A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Para lavar a alma

Na noite desta terça-feira(4), de casa nova o Vila Nova voltou a vencer em Goiânia. O Tigre não sabia o que era vencer um jogo em casa a exatamente 2 meses, a última vitória do time no Brasileirão Série B foi no dia 2 de agosto diante do Joinville por 2a1. Durante esse período o torcedor perdeu a paciência após as derrotas para Náutico e Londrina, e os empates contra o Luverdense é Atlético.

Graças ao gol salvador do atacante Joãozinho, é as belas defesas do goleiro Saulo que chegou a defender um pênalti na partida, isso mesmo um pênalti. O time saiu do novo Olímpico de alma lavada. Saulo foi um dos destaques da vitória por 1a0 diante do Oeste, que ainda teve o retorno do atacante Frontini ao time.
Joãozinho autor do único gol da partida. Foto: Reprodução / Vila Nova Futebol Clube. 
 O Vila entrou em campo pressionado pelo jejum de vitórias em casa, e foi para cima do Oeste logo no início da partida. Vila ainda teve várias oportunidades desperdiçadas com o atacante Moisés. Victor Bolt novamente segurou o meio de campo vilanovense, guerreiro e com a mesma raça de sempre com ele não tem tempo perdido, ou melhor não tem bola perdida. Bolt recebeu seu segundo amarelo. Pendurado, o volante corre um grande risco de ficar fora do último clássico do ano diante do Goiás no próximo dia 15.

Saulo o "monstro" da partida finalmente mostrou o seu potencial. Em boas oportunidades criadas pela equipe do Oeste, o goleiro trabalhou bem e teve um destaque importante na vitória. A noite para o goleiro não poderia ter sido outra melhor, Saulo ainda defendeu um pênalti. Coisa bem rara de se ver. Ele ainda evitou as boas bolas da equipe paulista.
No momento em que o Saulo defende a penalidade. Foto: Reprodução / Vila Nova Futebol Clube.

O Saulo brilhou, resolveu jogar. Mas o foco da noite foi o iluminado Joãozinho o atacante entrou na partida no início da segunda etapa apagado em campo, formando o trio de atacantes ao lado dos artilheiros da equipe Frontini e Moisés. Joãozinho arriscou um belo chute de fora da área sem chances para o goleiro do Oeste, 1a0 Tigrão.

Com essa vitória o Vila Nova somou 40 pontos e abriu uma grande vantagem do Z-4, com chances de lutar entre os quatros colocados do grupo de acesso. Além disso a equipe praticamente cumpre o principal ideal do clube que era a permanência, com pequenas chances de ser rebaixado para a Série C 2017.

O próximo compromisso do Colorado e na sexta-feira(7), onde encara o Criciúma fora de casa as 20h30 da noite. Se vencer, o duelo entre Tigres o Vila pode de aproximar ainda mais do G4.

Tivemos culpa?

Na ultima terça-feira (4) o Goiás "decretou" a permanência na Série B após a derrota por 2x0 para o Avaí. Em um jogo onde os goianos foram absurdamente prejudicados pela arbitragem, a equipe esmeraldina dominou o jogo nas estatísticas, tendo mais posse de bola e jogando quase todos os 90 minutos no campo de ataque. Mesmo sendo soberano em campo, o Goiás não conseguiu transformar sua superioridade em gols que evitariam a derrota e manteria o time na briga pelo acesso. O que mais me incomoda sobre tal derrota, é que grande parte dela se deve pela arbitragem, e talvez sem essa interferência, o resultado seria diferente.

Não só Vitor(autor do gol) mas outros dois jogadores do Avaí estavam impedidos no lance
foto: globoesporte.com
Nas ultimas crônicas, constantemente elogio a forma como o Goiás vem jogando. Um jogo onde a posse de bola no campo ofensivo é prioridade, e estamos conseguindo impor isso a todos os nossos adversários(Vasco,Ceará,Paraná,Oeste etc) trazendo resultados muitas vezes satisfatórios. Porém na noite de ontem mesmo o Goiás tendo uma atuação digna de elogios, sendo que parte dela com um jogador a menos, não conseguimos concluir as jogadas, o goleiro fez milagre, ou o chute saiu fraco... enfim, desperdiçamos inúmeras chances de empatar a partida. E há um ditado claro sobre isso: "No futebol, ganha quem faz gol, e não quem merece".

Sobre a arbitragem, não há muito o que dizer. Mesmo com a expulsão de Felipe Macedo, provamos ser melhores tecnicamente que o Avaí, e continuamos atacando até o último minuto, resta apenas a decepção pelo fato do empate não ter saído. Fico com as palavras de nosso lateral Juninho, em entrevista para o Globo Esporte:

- "Pelo o que demonstramos, buscamos o jogo o tempo inteiro. Mas, desse jeito que a arbitragem fez, com todo respeito, deve ser o primeiro jogo dele (árbitro). Expulsou um jogador nosso (Felipe Macedo) quando queríamos acelerar o lateral. O treinador deles (Claudinei) meteu a mão na bola[...] Isso não é justificativa pelo resultado, mas acaba com o trabalho do ano inteiro. Esforçamos pra caramba e vem um juiz meter a mão na gente. Eu saio daqui revoltado

Ficamos tristes pela derrota, mas se pararmos para pensar, se não tivéssemos desperdiçado o primeiro turno inteiro, e quase a metade do segundo em técnicos e jogadores fracos, o trabalho do ano inteiro estaria sendo jogado fora? Estamos nessa situação por nossas próprias mãos, a diretoria errou na contratação de Léo Conde e hoje isso é um fator decisivo para estarmos ocupando a 14ª posição da tabela. O Goiás demorou a acordar pra Série B, e quando contratou jogadores bons, e trouxe um técnico que aplica um bom futebol para o nível do campeonato em si, é tarde demais.

Grande parte da nação esmeraldina se encontra desmotivada.

Sim esmeraldino, nós tivemos culpa, não no jogo de ontem mas sim no ano como todo. Mas não se desanimem, o Goiás ainda tem mais dois jogos importantes( contra Bragantino e Vila Nova) para confirmar a boa fase no campeonato. Gilson Kleina está entre os melhores técnicos do competição, e a prova foi nossa atuação ontem na Ressacada, Walter já volta no clássico contra o Vila Nova, e os matemáticos falam em milagre para subir para a Série A. O acesso é quase impossível, mas nada nos impede de lutarmos por ele até o fim, e impor respeito nesse campeonato, como já disse antes em meus textos. Desistir não está em nosso sangue.

Linha de Fundo ll @SiteLF





Vitoria convincente fora de casa

Engraçado como o Criciúma esta se tornando um visitante indigesto no segundo turno, são três vitorias, duas derrotas e um empate. Nítido como o time evoluiu no campeonato e esta totalmente motivado, queremos voltar a elite.

Foto: divulgação/criciumaec.com.br

 O time entrou muito bem tocando muito bem a bola (por incrível que pareça) e explorando bastante a velocidade na esquerda com Niltinho. Roberto pegou a sobra no cruzamento batido por Thiago Humberto e de esquerda, isso mesmo de ESQUERDA, acertou um belo chute e abriu o placar para o tigre catarinense.

Ainda no primeiro tempo depois de um chutão, Roberto mandou uma casquinha para Jheimy que só teve o trabalho de chutar no cantinho do goleiro e ampliar o placar. Depois dos gols o Criciúma pressionou bastante e dominava o jogo, porém o placar permaneceu 2x0.

Na parte tática o time mudou significativamente com a saída do volante Felipe Guedes e a entrada do meia Thiago Humberto, o tigre ficou mais ofensivo e com um toque de bola melhor e com muita velocidade, como não víamos a tempo 
 

"Desde cedo te sigo
Com o tigre a cada momento"

@gabrielcec__

Na Juventus a parada da Data FIFA vem em boa hora.

Marchisio é um dos destaques em Vinovo (foto: Juventus.com)
Para os torcedores dos times brasileiros a data Fifa representa o risco de perder seus atletas para as rodadas seguintes dos campeonatos nacionais, mas para os de times europeus é a saudade de ver os atletas em campo. Dentro da Juventus, esta data é comemorada e quem mais trabalha é o departamento médico.

O Juventus Center de Vinovo segue aberto com plena movimentação pelos treinos dos que não foram para os jogos com suas seleções, assim como os mas os que prosseguem o processo de recuperação da forma física e obtenção da condição mínima de jogo e a lista não é pequena no centro de treinamento dos campeões italianos:

O principal nome da lista é Claudio Marchisio, o camisa 8 continua sua recuperação do problema sofrido no ligamento do joelho ao final da temporada passada e está no mês final de recuperação. 
Rugani e Asamoah sofreram, respectivamente, lesões na coxa direita e no joelho direito mas seus retornos ficarão para o fim do mês, todavia, quem volta de lesão em breve é Benatia que também ficou ausente por dores na coxa direita. O meio campista Sturaro teve alguns minutos de campo diante do Empoli e aproveita o período para obtenção da melhor forma física, mas hoje a Juve teve a confirmação de que Pjaca não teve uma fratura ou algo de grave na perna e seu período ausente deve ser de 20 dias.

Por ora a Juventus tenta a manutenção da boa forma física e técnica de Hernanes, que tem sido fundamental nos recentes jogos da equipe de Turim na vaga de Marchisio, assim como a consistência de Khedira que até então segue saudável, por isso sem quinze jogadores que defendem suas seleções e voltam pra capital da província do Piemonte apenas na semana que vem, os tetra campeões italianos seguem se preparando para o duelo do dia 15 de outubro em Turim contra a Udinese.



Thiago Bonapace
@ThiagoBonapace

Mais três pontos... E a próxima rodada promete

foto: asroma.com



Depois de vencer a Internazionale por 2 a 1 no último final de semana, a Roma se prepara para o duelo contra o Napoli, no estádio San Paolo. A partida acontece no dia 15 de outubro, serão 13 dias de preparação em busca da vitória.

Após a última rodada, a Juventus lidera a tabela com 18 pontos, seguida pelo Napoli com 14. Milan, Lazio, Chievo e Roma estão atrás com 13.

Além do confronto direto entre Roma e Napoli, Milan e Chievo se enfrentam no Marcantonio Bentegodi nessa rodada tão aguardada.

Apesar de jogar em casa, o Napoli vem de uma derrota para a Atalanta fora de casa. Já a Roma está com moral pela vitória contra a Inter. O time da capital conta com a volta dos gols do bósnio Edin Dzeko, que já balançou as redes 5 vezes em 7 partidas na temporada.

Contra a Inter foi dele o primeiro gol, com menos de 5 minutos de bola rolando. Salah tocou para Bruno Peres, que cruzou rasteiro para o camisa 9 abrir o placar.

Apesar da Inter ter ficado mais com a bola, o jogo foi equilibrado, com chances para os dois lados. 

Aos 27 minutos da segunda etapa, o time de Milão empatou o jogo com o argentino Ever Banega, que driblou o zagueiro e chutou de dentro da área deixando tudo igual.

Mas apenas 4 minutos depois do gol de empate, a Roma conseguiu ficar na frente novamente. Em uma cobrança de falta Florenzi cruzou na área e Manolas cabeceou para o gol, mas o árbitro Luca Banti marcou gol contra de Mauro Icardi. E terminou assim: Roma 2 Internazionale 1. Com a derrota a Inter permanece com 11 pontos na nona colocação.



Ficha Técnica



ROMA

1. Wojciech Szczesny
20. Federico Fazio
44. Kostas Manolas
3. Juan Jesus (C. Amarelo aos 64')
13. Bruno Peres
16. Daniele De Rossi (c)
6. Kevin Strootman
24. Alessandro Florenzi (subs. 90' -> 4. Radja Nainggolan)
8. Diego Perotti (subs. 79' -> 5. Leandro Paredes)
11. Mohamed Salah (subs. 70' -> 92. Stephan El Shaarawy)
9. Edin Dzeko (GOL aos 5')
TÉCNICO: Luciano Spalletti


INTERNAZIONALE

1. Samir Handanovic
25. João Miranda
24. Jeison Murillo
15. Cristian Ansaldi (C. Amarelo aos 36') (subs. 62' -> 55. Yuto Nagatomo)
21. Davide Santon (C. Amarelo aos 24')
4. Gary Medel
19.Éver Banega (GOL aos 72')
6. João Mario (subs. 60' -> 27. Assane Demoya Gnoukouri
44. Ivan Perisic
87. Antonio Candreva (subs. 70' -> 10. Stevan Jovetic)
9. Mauro Icardi (GOL CONTRA aos 76')
TÉCNICO: Frank de Boer




ESTATÍSTICAS

ROMA                         INTER
36,3% posse de bola 63,7%
3 escanteios 10
19 finalizações 18
7 no alvo 5
307 passes 537
74,9% passes corretos 85,7%
15 desarmes 6
9 faltas concedidas 17
1 cartões amarelos 2
0 cartões vermelhos 0



Arthur Godioso - twitter @arthurgodioso

Em jogo de poucas oportunidades, Sampaio empata com Brasil-RS, em Pelotas

Pela 28ª rodada do Campeonato Brasileiro Série B o Brasil de Pelotas recebeu o Sampaio Corrêa, no Estádio Bento de Freitas, às 21h30 de ontem (04). O Tubarão, enfim, voltou a campo, já que na rodada anterior não jogou por conta do adiamento da partida contra o Vila Nova para do dia 25 do mês corrente. O resultado não agradou a ambos, um gol para cada lado.

Brasil de Pelotas e Sampaio empatam no Bento de Freitas (Foto: Carlos Isaurriaga/GEB).



A partida nem bem começou e a rede já balançou. Aos 2 minutos, Marmentini carregou a bola pelo meio de campo, avançou com facilidade entre os marcadores e tocou para Lucas Sotero, que limpou a jogada e da entrada da área acertou um belo chute. A bola bateu no travessão e morreu no fundo do barbante. Golaço!

O time da casa teve a sua primeira chance logo depois, aos 4. Após bate e rebate na área, a bola sobrou nos pés do artilheiro Felipe Garcia, que chutou no centro do gol para a defesa em dois tempos de Rodrigo Ramos.

O gol de empate do Brasil saiu aos 8 minutos. Em contra-ataque, Diogo Oliveira fez ótimo passe para Ramon na direita. Ele entrou na área, sob frágil marcação, e finalizou no canto direito do goleiro boliviano para igualar o marcador.

O Sampaio voltou a levar perigo dois minutos após sofrer o empate. Em cobrança de falta, Diego Lorenzi levantou a bola na área e Wágner Fogolari cabeceou com perigo, mas Eduardo Martini defendeu com segurança. Aos 28 minutos, quase o tricolor maranhense ficou à frente do placar novamente com Thiago Santos. Após receber lançamento de Marmentini dentro da área, o centroavante cabeceou no canto direito do goleiro adversário, que fez ótima defesa e na sobra o mesmo Thiago chutou a bola na trave, desperdiçando uma ótima chance.

Assim como no primeiro tempo, o Sampaio começou a segunda etapa partindo para o ataque, pois precisava da vitória. Aos 2 minutos, Hiltinho encontrou espaço e arriscou um chute da intermediária, passando ao lado do gol, sem susto. Hiltinho voltou a aparecer aos 5 minutos, quando chutou colocado da entrada da área para a ótima defesa de Eduardo Martini.

O segundo tempo se resumiu a isso. O Brasil ainda tentou pressionar no fim do jogo, mas abusou das bolas alçadas à área. No primeiro tempo, o tricolor errou muito na saída de jogo e rifou muita bola, pois o Xavante avançou as suas linhas e marcava no campo do adversário. O lado esquerdo mais uma vez foi o ponto fraco da Bolívia Querida, com Héverton alternando entre a zaga e a lateral, sendo facilmente vencido em vários lances, inclusive no lance do gol do time da casa. Lucas Sotero fechou o flanco esquerdo diversas vezes, auxiliando o zagueiro/lateral na marcação. O Sampaio segurou bem o resultado, mas foi pouco para a situação da tabela. Em geral, os dois times criaram pouco e o empate acabou sendo justo.

Com o resultado, o time Xavante não conseguiu colar no G4 e a Bolívia Querida não aproveitou as derrotas dos seus adversários (Tupi, Joinville, Bragantino e Oeste) na luta contra o rebaixamento. O Sampaio Corrêa continua na lanterna com 22 pontos, conforme a tabela abaixo:












O Tubarão volta a campo no próximo Sábado (8), às 16h, contra o Luverdense, no Estádio Castelão, em São Luís (MA).

FICHA DO JOGO:
Local: Estádio Bento de Freitas, Pelotas (RS)
Data: 04 de Outubro de 2016, terça-feira
Horário: 21h30 (de Brasília)
Árbitro: Paulo Henrique Schleich Vollkopf (MS)
Cartões amarelos: Leandro Camilo (Brasil); Éder Sciola (Sampaio Corrêa)
Gols: Ramon, aos 8’ 1º T (Brasil); Lucas Sotero, aos 2’ 1º T (Sampaio Corrêa)
Brasil-RS: Eduardo Martini; Weldinho, Cirilo, Leandro Camilo e Eduardo Brock; Leandro Leite, Washington, Diogo Oliveira (Clébson), Elias (Gustavo Papa) e Felipe Garcia; Ramon (Jonatas Belusso). Técnico: Rogério Zimmermann

Sampaio Corrêa: Rodrigo Ramos; Éder Sciola, Wágner Fogolari, Luiz Otávio e Héverton; Diogo Orlando, Diego Lorenzi, Lucas Sotero (Tássio) e Gustavo Marmentini; Hiltinho (Henrique) e Thiago Santos (Felipe Paulista). Técnico: Flávio Araújo

Marcos Fernandes || Twitter: @poetafernandes
Linha de Fundo || @SiteLF

Um triste Vasco

  Fala, Turma da Fuzarca!


   Acomodação: Ato ou efeito de acomodar.

   Irritação: Excitação; Exasperação; Ira; Exacerbação.


Duas flexões - uma do verbo Acomodar e outra do verbo Irritar – que demonstram estado de espírito do Vasco.

Zinho e Jorginho já estão pressionados. (Foto: GE)


Os jogadores acomodados pela antiga posição na tabela e pelo fato de estarem jogando uma Série B, fazem o torcedor, irritado, dizer: “Não acompanho mais”  

Na próxima partida, o fanático outrora estressado, vai ao jogo pelo amor, independentemente do resultado ou da fase que vive.

Hoje, alguns jogadores do Vasco não respeitam a camisa que vestem. Não falo pelos boatos que a imprensa divulga, mas por conta das partidas que os mesmos fazem.

Ganhar ou perder já não importa mais. O comodismo é visível; e junto com a acomodação, a ruindade e a desatenção deixam o ar de preocupação explícito em cada rosto do torcedor Vascaíno.

O ano parece ter acabado lá no dia 29/09, quando perdemos a vaga na Copa do Brasil. Neste dia tivemos a última partida na qual os jogadores demonstraram insatisfação com o resultado. Na série B, a derrocada veio ainda no Primeiro Turno, contra o Atlético-GO. Após esse fatídico jogo, foram raros os momentos de brilho nos olhos.

O que parecia fácil pode explodir em algum momento. Alguns jogadores reverenciados em outro momento, hoje já não são tão unânimes. Até mesmo Jorginho não vive dias tranquilos.


2017 bate na porta, e o Vasco não quer abrir. Os torcedores com medo esperam dias melhores e um elenco forte, sem passar sufoco no próximo ano. O Vasco não é isso. O Vasco exige respeito. O Vasco está cansado de sanguessugas. 

                                              Sempre ao teu lado até o fim


Abçs, Galera,

Matheus Freitas  @_MFreitas9_

Linha de Fundo  @SiteLF

Ceará bate o Joinville e volta a vencer na Série B

(Foto: JL Rosa / Diario do Nordeste)
"Ufa". Foi isso que os torcedores alvinegros disseram após o término da partida de ontem na Arena Castelão, quando o Ceará, depois de uma sequência de 11 resultados ingratos, enfim fez as pazes com as vitórias.

Jogando em seus domínios, o Vozão tratou logo de mostrar que estava disposto a vencer a partida. Aos dois minutos, Wescley chutou de fora da área e quase abriu o marcador. Seis minutos depois, Diego Felipe, em uma bela cabeçada, obrigou o goleiro Jhonatan a fazer uma importante defesa. Pressionado, o Joinville foi ao ataque e teve a sua melhor chance na primeira etapa desperdiçada por Tinga, o camisa 10 do Coelho finalizou colocado, mas Thiago Cametá salvou a meta alvinegra tirando a bola em cima da linha.

Como no futebol existe aquela célebre frase: 'Quem não faz, leva'', o Ceará marcou aos 34 minutos, depois de uma cobrança de escanteio, Charles mesmo caído conseguiu passar a bola para Wescley, que na pequena área fuzilou as redes catarinenses. E no último lance da primeira etapa, Richardson chutou e segundo o arbitro paulista, Vinicius Gonçalves Dias, a bola desviou no braço do zagueiro adversário, pênalti que Bill converteu.
Wescley comemorando o primeiro gol do Ceará (Foto: Christian Alekson/Cearasc.com)
Mais tranquilo na partida, o Vozão tentou administrar o resultado. O jogo ficou sem muitas emoções, até que após um cruzamento vindo da direita, Jael cabeceou sozinho e a bola explodiu no travessão. Aos 24 minutos o zagueiro Everton Pascoa desviou e mandou contra a sua meta, após o gol do JEC, Felipe fez falta, levou o segundo amarelo e foi expulso, deixando o Ceará com 10 jogadores em campo.

Mesmo com a vantagem numérica, o Joinville pouco assustou o goleiro Everson e quando o juiz apitou o final da partida, a gandaia alvinegra enfim pode comemorar a conquista dos três pontos. Um resultado importante para os jogadores que antes eram pressionados pela sequência de maus resultados e agora tem um pouco mais de tranquilidade para trabalhar, além de ter garantido a permanência do treinador Sérgio Soares, que poderia sair, caso o resultado fosse adverso.

O Ceará hoje 10º colocado volta a campo no próximo sábado as 16:30 contra o Oeste na Arena Barueri, para esse jogo até então apenas um desfalque, Felipe que estará suspenso.

PONTO POSITIVO: Voltar a vencer, esses 11 jogos sem vitorias estavam acabando com a paz dos jogadores e principalmente com as dos torcedores.

PONTO NEGATIVO: Felipe, mais uma vez discreto, pouco produziu e ainda foi expulso.

FICHA TÉCNICA

Ceará 2 x 1 Joinville

CEA: Everson, Thiago Cametá, Charles, Everton Pascoa, Eduardo (Thalysson), Diego Felipe, Richardson, Wescley, Felipe, Lêlê (Serginho) e Bill (Ciel). T: Sérgio Soares.

JEC: Jhonatan, Reginaldo, Rafael Donato, Ligger, Fernandinho, Naldo, Paulinho Dias (Fernando Viana), Tinga, Claudinho (Bruno Farias), Jael e Erick Luis (Giva). T: Ramon Menezes.

Local: Arena Castelão, Fortaleza/CE;
Publico: 7.522 pagantes;
Renda: R$ 50.855,00;
Arbitro: Vinicius Gonçalves Dias/SP;
Assistentes: Fabrício Porfírio de Moura/SP e Leandro Feitosa/SP.
Gols: CEA: Wescley (34/1ºT) e Bill (45/1ºT); Everton Pascoa (contra, 24/2ºT);
Cartões Amarelos: CEA: Richardson e Felipe; JEC: Tinga e Rafael Donato.
Cartões Vermelhos: CEA: Felipe.

Xepa LF- #29

              Fala, Cartoleiros e Cartoleiras


Senhoras e Senhores, meninos e meninas, quanta honra estar com vocês, brincar com vocês, MITAR COM VOCÊS!




“Como está o Xepa, Padrinho Didico”





SIM! A mitagem voltou. Estamos a todo vapor nesse segundo turno. O que já era bom no primeiro, agora está muito melhor.

Ficamos no topo da tabela dos quadros de dicas do Site, fazendo 72.87 pontos. Logo em seguida, o Chuck Norris LF com seus bons 62 pontos. Completando o pódio, o SiteLF conquistou 53 pontos.

E uma coisa é certa: Deixou chegar, agora aguente. O G5 já virou moda, porque o cheirinho do momento é de G4 da Liga Linha de Fundo.

Então, sem mais delongas, vamos ao que interessa:

                                                             
                                                          
                                                            Xepa LF FC






Magrão – Goleiro
Duelo de seis pontos contra o fantasma do rebaixamento, e agora com G4 virando G6 que poderá virar G8/9 bota um fogo a mais para todos medianos na tabela. O jogo será em Pernambuco contra o São Paulo. Vale a aposta em DD’s.

Pará – Lateral
O lateral que outrora era vaiado e temido pela Nação Rubro-Negra, hoje é aplaudido de pé. Mesmo com alguns desfalques, o Flamengo vai para cima do Santinha, no Pacaembu. Com isso, vai precisar muitos das laterais.

Léo – Lateral
Jogo na Arena da Baixada não pode faltar alguém da defesa do Atlético PR. O melhor mandante nunca decepciona os cartoleiros. O Furacão enfrentará a Chape.

V.Hugo e Edu Dracena – Zagueiros
Os dois escolhidos para formar a zaga do Xepinha. O praticamente já rebaixado América-MG vendeu o mando de campo e o Palmeiras jogará “em casa” no Estádio do Café. Mesmo sem Mina, o Verdão Paulista tem uma defesa segura com V.Hugo e Dracena.

Jean – Meia
Mais um do líder do Campeonato. Jean junto com Dudu – outro do Xepa – cobram faltas, escanteios, pênaltis, basicamente tudo, por isso a aposta é válida.

Diego – Meia
Com alguns desfalques na parte ofensiva, Diego terá que ser diferencial diante do Santa Cruz, que acredito ir fechado na retranca.

Robinho – Cruzeiro
Robinho está sendo um dos pilares da Raposa nos últimos jogos.Chegando bem ao ataque, dando várias assistências, o jogador foi escalado para completar a meiuca do Xepinha.

Pablo – Atacante
Sabe aquele goleador caseiro de time caseiro? Então, esse é o Pablo. Jogo na Baixada ele sempre aparece bem como todo time do Furacão. Vale muito a aposta, e sim, foi a primeira 
opção do Xepinha no ataque.

Fred – Atacante
O Galo vai todo desfalcado ao jogo por conta da CBF, e mesmo assim ainda tem um dos melhores ataques do campeonato. Fred gosta desses jogos grandes. E a com a mudança de G4 para G6, o Corinthians volta a brigar por libertadores, ou seja, a partida deverá ser quente.

Dudu - Atacante
Um dos melhores jogadores do Campeonato, Dudu é o Rei das Assistências. O Palmeiras é líder e vai enfrentar o último colocado.

Cuca – Atacante
Usando o Cucabol por motivo lógico: Tem mais jogadores escalados no Xepa.   
  


                      Com esses jogadores, com esses Mitos, o XEPA VAI MITAR!!



Abçs, Galera,

Matheus Freitas  @_MFreitas9_


Linha de Fundo  @SiteLF

Paysandu vence o Vasco e segue invicto no Mangueirão

(Foto: Fernando Torres ASCOM/Paysandu)

Na noite desta terça-feira (04), o Paysandu voltou a jogar em Belém, levando milhares de torcedores ao Mangueirão para empurrar o time para o caminho da vitória contra o Vasco.

No primeiro turno, o clube paraense levou a melhor contra os cruzmaltinos, vencendo por 2x0 e acabando com a invencibilidade dos vascaínos em São Januário.

Na partida quem começou levando a melhor foi o Vasco, que aos 15', abriu o placar com um golaço, quando Madson cruzou para Éderson marcar de voleio. As tentativas do alviazul de mudar a história da partida no primeiro tempo, acabaram sem êxito. Gilvan até tentou um cabeceio após escanteio de Tiago Luís, mas a bola tomou outro rumo.

No segundo tempo, logo aos 3', uma outra jogada da dupla conseguiu encontrar o gol. Tiago Luís cobrou uma falta de longe com muita categoria, Martín Silva soltou e no rebote, Gilvan empatou o jogo. Com 17', Dado Cavalcanti resolveu fazer uma mudança que surtiria efeitos em apenas 13s, retirou Jobinho e colocou Bruno Veiga em campo. O atacante virou o jogo cabeceando no contra pé de Martín, após receber cruzamento de Leandro Cearense.
(Foto: Fernando Torres ASCOM/Paysandu)
Ainda teria muito jogo pela frente e muita tentativa de empate do Vasco. Empate que acabou vindo aos 29' com Éderson novamente, porém que foi anulado pelo assistente.

No finalzinho da partida, João Lucas ampliou o placar e fechou a vitória do Papão, com um cruzamento errado, que acabou desviando e entrando no gol.

Palavra da colunista: A estrela de Dado Cavalcanti voltou a brilhar, duas de suas substituições acabaram fazendo dois gols, mudando a história da partida. Mudanças pontuais, como a saída de Jobinho, que fazia uma partida ruim, para a entrada de Veiga, que virou o jogo.

Leandro Cearense atuou bem novamente, como tem feito dentro no Mangueirão reza a lenda que neste estádio, um espírito se apossa de seu ser. Acabou com Luan, deu uma assistência e até cansou no segundo tempo, mas não  apagando sua a atuação que faltou apenas ser coroada com um gol. Outro nome que merece ser citado é de Tiago Luís, é impressionante o que tem jogado e como tem ajudado, perdeu algumas bolas por marcação cerrada e até errou algumas coisas pequenas, porém a cada jogo se mostra mais essencial para o time.

Lucas fez mais um jogo desastroso, a fase não é nada boa para ele. Já João Lucas conseguiu acertar errando e por isso, desta vez, ficará livre de críticas.

Próximo jogo: O Paysandu volta aos gramados neste sábado (08), contra o Joinville, na Arena Joinville, às 16h30.      

Chuck Norris #29: Enfim redenção!

UFA!

A sequência de rodadas PÍFIAS e PATÉTICAS teve fim  e o emprego da comissão técnica do Chuck foi preservado. A defesa foi muito bem preservando o SG em todas as posições e apostas como Thiaguinho e Raphael Veiga não decepcionaram. Faltou o Cruzeiro ajudar mais, Mano Menezes sacaneou Arrascaeta e Ábila não joga mais no Chuck esse ano. Cartão amarelo pro simulação com dois minutos de jogo? Fala sério! 

Para mantermos a REMONTADA preparamos um time competente com uma dose de OUSADIA para essa rodada BIZARRA que começa na quarta e termina no domingo. Time dentro da nova filosofia de BARATO e BOM. Defesa alvi-verde-rubro-negra, meio campo criativo e ataque dos postulantes ao título. Eis o ESCRETE:

ESQUEMA: 4-3-3    PREÇO: 138,70
WILSON: Goleiro mais regular do fantasy game. Vinha bem com o Coxa mal, fazendo muitas defesas difíceis e segue bem após a melhora do time. Enfrenta um time desesperado e que não finaliza bem. Duas ou três DDs são esperadas, se mantiver o SG é MITAGEM certa.

LÉO: O Furacão é quase imbatível na Arena da Baixada esse ano. O campo artificial dificulta demais para os adversários e Léo tem se aproveitado imprimindo velocidade no apoio pela direita. Chape vai jogar fechadinha. com três zagueiros, haverá espaço para atacar.

THIAGO HELENO: Zagueiro cobrador de pênaltis é uma tentação para escalar. Ainda mais quando também é bom no jogo aéreo. Heleno faz ótimo brasileiro, comete menos faltas e leva menos cartões esse ano e consegue algumas RBs. 

VÍTOR HUGO: Não precisa justificar muito, né? Zagueiro que sempre aparece no Chuck, enfrenta o pior time do campeonato e o jogo será em Londrina, REDUTO palmeirense. Ainda tem uma LEI DO EX para temperar. 

RENÊ: Aquela surpresa para diferenciar o time e turbinar a pontuação. Renê teve uma temporada de 2015 espetacular mas perdeu espaço esse ano. Só será titular porque Rodney Wallace foi convocado pela Costa Rica. Só que ele possui média alta de RBs e tem um confronto favorável contra o São Paulo que tem sido um time apático no ataque.

JEAN MOTA: Outra dica preciosa: Sem Lucas Lima e Vítor Bueno o responsável pela armação será o jogador que veio do Fortaleza e que deve assumir também as bolas paradas onde possui ótimo aproveitamento. Comparativamente a média dele é bastante superior ao do próprio Lucas Lima e costuma aparecer mais para finalizar dentro da área.

DIEGO RIBAS: Flamengo não pode nem pensar em empatar esse jogo. Diego é o meia com melhor média mesmo não indo bem nas últimas duas rodadas. Nessa não deve falhar.

DIEGO SOUZA: O monstro da Ilha jogou bem contra o Flu mesmo que isso não tenha sido refletido na pontuação. Última vez que apareceu no Chuck decepcionou. Chance de se redimir agora.

ROBINHO: O rei das pedaladas começou sua história de sucesso no futebol fazendo o SCCP de gato e sapato. Mesmo com os desfalques o Galo tem um time mais forte que o Corinthians hoje e o ex-menino da vila está descansado e pronto para enfrentar o antigo freguês.

VIZEU: Estreia no Chuck porque Guerrero e Damião estão fora de combate. Santa Cruz vem com a zaga reserva LUAN PERES e WELLIGTON. Menos de dois gols da joia do sub-20 eu nem comemoro.

DUDU: Apesar da merecida badalação com Gabriel Jesus, Dudu é o jogador mais participativo do ataque palmeirense. São quatro gols, nove assistências e dezoito finalizações. Contra uma defesa frágil é obrigação tê-lo no time. E ainda tem a bola parada.

CUCA: Técnico do líder contra o lanterna e com o fator campo a favor. É obrigação MORAL escalar ALEXI STIVAL nessa rodada

ALEX ROLIM - @rolimpato - #BBMP

A pátria não tem mais fé: CRB e a sina de derrotas em casa

Sabe aquele filme, "Diário de um banana"? Bom, esta frase pode sair perfeitamente da boca de um torcedor regatiano após um jogo no Rei Pelé nesta Série B. Hoje não foi diferente, e mais uma vez o time decepcionou por sair na frente e acabar tomando a virada pela terceira vez neste returno. 

Foto: Linha de Fundo

O rapaz sai de casa, e vai ao estádio empolgado com a vitória do clube fora de casa, lá, acaba saindo triste ao ver seu time ver os três pontos escapar. Isso acontece com o torcedor em sequência desde o jogo contra o Brasil de Pelotas, bom, teve apenas só uma exceção contra o Oeste, mas já passou.

Foto: Globo Esporte

O Galo aos 38' chegou em boa troca de passes. Magrão recebeu na entrada da área, ajeitou a bola e finalizou de longa distância, mas Klever fez uma ótima defesa, colocando a bola para escanteio. No minuto seguinte, em continuação da jogada anterior, Magrão cobrou o escanteio e achou Adalberto quase na área do pênalti, que cabeceou no canto do goleiro para abrir o placar no Rei Pelé. CRB 1 a 0.

O placar em si, já preocupava muito. Neste returno, o CRB abriu o placar e tomou a virada em três partidas no próprio Rei Pelé. Contra o Vila Nova, Jussani abriu o placar em cobrança de falta, mas Juliano em noite difícil facilitou para os goianos conseguirem a virada. Contra o Avaí, Neto Baiano abriu o placar, mas o Galo com um a menos foi surpreendido novamente, perdendo mais uma partida. E desta vez, contra o Atlético de Goiás, o time regatiano mais uma vez abriu o placar e acabou tomando a virada.

Romário aos 20' do segundo tempo, lançou a bola na área, e em falha grotesca de Juliano que estava indeciso, Júnior Viçosa marcou o gol de empate para o Atlético. 1 a 1 no Rei Pelé. O Galo foi modificando, Brigatti tentou mudar, mas nada adiantou. Aos 43' Gilsinho bateu falta, e Ricardo Silva subiu livre na área para marcar o gol da virada do Dragão goiano. Fim de jogo, e vitória dos visitantes por 2 a 1.

RENDA E PÚBLICO
Renda: R$ 77.606
Pagantes: 6.004
Presentes: 7.764

Próximo jogo

No sábado (08), o Galo irá enfrentar a equipe do Paraná fora de casa. Nas duas próximas partidas, serão dois confrontos longe de Maceió, que nesta Série B, não preocupa muito aos torcedores. O Galo precisa de um milagre, para voltar a brigar pelo acesso.

Em jogo de muitos gols, Luverdense bate o Paraná

Com os tropeços de Bragantino e Tupi, ambos como mandantes, o Luverdense entrou em campo precisando apenas de uma vitória para praticamente liquidar o risco de rebaixamento. A vitória por 3x2 diante do Paraná, jogo que marcou a quinta derrota seguida dos paranaenses, deixou o Verdão do Norte com 42 pontos, apenas três a menos da chamada “pontuação de segurança” e quinze acima do Z4.

A margem tranquila e com o objetivo principal encaminhado permitem que o Luver passe a sonhar em definitivo com o acesso, mas esse sonho dependia também do jogo contra o Paraná. Qualquer tropeço e ficaria muito complicado imaginar qualquer coisa diferente de um coadjuvante de agora em diante – coisa que, de qualquer forma, já seria muito melhor do que a emoção de uma briga contra o rebaixamento.

Foi com esse espírito que o time comandado por Junior Rocha entrou em campo, mas tinha pela frente um adversário desesperado por pontos também. E assim, foram os paranaenses que tiveram as primeiras oportunidades de marcar, sem sucesso. O Verdão do Norte teve as suas e não perdoou.

img_8855
Crédito foto: Divulgação / Site oficial Luverdense
Em dois cruzamentos muito parecidos, Alfredo mostrou o oportunismo nato de um centroavante e colocou o Luverdense em vantagem em um intervalo de cinco minutos, sem deixar o adversário respirar. O jogo só voltou a ficar perigoso quando o Paraná conseguiu um gol quase no final da etapa inicial.

Após o intervalo, os visitantes tiveram pouco tempo para aspirar coisa melhor na partida. O golaço de Sérgio Mota, logo aos seis minutos, ampliou a vantagem e deram a tranquilidade que o Luverdense precisava para dominar a partida. Nem mesmo o gol de pênalti marcado dez minutos depois tirou o controle do jogo dos donos da casa que seguraram a vitória.


No próximo sábado, o Luverdense jogará diante do lanterna Sampaio Corrêa, no Maranhão. A vitória é fundamental para continuar sonhando com um acesso que, se parece improvável nesse momento, está longe de ser impossível tamanho equilíbrio dessa Série B.

Em terra de Santa, quem tem sorte é rei

Seria loucura pensar que jogar contra o Santa Cruz, dentro do Arruda, seria fácil. A situação da tabela é desfavorável, mas os times do nordeste sempre dão trabalho, principalmente jogando em casa. Não teria como ser diferente mesmo com um público decepcionante na noite de segunda-feira. Aqueles que foram, registre-se, não pararam um minuto, com direito a bandinha e tudo.

O Palmeiras saiu de São Paulo ciente da dificuldade que seria o jogo. Cuca avisou em várias entrevistas o quão complicado seria vencer o Santa Cruz e em nenhuma delas pareceu discurso da boca para fora. Ele sabia que os pernambucanos jogariam a vida, mas talvez não imaginasse que seria tão complicado como foi. Aliás, guardem o nome do treinador palmeirense, ele foi decisivo.

A complicação, porém, veio tarde. Os primeiros quarenta e cinco minutos foram surpreendentemente tranquilos. Tão surpreendentes quando a boa ideia de Cuca ao escalar Zé Roberto no meio-campo na ausência de Dudu e diante da inconsistência de Cleiton Xavier. Foi o próprio Zé que tabelou com Erik e marcou um golaço de cobertura, um gol que dificilmente marcaria se estivesse na lateral-esquerda. Foi apenas a primeira boa jogada do treinador palmeirense.

Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação _ Gabriel Jesus foi convocado por Tite para a Seleção e desfalca o Verdão na próxima rodada
A cara de Gabriel Jesus no lance resume bem a dificuldade que foi a partida contra o Santa Cruz.
(Foto: Divulgação / Cesar Greco/ Ag. Palmeiras)
O Santa Cruz até tentou assustar no final do primeiro tempo, mas sem organização nenhuma. Ela veio após o intervalo: Artur veio a campo e marcou um bonito gol para empatar a partida quando a vitória alviverde já não era mais merecida. O time voltou recuado demais para quem tinha ainda quase cinquenta minutos pela frente.

Cuca voltou a brilhar na etapa final. Na primeira vez, talvez tenha sido um “burro com sorte”, como Levir Culpi batizou seu livro. Colocou Leandro Pereira no intervalo para liberar Jesus que não conseguia jogar bem enfiado entre os zagueiros mais uma vez. A substituição que trouxe o Santa para dentro do campo do Verdão foi premiada com uma saída equivocada do goleiro adversário. Leandro Pereira aproveitou e desempatou.

As emoções estavam longe do fim. O treinador palmeirense já pensava em segurar o meio-campo com a entrada de Thiago Santos quando viu Jean cometer um pênalti bobo convertido por Grafite. Thiago Santos ficou no banco e quem entrou foi Cleiton Xavier. Nada definido, tudo aberto. Aberto, aliás, até demais, para sorte do Verdão.

O empate era o placar desejado por todos os concorrentes do Palmeiras, mas não bastava de maneira nenhuma para um time desesperado por pontos. E o Santa Cruz, ao invés de recuar novamente, se jogou para o ataque. E em uma dessas investidas, veio o acaso que costuma premiar as equipes da ponta da tabela e judiar daqueles que brigam contra o rebaixamento. O palmeirense sabe bem o que é isso.

Um ataque promissor dos pernambucanos iniciava-se pela esquerda, mas o lateral tricolor escorregou e deixou a bola limpa para o Palmeiras armar um contra-ataque mortal. Cleiton Xavier – outro a entrar no jogo - ocupou bem o buraco deixado pelo escorregão e enfiou ótima bola (talvez a primeira do returno) para Roger Guedes matar de vez a reação.

Em terra de Santa, quem tem sorte é rei.

O DESTAQUE: Desde que chegou, Cuca fez ótimas intervenções e alguns poucos erros inerentes ao cargo de treinador de uma equipe. Mas ninguém mais merece os créditos de uma vitória sofrida como essa do que ele. Sorte ou não, foi ele quem colocou Zé Roberto no meio e, ao longo do jogo, lançou Leandro Pereira e Cleiton Xavier na partida, ambos com participações decisivas nos gols palmeirenses. No mínimo, Cuca mostrou que sabe o que tem nas mãos. E é a primeira vez que esta coluna elege o treinador como destaque.


BOLA MURCHA: A vitória era importante para abrir vantagem contra o vice-líder Flamengo e só foi tão sofrida porque Jean cometeu um pênalti infantil logo após o segundo gol do Palmeiras. Sorte a dele (e principalmente a nossa), que a fase do Santa é das piores e deu para achar um terceiro gol.
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana