A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Botafogo é finalmente eliminado da Copa do Brasil

O Botafogo foi até o Mineirão encarar o Cruzeiro pela partida de volta das oitavas de final da Copa do Brasil. Em desvantagem, Jair Ventura optou por um time misto, quase reserva, visando dar oportunidade aos jogadores que não vêm sendo utilizados. E como era de se esperar, a Raposa novamente venceu, dessa vez pelo placar mínimo, sem dificuldade. O Alvinegro agora volta a focar exclusivamente no Campeonato Brasileiro. Pela competição, entra em campo no próximo sábado (24), para encarar o lanterna América-MG. 

(Foto: Washington Alves/ Lightpress)
O JOGO

O primeiro tempo foi fraco, com pouquíssimas chances de gol. O Cruzeiro, com vantagem elástica, não fez questão de atacar muito. E o Botafogo, que não tinha nada a perder, idem. A primeira boa oportunidade foi do Alvinegro, aos 16 minutos, com Rodrigo Lindoso, que de fora da área resolveu arriscar. O goleiro Rafael defendeu e deu rebote, mas não tinha um jogador botafoguense para aproveitar a sobra. Aos 24', trapalhada do Glorioso. Bruno Silva (sempre ele), recuou de forma completamente atabalhoada e Helton Leite, no desespero, dominou mal, escorregando. Por sorte conseguiu afastar a bola antes de Ábila. Aos 31', o Cruzeiro poderia ter inaugurado o placar, com Manoel, de cabeça. Mas o gol da equipe mineira saiu poucos minutos depois, mais precisamente aos 36', em um cabeceio de Bruno Rodrigo após cobrança de escanteio. Aos 38 minutos, Leandrinho ainda arriscou de longe e mandou bola rente ao travessão. E foi só. Sem acréscimos, o árbitro encerrou o primeiro tempo.   

O Alvinegro voltou com a mesma equipe para o segundo tempo. Aos 4', em um lampejo, Diego fez boa jogada pela direita, levou até a entrada da área e deixou a bola no jeito para Luis Henrique carimbar. O atacante, no entanto, chutou torto e desperdiçou ótima chance. Aos 13', Jair Ventura fez logo duas alterações, tirando Salgueiro e Luis Henrique para as entradas de Gervasio Núñez e Rodrigo Pimpão, respectivamente. Cruzeiro e Botafogo trocavam passes sem objetividade. 

Aos 22 minutos, Gervasio Núñez arriscou de fora da área e obrigou o goleiro Rafael a mandar a bola pela linha de fundo. Aos 26', Rafinha pegou rebote na entrada da área e emendou um chute perigoso. Dois minutos depois, a Raposa quase ampliou em bela cobrança de falta de Edimar, que acertou o travessão. Aos 33', foi a vez de Willian levar perigo e quase marcar em cabeceio que tirou tinta da trave de Helton Leite. Jair Ventura promoveu a última substituição no Botafogo, sacando Rodrigo Lindoso e colocando Vinícius Tanque. Aos 48 minutos, o jogo terminou. 

OBSERVAÇÃO


Na verdade, esse jogo de volta era o mais desnecessário da temporada. Ainda bem que Jair Ventura optou por um time reserva, afinal, não fazia sentido escalar titulares para uma partida que nada valia. Quer dizer, valia uma oportunidade para os reservas, os atletas pouco utilizados, preteridos. Esperava-se que esses jogadores mostrassem o mínimo de futebol como retribuição pela chance dada, porém, nem isso aconteceu. Bom, foco no Brasileiro, que é o que nos interessa. Que possamos atingir logo os 45/46 pontos salvadores! 

FICHA DO JOGO


Cruzeiro 1

Rafael, Lucas, Manoel, Bruno Rodrigo, Edimar; Henrique, Ariel Cabral (Denílson), Rafinha, Arrascaeta, Élber (Alisson); Ábila (Willian). Técnico: Mano Menezes.  

Botafogo 0 

Helton Leite, Diego, Renan Fonseca, Emerson Silva, Victor Luis; Rodrigo Lindoso (Vinícius Tanque), Dierson, Bruno Silva, Leandrinho, Salgueiro (Gervasio Núñez); Luis Henrique (Rodrigo Pimpão). Técnico: Jair Ventura. 

Estádio: Mineirão (MG).

Árbitro: Marcelo Aparecido R de Souza (SP).
Assistentes: Fabiano da Silva Ramires (ES) e Herman Brumel Vani (SP).
Gol: Bruno Rodrigo (36' do 1º T).
Cartões amarelos: Leandrinho, Emerson Silva, Gervasio Núñez e Victor Luis (Botafogo); 

Público: 10.604. 
Renda: R$ 176.106,00. 

Por: Gabriel De Luca (@biel_dluca).  

Diogo Silva segura Ceará e Luverdense conquista ponto importante fora de casa

Jogar contra o Ceará no Castelão nunca foi tarefa fácil. Passando um grande sufoco em boa parte do jogo e com Diogo Silva mais uma vez em noite inspirada, o Luverdense pode comemorar o ponto conquistado fora de casa no empate sem gols contra o alvinegro cearense – o segundo consecutivo, já que também havia empatado por 0x0 contra o Vila Nova.

Contra um time que ainda não venceu no returno, o técnico Júnior Rocha tinha a estratégia bem clara: marcação forte, linhas compactas e uma saída rápida para os contra-ataques quando possível. Com o passar do tempo, era possível que a torcida adversária mostrasse certa impaciência.

O primeiro tempo foi bastante equilibrado. Por mais que tivesse a bola e criasse algumas situações de gol, o Ceará não jogava com tranquilidade. A primeira boa chance do jogo foi dos cearenses, mas o Verdão do Norte logo respondeu e Hugo ficou muito perto de marcar, exigindo ótima defesa do goleiro Lauro naquela que foi a melhor chance alviverde. Os minutos finais da primeira etapa apresentaram um duelo particular de Felipe Menezes e Diogo Silva. O meia finalizou diversas vezes e viu Diogo começar a mostrar que não seria vazado facilmente.

Bill até tentou, mas não conseguiu marcar contra Diogo Silva.
(Foto: Globo Esporte)
No segundo tempo, a pressão cearense foi ainda maior. Desde os primeiros minutos a bola rondou perigosamente a área do Luver, que se defendia como dava. Os contra-ataques não encaixavam e o gol do Ceará parecia questão de tempo. Apenas parecia: em noite muito inspirada, Diogo fez defesas sensacionais e evitou a derrota. O goleiro do Luverdense até foi vazado, mas com a mão e o juiz anulou corretamente.

Voltando para casa sem ser derrotado e com dois pontos, o Verdão do Norte poderá assistir o restante da rodada de camarote para tentar decidir o seu futuro nas próximas duas rodadas, quando recebe Tupi e Paraná. Fazendo bem a sua parte, o time de Júnior Rocha encaminha bem a manutenção e pode, por que não, continuar sonhando com o acesso. Na pior das hipóteses, o primeiro time do G4 ficará seis pontos distante.

Mais um empate na conta do Ceará

Na noite desta terça-feira (20), o alvinegro recebeu a equipe do Luverdense na Arena Castelão e apenas empatou por 0x0 em uma partida que ficou marcada pelas oportunidades perdidas do Vozão. Mesmo assim, o resultado foi o suficiente para retomar ao G4, ainda que seja temporário.


(Foto: Christian Alekson/CearáSC,com)
O alvinegro de Porangabuçu não fez uma má partida contra a equipe do Mato Grosso, apenas não soube aproveitar as várias chances que teve de abrir o placar e garantir os três pontos. O atacante Bill tem uma parcela de culpa no resultado, infelizmente. Perdeu gols feitos e que eram comuns até a partida contra o Atlético-GO, já nesse segundo turno de Série B. Foram muitas oportunidades perdidas que, se contassem como gol, o placar sairia no mínimo por 4x0.

O Ceará teve total domínio de jogo, tanto no primeiro quanto no segundo tempo. Quando foi surpreendido pela equipe do Luverdense, o goleiro Lauro, que estava substituindo o titular Éverson, foi muito bem. O Vozão contou também com dois gols invalidados, o primeiro por toque claro na mão do atacante Bill, que tomou um cartão amarelo logo em seguida, e o segundo por impedimento do também atacante Lêle.

O resultado infelizmente não pode ser comemorado, já que o alvinegro não vence em casa desde a 16ª rodada, quando ganhou do Criciúma por 1x0. A partida daí, foram só empates e derrotas, ou seja, o Ceará fez um brilhante primeiro turno e faz um péssimo segundo.

Na próxima rodada, o Vozão enfrentará a equipe do Brasil de Pelotas, no estádio Bento de Freitas, às 21h. Só resta a nós, torcedores apaixonados do Ceará Sporting Club, acreditarmos que podemos reencontrar o caminho das vitórias e voltar a briga pelo tão sonhado acesso a Série A do Campeonato Brasileiro.

Thomaz Gomes | @thomazgomes_

Hóquei: um esporte bem brasileiro

Conhece o hóquei sobre a grama? Este esporte com descendência milenar, é olímpico. E nos próximos parágrafos, será possível conhecer um pouco deste belo esporte e alguns motivos que podem torná-lo popular no Brasil.

Resultado de imagem para field hockey

O jogo moderno como praticado hoje tem origem na Inglaterra do século 18 e o objetivo do jogo é bem simples, marcar gols. O Hóquei sobre Grama é olímpico; Em 1908 participou como esporte demonstração em Londres, mas foi a partir de 1928 em Amsterdã que passou a valer medalhas.

A modalidade não é muito popular no Brasil, porém, se assemelha ao futebol, que é tão enraizado em nossa cultura. Entre as principais semelhanças entre o hóquei e o nosso esporte mais popular estão: as equipes são compostas por 11 jogadores (10 de linha e 1 goleiro), assim como no futebol, temos jogadores de defesa, laterais, meio campo e atacantes; Aos entusiastas por esquemas táticos, saibam que no hóquei pode-se jogar perfeitamente em um 4-3-3 e a dinâmica do jogo se aproxima do que é realizado no futebol. As dimensões do campo são bem similares as do futebol, sendo disputada predominantemente em superfícies sintéticas.

hoquei-grama-quadra

Entre as particularidades do hóquei, a principal é o fato de os gols poderem ser marcados apenas dentro do semicírculo próximo ao gol que é a chamada área de chute, o contato físico também é limitado. No hóquei só é permitido tocar a bola com a parte interna do taco (que é plana), o jogador não pode usar o corpo para tocar a bola (exceto o goleiro) toda vez que a jogada é paralisada, seja por falta ou saída da bola, o jogador pode sair jogando sozinho, sem necessitar passá-la à alguém.

Resultado de imagem para hoquei sobre a grama
Foto: Gabriel Heusi/Heusi Action/Brasil2016.gov.br
O esporte ainda é embrionário no país, mas alguns motivos podem ajudá-lo a se popularizar. O Brasil tem vários campos sintéticos para a prática do futebol society e que podem tranquilamente serem utilizados para o hóquei, o mesmo pode ocorrer nas quadras de futsal que são idênticas as do hóquei indoor, outra alternativa para a prática do esporte, além disso o brasileiro gosta de esportes coletivos com bola e que marquem gols, sendo uma boa alternativa em aulas de educação física.


Por: @carlosjr92educa
Carlos Alberto de Sousa Júnior - Colunista do Crystal Palace

←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana