A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

domingo, 18 de setembro de 2016

Defesas de Sidão e raça de Pimpão dão vitória ao desfalcado Botafogo

Com muitos desfalques, o Botafogo surpreendeu e derrotou o Vitória, fora de casa, na noite deste domingo (18), em jogo válido pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro. Rodrigo Pimpão foi o autor do gol que deu o triunfo ao Glorioso, que agora é 9º colocado na tabela com 38 pontos conquistados. O próximo desafio do Alvinegro será a partida de volta pela Copa do Brasil, diante do Cruzeiro, no Mineirão, na próxima quarta-feira (21). 

O JOGO

O Botafogo não fez uma boa exibição. O Vitória foi superior e criou inúmeras chances. Mas como sabemos, o futebol muitas vezes é injusto. E foi. O Glorioso, que não jogou bem, fez um único gol, ainda no primeiro tempo e saiu do Barradão com o triunfo. 

No primeiro tempo, o time baiano deu trabalho e assustou em diversos momentos. Aos 10', por exemplo, Cárdenas chutou de longe e mandou a bola perto da trave do goleiro Sidão. Mas o nível da partida não era nada bom, muito pelo contrário. Vitória e Botafogo erravam passes em demasia. Aos 27 minutos, Sidão fez uma excelente defesa. Marinho recebeu ótimo passe e Diego Renan chutou cruzado. A bola desviou na zaga e quase encobriu o goleiro do Alvinegro, que se esticou todo e evitou o gol dos rubro-negros. Aos 30', foi a vez de Marinho cobrar falta rasteira. Sidão mais uma vez defendeu. Aos 40 minutos, Zé Love invadiu a área e foi tocado de forma leve por Victor Luis. O atacante então se jogou (uma vez que o toque não foi suficiente para derrubá-lo) e conseguiu o pênalti. Diego Renan foi para a cobrança e parou em Sidão, que defendeu. Pênalti roubado não entra. Instantes depois, Zé Love cruzou na área e Kieza desviou por cima do gol. O Botafogo respondeu, na única chance que teve, aos 44'. Rodrigo Pimpão dominou, ganhou disputa com Diogo Mateus e deu um balão em Vinícius. Na sequência, após saída apavorada do goleiro Fernando Miguel, o atacante do Bota, ágil como um capoeirista, deu um toquinho e viu a bola ir lentamente para o fundo das redes. 1 a 0 e fim do primeiro tempo. 

Na raça, Pimpão marcou o gol da vitória (Foto: Botafogo Oficial)
O Glorioso retornou para a etapa final sem alterações. Aos 16 minutos, o Vitória quase empatou em lance inacreditável. Diego Renan recebeu na área e chutou cruzado. Sidão defendeu e deu rebote. Na sequência, Kieza acertou a trave. A bola seguiu viva e sobrou para Zé Love, que debaixo do gol, finalizou por cima. Ufa! 

Jair Ventura promoveu a primeira alteração no time, tirando Canales e colocando Gervasio Núñez em campo. Aos 26', Marinho bateu falta com veneno e mandou a bola rente à trave. Aos 36', Dudu Cearense, já amarelado, deu lugar ao também volante Rodrigo Lindoso. No minuto seguinte, o Botafogo poderia ter ampliado o placar. Victor Luis recebeu na área, driblou o adversário e tentou tocar a bola para Camilo, mas Diego Renan chegou antes e evitou o gol. Aos 43', Diogo Barbosa, cara a cara com o goleiro, chutou forte. Fernando Miguel, no entanto, defendeu. Aos 46', já nos acréscimos, o autor do gol, Rodrigo Pimpão, foi substituído por Vinícius Tanque. O jogo terminou aos 50 minutos. Botafogo 1 a 0, na superação. 

OBSERVAÇÕES

Cheio de desfalques, o Botafogo surpreendeu e arrancou uma vitória sensacional fora de casa. Poucos esperavam. Jair Ventura vai sempre armando times diferentes, uma vez que sem alguns atletas, lesionados e/ou suspensos, o treinador é obrigado a fazer adaptações de acordo com os adversários. Parabéns! 

Sidão brilhou. Fez defesas sensacionais e garantiu o triunfo. A boa campanha do 
Botafogo se deve e muito ao goleirão, que vem substituindo Jefferson com atuações seguras. 

Sidão defende pênalti (Foto: Edson Ruiz/ COOFIAV/ Lancepress!)
















Joel Carli é um zagueiraço. Melhor contratação gringa do ano. 

Para terminar, quero deixar claro que, por mim, o Botafogo nem jogaria a partida de volta na Copa do Brasil no meio da semana. Mas, como isso não vai ocorrer, que tal escalar um time só de juniores? Os jogadores não podem correr o risco de também se lesionarem. Jair Ventura precisa de TODOS os reservas à disposição. 

FICHA DO JOGO

Vitória 0
Fernando Miguel, Diogo Mateus (Vander), Ramon, Vinicius, Diego Renan; Marcelo (Serginho), Willian Farias, Cárdenas (David); Marinho, Kieza, Zé Love. Técnico: Argel Fucks. 

Botafogo 1
Sidão, Emerson Santos, Joel Carli, Emerson Silva, Victor Luis; Dierson, Dudu Cearense (Rodrigo Lindoso), Diogo Barbosa, Camilo; Canales (Gervasio Núñez), Rodrigo Pimpão (Vinícius Tanque). Técnico: Jair Ventura.  

Estádio: Barradão (BA). 
Árbitro: Rodrigo Alonso Ferreira (SC). 
Assistentes: Henrique Ribeiro (SC) e Johnny Barros (SC). 
Gol: Rodrigo Pimpão (44' do 1º T). 
Cartões amarelos: Marcelo e Vander (Vitória); Dudu Cearense, Victor Luis, Diogo Barbosa e Emerson Silva (Botafogo). 
*Público e renda não foram divulgados. 

Por: Gabriel De Luca (@biel_dluca). 

Fortaleza enfrentará o Juventude no mata-mata da Série C

O Fortaleza teve seu adversário definido para o mata-mata da Série C, o leão de aço do pici terá pela frente o tradicional Juventude/RS no confronto que decidirá a vida do clube em 2017.

Resultado de imagem para anselmo fortaleza

Após o empate por 0 a 0 diante do Botafogo/PB, neste domingo (18), o tricolor assegurou definitivamente a primeira colocação do grupo A. Com o resultado, o leão conquistou a vantagem de poder decidir dentro de casa o mata-mata.

Mesmo com o empate, o Botafogo/PB também se classificou para a próxima fase. Além disso, com os resultados da última rodada, o Remo ficou de fora do grupo dos quatro que se classificam, com um empate diante América/RN que acabou sendo rebaixado para a quarta divisão do futebol brasileiro juntamente com Portuguesa/SP, River/PI e Guaratinguetá.

Já o Fortaleza tentará o acesso a Série B pela sétima vez seguida, o time leonino não consegue um acesso para outra divisão desde 2004, quando subiu da Série B para a Série A. O time vem amargando a Série C desde 2010, ano esse em que sequer passou de fase.

Novo Uniforme

O clube cearense poderá optar por utilizar um terceiro uniforme, recem lançado, logo na partida de ida contra o Juventude/RS.

Muitos torcedores estão pedindo para que a diretoria exija o uso do uniforme em pelo menos um dos jogos do mata-mata, haja vista os "Bons presságios" que o novo manto poderia passar ao Fortaleza na decisão que se aproxima.



Classificados para as quartas de final

Grupo A

1 - Fortaleza (30)
2 - ABC (30)
3 - Botafogo/PB (28)
4 - ASA (26)

Grupo B

1 - Guarani (38)
2 - Boa Esporte (35)
3 - Botafogo/SP (31)
4 - Juventude (30)

@jvbrasil10

Festa de gala no Palácio de Crystal

A águia voou soberana, imponente e fulminante em Selhurst Park!
Defensores Dann e Tomkins, cada em anotou um gol
Foto: Reprodução/Twitter oficial do Crystal Palace

O jogo deste domingo (18) de agradável tarde londrina, foi referente à 5ª rodada da Premier League. Pela terceira vez o Palace jogou em casa diante da característica e sempre animada torcida, que desta vez saiu comemorando a primeira vitória em Croydon e com direito a goleada. 

O Crystal Palace foi a campo para um público de 23.781 pessoas e escalado com: Mandanda, Ward, Dann (capitão), Tomkins (Delaney), Kelly, McArthur, Puncheon, Ledley (Flamini), Townsend (Lee), Zaha e Benteke.

Na temporada passada, o Crystal Palace venceu os dois confrontos diante do Stoke City. E nos momentos iniciais da partida já davam mostras de que as águias queriam manter a freguesia dos rivais. Ao estilo que a equipe de Alan Pardew vem se notabilizando, jogadas pelas laterais e muito jogo aéreo o Crystal foi fulminante e logo aos 11 minutos já vencia por 2 a 0. 

O primeiro gol saiu após cobrança de falta de Townsend pela esquerda de ataque, a bola alçada atravessou toda a área adversária, até Tomkins empurrar para o gol de Given. Na sequência, Dann também aproveitou a bola parada, marcando de cabeça após escanteio batido por Puncheon. Após os 30', o ritmo imposto pelos mandantes diminuiu, mas os azuis e vermelhos estiveram seguros durante toda a etapa, não correndo riscos e sendo muito mais agressivos que os visitantes, dominando totalmente o confronto.

A segunda metade começou sem o autor do primeiro gol Tomkins, que foi substituído por Delaney, devido a uma lesão. E logo o companheiro de zaga Dann quase marcou outro gol em jogada muito semelhante à  do segundo gol. A partida se tornou mais aberta, o Palace continuou seguro, mas o Stoke chegava com maior frequência, porém, sem impor grandes dificuldades a Mandanda. 

Aos 26', em um "escanteio curto", Puncheon lançou na área a bola sobrou na esquerda com McArthur, que cortou a marcação e contou com desvio para marcar o terceiro gol. Com o placar elástico, os visitantes sentiram e Townsend conduziu a bola desde antes do meio de campo, na entrada da área cortou a marcação de letra e bateu no canto esquerdo de Given, aos 30 minutos. 

Townsend outra vez foi destaque
Foto: Reprodução/Twitter oficial do Crystal Palace
Com 4 a 0 no placar, o Crystal Palace passou a administrar a partida, No último minuto, ainda deu tempo de Arnautovic bater de primeira da entrada de área, encontrando o canto esquerdo de Mandanda e descontando para o Stoke City. Com a vitória por 4 a 1, o time londrino atingiu os 7 pontos (2V-1E-2D), se estabilizando na parte de cima da tabela em 8º.

Próxima partida do Crystal Palace pela Premier League:

24 de Setembro - 11:00 (hora Brasília) - Stadium of Light.
Sunderland x Crystal Palace.

Por: @carlosjr92educa
Carlos Alberto de Sousa Júnior - Colunista do Crystal Palace

Empate e decepção


Depois de uma semana de sol e muito calor, a manhã deste domingo (18) amanheceu chuvosa, a Chapecoense vindo de uma vitória maiúscula por 2x1 sobre o Fluminense, jogando no Rio de Janeiro, fazendo a torcida sonhar com o G-4. Já a Ponte Preta equipe com melhor campanha do interior até então, vindo de uma vitória sobre o Tricolor gaúcho por 3x0. 

Foto: Marcio Cunha/Mafalda Press/Gazeta Press
Do lado do Verdão Caio Júnior teve três problemas para a escalação, Thiego e Gimenez suspensos, já Dener vetado pelo departamento médico ficaram de fora, Gil deslocado para a lateral direita, com Matheus Biteco voltando a equipe titular, Sergio Manoel no lado esquerdo e Rafael Lima na zaga foram os substitutos.

O tempo chuvoso afastou o torcedor da Arena, os pouco mais de 2.700 pagantes que compareceram, viram um primeiro tempo agitado desde o começo. Logo aos 11 minutos o Verdão abriu o placar, após lançamento de Kempes, Tiaguinho ganhou de Grolli e tocou por cima, sem chances para Aranha.

O gol não assustou os visitantes, que responderam em seguida, Clayson chutou de longe, para boa defesa de Danilo. O empate veio aos 33 minutos, após cruzamento de Nino Paraíba, Fábio Ferreira sozinho cabeceou para o fundo das redes de Danilo.

Ainda no primeiro tempo, após cobrança de falta de Cleber Santana, Rafael Lima desviou para o fundo das redes, mas o árbitro assinalou impedimento, anulando o gol do Verdão. Que voltou a frente do placar aos 43 minutos, quando Filipe Machado lançou e achou novamente Tiaguinho, o atacante ganhou de novo de Grolli e bateu no canto de Aranha, voltando a frente do placar.

Para a segunda etapa, Caio Júnior voltou com uma alteração, Josimar deixou o gramado para entrada de Rafael Bastos. Logo na primeira oportunidade, a Ponte voltou a empatar a partida, após bate e rebate, a bola sobrou para Roger que empurrou para as redes, fazendo valer a lei do ex.

A Ponte voltou melhor no segundo tempo, e só não virou primeiro por que a cabeçada de Roger passou a esquerda do gol, e em seguida Matheus Jesus finalizou para defesa de Danilo. A Chapecoense só conseguiu assustar aos 33 minutos, quando Tiaguinho cruzou e Bruno Rangel desviou de cabeça, passando a esquerda da meta de Aranha.

Com o apito final do árbitro com o 2x2 no placar, a decepção tomou conta da Arena Condá, os poucos torcedores que compareceram a Arena Condá, esperavam mais de uma equipe que surpreendeu o Fluminense na última quinta-feira. A Chapecoense parece ter perdido muito com os desfalques nas laterais, as únicas jogadas de perigo foram os lançamentos a distancia, aonde novamente Tiaguinho se destacou, agora marcando os dois gols da equipe na partida. A decepção fica por conta da defesa, que voltou a falhar nos dois gols sofridos.

A Chape se desliga do Brasileirão, e foca totalmente na Copa Sul-Americana, quando enfrenta o Independiente, da Argentina, no Estádio Libertadores da América, na próxima quarta-feira (21), às 19h15.

Marcelo Weber || @acfmarcelo

O CSA está na final do Campeonato Brasileiro da Série D

Jogando fora de casa,o CSA conseguiu a classificação diante do São Bento no estádio Walter Ribeiro na tarde deste domingo(18), a equipe Maruja foi derrotada pelo placar de 1x0,mas devido o bom resultado conquistado em casa por 2x0, o Azulão conseguiu a classificação para a grande final da Série D.
O JOGO:
(Facebook: CSA Oficial)

1°TEMPO
O São Bento partiu ao ataque precisando buscar gols e teve duas faltas perigosas logo nos primeiros minutos. Tremonti obrigou Jeferson a trabalhar e fazer boa defesa. Em seguida foi a vez de Zambi cair na área e pedir pênalti. O árbitro Rodolpho Toski não marcou e puniu o atacante com cartão amarelo por simulação. Sem respirar, o CSA sentia o calor de atuar contra a torcida paulista. A primeira baixa do Azulão foi o goleiro Jeferson, que sentiu lesão muscular e foi substituído por Pantera aos 24 minutos.
A não marcação do pênalti deixou o time do São Bento agitado, e a pressão fora de casa enervou os jogadores alagoanos. O árbitro distribuiu amarelo para Everton Heleno, Didira e Edu Pina por faltas duras em sequência. O CSA não valorizava a posse de bola e apelava para os chutões. Sobrou disposição e faltou qualidade. Denílson ainda recebeu cartão amarelo antes do final da primeira etapa. 

2°TEMPO
O time da casa iniciou pressionando. Leandro Cardoso tomou cartão amarelo por falta providencial em Edu Pina. Em seguida, Magrão completou cruzamento quase na frente de Pantera e mandou pra fora. Com tantos cartões distribuídos, uma expulsão era questão de tempo. E foi para o CSA. Denílson cometeu falta na defesa, recebeu o segundo amarelo e foi expulso aos 10 minutos. O Azulão de Sorocaba foi para o tudo ou nada e fez as duas últimas alterações, sacando Zambi e Fábio Bahia, para entrada de Anderson Cavalo e Diego Barboza. 
Com um a menos, Canindé substituiu Bismark por Elizeu, e Didira por Azul. Mas quem apareceu foi a chuva. Uma tempestade caiu em Sorocaba no segundo tempo e o jogo foi interrompido aos 26 minutos. Cinco minutos depois, o CSA quase abriu o placar com Everton Heleno, mas Viana fechou o gol. Após o lance, Guilherme Carré tomou cartão amarelo e o árbitro voltou a interromper o duelo aos 40 minutos. A bola voltou a rolar depois de 14 minutos, com o campo alagado e a iluminação precária. Sem as mínimas condições da prática do futebol, o árbitro Rodolpho Toski arrastou a decisão até cumprir o tempo de jogo. No último minuto, no entanto, Pantera falhou em bola aérea e Magrão fez o único gol do confronto.E assim,em meio um jogo nervoso para o torcedor Azulino,o CSA conseguiu a classificação para a grande final do torneio.

O Azulão enfrentará o Volta Redonda-RJ no próximo domingo(25) no primeiro jogo da final da Série D.

Lucas André || @luc4s_andre
Linha de Fundo || @SiteLF

Atalanta perde mais uma na liga Italiana

Diferente das últimas rodadas, onde havia vencido uma das três partidas, a Atalanta mal ameaçou o Cagliari e acabou perdendo por 3 a 0.


Atlético goleia Sporting Gijón, no Vicente Calderón


Atlético vence Gijón dentro de casa, com uma goleada fantástica. 

Em um jogo avassalador, os Colchoneros golearam o Sporting Gijón no Vicente Calderón. O 
primeiro lance de perigo, já foi o primeiro gol do Atlético. Griezmann recebeu a bola de Gameiro e finalizou bem. Atlético de Madrid 1 x 0 Sporting Gijón.

Três minutos depois, depois de uma ótima jogada do Brasileiro Filipe Luiz, Gameiro invadiu a área, e chutou no ângulo. Golaço do francês. Atlético de Madrid 2 x 0 Gijón. Aos 31’, Koke deu um belo passe para Griezmann e o atacante fuzilou o ângulo esquerdo do goleiro Cuellar. Mais um golaço! Atlético de Madrid 3 x 0 Gijón.

   Griezmann comemorando um de seus gols na partida.
Foto: Twitter oficial do Atlético de Madrid

Depois dos três gols, o Atlético continuou pressionando o Gijón e Carrasco dividiu com a zaga adversária, levou a melhor, invadiu a área, cortou o zagueiro e finalizou bem. A bola pegou na trave. Aos 72’, depois de uma bela jogada individual de Correa, o argentino tocou para Fernando Torres e o "El Niño" só escorou para a rede. Atlético de Madrid 4 x 0 Gijón.

Minutos depois, veio o primeiro lance de perigo do Sporting Gijón. Nacho Cases e Akram tabelaram, Nacho ficou na cara do gol, mas chutou na rede pelo lado de fora. 
No ultimo minuto de jogo, Correa sofreu um pênalti, Fernando Torres foi para a cobrança e marcou. Atlético de Madrid 5 x 0 Gijón. Com esse gol, o El Niño se tornou o sétimo maior artilheiro da história dos Colchoneros, com 111 gols.

Com os dois gols na partida, Torres se tornou o sétimo maior artilheiro da História do Atlético, com 111 gols.
Foto: Twitter oficial do Atlético.
Ontem vimos um belo jogo do Atlético. Os Colchoneros simplesmente não deixaram a equipe adversária jogar. Com esse belo desempenho em todas as partidas, o Atlético irá brigar por titulo. Podemos ressaltar a partida de Correa, que entrou no lugar de Gameiro, aos 60 minutos. E teve participação direta nos dois últimos gols. E também a partida do Francês Griezmann, que novamente deu um show de futebol, fazendo 2 gols e recebendo o prêmio de Homem da Partida. 

Estatísticas da partida. Atlético foi melhor durante todo jogo.
Com os dois gols na partida de hoje, Griezmann é o artilheiro do Campeonato Espanhol, juntamente com Castro, Messi e Suarez, que têm quatro gols, cada. 

A defesa do Atlético novamente muito segura. Em 4 partidas, levaram apenas 1 gol. Com essa vitória, o Atlético está no G4, na quarta colocação e 8 pontos. O líder Barcelona tem 9. A próxima partida do Atlético, na La Liga, será contra o Barcelona. No dia 21, Camp Nou, às 17:00.

Linha de fundo: @SiteLF


O simples é o melhor caminho: Tottenham entra no G-4

Na partida que fechava a 5ª rodada da Premier League, o Tottenham recebeu o Sunderland neste domingo (18), no White Hart Lane, em Londres. Após a derrota em casa na estreia da Champions, os Spurs pareceram não se abater, dano uma resposta a torcida e conseguindo manter a invencibilidade na competição nacional.
O Tottenham segue invicto na Premier League (Foto: Reuters)
Com um time alternativo, Eriksen e Lamela deram lugares à Sissoko e Dembele, ambos titulares pela primeira vez na temporada. As outras mudanças foram no sistema defensivo, com Vertonghen improvisado na lateral-esquerda, enquanto Dier foi recuado para a zaga. O onze inicial teve a equipe alinhada no 4-2-3-1 – Lloris; Walker, Alderweireld, Dier e Vertonghen; Wanyama, Sissoko, Dembele, Alli e Son; Kane.

O JOGO

A partida começou com os mandantes em cima. Logo nos primeiros minutos, a posse de bola foi de aproximadamente 70%, o que não mudou durante os 90 minutos. Apesar do amplo domínio, a equipe sofreu para levar perigo ao adversário, que demonstrou ter a proposta de jogar por apenas uma bola.

Durante o primeiro tempo, o Tottenham não conseguiu criar nenhuma chance clara, finalizando na maioria das vezes de fora da área. Com dificuldades para penetrar na defesa adversária, Dier, Wanyama, Sissoko, Dembélé e Son arriscaram, mas todos falharam.
Walker evitou o gol do Sunderland (Foto: Getty)
O Sunderland, por sua vez, só chegou uma vez nos primeiros 45 minutos e foi quem esteve mais perto de marcar. Aos 44', Pienaar superou Lloris, mas Walker  como no jogo contra o Stoke  salvou em cima da linha. E essa foi a melhor chance de um primeiro tempo que terminou empatado: 0 a 0.

O segundo tempo começou como havia terminado o primeiro: o Tottenham bastante superior, trocando passes no campo de ataque e buscando o gol, sem sucesso. A melhor chance foi com Son, que recebeu na esquerda e finalizou na rede, só que pelo lado de fora.
Harry Kane abriu o placar no White Hart Lane (Foto: Getty)
O alento veio só aos 16 minutos, quando Walker cruzou da direita, Alli escorou para o meio da área e a bola resvalou em Djilobodji, mas defensor não conseguiu afastar o perigo. Na sobra, Kane teve a chance, livre, na pequena área e não titubeou. Foi o primeiro gol em Londres e o segundo do artilheiro na edição 2016/17.

Após abrir o placar, o time londrino continuou melhor na partida, tendo algumas chances de ampliar. Aos 28', a bola foi rebatida na área e Dier acertou um chute a queima-roupa, antes de ser substituído por Davies. Já com Lamela em campo no lugar de Dembélé, o argentino quase ampliou em um chute cruzado, aos 41 minutos.

No fim da partida, Kane sentiu em uma dividida e teve que ser substituído, dano lugar à Janssen. Nos acréscimos, Januzaj ainda recebeu o segundo amarelo e, consequentemente, o vermelho. Entretanto, restou pouco tempo que a vantagem numérica fosse aproveitada, já que o árbitro logo apitou pela última vez.

Apesar do placar magro, os Spurs conseguiram mais um resultado importante, mantendo a invencibilidade e se aproximando das primeiras colocações  apenas 1 ponto do vice-líder Everton e à 4 do líder Manchester City. Com as derrotas de Chelsea e Manchester United, o Tottenham assumiu a 3ª colocação, entrando no G-4 pela primeira vez.  

#COYS

Por: Marcelo Júnior || Twitter: @marcelinjrr / @SiteLF / @PLBrasil_LF

Freguês bom é freguês fiel: Palmeiras vence a terceira contra rival no ano e mantém liderança

Depois de jogar muito mal e arrancar um sofrido empate diante do Flamengo, o Palmeiras tinha pela frente um jogo contra o grande rival fora de casa. Além do time adversário, entrava em campo uma longa invencibilidade de trinta e quatro jogos. Nada que deva ser levado em consideração, afinal todos sabem que quem manda em Itaquera é o Verdão.

E nem demorou a colocar ordem na casa. Logo aos quatro minutos, quando os times se estudavam, Dudu centrou a bola por baixo e viu Vilson fazer uma lambança dentro da área. Moisés aproveitou a sobra e, em dois lances, colocou o Palmeiras na frente. O gol, inclusive, foi muito parecido com o que Zé Roberto marcou no ano passado em outra vitória por 2x0.

O gol cedo era o que o Verdão precisava para jogar à vontade mesmo sem torcedores presentes no Itaquerão. O Corinthians teve a bola o tempo todo, mas foi incapaz de articular uma jogada sequer para incomodar Jailson que, na prática, assistiu à partida dentro de campo. Quem quase marcou foi o Palmeiras: Erik perdeu um gol na pequena área.

Mina voltou a marcar em clássico: ele já havia feito gol contra Santos e São Paulo.
(Foto: Globo Esporte)
A segunda etapa manteve o ritmo da primeira. Com exceção feita por uns dez minutos em que o rival ficou pressionando com bolas na área, o jogo foi bastante controlado. As melhores chances eram verdes, como outro gol incrível perdido por Leandro Pereira na pequena área. E depois de perder diversas chances, Mina aproveitou para marcar o segundo gol palmeirense – seu terceiro gol em clássicos.

Apesar de perder a oportunidade de um placar ainda mais elástico, a vitória ficou de ótimo tamanho. Quem vive o Derby sabe o peso que ele tem e um tropeço aqui seria catastrófico – ainda mais considerando que o Flamengo certamente ganharia do fraco Figueirense como de fato o fez. Vale lembrar ainda, o Verdão venceu as três partidas contra o rival no ano e sequer levou gol.

Vencedores, os jogadores alviverdes pegam a moral de quem vence um jogo gigantesco e encerra a sequência difícil de cinco partidas com ótimo aproveitamento e nenhuma derrota. O próximo jogo é contra o Coritiba e o time deve entrar descansado já que não há necessidade de colocar os titulares contra o Botafogo-PB pela Copa do Brasil.

O DESTAQUE: O grande trunfo palmeirense na vitória deste Derby foi o coletivo, com uma partida taticamente perfeita. Pelo gol e pela importância tanto na marcação quanto na transição para os contra-ataques, Moisés merece o destaque desta vez.


BOLA MURCHA: Com nova oportunidade após a suspensão de Jesus, Leandro Pereira causou calafrios na torcida palmeirense. Apesar de todo esforço na marcação (onde, diga-se, foi muito aplicado), perdeu um gol incrível no começo da segunda etapa que poderia ter complicado a partida.
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana