A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

domingo, 16 de outubro de 2016

Os pés salvadores de Danilo

Três derrotas consecutivas, com 8 gols sofridos e a pior defesa da competição, essa era a Chapecoense que via a “gordura” conquistada na briga para fugir do rebaixamento diminuir. Com uma semana entre a goleada sofrida por 3x1 para o Atlético Paranaense em Curitiba, Caio Júnior teve uma semana para conversar, e ajustar os erros na defesa nos últimos duelos.

Antildes Bicalho/Photopress/Gazeta Press

A conversa surtiu efeito, o treinador que chegou até a mudança de esquema, passando a jogar com três zagueiros, viu que não deu certo, e voltou a jogar com apenas dois defensores, desta vez com Neto e Thiego, dupla que junta teve muito sucesso em 2015.

A bela vitória no meio de semana voltou a afastar o Verdão da briga contra o rebaixamento, o que deu tranquilidade para os duelos da Copa Sul-Americana, contra o Júnior de Barranquilla. Antes de enfrentar os colombianos, ainda tinha um duelo importante pelo Brasileirão.

Com o avião fretado pela diretoria, Caio Júnior decidiu repetir a escalação da vitória contra o Sport, neste domingo (16), contra o Cruzeiro, no Mineirão. A pressão foi grande, em um jogo de ataque contra defesa, vimos novamente a salvação nas mãos de um grande goleiro, ou melhor, nos pés do arqueiro, que voltou a defender um pênalti, garantindo um ponto importantíssimo para o Verdão na tabela. 

O empate foi conquistado de forma sofrida, assim como é a vida da Chapecoense em toda sua história, uma verdadeira blitz Cruzeirense do inicio ao fim, a pressão começou cedo, logo aos 3 minutos Henrique arriscou de longe, a bola passou muito próximo a meta de Danilo, para fora. Um minuto depois foi a vez de Lucas, chutar a acertar a trave.

Kempes respondeu aos 6 minutos, quando o centroavante dominou na meia-lua e mandou no cantinho de Rafael, que espalmou em escanteio. Foi a única chance do Verdão na primeira etapa, a pressão voltou aos 23 minutos, a bola sobrou para Sóbis, que chutou forte, Gimenez providencialmente desviou de cabeça, em escanteio. Aos 37 Sóbis novamente teve a chance de abrir o placar, mas Danilo em tarde iluminada estava lá para salvar, garantindo o empate em 0x0 no primeiro tempo.

Na segunda etapa, as equipes voltaram com as mesma formações, e novamente com os mineiros assustando e pressionando. Logo aos 8 minutos, depois de Cleber Santana recuar mal, Ábila roubou a bola e caiu na área em dividida de bola com Danilo, o árbitro marcou pênalti. O Argentino pegou a bola, mas a sua frente tinha Danilo, autor de quatro defesas de pênaltis que garantiram a classificação do Verdão na Sul-Americana, e foi com esse mesmo espírito que Danilo defendeu com os pés, e salvou novamente a Chapecoense.

Parecia mesmo que não era uma ótima tarde para os atacantes do clube mineiro, a bola voltou a cair nos pés de Ábila, que livre chutou forte, desta vez quem salvou foi a trave. A Chapecoense teve a chance de matar a partida em um contra-ataque, Gil recebeu livre e partiu em velocidade, mas na finalização, o volante chutou para fora. Foi inevitável tirar o zero do placar, destaque além de Danilo, para o zagueiro Neto, dois monstros em campo, o defensor não perdeu uma disputa de bola com os atacantes Cruzeirenses.


Agora a Chapecoense muda a chave, e volta a pensar totalmente na Copa Sul-Americana, quando enfrenta na próxima quarta-feira (19), a equipe do Júnior de Barranquilla, no Estádio Metropolitano, na Colômbia, às 21h45. 

Marcelo Weber || @acfmarcelo

Onde está o meu Vasco?

Mais um jogo, mais uma rodada, mais uma derrota. No jogo válido pela 31º rodada, o Vasco perdeu mais uma em casa e ficou na segunda colocação na tabela


Foto: GE

O primeiro tempo começou com  Vasco apertando a defesa alagoana. Aos sete minutos, Andrezinho bateu o escanteio e Madson cabeceou, assustando a zaga do CRB. Cinco minutos depois Rodrigo chutou de fora da área, mas Juliano espalmou, salvando o time e deixando ambas torcidas desesperadas. Após os primeiros vinte minutos de jogo, o time que jogava em casa, e jogava bem, caiu de rendimento deixando o adversário colocar pressão. Para deixar os vascaínos  mais indignados, aos trinta e sete minutos Marcos Martins cruzou para Zé Carlos, que ajeitou e bateu no canto esquerdo do goleiro Cruz-maltino. Quem achou que fosse acabar por aí, se enganou! O CRB aproveitou os acréscimos para marcar mais um. Após um cruzamento de Gerson Magrão, Zé Carlos fez de cabeça, sem chances para Martín. Com falta de pressão da equipe vascaína, o CRB acabou a primeira etapa do jogo na frente, 2x0.


Foto: Uol

A segunda etapa iniciou com mudanças nos donos da casa, Júnior Dutra e Pikachu entraram para tentar melhorar o panorama do jogo, mas não foi tão eficiente assim. O CBR ainda levou perigo aos vascaínos, principalmente com Matheus Galdezani e Zé Carlos. O Vasco perdia muitas chances, e não conseguia finalizar com qualidade. Enquanto isso o time visitante não tinha pressa, valorizava a posse de bola e deixava a torcida com os nervos à flor da pele, os gritos de "olé, olé" se espalharam por São Januário.  

O situação era tão ruim, que até o Eurico desistiu, aos 36' ele já havia fechado a janela da sala da presidência. Para desafogar um pouco, o Vasco conseguiu um gol. Aos 48' Nenê cobrou escanteio,  bola desviou em Madson e Éderson finalizou, descontando para o time carioca.O gol não foi suficiente nem para um empate, muito menos para acalmar a torcida do Vasco. O público vaiou e ao som de "o nosso Vasco não precisa de você" (para Eurico Miranda) o jogo acabou, com mais uma derrota para o estoque vascaíno.

Agora o Vasco soma 54 pontos e está em segundo lugar na tabela, com apenas cinco pontos a mais que o quinto colocado. Já o CBR está com 46 pontos, em oitavo lugar. No próximo sábado (29) o Vasco enfrentará o Paraná, no Kleber Andrade. Já o CRB joga contra o Joinville no mesmo dia, no rei Pelé. 


                                                                       Ana Clara Soares (@AnaClaraSoares1)

Ficha técnica 

Árbitro: Felipe Duarte Varejão (ES)
Cartões Amarelos: Madson (Vasco); Glaydson, Zé Carlos, Marcos Martins, Gérson Magrão e Diego (CRB)
Vasco: Martín Silva; Madson, Luan, Rodrigo e Júlio César (Alan Cardoso); Diguinho, Fellype Gabriel (Júnior Dutra), Andrezinho e Nenê; Éderson e Thalles (Yago Pikachu). Treinador: Jorginho.
CRB: Juliano; Marcos Martins (Bocão), Adalberto, Gabriel e Peri (Roger Gaúcho); Glaydson, Matheus Galdezani, Diego e Gerson Magrão; Luidy e Zé Carlos (Neto Baiano). Treinador: Mazola Júnior.

Tigrão mostra sua força, e coloca o rival na roda

No último sábado(15), Goiás e Vila Nova realizaram o último clássico goiano de 2016 entre as duas equipes, ao todo foram 6 disputas, sendo uma vitória colorada, duas esmeraldinas e três empates. O Vila Nova e o técnico Guilherme Alves em 2016 aniquilou todo tipo de tabu que o Vila tinha pendente, neste clássico não foi diferente. O Tigre não vencia o arquirrival Goias em uma competição nacional a 37 anos. Não só venceu como também convenceu o torcedor, os 2x1 ficou barato quando a tarde era totalmente do atacante Joãozinho autor de um dos gols, e ainda sofreu o pênalti que deu a vitória ao Colorado. Walter ainda descontou para o Verde.

A volta por cima do artilheiro Frontini que saiu do banco para ter sua redenção junto ao Vila. Aquele que proibiu o jogador de jogar na equipe vilanovense hoje não faz parte do Vila, foi covarde é abandonou o barco. Como o próprio jogador comentou ele foi covarde. "É difícil até de falar, pois a pessoa que me colocou para treinar separado foi a pessoas que insistiu para eu voltar aqui. E que no momento mais decisivo, quando precisamos dela, se acovardou e saiu. Eu não. Eu continuei e fiquei. Acho que esse clube não admite esse tipo de situação: se acovardou."

Joãozinho autor de um dos gols da partida. Foto: Reprodução / Vila Nova Futebol Clube

E por mais uma vez o técnico vilanovense fez a diferença, deixou Gilson Kleina no pianinho ao isolar o ataque esmeraldino, apesar dos desfalques principalmente no setor defensivo o Vila entrou bastante atento em campo Gustavo Geladeira tinha a missão de marcar Léo Gamalho, Caíque o atacante Rossi principal jogador da equipe do Goiás. Fizeram o simples e cumpriram com o prometido mantendo aquela velha sina do técnico Guilherme Alves de jamais ter perdido duas partidas seguidas. Lembrando que o Vila entrou em campo com um time totalmente modificado com seis jogadores reservas, e quatro deles na defesa. 

Com um inicio de semana conturbada fora de campo, o Vila Nova foi pego de surpresa com o  anúncio que o presidente Gutemberg Veronez não fazia mais parte da diretoria colorada. Efeitos que  sempre surge antes de todo clássico, porém nada disso refletiu dentro de campo e os jogadores souberam separar o bem do mau, e venceram toda diversidade.
Frontini comemora sua volta, e celebra gol que garantiu a vitória do Tigre. Foto: Reprodução/Vila Nova Futebol Clube.
No jogo o Vila conseguiu se impor, crescendo na hora certa e matou o arquirrival nos contras ataques, e ainda no primeiro tempo quando Joãozinho deu uma bela arrancada deixando vários marcadores para trás e bateu rasteiro sem chances parar o goleiro Marcio, 1x0 Vila. Em desvantagem no placar o Goiás foi buscou contra atacar mas não teve tanto sucesso como o rival que mandava no jogo. E se por um lado o atacante Rossi que se envolveu em várias confusões durante a partida não teve um dia inspirado, o atacante e ídolo da torcida colorada teve uma tarde que jamais vai esquecer. Sua volta ao time com direito a gol da vitória. Essa vitória é a vitória de quem estava em dúvida, passa a torcer para o Vila, é assim que tem que ser. Porque foi uma vitória com a cara do Vila Nova, afirma o presidente em exercício do Vila.

A última vitória do Vila em cima do rival foi no Campeonato Goiano de 2012, quando o atacante Patrick marcou por si só três gols, partida no qual ficou 3x2. Com essa vitória o Vila volta a fazer as pazes com a torcida, após o fim do jogo jogadores e o técnico foram até a torcida que estava presente agradecer pelo apoio. Essa união entre jogadores e torcida e essencial, fortalecendo um ao outro é juntos podemos fazer o Vila ser respeitado novamente. As chances podem ser minusculas mais vamos juntos lutar por esse sonho. 

Foto: Reprodução / Vila Nova Futebol Clube.
A próxima batalha do Tigrão e nesta terça-feira(18), as 19h15 no Serra Dourada diante da equipe do Avaí. A diretoria vilanovense espera o apoio da torcida. Presidente em entrevista a uma rádio local disse que precisa do apoio do torcedor. "Eu preciso do torcedor, estamos com grandes problemas financeiros e o Vila não é de um, os torcedores precisam me ajudar. Terça-feira tem um jogo importantíssimo para nós, principalmente sob o ponto de vista financeiro." Ele ainda afirma em entrevista a rádio 730 que o maior patrocinador do Vila Nova e chama torcida, não é de hoje, vai ser sempre, sempre foi e é.


"Os humilhados foram exaltados."

Palace joga mal e perde outra em Selhurst Park!

Foto: Reprodução/Twitter oficial do Crystal Palace.
Na partida que encerrou os jogos do sábado (15) válidos pela 8ª rodada da Premier League, o Selhurst Park na região de Croydon recebeu em noite fria e chuvosa, o clássico londrino entre Crystal Palace e West Ham United, que se encontravam em momentos distintos, os visitantes que não fazem um bom início de temporada com apenas 4 pontos na competição em 18° na zona de rebaixamento, enquanto o Palace era o 8º com 11 pontos.

As águias chegaram para o confronto vindos de cinco jogos imbatíveis e buscando alçar voos mais altos na tabela de classificação. Em dêrbis londrinos o Palace estava a sete jogos sem vencer (2E - 5D)  e contra o West Ham nas duas últimas partidas em casa, foram os visitantes que levaram a melhor e por isso apesar do mal momento vivido pelo adversário, Alan Pardew alertava sobre a qualidade dos comandados de Slaven Bilic e dificuldade que seria o jogo.

Em dez confrontos anteriores na Premier League total equilíbrio, quatro vitórias para cada e outros dois empates, para o 11 encontro o Palace foi a campo com: Mandanda, Ward, Tomkins, Delaney (capitão), Kelly (Fryers), McArthur (Wickham), Ledley (Cabaye), Townsend (Lee), Puncheon, Zaha e Benteke. 

Precisando se recuperar no campeonato o West Ham adotou a postura de três zagueiros, dando a bola para o Palace e apostando em contra-ataques e nos primeiros minutos o Crystal sufocou com a marcação alta, obrigando o visitante a se desfazer da bola. Passada a pressão inicial o West Ham conseguiu diminuir o ritmo de jogo tornando-o lento, pouco usual na Premier League, como o Palace tinha problemas na saída de bola e na construção das jogadas os Hammers foram controlando o jogo até aos 19 minutos marcarem com Lanzini após jogada no lado esquerdo de ataque entre Payet e Crosswell que cruzou bola rasteira para o Argentino se antecipar à marcação. O gol não mudou muito o panorama da partida, que seguiu lenta e fraca tecnicamente, da maneira que agradava aos visitantes que necessitavam do resultado, mesmo sem criar oportunidades de gol o Palace foi presenteado com um pênalti cometido por Ogbona em Bentke aos 45 da primeira etapa, o próprio atacante belga foi para a cobrança e chutou para fora, no lance seguinte ele mesmo acertou a trave de Adrián e foi só isso no primeiro tempo.

Benteke desperdiçou pênalti na partida.
Foto: Reprodução/Twitter oficial do Crystal Palace.
Na volta do intervalo, as águias de Croydon efetuaram duas mudanças: Cabaye no lugar de Ledley e Fryers substituiu Kelly. O Palace buscou mais presença ofensiva no início da etapa e até ensaiou uma pressão mas sem muita efetividade, o West Ham jogava tranquilo com a vantagem conquistada enquanto o Palace não encontrava alternativas para transpor as linhas de defesa adversárias. Com 25 minutos jogados Wickham substituiu McArthur para tentar qualificar o meio campo e assim municiar o trio Zaha-Townsend-Benteke. Aos 30 minutos o assistente do gol de Lanzini, Cresswell foi expulso mas o Palace pouco criou, apelando para as bolas alçadas na área facilitando o trabalho do West Ham, que se segurou até o apito final de Palace 0 x 1 West Ham.

Lanzini foi o artilheiro do jogo.
Foto: Reprodução/Twitter oficial do West Ham.
Agora, o Palace estaciona no meio da tabela em 8° com 11 pontos (3V - 2E - 3D) e uma campanha pouco efetiva em Selhurst Park.

Próxima partida do Crystal Palace pela Premier League:
22 de Outubro - 12:00 (hora Brasília) - King Power Stadium.
Leicester x Crystal Palace.

Por: @carlosjr92educa
Carlos Alberto de Sousa Júnior - Colunista do Crystal Palace
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana