A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

domingo, 11 de setembro de 2016

Stoke sofre um "déjà four" e segue sem vencer

Neste sábado (10), o Stoke City recebeu o Tottenham em jogo válido pela 4ª rodada da Premier League. O resultado mais uma vez foi decepcionante para os Potters e o jogo pode ser considerado um déjà vu - ou déja four -, já que o último confronto entre os times foi realizado no mesmo local com o mesmo resultado.

Joe Allen atuou como armador da equipe (Foto: Reuters)
O sistema tático que Mark Hughes implementou no time pareceu funcionar, mas até a página dois, já que Hughes foi muito infeliz na escolha das peças. O ápice deste erro foi ter fixado Joe Allen, um ótimo volante moderno, para fazer uma função que ele não está muito acostumado, como meia armador. Apesar disso, o Stoke City começou trabalhando bastante a bola, porém, só levou perigo ao gol de Lloris uma única vez durante o primeiro tempo, quando Whelan acertou um belo chute de fora da área.

Antes mesmo de sair o primeiro gol dos Spurs, segundo o árbitro Anthony Taylor, Mark Hughes passou dos limites e levantou a voz em algumas reclamações. O treinador acabou sendo expulso e, na arquibancada, o técnico do Stoke City assistia os Spurs dominando o jogo e trocando passes no campo de ataque incansavelmente. Depois de um drible desconcertante de Eriksen para cima Joe Allen, que voltou pra recompor na marcação sem sucesso, o dinamarquês tocou para Son abrir o placar. 

No começo do segundo tempo, novamente Son acertou um belo chute e marcou um golaço, assim fazendo o segundo dele na partida e o segundo dos Spurs. A essa altura, a torcida estava prevendo o pior e os Spurs continuavam trocando passes. Em certo momentos do jogo, a posse de bola chegou a ficar 39% para o time da casa e 61% para os visitantes. Em seguida, Alli aumentou o placar e assim fazia a felicidade dos torcedores dos Spurs que presenciavam aquele jogo, muitos já puxavam um coro timidamente "Stoke City, está acontecendo novamente".

O auxiliar de Mark Hughes fez algumas alterações até mesmo para testar algumas peças e umas delas foi Bojan, que entrou e pouco fez, errou alguns passes e levou perigo na única finalização que tentou. Porém, ainda faltava o gol do carrasco que ainda não havia marcado nessa edição da Premier League. Na metade do segundo tempo, Son fez um cruzamento rasteiro pra área e Harry Kane estava lá, presente, onipotente e eficiente para marcar o quarto gol dos Spurs e inflamar o coro da torcida.

O Stoke tem um péssimo início de Premier League (Foto: Reuters)
Com o resultado, o Stoke City segue sem vencer nesta edição da Premier League, somando apenas um ponto conquistado e na lanterna da competição. Agora só resta juntar os cacos, perceber onde foram os erros, achar de vez um meia armador e melhorar essa dupla de volantes. Todavia, os torcedores não sabem se terão o técnico a frente do time no próximo jogo devido a expulsão. Na próxima rodada, os Potters enfrentarão outro time londrino, o Crystal Palace.

Por: Yuri Ramos

Na reabertura de Anfield, Liverpool joga bem e goleia Leicester


Liverpool's Roberto Firmino celebrates after scoring the opening goal
Firmino comemora seu primeiro gol na partida (Foto: Getty)
O Liverpool voltou a sua casa neste sábado para encarar o atual campeão Leicester, pela quarta rodada da premier league. A tarde, mágica dentro e fora das quatro linhas, marcou a inauguração da nova Main Stand de Anfield. Os torcedores, que agora podem ser até 54 mil por jogo, tiveram sua excelente atuação retribuída na mesma moeda pelos jogadores.

O time foi como uma orquestra em sintonia perfeita, regida pelo maestro Klopp. Intensidade, pressão, velocidade, movimentação. Todas essas características do estilo de jogo do alemão foram postas em prática nos 90 minutos. No primeiro gol, aos 13 minutos, Sturridge movimentou-se para confundir a zaga, abrindo espaço para que Firmino pudesse receber no um contra um com Ruth, cortar o zagueirão e chutar bonito no canto de Schmeichel. Aos 30’, Sturridge foi lançado e deu um lindo passe de calcanhar para Manè ampliar. Os outros dois gols do Liverpool saíram na segunda etapa, Lallana aos 10’, com um chutaço no ângulo, fez o terceiro e Firmino, aos 44’, fez o quarto em contra-ataque perfeito (de manual).

O único momento de risco para a equipe na partida ocorreu no final do primeiro tempo, quando Lucas Leiva em erro grotesco tocou a bola pra pequena área, deixando Vardy com gol aberto para marcar e descontar para o Leicester, que à essa altura ainda perdia por 2 a 0. Após o gol, os visitantes pressionaram até o fim do tempo, levando perigo em alguns lances.

Diferentemente de outras ocasiões, a equipe não se abalou pelo erro individual e transformou a vitória em goleada. O jogo coletivo funcionou tão bem que Jürgen Klopp pôde deixar Coutinho no banco até parte da segunda etapa e Peter Schmeichel, com belas defesas, foi o melhor do time adversário, evitando um placar maior.

Os reds voltam a campo no próxima dia 16 contra o Chelsea, em Londres, e buscam uma vitória em clássico para aumentar ainda mais a confiança do time.

Caio Semblano | @caiosemblano

A cabeleira e as mãos salvadoras

Desde a sua chegada no início do ano, Kempres foi muito criticado por sua passagem apagada por Joinville. Porém, com a vinda de Caio Júnior, o atacante aos poucos foi se destacando e, por sua vontade e característica de não ficar esperando parado dentro da área, roubou a vaga na equipe titular do artilheiro Bruno Rangel.

Foto: Gilberto Pace Thomaz
Na manhã quente deste domingo (11), quando o Verdão recebeu o Coritiba na Arena Condá, com sua famosa cabeleira, Kempes marcou o único gol da partida e, junto com os milagres do goleiro Danilo, garantiu mais três pontos na tabela, afastando ainda mais o fantasma do rebaixamento.

O primeiro tempo foi de muito equilíbrio e forte marcação de ambos os lados, o resultado de empate não ajudava nenhuma das equipes. O jogo era quente e os visitantes não demoraram para assustar, primeiro com João Paulo em cobrança de falta, quando Danilo pulou no cantinho e espalmou em escanteio. Na segunda chance, foi a vez de Alan Santos chutar forte, mas novamente Danilo fez grande defesa e salvou o Verdão.

Ainda na primeira etapa, Carpegiani foi obrigado a fazer duas substituições, já que Walisson Maia e Neto Berola sentiram contusão e deixaram o gramado. A Chapecoense demorou, mas acordou na partida quando Kempes recebeu em velocidade, ganhou da marcação, driblou dois jogadores do Coxa e chutou colocado, mas para fora do gol de Wilson. Aos 39 minutos, as melhores chances da partida estiveram do lado da Chape, Arthur Maia chutou na trave e o rebote caiu nos pés de Gil, que chutou para boa defesa de Wilson. Em seguida, Rangel teve a chance, mas Juninho salvou e, na última tentativa, Arthur Maia de novo chutou para o gol, mas Wilson espalmou e salvou o Coritiba.

O resultado não interessava em nada a Chapecoense, por isso Caio Júnior voltou para o segundo tempo mais ofensivo e Lucas Gomes entrou na vaga de Gil. Com a bola rolando, assim como foi na primeira etapa, os visitantes começaram assuntando e o goleiro Danilo operando milagres para salvar a Chape na cabeçada de Alan Santos.

O tempo ia passando e, conforme o ponteiro do relógio acelerava, a pressão ficava ainda maior para ambas equipes. O placar só foi inaugurado aos 25 minutos, quando, após troca de passes entre Dener e Arthur Maia, o meia cruzou e encontrou Kempes e sua cabeleira, ganhando a disputa com a zaga, empurrando a bola para o fundo da rede e explodindo a Arena Condá de felicidade.

Com o gol e a vantagem, a maldição de recuar a equipe voltou na Chapecoense e Arthur Maia deixou o gramado para a entrada de Sérgio Manoel, junto veio a pressão total do Coxa em busca do empate.

Mas mal sabia o Coritiba que Danilo estava em uma manhã iluminada. Após cruzamento, Iago mergulhou e cabeceou, entretanto o goleiro bem colocado salvou. A pressão do Coxa continuava e foi a vez foi Luccas Claro de cabeça mandar para as mãos de Danilo. Na terceira e última oportunidade da partida, Leandro tentou surpreender o goleiro do Verdão, chutando rasteiro no cantinho, mas lá estava Danilo para salvar de novo e garantir a vitória para a Chape.

Parece mesmo que a equipe não aprende com os erros. Novamente, após sair em vantagem, recuou e só não sofreu o empate e até a virada por que Danilo estava em uma manhã inspirada. Vimos novamente os problemas sofridos diante do Santa Cruz no meio de semana, como já foi falado, é uma herança maldita que parece nunca ter fim na Chapecoense.

A goleada por 1x0 deixa a Chapecoense com 34 pontos na tabela e, pelas contas dos matemáticos do futebol, faltariam onze para garantir a permanência na Série A 2017. Na próxima rodada, o Verdão viaja para o Rio de Janeiro, quando enfrenta o Fluminense na quinta-feira (15), às 19h30, no Estádio Edson Passos.


Marcelo Weber || @acfmarcelo

Quem poderá duvidar de nós?

Foto: Jéssica Santana / Flamengo
Lembro-me bem que, um ano atrás, estávamos vivendo um gostinho de como seria estar no topo do Campeonato Brasileiro novamente. Depois de cinco anos, voltávamos ao G4 com uma vitória por 3 a 0 no Maracanã. Desta vez, muitos acreditaram que, assim como aquela história, esta terminaria sendo mais uma ilusão. Porém, ainda há quem duvide da ação dos deuses do futebol com o Flamengo. Nunca estivemos tão vivos na luta por mais um título.

Não tem sido fácil, isso todos nós sabemos. Um ano complicado, uma montanha-russa emocional e a ausência de nosso principal palco. Porém, encontramos na Nação Rubro Negra nossa casa e, desta forma, o Flamengo percebeu que não precisa de uma cidade para ser o Mais Querido que tanto buscávamos. Jogo a jogo, a desconfiança que um dia era predominante se transforma em fé buscando o (im)possível. Sim, nós temos o direito de sonhar os sonhos mais loucos, pois desta vez nada parece tão distante.

Zé Ricardo pode não ser o treinador mais experiente, com uma carreira brilhante e diversos títulos, mas ele precisa de apoio e, principalmente, tempo. Se antes criticávamos o Flamengo do tão conceituado Muricy Ramalho, hoje estamos em segundo lugar, ponto a ponto com o líder do campeonato e buscando o título da Copa Sul-Americana. A principal pergunta não é se ele é ou não o nome que o torcedor tanto sonhou. É porque não confiar em Zé?

Times ganham jogos e elencos vencem campeonatos. É por isso que, finalmente, o Flamengo está disputando o título. Se antes vivíamos em uma oscilação confusa e estressante, hoje, mesmo não jogando bem, estamos organizados, conquistando as vitórias improváveis. Não temos heróis, um ícone, um salvador. Temos um grupo que, com as peças certas, conseguiu se encaixar e hoje faz com que até os mais contestados virem destaque. A corneta dá lugar aos elogios - e que bom que eles estão calando a nossa boca.

Foto: Reprodução/Internet
Fé. Duas letras que dizem mais do que diversas palavras podem explicar. A fé rubro-negra está longe do racional e do compreensível, nós sabemos disso. Porém, quem pode duvidar desse time? Saímos da última colocação para a Libertadores da América em 2007 com Joel Santana. Em 2009, Andrade assumiu como interino e nos levou ao sexto Campeonato Brasileiro. E 2013, quando Jayme de Almeida superou as expectativas e vencemos outra Copa do Brasil? Não tem lógica, apenas uma viagem louca e maravilhosa que é ser torcedor do Mais Querido.

Enfrentaremos o maior desafio da temporada e precisamos superar todos os problemas, além de deixar claro que não estamos nesse campeonato de brincadeira. Diante do Palmeiras, a união de tudo que o Flamengo representa será nossa maior arma e precisamos buscar o resultado. Contra tudo e contra todos, vamos sem torcida visitante em um ambiente hostil. Nossa vontade é maior do que todos os problemas. Vamos buscar essa vitória em São Paulo e, enfim, deixar a bandeira vermelha e preta no topo, de onde nunca deveria ter saído.

Mariana Sá | @marigarboggini 

A primeira vez do Palace

A partida da tarde deste sábado (10) na Inglaterra e manhã aqui no Brasil, válida pela 4ª rodada da Premier League, foi marcada por alguns debutes e ocasiões inéditas para as águias do Palácio de Crystal, com desfecho favorável por 2-1. 

Enfim saiu a primeira vitória do Palace na temporada 2016/17 da Premier League. Benteke marcou seu primeiro gol com a camisa do Crystal no Campeonato Inglês e o Palace conseguiu vencer o Middlesborough em seu estádio, o Riverside Stadium, pela primeira vez. Ainda ocorreu a estreia do meio-campo francês Mathieu Flamini, recém contratado (ele estava livre após o término de contrato com o Arsenal).

1º Gol de C. Benteke com a camisa do Palace
Foto: Reprodução/Twitter oficial do Crystal Palace
O Crystal Palace foi a campo com uniforme todo laranja e escalado com: Mandanda, Ward, Dann, Delaney, Kelly, Ledley (Flamini), McArthur, Puncheon, Townsend (Lee), Zaha, C. Benteke (Jonathan Benteke).

O primeiro tempo teve o Palace partindo para cima do Boro nos minutos iniciais, mostrando grande superioridade nas bolas aéreas ofensivas. As águias insistiam em cruzamentos com poucas jogadas de infiltrações, até que, após um cruzamento de Zaha, destaque para sua atuação durante a partida, Benteke apareceu para testar a bola, vazando o gol de Victor Váldes. Com o gol, o Palace se retraiu, cedendo bastante espaço para os donos da casa, que conseguiram empatar a partida aos 38 minutos com Ayala.

No segundo tempo, logo aos 2 minutos, McArthur com passe "Ronaldinho" olhou para um lado tocou no outro entre os defensores adversários, Zaha ganhou na corrida e finalizou na saída de Váldes. Com o o gol do Crystal, o jogo ganhou em intensidade, se tornando muito aberto, porém com mais presença no ataque e finalizações para o Boro. Na parte final da partida, com as equipes já cansadas, os donos da casa tentaram uma pressão final, mas o placar ficou mesmo Boro 1 x 2 Palace. Verdade seja dita, houve uma penalidade a favor do Middlesborough.

2º Gol do Palace marcado por Zaha
Foto: Reprodução/Twitter Oficial do Crystal Palace
Com esse resultado o Palace chega aos 4 pontos (1V-1E-2D), se afastando da zona de rebaixamento

Próxima partida do Crystal Palace pela Premier League:
18 de Setembro - 10:15 (hora Brasília) - Selhurst Park.
Crystal Palace x Stoke City.

Por: @carlosjr92educa
Carlos Alberto de Sousa Júnior - Colunista do Crystal Palace

Vergonha

Estão destruindo o Criciúma e esse presidente não faz nada para sair dessa situação vergonhosa que o clube está passando. Um time que faz corpo mole, já que claramente quer derrubar o treinador e uma multa de 2 milhões do técnico, que mostra o quanto essa diretoria é amadora. Para melhorar, contrataram Pelaipe, o dirigente que veio com o barco já afundando. Até fez boas contratações, porém o problema não são os jogadores.

O treinador

Realmente ninguém sabe o que se passa na cabeça de Roberto Cavalo. O treinador começou o jogo com Pitbull e Helio Paraíba na frente e, como todos vimos, não deu certo. A torcida está totalmente estressada e quer logo sua saída, porém para ele tudo está bem, tudo normal. Lamentável.


Jogadores e torcida querem que ele caia, porém nada adianta, essa diretoria não age e quando age, faz mal. Sem padrão tática, substituições ruins, jogadores queimados, Roberto Cavalo tem uma boa bagagem de fatores para ser demitido ou até para se demitir.

O jogo 

Não tenho muito o que falar do jogo. O Criciúma até começou melhor, porém, com as ausências de Raphael Silva e Nathan, a zaga ficou horrorosa. O que antes era uma defesa sólida e forte no alto, hoje não sai do chão e é fraca fisicamente.

Luiz esta pedindo pra esquentar um banco, vem errando muito nesses últimos jogos; Edson pede passagem. Na parte do ataque, Pitbull até tentou, porém nada conseguiu. Helio Paraíba não merece ser titular e Jheimy, mesmo se mostrando lento, merece muito mais.

"Todo mundo dizia Criciúma é o fim da sua vida 
  mas nos sabíamos da força da nossa torcida"

@gabrielcec__

Alívio

Em jogo difícil, o Goiás venceu o Ceará por 2x0 neste sábado (10) no Serra Dourada. A vitória serviu pra tirar a pressão da equipe esmeraldina, que se encontrava dentro da zona de rebaixamento. Com a estreia de Gilson Kleina, o time sofreu diversas mudanças, desde a sua escalação inicial até a postura de jogar em campo, dando alegria e pitadas de confiança ao torcedor que compareceu no estádio.


Equipe esmeraldina comemorando após o gol de Marcão
foto: Goiás Esporte Clube
Finalmente o torcedor goiano conseguiu ver Walter em ação e o clima de expectativa era enorme para a estreia do camisa 18. Encontrei o meu lugar nas arquibancadas do Serra Dourada sabendo que não seria fácil,já que  o Ceará está brigando por acesso para a primeira divisão nacional e estava sedento por três pontos, pois não vencia há cinco jogos. Às 18h30 a bola rolou, e nesse momento deixamos de lado a crise, a pressão por estar no Z4, o adversário difícil do outro lado e todos os momentos ruins que o Goiás passou em 2016. Naquele exato momento em que soou o apito, o Goiás mudou de atitude.


O primeiro tempo foi extremamente equilibrado e nos minutos iniciais quem buscou jogo foi a equipe cearense com seu camisa 10, Felipe, que dava trabalho para nossa defesa, tentando fazer infiltrações ou até mesmo em jogadas individuais. Quando Léo Sena "acordou", o Goiás cresceu de produção e começou ditar o ritmo a medida que o garoto armava as jogadas, criando chances perigosas que assustaram diversas vezes o goleiro Éverson. Junto a Léo Sena, Walter fez parte da armação do time, levantando a torcida a cada toque na bola. Foi dos pés do ídolo esmeraldino que saiu o cruzamento para Marcão, oportunista que é, chegar primeiro que o goleiro e abrir o placar no fim do primeiro tempo. A alegria tomava conta do estádio, 1x0 Goiás.


Marcão fez o papel de camisa 9, e empurrou a bola pro fundo das redes
foto: globoesporte.com
No segundo tempo, logo no início o Ceará ficou com um a menos após Ricardinho receber o segundo cartão amarelo. Tal expulsão facilitou e muito a vitória para a equipe esmeraldina, que somente administrou o resultado. Walter saiu lesionado de campo ainda no começo do segundo tempo e Daniel Carvalho entrou em seu lugar, novamente não agradando a torcida. Porém, felizmente no rebote de um de seus chutes, Léo Gamalho, que entrara no lugar de Marcão, fez seu primeiro gol com a camisa do Goiás e definiu o placar da partida, 2x0.

Fiquei observando a saída dos torcedores após o confronto e a expressão era a mesma, o alívio era visível no rosto de todos esmeraldinos, a sensação de "finalmente vencemos" se espalhava pelo estádio. Pela primeira vez no ano o Goiás fez uma partida convincente, espero que Gilson Kleina consiga manter bons resultados até o fim do ano com nossa equipe, afinal, seu trabalho já será colocado a prova terça-feira. Rossi está suspenso, Walter está com problemas no joelho e é duvida, a partir de agora todo treino é um jogo e todo jogo será uma guerra. A primeira é daqui três dias, contra o Vasco.

Linha de Fundo ll @SiteLF

Com 30 mil no Castelão, Fortaleza goleia Remo e se classifica na Série C

Em duelo de leões na noite deste sábado (10), o cearense levou a melhor ao vencer o Remo pelo placar elástico de 4 a 1, na Arena Castelão.

Resultado de imagem para fortaleza e remo

Com um ótimo público na Arena Castelão, o Fortaleza goleou o Remo e conseguiu a classificação antecipada para mais um mata-mata da Série C, o quarto em menos de cinco anos.

O jogo

O Fortaleza começou muito bem a partida, marcando forte a defesa do Remo e pressionando a equipe adversária. Logo aos 2 minutos, Corrêa cruzou para Daniel Sobralense, que estufou as redes do goleiro Fernando Henrique. Aos 21', Anselmo cabeceou bonito e Fernando Henrique tocou na bola que ainda bateu na trave, evitando o segundo gol do tricolor.

Na primeira chegada do Remo, o gol. Aos 26 minutos, Renato mandou uma bomba e o goleiro Ricardo Berna ainda tocou na bola, mas não conseguiu evitar o gol do leão do Pará. Tudo igual, 1 a 1. Após o empate, jogo esfriou, porém, aos 35 minutos, após bate rebate no meio da área, Rodrigo Andrade mandou chute rasteiro, sem chances pra Fernando Henrique. Fortaleza na frente, 2 a 1.

O Fortaleza soube administrar muito bem o resultado durante a segunda etapa. Com tranquilidade e sem grandes sustos, o time comandado pelo técnico Marquinhos Santos ainda conseguiu ampliar o placar com Corrêa aos 20 minutos e Juninho aos 39'.

Classificado

Com o resultado, o leão do pici chegou aos 29 pontos ganhos no Grupo A, não podendo mais ser desclassificado na última rodada. 
O próximo jogo da equipe cearense será domingo (18), contra o Botafogo/PB.

@jvbrasil10

Visitante indigesto, Tigrão dá o troco e vence de virada o CRB

Fechando a 24ª rodada da Série B, o Vila Nova foi até Maceió enfrentar o CRB. Após empatar com o Atlético Goianiense no Serra Dourada, o Tigrão viajou com um desfalque de última hora, já que o zagueiro Vinicius Simon estava com virose. Porém, nada atrapalhou a noite Colorada no Rei Pelé.

O CRB abriu o placar aos 18 minutos do primeiro tempo, saindo para o intervalo com a vantagem. Mas esqueceram de um porém: o Vila é um dos visitantes mais indigesto desta Série B.  Em três minutos, o Tigrão devolveu a virada do CRB em Goiânia, no primeiro turno, e Moisés e Vandinho garantiram a vitória.



Saiu de Goiânia, o bicho pega. Para um time que era só sair de sua cidade que já perdia, hoje sair e voltar com a bagagem os três pontos é algo a ser estudado. O Vila joga na casa do adversário como se tivesse seu estádio, não tem medo de arriscar. Tomam respeito e estudam o time da casa, atacam como pode e dão o bote na hora certa. Esse é o Vila Nova dessa segundona. O técnico Guilherme Alves e suas panelinhas andam se acertando. Com essa vitória, esse grupo guerreiro levou o Tigrão a oitava posição, se distanciando ainda mais da zona de degola.

Moisés mais uma vez foi essencial. Vandinho, mesmo após ter perdido seu tio na noite de sexta-feira, entrou e decidiu mais uma vez para o Colorado. Não tem lógica manter Vandinho no banco e jogar com Patrick de titular. Em cinco jogos, Patrick ainda não marcou nenhum gol desde que estreou com a camisa do Tigrão. Esse não tem solução mais.

A raça que esse elenco tem é o que pode levar o Vila ao seu objetivo, a permanência. O objetivo é fazer os 45 pontos, depois o que vier e lucro. Não me iludo com G-4, apenas quero meu time bem e poder ver que alcançamos o principal. Pés no chão e o que for para ser nosso virá com o tempo, 2016 era o ano da reformulação e tudo está sendo conforme o planejado. Que continue assim.


O Tigrão respira aliviado. Há anos a Série B parecia não ser mais nosso lugar, mas quando se trata de Vila Nova não duvide de nada. No início desta Série B, o time jogava bem e não rendia. Com a saída de técnico Mancini, a equipe teve outra cara com a chegada de Guilherme. Um time aguerrido, com raça e com vontade de jogo. Podem não jogar bem, mas estão vencendo como podem, agradecemos a ele e a sua panelinha. 

O Vila agora enfrenta fora de casa a equipe do Paraná, em um jogo que, em caso de vitória, podemos ficar ainda mais próximos do pelotão da frente. 

Provando do próprio remédio: CRB é derrotado em casa

Noite de sábado, jogo válido pela 24ª rodada da Série B. CRB e Vila Nova haviam se enfrentado no primeiro turno em Goiânia, onde o Galo venceu de virada por 2 a 1. Desta vez, o filme se repetiu, mas para o time adversário.

Imagem: Rodrigo Veridiano
Nos primeiros minutos, o Galo foi tocando a bola e o Vila acompanhando. Nada foi criado até a falta de Jussani, que aos 18 minutos bateu um verdadeiro míssil quase na lateral de meio-campo com a perna direita e a bola saiu fazendo curva. O goleiro Saulo foi nela, ainda tocou, mas não pegou e a bola morreu no ângulo. CRB 1 a 0 Vila Nova.

Após o gol, as equipes foram tomando iniciativas diferentes. Por parte do Vila, foram tocando a bola e tentando chegar ao gol da equipe regatiana. Moisés foi um jogador muito exigido, tentava ajudar os companheiros e também chegar ao gol.


Na etapa final, o CRB até se manteu melhor nos primeiros minutos, mas aos poucos foi recuando e acabou chamando o adversário, que soube aproveitar. Após criar boas chances, o Tigre chegou ao empate com Moisés, recebeu na área depois de tabela e bateu no canto direito do goleiro Juliano aos 30 minutos do segundo tempo. Vila Nova empata, 1 a 1.

No minuto 33, depois de cobrança de falta, Juliano soltou a bola na linha e Vandinho chegou antes do goleiro, marcando o gol da virada no Estádio Rei Pelé. Com o gol, o Galo ainda tentou colocando Neto Baiano, mas não adiantou. Assim, como o CRB também venceu o Vila por 2 a 1 no Serra Dourada, eles venceram da mesma forma.

Imagem: Rodrigo Veridiano
Próximo compromisso

Agora o Galo repousa e volta a jogar na terça-feira contra o Avaí, também no Estádio Rei Pelé. O jogo será às 19h15 e deverá ter a volta de Gérson Magrão. Outros que devem voltar são Galdezani e Diego. Bocão, como estava na reserva, deve continuar como opção no banco. Ainda é dúvida se Emaxwell e Élton jogam ou não, dependendo da regularização dos atletas.
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana