSA garante vaga para Série C em duelo inesquecível

Um jogo mais do que emocionante. CSA e Ituano fizeram um confronto inesquecível, principalmente para o torcedor Azulino, que saiu do Estádio Rei Pelé neste domingo chuvoso com muito entusiasmo e orgulho de sua equipe. 

Cerca de 8 anos separaram o CSA da Série C, mas agora tudo mudou e a equipe já tem acesso garantido na competição. A batalha continua na Série D e o time já conseguiu o objetivo principal, que era o acesso a 3° divisão. Porém, porque não pensar no título da Série D? Capacidade e bom futebol o time já mostrou que tem de sobra, resta agora continuar no mesmo ritmo e o título virá por consequência.

O JOGO:

1°TEMPO

Em jogo decisivo, CSA e Ituano-SP se enfrentaram na tarde deste domingo (4) no Estádio Rei Pelé. O confronto, que teve início às 16h, terminou com o placar de 1x0 para o time Azulino, gol do artilheiro Cleyton, um dos destaques da equipe na partida. Como o Azulão já havia conquistado uma vitória fora de casa por 2x1 no jogo de ida, o clube Alagoano conseguiu o acesso para a 3° divisão, será um dos 20 clubes que desputaram a Série C em 2017 e continua na briga pelo título da Série D desse ano.

O duelo começou debaixo de chuva no Estádio Rei Pelé. O CSA mostrou inteligência e tranquilidade nos primeiros instantes e estava perto de encontrar o primeiro gol. Aos 5 minutos, Rayro levantou a bola na área, o goleiro Fábio se atrapalhou e por pouco Jônatas Obina não empurrou a redonda para dentro da rede paulista. Aos 10', a chuva deu uma trégua e as equipes buscavam atacar com velocidade para surpreender os defensores.

Sempre colocando agilidade em suas investidas, o Azulão chegou com perigo aos 19 minutos. O lateral-direito Denílson avançou e arrematou forte, mas Fábio conseguiu espalmar e salvar o Galo Carijó. Aos 21', Bismarck cobrou tiro livre para a área e Douglas Marques desviou de cabeça para a linha de fundo. O rubro-negro tinha mais posse de bola quando o relógio marcou 25 minutos, mas o arqueiro azulino ainda não tinha trabalhado com mais intensidade neste duelo.

O artilheiro Cleyton, até o momento pouco acionado, resolveu mudar a história da partida aos 32 minutos. Após uma tabela com Washington, Obina avançou pela esquerda de ataque e cruzou rasteiro para o camisa 7, que de "chapa" mandou a bola para o fundo da meta do Ituano-SP e levantou a massa azulina no Estádio Rei Pelé. Com o placar parcial de 1x0, o Azulão estava ficando mais perto do acesso para a terceira divisão nacional.

O Ituano teve uma oportunidade de deixar tudo igual aos 39 minutos, mas o volante Guly cobrou falta na meia-lua da grande área e finalizou por cima do gol de Jeferson. Aos 44', Simião escapou pelo setor esquerdo e levantou a bola para Marcão, que se antecipou aos marcadores e cabeceou para fora das quatro linhas. O centroavante, inclusive, era o mais procurado pelos jogadores do time paulista. Após três minutos de acréscimos, o árbitro encerrou a primeira parte de futebol.

2°TEMPO

Modificados, os times retornaram para a segunda etapa. Aos 4 minutos, Bismarck encontrou Obina em boas condições de marcar o segundo, mas Fábio saiu bem do gol e dividiu com o atacante azulino. O rubro-negro voltou com maior preenchimento de atletas no setor de ataque e, aos 8 minutos, o meia-atacante Morato tentou surpreender o goleiro Jeferson em cobrança de falta, mas o camisa 1 do time marujo colocou a bola para escanteio.

A equipe paulista vinha melhorando seu desempenho, enquanto o CSA começou a errar alguns passes na defesa. Em seguida, foi a vez de Cleyton experimentar de fora da área e Fábio, com muito esforço, espalmou para escanteio. Para dar mais velocidade nas jogadas, o técnico Oliveira Canindé tirou Bismarck de campo e escalou Katê.

O time marujo voltou a tomar as ações do duelo e esteve perto de ampliar o marcador na metade do tempo final. Aos 25 minutos, Obina avançou sozinho pela esquerda e, mesmo sem ângulo, conseguiu arrematar para a boa defesa do goleiro Fábio.

Três minutos depois, Cleyton tabelou com Katê e chutou rasteiro para o arqueiro da equipe paulista aparecer mais uma vez. Nas arquibancadas do Estádio Rei Pelé, a torcida do CSA já começava a comemorar o acesso e entoava os cantos já conhecidos pelo torcedor.


O Ituano-SP tentou pressionar na reta final da partida. O zagueiro Naylor quase igualou o placar aos 35 minutos quando, após cobrança de falta do goleiro Fábio, o jogador subiu de costas para o gol e desviou à esquerda da meta da equipe do Mutange. Aos 48', o zagueiro novamente subiu para cabecear, mas Jeferson espalmou para longe. O árbitro finalizou a partida e o CSA conseguiu a tão sonhada vaga para a Série C 2017.


Lucas André || @luc4s_andre
Linha de Fundo || @SiteLF
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana