A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

terça-feira, 27 de setembro de 2016

Week 3 da NFL: Muitas interceptações e turnovers

(Foto: Divulgação/NFL)
Foi uma semana difícil para os quarterbacks no futebol americano. O número de interceptações foi grande por jogos e só Ryan Fitzpatrick conseguiu bater o recorde por partidas, sofrendo incríveis seis turnovers sozinho. Também presenciamos o famoso jogo que ninguém quer vencer, com Miami Dolphins e Clevelando Browns indo até para a prorrogação.

Confira os resultados e resumos da terceira semana de jogos da NFL:

Houston Texans 00@27 New England Patriots
Nem com o terceiro quarterback é possível parar New England. Sem Tom Brady ou Garoppolo? Sem problemas. Jacoby Brissett deu conta do recado e, contra todas as apostas, o Patriots conseguiu uma vitória avassaladora em Foxborough. O pass rush de Houston não teve chances, foi um verdadeiro atropelamento. O QB Brock Osweiller não conseguiu sequer passar para o campo de ataque no primeiro tempo, o que mostrou a superioridade gritante dos Pats. O RB LeGarrette Blount foi destaque com dois touchdowns.

Arizona Cardinals 18@33 Buffalo Bills
O Cardinals não teve a menor chance diante do Bills. Com um ataque muito ruim e dominação completa do time da casa ofensiva e defensivamente, Arizona teve diversos problemas e quatro interceptações, o que prejudicou ainda mais o desempenho da franquia. Buffalo deu alegria a seu torcedor e, em dia inspirado do pelo running back LeSean McCoy, que teve 17 corridas para 110 jardas e dois touchdowns, chegou a sua primeira vitória da temporada.

Minnesota Vikings 22@10 Carolina Panthers
Mesmo jogando em casa, o ataque explosivo do Panthers não conseguiu ser páreo a forte defesa do Vikings. No primeiro quarto, o time da Carolina do Norte começou muito melhor e parecia mais um daqueles passeios dos Panthers no Bank of America Stadium. Entretanto, as coisas começaram a mudar no segundo quarto, quando Sam Bradford começou a soltar o braço. Mesmo sem o quarterback Teddy Bridgewater e o running back Adrian Peterson, ambos lesionados, a franquia de Minnesota continua competitiva e lidera a NFC Norte invicta. Méritos à defesa, que mais uma vez se destacou, impondo muitas dificuldades ao ataque adversário, e conseguiu três INTs e oito sacks em Cam Newton.

Denver Broncos 29@17 Cincinnati Bengals
Quem está sentindo falta de Peyton Manning? Mais uma vez, Trevor Siemian teve atuação convincente e comandou a equipe rumo à vitória – a terceira na temporada. Nas duas primeiras rodadas, Broncos havia repetido a receita que deu certo em 2015: A defesa forçando turnovers em momentos decisivos e não deixando o adversário jogar. Trevor Siemian, discreto, fazia o necessário para garantir a vitória. Nessa rodada, contudo, o QB teve uma atuação de gala, com 312 jardas e quatro passes para touchdown. Rating incrível de 132.4. Emmanuel Sanders foi o seu alvo favorito, com nove recepções, 117 jardas e dois touchdowns.

Detroit Lions 27@34 Green Bay Packers
Aaron Rodgers foi o grande destaque, lancou 15 dos 24 passes tentados para 205 jardas e concluiu quatro touchdowns. Seu principal recebedor, Jordy Nelson, teve seis recepções, 101 jardas e dois touchdowns. A vitória de Green Bay foi construída principalmente no primeiro tempo, já que o placar marcava 31 a 10. O Lions ainda tentou reverter à desvantagem com Marvin Jones, mas a reação foi tarde demais e Rodgers concluiu, em jogada terrestre, a vitória do Packers.

Baltimore Ravens 19@17 Jacksonville Jaguars
Baltimore e Jacksonville vivem momentos bem opostos na temporada. Se o Ravens conquistou três vitórias e superou seus desafios, o Jaguars segue sem saber exatamente o que fazer quando está na frente do placar. Com um último quarto emocionante, a franquia visitante conquistou outro resultado positivo na Flórida. Só no período final, foram quatro interceptações, field goal bloqueado e até quarta descida. Quem resolveu claro, foi Justin Tucker, o kicker que quase nunca erra, e colocou Baltimore na frente com chute de 54 jardas.

Vai um jogador aí? (Foto: Divulgação/NFL)
Cleveland Browns 24@30 Miami Dolphins
Esse é um daqueles jogos que poderiam durar eternamente, já que as equipes evitam a vitória a todo custo. Em Miami, o Dolphins venceu sua primeira partida nesta temporada e conseguiu bater o fraco Browns, que estava com o terceiro QB e segue sofrendo com diversas lesões. O confronto foi duro e, com dois turnovers nos dois primeiros drives, foi difícil alguém sair comemorando. Cleveland teve a chance de fechar o placar com o kicker Cody Parkey, mas ele errou o FG no último segundo e o jogo foi para a prorrogação.
Com o placar em 24 a 24, as equipes iniciaram o over time com punt dos dois lados, o que mostrava, mais uma vez, que ninguém queria vencer. Depois, o RB Jay Ajayi conseguiu corrida de 11 jardas e fez o TD que deu a vitória ao Miami Dolphins, acabando com o drama.

Washington Redskins 29@27 New York Giants
A crise de raiva de Odell Beckham Jr e a reação dos jogadores do Redskins após o fim do jogo mostrou exatamente o que foi o confronto. Em grande duelo de divisão, as franquias batalharam bastante pelo resultado. É verdade que o domínio inicial foi do Giants, que conseguiu touchdowns logo enquanto Washington parava sempre no field goal. Entretanto, o placar ficou apertado logo antes do intervalo e, na volta para a etapa final, o Redskins se impôs, marcando o segundo TD.
As equipes brigaram muito por jardas e corridas, mas as defesas foram destaque e foi bem difícil pontuar. Apenas FGs foram marcados depois do TD do início do quarto. Na última campanha do jogo, a chance da virada estava nas mãos do QB Eli Manning e, para variar, ele lançou uma interceptação, jogando a vitória nas mãos de Washington.

Oakland Raiders 17@10 Tennessee Titans
Definitivamente não foi o dia de Marcus Mariota. O QB do Titans sofreu muitos turnovers, sendo duas interceptações e dois fumbles, e não conseguiu manter o bom desempenho terrestre em destaque. O Raiders, que não tem nada a ver com isso, pode até não ter pontuado na etapa final, mas conseguiu construir a vantagem já no início e, mesmo na casa do adversário, levou a vitória para Oakland.

San Francisco 49ers 18@37 Seattle Seahawks
Foi um verdadeiro atropelamento do Seahawks. Em casa e com grande desempenho de seu ataque, a franquia de Seattle já estava com 24 a 3 no placar no intervalo e não deu nem chance ao 49ers. Russell Wilson saiu machucado após sack no terceiro período, mas isso não impediu a equipe de pontuar. Do outro lado, San Francisco teve partida para ser esquecida, já que apenas o RB Carlos Hyde fez alguma coisa e já era tarde demais.

Los Angeles Rams 37@32 Tampa Bay Buccaneers
Foi um belo confronto no Raymond James Stadium, já que as equipes conseguiram pontuar bastante e lutaram pelo resultado até o fim. A emoção desse jogo passou das quatro linhas. Para completar a grande disputa entre as equipes, o tempo não ajudou em nada e o jogo foi paralisado pelos ventos fortes, raios e uma tempestade muito grande chegando ao estádio. Depois de uma hora esperando, tudo voltou ao normal e Jameis Winston quase levou sua equipe a vitória, mas não conseguiu o TD.

San Diego Chargers 22@26 Indianapolis Colts
Finalmente o Colts conseguiu uma vitória na temporada. Após duas derrotas, a equipe jogou no Lucas Oil Stadium para buscar o resultado positivo e, mesmo diante de um embalado San Diego, venceu. A defesa de Indianapolis surpreendentemente funcionou e atuou bem, forçando turnovers e sendo muito importante no confronto. O Chargers bem que tentou e conseguiu empatar depois de um fumble de Andrew Luck ainda na primeira metade do jogo. Entretanto, um extra point errado, deixou o time atrás no terceiro período e eles não conseguiram mais recuperar a desvantagem.

New York Jets 03@24 Kansas City Chiefs
Com uma defesa intransponível, o Kansas City Chiefs conseguiu uma vitória maiúscula sobre os Jets. Foram seis interceptações sobre Ryan Fitzpatrick, sendo uma retornada para touchdown, dois fumbles recuperados e nenhum touchdown sofrido. O ataque só precisou fazer o básico para garantir a vitória. Pelo lado do Jets, “Fitztragic” teve atuação patética, acertando apenas 20 dos 44 passes tentados. Para se ter uma ideia, os dois QBs com mais INTs na temporada (Bortles e Winston) haviam sofrido seis nos três jogos somados. Ryan precisou de um jogo para igualar a marca. Com os oito turnovers (as seis interceptações e dois fumbles) o Jets encerrou a partida com o maior número de erros em uma mesma partida nos últimos 40 anos.

Pittsburgh Steelers 03@34 Philadelphia Eagles
Caiu mais um invicto da Liga. Em desempenho terrível, o Steelers caiu feio diante do Eagles e não teve a menor chance. Quem dominou completamente foi o QB novato Carson Wentz, que mais uma vez fez um jogo espetacular, doutrinou e terminou com 301 jardas, dois touchdowns e um rating de 125,8. Um início simplesmente sensacional.

Chicago Bears 17@31 Dallas Cowboys
Chicago chegou à terceira derrota na temporada e jogou, novamente, bem mal. Cheio de desfalques - eram oito no total, e com um Dallas com vários novatos em ótimo momento, o Bears até contou com Zach Miller, que concluiu oito recepções e dois touchdowns, mas foi atropelado. Dak Prescott acertou 19 dos 24 passes tentados em 248 jardas e um touchdown. O RB Ezekiel Elliott correu para 117 jardas em 22 tentativas, sem TDs.

Atlanta Falcons 45@32 New Orleans Saints
O último jogo da semana marcou dez anos do retorno do Saints para o Superdome após o Furacão Katrina, que arrasou a cidade de Nova Orleans. O ótimo clima criado pela torcida, entretanto, foi revertido em decepção pela terceira derrota da temporada. O Atlanta Falcons, que não tem nada a ver com a festa alheia, aproveitou o terrível desempenho da defesa e conquistou touchdowns em cinco posses seguidas. Os RBs Tevin Coleman e Devonta Freeman foram destaque do Falcons, marcando quatro TDs.

Por Mariana Sá (@marigarboggini) e Janaína Wille (@janainawille).

Experiente, zagueiro Gustavo Bastos, do ABC, está próximo de conquistar mais um acesso na carreira

A semana é de trabalho intenso na preparação para o jogo de ida das quartas de final do Campeonato Brasileiro da Série C diante do Botafogo-SP, na cidade de Ribeirão Preto. O time comandado pelo técnico Geninho quer voltar para Natal com uma vitória na bagagem e assim ficar mais próximo do acesso. Para isso, conta com jogadores experientes no elenco, como é o caso do zagueiro Gustavo Bastos, que foi campeão da Série C ano passado com o Vila Nova.

- A caminhada em busca do acesso, principalmente na Série C, não é nada fácil, precisamos estar focados e encarar cada jogo como uma decisão. Foi assim na primeira fase e agora, mais do que nunca, não podemos errar, qualquer descuido pode custar o trabalho de toda a temporada. Os dois próximos jogos serão os mais importantes do ano e eu quero comemorar mais uma vez o acesso, declara Bastos.

Além de ter conquistado o acesso para a Série B em 2015 com a equipe de Goiânia, o zagueiro conhece bem o técnico da equipe do Botafogo de Ribeirão Preto. Gustavo Bastos trabalhou com o Márcio Fernandes no ano passado e isso pode favorecer a equipe alvinegra.

- Nessa fase de mata-mata quanto mais informações tivermos do adversário é melhor. Eu e o goleiro Edson já trabalhamos com o professor Márcio e sabemos como ele gosta de trabalhar, mas cada jogo é um jogo diferente e, com certeza, eles também vão entrar forte para conquistar esse acesso, avalia.

O próximo compromisso do ABC está marcado para sexta-feira (30), ás 19h, no Estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto-SP. O jogo de volta será no dia 07 de outubro, 19h, no Frasqueirão, em Natal.

Foto: Assessoria de Comunicação / ABC FC

Lei do ex: Jobinho marca na sua estreia e Paysandu vence

Nesta segunda-feira (26), o Paysandu enfrentou o Bragantino, na partida de encerramento da 27° rodada da Série B. Os dois times lutavam pelo mesmo objetivo e a vitória era essencial para se afastar da zona de rebaixamento.

O jogo marcava também o reencontro de Dado Cavalcanti x Marcelo Veiga, o técnico do Braga já havia comandando o rival do clube alviazul e enfrentado o time do Papão em três oportunidades. Com esta partida, Dado e o Paysandu confirmaram sua superioridade e garantiram a terceira vitória em cima do técnico alvinegro.

A primeira jogada de perigo saiu aos 15', após Bruno Pacheco e Alan Mineiro errarem a jogada ensaiada de escanteio, Edson Ratinho aproveitou para puxar o contra-ataque e abrir em Tiago Luís, que cruzou na cabeça de Jonathan, mas a bola acabou batendo no zagueiro Ednei. No minuto seguinte veio à resposta do Massa Bruta, Alan Mineiro recebeu na direita e cruzou para Grampola, que acabou cabeceando por cima do gol.

1, 2, 3 vezes Paysandu. (Foto: Fernando Torres/ASCOM Paysandu)
O jogo parecia caminhar para o zero a zero e mesmo com as oportunidades claras, como a falta de Rafael Costa que passou raspando a trave de Felipe e quando Leo Jaime cruzou para área e Ratinho quase fez contra, foi assim que a partida terminou no primeiro tempo.

No segundo tempo, o time da casa resolveu fazer jus a sua campanha de mais de um ano invicto no Mangueirão. E aos quatro minutos, numa bela troca de passes, Leandro Cearense fez a parede para Tiago Luís achar Jonathan na área, o volante bateu cruzado e Jobinho pareceu de carrinho para empurrar para as redes, fazendo valer a Lei do Ex. Dez minutos depois, Ednei dividiu com Cearense e a bola sobrou para Rodrigo Andrade deixar o camisa 9 cara a cara com Felipe, Leandro demonstrou a frieza de centroavante e mandou por cima do goleiro visitante.

E ainda dava tempo de sair mais um. Em nova triangulação entre eles, Leandro Cearense cruzou para área e Tiago Luís ajeitou com o peito para Jonathan fuzilar e marcar o 3° gol do Lobo e da partida.

O Paysandu chegou ao 16° jogo sem perder no Mangueirão, já são nove vitórias e sete empates, com 30 gols marcados e 13 sofridos. Com a vitória o time bicolor chegou aos 35 pontos, indo para a 13ª colocação e ficando a oito pontos da zona e a sete do acesso.

Palavra da colunista: Os números de Tiago Luís pelo Papão impressionam, já são cinco gols e cinco assistências em 13 jogos, de longe o melhor do meio bicolor. Junto dele, Leandro Cearense parece ter sido substituído por um irmão gêmeo que não nos causa tanto estresse. Os dois juntos tem ajudado muito o clube, armando e completando jogadas de perigo.

Com exceção das laterais, essa foi uma das melhores escalações do time na Série B. Pelo menos na teoria, na prática, vimos um Rafael Costa que não consegue corresponder às expectativas, mas um time que de certa forma, vimos o time conseguiu corresponder à altura.  Apesar de um primeiro tempo não tão bom, no segundo, vimos à equipe sobrar em campo.

Jobinho estreou da melhor forma possível, jogando bem e fazendo gol. Porém ainda é cedo para avaliar. Outra atuação que merece destaque é a de Rodrigo Andrade, mais conhecido com Pelézinho, que desarmou bem demais e como bom volante, não teve medo de fazer faltas necessárias.

Próximo confronto: O Papão volta aos gramados nesta sexta-feira (30), contra o Avaí, às 21h30min, na Ressacada.

Cássia Gouvêa || @_cassiagouvea
Linha de Fundo || @SiteLF

O meu lugar

(Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)
Vitória
s.f.substantivo feminino; do latim victoria 
palavra de sete letras
Ação ou efeito de vencer. Qualquer sucesso, êxito ou vantagem alcançada. Triunfo.
Vitória. Vitória pode ser um nome feminino que carrega sentido de sucesso. Na mitologia romana, Vitória é a deusa que personifica justamente o êxito e foi venerada por muitos anos na Roma Antiga. Em um pedaço do Espírito Santo, Vitória é a capital, dona de tantas grandes partes da cultura brasileira.

Aproximadamente 15km separam a pequena Cariacica da grande Vitória, a capital do Espírito Santo. O local de 279,975 km² faz parte de um pedaço chamado Região Metropolitana, formada por sete municípios. Sim, sete. O último senso do IBGE indicou que 348.933 pessoas habitavam Cariacica. Em 2016, mais de 40 milhões olharam para esse pacato local e, juntos, se encantaram com a magia desse lugarzinho particular.

Cariacica tem nove letras, o que sai totalmente da grande mística do número sete. Porém, há mais em Cariacica do que um número qualquer que se destoa. São sete - olha ele novamente - jogos em 2016. Sete vitórias. Doze gols marcados e apenas quatro sofridos. América Mineiro (este duas vezes), Internacional, Atlético Paranaense, Ponte Preta e Cruzeiro viram a fúria rubro-negra em território capixaba, ou espírito-santense. O Figueirense, coitado, sofreu a virada de um time que, segundo certo jogador, já estava morto e foi eliminado da Sul-Americana em solo sagrado.

Sim, sagrado. O Espírito Santo abençoou um Flamengo que lutou por muito tempo para ter seu solo próspero, seu habitat natural, mas perdeu a batalha para um comitê que pouco sabe de torcedores ou de um fanatismo que não pode ser contido, nem por quilômetros, nem por qualquer tentativa de nos afastar. Cariacica se tornou a casa de milhares de rubro-negros e o Kléber Andrade o território flamenguista, lotado até não caber mais ninguém. E, amigo, ninguém conseguiu parar o Flamengo por lá.

O texto de hoje não é sobre geografia ou religião, por mais que conte com uma grande parcela de fé. Não é sobre soma de letras, números e contas das mais viajadas e maravilhosas possíveis que resultam no número sete. Não é sobre um jogador ou outro que, com a brilhante mente de Zé Ricardo, sai do banco de reservas direto para o fundo da rede. O texto de hoje é sobre aquele lugar que, quando o mundo, destino ou qualquer força louca está ao seu lado, se torna seu porto seguro.

Não escolhi o título desse texto à toa. A frase remete ao consagrado samba de Arlindo Cruz, Madureira, algo bem carioca de um local ainda mais carioca. Esta música foi escolhida por um trecho específico: "O meu lugar é cercado de luta e suor, esperança num mundo melhor e cerveja pra comemorar".


(Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)
Lutamos e lutamos muito. Dentro, fora, em nossas casas, em cada barzinho que tem a tv dividida por várias cabeças aflitas. O suor daqueles que dão o sangue pelo Manto, aquele suor frio quando, aos 30 minutos do segundo tempo, a torcida adversária começa a gritar "olé" em sua casa. A cerveja nem precisa de explicação, é a companheira fiel de arquibancada. E a esperança? Essa está sempre, em cada reza, cada olhar desesperado para o céu, cada pulinho para santos diversos, cada pedido a São Judas Tadeu.

Nosso mundo melhor é aquele que o Flamengo vence sempre, seja no Maracanã, no Kléber Andrade, em São Paulo, no Chile, na lua. É aquele que faz cada um, em tantos cantos desse Brasil, sair gritando por um gol da virada aos 45 minutos do segundo tempo. É aquele que o sofrimento é recompensado pela certeza de que não vamos desistir.

O meu lugar é onde quer que o Flamengo esteja. E a minha felicidade? Ela vem de uma bandeira rubro-negra no lugar mais alto, onde sempre deve estar.

Mariana Sá | @marigarboggini 

Empate com gosto de derrota

Em uma tarde em que a arbitragem de Martin Atkinson foi bastante confusa em alguns momentos, sendo destacados dois lances duvidosos de pênalti à favor da equipe da casa. Joe Allen abriu placar para a equipe do Stoke City, mas com uma falha da zaga ,o time sofreu o empate no último minuto.

1317612
Pequeno torcedor assistindo o jogo (Foto: The Sentinel)
Mark Hughs nesse jogo optou por manter o goleiro Grant, que vale destacar fez uma ótima partida e não teve culpa no gol sofrido. O manager do Stoke também contou com a volta do seu meio campista, camisa 22 Shaquiri e o seu volante Whelan.

O jogo começou bastante pegado e com chances para os dois lados. A equipe visitante apostou bastante nas jogadas pelas laterais, aproveitando o talento de Chadli, que parecia estar bastante inspirado. Em uma delas, aos 10 minutos, participou de uma triangulação na lateral do campo que resultou em um chute colocado de Rondón a esquerda do gol de Grant.


Logo em seguida, o Stoke tentou a resposta e aconteceu a primeira polêmica. Depois de um bate-rebate na entrada da área, a bola sobrou para Pieters, que tentou uma tabela com Arnautovic e recebeu a bola dentro da da área, mas foi empurrado por Philips pelas costas e foi ao chão. Martin Atkinson estava bem perto no momento do lance, mas mandou o a jogada seguir.

O Stoke se lançou ao ataque e Glen Johnson apostou bastante nas jogadas individuais pelas laterais do campo. Antes do fim do primeiro tempo, o lateral tocou para Cameron, que pegou de primeira na bola e cruzou na área da equipe visitante; Na sequência, Bony se antecipou na jogada e tocou de cabeça para Johnson, que tentou o chute de primeira e encobriu o goleiro Foster, mas o Dawson evitou o gol em cima da linha.

Allen voltou determinado no segundo tempo (Foto: Divulgação/Site do Stoke City)

No retorno dos times para etapa complementar, Allen parecia bastante determinado em fazer a diferença. Logo no começo do segundo tempo, Arnautovic recebeu uma bola pela lateral do campo e tentou cruzar meio sem jeito para dentro da área, a zaga da equipe visitante acabou falhando e Allen cabeceou a bola sozinho, mas a bola rebateu na zaga adversária e foi para fora.

Logo em seguida aconteceu mais uma polêmica, novamente em uma tabela feita por Pieters e Arnautovic na entrada da área, o lateral foi tocado dentro da área por trás e foi novamente ao chão. Porém, o juiz, novamente estava perto do lance e mandou a jogada seguir, para desespero de Mark Hughs no banco.


Allen e Arnautovic comemorando o gol (Foto: Divulgação/ Site do Stoke City)

Em um segundo tempo de bastantes oportunidades para a equipe da casa ,Mark Hughs decidiu apostar na bola aérea, colocando Crouch no lugar de Bony. Todavia, não foi o "gigante" que marcou de cabeça, e sim, um baixinho. Após cruzamento de Shaqiri, a zaga adversária tentou afastar, mas Allen aproveitou a sobra e abriu o placar para o Stoke City.

Após o gol, os visitantes tiveram outra postura e mudanças na equipe, que surtiram efeito. O West Bromwich se encontrava no ataque e insistiu nos chutes de longa distância. Porém, o empate veio apenas na bola parada, já no fim da partida.

Rondon deu números finais a partida (Foto: The Sentinel)
Aos 90', depois de uma confusão na área do Stoke City, o zagueiro Indi se precipitou e colocou uma bola que era do goleiro Grant para a linha de fundo. A zaga acabou não entendo muito o que ele fez mas esperaram a conclusão do escanteio. Na cobrança, Leko mandou para a área e, depois de três tentativas para o gol, Rondon finalmente acertou uma cabeçada na bola e empatou a partida no final do jogo.

Os torcedores do Stoke City não acreditavam no que aconteceu ali, mais uma vitória que escapou no final do jogo. Mark Hughs ficou incrédulo no banco. Fim de jogo, Stoke City 1 x 1 West Bromwich. Os Potters seguem sem vencer nessa edição da Premier League e agora assumem a vice-lanterna, graças ao empate com sabor de derrota diante da sua torcida, no Britannia Stadium.

Na próxima rodada no dia (2/10) ,o time terá um desafio muito difícil, já que o Stoke City enfrentará o Manchester United e o lema no vestiário é vencer ou vencer para poder sonhar com dias melhores.

COME ON POTTERS!

Por: Yuri Ramos || Twitter: @yuriramosq
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana